P. 1
resumo Reprodução histórica da violência socia

resumo Reprodução histórica da violência socia

|Views: 725|Likes:
Publicado porRIMLEN

More info:

Published by: RIMLEN on Jul 16, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/21/2012

pdf

text

original

Reprodução histórica da violência social por adolecentes

Um resumo
Nelmir 8/4/2010

Este trabalho trata de um resumo do texto do professor Dr. Paulo Duarte Paes “Reprodução Histórica da Violência Social por Adolescentes.

conhecimento e direitos. Desta forma “ a compreensão de violência como determinada pelas relações sociais e históricas. mais precesamente pelos grupos sociais dominantes. A violência não é criada pelos indivíduos isoladamente: “(. criminalizando o indivíduo em especial de classes mais pobres e os jovens. 02 Cada época carrega em si suas próprias formas de violência.) verdadeiros determinantes da violência e não apenas reproduzam uma percepção sem bases cientificas que criminaliza o indivíduo e banaliza a violência do sistema social” (pg. 1) Sendo que o sistema capitalista transforma a violência em um produto de consumo.) mas apropriada das formas de violência históricas. a discriminação e a cultura. repassadas de geração em geração.. tal qual acontece com todas as manifestações da cultura” (pg. o crime organizado.. Porém não devemos pensar que a violência social se manifesta somente em adolescentes de classe baixa. 01) Devemos compreender que a formação deste adolecente não encontra sentido somente apartir de seu nascimento mas tem raízes mais profundas sende está evolução cultural e não biológica. como acontece com crianças de classe média. que se reproduzem nos indivíduos que estão em posições mais vulneráveis fundamentalmente o significado da prática sócioeducativa” (pg. Pois “ A cultura caracteriza o ser humano e este.. Sendo que muitas não tem acesso aos meios de se desenvolverem. Dr. Paulo Duarte Paes* A violência entre jovens e adolecentes “é uma forma de reprodução da violência social e historicamente produzida e não uma forma de violência determinada por causas biológicas ou gerada no próprio indivíduo” (pg. mas um ser cultural. o abandono a violência domestica.Reprodução histórica da violência social por adolecentes Prof.. 02) .) um ser infante em condições especificas e um outro apenas no mesmo estágio de maturação biológica.. encontra eco nas camadas mais vulneráveis. como os mais pobres e os jovens. ela é um fenômeno generalizado em nossa sociedade.. a corrupção.. 02) Contemporaneamente há uma ruptura no conceito de infância. De um lado temos “(. Sendo desta forma importante a compreensão dos sócio educadores em relação aos “ (.).. criado pela humanidade. saúde.(. desenvolvidos a partir de si mesmos” (pg. “Esses conceitos não expressam apenas um ser natural biologizado. conforme demandas sociais e históricas” (pg...) desenvolvimento histórico da humanidade e não seres individuais.. O que é uma manifestação e reprodução da violência inerente ao sistema social em que se vive. é resultado de uma acumulação histórica de conhecimentos desenvolvidos e repassados de geração em geração” (pg. faltando-lhes: afeto. o preconceito. 01) Deste modo vemos hoje que a cultura moderna trás em si a cultura da violência que se manifesta em diversas formas de violência social como: a exclusão dos benefícios materiais. As infrações cometidas por adolescentes não são somente o produto final de um único indivíduo devendo ser entendida e buscada sua origem mais profundamente.. a violência sexual.) sem os direitos e identidade social que caracterizam a infância(. Históricamente o conceito de criança e adolecente é dado pela sociedade de uma determinada época. 01) Portanto somos resultado do “(.

(. O interesse dos EUA no continente Sul Americano se manifesta na representação que este faz em relação as drogas.. A policia e a industriada segurança necessita do bandido. para justificar o investimento a elas feito. com sua educação e com a educação de toda a sociedade para melhor compreender e receber esses adolecentes. 03) Violência dos grandes interesses econômicos internalizada pelos adolecentes. que reproduz o medo e fortalece os interesses de mercado.) pelo interesse de um mercado específico que movimenta milhões e ao mesmo tempo protege o patrimônio de uma elite econômica e na realidade. mas educado. gerando assim um estado de guerra. Criando desta forma a industria da segurança que se caracteriza “ (. no sentido de não reproduzir a violência social. Medidas sociais de educação e atenção são trocadas pelas medidas coercitivas que efetivamente não funcionam.) cabendo ao sistema sócio educativo criar uma metodologia que dê conta de educar adolescentes. também dependem da violência para se manterem e se justificarem. cuidado e assistido com sua família e sua comunidade. Essa pedagogia deve estar fundamentada em uma compreensão sobre como se processa a internalização da violência social por esses jovens..... Compreensão sócio histórica da violência pelo adolescente. esta geração não encontra meios de superar esta violência social (. Para compreender-mos do ponto de vista pedagógico e psicológico a internalização pelo individuo da violência histórica do conjunto da humanidade o autor se utilizou de Vigoski.) uma relação dialética entre o bandido e a polícia com relação ao mercado.Contemporâneamente o mundo criou novas formas de reprodução da violência das quais as crianças e adolescentes são mais vulneráveis.. Interesses este que não são somente privados mas sim públicos..) compreende como condição para a aquisição da cultura a apropriação ao pensamento da cultura que organiza e dá vazão ao pensamento . 03) Violência já institucionalizada que atinge milhões de indivíduos criminalizados cotidianamente.. Ocasionando o cometimento de atos infracionais.)”. Criando desta forma “(. no qual os dois estão inseridos. Portanto “ O adolescente não pode ser culpabilizado por toda essa violência contemporânea. Estas políticas repressivas causam um acirramento da violência de uma forma generalizada. o que leva o efetivo policial a atitudes cada vez mais violentas no trato com as populações mais empobrecidas que serão cada vez mais agressivas. e um imenso mercado para atender a demanda gerada pela violência. que “ (.” Onde os que se encontram e situação social mais vulneráveis vão reproduzir essas formas de violência no seu comportamento individual” (pg. reproduzem di forma mais intensa a violência social.. na sua formação inicial. pois corporações como Policia Militar.. Com isto há uma influência sobre os governos locais a adotarem políticas repressivas em vez de praticas sociais. Policia Civil. para que possa contribuir.. o maior determinante da violência” (pg. ao contrário as políticas de segurança somente reproduzem a violência como na criminalização da pobreza e o desrespeito aos direitos humanos. onde o combate ao tráfico fez com que se instalasse em nosso continente um grande numero de bases militares.

