1.

(OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) Pedro exercia, na empresa Atlântico, havia cinco anos, cargo de confiança pelo qual recebia gratificação. Em razão de não ter atendido às metas determinadas pela nova direção da empresa, perdeu o cargo e retornou à função que ocupava originariamente. Com relação a essa situação hipotética, assinale a opção correta. a) Em razão do princípio da estabilidade financeira, a empresa não poderá retirar a gratificação de Pedro. b) Em razão do princípio da irredutibilidade salarial e por Pedro ter prestado serviços por cinco anos no referido cargo de confiança, a empresa não poderá retirar-lhe a gratificação. c) Pedro não perderá a gratificação pelo cargo de confiança, visto que, após três anos, ela é incorporada ao patrimônio jurídico do trabalhador. d) A empresa poderá retirar a gratificação que Pedro recebia pelo cargo ocupado. 2. (OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) Assinale a opção correta acerca da estabilidade provisória da empregada gestante. a) Há direito da empregada gestante à estabilidade provisória na hipótese de admissão mediante contrato de experiência, visto que a extinção da relação de emprego, em face do término do prazo, constitui dispensa arbitrária ou sem justa causa. b) Não se prevê garantia de emprego à empregada doméstica gestante desde a confirmação da gravidez até cinco meses após o parto. c) A garantia de emprego à gestante só autoriza a reintegração se esta se der durante o período de estabilidade; do contrário, a garantia restringe-se aos salários e demais direitos correspondentes ao período de estabilidade. d) O desconhecimento, pelo empregador, do estado gravídico da empregada afasta o direito ao pagamento da indenização decorrente da estabilidade. 3. (OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) A respeito do empregado doméstico, assinale a opção correta. a) Um empregado que trabalhe em uma casa de cômodos para aluguel não pode ser considerado empregado doméstico, em razão da configuração da atividade lucrativa do empregador. b) É obrigatório o pagamento do FGTS para os empregados domésticos. c) As normas de trabalho do empregado doméstico são regidas pela CLT. d) O seguro-desemprego não se estende aos empregados domésticos.QUESTÃO 71 4. (OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) Com relação aos conceitos de salário e remuneração, assinale a opção correta. a) A ajuda de custo paga ao empregado possui natureza salarial.

b) A legislação brasileira autoriza o pagamento de salário complessivo, que é aquele em que todas as quantias a que faz jus o empregado são englobadas em um valor unitário, indiviso, sem discriminação das verbas pagas. c) As gorjetas pagas pelos clientes aos empregados de um restaurante integram o salário desses empregados. d) A participação dos empregados nos lucros ou resultados da empresa não possui caráter salarial. 5. (OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) Assinale a opção correta acerca do FGTS. a) A conta vinculada do trabalhador no FGTS não poderá ser movimentada em caso de despedida indireta. b) É devido o recolhimento do FGTS sobre os valores pagos a título de aviso prévio, quer tenha o empregado, durante esse período, trabalhado ou não. c) Os valores referentes ao FGTS podem ser pagos diretamente ao empregado. d) Os trabalhadores autônomos são beneficiários do FGTS. 6. (OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) No que se refere ao adicional de periculosidade e ao adicional de insalubridade, assinale a opção correta. a) A eliminação da insalubridade do trabalho em uma empresa, mediante a utilização de aparelhos protetores aprovados pelo Ministério do Trabalho e Emprego, não é suficiente para o cancelamento do pagamento do respectivo adicional. b) As horas em que o empregado permanecer em sobreaviso também geram a integração do adicional de periculosidade para o cálculo da jornada extraordinária. c) Frentistas que operam bombas de gasolina não fazem jus ao adicional de periculosidade, visto que não têm contato direto com o combustível. d) O caráter intermitente do trabalho executado em condições insalubres não afasta o direito de recebimento do respectivo adicional. 7. (OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) A respeito do salário utilidade ou in natura, assinale a opção correta. a) O fornecimento de cigarro por indústria tabagista ao empregado que nela trabalhe é considerado salário in natura. b) A energia fornecida por empresa de energia elétrica ao empregado que nela trabalhe possui natureza salarial em qualquer situação. c) A habitação fornecida ao empregado, quando indispensável à realização do trabalho, não tem natureza salarial.

d) O fornecimento, pela empresa, de veículo ao empregado, quando indispensável à realização do trabalho, será considerado salário in natura, o que deixará de ocorrer quando o veículo for também utilizado para atividades particulares do empregado. 8. (OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) Com base no entendimento do TST acerca da rescisão do contrato de trabalho, assinale a opção correta. a) Nas rescisões antecipadas dos contratos de experiência que contenham cláusula assecuratória do direito recíproco de rescisão antes de seu término, não cabe aviso prévio. b) A indenização de empregado que trabalha por comissão deve ser calculada com base na média das comissões recebidas nos últimos doze meses de serviço. c) O empregado que rescinde antecipadamente o contrato por prazo determinado não está obrigado a indenizar o empregador. d) A pessoa jurídica de direito público que não observa o prazo para pagamento das verbas rescisórias não se submete à multa prevista no art. 477 da CLT. 9. (OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) A respeito do procedimento sumaríssimo no processo do trabalho, assinale a opção correta. a) Cada parte poderá indicar até três testemunhas para a oitiva na audiência de instrução e julgamento. b) No procedimento sumaríssimo, somente será admitido recurso de revista por contrariedade a súmula uniforme do TST ou por violação direta da CF. c) Ação trabalhista contra autarquia federal submete-se ao procedimento sumaríssimo desde que o valor daquela não exceda a quarenta salários mínimos. d) A citação por edital será admitida no procedimento sumaríssimo caso as tentativas de citação por carta registrada e oficial de justiça não tenham logrado êxito. 10. (OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) Além dos beneficiários da justiça gratuita, são isentas do pagamento de custas no processo do trabalho a) as autarquias. b) as entidades sindicais. c) as empresas públicas. d) as sociedades de economia mista. 11. (OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) O art. 899 da CLT dispõe que os recursos trabalhistas devem ser interpostos por simples petição. Segundo entendimento pacífico da jurisprudência, no tratamento da necessidade de fundamentação dos recursos apresentados, a) o recurso deve ser fundamentado, visto que, na justiça do trabalho, exige-se que as razões ataquem os fundamentos da decisão recorrida.

b) a fundamentação recursal será necessária somente se o pedido não delimitar com precisão o objeto da irresignação, impossibilitando compreender-se a controvérsia em toda sua extensão. c) não será necessária, ante a informalidade do processo trabalhista, a fundamentação dos recursos. d) apenas os recursos de natureza extraordinária, por expressa previsão constitucional, devem ser fundamentados, sob pena de não serem conhecidos. 12. (OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) No que concerne ao acordo homologado judicialmente, assinale a opção correta. a) O termo conciliatório transita em julgado na data da publicação da homologação judicial. b) O acordo homologado judicialmente tem força de decisão irrecorrível, salvo para a previdência social, quanto às contribuições que lhe forem devidas. c) Acordos judiciais não transitam em julgado, visto que podem sofrer alterações a qualquer tempo, conforme a vontade das partes. d) Cabe agravo de instrumento contra a decisão que homologa acordo. 13. (OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) No que se refere às nulidades no processo do trabalho, assinale a opção correta de acordo com a CLT. a) Tratando-se de nulidade fundada em incompetência de foro, serão considerados nulos os atos ordinatórios. b) O juiz ou tribunal que declarar a nulidade declarará os atos a que ela se estende. c) A nulidade será pronunciada quando for possível suprir-se a falta ou repetir-se o ato. d) Não haverá nulidade quando dos atos inquinados resultar manifesto prejuízo às partes litigantes. 14. (OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) Assinale a opção correta acerca do mandato. a) Configura-se a irregularidade de representação caso o substabelecimento seja anterior à outorga passada ao substabelecente. b) São inválidos os atos praticados pelo substabelecido se não houver, no mandato, poderes expressos para substabelecer. c) Considera-se inválido instrumento de mandato com prazo determinado e com cláusula que estabeleça a prevalência dos poderes para atuar até o final da demanda. d) Caso haja previsão, no mandato, de termo para sua juntada, o instrumento de mandato terá validade independentemente da data em que for juntado aos autos. 15. (OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) Segundo grande parte da doutrina, prescrição consiste na perda do direito de ação pelo não exercício desse direito no prazo determinado por lei. A esse respeito, assinale a opção correta.

