O sistema (ou estilo) Harvard de referenciar trabalhos e documentos publicados

v 4.1 Março de 2004

O sistema (ou estilo) Harvard de referenciar trabalhos e documentos publicados

Citações no texto
O sistema de citação Harvard é o método mais simples de reconhecimento do trabalho de outros autores, uma vez que, inicialmente, tudo o que é necessário fazer é mencionar o nome do autor e a data de da publicação do seu trabalho no texto do nosso trabalho. Assim, de cada vez que no nosso documento for necessário referirmo-nos a um dado documento, basta inserir o nome do autor e a respectiva data da publicação.

e.g. (do latim ‘exempli gratia’, significando ‘por exemplo’- pode, mais vulgarmente, dispensar o uso dos pontos designando as abreviaturas) O trabalho de Miranda (1994) enfatiza a importância da qualidade científica na pesquisa ou investigação de carácter social.

O leitor poderá então, com facilidade, localizar a descrição completa do assunto que foi referido no nosso texto consultando a lista de referências (ou bibliografia), disposta por ordem alfabética, que se encontra colocada no final do nosso trabalho. Este sistema tem a vantagem de permitir que, com uma rápida vista de olhos, se identifique a personalidade em causa, que pode ser eventualmente reconhecida, bem como avaliar da actualidade ou contemporaneidade da informação que se referencia.

Notas: i) Só se utilizam iniciais de autores, no texto principal, caso existam dois ou mais com o mesmo apelido que tenham publicado no mesmo ano. Nesse caso, as iniciais servirão para os identificar, evitando-se assim uma eventual confusão de identidades.
O estilo Harvard para referenciar. -1jlp adapt. (v 4.1) ©Marianne Dee

por parte do conhecido especialista um esclarecimento de conteúdo (Franco. do seguinte modo: O estilo Harvard para referenciar. -2- jlp adapt. tendo sido posteriormente recuperada por Deodato (2003). o ano deve segui-lo entre parêntesis. A Comissão Parlamentar de Finanças. Caso haja necessidade de fornecer mais detalhes. páginas (pp. deverão utilizar-se letras minúsculas após a data. understand it more clearly and decide upon its relevance. Esta tese havia sido já defendida por Franco (1993a). como por exemplo o número das linhas. b) Múltiplos autores: Caso o número de autores de um dado trabalho não seja superior a três.122-3). entre parêntesis. numeração de títulos ou subtítulos ou até de números de pistas ou faixas de gravações sonoras. (v 4. por ordem alfabética. pelo que seria possível a fusão das duas entidades. 1993b) relativamente a este material. colocadas directamente no nosso texto.) e. que tem sido de grande importância no controlo do déficit orçamental. There is a need to create “stopping off” places in the learning process or what Kornbluh and Green (1989) refer to as “professional encapsulations. e.g.g. As abreviaturas mais comuns são: página (p. Nas últimas semanas. à época.). deveremos identificar o número das páginas de onde essa ou essa citações foram retiradas. estas devem aparecer depois da data. Teolinda Apocallypse lembrou que teria havido.” These encapsulations allow individuals time to assess and practise what they have learned. iii) Se o nome do autor aparecer naturalmente no texto. convidada a participar numa reunião no Ministérios das Finanças. 1995 pp. a) Citações directamente colocadas no texto: Quando se fazem citações de passagens de trabalhos publicados.) ou secções (ss.1) ©Marianne Dee .).ii) Se o mesmo autor tiver publicado mais do que um trabalho no mesmo ano. concordou em transferir parte das suas competências para a Comissão de Mercados e Valores Mobiliários. mastered and brought to fruition” (Jones. devem indicar-se todos os nomes no texto. “These resting times provide periods for reflection and permit time for new things to be learned. secção (s.

