P. 1
Unidade 2 - Matérias Primas para a Indústria Petroquimica

Unidade 2 - Matérias Primas para a Indústria Petroquimica

|Views: 948|Likes:
Publicado porcincogalones

More info:

Published by: cincogalones on Jul 11, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/15/2013

pdf

text

original

Petroquímica

MatériasPetroquímica Unidade 2: Matérias-primas para a Indústria Petroquímica

UNIDADE 2: MATÉRIAS-PRIMAS PARA A INDÚSTRIA PETROQUÍMICA
2.1. INTRODUÇÃO As matérias-primas básicas fornecidas pelas refinarias de petróleo, ou pelas companhias de gás natural, são o GLP, o gás natural, o gás dos processos de craqueamento, os destilados líquidos (C4 a C9), os destilados de processos de craqueamento especiais e as frações cíclicas de aromáticos. Estas misturas são usualmente separadas nos seus constituintes nas refinarias de petróleo e convertidas quimicamente nos precursores reativos, antes de serem sujeitas às conversões químicas necessárias para a fabricação dos diversos petroquímicos usados ativamente por milhares de indústrias, nas quantidades necessárias. Os produtores de primeira geração, as centrais de matérias-primas petroquímicas ou unidades de craqueamento, efetuam o fracionamento da matériaprima (nafta ou gás natural) de maneira a obter os produtos petroquímicos básicos, tais como o eteno e o propeno, entre outros. No Brasil, os três produtores de primeira geração instalados utilizam como matéria-prima a nafta adquirida da Petrobras e de outros fornecedores localizados fora do Brasil. Com a entrada em operação da Riopol, o Brasil passou a contar com a primeira unidade de craqueamento baseada em frações de gás natural, fornecidas também pela Petrobras. 2.2. GÁS NATURAL Os combustíveis naturais gasosos são encontrados em poços perfurados na crosta terrestre. É o chamado gás natural Alguns destes poços dão gás natural e natural. petróleo, outros, somente gás (Figura 1). O gás natural é basicamente metano, em números redondos na faixa de 80 a 90%, etano (de 5 a 10%) e outros gases em

13

pode ser reinjetado no campo petrolífero para manter a pressão no reservatório e assim melhorar a recuperação primária de óleo do campo. Figura 1: Tipos de poços de produção O gás natural pode ou não ocorrer associado ao petróleo. por exemplo. nitrogênio e gases raros). A Tabela 1 mostra as faixas de composição dos gases extraídos a partir de reservatórios de gás natural e a partir de reservatórios de óleo. pode ser usado no próprio campo de extração de petróleo para geração de vapor e eletricidade necessários. ele é produzido como decorrência da produção do petróleo e pode ser enviado para gasodutos de transporte e distribuição no mercado consumidor. hexanos. até mesmo. ser queimado em tochas no campo de produção quando não houver gasoduto disponível ou por algum outro motivo. butanos.Petroquímica MatériasPetroquímica Unidade 2: Matérias-primas para a Indústria Petroquímica menores proporções (propano. nas plataformas marítimas e pode. pentanos. gás carbônico. Quando ocorrer junto ao petróleo. 1: Tabela 1: Componentes do gás natural (% em mol) Campos de gás natural Gás natural liberado do óleo Traços – 10% Traços – 4% Traços – 6% 4545-92% Nitrogênio Dióxido de carbono Gás sulfídrico Hélio Metano Traços – 15% Traços – 5% Traços – 3% Traços – 5% 70-98% 14 .