c) Para ações em que se questionem créditos resultantes das relações empregatícias. d) improcedente. dado que o poder de mando do empresário possibilita tal exigência para a contratação de pessoas do sexo feminino. conta-se o prazo prescricional a partir da extinção do contrato de trabalho. 16. (OAB/CESPE – 2008/ 2° EXAME) Se uma empresa de médio porte publicar. c) empregado. b) procedente. d) empresário. (OAB/CESPE – 2008/ 2° EXAME) Ciro trabalha como taxista para uma empresa que explora o serviço de táxi de um município. a condição imposta no ato de contratação deverá ser considerada a) procedente. visto que as funções do cargo oferecido não são compatíveis com estado gestacional. 18. prevê-se prazo prescricional de dois anos no curso da relação de emprego e de cinco anos após a extinção do contrato de trabalho. c) improcedente. Ciro é considerado a) trabalhador avulso. (OAB/CESPE – 2009/ 1° EXAME) Assinale a opção correta de acordo com o contrato individual de trabalho regido pela CLT. a) O referido contrato somente poderá ser acordado de forma expressa. em jornal de grande circulação. Em face da situação hipotética apresentada. anúncio oferecendo vagas para o cargo de secretário executivo e a contratação de pessoas do sexo feminino estiver condicionada à apresentação de documento médico que ateste que a pretendente à vaga não esteja em estado gestacional. b) A prescrição da pretensão relativa às parcelas remuneratórias não alcança o respectivo recolhimento da contribuição para o FGTS. b) trabalhador autônomo. 17. a prescrição é de trinta anos. sendo possível tornar-se regular mediante a concordância expressa do respectivo sindicato da categoria profissional. respeitado o biênio posterior ao término do contrato de trabalho. motivo pelo qual não é permitida a forma verbal. visto que representa um elemento limitador do acesso feminino ao mercado de trabalho. b) É exigida forma especial para a validade e eficácia do contrato em apreço. nesse caso.a) No caso de ação ajuizada em razão do não recolhimento da contribuição para o FGTS. d) Para a ação em que se pleiteie apenas anotação da carteira de trabalho e previdência social. de acordo com a legislação trabalhista. . sendo o automóvel utilizado em serviço por Ciro de propriedade da mencionada empresa.

(OAB/CESPE – 2008/ 3° EXAME) Suponha que determinada empregada. por igual período. d) Os estabelecimentos em que trabalharem pelo menos 25 mulheres com mais de 16 anos de idade são obrigados a dispor de local apropriado onde seja permitido às empregadas. 21. porém não poderá exceder o prazo de noventa dias. c) a remuneração do trabalho noturno superior à do diurno. b) A empregada gestante tem direito à licença-maternidade de 120 dias. mediante atestado médico. deixar. no mínimo. 19. sem prejuízo do emprego e do salário. c) As empresas que tenham em seus quadros mais de 100 empregados são obrigadas a contratar. d) No contrato mencionado. Nessa situação.c) Um contrato de trabalho por prazo determinado de dois anos poderá ser prorrogado uma única vez. uma criança nascida em 28/5/2006. em caso de desemprego involuntário. que poderá ocorrer entre o 28. d) o salário-família. sob vigilância e assistência. os seus filhos. (OAB/CESPE – 2008/ 3° EXAME) No que concerne ao trabalho da mulher. em 13/11/2008. admitida em 10/1/2007 para prestar serviço como auxiliar de cozinha em um restaurante. notificar o seu empregador da data do início do afastamento do emprego. b) o repouso semanal remunerado.º dia antes do parto e ocorrência deste. tenha adotado. 22. assinale a opção correta. de carros-de-mão ou quaisquer aparelhos mecânicos. a) Ao empregador é vedado empregar mulher em serviço que demande o emprego de força muscular superior a 25 quilos para o trabalho contínuo. a empregada . em obediência à CF e à legislação ordinária. c) contrato de empreitada. exceto quanto à remoção de material feita por impulsão ou tração de vagonetes sobre trilhos. d) contrato de experiência. (OAB/CESPE – 2008/ 1° EXAME) Não é cabível contrato de trabalho por prazo determinado em a) serviço cuja natureza ou transitoriedade justifique a predeterminação do prazo. no período da amamentação. (OAB/CESPE – 2008/ 1° EXAME) Constitui direito aplicável à categoria dos empregados domésticos a) o seguro-desemprego. preferencialmente aos domingos. o contrato de experiência poderá ser prorrogado uma única vez. 20. devendo. 20 mulheres. b) atividades empresariais de caráter transitório.

d) interrupção do contrato de trabalho. (OAB/CESPE – 2008/ 2° EXAME) Pedro foi eleito para exercer o cargo de diretor da sociedade anônima da qual já era empregado havia 12 anos. 24. c) suspensão do contrato de trabalho. é permitido o trabalho noturno de menores de 18 anos de idade. devendo ser remunerados pela previdência social. c) tem direito a gozo de licença maternidade por um período de 120 dias. d) suspensão. 26. (OAB/CESPE – 2009/ 1° EXAME) A respeito da proteção conferida ao menor trabalhador. (OAB/CESPE – 2008/ 2° EXAME) A denominada aposentadoria por invalidez é. mas. b) É vedado ao menor empregado firmar recibos legais pelo pagamento dos salários sem que esteja assistido pelos seus representantes.a) não tem direito a gozo de licença maternidade por não ser mãe biológica da criança. empregado da empresa Luz e Arte Ltda. devendo ser remunerados pelo empregador. os primeiros 15 dias de afastamento de Juarez são considerados a) interrupção do contrato de trabalho. d) Excepcionalmente. causa de a) interrupção. desde que apresente o termo judicial que comprove a efetivação da adoção. d) não tem direito a gozo de licença maternidade em decorrência da idade da criança adotada. em relação ao contrato de trabalho. fraturou o tornozelo e precisou ficar afastado do trabalho por 28 dias. (OAB/CESPE – 2008/ 2° EXAME) Juarez. c) É lícita a quitação advinda da rescisão contratual firmada por empregado menor sem a assistência do seu representante legal. em nenhuma hipótese. sofreu uma queda em sua residência. 23. Segundo o estatuto da . devendo ser remunerados pela previdência social. desde que apresente o termo judicial que comprove a efetivação da adoção. durante o gozo de descanso semanal remunerado. 25. b) tem direito a gozo de licença maternidade por um período de 60 dias. Nessa situação hipotética. Em decorrência do acidente. devendo ser remunerados pelo empregador.. c) rescisão. é admitido o trabalho de menores de 16 anos de idade. a) não o corre nenhum prazo prescricional contra os menores de 18 anos de idade. b) prorrogação. assinale a opção correta. b) suspensão do contrato de trabalho.

d) O vale-refeição. reiniciou o labor às 8 h.sociedade anônima. com uma hora de intervalo. Em 20/10/2008. durante a primeira semana do mês de outubro de 2008. d) Ao empregado não é devido o pagamento de nenhuma hora extra quanto ao labor em 20/11/2008 e em 21/10/2008. não tem caráter salarial nem integra a remuneração do empregado para qualquer efeito legal. com 30 minutos de intervalo. d) rescindido. 27. o empregado cumpriu jornada das 16 h às 23 h. b) Quanto à primeira semana do mês de outubro de 2008. percentagens. assinale a opção correta. (OAB/CESPE – 2008/ 3° EXAME) Assinale a opção correta com relação ao direito do trabalhador ao descanso remunerado. o mandato de diretor era de 2 anos. cumprindo jornada das 8 h às 17 h. b) suspenso. assim como as diárias para viagem que não excedam cinquenta por cento do salário percebido pelo empregado. (OAB/CESPE – 2008/ 3° EXAME) Um empregado contratado em 25/5/2006 trabalhou. foi regular a jornada de trabalho cumprida. durante o período em que Pedro estiver exercendo o cargo de diretor. Considerando essa situação hipotética. gratificações ajustadas. considerando-se o labor entre 20/10/2008 e 21/10/2008. tendo gozado de intervalo de uma hora. nessa situação hipotética. 29. . 28. em 21/10/2008. fornecido por força do contrato de trabalho. ao empregado é devido o pagamento de horas extras em decorrência de não ter sido observado o intervalo determinado por lei. a) Não se incluem nos salários as ajudas de custo. e. assinale a opção correta. a) Ao empregado é devido o pagamento de somente uma hora extra. (OAB/CESPE – 2009/ 1° EXAME) Acerca da remuneração do trabalhador estipulada pela CLT e jurisprudência do TST. Segundo orientação do TST. c) prorrogado. c) Quanto ao labor em 20/10/2008 e em 21/10/2008. seu contrato de trabalho ficará a) interrompido. diárias para viagens e abonos pagos pelo empregador. laborando até as 17 h. c) Não integram a remuneração do trabalhador as gorjetas incluídas nas notas de serviços e as oferecidas espontaneamente pelos clientes. b) Não integram o salário as comissões.

