P. 1
01 - Relações de Equivalência

01 - Relações de Equivalência

|Views: 423|Likes:
Publicado porDidi Felisberto

More info:

Published by: Didi Felisberto on Jul 15, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/08/2015

pdf

text

original

Álgebra Abstrata

Aula 01: Relações de equivalência e Operações Binárias Tópico 01: Relações de equivalência
Considere dois conjuntos não vazios A e B. Uma relação de A em B é uma correspondência qualquer entre elementos de A e elementos de B. Como a correspondência é qualquer pode ocorrer que um elemento de A não se relacione com nenhum elemento de B. Pode ocorrer também que um elemento de A se relacione com um ou mais elementos de B. Se uma relação de A em B for representada pela letra R representamos o fato de um elemento a A estar relacionado com um elemento b A por aRb ou simplesmente por (a,b) R. Esta última notação sugere uma identificação da relação R com um subconjunto não vazio do produto cartesiano AxB. Muitos autores preferem definir uma relação de A em B como sendo um subconjunto não vazio do produto cartesiano AxB. Uma relação de A em A é chamada simplesmente de relação em A. Muitas vezes, ao invés de letras, usamos símbolos, como por exemplo “~”, para representar uma relação.

Parada Obrigatória
Estudaremos um tipo de relação especial em um conjunto não vazio A chamada de relação de equivalência em A.

Definição: Dado um conjunto não vazio A e uma relação R em A, dizemos que R é uma relação de equivalência se satisfaz às seguintes propriedades:

1) xRx, x A 2) xRy yRx 3) xRy e yRz xRz

O conjunto Cx = {y A; yRx} é chamado de classe de equivalência de x. Temos então Cx para todo x A. A partir da propriedade reflexiva temos x Cx para todo x A e, portanto Cx A. Como Cx A e x Cx para todo x A, temos =A

A

para todo x

Definição: O conjunto das classes de equivalência determinadas pela relação de equivalência R em A é chamado de conjunto quociente de A por R e é denotado por A/R. Assim A/R = {Cx; x A} 1

De (*) e (**). Mas z Temos então xRz e zRy. o que contradiz a nossa hipótese. se Se z Cy temos zRy. que yRx e daí. que zRy e daí z Cy. Observação O conjunto quociente A/R é portanto um subconjunto do conjuntos das partes do conjunto A. temos que zRx e então z Cx. tem-se. pela propriedade transitiva.Álgebra Abstrata Teorema 1: Dados uma relação de equivalência R em A e x. Exercitando: Mostre que toda partição de um conjunto não vazio A determina uma relação de equivalência em A e conclua que podemos identificar as relações de equivalência em A com as partições de A. Logo Cx Cy = . Como xRy.y A tem-se: ou xRy. x e y estão relacionados. Logo Cx Cy. pela propriedade transitiva. ou x não está relacionado com y. Assim uma relação de equivalência em A determina uma partição do conjunto A.y A. i)Se xRy. tem-se. (*) Por outro lado. pela propriedade transitiva. Logo Cy Cx. Exemplo: 2 . Daí. cuja união de seus elementos igual ao conjunto A e cuja interseção de dois elementos distintos é vazia. Como xRy. isto é . ou Cx Cy = . (**). Demonstração: De fato. dados x. temos: ou Cx = Cy . temos Cx = Cy ii) Se x e y não estão relacionados Suponha que Cx Então z Cx e z Cy e seja z Cx Cx zRx Cy xRz e z Cy zRy Cy. pela propriedade simétrica. vamos mostrar que Cx = Cy Se z Cx temos zRx. Qualquer subconjunto do conjunto das partes de um conjunto que tenha estas propriedades é chamado de partição de A. xRy.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->