.’ deverá ser colocada em itálico no texto. e. há necessidade de utilizar as referências de vários autores num dado ponto do texto. Cordeiro.g. (v 4. Caso sejam em número superior a três. pela ordem que se expõe: 1º Autor(es). no texto deverá indicar-se o nome do primeiro autor. T. Silva (1958). Tratando-se de uma abreviatura do termo em latim ‘et aili’.g. 3º Título e subtítulo (caso exista). Referências de livros Deve utilizar-se a página de título (caso exista) como fonte da referência e não outra qualquer contendo dados sobre os autores e o trabalho. -3- jlp adapt. L. 2º Data da publicação (entre parêntesis). ou ‘and others’ para o caso de estar a ser escrito em inglês (podendo agora ser precedido de vírgula). Washington. Quando. a menção ‘et al.e. O estilo Harvard para referenciar. ou ‘e outros’ (não precedido de vírgula). (1996). J. J. 5º Número da edição. e. se o texto do nosso trabalho for em português. A seguinte informação deve ser incluída. (1986). editor(es) ou a instituição responsável pela publicação do trabalho.g. et al. caso não seja a primeira. Jones (1964) e/and Gomes (1992). aquelas devem ser colocadas por ordem cronológica.’. a negrito ou em itálico (mantendo essa opção ao longo de todo o documento). a propósito de um determinado assunto. sublinhado. & Ferreira. Martins. seguido da menção ‘et al. 4º Número da série e número do volume.1) ©Marianne Dee .

48. Aspects of Education Series. a negrito ou em itálico (mantendo essa opção ao longo de todo o documento). H. sublinhado. -4- jlp adapt. 2nd ed. Independent Publishers.39-46 ou Clarke.g. e. London. número da parte/tomo desse volume (caso exista). 5º Número do volume.B. B. Sage. pp. Spence. e. & Reid.J. 6º Número das páginas em que o artigo se encontra. (1996) Impact analysis for program evaluation. (v 4. Bennett. 3º Título do artigo. 2º Ano de publicação. (1993) Secondary school management in the 1990's: challenge and change. Mohr. Quando se conhecem os autores: e. 5 (3) October.g. T. caso seja conhecida. ed. O estilo Harvard para referenciar. a informação a incluir deverá ser a seguinte. (1996) Through a glass darkly: images of appraisal. Outono. Gunter. pp. (1995) Freud's Cezanne.6º Origem da publicação (localidade em que foi publicada). London. 4º Nome da revista.1) ©Marianne Dee . 7º Responsável pela publicação/empresa ou serviço a cargo de quem ficou a publicação. H.g.. Artigos publicados em revistas Neste caso. L.94-122. S. por esta ordem: 1º Nome do autor do artigo. No 52. Journal of Teacher Development. Representations. mês ou estação do ano em que foi publicado. entre parêntesis.

Suplemento Económico do Expresso. pela ordem que se expõe: 1º Nome do autor do artigo. No 6069. 2º Título do artigo. P. 4º Data da publicação.1) ©Marianne Dee .g. p. 16 de Janeiro. 3º Nome do jornal. p. Barroso. (2004) Nasceram os aprendizes.g. (v 4.5.Quando o artigo é anónimo: e. Artigos publicados em jornais A seguinte informação deve ser incluída. sublinhado. e. a negrito ou em itálico (mantendo essa opção ao longo de todo o documento). constata o relatório da Comissão para o Crescimento demográfico. 28th April. -5- jlp adapt. How dangerous is obesity? (1977) British Medical Journal.1115. 5º Número da página em que foi publicado. O estilo Harvard para referenciar.

Powder Technology. (1996) Flow structure in a fast fluidized bed. Kunii. 48. W. Brereton. Eng.. John Wiley & Sons. K. Paiva. H.W. Tech.1) ©Marianne Dee . D. R. Leung L. Chemical Engineering Science. E. (1994) Experimental Methods for Engineers. W. C.F.H.139-146. (1999) Experimentation and Uncertainty Analysis for Engineers.C.R. (1985) The design of distributors for gas-fluidized beds. (1995) Vertical Distribution of Solids in a Circulating Fluidized Bed in a Circulating Fluidized Bed Furnace.. (1949) Characteristics of Fluidized Particles. & Steele. & Levenspiel. of FBC 13. F. In: O estilo Harvard para referenciar. J.F.67-78. (1988) Recirculation of particles in fast fluidized risers. J. W. Shibuya. (v 4. pp.4129-4183. New York. & Figueiredo.1104-1117. Measuring Pressure Drop Evolution in Adjacent Slices Through the Bed. Coleman. G. 20(1). C. (1990). Chapman and Hall. T. 41. & Leckner. & Large J. pp. 55. Holman. (1993) Microstructural aspects of the behavior of circulating fluidized beds. & Baeyens. Gilliland.. Barth.M. London. 51. Proc. (2000) Distributor Plate Influence on Fluidization Quality. Y. & Pugley. Orlando. O. (1969) Fluidization Engineering. Bolton.J. In: Basu P.. Klinzing. (2000) The hydrodynamics of the high-density bottom zone in a CFB riser analyzed by means of electrical capacitance tomography (ECT). J. Klinzing G. Ing. Chaplin. pp. N.. G. pp. Oxford Pergamon Press. 42 (1). pp. ed. & Rizk F. Johnsson. 7-10 May. Chemical Engineering Science. W.H. Pinho. Pneumatic Conveying of Solids. eds. D.R... Chemical Engineering Science. Oxford. Inc. New York. Inc. McGraw-Hill Book Company. Masuda. J. 671.Exemplos de Bibliografia Exemplo 1 Bai. In: Heinschel K.. McGraw-Hill.E. & Davidson. Malcus.29-32.. & Kato.P. Krieger Publishing Company.G. Nakawaga. 6th ed. In: Marcus R. J. pp. Chem.. New York.K. p. S.E. New York. & Grace. & Bauer. Inc. D. L. Geldart.997-966.. Circulating fluidized bed technology II.2565-2572. (1954) Chem. E. Robert E. B.D.S. Ind. (1981) Gas-Solid Transport. Lewis.M.. pp. -6jlp adapt.