Esta falta de disciplina decorre de . A escola é também reprodutora desta violência.. roubo.humano se torne possível pela linguagem. Podem causar o desejo. em estudos amplos e profundos. “A violência é então um produto sócio-histórico que o indivíduo internaliza dependendo de suas vivências e primordialmente de sua formação e educação proporcionada no meio cultural que viveu. enquanto a primeira é voltada para a formação de mentes criticas que vão administrar e pensar a sociedade em que vivemos. o que pode levar o adolescente ao tráfico. 6). “Assim todas as formas de violência são veladas pelos interesses de mercado dominantes e ficam restritos à vivência subjetiva das vitimas desse processo”. portanto para Vigostski todos os traços de humanidade estão sistentados na liguagem.) um imprescindível instrumento de desenvolviemento proporcionado. Para tanto: “Vigostski demonstra. que a linguagem resulta do acúmulo de cultura no decorrer do desenvolvimento histórico da humanidade. Neste sentido os meios de comunicação a escola e a convivência comunitária não fazem a critica a esta sociedade de consumo impossibilitando a reflexão desta forma de violência. incontrolável e não satisfeito de consumo. incontrolável e não satisfeito de consumo. 05) Portanto podemos desta forma considerar a violência como uma forma de linguagem. 05) Sendo diversas as formas de violência contra crianças e adolescentes dentre elas podemos citar: a discriminação. produzindo assim no Brasil o que o autor chama de “ Aphartheid do Brasil Contemporâneo”. as artes e todas as formas de cultura expressas em forma de linguagem foram produzidas e acumuladas no decorrer de centenas de milhares de anos. Porém o principal forma de violência no Brasil e o não acesso das crianças e adolescentes a serviços necessários ao seu desenvolvimento e integração social. A ausência de condições para obter objetivos de consumo. Assim o individuo que sofreu algum tipo de violência se apropria desta manifestação e passa a imitar esses padrões que vive. As língua escritas e faladas. etc.. Vigostki considera a imitação:” (. pois temos dois tipos de educação> a escola das elites e a escola das massas. Essa complexa gama de linguagens já existe antes da ontogênese do indivíduo. Não é o indivíduo que inventa e produz a linguagem dentro de si mesmo. “Outra importante forma de violência social é a ausência de disciplina nas relações familiares. carrega valores Moraes. além da própria racionalidade e da memória” (pg. escolares e comunitárias” (pg.. reproduzindo violências contra pessoas. “ Sem esta. o individuo não conseguiria pensar ou sentir da forma como acontece no desenvolvimento histórico. Esporte e lazer. Esta ultima voltada para a formação de operários sem criticidade. caso esta criança não tenha uma orientação positiva de um adulto. Podem causar o desejo.” Deste modo a própria memória e a comunicação se tornam possíveis através da linguagem que é responsável por registrar e organizar o que permite a expressão compreensível do pensamento. que acontece nas diferentes formas de convivência social. estéticos e sentimentos. por meio da atividade a internalização de aspectos da cultura” (pg. como: Saúde. Entendendo que a pobreza não se restringe noambito econômico e abrange também nos serviços que mencionamos acima.. patrimônio e grupos sociais ou sistema social. caso esta criança não tenha uma orientação positiva de um adulto. mas apropria-se dela antes do seu nascimento.

) como a violência não é inata ou desenvolvida internamente nos adolescentes autores de ato infracionais.. .. mas reproduzida por estes. já desenvolvidas quando nascem. tendo em vista a atividade humana que exercem na sociedade que encontram. Em síntese a violência expressa pelos adolescentes autores de atos infracionais é a expressão histórica da violência social que acontece por meio de indivíduos em situação social mais vulnerável.teorias psicossociais que centralizam o processo educativo no individuo como se este se desenvolve-se de dentro para fora. Podemos concluir que “(.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->