c) Na dispensa com justa causa. e o valor corresponderá à metade do salário percebido no mês anterior. Considerando a situação hipotética apresentada. 30. deve-se observar a ordem preferencial dos atestados médicos estabelecida em lei. não estando o empregador obrigado a pagar o adiantamento. a todos os seus empregados. Em 18/9/2006. . na justificativa da ausência do empregado motivada por doença. recebendo uma gratificação correspondente a 30% do salário de secretária. no contracheque do empregado. o pagamento do labor referente a tais dias. no mesmo mês. sem o direito de receber o valor a título de gratificação de função. a) O empregador pode dispensar a empregada do exercício da função de confiança sem justo motivo. c) A empregada pode retornar ao cargo efetivo. c) O empregador está obrigado a discriminar. d) É devido o pagamento do repouso semanal remunerado a empregado que se ausentar do trabalho. assinale a opção correta. cabe o pagamento do décimo terceiro salário proporcional ao empregado. devendo o empregador pagar-lhe. d) Dado o tempo de exercício na função de confiança. A partir de 7/10/1995. em dobro. por até 7 dias consecutivos. b) O empregado que prestar serviço em domingo ou feriado terá sempre o direito de receber. b) Todos os empregados deverão receber o pagamento da primeira parcela do décimo terceiro salário no mesmo mês de cada ano. o valor do pagamento inerente ao repouso semanal.a) Para fins de percepção do salário-enfermidade e da remuneração do repouso semanal. d) O pagamento da primeira parcela do décimo terceiro salário deverá ser feito entre fevereiro e novembro de cada ano. b) A empregada pode retornar ao cargo efetivo. (OAB/CESPE – 2009/ 1° EXAME) Com relação ao décimo terceiro salário. retornando às atividades de secretária e deixando de perceber o percentual inerente à gratificação de função. em face do princípio da igualdade. 31. o valor correspondente a 50% do valor da gratificação de função. passou a desempenhar a função de confiança de gerente administrativa. assinale a opção correta. em virtude de casamento. a empregada somente pode ser dispensada do exercício dessa função por justo motivo. (OAB/CESPE – 2008/ 3° EXAME) Em 23/9/1993. Joana foi dispensada. mas está obrigado a manter o pagamento do valor inerente à gratificação. a) O empregador deverá proceder ao adiantamento da primeira parcela do décimo terceiro salário no mês de novembro de cada ano e ao da segunda parcela. da função de gerente. sem justo motivo. pois não mais se justifica tal pagamento. Joana foi contratada para prestar serviços como secretária. em dezembro. por pelo menos um ano.

ele não pode ser punido por fumar em ambientes fechados da empresa. d) O valor das horas extraordinárias habituais integra o aviso prévio indenizado. mesmo ante a existência de cláusula assecuratória do direito recíproco de rescisão antes de expirado o termo ajustado. c) O ato de fumar nos ambientes fechados da empresa constitui motivo de despedida por justa causa por ato de indisciplina. Segundo orientação do TST. por meio de circular interna. d) A atitude de Jorge. . tendo sido. nessa situação hipotética. a) A falta de aviso prévio por parte do empregador dá ao empregado o direito aos salários correspondentes ao prazo do aviso. e. (OAB/CESPE – 2008/ 2° EXAME) Aníbal foi eleito membro do conselho fiscal do sindicato representativo de sua categoria profissional em 20 de maio de 2008. nessas ocasiões. b) Como a atitude de Jorge não gera prejuízo para a empresa.. advertido pelo empregador. mas nem sempre garante a integração desse período no seu tempo de serviço. já que ele é fumante há mais de 20 anos. pois membro de conselho fiscal de sindicato não tem direito à estabilidade provisória porquanto não representa ou atua na defesa de direitos da categoria respectiva. empregado da empresa Vale Verde Ltda. Jorge. divulgou. foi flagrado fumando nos ambientes fechados da empresa. descumpriu tal norma. a proibição de fumar nos ambientes fechados da empresa. Aníbal foi demitido sem justa causa da empresa onde trabalhava. uma vez que Jorge descumpriu uma ordem geral do empregador. por diversas vezes. 34. constitui motivo de dispensa por justa causa. (OAB/CESPE – 2008/ 2° EXAME) A direção da empresa Vale Verde Ltda. b) É indevido o aviso prévio na despedida indireta. pois Aníbal gozava de estabilidade provisória desde sua eleição ao cargo de conselheiro fiscal do sindicato. (OAB/CESPE – 2009/ 1° EXAME) Assinale a opção correta acerca do aviso prévio na CLT e em conformidade com o entendimento do TST. c) somente seria regular se houvesse a extinção da empresa. 33. mas apenas desconforto para seus colegas de trabalho. c) É incabível o aviso prévio nas rescisões antecipadas dos contratos de experiência. a demissão de Aníbal a) foi regular. tendo sido estabelecidos locais específicos para a prática do tabagismo. fumante há mais de 20 anos. b) foi irregular. a) A atitude de Jorge não se caracteriza como desobediência à determinação do empregador dado o grau de dependência em relação ao cigarro. No dia 20 de agosto de 2008. agindo somente na fiscalização da gestão financeira do sindicato. Considerando a situação hipotética acima e com base na legislação trabalhista.32. que se caracteriza como incontinência de conduta ou mau procedimento. assinale a opção correta.

Alice. b) empregado. sem justificativa. em decorrência do atraso no pagamento das verbas rescisórias. está sujeita ao pagamento da multa equivalente a 20% do salário de Jurema. pois trata-se de prova da relação de emprego. d) abandono de emprego. ela foi dispensada sem justa causa e não lhe foi exigido o cumprimento do aviso prévio. assinale a opção correta. pois vigora o princípio da continuidade da relação de emprego. c) A empregadora. b) ato de indisciplina ou de insubordinação. b) A empregadora. que constitui presunção favorável ao empregado. c) desídia no desempenho de suas funções. por caber ao autor a demonstração dos fatos por ele alegados. 35. (OAB/CESPE – 2008/ 3° EXAME) Jurema foi contratada por Alice. fato comprovado por testemunhas. para prestar serviço como doméstica. 38. abandonou. para resolver questões particulares. seu posto de trabalho. é considerada a) ato de improbidade. o ônus da prova é do a) empregador. por vigorar. Na situação hipotética apresentada. contratado como vigilante noturno de uma instituição financeira. pois cabe a este demonstrar. de acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho. está sujeita ao pagamento da multa equivalente a 50% do salário de Jurema. 37. (OAB/CESPE – 2008/ 2° EXAME) Antônio. a) A empregadora. 36. .d foi arbitrária. no processo do trabalho. No dia 20/11/2008. em 10/5/2007. o princípio do in dubio pro misero. em decorrência do atraso no pagamento das verbas rescisórias. Em 10/11/2008. não está sujeita ao pagamento de multa pelo atraso no pagamento de verbas rescisórias. d) A empregadora. Alice. (OAB/CESPE – 2008/ 3° EXAME) Ao término de relação empregatícia. está sujeita ao pagamento da multa equivalente a um salário mínimo. (OAB/CESPE – 2009/ 1° EXAME) Acerca da execução trabalhista regulamentada pela CLT. d) empregador. pois não houve nenhuma justificativa prévia ou inquérito capaz de provar justa causa para a demissão. quando negados a prestação do serviço e o despedimento. para fins de despedida por justa causa. a prova dos fatos alegados por qualquer das partes. assinale a opção correta acerca do pagamento das verbas rescisórias. em duas oportunidades distintas. Alice. dado o atraso no pagamento das verbas rescisórias. a atitude de Antônio. Com relação a essa situação hipotética. por cerca de 30 minutos. Alice. c) empregado. Alice pagou a Jurema as verbas rescisórias. em qualquer caso.

do décimo terceiro salário e das férias proporcionais. d) nos casos em que haja flagrante injustiça 1) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – junho/2007 – FCC). não é permitida a citação por edital. 40. (OAB/CESPE – 2008/ 2° EXAME) Nos processos que correm sob o rito sumaríssimo. c) O prazo estipulado para o ajuizamento dos embargos à execução é de dez dias após garantida a execução ou penhorados os bens.a) somente as partes poderão promovê-la. d) O número máximo de testemunhas que cada uma das partes pode indicar é três. 39. Reconhecida a culpa recíproca na rescisão do contrato de trabalho o empregado (A) terá direito a 50% do valor do aviso prévio. a) Nas reclamações enquadradas no referido procedimento. (OAB/CESPE – 2009/ 1° EXAME) Com relação ao procedimento sumaríssimo estipulado na CLT. assinale a opção correta. b) Nas reclamações enquadradas no referido procedimento. b) Poderá ser impulsionada ex officio pelo juiz. incumbindo ao autor a correta indicação do nome e do endereço do reclamado. d) Não poderão ser executadas ex officio as contribuições sociais devidas em decorrência de decisão proferida pelos juízes e tribunais do trabalho e resultantes de condenação ou homologação de acordo. desde que não seja possível a parte indicá-lo expressamente. b) quando houver divergência jurisprudencial entre TRTs. devendo elas comparecer à audiência de instrução e julgamento independentemente de intimação ou convite. c) quando houver contrariedade à súmula de jurisprudência uniforme do TST e violação direta à CF. o pedido pode ser ilíquido. c) O procedimento sumaríssimo é apropriado para reclamação trabalhista com valor de até sessenta vezes o salário mínimo vigente na data do seu ajuizamento. . o recurso de revista será cabível a) quando a decisão proferida pelo TRT violar disposição de lei federal.

