Você está na página 1de 2

SINDICATO NACIONAL DOS PROFESSORES LICENCIADOS

PELOS POLITÉCNICOS E UNIVERSIDADES


SECRETARIADO REGIONAL DA MADEIRA

2 - Para efeitos de atribuição do subsídio


Despacho n.º 68/2002 de 22 de Maio de itinerância, o local determinante para
a contagem do horário de trabalho é o
SUBSIDIO DE ITINERÂNCIA – domicílio necessário do docente, ou seja,
DOCENTES ESPECIALIZADOS DO o estabelecimento onde cumpre o seu
QUADRO DE PESSOAL DA DREER horário normal semanal ou o maior
número de horas semanais do horário,
A Lei Orgânica da Direcção ou ainda no caso deste se repartir em
Regional de Educação Especial e número de horas iguais por dois ou mais
Reabilitação (DREER), aprovada pelo estabelecimentos, o mais próximo do
Decreto Regulamentar Regional n.º Serviço ou Centro respectivo.
28/2001/M, de 20 de Outubro, no seu 3 - O subsídio de itinerância é devido
artigo 14, prevê os Serviços Técnicos de apenas nas situações de cumprimento
Apoio Psicopedagógico, os quais são da componente lectiva nos termos do
compostos por Centros de Apoio de artigo 77.º do Estatuto da Carreira
âmbito concelhio. Docente, não abrangendo o serviço
Nos diversos Serviços Técnicos prestado em regime de acumulação.
de Educação e Centros de Apoio 4 - O pagamento do subsídio de
Psicopedagógico, são colocados, por itinerância é atribuído, quando as
concurso, docentes especializados, cujo distâncias forem superiores a 5 Km.
exercício de funções se reporta aos 5 - O subsídio de itinerância referido no
estabelecimentos de educação/ensino do ponto 1 e previsto no n.º2 do artigo 1.º do
concelho onde se encontra inserido o Decreto-Lei n.º 232/87, de 11 de Junho,
respectivo Centro. é o constante da tabela em anexo ao
Atendendo a que estes docentes, presente diploma, a qual é objecto de
têm direito ao percebimento nos termos actualização anual, de acordo com os
do Decreto-Lei n.º 232/87, de 11 de aumentos da Função Pública.
Junho, a uma gratificação mensal fixa, 6 - O presente despacho produz efeitos a
intitulada subsídio de itinerância, urge partir de 1 de Setembro de 2002, excepto
definir os critérios da sua atribuição. quanto aos valores do subsídio de
Nestes termos, ao abrigo das itinerância fixados na tabela em anexo ao
alíneas o) e d) respectivamente dos presente diploma, os quais se reportam a
artigos 40.º e 69.º da Lei n.º 13/91, de 5 1 de Janeiro de 2 0 0 2 .
de Junho, na redacção dada pela Lei n.º Funchal, 22 de Maio de 2002.
130/99, de 21 de Agosto, conjugados O SECRETÁRIO REGIONAL DE
com o n.º2 do artigo 1.º do Decreto-Lei EDUCAÇÃO, Francisco José Vieira
n.º 232/87, de 11 de Junho, determino o Fernandes
seguinte:
1 - O subsídio de itinerância é atribuído
aos docentes especializados do quadro
de pessoal da DREER, em exercício
efectivo de funções, que se desloquem
em serviço para prestar apoio a
educandos de vários estabelecimentos
de educação/ensino, nos termos dos
números seguintes.
Rua Simplício dos Passos Gouveia, 29, Loja 2 – 9004-576 Funchal
Tel. / Fax 291 765 155 E-mail geral@spliumadeira.org
SINDICATO NACIONAL DOS PROFESSORES LICENCIADOS
PELOS POLITÉCNICOS E UNIVERSIDADES
SECRETARIADO REGIONAL DA MADEIRA

Tabela a que se refere o ponto 5 do


Despacho n.º 68/2002
ESCALÕES
Índices referentes Subsídio

Rua Simplício dos Passos Gouveia, 29, Loja 2 – 9004-576 Funchal


Tel. / Fax 291 765 155 E-mail geral@spliumadeira.org