ao lado da planta da Riopol. este é tratado em unidades de dessulfuração. localizada no Rio de Janeiro. localizada no mesmo pólo petroquímico. por exemplo. Para se retirar o gás sulfídrico do gás natural. por sua vez.5% Traços- 4-21% 1-15% 0.Existem zeólitas naturais e sintéticas. Geralmente apresentam-se como partículas do tamanho de ervilhas. A Riopol opera a primeira central petroquímica do país à base de frações do gás natural. A totalidade da produção de eteno obtida a partir dos derivados do gás natural é consumida pela própria Riopol. 15 . adsorção em peneiras moleculares1. CO2 e N2) nos gases naturais do Brasil. em sua unidade de polimerização. as quais podem usar vários processos diferentes. A Petrobras é a fornecedora exclusiva de matérias-primas para a Riopol. O gás natural antes de ser enviado aos gasodutos para os consumidores é processado nas chamadas UPGNs – Unidades de Processamento de Gás Natural 1 As peneiras moleculares são zeólitas que. antes do tratamento para remoção do H2S e do CO2. processo Sulfinol. processo Carbonato a Quente. tais como: absorção com soluções de aminas. que é integrada à unidade de craqueamento. as sintéticas são as utilizadas. são compostos de alumínio e silício (aluminossilicatos) com alto grau de ordenação a nível microscópico. A característica principal das zeólitas sintéticas é ter poros microscópicos de diâmetro preciso e área superficial específica bastante grande.5% Traços- Merecem atenção os teores de contaminantes (H2S.5% Traços-0. para a obtenção de álcool etílico anidro a partir de álcool hidratado. Já a produção de propeno é transportada por tubulação à Suzano Petroquímica. etc.5-2% TraçosTraços-3% TraçosTraços-2% Traços-1.50.Petroquímica MatériasPetroquímica Unidade 2: Matérias-primas para a Indústria Petroquímica Etano Propano Butanos Pentanos Hexanos Heptanos + 1-10% TraçosTraços-5% TraçosTraços-2% TraçosTraços-1% TraçosTraços-0.

o gás natural para ser vendido não pode conter estes condensáveis. A função principal destas unidades é retirar do gás natural suas frações condensáveis. combustível. em lavagem a seco. caso estivessem presentes. Vendas: redutor siderúrgico. Como o gás vai esfriando ao se expandir nos dutos.As naftas são usadas extensivamente como solventes industriais de tintas. Dessulfuração Desidratação Gás Natural Separação de líquido de gás natural Reinjeção nos poços. se houver água presente. 3Compostos sólidos formados pela combinação física de moléculas de água e de componentes do gás. nafta leve2 e água.Para formarem os hidratos é necessária a presença de água livre e temperaturas relativamente baixas.Petroquímica MatériasPetroquímica Unidade 2: Matérias-primas para a Indústria Petroquímica (Figura 2). etano e gás sulfídrico. especialmente o metano. Consumo no campo de produção. produção de amônia. pode ocorrer à formação de hidratos3. outros usos. não há a formação de hidratos porque o gás natural é previamente seco em unidades de Refere-se a qualquer produto leve tendo propriedades entre as da gasolina e as do querosene. e como matéria-prima para o eteno. Estas frações são constituídas por GLP. poderiam formar bolsões líquidos no gasoduto com efeitos catastróficos ao chegarem nos queimadores dos consumidores. 2 16 . nos gasodutos de distribuição final aos consumidores. Por motivos de segurança. Um outro problema especial é causado pela presença eventual de água no gás natural. pois. GLP Nafta leve (C5) Figura 2: Esquema de processamento de gás natural Normalmente.

3. basicamente. Outros reservatórios. A Tabela 2 mostra as frações típicas que são obtidas do petróleo. Alguns são pretos. o objetivo aqui é separar o petróleo em frações baseadas na volatilidade de seus componentes. 4 Mercaptanas Mercaptanas ou tioálcoois são compostos em que houve a troca de um átomo de oxigênio por um átomo de enxofre. podem produzir somente gás. o gás natural deve ser odorizado. e muitos têm quase os mesmos pontos de ebulição. o petróleo contém centenas de compostos químicos. densos. e separá-los em componentes puros ou misturas de composição conhecida é praticamente impossível.3.Petroquímica MatériasPetroquímica Unidade 2: Matérias-primas para a Indústria Petroquímica secagem (por absorção com glicóis. menos densa do que a água. liberando pouco ou nenhum gás. O petróleo é normalmente separado em frações de acordo com a faixa de ebulição dos compostos. Ex: H3C-CH2-SH (etanotiol) 17 . ainda. pois praticamente não contém compostos sulfurados. 2. De forma a ser mais facilmente detectável algum vazamento. demanda excesso de ar muito baixo e queima com baixas emissões de NOx e de particulados. liberando quantidade apreciável de gás. Mais de 500 compostos diferentes estão contidos no petróleo destilado abaixo de 200°C. 2. PETRÓLEO Do latim petra (pedra) e oleum (óleo). o petróleo no estado líquido é uma substância oleosa. inflamável. especialmente quando o gás é distribuído em redes que passam em zonas urbanas. com cheiro característico e cor variando entre o negro e o castanho-claro. O petróleo é constituído. A odorização é feita usando compostos de enxofre do tipo mercaptídico4. A primeira etapa do refino do petróleo é a destilação. O gás natural é um excelente combustível. por resfriamento e condensação da água contida no gás ou por adsorção em leitos de sílica gel. enquanto outros são castanhos ou bastante claros. alumina ou peneira molecular). com baixa viscosidade e densidade. Porém. por uma mistura de compostos químicos orgânicos (hidrocarbonetos). Os óleos obtidos de diferentes reservatórios de petróleo possuem características diferentes. viscosos.

além de outras frações líquidas. Tabela 2: Frações típicas do petróleo Fração Temperatura de (° ebulição (°C) Composição aproximada C1-C2 C3-C4 Gás combustível Gás combustível engarrafado. Impermeabilizantes Os processos normalmente empregados nas refinarias modernas para o processamento do petróleo (óleo cru) são: destilação. A nafta energética é utilizada para geração de gás de síntese através de um processo industrial (reformação com vapor d'água). cracking ou craqueamento.Petroquímica MatériasPetroquímica Unidade 2: Matérias-primas para a Indústria Petroquímica As parcelas de cada produto obtido no refino dependem de uma série de variáveis: da qualidade do petróleo que está sendo processado e da estrutura da refinaria . tolueno e xilenos. como benzeno. Combustível de aviões a jato Gasóleo leve Gasóleo pesado 235-305 305-400 C13-C17 C18-C25 Diesel. Matéria-prima para lubrificantes Lubrificantes Resíduo 400-510 Acima de 510 C26-C38 C38+ Óleo lubrificantes Asfalto. Piche. unidades e mercado em que atua. desidratação e 18 . fornos Combustível. alquilação. A nafta é um derivado de petróleo utilizado principalmente como matériaprima da indústria petroquímica ("nafta petroquímica" ou "nafta não-energética") na produção de eteno e propeno. Este gás é utilizado na produção do gás canalizado doméstico. hidrogenação. dessalinização.sua complexidade. polimerização. dessulfurização. uso doméstico e industrial 40-175 C5-C10 Combustível de automóveis Solvente Usos Gás residual Gás liquefeito de petróleo (GLP) Gasolina Até 40 Querosene 175-235 C11-C12 Iluminação.

Esses insumos apresentam-se nas formas gasosa ou líquida. Cerca de 30% do volume de nafta utilizado por esses produtores vêm sendo importadas junto a fornecedores internacionais. Figura 3: Produção nacional de derivados – ano base: 2007. o que permite o seu deslocamento por maiores distâncias. As três unidades de fracionamento de nafta do País são operadas pela Braskem. pela Copesul e pela PQU. 19 . em navios e caminhões. Os insumos petroquímicos produzidos a partir do fracionamento da nafta são comercializados junto aos produtores de segunda geração. sendo geralmente transportados por meio de dutos que ligam as centrais petroquímicas às fábricas vizinhas.Petroquímica MatériasPetroquímica Unidade 2: Matérias-primas para a Indústria Petroquímica A Petrobras atua como o principal fornecedor de nafta aos produtores de primeira geração no Brasil. Os insumos em forma líquida são mais facilmente transportáveis do que aqueles em forma gasosa. A produção nacional de derivados em 2007 das refinarias da Petrobras encontra-se na Figura 3 abaixo.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->