P. 1
Verbos Dicendi e Sentiendi

Verbos Dicendi e Sentiendi

|Views: 1.851|Likes:
Publicado porFábio Rodrigues

More info:

Published by: Fábio Rodrigues on Jul 12, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/17/2012

pdf

text

original

Emprego dos discursos direto e indireto no texto da entrevista

Fonte: Professora Drª. JOANITA MOTA DE ATAIDE

Emprego de verbos declarativos ou dicendi em matérias do jornalismo brasileiro contemporâneo, elaboradas com base em entrevistas. Pesquisamos em jornais e revistas de diferentes naturezas e periodicidades, durante as décadas de 80 (segunda metade) e de 90. O resultado acha-se no glossário de mais de 300 verbos, abaixo. 1. Classificação: Othon M. Garcia (1986, p.129ss) adota uma classificação dupla para os verbos usados nos diálogos, encontrados na literatura de ficção (romances, contos), dos quais a entrevista jornalística faz amplo emprego. O narrador pode optar pelo discurso direto – transcrição da fala do interlocutor – ou pelo discurso indireto – isto é, a transmissão da essência do pensamento do entrevistado. 1.1– Classe: Verbos declarandi ou dicendi (de declaração) 1.1.1 Definição: São os verbos de elocução. A elocução refere-se à maneira pela qual alguém se expressa, quais palavras usa para fazê-lo. 1.1.2 Áreas semânticas: (GARCIA, 1986, p.131) DIZER – afirmar, declarar; PERGUNTAR – indagar, interrogar; RESPONDER – retrucar, replicar; CONTESTAR – negar, objetar; CONCORDAR – assentir, anuir; EXCLAMAR – gritar, bradar; PEDIR – solicitar, rogar;

EXORTAR – animar, aconselhar; ORDENAR – mandar, determinar. 1.2– Classe : Verbos sentiendi ou de sentir (assim chamados, por analogia aos dicendi). 1.2.1 Definição: Esses verbos são vicários ou variações dos verbos de elocução, pois fazem as vezes destes. Ou seja: do ponto de vista lógico-sintático presumem a existência de um legítimodicendi oculto. Mas, como variação dos dicendi, expressam a carga de afetividade presente na língua falada. 1.2.2 Áreas semânticas: Expressam estado de espírito, reação psicológica, emoções, atitudes, gestos, etc. Ex. (Othon Garcia, op. cit.): GEMER, SUSPIRAR, LAMENTAR(SE),QUEIXARSE, EXPLODIR, ENCAVACAR, etc. 1.3– Funções: 1.3.1 Indicar o interlocutor que está com a palavra. 1.3.2 Permitir a adjunção de orações adverbiais (quase sempre reduzidas de gerúndio) ou expressões de valor adverbial, com que o narrador sublinha a fala das personagens, anotando-lhes a reação física ou psíquica. Em síntese, a função dos verbos dicendi é retratar o comportamento – em determinada circunstância - ou mesmo o caráter das personagens. Ex.: “Eu tenho aqui uma lista de nomeações do PL para encaminhar”, disse Costa Neto entregando... Hargreaves não titubeou. Sem olhar a lista, foi logo prometendo: “Pode deixar comigo. Vou examinar com todo carinho”. (IstoÉ, 2.6.1993, no. 1235, p.21) Segue glossário de verbos dicendi e sentiendi, em ordem alfabética.

Abordar Acentuar Aconselhar Acreditar Acrescentar Acusar Adiantar Anunciar Apontar Apostar Apregoar Argüir Arriscar Argumentar Arrematar Arrolar Assegurar Asseverar Assinalar Assustar-se Atacar Atestar Atribuir Avaliar Avisar Balbuciar Bradar Bravatear Brincar Calcular Censurar Chamar a atenção Citar Classificar

Admirar-se Admitir Admoestar Advertir Alegar Afirmar Ajuntar Compreender Comprometerse Comprovar Comunicar Conclamar Concluir Concordar Condenar Confessar Confiar Confidenciar Confirmar Confundir-se Congratular-se Conjecturar Consolar-se Constatar Contabilizar Contar Contemporizar Contestar Contra-atacar Contradizer Contrapor-se Credenciar-se Crer Criticar

Ajustar Alardear Alegrar-se Alertar Alfinetar Aludir Alinhar Denunciar Deplorar / Depor Derramar-se Desabafar Desafiar Desarmar-se Descansar Descartar Descobrir Desconfiar Desculpar-se Desenvolver Entender Historiar Precisar Desesperar-se Desmentir Destacar Determinar Devolver Diagnosticar Discordar Discorrer Discursar Disfarçar Disparar Distinguir Divertir-se Dizer

Ameaçar Amenizar Anotar Analisar Animar(se) Antever Anuir Endossar Enfatizar Enfocar Engatilhar Ensinar Entender Entusiasmar-se Enumerar Esbravejar Escandalizar-se Escapar

Desdenhar Ensinar Gritar Ponderar Esclarecer Esconjurar Espantar-se Esquivar-se Estabelecer Estimar Evidenciar Exagerar Exclamar Exemplificar Exigir / Eximir-se Exortar / Explanar Explicar Explicitar Explodir Expor

Cobrar Comemorar Comentar Comparar Complementar Completar Fazer coro Festejar Filosofar Finalizar Frisar Fulminar Gabar-se Garantir Gemer / Gritar Hiperbolizar Historiar Identificar Ilustrar Imaginar Incentivar Indagar Indicar Indignar-se Informar Insistir Interpretar Interrogar Ir (mais) além Isentar-se Jurar Justificar(se) Lamentar(se) Lamuriar-se Lembrar(se)

Decepcionar-se Elogiar Declarar(se) Defender(se) Definir(se) Deixar escapar Demonstrar Mentalizar Minimizar Mostrar Murmurar Narrar / Negar Nomear / Notar Objetar Observar Opinar Ordenar Ordenar Orgulhar-se Pedir Penitenciar-se Pensar Perguntar(se) Ponderar Precisar Preconizar Predizer Pregar Preocupar-se Prever Profetizar Prognosticar Propor Propugnar Prosseguir Protestar Elucidar Emendar Emocionar-se Encavacar Encerrar Raciocinar Reafirmar Reagir Rebater Receitar Reclamar Recompor-se Reconhecer Recordar(se) Redimir-se Refazer-se Refletir Reforçar Regalar-se Registrar Regozijar-se Rejeitar Rejubilar-se Relacionar Relatar Relativizar Relembrar(se) Rememorar Replicar Resguardar-se Resignar-se Resistir Resmungar Responder Responsabilizar-se Ressaltar

Expressar-se Exprimir-se Extasiar-se Externar Exultar Falar Resumir Retrucar Revelar Revidar Revoltar-se Rezar Rugir Sacramentar Salientar Segredar Sentenciar Simplificar Sintetizar Solicitar Sonhar Sublinhar Sugerir Supor Suspirar Sussurrar Sustentar Tachar / Temer Teorizar Terminar Testemunhar Titubear Transmitir Trombetear Vaticinar Ver / Viajar Vibrar

Ironizar / Irritar-se Proclamar

Limitar-se a dizer Provocar

Manifestar-se Maravilhar-se

Queixar-se Questionar

Ressalvar Ressentir-se

Vociferar Zombar

2 VERBOS E PRONOMES NOS DISCURSOS DIRETO E INDIRETO 2.1– Salvo em casos excepcionais, há correspondência regular entre os tempos e os modos verbais. Assim, quando o verbo da fala está no presente do indicativo e o da oração justaposta, no pretérito perfeito, o primeiro verbo vai para o pretérito imperfeito do indicativo, mas o segundo não sofre alteração.
DISCURSO DIRETO – Vou realizar muitos projetos neste ano, disse-lhe. DISCURSO INDIRETO Disse-lhe que iria realizar muitos projetos naquele ano.

OBS.: Caso a ação declarada na oração integrante (discurso indireto) perdure no momento em que se fala, o verbo mantém-se no presente do indicativo: “Disse-lhe que estou com preguiça neste ano”. O demonstrativo – neste – permanece também inalterado. 2.2– Se ambos os verbos – o da fala e o da oração justaposta – se acham no presente do indicativo, assim permanecem no discurso indireto; o mesmo ocorre com o pronome (demonstrativo):
DISCURSO DIRETO DISCURSO INDIRETO – Estou sem planos neste ano, diz-lhe. Ele diz que está sem planos neste ano.

OBS.: O verbo dicendi vem no presente do indicativo somente quando há um mediador entre o autor da fala e o destinatário do texto. 3– POSIÇÃO DO VERBO DICENDI /SENTIENDI 3.1– No Discurso Direto de moldes tradicionais (que vigoraram até o início da escola realista), o verbo dicendi vem no meio ou no fim da fala, e excepcionalmente antes. 3.2– No jornalismo contemporâneo, encontramos mais freqüentemente o verbo dicendi/sentiendi no fim das frases. Essa localização se deve ao fato de as frases reproduzidas serem de pequena extensão.

Ex.: “Todo mundo diz que as fofocas saem do Palácio”, disse Corrêa. (IstoÉ, 2.6.1993, no. 1235, p.21) BIBLIOGRAFIA CONSULTADA GARCIA, Othon M. Comunicação em prosa moderna. Aprenda a escrever, aprendendo a pensar. 13.ed. Rio de Janeiro: FGV, 1986. (Biblioteca de Administração Pública, 14)

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->