& Leckner. & Large J..G. Johnsson. Y. (1988) Design parameters determining solids hold-up in fast fluidized bed system. Ser. pp. (1994) Expansion Behavior of gas Fluidized Beds in the Turbulent Regime. N. Z. pp.. Powder Technology. (1948) Fluidization of Solid Particles. Germany. Eng. Progr. Svensson.205-211. pp. A. F. (1999) Axial pressure profiles and solid concentration distributions in the CFB bottom zone. & Y.100-111. J.. Schouten. 6th Int. P.. F. & Liss. H. Proc. Circulating fluidized bed technology II. M. pp. J. B. M.V.V. (1993) Fluid-dynamics of the bottom bed of circulating fluidized bed boilers. Yerushalmi. Johnsson. van der Schaaf.. Cankurt. Svensson.. Chem. A. 301(90). Wilhelm.. (1996) Fluidization regimes in non-slugging fluidized beds: the influence of pressure drop across the air distributor. Oxford.887-897. 22(6). Yu (1966) Mechanics of Fluidization. Series. (1997) Axial Solids Distribution and Bottom Bed Dynamics for Circulating Fluidized Bed Combustor Application. A. Circulating fluidized bed technology VI. & Shi.. AIChE Symp. Multiphase Flow. (1996) Bottom Bed Regimes in a Circulating Fluidized Bed Boiler..ps]. G. J. B. F. J. Werther. B. AIChE Symp. C. Johnsson. & Kwauk. 62 (62).. A.. Fan.. Y.. F. pp. 11-15 June.Proceedings of the FEDSM2000. pp. ed.. Marzocchella. Germany. AIChE Symp. New York. 93(318).1) ©Marianne Dee .. & Werther. J. Frankfurt am Main. pp.185-190. Ser. Geldart. Symposium Ser. J. D. (v 4. Circulating Fluidized Beds. ed. In: Werther. ASME. & van den Bleek. Oxford Pergamon Press. L. 86. J. & Leckner. F. Proceedings of the 12th international conference on fluidized bed combustion. & van den Bleek. R.M. Svensson.97-102.. Wen. pp. In: Rubow. J.31-44..1-13. A. Chao. Circulating fluidized bed technology VI. Massachussets. Johnsson. (1999) Hydrodynamic behavior in the bottom region of a cold FCC riser. Int. Koniuta. H. R. Eng. C. Chem. eds. Sun. Progr. pp. Schouten. In: Werther. Conf.H. J. Schnitzlein. M. Zijerveld.M.F. Johnsson. B.299-312.T. & Weinstein.201-218.1187-1204.. & Wein. O estilo Harvard para referenciar.. ed. ed. pp.179-184. In: Basu P.ASME Fluids Engineering Division Summer Meeting. (1978) Flow Regimes in Vertical GasSolid Contact Systems. Boston. In: Werther.C. 44. DECHEMA. Schlichthaerle. -7- jlp adapt. pp. 74(176). & Leckner. DECHEMA e.C. pp. C.47-52. (1999) Bypassing of gas through bubble chains and jets in circulating fluidized beds. [Multi-media CD-ROM FEDSM2000-11026. J. DECHEMA e. J.C.

