ARNALDO SOBRINHO JÚLIO CÉSAR DIREITO PENAL - EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO

1. O Código Penal, ao dispor “Não há crime sem lei anterior que o defina. Não há pena sem prévia cominação legal”, institui: a) a anterioridade da lei. b) a lei no tempo e no espaço. c) a retroatividade da lei penal. d) uma espécie de lei para cada crime. e) a aplicação da pena diretamente à pessoa do criminoso. 2. O princípio da legalidade é também denominado de: a) reserva legal. b) common Law. c) analogia legal. d) liberdade legal. e) abolitio criminis 3. O Código Penal, em relação à aplicação da Lei Penal no tempo, determina a a) retroatividade da lei posterior mais benigna desde que o fato ainda não tenha transitado em julgado. b) retroatividade irrestrita da lei posterior mais benigna. c) retroatividade irrestrita apenas no caso do Abolitio Criminis. d) irretroatividade para os fatos já transitados em julgado. e) ultratividade da lei mas severa.

4. “É fundamental que a lei penal incriminadora seja editada antes da ocorrência do fato criminoso.” Distinga os princípios que alicerçam essa afirmativa: a) da legalidade e da anterioridade da lei penal. b) da extra e da ultratividade condicional da lei penal. c) da abolitio criminis e do in dúbio pro reo. d) da lei anterior e da lei posterior benignas. e) da lei excepcional e da lei temporária

5. Lei posterior que passa a cominar ao crime pena menor a) não tem aplicação aos fatos anteriores porque cometidos anteriormente à sua vigência. b) tem aplicação aos fatos anteriores, ainda que decididos por sentença condenatória transitada

b) normas de conteúdo abstrato. caso a coisa subtraída não tenha valor significativo para seu dono. com intuito de evitar interpretação analógica. 9. b) observar-se-á cessação de todos os efeitos da sentença penal condenatória. Considerando-se que o agente tenha sido condenado por sentença transitada em julgado. em virtude dessa lei posterior. não chegar a abalar as finanças federais. c) tem aplicação aos fatos anteriores. se o produto importado. 6. e) o policial. 7. b) não se pode considerar como crime de contrabando. carecendo de interpretação do Ministério Público. desde que não tenha ocorrido o trânsito em julgado da sentença condenatória. cujo crime a lei não mais considere como fato punível. c) não se observará nenhum efeito. pelas quais o juiz deve analisá-las de acordo com o critério de maior benignidade para o réu. a vítima perdoar o sujeito ativo do delito. d) ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal. d) não se compreende como crimes patrimoniais os praticados contra instituições financeiras de porte pequeno. pois é mais severa. O Princípio da Legalidade. e) medida provisória. apesar do expressivo valor. anteriormente ao fato por ele praticado. existir uma lei que o considere como crime. o Direito Penal pode excluir de apreciação lesões ao ordenamento jurídico penal que se revelem de pouca importância . 8. assegura que não há crime sem lei anterior que assim o defina. as quais independem de complementação jurídica de outra norma.Assim. d) tem aplicação aos fatos anteriores. deve aplicar este princípio de imediato. c) não se pode falar em crime de furto. e) deve ser ignorada. apesar da violência empregada. e) são normas de conteúdo duvidoso. cujos preceitos devem ser analisados de forma restrita. a) alguém só pode ser punido se. c) normas de conteúdo vago. em respeito à legalidade. uma vez que a sentença com trânsito em julgado decide de . "Normas penais em branco" são a) normas de conteúdo incompleto. inclusive quando em fase de execução de sentença. a) não há crime de roubo se. se atendidos os seus requisitos ensejadores. que tem força de lei. d) normas de conteúdo incerto. aliado ao Princípio da Anterioridade. c) o ato anti-social só será punido se estiver consignado na Carta Magna. Segundo o "princípio da insignificância". a fim de serem aplicadas ao fato concreto. a) observar-se-á aplicação do instituto do sursis (suspensão condicional da pena). pode estabelecer novatio legis. as quais exigem complementação por outra norma jurídica. b) a norma penal vigorará se for benéfica ao réu. De acordo com princípio constitucional da legalidade.em julgado. desde que não tenha ocorrido o trânsito em julgado da sentença condenatória para a defesa. por este princípio.

embora decorrido o período de sua duração ou cessadas as circunstâncias que a determinaram. 13.2005) É correto afirmar: A) A lei excepcional ou temporária. (art. D) Considera-se cometido o crime no momento da ação ou da omissão do agente. D) A lei excepcional ou temporária. quando o agente for brasileiro ou domiciliado no Brasil. aplicando-se ao fato lei vigente ao tempo da ação ou da omissão. aplica-se ao fato praticado após sua vigência. decorrido o período de sua duração ou cessadas as circunstâncias que a determinaram. (OAB/RO . B) os crimes contra a vida ou a liberdade do Governador do Distrito Federal. B) A lei excepcional ou temporária. aplica-se ao fato praticado antes de sua vigência. embora cometidos no estrangeiro": A) os crimes de genocídio.forma definitiva o mérito da causa. . aplicando-se qualquer uma das leis em vigor nessas oportunidades. Em relação ao lugar do crime. (OAB/GO . por tratado ou convenção. (OAB/DF . 12. embora decorrido o período de sua duração ou cessadas as circunstâncias que a determinaram. embora decorrido o período de sua duração ou cessadas as circunstâncias que a determinaram. o Brasil não se obrigou a reprimir. B) Considera-se cometido o crime no momento da ação ou da omissão do agente. ainda que o agente se encontre em local fora de jurisdição brasileira. aplicando-se ao fato a lei vigente ao tempo do resultado da ação ou da omissão. 4. não se aplica ao fato praticado durante sua vigência. 10. C) os crimes que. o Código Penal adotou a teoria: A) do resultado.2007) No que se refere ao tempo do crime. C) A lei excepcional ou temporária. não se levando em conta a ocasião em que o agente praticou a ação. aplica-se ao fato praticado durante sua vigência. 11. CP) C) O tempo do crime tanto pode ser o momento da ação como o do resultado.2006) Assinale a alternativa CORRETA. d) observar-se-á redução da pena de um a dois terços. punindo-se o fato como crime tentado. D) os crimes de tortura. "Ficam sujeitos à lei brasileira. sendo a vítima brasileira. para a teoria da atividade: A) Considera-se cometido o delito no momento da produção de seu resultado.

conforme a teoria da atividade e) o dia em que o vigilante morreu. Quanto a eficácia da sentença estrangeira: a) tem aplicação imediata no Brasil b) independe de tradução c) Requer homologação e tradução pelo Tribunal de Justiça d) Depende de homologação pelo STJ e) Independe apreciação . conforme a teoria da ubiquidade b) o dia em que o vigilante morreu. D) da extraterritorialidade 14. Leia e responda: Tem-se como tempo do crime: a) o dia em que os menores efetuaram os disparos. de acordo com a teoria mista d) o dia em que foram efetuados os disparos.B) da ubiqüidade. de acordo com a teoria do resultado 15. C) da territorialidade. de acordo com a teoria da atividade c) o dia em que foram efetuados os disparos ou o dia em que ocorreu o óbito.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful