P. 1
Imunidade Celular e Humoral

Imunidade Celular e Humoral

|Views: 885|Likes:
Publicado porDouglas Reis

More info:

Published by: Douglas Reis on Jul 25, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/20/2013

pdf

text

original

Imunidade Celular e Humoral

A principal função do sistema imunológico é prevenir ou limitar a infecção causada por microorganismos, sendo que essa ação é dada a partir de dois ramos, os mediados por células imunes e por os dos anticorpos. O ramo da imunidade por células consistes principalmente nos linfócitos T (auxiliares e citotóxicos), enquanto o mediado por anticorpos (humoral) consiste em linfócitos B e células plasmáticas.

Imunidade mediada por células
Na imunidade mediada por células o mecanismo de interação entre as células do sistema imune se dá basicamente no reconhecimento de uma determinada proteína chamada de MHC. Podemos explicar o mecanismo de ação dessa imunidade ao imaginar uma invasão de um microorganismo patógeno em nosso organismo, no caso utilizaremos uma bactéria, que ao entrar no organismo é ingerida e degradada por macrófagos (APC's), formando assim fragmentos, então chamados de antígenos ou epítopos (região onde o anticorpo irá se ligar) os quais são apresentados na superfície do macrófago em associação com a proteína de MHC de classe II. A segunda etapa da imunidade celular se dá agora a partir da interação do complexo AntígenoMHCII com um receptor especifico do antígeno, TCR, presente na superfície dos linfócitos T Auxiliares (CD4+), onde o a ativação e o reconhecimento do complexo é dado através da produção de interleucinas (I e II). Essas células T auxiliares, juntamente com os macrófagos ativados são responsáveis pelo mecanismo da imunidade celular chamado de reação de hipersensibilidade tardia. Em uma segunda situação, imaginemos agora o nosso organismo sendo infectado por um vírus, nesse caso o mecanismo de resposta celular sofre variações consideráveis, a começar pela participação mais ativa dos linfócitos T citotóxicos (CD8+), que são considerados efetores específicos da resposta imune celular, principalmente por celular infectadas por vírus. Neste exemplo o vírus ao infectar uma célula, glicoproteínas do seu envoltório viral apresentamse na superfície da célula associadas a proteína MHC de classe I, neste caso entram em ação as células T CD8+ que se ligam ao epítopo viral-proteína e são estimuladas a crescer pela interleucina II, liberando logo apos perforinas que destroem a membrana da célula infectada.

envolve a cooperação de três tipos celulares: Macrófagos.Imunidade mediada por anticorpos Nesse caso. Vale frisar que neste caso somente a IgM é produzida. IL-4 (Células B aumentaram) e IL-5 (Diferenciação de Células B). células T auxiliares (CD4+) e células B. E e A) necessitam de interleucina 4 e 5 para serem produzidas. como polissacarídeos bacteriano. Receptor de reconhecimento de infecções virais . As células B ativadas proliferam e diferenciam-se para formar as células plasmáticas que por sua vez secretaram grandes quantidades de imunoglobulinas (anticorpos). Como explicado. Imunidade mediada por anticorpos. Em uma situação a qual um micróbio patógeno ao infectar um organismo é fagocitado por macrófagos ele será convertido em fragmentos antigênicos a partir da ação processadora dos macrófagos. Em alguns casos. pois as demais Ig (G. as células T auxiliares não são requisitadas. IL-2 (Aumentará o número de células T). Esses fatores faram com que células B sejam capazes de produzir anticorpos específicos para antígenos. o próximo passo da resposta imune é apresentar o antígeno na superfície do macrófago em associação as proteínas MHC classe II. Essas proteínas ligam-se a receptores específicos das células T CD4+ que irão produzir inúmeras interleucilas dentre elas. pois esse antígeno de células independentes ativa diretamente as células B.

ao apresentar a imunidade celular que abrange APC¶s (células apresentadoras de antígenos. . e a imunidade humoral definida pela a cooperação de APC¶s. observa-se grande complexidade no nosso sistema imunológico. ex: macrófagos) e células T. As células B podem realizar duas funções que são de conhecimento de poucos: 1 ± Reconhecer os antígenos com sua superfície IgM que atua como receptor de antígeno. 2 ± Apresentam epitopo para células T auxiliares. Por fim. pois elas ocorrem concomitantemente potencializando e efetivando assim a resposta imune. células T auxiliares (CD4+) e células B.A especificidade da resposta em células infectadas por vírus é fornecida pelo receptor TCR (Receptor das Celulas T) presente em celulas CD4+ e CD8+ e pelo receptor antígeno(IgM monômera) nas células B. É também de suma importância que o estudante ao estudá-las não as veja como reações separadas.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->