Você está na página 1de 2

.

Melhoria dos resultados escolares dos alunos


Para que eu enuncie aqui um objectivo seria necessário i) conhecer a meta
definida a nível de escola; ii) conhecer a média dos resultados na disciplina que
lecciono/anos de escolaridade; iii) a média dos resultados dos exames externos;
iv) a taxa de transição por ano; v) a taxa de sucesso global por ano/disciplina.
Se estes dados não me forem disponibilizados o exercício torna-se mais difícil.
De qualquer forma, posso: a) fazer a média dos resultados obtidos pelos meus
alunos no 1º período, por turma e globalmente; b) fazer a média do
sucesso/insucesso por turma e no total das turmas; c) estimar o meu contributo
para a taxa de transição de ano. E em função da análise do perfil das minhas
turmas, definir um objectivo tendo a referência do primeiro período. Posso,
ainda - porque tenho turmas que vão fazer exame externo - definir o seguinte
objectivo: em termos médios os resultados de exame comparados com a CIF
variarão em termos médios o máximo de 2 pontos. (convirá anotar que há
alunos - será quantificada esta realidade - que nos dois anos anteriores tiveram
outro docente).

2. A redução do abandono escolar


Este objectivo deve ser definido no conselho de turma, em função da análise do
percurso escolar do grupo turma e das características sociais e culturais e deve
ser, sobretudo, prosseguido pelo director de turma. Se o não for, o docente
poderá enunciar o seguinte objectivo "individual": colaborar em sede do
conselho de turma na definição da % da redução de abandono e realizar as
acções individuais de informação, implicação e envolvimento dos alunos em
risco de abandono. (neste campo, é preciso chegar a acordo quanto ao conceito
de abandono: entenda-se o conceito de abandono da seguinte forma: na
escolaridade obrigatória há abandono quando o aluno deixa de estudar em
qualquer escola/curso/modalidade formativa; fora da escolaridade obrigatória
só se pode falar em abandono quando o aluno sai de todos os percursos
formativos e não exerce qualquer actividade socialmente útil; é também útil
definir os indicadores de alerta do risco de abandono: classificações negativas,
falta de assiduidade, ausência de resposta dos encarregados de educação, não
realização de tpc, etc...).

3. A prestação dos apoios educativos


Realizar todas as acções de substituição de actividades lectivas; cooperar sempre
que solicitado e em contexto de sala no apoio a alunos em dificuldade;
concretizar o apoio individual ou grupal fora da sala nos termos do seu horário
não lectivo e do serviço distribuído.

4. O cumprimento do serviço lectivo e não lectivo distribuído


Cumprir o serviço distribuído com uma taxa de realização entre 95 e 100%,
recorrendo, se necessário, a permutas.

5. A participação e dinamização
a) de projectos e ou actividades constantes do plano anual de actividades e dos
projectos curriculares de turma
Realizar todos os projectos e actividades constantes do plano de actividades e
que me tenham sido atribuídas.

b) de outros projectos e actividades extra-curriculares


Idem.
c) das estruturas de gestão intermédia e dos órgãos de gestão do agrupamento
ou escola não agrupada
Idem.

6. A relação com a comunidade


Realizar todos as acções previstas em sede de plano de actividades da
escola/projecto curricular de turma e que me tenham sido atribuídas.

7. A formação contínua
Realizar no horizonte dos dois anos 2 créditos de formação.