Frequência Cardíaca

Frequência Cardíaca pode definir-se como sendo o número de batimentos cardíacos contados num minuto.É também denominada de pulsação. É um indicador útil de adaptação fisiológica e de intensidade de esforço. Por isso, a sua monitorização constitui-se como uma componente importante na avaliação da aptidão cardiovascular e em programas de treino. Em exercícios de intensidade sub-máxima, o valor da frequência cardíaca correlaciona -se directamente com a intensidade da carga. Existem várias fórmulas para determinar a Frequência Cardíaca, sendo a mais utilizada a fórmula de predição da Frequência Cardíaca Máxima, baseada na idade: FC = 220 ± idade. Outra fórmula utilizada é a de Tanaka, na qual é determinada a percentagem da frequên máxima teórica: cia FC máxima teórica = 208 ± 0,7 x Idade Porém, este método apresenta também uma margem de erro substancial (10 a 15%) e não considera o nível de treino do praticante. A fórmula de Karvonen, é de facto, a mais precisa pois tem em conta os valores da frequência cardíaca de reserva ± diferença entre a frequência cardíaca máxima teórica e a frequência cardíaca de repouso: FC treino = FC repouso + Intensidade x (FC máxima ± FC repouso) Frequência Cardíaca de Repouso (FCR) - é o número de batimentos por minuto, medido 2 minutos depois de acordar, antes de se levantar e partindo do pressuposto que a pessoa teve 8 horas de repouso. Este valor pode indicar-nos possíveis patologias, caso se apresente com valores muito elevados. Um valor de pulsação médio anda por volta dos 60 a 65 batimentos por minuto. Se, por exemplo, logo ao acordar, apresenta uma pulsação de 90 batimentos por minuto, é aconselhável consultar o seu médico. Em indivíduos treinados, a FCR pode atingir valores na ordem das 40 pulsações por minuto! Quanto mais baixo for o batimento cardíaco, tanto em repouso como em exercício, menos esforço o coração terá de realizar em determinada actividade. Em pessoas sedentárias, a frequência cardíaca, tanto em repouso como durante o exercíci , diminui após o 6 a 8 semanas de treino.

Instrumentos de medição da Frequência Cardíaca
A medição da frequência cardíaca realiza-se através dos monitores da frequência cardíaca, ou cardiofrequencímetros. Quase todos os cardiofrequencímetros contínuos utilizam o sinal ECG para detectar o batimento cardíaco através de um transmissor de sinal de electrocardiograma preso ao peito. São enviados sinais de rádio para um receptor microprocessador pequeno e leve, semelhante a um relógio de pulso. É um instrumento fundamental para uma prescrição do exercício mais rigorosa. Permite ainda, determinar a progressão alcançada pelo indivíduo. Os cardiofrequencímetros existentes, na sua maioria, são semelhantes entre si e requerem similar preparação e procedimentos de colocação. São bastante versáteis e discretos.

Zona alvo de treino em função da Frequência Cardíaca
A prática de exercício físico só é benéfica quando pr ovoca adaptação. Para isso, o exercício tem de atingir um determinado nível de intensidade, designado por Limiar de Treino (é o nível mínimo de intensidade de exercício necessário para produzir alterações na aptidão física). É também necessário determinar o limite máximo de intensidade do exercício. Deste modo, a Zona Alvo de treino corresponde à intensidade de esforço situada entre o limiar de treino e o limite superior. Como é sabido, para avaliar a intensidade de esforço através da Frequência Cardíaca é ideal o uso de cardiofrequencímetros. Na determinação da Zona Alvo são habitualmente sugeridas duas propostas.

1. Frequência Cardíaca de Reserva (FCR), proposta por Karvonen. È o método mais personalizado. 2. Frequência Cardíaca Teórica Máxima (FCTmáx). È mais fácil de calcular, contudo é menos personalizada,
variando apenas em função da idade (220 ± idade). De acordo com o ACSM (1995), a intensidade de treino é diferente para as duas propostas:

após o treino. desenvolvimento da capacidade cardiorespiratória Indivíduos Treinados Objectivos: Desenvolvimento da capacidade cardiorespiratória Indivíduos altamente treinados O treino deve de ser acompanhado por técnicos especializados 50 a 75% 70 a 85% 90 a 100% Quando as frequências cardíacas ultrapassam largamente os limites estabelecidos. Corre-se. diabéticos. não significa que o exercício esteja a ser realizado de forma errada. nunca deverá interromper bruscamente o seu exercício. o risco de trabalhar fora do objectivo. procurando trabalhar inicialmente com percentagens de frequência cardíaca mais baixas. para a FCTmáx a Zona Alvo situa-se entre 60% (limiar de treino) e 90% (limite superior). um período de recuperação e restabelecimento cardíaco (retorno à calma) de aproximadamente 3 minutos.A) B) para a FCR e VO2 a zona alvo situa-se 50% (limiar de treino) e 85% (limite superior). cardíacos Objectivos: perda de peso. 1º) Determinação da FC de reserva (Fórmula de Karvonen) FCT máx = 220 ± idade FC trabalho = FC Tmáx ± FC repouso FC repouso ± contada idealmente de manhã Limiar de Treino = FC trabalho x 50% + FC repouso Limiar Superior da ZA = FC trabalho x 85% + FC repouso 2º) Determinação da FC teórica máx. Hipertensos. FCT máx = 220 ± idade Limiar de Treino = FCT máx x 60% Limiar Superior da ZA = FCT máx x 90% % Frequência Cardíaca (Karvonen) 40 a 60% de Treino População-alvo Indivíduos sedentários. É muito importante realizar. . Deverá iniciar a sua actividade física de acordo com os seus objectivos. podendo ainda significar que a pessoa ainda não estará preparada para o realizar. de forma a promover adaptações graduais ao organismo. Por isso. para que a sua frequência cardíaca normalize. no entanto. desenvolvimento da capacidade cardiorespiratória em populações especiais Indivíduos activos Objectivos: perda de peso.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful