P. 1
DinÂmica de Grupo 1

DinÂmica de Grupo 1

4.0

|Views: 8.037|Likes:
Publicado porelifarias

More info:

Published by: elifarias on Sep 19, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/20/2013

pdf

text

original

ATIVIDADES DE GRUPO

INTEGRAÇÃO E INCLUSÃO
Em alguns momentos do grupo, há uma profunda necessidade de conhecimento do outro. O grupo busca intensamente esse contato, mas a resistência às vezes é mais forte, e o grupo não sabe o que fazer, ou como fazer. Trabalharemos algumas técnicas desbloqueadoras.

1. 2. 3. 4. 5.

O encontro na praia. O túnel do olhar. Forma, cor e figuras O presente. Rótulos na testa

AQUECIMENTO TRABALHANDO A AUTO- IMAGEM
O grupo é convidado a fazer uma reflexão sobre a sua imagem, respondendo: • • • • Como nós próprios nos percebemos e nos sentimos; Como achamos que os outros nos percebem e nos sentem; Como tendemos a reagir a essas imagens; O que precisamos reformular em nós mesmos para facilitar a nossa relação com os outros.

1. Os ídolos da minha vida. 2. Retratos para a posteridade 3. Colagem DESENVOLVIMENTO DA AFETIVIDADE
Uma grande parte da energia despendida pelas pessoas é sempre em busca de contatos, do contato que venha satisfazer sua fome afetiva. Essa é uma busca constante dentro do grupo, principalmente e ele tem um objetivo terapêutico.

1. 2. 3. 4.

Encontro de amigos. (com fundo musical) Carícias positivas incondicionais Toques positivos não-verbais Aprendendo a abraçar

REVIVER SENTIMENTOS INFANTIS
Propiciar aos participantes o retorno à infância, levando-se a descobertas e reencontros com sua memória e o seu inconsciente.

1. 2. 3. 4. 5.

Criança no colo Despertando a criança Regressão Castigando uma criança Postura fetal

DESENVOLVENDO A SENSIBILIDADE CORPORAIS DE TOQUE 1. toque das mãos , 2. Toque dos pés

INTEGRAÇÃO E INCLUSÃO 1. ENCONTRO NA PRAIA

É escolhida uma área no ambiente do grupo que corresponderá a uma praia. Ali, as pessoas vão chegando, sentando-se, andando e procurando um lugar para ficar. Quando se encontram, conversam, brincam, formam duplas, subgrupos, etc. Alguns jogam partidas imagináveis e tênis de praia, outros jogam uma partida de vôlei, outros pescam. A criatividade deverá ser bem explorada. No início a experiência poderá ser um pouco inibidora, mas depois ela se torna muito descontraída e alegre. 2. O TÚNEL DO OLHAR Essa é uma experiência não-verbal que tem uma grande força desbloqueadora. O grupo formará um túnel, que deverá ir afunilando. As pessoas deverão ficar em uma postura que lhes permita olhar de frente para o lado de maior abertura do túnel. A boca do túnel é larga o suficiente para que a pessoa que inicia a experiência, estando distante uns dois metros mais ou menos diante do início do túnel, possa dominar visualmente as últimas pessoas. A outra extremidade do túnel deve ser suficientemente aberta que permita a passagem de uma pessoa. Todos os participantes verão a experiência que deverá ser iniciada pela última da esquerda do túnel. Ela deverá passar pelas costas do túnel, e distanciando-se de uns dois metros, aproximadamente, ficar de pé olhando todos os participantes. Deverá permanecer ali por uns 3 minutos, mais ou menos, então muito vagarosamente se encaminhará para entrar no túnel, sempre olhando para os olhos das pessoas. Ao chegar ao fim do grupo, assume o seu lugar e sairá o seu companheiro da frente, e o grupo vai andando vagarosamente para frente, a fim de oferecer espaço para as pessoas da frente do túnel, que irão chegando e se colocando no final. 3. FORMA, COR E FIGURAS Faz-se a distribuição de papel e lápis colorido para os participante. As pessoas devem desenhar, através de formas, cor ou figuras, como vêem cada participante do grupo. Essa tarefa é individual. Depois, cada um buscará cada participante , dizendo-lhe o porquê do seu desenho. Depois ouve da pessoa a interpretação do seu desenho. O grupo reuni-se e fala da experiência. Embora essa seja uma experiência muito simples, ela favorece um nível de contato muito interessante. 4. O PRESENTE Estamos tão acostumados a comprar coisas que raramente criamos ou fazemos algo para dar ao outro. A tarefa é simples. Simbolicamente hoje é um dia muito importante para cada um do grupo, algo que se quer comemorar entre amigos. Assim, todos receberão presentes que serão confeccionados pelos participantes do grupo durante a sessão. As atividades poderão ser das mais diversas, desde a elaboração de uma poesia, música, ou um desenho, colagem, etc. 5. RÓTULOS NA TESTA 3 grupos de 5 pessoas em pé. São colados rótulos em suas testas, cada rótulo tem uma frase. As pessoas lêm todas as frases na testa dos outros mas não sabe o que está escrito na sua testa. FRASES NOS RÓTULOS: me chateia, me bajule, concorde comigo, me interrompa, me ignore, me abrace. OBS.: as mesmas frases em todos os grupos. 6. SABER ESCUTAR Dividir a turma de 2 em 2 , um fala p/ o outro que ficará só ouvindo. Depois troca, quem escutou vai falar e quem falou vai escutar. - Não analisar o que foi falado ( o conteúdo) - O que você sentiu ao ficar calado, só ouvindo? - O que você sentiu ao ficar só falando?

TRABALHANDO A AUTO-IMAGEM
1. OS ÍDOLOS DA MINHA VIDA Escolha os ídolos da sua vida, na infância, adolescência e na idade adulta. Podem ser personagens da vida real ou não. Pense nas características marcantes físicas e psicológicas, desses ídolos e descreva-os comparando-os consigo mesmo. Em seguida, submeta à apreciação do grupo. 2. RETRATOS PARA A POSTERIDADE O participante é convidado a se colocar na posição em que gostaria de ser retratado e descrever, detalhadamente para o grupo, o cenário, as roupas, as condições em que se daria e quem faria (pintaria) tal retrato. O grupo deve dar um feedback a cada pessoa após o término de seu relato. 3. COLAGEM Para utilização dessa técnica, deve-se ter à mão: revistas de diversas modalidades, tesouras, cola e papel 40 k, tamanho cavalete. O grupo é convidado a fazer, cada um por si, uma retrospectiva de sua auto-imagem, usando o material ali disponível. Posteriormente, cada indivíduo coloca a sua colagem em lugar de destaque e expõe ao grupo as suas vivências. Essa técnica também serve para atividades de aquecimento do grupo.

DESENVOLVENDO A AFETIVIDADE
1. ENCONTRO DE AMIGOS Solicita-se que as pessoas comecem a circular pela sala, como se tivessem passeando à procura de um amigo; ao encontrá-lo, a pessoa o abraçará efusivamente, depois dão-se as mãos ou colocam o braço sobre o ombro e a cintura do outro, indo para um lindo passeio, onde cada um, por sua vez, mostrará ao outro o mundo, a natureza, as pessoas. Os amigos sempre têm alguns objetivos em comum que serão simbolicamente representados pelo plantio de sementes que serão por eles regadas, cuidarão da nova planta e mais tarde colherão os frutos com os quais partilharão uma refeição. Entretanto, ao longo da vida há uma rusga entre os amigos, que se desentendem e lutam corpo a corpo, simbolizando as diferenças pessoais; mas nessa luta, e através dela, os amigos crescem, se abraçam e se reencontram. Depois, despendem-se e partem para novos encontros. As pessoas devem buscar, entre o grupo, vários encontros de amigos. Volta-se ao grupo para a troca de experiências.

FINAL DE AULA OU DE CURSO
AS 2 CADEIRAS Separar 2 cadeiras de frente p/ a turma. Chamar um por um dos treinandos, que se sentam na primeira cadeira e falam COMO VOCÊ CHEGOU AQUI? Passa p/a Segunda cadeira e falam COMO VOCÊ ESTÁ SAINDO HOJE DAQUI?

TRABALHOS DE GRUPO
NEGOCIAÇÃO 3 Grupos – 1) O Poder Público (Executivo e Legisladores) 2) O Pensamento Empresarial (representado por empresários) 3) A Comunidade (representantes do povo) Uma audiência pública que vai discutir o desenvolvimento da cidade

DEBATEDORES: Comunidade X Poder Público NA NEGOCIAÇÃO REIVINDICATIVO: Comércio abrir aos domingos CONTRIBUITIVO: aumenta a oferta de emprego, menos desemprego, lazer p/ a comunidade, aumenta a arrecadação de impostos, satisfazer as necessidades da comunidade. REIVINDICATIVO: diminuir a alíquota do ICMS de 17% p/ 10% CONTRIBUITIVO: mais empresas de fora se interessariam em vir p/ cá, Aumento da oferta de emprego em decorrência do crescimento das empresas, FORMA UM CONSELHO da Comunidade local – para decidir onde investir. - aumento do parque industrial - aumento da arrecadação - profissionalização de jovens de 14 a 21 anos com programas de estágio. PODER PÚBLICO Criar uma secretaria de Gestão PROPOSTA: dos 17% do ICMS, destinar 1% ´p/ a saúde e 1% p/ a educação Saúde – melhoria da rede hospitalar, melhoria da qualidade. Educação – construir mais salas nas escolas existente. COMUNIDADE Associação dos moradores dos bairros de periferia PROPOSTA: criar escolas em locais indicados pela comunidade.

CONFECCIONAR PIPAS Critérios de qualidade

LIDERANÇA - QUALIDADE – EQUIPES – ORGANIZAÇÃO – RELAÇÕES HUMANAS

1. As pipas devem ser bonitas 2. As pipas dever ter, no mínimo, 3 cores 3. As pipas dever ter, no mínimo, 22 cm de lado. 4. As pipas devem ter possibilidade de vôo 5. A rabo da pipa deve ter , no mínimo, 1 metro 6. Cada pipa deve ter um símbolo. MATERIAL Varetas R$0,50 Papel R$0,40 Linha R$1,00 Cola R$0,50 Tesoura R$2,50 Régua R$2,00 TEMPO: 25 minutos

PONTUAÇÃO 1. 20 pontos p; cada pipa aprovada. 2. 10 pontos p/ cada pipa aprovada que tenha um símbolo. 3. 20 pontos p/ a equipe que conseguir o melhor custo/benefício por pipa. 4. 80 pontos para uma pipa aprovada/original ou a mais criativa. ROTEIRO P/ ANÁLISE 1. Organização 2. Planejamento 3. Tomada de decisão 4. Liderança 5. Comunicação

6. Metas/críticas • • • A criatividade deve ser p/ impressionar o cliente. As metas de atingimento e execução – quando de planeja e atinge, significa sucesso. Quando se define um determinado número p/ ser atingido, é preciso ser corajoso. EXECUTADAS APROVADAS PONTOS

RESULTADO do Planejamento EQUIPE PLANEJADAS Equipe 1 Equipe 2 Equipe 3

RESULTADO Custo X Benefício EQUIPE PIPAS APROVADAS Equipe 1 Equipe 2 Equipe 3

CUSTO PRODUÇÃO

CUSTO UNITÁRIO

Jogo vivencial 24 Soldados e 1 General 1º MOMENTO – os 24 soldados se organizam em grupos de 3, de forma que todas as vezes que o General olhar p/ cada lado ele enxergue 9 soldados. 3 3 3 3 3

G 3

3

2 º MOMENTO – sai 1 soldado da sala e o restante se organiza novamente, de forma que todas as vezes que o General olhar para cada lado da sala ele enxergue 9 soldados. 3 3 3 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 2 G 3 4 2 3

Após o término da tarefa, perguntar ao grupo: Como se sentiram? que aprenderam? Quem liderou? Todos falam. Como você se sentiu liderando? Como você se sentiu sendo liderado por esta pessoa? Como o soldado que saiu da sala se sentiu, tendo que sair do jogo? que os observadores perceberam?

O REMADOR 1 remador 3 pessoas representando: 1 alface, 1 cabra, 1 leão JOGO – o remador fica de um lado da sala e as 3 pessoas do outro.

O remador deverá transportar os 3 elementos sem que eles se juntem para se comerem. O leão come a cabra, a cabra come a alface. REGRA – levar um elemento de cada vez. Não podem ficar na mesma margem os que se comem. SOLUÇÃO – 1º leva a cabra, 2) leva a alface e traz de volta a cabra, 3) leva o leão 4) leva a cabra de novo

Bibliografia A dinâmica do trabalho de grupo- Áurea Castilho – Qualitymark

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->