por força do contrato ou do costume. (C) implicará em redução de 50% do respectivo adicional noturno. o seguro de vida e acidentes pessoal. as prestações in natura que a empresa. . quando foi transferido pelo seu empregador para o período diurno de trabalho. (E) implicará na perda do direito ao adicional noturno. Mário laborava há 5 anos na empresa Dida no período noturno. 2) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – junho/2007 – FCC). acrescido do pagamento de indenização correspondente a um salário mínimo vigente. apenas. fornecer habitualmente ao empregado. Em regra.(B) não terá direito a qualquer verba rescisória por ter contribuído para a rescisão de seu contrato de trabalho. tem caráter salarial (A) (B) (C) (D) (E) a previdência privada. Neste caso a transferência para o período diurno de trabalho (A) não implicará na perda do direito ao adicional noturno. a assistência odontológica prestada diretamente. (E) terá direito a integralidade do décimo terceiro salário e das férias proporcionais. (C) terá direito a 50% do valor do aviso prévio e a integralidade do décimo terceiro salário e das férias proporcionais. (D) terá direito a integralidade do valor do aviso prévio e a 50% do décimo terceiro salário e das férias proporcionais. recebendo o respectivo adicional. Além do pagamento em dinheiro compreende-se no salário. (B) implicará em redução de 20% do respectivo adicional noturno. para todos os efeitos legais. uma vez que tal adicional já se encontrava incorporado na remuneração do empregado. 3) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – junho/2007 – FCC). (D) não implicará na perda do direito ao adicional noturno uma vez que a transferência de Mário ocorreu a sua revelia. o vale refeição fornecido por força do contrato. a assistência médica prestada mediante segurosaúde.

aviso prévio e FGTS. desde que pagos com habitualidade. Está correto o que consta APENAS em (A) (B) (C) (D) (E) I e II. havendo dispositivo legal expresso neste sentido. 13º salário. O adicional de insalubridade integrará a remuneração do empregado para o cálculo (A) das férias. na forma estabelecida pelo Poder Executivo.4) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – junho/2007 – FCC). (D) (E) das férias. de direito privado ou público. gorjetas. 13º salário. II e IV. são contribuintes do FGTS o empregador seja pessoa física ou jurídica. II e III. Em regra. I. III e IV. II. I e III. desde que pagos com habitualidade. Considere as seguintes assertivas a respeito do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço: I. integrado por representantes dos trabalhadores. 5) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – junho/2007 – FCC). 13º salário. independentemente de ser pago com habitualidade. (C) das férias. gratificações e nas diárias de viagem que não excedam 50% do salário. indireta ou fundacional que admitir trabalhadores regidos pela CLT a seu serviço. comissões. III. II. aviso prévio e FGTS. . desde que pagos com habitualidade. (B) das férias. aviso prévio e DSR’S. independentemente de ser pago com habitualidade. aviso prévio e DSR’S. apenas do 13º salário e do aviso prévio. IV. O FGTS incidirá sobre a ajuda de custo. Integra a base de cálculo para incidência dos depósitos do FGTS o vale transporte fornecido pelo empregador. dos empregadores e órgão e entidades governamentais. da administração direta. O FGTS será regido segundo as determinações do Conselho Curador. 13º salário.

6) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – junho/2007 – FCC). II e IV. além do salário devido e pago diretamente pelo empregador. Não integram o salário as comissões. I. o FGTS NÃO poderá ser levantado (A) (B) na suspensão total do trabalho avulso por período igual ou superior a 90 dias. 7) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – junho/2007 – FCC). respectivamente. Em regra. respectivamente. 30% e 50% do salário contratual. III. 25% e 20% do salário contratual. Compreendem-se na remuneração do empregado. Considera-se gorjeta apenas a importância espontaneamente dada pelo cliente ao empregado. II e III. 8) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – junho/2007 – FCC). quando o trabalhador completar 70 anos de idade. . II. as gorjetas que receber. Considere as seguintes assertivas a respeito da remuneração: I. percentagens e gratificações ajustadas. De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho está correto o que se afirma APENAS em (A) (B) (C) (D) (E) I e IV. 20% e 25% do salário contratual. II. A habitação e alimentação fornecidas como salário-utilidade deverão atender aos fins a que se destinam e não poderão exceder (A) (B) (C) (D) (E) 50% do salário contratual. 50% e 30% do salário contratual. para todos os efeitos legais. III e IV. respectivamente. I. I e II. respectivamente. como contraprestação do serviço. IV. Incluem-se nos salários as ajudas de custo e abonos pagos pelo empregador.

insalubres ou perigosas. . A Constituição Federal prevê que sejam remuneradas com adicional as atividades realizadas (A) em condições penosas. prêmios ou participação nos lucros da empresa. (D) a melhor formação técnica do paradigma ou sua melhor escolaridade são fatores que impedem a equiparação salarial. sem os acréscimos resultantes de gratificações. 10) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – junho/2007 – FCC). 11) (TRT – 4ª Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – ago/2006 – FCC). (C) trabalho de igual valor é o que for feito com a mesma perfeição técnica. Com relação à equiparação salarial é certo que (A) para efeito de equiparação de salários em caso de trabalho igual. prêmios ou participação nos lucros da empresa. o aviso prévio. O adicional de periculosidade (A) será de 30% sobre o salário básico do empregado. (E) poderá ser concedido concomitantemente com o adicional de insalubridade. no caso de dependente do trabalhador ser portador do vírus HIV. (E) é possível a equiparação salarial de trabalho intelectual. 9) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – junho/2007 – FCC). (B) pago com habitualidade integra o FGTS. com os acréscimos resultantes de gratificações. (C) não é devido aos empregados que operam bomba de gasolina por expressa vedação legal. o 13º salário. com maior perfeição técnica e produtividade. (B) para efeitos de equiparação salarial o nome dado à função pelo empregador possui grande relevância. conta-se o tempo de serviço no emprego e não na função. (D) será de 30% sobre o salário mínimo.(C) (D) (E) no caso de rescisão contrato de trabalho por culpa recíproca. quando ocorrer mudança do regime celetista para estatutário. entre pessoas cuja diferença de tempo de serviço não seja superior a 3 anos. desde que o empregado trabalhe em condições insalubres e perigosas. às férias e a indenização. que pode ser avaliado por sua perfeição técnica.

pelo menos. insalubres ou perigosas. com maior perfeição técnica e produtividade. (B) geralmente é assegurada. (A) 10% do salário mínimo. mediante parcelas in natura. (D) pode ser estabelecida em contrato individual de trabalho. em turnos de revezamento. Havendo o pagamento de parte do salário mínimo. além da jornada regular. 14) (TRT – 6ª Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – set/2006 – FCC). em condições penosas. A irredutibilidade salarial (A) pode ser determinada em sentença normativa. em turnos de revezamento. (C) em turnos de revezamento. além da jornada regular. É permitido ao empregador efetuar descontos nos salários dos empregados. em condições penosas. em condições penosas.(B) em horário noturno. (C)) 30% do salário mínimo. insalubres ou perigosas. (C)) é sempre assegurada. (E)) em horário noturno. o empregador está obrigado a pagar em dinheiro o valor equivalente a. 13) (TRT – 4ª Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – ago/2006 – FCC). (E) 50% do piso salarial da categoria. (B) 20% do salário mínimo. (D) além da jornada regular. (D) 40% do piso salarial da categoria. insalubres ou perigosas. desde que tais descontos decorram de . (E) depende de fixação em lei complementar. salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo. 12) (TRT – 4ª Região – Analista Judiciário – Área Judiciária – ago/2006 – FCC). salvo expressa previsão legal em sentido contrário.

sendo. (D) sempre garantido o mínimo. (D) especial. (B) pagamento de seguros de vida e acidentes pessoais. previsão legal ou cláusula estabelecida em contrato coletivo. sendo vedado qualquer desconto em mês subseqüente a título de compensação. até o limite de 50% do salário mínimo vigente. (C) garantido o mínimo somente em algumas hipóteses. sendo. por força do contrato ou do costume. permitido desconto em mês subseqüente a título de compensação. (B)) in natura. porém. . até o limite de 25% do salário mínimo vigente. até o limite de 50% do salário mínimo vigente. ser-lhe-á (A) sempre garantido o mínimo. (E)) sempre garantido o salário mínimo. fornece habitualmente ao empregado. 15) (TRT – 6ª Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – set/2006 – FCC). havendo autorização expressa do empregado. constitui salário (A) complessivo. (D) previsão expressa no contrato individual de trabalho. A moradia que a empresa. sendo permitido desconto em mês subseqüente a título de compensação. (C) mínimo. Quando o salário mínimo mensal do empregado à comissão ou que tenha direito a percentagem for integrado por parte fixa e parte variável. vedado qualquer desconto em mês subseqüente a título de compensação.(A) necessidade de redução dos custos. porém. (B) garantido o salário mínimo somente em algumas hipóteses. (E) adicional. permitido desconto em mês subseqüente a título de compensação. (E)) adiantamentos. (C) fornecimento de cesta básica e seguro saúde. 16) (TRT – 20ª Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – jun/2006 – FCC).

assim como as diárias para viagens que não excedam 50% do salário percebido pelo empregado. II. (D) II. De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho está correto APENAS o que se afirma em: (A)) I.17) (TRT – 20ª Região – Analista Judiciário – Área Judiciária – jun/2006 – FCC). Considere as seguintes assertivas a respeito da Remuneração: I. a assistência médica. Para todos os efeitos legais. (C) I e III. o salário mínimo pago em dinheiro não será inferior a 40% do salário mínimo fixado para a região. Salário mínimo é a contraprestação mínima devida e paga diretamente pelo empregador a todo trabalhador. De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho. III. por dia normal de serviço. Considere as seguintes assertivas a respeito do salário mínimo: I. hospitalar e odontológica. compreende-se no salário. uma vez que não se tratam de contraprestação de serviços. Quando o salário mínimo mensal do empregado à comissão for integrado por parte fixa e parte variável. Como regra. Não se incluem nos salários as ajudas de custo. . III. uma ou mais das parcelas do salário mínimo. está correto APENAS o que se afirma em: (A) I e II. prestada diretamente ou mediante seguro-saúde pelo empregador. (B) I e III. 18) (TRT – 20ª Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – jun/2006 – FCC). II. para todos os efeitos legais. exceto ao trabalhador rural. (C) II. vedado qualquer desconto em mês subseqüente a título de compensação. Quando o empregador fornecer. ser-lhe-á sempre garantido o salário mínimo. (B) I e II. sem distinção de sexo. as gorjetas não estão compreendidas na remuneração do empregado. in natura. (E) II e III.