Mixing in the Process Industries. World in Action. L. UK). W. and Nienow. (1993) The modification of method in researching postgraduate education.Exemplo 2 Bennett. (1995) All work and no play.. (1980) Economic crime in Europe Leigh. 5. ed. (v 4.ac. UK). B. New York. An Experimental Study of Single. 2nd edition (paperback). N. Nienow. Gunter. S. Macmillan.html> [Accessed 22 August.] Now Voyager (1942) Directed by Irving Rapper..bournemouth.Warner [Film:35mm].uk/servicedepts/lis/LIS_Pub/harvardsys. M. ed. (1996) Harvard system [Internet] Poole. London. London School of Economics & Political Science. 1997. Henley on Thames. Watchword Video. Fragile Earth.D. pp. 2.39-46. Conference on Economic Crime. Oxford. Leeds Metropolitan University. M. [video:VHS] Exemplo 3 (caso IchemE) REFERENCES 1. Ph. Porter.A. in Harnby.H. -8jlp adapt. [video:VHS] Holland. Available from: <http://www.. London: ITV. 1997. 2nd. 364–393 (Butterworth-Heinemann. Thesis (The University of Birmingham. thesis. 1999. O estilo Harvard para referenciar. 5 (3) October. Dual and Triple Wide-Blade Hydrofoil Impellers: Power and Homogenisation Characteristics.D. (eds). H. (1982) South American wetland: Pantanal. F.1) ©Marianne Dee . 21st January. Bournemouth University. Journal of Teacher Development.. The research process in educational settings: ten case studies. A. Edwards. D. A. Birmingham. M. H. (1996) Through a glass darkly: images of appraisal. S. Ph. Spence. 1977. London.M. Chapter 16. (1996) Public and private men: masculinities at work in education management. ed. Independent Publishers. W. Whitehead. Falmer Press. R. (1993) Secondary school management in the 1990's: challenge and change. The suspension of solid particles.48. In: Burgess. Aspects of Education Series. Hari-Prajitno. London. & Reid.G.

Scale-up of 45¯ pitchblade agitators for gas dispersion and solid suspension. 22: 29–39. P. W. 1998.. Milano. J. Chem Engng Sci. J. Cronin. Inst Chem Engrs Symp Ser.1) ©Marianne Dee .. (381st Event of the European Federation of Chemical Engineering and No.W. W. (v 4. and Allsford. M. Zwietering. 1988. Birmingham. Japan). Appl Mech Rev. 25: 281–287. W. Ibrahim. 4. -9jlp adapt. 7. eld. 8. UK). 1994.Phase Systems with High Solid Concentration in Agitated Vessels. Ph. A. 8: 244–253. 69 of the EFCE Publication Series). J. 1958. Thesis (The University of Birmingham. A.. T. Ph. J Chem Engng J. Thesis (The University of Yamagata. Experimental study of mixing in a proto-fermenter agitated by dual Rushton turbines... and Nienow. Italy and Cran. A. 89: 49–58. and Moody. Ciervo. 9. Takenaka.. Nienow... Saito. Frijlink. W. 11. S. J. 389–398 (AIDIC=BHRA Fluid Engineering).. 1999. 1983. Kolijn. UK). A Comparative Study of Impeller Performance in Solid–Gas–Liquid Mixing. Suspending of solids particles in liquid by agitators. G. M.. 1999. Nienow. 1991. England. R. A. K. S.. K. 1984. A.D. Solids Suspension and Mixing Time in Two. W. O estilo Harvard para referenciar.. A multipurpose stirred tank facility for ow visualization and dual impeller power measurement. D. W. Power.. Italy=The University of Birmingham. Chatwin.. N. Proc 6th EurConf on Mixing. 61: 167–181. Konno. Three phase mixing. Hydrodynamics of stirred bioreactors. Suspension of solids with aerated pitched blade turbine. A.. C. 6. Bujalski. M. and Smith. gas dispersion and homogenization characteristics of Scaba SRGT and Rushton turbine impellers. 5. 10. 1983. Final Year Research Project (University of Rome. Part 3. Nienow. Chem Engng Res Des. G.3. Particle-gasliquidmixing in stirred vessels. and Moore. Fd Bioprod Process. Trans IChemE. 1992... W. Chem Engng Commun.D. Part C. M. Cooke. T. M. andMiddleton. 13. Nienow. I. 51: 3–32. G. 12..and Three-Phase Systems Agitated by Radial Flow Impellers. Chapman. Power Consumption and Mixing Time in Three. C.. F. 72: 35–40. Kuboi. Nienow.