De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho. respectivamente.(D) II e III. (E)) III. 20) (TRT – 20ª Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – jun/2006 – FCC). (B) as comissões. por dia normal de serviço. para a prestação do serviço serão considerados salário in natura. quando o salário for convencionado por tarefa ou peça. (B) é a contraprestação mínima devida e paga diretamente pelo empregador a todo trabalhador. (E) em regra. a hora do trabalho noturno será computada como de (A) sessenta minutos. (C)) cinqüenta e dois minutos e trinta segundos. . De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho. o pagamento do salário. assim como as diárias para viagem que não excedam de 50% do salário percebido pelo empregado. em relação a remuneração do empregado. salvo no que concerne a comissões e percentagens. (C) incluem-se nos salários as ajudas de custo. percentagens e abonos pagos pelo empregador não integram o salário. a 25% e 20% do salário-contratual. 21) (TRT – 24ª Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – mar/2006 – FCC). (B) cinqüenta e quatro minutos e vinte segundos. é correto afirmar que (A)) a habitação e a alimentação fornecidas como salário-utilidade deverão atender aos fins a que se destinam-se não poderão exceder. (D) equipamentos e outros acessórios fornecidos aos empregados e utilizados no local de trabalho. pode ser estipulado por período superior a 1 mês. (D) cinqüenta minutos e sessenta segundos. (E) quarenta e cinco minutos e cinqüenta segundos. é correto afirmar que (A) a remuneração diária do trabalhador poderá ser inferior à do salário mínimo por dia normal. qualquer que seja a modalidade do trabalho. 19) (TRT – 20ª Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – jun/2006 – FCC). Com relação ao salário mínimo. exceto ao trabalhador rural.

é certo que (A) as contas do FGTS vinculadas em nome dos trabalhadores são penhoráveis. o empregador pagará. metade do salário recebido pelo empregado no mês anterior. (D) destina-se a satisfazer. não será contribuinte do FGTS. apenas as necessidades normais de alimentação. considerado este como o executado. em determinada época e região do País. (B) a pessoa jurídica de direito público da administração indireta. no mesmo mês. por expressa determinação legal. (D)) incidirá sobre as parcelas in natura pagas ao trabalhador com habitualidade. (E) a mudança do regime celetista para o regime estatutário. apenas as necessidades normais de alimentação e higiene. (D) Percebendo o empregador remuneração variável. 23) (TRT – 24ª Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – mar/2006 – FCC). autoriza o levantamento do FGTS. como adiantamento da gratificação. porém haverá necessidade de apurar o valor da utilidade. em regra. (B) Entre os meses de março e setembro de cada ano. (E)) é devido ao trabalhador em domicílio. mesmo que admita trabalhadores regidos pela CLT. (C)) O empregador não estará obrigado a pagar o adiantamento. Com relação ao Fundo de Garantia por tempo de serviço. . 22) (TRT – 24ª Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – mar/2006 – FCC). Com relação a gratificação de natal é correto afirmar: (A) A gratificação de natal não tem natureza salarial. na habitação do empregado ou em oficina de família. tratando-se de uma forma de agradecimento por parte do empregador em razão de serviços prestados. habitação e higiene. em regra. a todos os seus empregados. por conta de empregador que o remunere. (C) não incidirá sobre o 13o salário pago normalmente ao final de cada ano ou na rescisão do contrato de trabalho. em determinada época e região do País.(C) destina-se a satisfazer. o cálculo da gratificação de Natal deverá ser feito pelo salário recebido pelo empregado no mês anterior.

25) (TRT – 24ª Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – mar/2006 – FCC). inclusive. (E)) em tantos dias quantos os do excesso. quando pagas com habitualidade. (B) em dez dias de serviço simples. sem motivo justificado. . vedado qualquer desconto em mês subseqüente a título de compensação. (D) ser-lhe-á sempre garantido o salário-mínimo. somente em alguns casos determinados em leis. vedado qualquer desconto em mês subseqüente a título de compensação. Quando o salário-mínimo mensal do empregado que tenha direito a percentagem for integrado por parte fixa e parte variável. permitindo-se desconto em mês subseqüente a título de compensação. 24) (TRT – 24ª Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – mar/2006 – FCC). dentro dos prazos fixados. De acordo com o Decreto Lei no 5. permitindo-se desconto em mês subseqüente a título de compensação. serão descontados em seus vencimentos (A) em um dia de serviço contado em dobro. (C) em dez dias de serviço contados em dobro. (A) ser-lhe-á garantido o salário-mínimo. somente em alguns casos determinados em leis. (D) de5 a10 dias de serviço simples. os serventuários que.(E) As horas extras laboradas não integram a gratificação de natal.452/43. (E) não será garantido o salário mínimo. não realizarem os atos. (B) ser-lhe-á garantido o salário-mínimo. (C)) ser-lhe-á sempre garantido o salário-mínimo. exatamente em razão de ser o salário integrado por parte fixa e parte variável.

(E) lazer. . 28) (TRT – 3ª Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – jan/2005 – FCC). Desativada a empresa em razão de ato de desapropriação e. (C) educação. nenhuma reparação sendo devida ao empregado. (D) rescisão indireta. (B) salário complessivo. higiene e lazer. verifica-se a ocorrência de (A) culpa recíproca. incumbindo ao governo responsável pelo ato o pagamento da indenização devida aos empregados do estabelecimento. fornece aos seus empregados os produtos de higiene que fabrica. o pagamento da indenização devida ao empregado. ficando rescindidos os contratos dos seus empregados. em conseqüência. Essa contraprestação é denominada (A) sobre-salários. em partes iguais. medicamentos e transporte. constituem salário “in natura”. higiene e transporte. Se fornecidas pelo empregador. (E) rescisão sem justa causa.26) (TRT – 3ª Região – Analista Judiciário – Área Judiciária – jan/2005 – FCC). (B) força maior. fabricante de produtos de higiene e limpeza. (C)) factum principis. (B)) vestuário. incumbindo ao governo responsável pelo ato e ao empregador. ficando o empregador responsável pelo pagamento de metade da indenização devida aos empregados. além da alimentação e da habitação: (A) lazer. lazer e seguro de vida. (D) transporte. integra a remuneração dos empregados para todos os efeitos. medicamentos e seguro de vida. ficando o empregador responsável pelo pagamento de metade da indenização devida aos empregados. O valor correspondente aos produtos fornecidos. nos percentuais legais. 27) (TRT – 3ª Região – Analista Judiciário – Área Judiciária – jan/2005 – FCC). Um empregador.

(C) salário normativo. (D) salário profissional. (D) gratificação ajustada. assim como o salário. para garantir aos empregados o recebimento do salário mínimo. .(C)) salário utilidade. (E) estão dispensados de qualquer outro pagamento. (B) valor correspondente à média dos últimos 3 meses. (C) estão obrigados a complementar o montante das gorjetas. 29) (TRT – 11ª Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – jun/2005 – FCC). (E)) salário mínimo. independentemente do valor das gorjetas recebidas. Ao empregado que perceba salário variável a título de comissões. Empregadores cujos empregados recebem gorjetas dos clientes do estabelecimento (A)) devem garantir o pagamento do salário mínimo aos empregados. independentemente do valor das gorjetas recebidas. (B) estão obrigados a pagar o salário mínimo apenas nos meses em que o montante das gorjetas não atingir esse valor. é assegurado o recebimento do (A) adicional por quebra de caixa. (D) devem garantir o pagamento de 30% do salário mínimo em dinheiro. constituem remuneração. 30) (TRT – 9ª Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – set/2004 – FCC). (E) participação nos lucros. tendo em vista que as gorjetas.

podendo. sofrer desconto. (C) seguro de vida e acidentes pessoais. considera-se salário in natura. R$ 250. A As gorjetas são consideradas (A) prêmio. receberá (A) em todos os meses. (B)) remuneração. sofrer desconto. a título de compensação. (E)) o salário mínimo no mês de outubro. atingiu R$ 180. remunerado exclusivamente à base de comissões. não podendo sofrer qualquer desconto em mês subseqüente a título de compensação. Nessa hipótese. a título de compensação. (D) o salário mínimo no mês de outubro. nos meses subseqüentes. (B) condução destinada ao deslocamento para o trabalho.00 no mês de dezembro. (D)) vale-refeição.31) (TRT – 2ª Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – fev/2004 – FCC). (B) o valor do salário mínimo. No último trimestre do ano.Quando fornecido habitualmente ao empregado.00 no mês de novembro e R$ 330. (C) o salário mínimo no mês de outubro. por ocasião do pagamento do décimo terceiro salário. (A) telefone celular e respectivas despesas. no entanto. 32) (TRT – 2ª Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – fev/2004 – FCC). no entanto. (E) previdência privada. um vendedor.00 no mês de outubro. podendo. 33) (TRT – 8ª Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – dez/2004 – FCC). somente o valor das comissões a que fizer jus. . mais as comissões a que fizer jus. por força do contrato ou do costume.

(E) exceto quando o empregado é trabalhador em domicílio. (B)) comissões. (D) exceto quando o empregado for trabalhador rural. 35) (TRT – 22ª Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – nov/2004 – FCC). (A) devendo ser pago integralmente em dinheiro. gorjetas e comissões. (E) diárias para viagem. (B)) podendo ser pago 70% in natura e pelo menos 30% do valor em dinheiro. percentagens e gratificações.(C) salário indireto. 34) (TRT – 17ª Região – Analista Judiciário – Área Judiciária – maio/2004 – FCC). . Formas de remuneração cujo pagamento pode ser estipulado por período superior a um mês: (A) salário e gorjeta. (D) diárias para viagem e ajuda de custo. O salário mínimo é a contraprestação mínima devida pelo empregador a todo empregado. (C) salário e ajuda de custo. (E) salário in natura. (D) salário direto. (C) podendo ser pago 50% in natura e 50% do valor em dinheiro.

Em caso de dano causado pelo empregado. . São consideradas como salário as seguintes utilidades concedidas pelo empregador: (A) alimentação e equipamentos de proteção individual. desde que esta possibilidade tenha sido acordada ou na ocorrência de dolo por parte do empregado.36) (TRT – 22ª Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – nov/2004 – FCC). 37) (TRT – 22ª Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – nov/2004 – FCC). o desconto salarial (A) não será lícito. (D) equipamentos de proteção individual e assistência médica. (C) somente as próprias são computáveis para a composição do salário mínimo. (B) alimentação e educação em estabelecimento de ensino próprio ou de terceiros. hospitalar e odontológica. desde que exista autorização do Sindicato representante da categoria profissional. posto que o salário é irredutível. é correto afirmar que (A) tanto as próprias como as impróprias são computadas para a composição do salário mínimo. (D) será lícito. (D) somente as impróprias são computáveis para a composição do salário mínimo. (E) será lícito. (E) assistência médica. prestada diretamente ou mediante seguro-saúde. 38) (TRT – 23ª Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – out/2004 – FCC). (C) será lícito apenas na ocorrência de dolo por parte do empregado. nem mesmo com a concordância do empregado.Em relação às gorjetas. (C)) alimentação e habitação fornecidas habitualmente ao empregado. desde que exista autorização do Sindicato representante da categoria econômica. (B)) nem as próprias nem as impróprias são computadas para a composição do salário mínimo. (B)) será lícito.

não se compreendem na remuneração. sempre. se o estabelecimento atender às exigências relativas a refeitórios e quando os empregados não estiverem sob o regime de prorrogação de jornada. . 39) (TRT – 23ª Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – out/2004 – FCC). pode ser reduzido. quaisquer prorrogações de jornada só poderão ser acordadas mediante licença prévia das autoridades competentes em matéria de medicina do trabalho. (B) o direito à hora noturna reduzida não se aplica ao vigia. por ato do Ministro do Trabalho. 40) (TRT – 23ª Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – out/2004 – FCC). o adicional de periculosidade. (E) o divisor. é 220. é correto afirmar que (A) o limite legal do intervalo intrajornada pode ser elastecido. para jornada que exceda a seis horas. desde que respeitada a jornada diária de 8 horas de trabalho efetivo.Empregado que trabalha em atividade tida como insalubre e perigosa. fazendo jus à percepção de adicional. (B) tem direito a receber os dois adicionais. (D) nas atividades insalubres e perigosas. (D) recebe o adicional de maior valor. a critério do empregador. (A)) tem direito a optar por um dos adicionais.Quanto à duração do trabalho. (C)) o limite mínimo de intervalo de uma hora. (C) recebe o adicional de menor valor. (E) recebe.(E) assim como as ajudas de custo. para cálculo do salário-hora do empregado que trabalha em jornadas de seis horas.

(D)) salário mínimo hora. (B) é um sistema optativo. Ao menor aprendiz é garantido o pagamento de (A) metade do salário mínimo. a ser exercido por ocasião da admissão no emprego.Fundo de Garantia do Tempo de Serviço: (A)) é o sistema de garantia do tempo de serviço que. O salário- (A) integra a remuneração do empregado para todos os efeitos. foi estendido a todos os empregados urbanos e rurais. (E) é pago na proporção do número de dependentes do empregado. . (B) 2/3 do salário mínimo. (D) visa a complementar o salário mínimo. 43) família (TRT – 23ª Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – out/2004 – FCC). (E) salário mínimo diário. (C) constitui faculdade do empregador escolher o regime de garantia do tempo de serviço de seus empregados. após a Constituição de 1988. (C) não tem natureza salarial porque é pago pela Previdência Social ao empregado. 42) (TRT – 23ª Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – out/2004 – FCC). (C) 80% do salário mínimo. de iniciativa do empregado.41) (TRT – 23ª Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – out/2004 – FCC). (B)) é desprovido de natureza salarial e é devido na proporção de número de dependentes. em cotas correspondentes a 10% do salário mínimo. (D) admite a retratação manifestada pelo empregado. (E) pode ser substituído por indenização equivalente.

(B) sobre-salário. anualmente. (E) 8 horas extras por semana. de segunda-feira a sábado. Afrodite. (B) 1 hora extra por dia. (C) salário em espécie.44) (TRT – 23ª Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – out/2004 – FCC). trabalha no horário de 9h às 12h30 e de 13h30 às 17h30. A moradia que o empregador fornece ao empregado em virtude do contrato de trabalho ou do costume constitui (A) gratificação ajustada. trabalha (A) 30 minutos extras por dia. (C)) 1 hora extra por semana. (D) 4 horas extras por semana. 46) (PGE/RR – Procurador do Estado – março/2006 – FCC). Assim. (E)) salário in natura. O salário família (A) é pago na proporção de número de dependentes. . (D) salário complessivo. 45) (TRT – 23ª Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – out/2004 – FCC). secretária.

ou não. (C) é pago a todos os trabalhadores. que é aquele em que todas as quantias a que faz jus o empregado são englobadas em um valor unitário.(OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) Com relação aos conceitos de salário e remuneração. (E) Em nenhuma hipótese é possível a equiparação de trabalho intelectual. indiviso. d) A participação dos empregados nos lucros ou resultados da empresa não possui caráter salarial. (D) é pago pela Previdência Social. (C) A equiparação salarial prevalecerá independentemente do empregador possuir pessoal organizado em quadro de carreira homologado pelo Ministério do Trabalho. (E) integra a remuneração do empregado para todos os efeitos. entre pessoas cuja diferença de tempo de serviço na função não seja superior a 1 ano. não importando se os cargos têm. .(B)) é pago na proporção de número de dependentes. No que se refere a equiparação salarial entre empregados prevista na Consolidação das Leis Trabalhista. (B) O trabalho de igual valor será o que for exercido com igual produtividade e com a mesma perfeição técnica. ESTÃO 71 267. sem discriminação das verbas pagas. desempenhando as mesmas tarefas. b) A legislação brasileira autoriza o pagamento de salário complessivo. a) A ajuda de custo paga ao empregado possui natureza salarial. é correto afirmar: (A) O trabalhador readaptado em nova função por motivo de deficiência física ou mental atestada pelo órgão competente da Previdência Social servirá de paradigma para fins de equiparação salarial. como benefício previdenciário. em razão da subjetividade existente e da pessoalidade inerente ao intelecto de cada empregado. 47) (PGM/Manaus – Procurador de 3º Classe – fev/2006 – FCC). sendo desprovido de natureza salarial. a mesma denominação. c) As gorjetas pagas pelos clientes aos empregados de um restaurante integram o salário desses empregados. (D)) A equiparação salarial só é possível se o empregado e o paradigma exercerem a mesma função. assinale a opção correta.

(OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) Assinale a opção correta acerca do FGTS. será considerado salário in natura. b) As horas em que o empregado permanecer em sobreaviso também geram a integração do adicional de periculosidade para o cálculo da jornada extraordinária. não é suficiente para o cancelamento do pagamento do respectivo adicional. a) A eliminação da insalubridade do trabalho em uma empresa. quando indispensável à realização do trabalho. d) O caráter intermitente do trabalho executado em condições insalubres não afasta o direito de recebimento do respectivo adicional.(OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) A respeito do salário utilidade ou in natura. trabalhado ou não. mediante a utilização de aparelhos protetores aprovados pelo Ministério do Trabalho e Emprego. durante esse período. assinale a opção correta. a) A conta vinculada do trabalhador no FGTS não poderá ser movimentada em caso de despedida indireta. visto que não têm contato direto com o combustível. de veículo ao empregado. b) É devido o recolhimento do FGTS sobre os valores pagos a título de aviso prévio.(OAB/CESPE – 2009/2º EXAME) No que se refere ao adicional de periculosidade e ao adicional de insalubridade. d) Os trabalhadores autônomos são beneficiários do FGTS. o que deixará de ocorrer quando o veículo for também utilizado para atividades particulares do empregado. c) Os valores referentes ao FGTS podem ser pagos diretamente ao empregado. d) O fornecimento. quando indispensável à realização do trabalho. pela empresa. 270. . c) Frentistas que operam bombas de gasolina não fazem jus ao adicional de periculosidade. assinale a opção correta. a) O fornecimento de cigarro por indústria tabagista ao empregado que nela trabalhe é considerado salário in natura. b) A energia fornecida por empresa de energia elétrica ao empregado que nela trabalhe possui natureza salarial em qualquer situação. quer tenha o empregado. c) A habitação fornecida ao empregado. não tem natureza salarial. 269.268.

00 pela reclamada. o juiz deverá decidir de plano. mais a multa.00. No procedimento sumaríssimo. mais a multa de 50%. ainda. Conforme a CLT. (B) da parcela vencida. com vencimento em 25/08/07. conexão e coisa julgada. pactuado na hipótese de inadimplência 50% de multa. admite-se uma tolerância de 15 minutos após a hora marcada para o início da audiência. no caso de não (A) comparecer o reclamante. (A) litispendência. terá início a execução pelo valor (A) da parcela vencida. Vencida a primeira parcela e não se verificando o pagamento. (C) compensação e retenção. (E) comparecer o secretário da Vara doTrabalho. devendo aguardar-se o término do prazo avençado para cumprimento do acordo. O acordo foi devidamente homologado. 49) (TRT – 11º Região – Juiz do Trabalho Substituto – agosto/2007 – FCC). (E) total do acordo. em quatro parcelas iguais de R$ 2. tendo sido. 50) (TRT – 11º Região – Juiz do Trabalho Substituto – agosto/2007 – FCC). sem multas. (B) prescrição e decadência. Em determinada ação trabalhista. (E) compensação e coisa julgada. ajustando na transação o pagamento de R$ 10. (B) comparecerem os procuradores. . as partes se compõem. (C) comparecerem as partes.500. (D) total da conciliação. mais 50% de multa sobre a parcela. acrescida da multa de 50%. mais multa de 50% sobre tais parcelas.48) (TRT – 11º Região – Juiz do Trabalho Substituto – agosto/2007 – FCC). para ato contínuo expedir mandado executório. (D) prescrição e litispendência. 25/09/07. 25/10/07 e 25/11/07. (C) das parcelas vencidas até a data da assinatura do mandato executório.000. mais parcelas vincendas. (D) comparecer o juiz.

outorgados ao advogado que subscreve o recurso. é pressuposto do recurso (A) a existência de omissão. (C) opor exceção de nulidade. (B) apenas a empregadora é responsável. da Constituição Federal. (E) argüir preliminar de carência de ação. social ou jurídica. por força do artigo 37. II. Conforme o entendimento sumulado pelo TST. é correto afirmar quanto às obrigações trabalhistas do reclamante que (A) ambas são responsáveis solidárias. na hipótese de um empregado desta empresa terceirizada ingressar com reclamação trabalhista em face da empregadora e em face do Município. . Estando o reclamante representado por advogado e pretendendo este recorrer ordinariamente da sentença. política. A reclamada em defesa deverá (A) opor exceção de coisa julgada. (D) a transcendência da matéria com relação aos reflexos gerais de natureza econômica. obscuridade ou contradição na sentença. (B) argüir preliminar de coisa julgada. (C) a empregadora é responsável principal e o Município é responsável subsidiário. (D) argüir litigância de má-fé. (B) a existência de procuração ou substabelecimento válidos. O Município contrata regularmente serviço de vigilância de empresa prestadora de serviços. a reclamada verifica que está sendo repetido pedido de horas extras já decidido por sentença da qual não cabe mais nenhum recurso. 53) (TRT – 11º Região – Juiz do Trabalho Substituto – agosto/2007 – FCC). (E) a demolição justificada das matérias impugnadas. Ao ser citada para contestar uma reclamação trabalhista ajuizada por ex-empregado.51) (TRT – 11º Região – Juiz do Trabalho Substituto – agosto/2007 – FCC). (C) o pagamento do depósito recursal. 52) (TRT – 11º Região – Juiz do Trabalho Substituto – agosto/2007 – FCC).

(C) poderá ser da Justiça do Trabalho. sendo relativa e. Nessa situação. (C) não merece acolhida a preliminar suscitada. (B) poderá ser da Justiça do Trabalho ou da Justiça Federal. Pretende o Ministério Público do Trabalho ajuizar Ação Civil Pública em virtude de fraude na contratação. O valor arrecadado seria destinado ao incremento dos serviços médico e odontológico prestados pelo sindicato profissional. (E) não poderá ser da Justiça do Trabalho. pela União.(D) apenas o Município é responsável. embora não haja conflito direto entre trabalhadores e empregadores. não podendo ser decretada de ofício. (D) poderá ser da Justiça do Trabalho ou da Justiça Estadual. prorrogável. da Constituição Federal. a critério do sindicato autor. por isso. Várias das empresas descumpriram o pactuado.00 por empregado que trabalhasse aos domingos. II. é correto afirmar que (A) a preliminar deve ser rejeitada. no mês de dezembro de 2006. da Justiça Estadual ou da Justiça Federal. deve ser argüida pela parte a quem aproveita. pois a competência ratione loci é da Justiça do Trabalho. ficou estabelecido que as empresas representadas deveriam pagar. A União apontou. (E) essa incompetência. (B) a competência para instruir e julgar o feito é da Justiça Federal. Por força de previsão inserta em convenção coletiva de trabalho. pois a competência material é da Justiça do Trabalho. a incompetência da Justiça do Trabalho requerendo a remessa dos autos para a Justiça Federal comum. ao sindicato profissional. por força do artigo 37. a critério do sindicato autor. a importância de R$ 10. . (D) não merece acolhida a preliminar suscitada. a critério do sindicato autor. o que motivou o ajuizamento de diversas ações pelo sindicato profissional. a competência para solucionar esses conflitos (A) será sempre da Justiça do Trabalho. 55) (TRT – 11º Região – Juiz do Trabalho Substituto – agosto/2007 – FCC). pois a incompetência deve ser argüida mediante exceção. (E) o Município é responsável principal e a empregadora é responsável subsidiária. devendo ser acolhida a preliminar. Considerada essa situação hipotética. uma vez que não há conflito entre empregado e empregador. e sim entre pessoas jurídicas. 54) (TRT – 11º Região – Juiz do Trabalho Substituto – agosto/2007 – FCC). de cooperativa de trabalhadores para os serviços de limpeza e conservação em prédios públicos. em preliminar.

(C) O reclamante poderá interpor. Distribuída a ação trabalhista para uma das Varas do Trabalho de Manaus (11a Região). III e IV. II. IV. . 57) (TRT/MT – 23º Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – junho/2007 – FCC). O juiz providenciará para que o depoimento de uma testemunha não seja ouvido pelas demais que tenham de depor no processo. A testemunha que for parente em terceiro grau civil de qualquer das partes. recurso ordinário para que o Tribunal Regional do Trabalho da 15a Região reexamine a questão da competência em razão do lugar. Está correto o que se afirma APENAS em (A) (B) (C) II e III. II e IV. A respeito da prova testemunhal. desde logo. cada uma das partes poderá indicar até três testemunhas. (E) A incompetência em razão do lugar deve ser apontada em preliminar. salvo quando se tratar de inquérito. mas forem dispensadas em razão de acordo. desde logo. recurso ordinário para que o Tribunal Regional do Trabalho da 11a Região reexamine a questão da competência em razão do lugar. Em regra. caso em que esse número poderá ser elevado para seis. considere: I. (D) Não poderia o juiz ter acolhido a exceção de incompetência em razão do lugar. (B) O reclamante só poderá atacar a questão da competência por ocasião do recurso interposto contra a decisão final. e seu depoimento valerá como simples informação. sendo admissível sua prorrogação. III. e não sob a forma de exceção. II. é correto afirmar: (A) O reclamante poderá interpor. o reclamado apresentou exceção de incompetência em razão do lugar. pois não se admite o recurso imediato contra as decisões interlocutórias. acolhida pelo Juiz.56) (TRT – 11º Região – Juiz do Trabalho Substituto – agosto/2007 – FCC). Considerada essa situação hipotética e o entendimento sumulado pelo Tribunal Superior do Trabalho. na própria contestação. As testemunhas sofrerão desconto pelas faltas ao serviço ocasionadas pelo seu comparecimento para depor quando tiverem sido arroladas para a audiência. pois essa espécie de competência é relativa. que determinou a remessa dos autos para uma das Varas do Trabalho de Jundiaí (15a Região). não prestará compromisso.

957/2000. implica (A) (B) (C) (D) (E) no arquivamento da reclamação. com imposição de multa. será adotado nos dissídios (A) coletivos. apenas por escrito. (B) individuais em que for parte a Administração Pública direta. De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho. sem qualquer sanção. (C) individuais cujo valor não exceda a quarenta vezes o salário mínimo vigente na data do ajuizamento da reclamação. II e IV. na designação de nova audiência. pessoalmente. a reclamação poderá ser apresentada pelos empregados (A) (B) (C) (D) (E) somente através de advogado ou do sindicato da classe. no prosseguimento da reclamação.(D) (E) I. sem motivo relevante. 59) (TRT/MT – 23º Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – junho/2007 – FCC). cujo valor não exceda a trinta vezes o salário mínimo vigente na data do ajuizamento. O NÃO comparecimento do reclamante à audiência. na designação de nova audiência. no julgamento imediato em favor do reclamado. com a presença de seu advogado. nos dissídios individuais. através de qualquer colega de trabalho. 58) (TRT/MT – 23º Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – junho/2007 – FCC). I e III. . somente através de advogado. O procedimento sumaríssimo no processo trabalhista. previsto pela Lei no 9. 60) (TRT/MT – 23º Região – Técnico Judiciário – Área Administrativa – junho/2007 – FCC).

. 61) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – junho/2007 – FCC). individuais que. a devolvê-la. ao Tribunal de origem.(D) (E) individuais ajuizados contra autarquia ou fundação mantida pelo poder público. no prazo de 5 dias. Considere as seguintes assertivas a respeito das nulidades: I. II e IV. as quais deverão argüi-las à primeira vez em que tiverem de falar em audiência ou nos autos. terminarão no primeiro dia útil seguinte. Considere as seguintes assertivas a respeito dos atos e prazos processuais: I. III e IV. III. o Correio ficará obrigado. Em regra. tenham pedido certo ou determinado. as nulidades não serão declaradas senão mediante provocação das partes. sob pena de responsabilidade do servidor. os prazos processuais são contínuos e irreleváveis. sendo que os prazos que se vencerem em sábado. Em regra. domingo ou dia feriado. De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho é correto o que se afirma APENAS em (A) (B) (C) (D) (E) I e III. A penhora poderá realizar-se em domingo ou dia feriado. 62) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – junho/2007 – FCC). no caso de recusa de recebimento. mediante autorização expressa do juiz. independentemente de valor. IV. correndo ininterruptamente. III e IV. I. Tratando-se de notificação postal. I. Os prazos processuais contam-se com inclusão do dia do começo e exclusão do dia do vencimento. I e II. II. II.

III e IV. (C) Apresentada a exceção de incompetência. devendo a decisão ser proferida na primeira audiência ou sessão que se seguir. IV. A nulidade do ato não prejudicará senão os posteriores que dele dependam ou sejam conseqüência. as exceções de suspeição ou incompetência. II e III. (D) O juiz é obrigado a dar-se por suspeito. serão considerados nulos os atos decisórios. nesse caso. II. 63) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – junho/2007 – FCC). com suspensão do feito. III. (B) Em regra. somente podem ser opostas. quando tiver parentesco por consangüinidade ou afinidade até o quarto grau civil à pessoa dos litigantes. (E) Nas causas da jurisdição da Justiça do Trabalho. das decisões sobre exceções de suspeição e incompetência. I. . A nulidade deverá ser pronunciada. inclusive quando argüida por quem lhe tiver dado causa. II e IV. II e III. caberá recurso.II. I. para instrução e julgamento da exceção. Com relação às exceções é correto afirmar: (A) Apresentada a exceção de suspeição. o juiz ou Tribunal designará audiência dentro de 10 dias. e pode ser recusado. De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho está correto o que consta APENAS em (A) (B) (C) (D) (E) I e II. abrir-se-á vista dos autos ao exceto. que deverá ser interposto no prazo de 5 dias. A nulidade fundada em incompetência de foro deverá ser declarada ex officio e. por 5 dias improrrogáveis.

será obrigatoriamente nomeado em juízo um curador. na falta destes. é correto afirmar: (A) Cada uma das partes poderá arrolar até três testemunhas. (C) será nomeado em juízo um curador.957/2000. que possuirá a legitimidade exclusiva substitutiva dos representantes legais. (C) (D) A sentença prescinde de fundamentação. (B) pela Procuradoria da Justiça do Trabalho e pelo Ministério Público estadual detentores da legitimidade exclusiva. . (A) pelo sindicato representante da categoria do reclamante e. (B) Em regra. por expressa determinação legal. pelo sindicato. que comparecerão à audiência independentemente de intimação. 66) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – junho/2007 – FCC). comprovadamente convidada. na falta deste.64) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – junho/2007 – FCC). respectivamente de conciliação. pelo Ministério Público estadual ou curador nomeado em juízo. (D) pelo Ministério Público estadual ou curador nomeado em juízo detentores da legitimidade exclusiva. por expressa determinação legal. Nas reclamações trabalhistas sujeitas a esse tipo de procedimento não caberá recurso. (E) As demandas que o adotarem serão instruídas e julgadas em três audiências. De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho. deixar de comparecer. mas deverá conter minucioso relatório do processo. A reclamação trabalhista do menor de 18 anos será feita por seus representantes legais e. A respeito do procedimento sumaríssimo previsto na Lei no 9. a nulidade fundada em incompetência de foro deverá ser (A) argüida obrigatoriamente pelas partes até a prolação de sentença sob pena de preclusão. (E) pela Procuradoria da Justiça do Trabalho. 65) (TRT/MT – 23º Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – junho/2007 – FCC). instrução e julgamento. por expressa determinação legal. só será deferida intimação de testemunha que.

no máximo. (C) argüida pelas partes através de exceção sob pena de preclusão. por expressa determinação legal. (C) 2010. Os Tribunais Regionais do Trabalho compõem-se de. . (D) 2007. serão considerados nulos os atos decisórios. IV. (E) 2007. reclamando verbas do biênio anterior à data da propositura da ação. reclamando verbas do biênio anterior à data da propositura da ação. reclamando verbas do qüinqüênio anterior à data da propositura da ação. nomeados pelo Presidente da República. Considere as afirmativas abaixo: I. uma vez há vedação expressa em lei neste sentido. por expressa determinação legal. mas o processo não será suspenso. a jurisdição será exercida por colegiado de Câmaras. III. 67) (MPU – Técnico – Área Administrativa – fev/2007 – FCC). 68) (TRT – 4ª Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – ago/2006 – FCC). (B) 2010. reclamando verbas do qüinqüênio anterior à data da propositura da ação. Um empregado trabalhou de 15 de janeiro de1996 a28 de outubro de 2005. dentre brasileiros natos com mais de trinta e cinco e menos de sessenta e cinco anos de idade. decorrentes da relação de trabalho. sete juízes. um juiz do trabalho será indicado pelo Tribunal Superior do Trabalho. Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar as ações de indenização por dano moral ou patrimonial. II. Considerando a prescrição. poderá ajuizar reclamação trabalhista até 28 de outubro de (A) 2010. (E) argüida obrigatoriamente pelas partes até o encerramento da audiência de instrução sob pena de preclusão. Dentre os membros que compõem o Conselho Nacional de Justiça.(B) argüida obrigatoriamente pelas partes em contestação sob pena de preclusão. (D) declarada ex officio e nesse caso. Nas Varas do Trabalho. reclamando verbas de todo o contrato de trabalho.

(C) seja primo de uma das partes. (B)) seja inimigo de qualquer uma das partes. 69) (TRT – 4ª Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – ago/2006 – FCC). . (B) I e IV.É correto o que se afirma APENAS em (A) II e III. (D) I.II e IV. (B) a Corte Superior de Recursosem Matéria Administrativae a Escola Nacional de Magistrados do Trabalho. III e IV. (E) a Corte Superior de Recursosem Matéria Administrativae o Serviço Superior de Preparação de Concursos para Magistrados do Trabalho. (D) a Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Servidores do Trabalho e o Conselho Federal da Justiça do Trabalho. (E) II. (C)) I e III. 70) (TRT – 4ª Região – Analista Judiciário – Área Administrativa – ago/2006 – FCC). (C) o Serviço Superior de Preparação de Concursos para Magistrados do Trabalho e a Corte Nacional de Recursosem Matéria Administrativa. Vale como simples informação o depoimento da testemunha que (A) preste ou tenha prestado serviços à reclamada. Funcionam junto ao Tribunal Superior do Trabalho: (A)) a Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados do Trabalho e o Conselho Superior da Justiça do Trabalho.

(D)) suspeição ou incompetência.Considere as afirmativas abaixo: I. (E) inépcia ou coisa julgada. a União. Tratando-se de empregado que não tenha obtido o benefício da justiça gratuita. o Distrito Federal.(D) não tenha presenciado os fatos alegados. os Municípios e respectivas autarquias e fundações públicas federais. (C)) I e II. estaduais ou municipais que não explorem atividade econômica são isentos do pagamento de custas.Suspende o andamento do processo a argüição de exceção de (A) retenção ou compensação. (C) ilegitimidade de parte. O Ministério Público do Trabalho. 72) (TRT – 4ª Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – ago/2006 – FCC). (B) II. (B) prescrição ou litispendência. ou isenção de custas. II. Os emolumentos serão suportados pelo vencido e serão pagos ao final da execução. (E) tenha entre 16 e 18 anos de idade. . o sindicato que houver intervindo no processo responderá solidariamente pelo pagamento das custas devidas. III. 71) (TRT – 4ª Região – Analista Judiciário – Execução de Mandados – ago/2006 – FCC). É correto APENAS o que consta em (A) I. os Estados.

(E) II e III.(D) I e III. .