.. 17. Nienow. K. down-pumping. 1999... Z. Chem Engng Res Des. P. Paolini. 15. H. Takenaka. 160: 137–155. 18. Chem Engng Commun. W. A. Paglianti. F.. Z. and Ahmed. 1990. Chem Engng Res Des. N. A. Monti. A study of an up. Chem Engng Sci.D.. 19.V. V. and Liu.W.. 79: 887–894.. A. Dyster.W.. A. A. 76: 577–588. W.. (v 4. K. 45: 415–421. N.Bujalski. A. Bertrand. and Nienow. P. 1998. Takahashi. V. W.. The use of upward pumping 45¯ pitched blade turbine impellers in three-phase reactors. location and pumping direction of pitched blade turbine impellers on Flow patterns: LDA measurements and CFD predictions. The impeller speed required for complete solids suspension in aerated vessels: simple correlation? In Bertrand. T. 1998. J. J.. W. Bujalski. K. P. 1997. Fletcher. Can J Chem Engng. Mavros. Myers. Bittorf. Hari-Prajitno. Chem Engng Res Des. Jahoda. 55: 1325–1335. Nienow. C.M. Can J Chem Engng. Pantula. Mishra. and Xuereb. LDA measurements. Active volumeof mean circulation for stirred tanks agitated with axial impellers.. Nienow. Solid Suspension Studies in Three-Phase Systems. M. Italy=The University of Birmingham.1) ©Marianne Dee . and Kresta. K... W. W. and Villermaux. Dyster. A. 77: 241–247. A.. K. 76: 420–427. and Brucato. K. J. K.Nienow. 16. ow patterns generated in stirred vessels. R. 23. J. Mishra. Cloud height in solids suspension agitation. W.14. S.. 20. 2001. reverse rotation) on 845–856.. and Mckemmie. K. 2000.. Chem Engng Sci. Jaworski. 1999. Trans IChemE Part A. -10- jlp adapt. 22. Can J Chem Engng. Hicks. and Bakker. J. Suspension and liquid homogenisation in high solids concentration stirred chemical reactors. UK). D... The effect of size. Unsuspended mass of solid particles in stirred tanks. P. Aubin. guration (up-pumping. and McKemmie.. J. 79: O estilo Harvard para referenciar. Gas-liquid mixing studies with multiple axial ow hydrofoil. J. APV-B2 impellers: power characteristics and mixing time. S. 1998. 76: 1056–1068. 2001.and a down-pumping wide blade hydrofoil impeller: Part I... Bujalski..Takenaka. Trans IChemE Part A. N... 21. and Etchells. Trans IChemE Part A.. Brucato. W. 1997.. Effect of axial agitator con.. Birmingham. J. A. Jaworski. M. D. 24. Final Year Research Project (University of Pisa.

Chapman. Nienow. S. Nienow. M. Italy (D. 451–467 (The Fluid Engineering Centre. Y. Chem Engng Res Des. and Rizzuti. Effect of high solids concentration on mass transfer and hold-up in three phase mixing. D. M.. V. Martin. in Harnby. S. O estilo Harvard para referenciar. Germany. (v 4. ACKNOWLEDGEMENTS The authors acknowledge the use of recent experimental work undertaken at the University of Birmingham by Drs K. and Loh. 28. J. A. T. Solid-liquidmass transfer coef... 1985. W. A. Paris).. Chem Engng Res Des. Particle-gasliquid mixing in stirred vessels. W. W. Takenaka.. 61: 182–185. Monti) and The University of Rome (G. andMiddleton. L. W. T. Edwards.. Grisa. Brucato. Alves. W. 1979. C. A. nal conclusions. Etchells (E.. F.. cients in gas-solid-liquid agitated vessels... Hari-Prajitno and S. . Ind Engng Chem Proc Des Dev. 1997. Greaves. 11(52): 3–10 (Lavoisier Technique et Documentation. Mixing in the Process Industries. 394–411 (Butterworth-Heinemann. and McFarlane. 1998. Cran. Ibrahim and visiting students from The University of Pisa. Proc 9th Euro Conf on Mixing: MIXINGIX. -11- jlp adapt. M. I. Review of measuring methods and results in nonviscous gas-liquid mass transfer in stirred vessels. Nienow. J. eld).(eds). 4. (eds). F. Van’t Riet. M. 29. Cooke.. N. K. 1997. 26. C. Mass-transfer and . A. Oxford). Wu¨rzburg. Du Pont de Nemours). 2nd edition (paperback). Chapter 17. 76: 446–455. 18: 357–364. Can J Chem Engng. 1983. Proc of the 5th Eur Mixing Conf. and Nienow. M. 25. Alternative ways of applying the hydrogen peroxide steady state method of kLa measurement. 75: 467–472.. The mixer as a reactor—solid-liquid system. Vasconcelos. Ciervo) and for partial financial support for them from Dr A. 27. M.1) ©Marianne Dee . C. 30. A.

Nienow.ac. Birmingham B15 2TT.nienow@bham.ADDRESS Correspondence concerning this paper should be addressed to Professor A. UK. School of Engineering. The Centre for Formulation Engineering. impossibilitando um balanço de género no que respeita à preocupação de equilíbrio que possa ter estado presente durante a constituição da base de dados da pesquisa. ainda que se conheçam os seus outros nomes e apelidos. 10–11 July 2002. apenas devem ser indicadas as iniciais do nome do autor. UK.w. poderá ser referido o nome completo dos autores ao longo do texto principal. E-mail: a. The manuscript was received Nota: Por forma a manter a necessária consistência na indicação da bibliografia. Edgbaston. Caso se entenda que esse facto pode esconder o dissimular o conhecimento do sexo dos autores.uk The paper was presented at the Fluid Mixing VII conference held at the University of Bradford. -12- jlp adapt. O estilo Harvard para referenciar. (v 4. W. The University of Birmingham.1) ©Marianne Dee .

-13- jlp adapt. Local de realização. Conference on Economic Crime. 1977. 5. Data. ed.H. Responsável pela publicação/empresa ou serviço que edita os anais da conferência. Título do trabalho publicado. Data da respectiva publicação. London School of Economics and Political Science.Fontes Académicas Conferências A informação a incluir. caso seja diferente do título/designação que foi utilizado na conferência.. 4. 9. Número (caso se aplique). L. (v 4. devendo a opção tomada ser utilizada consistentemente durante toda a bibliografia. Nome da conferência. Autor/Editor. colocado a negrito ou em itálico. Leigh. pela ordem seguidamente descrita. O estilo Harvard para referenciar. London. (1980) Economic Crime in Europe. MacMillan. 8. 2. é: 1.1) ©Marianne Dee . 7. 2nd. e. 3.g. Local da sua realização (caso se aplique). 6. Deve ser sublinhado.

Porter. London. sublinhado. -14- jlp adapt. R. O estilo Harvard para referenciar. 2º Data da publicação.Referências “internas”/”interiores” Deve-se evitar cometer o erro de confundir o nome de um autor que faz uma contribuição com um ou mais artigos para uma colectânea. In: Burgess. 8º Responsável pela publicação/empresa ou serviço que edita a obra. Falmer Press. 5º Autor/editor da colectânea de trabalhos. ed. 9º Indicação das páginas a que a citação ou referência diz respeito Livro composto por uma colectânea de escritos: e. caso seja conhecida. 4º “Em” (ou o seu equivalente “In”) seguido de dois pontos. com os anais dessa conferência. 7º Origem da publicação (localidade em que foi publicada). (2003) The modification of method in researching postgraduate education. com o nome do editor dessa colectânea. Igualmente se deve ter o cuidado de não confundir um dado artigo publicado numa conferência. M. The research process in educational settings: ten case studies. 6º Título da colectânea. (v 4.g. a negrito ou em itálico (mantendo essa opção ao longo de todo o documento).1) ©Marianne Dee . A ordem deve ser a seguinte: 1º Autor do Capítulo/Secção.A.G. 3º Título do Capítulo/Secção.

In: Proceedings of the International Workshop on Multimedia Software Development. Nota: O título da colectânea deve ser destacado uma vez que é essa informação que vai permitir o acesso aos capítulos existentes no seu interior. (1996) Public and private men: masculinities at work in education management. IEEE Comput. Berlin. 5º Local da publicação (caso não seja claro a partir do nome da institutição. 2º Ano da publicação (entre parêntesis). Lisboa.1) ©Marianne Dee . Los Alimos. e. thesis. -15- jlp adapt. Soc.g. E. Whitehead. Teses e Dissertações Deve ser indicado o nome da instituição que confere o grau ou a distinção 1º Nome do autor. O estilo Harvard para referenciar.g. Fedchak. Ca. (v 4.M.80-8. Leeds Metropolitan University.D. Universidade Lusíada). S. sublinhado. 25-26 March. referenciado a partir dos respectivos anais: e. (1996) An engineering approach to electronic publishing. pp. a negrito ou em itálico (mantendo essa opção ao longo de todo o documento). & Duvall. Dissertação conducente a um dado grau). Press.g. L. Ph. 6º Instituição que confere o grau ou a distinção. e. 4º Tipo de obra (Tese de doutoramento.Artigo publicado numa Conferência. 3º Título e subtítulo (caso exista).

-16- jlp adapt. Economist Intelligence Unit.Relatórios de Investigação/Pesquisa Não pode explicitar-se apenas com um exemplo o tipo e a gama de relatórios de pesquisa ou investigação. (1997) The world tyre industry: a new perspective to 2005. 6º Responsável pela publicação/empresa ou serviço que edita a obra. Research Report 348. 5º Local da publicação. (v 4. a negrito ou em itálico (mantendo essa opção ao longo de todo o documento). O estilo Harvard para referenciar.g.1) ©Marianne Dee . N. London. e. sublinhado. deve ser indicada a seguinte informação: 1º Nome do autor. dada a grande variedade existente. 4º Número do relatório. No entanto. 2º Data da publicação (entre parêntesis). 3º Título e subtítulo (caso exista). Mullineux.

J. Gray.g. deve ser referenciada como se segue: e.1) ©Marianne Dee . deve citarse a publicação e não o CDROM. (v 4. G. Royal Institute of British Architects.Fontes Electrónicas Nota: Uma vez que o material obtido na internet pode estar disponível apenas durante um curto espaço de tempo e. -17- jlp adapt. & Courtenay. RIBA [Multi-media CD-ROM] Se a informação utilizada só está disponível numa base de dados computadorizada. que façam prova da sua (efémera) existência. (1988) Youth cohort study [ficheiro informático]. CDROMs Se se utilizou um CDROM para obtenção de referências de uma dada publicação. M. (1998) Architecture and Design Illustrated. London. É assim aconselhável ficar com uma cópia do material ou documentos. indisponível para ser referenciado. como tal.g. Colchester:ESRC Data Archive [distribuidor] O estilo Harvard para referenciar. e.

deve indicar-se a data em que foi acedido pelo última vez. caso este dado seja evidente. -18- jlp adapt.URLs (Uniform Resource Locator/endereços de Internet) Algumas indicações: i) Deve citar-se informação suficiente que permita ao leitor localizar a referência no futuro. Se essa indicação não for explícita. uma dada página? Trata-se de uma zona cinzenta o que remete para o próprio a decisão de optar pela solução que achar mais explícita. O estilo Harvard para referenciar. ii) Muitos documento www fornecem a indicação de um autor. Nesses casos será suficiente incluir apenas o suficiente da URL que identifique o local/’site’ de onde proveio essa informação. outro que não quem o escreveu). Pode terse acesso a essa informação através da opção ‘Ver’ (‘View’) no documento fonte. deve utilizar-se o título como o ponto principal de referência. Pode acontecer que a URL de uma dada publicação seja excepcionalmente longa. pode ser encontrada no cabeçalho do texto HTML (embora possa acontecer que essa indicação se refira a alguém que aí o colocou. qual o título a atribuir ao documento? O conteúdo principal de uma página. iii) Se um dado documento é composto por uma série de páginas ligadas (‘linked pages’). Caso contrário.1) ©Marianne Dee . iv) Deve citar-se a data da última actualização do documento. Deve utilizar-se a sequência ‘< e >’ (‘< and >’) para delimitar o início e o fim de um URL. tal como se procede quando se mencionam trabalhos anónimos. Caso contrário. contendo inclusivamente a indicação de códigos de controlo. (v 4.

e. Smith.ai. -19- jlp adapt. (1995) Persons and things: book review of Bringsford on Robot-Consciousness. Disponível em: <http://lmu.v6/0162> [Acedido em 16 de Outubro de 2003] O estilo Harvard para referenciar.g. J (1996) Time to go home.uk> [Acedido em 16 de Outubro de 2003] e.g. editor(es) ou a instituição responsável pela publicação do trabalho. paginação ou equivalente ‘on line’. 6 (4). 4º Nome da revista. se necessário]. 9º [Data de acesso. K. pp. 6º Data da publicação. 3º Título do artigo. sublinhado. por esta ordem: 1º Autor(es).122-3.ac/Psycoloquy/95. Journal of Hyperactivity [Internet] 12th October.1) ©Marianne Dee . Psycoloquy [Internet] 6 (15). (v 4. 7º Número do volume. Disponível em: <http://wachau.univie.Artigos publicados em Revistas Electrónicas Deve incluir-se a seguinte informação. Korb. 2º Ano (entre parêntesis).ac.B. a negrito ou em itálico (mantendo essa opção ao longo do documento) 5º [Tipo de meio/medium]. 8º Indicação de disponibilidade.

gov/pub/> SPACE/GIF/s31-04-015. incluindo extensões. ou a sua descrição. Disponível em <http://explorer. por esta ordem: 1º Título da imagem.arc. 6º [Data de acesso].1) ©Marianne Dee . e.nasa. 4º Disponível em <URL>. a negrito ou em itálico (mantendo essa opção ao longo do documento) 2º Ano. Hubble space telescope release in the Space Shuttle's payload bay. 3º [Imagem on line].Imagens ‘On-line’ Deve incluir-se a seguinte informação. [Acedido em 16 de Outubro de 2003] O estilo Harvard para referenciar. Sublinhado. 5º Nome do ficheiro.gif. (1997) [Imagem online]. (v 4.g. -20- jlp adapt.

Holland. M. 5º Edição. Disponível em: <http://www. 3º Título. 4º [Internet].Documentos WWW Deve incluir-se a seguinte informação. 9º Data de acesso.bournemouth. e. Bournemouth University.html> [Acedido em 22 de Agosto de 2003] O estilo Harvard para referenciar.1) ©Marianne Dee . a negrito ou em itálico (mantendo essa opção ao longo do documento). 6º Local de publicação: [ ]. 8º Disponível em: <URL>. Sublinhado. (v 4. 7º Entidade que publica o documento (caso seja identificável).ac.g. (1996) Harvard System [Internet] Poole. 2º Ano.uk/service-depts/lis/LIS_Pub/harvardsys. -21- jlp adapt. por esta ordem: 1º Autor/Editor.

1) ©Marianne Dee . (v 4. a negrito ou em itálico (mantendo essa opção ao longo do documento).uk> [Acedido em 16 de Outubro de 2003] O estilo Harvard para referenciar. 2º Ano. Listas de contribuições através de correio electrónico Deve incluir-se a seguinte informação. Disponível em: <mailbase@mailbase. E. (1996) Computing and short courses. Brack.Fora de Discussão. e. por esta ordem: 1º Autor/Editor.ac.V. 4º Nome do Forum e data de envio da mensagem. sublinhados. 5º [medium] — Forum de discussão ou lista de correio electrónico. 3º Título da mensagem ou da contribuição. Lis-link2 May 1996 [Forum de discussão]. 6º Disponível em: <lista de endereços de correio electrónico> [data de acesso]. -22- jlp adapt.g.

A competence approach. e. Cassell.C. Lashley. abreviatura de ibidem. ‘mesmo lugar’).utiliza-se depois do nome de um autor como forma de mencionar o mesmo trabalho anteriormente citado no presente documento. The essential internet information guide. McGraw Hill. Cit. p. New York.J (2003). (2002) Researching into teaching methods in colleges & universities. Bennett. e. London.g.Convenções correntes Ibid.170 Op. -23- jlp adapt. Manger. (1995) Improving study skills. p. cit.g. ‘trabalho citado’).175. (do latim. Bennett. (v 4. op. O estilo Harvard para referenciar. C.1) ©Marianne Dee . Ibid. abreviatura de Opus Citato.utiliza-se como forma de obviar a uma repetição da referência imediatamente anterior. (do latim. p.155 Ibid. Kogan Page. C. J. London.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful