P. 1
NBR 10004 - Resíduos sólidos

NBR 10004 - Resíduos sólidos

|Views: 1.792|Likes:
Publicado porJersé Messias

More info:

Published by: Jersé Messias on Jul 28, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/21/2013

pdf

text

original

Cópia não autorizada

SET 1987

NBR 10004

Resíduos sólidos
ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas
Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (021) 210 -3122 Fax: (021) 220-1762/220-6436 Endereço Telegráfico: NORMATÉCNICA

Classificação Origem: ABNT- 01:063.02-001/1986 CEET - Comissão de Estudo Especial Temporária de Meio Ambiente CE-01.603.02 - Comissão de Estudo de Amostragem, Ensaios e Classificação de Resíduos Industriais Palavras-chave: Resíduo. Resíduo sólido 48 páginas

Copyright © 1987, ABNT–Associação Brasileira de Normas Técnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

1 Objetivo
1.1 Esta Norma classifica os resíduos sólidos quanto aos seus riscos potenciais ao meio ambiente e à saúde pública, para que estes resíduos possam ter manuseio e destinação adequados.
Nota: Os resíduos radioativos não são objeto desta Norma, pois são de competência exclusiva da Comissão Nacional de Energia Nuclear.

3 Definições
Para os efeitos desta Norma são adotadas as definições de 3.1 a 3.5. 3.1 Resíduos sólidos Resíduos nos estados sólido e semi-sólido, que resultam de atividades da comunidade de origem: industrial, doméstica, hospitalar, comercial, agrícola, de serviços e de varrição. Ficam incluídos nesta definição os lodos provenientes de sistemas de tratamento de água, aqueles gerados em equipamentos e instalações de controle de poluição, bem como determinados líquidos cujas particularidades tornem inviável o seu lançamento na rede pública de esgotos ou corpos de água, ou exijam para isso soluções técnica e economicamente inviáveis em face à melhor tecnologia disponível. 3.2 Periculosidade de um resíduo Característica apresentada por um resíduo, que, em função de suas propriedades físicas, químicas ou infectocontagiosas, pode apresentar: a) risco à saúde pública, provocando ou acentuando, de forma significativa, um aumento de mortalidade ou incidência de doenças; e/ou b) riscos ao meio ambiente, quando o resíduo é manuseado ou destinado de forma inadequada.

2 Documentos complementares
Na aplicação desta Norma é necessário consultar: NBR 10005 - Lixiviação de resíduos - Procedimento NBR 10006 - Solubilização de resíduos - Procedimento NBR 10007 - Amostragem de resíduos - Procedimento ASTM D 93 - Flash point by pensky martens closed tester NACE TM-01-69 - Laboratory corrosion testing of metals for the process industries - Test method

Cópia não autorizada

2

NBR 10004/1987

3.3 DL50 (oral, ratos) Dose letal para 50% da população dos ratos testados quando administrados por via oral. 3.4 CL50 (concentração letal 50) Concentração de uma substância que, quando administrada por via respiratória, acarreta a morte de 50% da população exposta. 3.5 DL50 (dérmica, coelhos)

obtida segundo a NBR 10007, apresentar uma das seguintes propriedades: a) ser aquosa e apresentar pH inferior ou igual a 2, ou superior ou igual a 12,5; b) ser líquida e corroer o aço (SAE 1020) a uma razão maior que 6,35 mm ao ano, a uma temperatura de 55°C, de acordo com o método NACE (National Association Corrosion Engineers) TM-01-69 ou equivalente.
4.1.3 Reatividade

Dose letal para 50% da população de coelhos testados quando administrados em contato com a pele.

4 Classes dos resíduos
Para os efeitos desta Norma, os resíduos são classificados em: a) resíduos classe I - perigosos;

Um resíduo é caracterizado como reativo (código de identificação D003) se uma amostra representativa, dele obtida segundo a NBR 10007, apresentar uma das seguintes propriedades: a) ser normalmente instável e reagir de forma violenta e imediata, sem detonar; b) reagir violentamente com a água;

b) resíduos classe II - não-inertes; c) resíduos classe III - inertes.
Nota: Quando as características de um resíduo não puderem ser determinadas nos termos desta Norma, por motivos técnicos ou econômicos, a classificação deste resíduo caberá aos órgãos estaduais ou federais de controle da poluição e preservação ambiental.

c) formar misturas potencialmente explosivas com a água; d) gerar gases, vapores e fumos tóxicos em quantidades suficientes para provocar danos à saúde ou ao meio ambiente, quando misturados com a água; e) possuir em sua constituição ânions, cianeto ou sulfeto, que possa, por reação, liberar gases, vapores ou fumos tóxicos em quantidades suficientes para colocar em risco a saúde humana ou o meio ambiente; f) ser capaz de produzir reação explosiva ou detonante sob a ação de forte estímulo, ação catalítica ou da temperatura em ambientes confinados; g) ser capaz de produzir, prontamente, reação ou decomposição detonante ou explosiva a 25°C e 0,1 MPa (1 atm); h) ser explosivo, definido como uma substância fabricada para produzir um resultado prático, através de explosão ou de efeito pirotécnico, esteja ou não esta substância contida em dispositivo preparado para este fim.
4.1.4 Toxicidade

4.1 Resíduos classe I - Perigosos São aqueles que apresentam periculosidade, conforme definido anteriormente, ou uma das características seguintes.
4.1.1 Inflamabilidade

Um resíduo será caracterizado como inflamável (código de identificação D001) se uma amostra representativa, dele obtida conforme a NBR 10007, apresentar qualquer uma das seguintes propriedades: a) ser líquida e ter ponto de fulgor inferior a 60°C, determinado conforme ASTM D 93, excetuandose as soluções aquosas com menos de 24% de álcool em volume; b) não ser líquida e ser capaz de, sob condições de temperatura e pressão de 25°C e 0,1 MPa (1 atm), produzir fogo por fricção, absorção de umidade ou por alterações químicas espontâneas e, quando inflamada, queimar vigorosa e persistentemente, dificultando a extinção do fogo; c) ser um oxidante definido como substância que pode liberar oxigênio e, como resultado, estimular a combustão e aumentar a intensidade do fogo em outro material.
4.1.2 Corrosividade

Um resíduo é caracterizado como tóxico se uma amostra representativa, dele obtida segundo a NBR 10007, apresentar uma das seguintes propriedades: a) possuir quando testada, uma DL50 oral para ratos menor que 50 mg/kg ou CL50 inalação para ratos menor que 2 mg/L ou uma DL50 dérmica para coelhos menor que 200 mg/kg; b) quando o extrato obtido desta amostra, segundo a NBR 10005, contiver qualquer um dos contaminantes em concentrações superiores aos valores

Um resíduo é caracterizado como corrosivo (código de identificação D002) se uma amostra representativa, dele

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

3

constantes na listagem nº 7 (ver Anexo G). Neste caso, o resíduo será caracterizado como tóxico TL (teste de lixiviação, com código de identificação D005 a D029);
Nota: Outros testes de lixiviação podem ser utilizados para fins de classificação, desde que previamente acordados com o órgão estadual de controle ambiental.

4.1.5.2 Não se incluem neste item os resíduos sólidos do-

miciliares e aqueles gerados nas estações de tratamento de esgotos domésticos.
Notas: a) Os resíduos reconhecidamente perigosos constam nas listagens nºs 1 e 2 (ver Anexos A e B). b) Os constituintes perigosos - base para relação dos resíduos e produtos das listagens nºs1 e 2 - estão relacionados no Anexo C. c) Se o gerador de resíduos listados nos Anexos A e B demonstrar que o seu resíduo, em particular, não apresenta as características de periculosidade conforme especificada acima, nesse caso o órgão estadual de controle ambiental poderá, a seu critério, alterar sua classificação. d) Na listagem nº 9 (ver Anexo I) são apresentadas as concentrações máximas de poluentes na massa bruta de resíduo, que são utilizadas pelo Ministério do Meio Ambiente - França - para classificação de resíduos, Estes valores podem ser usados como parâmetros indicativos para classificação de um resíduo como perigoso. e) Não se aplicam testes de lixiviação e/ou de solubilização aos resíduos que contenham componentes voláteis. Para definição da periculosidade de tais resíduos (com códigos de identificação de C001 a C009), a listagem nº 10 (ver Anexo J) fornece a concentração mínima para caracterizá-los como perigosos.

c) possuir uma ou mais substâncias constantes na listagem nº 4 (ver Anexo D) e apresentar periculosidade. Para avaliação desta periculosidade, devem ser considerados os seguintes fatores: - natureza da toxidez apresentada pelo resíduo; - concentração do constituinte no resíduo; - potencial que o constituinte, ou qualquer produto tóxico de sua degradação, tem de migrar do resíduo para o ambiente, sob condições impróprias de manuseio; - persistência do constituinte ou de qualquer produto tóxico de sua degradação; - potencial que o constituinte, ou qualquer produto tóxico de sua degradação, tem de se degradar em constituintes não perigosos, considerando a velocidade em que ocorre a degradação; - extensão em que o constituinte, ou qualquer produto tóxico de sua degradação, é capaz de bioacumulação nos ecossistemas; d) ser constituída por restos de embalagens contaminadas com substâncias da listagem nº 5 (ver Anexo E, com códigos de identificação de 001 a P123); e) resíduos de derramamento ou produtos fora de especificação de qualquer substâncias constantes nas listagens números 5 e 6 (ver Anexos E e F, com códigos de identificação de P001 a P123 ou 001 a U246).
4.1.5 Patogenicidade 4.1.5.1 Um resíduo é caracterizado como patogênico (có-

4.2 Resíduos classe II - Não-inertes São aqueles que não se enquadram nas classificações de resíduos classe I - perigosos - ou de resíduos classe III - inertes, nos termos desta Norma. Os resíduos classe II não-inertes - podem ter propriedades, tais como: combustibilidade, biodegradabilidade ou solubilidade em água. 4.3 Resíduos classe III - Inertes Quaisquer resíduos que, quando amostrados de forma representativa, segundo a NBR 10007, e submetidos a um contato estático ou dinâmico com água destilada ou deionizada, à temperatura ambiente, conforme teste de solubilização, segundo a NBR 10006, não tiverem nenhum de seus constituintes solubilizados a concen-trações superiores aos padrões de potabilidade de água, conforme listagem nº 8 (ver Anexo H), excetuando-se os padrões de aspecto, cor, turbidez e sabor. Como exemplo destes materiais, podem-se citar rochas, tijolos, vidros e certos plásticos e borrachas que não são decompostos prontamente.

digo de identificação D004) se uma amostra representativa, dele obtida segundo a NBR 10007, contiver microorganismos ou se suas toxinas forem capazes de produzir doenças.

/ANEXO A

Cópia não autorizada

4

NBR 10004/1987

ANEXO A - Listagem nº 1 - Resíduos perigosos de fontes não-específicas
Indústria Código do resíduo perigoso F001 Resíduo perigoso Código de periculosidade (T)

Genérica

Os seguintes solventes halogenados gastos, utilizados em desengraxe: tetracloroetileno, tricloroetileno, cloreto de metileno, 1, 1, 1 - tricloroetano, tetracloreto de carbono e fluorocarbornetos clorados, além de lamas provenientes da recuperação destes solventes Os seguintes solventes halogenados gastos: tetracloroetileno, cloreto de metileno, tricloroetileno, 1, 1, 1 - tricloroetano, clorobenzeno, 1, 1, 2 - tricloro 1, 2, 2 - trifluoretano, ortodiclorobenzeno, triclorofluormetano e resíduo de fundo da recuperação destes solventes Os seguintes solventes não halogenados gastos: xileno, acetona, acetato de etila, etilbenzeno, éter etílico, metilisobutilcetona, n-butilálcool, cicloexanona e metanol, além de resíduo de fundo de coluna da recuperação destes solventes Os seguintes solventes não halogenados gastos: cresóis e ácido cresílico; nitrobenzeno e resíduo de fundo de coluna da recuperação destes solventes Os seguintes solventes não halogenados gastos: tolueno, metiletilcetona, dissulfeto de carbono, isobutanol, piridina e resíduo de fundo de coluna proveniente da recuperação destes solventes Lodos de tratamento de águas residuárias, provenientes de operações de eletrodeposição, exceto os originários dos seguintes processos: (1) anodização do alumínio com ácido sulfúrico; (2) estanhagem do aço-carbono; (3) zincagem (bases segregadas) do aço-carbono; (4) revestimento de alumínio ou zinco-alumínio no aço-carbono; (5) operações de limpeza/extração associadas com revestimentos de estanho, zinco e alumínio do aço carbono; (6) fresagem e estampagem química de alumínio Soluções exauridas de banho de tratamento superficial com cianeto proveniente de operações de eletrodeposição (exceto soluções exauridas que contêm cianetos provenientes da eletrodeposição de metais preciosos) Lodos de fundo de tanque de banhos de tratamento superficial provenientes de operações de eletrodeposição onde os cianetos são utilizados no processo (exceto lodos de banho de tratamento superficial com metais preciosos por eletrodeposição) Soluções exauridas de banhos de extração e limpeza provenientes de operações de eletrodeposição, onde os cianetos são utilizados no processo (exceto soluções exauridas dos banhos de extração e limpeza da eletrodeposição com metais preciosos) Lodos de banho de têmpera provenientes de banhos de óleo das operações de tratamento térmico de metais dos processos, onde são utilizados cianetos (exceto lodos de banho de têmpera no tratamento térmico de metais preciosos)

F002

(T)

F003

(I)

F004

(T)

F005

(I, T)

F006

(T)

F007

(R, T)

F008

(R, T)

F009

(R, T)

F010

(R, T)

/continua

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

5

/continuação Indústria Código do resíduo perigoso F011 Resíduo perigoso Código de periculosidade (R, T)

Soluções de cianeto exauridas provenientes da limpeza do cadinho de banho salino das operações de tratamento térmico de metais (exceto soluções exauridas do tratamento térmico de metais preciosos provenientes da limpeza de cadinhos de banhos salinos) Lodos de tratamento de águas residuárias provenientes de banhos de têmpera das operações de tratamento térmico de metais dos processos onde os cianetos são utilizados (exceto lodos de tratamento de águas residuárias provenientes de banhos de têmpera no tratamento térmico de metais preciosos) Sedimentos de fundo de lagoa de descarga do tratamento de águas residuárias da cianetação das operações de extração de metais de minérios Soluções exauridas de banhos, que contêm cianeto provenientes das operações de extração de metais de minérios Resíduos e lodos de tinta da pintura industrial Lodos do sistema de tratamento de águas residuárias da pintura industrial Lodos de tratamento de águas residuárias do revestimento do alumínio por conversão química Resíduos (exceto águas residuárias e carvão gasto na purificação do ácido clorídrico) da produção ou uso (como reagente), intermediário ou componente de tri ou tetraclorofenol ou de intermediários usados para produzir seus biocidas derivados, exceto os resíduos da produção de hexacloropreno a partir de 2,4,5 triclorofenol Resíduos da produção ou uso (como reagente, intermediário ou componente) do pentaclorofenol ou de intermediários usados para produzir seus derivados, exceto águas residuárias e carvão gasto na purificação do ácido clorídrico Resíduos do uso (como reagente, intermediário ou componente) do tetra, penta ou hexaclorobenzeno sob condições alcalinas, exceto águas residuárias e carvão gasto na purificação do ácido clorídrico Resíduos (exceto águas residuárias e carvão gasto na purificação do ácido clorídrico) da produção de materiais em equipamentos usados previamente para a produção ou uso (como reagente, intermediário ou componente) do tri e tetraclorofenol, exceto resíduos de equipamento usado somente para a produção ou uso de hexacloropreno quando feito a partir de 2,4,5 triclorofenol

F012

(T)

F014

(T)

F015

(R, T)

F017 F018

(T) (T)

F019

(T)

F020

(E)

F021

(E)

F022

(E)

F023

(E)

/continua

Cópia não autorizada

6

NBR 10004/1987

/continuação Indústria Código do resíduo perigoso F024 Resíduo perigoso Código de periculosidade (T)

Resíduos da produção de hidrocarbonetos alifáticos clorados que possuam de um a cinco carbonos, utilizando processo de radicais livres catalisados, incluindo, mas não se limitando a resíduos de destilação, fundos de coluna, alcatrões e resíduos da limpeza de reator, exceto os citados no Anexo B - Listagem nº 2 Resíduos da produção de materiais em equipamentos usados previamente para o uso (como reagente, intermediário ou componente) de tetra, penta ou hexaclorobenzeno sob condições alcalinas, exceto águas residuárias e carvão gasto na purificação de ácido clorídrico Resíduos de formulações nao usadas contendo tri, tetra ou pentaclorofenol ou aquelas que contêm compostos derivados destes clorofenóis, exceto formulações contendo hexacloropreno sintetizado de 2, 4, 5 triclorofenol Resíduos resultantes da incineração ou tratamento térmico de solo contaminado com resíduos F020, F021, F022, F023, F026 ou F027 Óleo usado incluindo os de uso lubrificante (motores, engrenagens e turbinas), com fluido hidráulico (incluindo aquele usado em transmissão), no trabalho com metais (incluindo para corte, polimento, usinagem, estampagem, resfriamento e cobertura) e óleo usado em isolação ou na refrigeração em que seja contaminado Fluidos dielétricos à base de bifenilas policloradas

F026

(E)

F027

(E)

F028

(T)

F030

(T)

F100
Nota: T - Tóxico I - lnflamável R - Reativo E - Altamente tóxico

(T)

/ANEXO B

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

7

ANEXO B - Listagem nº 2 - Resíduos perigosos de fontes específicas
Indústria Código do resíduo perigoso K001 Resíduo perigoso Código de periculosidade (T)

Preservação de madeira

Lodos de sedimentos de fundo do tratamento de águas residuárias de processos de preservação de madeira que utilizam creosoto e/ou pentaclorofenol Lodo do tratamento de águas residuárias da produção de pigmentos laranja e amarelo de cromo Lodo do tratamento de águas residuárias da produção de pigmento laranja de molibdato Lodo de tratamento de águas residuárias da produção de pigmento amarelo de zinco Lodo de tratamento de águas residuárias da produção de pigmento verde de cromo Lodo de tratamento de águas residuárias da produção de pigmento verde de óxido de cromo (anidro e hidratado) Lodo de tratamento de águas residuárias de pigmento azul de ferro Resíduos de fornos da produção de pigmento verde de óxido de cromo Resíduos de fundo de destilação da produção de acetaldeído a partir do etileno

Pigmentos inorgânicos

K002

(T)

K003

(T)

K004

(T)

K005

(T)

K006

(T)

K007

(T)

K008

(T)

Produtos químicos orgânicos

K009

(T)

K010

Frações de destilação da produção de acetaldeído a partir de etileno Corrente de fundo proveniente do “stripper” de resíduos líquidos na produção de acrilonitrila Saída de fundo da coluna de acetonitrila da produção de acrilonitrila Resíduo de fundo da coluna de purificação de acetonitrila da produção de acrilonitrila Resíduo de fundo de coluna de destilação de cloreto de benzila Fração pesada ou resíduos de destilação da produção de tetracloreto de carbono Resíduo de fundo de coluna de purificação na produção de epicloridrina Resíduo de fração pesada de coluna de fracionamento da produção de cloreto de etila Fração pesada de destilação de dicloroetileno da produção desta substância Fração pesada de destilação de cloreto de vinila da produção de monômero de cloreto de vinila

(T)

K011

(T)

K013

(R, T)

K014

(T)

K015

(T)

K016

(T)

K017

(T)

K018

(T)

K019

(T)

K020

(T)

/continua

Cópia não autorizada

8

NBR 10004/1987

/continuação Indústria Código do resíduo perigoso K021 Resíduo perigoso Código de periculosidade (T)

Resíduo de catalisador aquoso de antimônio exaurido da produção de fluorometano Resíduos de fundo de destilação com alcatrões da produção de fenol/acetona a partir do cumeno Resíduos leves de destilação da produção de anidrido ftálico a partir do naftaleno Resíduos de fundo de destilação da produção de anidrido ftálico a partir do naftaleno Resíduos de fundo de destilação da produção de nitrobenzeno pela nitração do benzeno Resíduos de fundo de extrator da produção de metiletilpiridinas Resíduos de destilação e centrifugação da produção de tolueno diisocianato Catalisador exausto do reator de hidrocloração da produção de 1, 1, 1 - tricloroetano Resíduo do extrator a vapor da produção de 1, 1, 1 - tricloroetano Resíduos de fundo de coluna ou fração pesada da produção combinada de tricloroetileno e percloroetileno Fundo de destilação da produção de anilina Fundos de coluna de destilação ou fracionamento da produção de clorobenzenos Resíduos leves de destilação da produção de anidrido ftálico a partir do ortoxileno Resíduos de fundo de destilação de anidrido ftálico a partir do ortoxileno Resíduos de fundo de destilação da produção de 1,1,1 - tricloroetano Fundo de coluna de destilação da fração pesada na produção de 1,1,1 - tricloroetano Resíduos de processo na extração de anilina durante a sua produção Águas residuárias combinadas geradas na produção de nitrobenzeno/anilina Efluente aquoso da limpeza do reator de produto na produção em bateladas de clorobenzeno Águas de lavagem da produção de clorobenzeno

K022

(T)

K023

(T)

K024

(T)

K025

(T)

K026

(T)

K027

(R, T)

K028

(T)

K029

(T)

K030

(T)

K083 K085

(T) (T)

K093

(T)

K094

(T)

K095

(T)

K096

(T)

K102

(T)

K103

(T)

K104

(T)

K105

(T) /continua

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

9

/continuação Indústria Código do resíduo perigoso K031 Resíduo perigoso Código de periculosidade (T)

Pesticidas

Subprodutos na forma de sais gerados na produção de MSMA e ácido cacodílico Lodo de estação de tratamento de águas residuárias da produção de clordano Águas residuárias e água do lavador de gases da cloração do ciclopentadieno da produção de clordano Resíduos sólidos da filtração de hexaclorociclopentadieno da produção de clordano Lodos do tratamento das águas residuárias geradas na produção de creosoto Resíduos de fundo do processo de recuperação do tolueno por destilação da produção de dissulfoton Lodos do tratamento de águas residuárias da produção de dissulfoton Águas residuárias de lavagem e extração da produção de “phorate” Resíduos de torta da filtração de ácido dietilfosforoditióico da produção de “phorate” Lodo do tratamento de águas residuárias da produção de “phorate” Lodo do tratamento de águas residuárias da produção toxafeno Frações pesadas ou resíduos da destilação do tetraclorobenzeno da produção de 2,4,5 - T Resíduo de 2,6 - diclorofenol da produção de 2,4 - D Descarga do extrator a vácuo do clorador de clordano feita durante a sua produção Águas residuárias do processo, sem tratamento, da produção de toxafeno Águas residuárias, sem tratamento, da produção de 2,4 - D Lodos de tratamento de águas residuárias da manufatura e processamento de explosivos Carvão gasto no tratamento das águas residuárias, que contém explosivos Lodos de tratamento de águas residuárias da manufatura, formulação e operações de manuseio de compostos iniciadores à base de chumbo Água rosa/vermelha das operações de TNT

K032

(T)

K033

(T)

K034

(T)

K035

(T)

K036

(T)

K037

(T)

K038

(T)

K039

(T)

K040

(T)

K041

(T)

K042

(T)

K043 K097

(T) (T)

K098

(T)

K099

(T)

Explosivos

K044

(R)

K045

(R)

K046

(T)

K047

(R) /continua

Cópia não autorizada

10

NBR 10004/1987

/continuação Indústria Código do resíduo perigoso K048 Resíduo perigoso Código de periculosidade (T)

Refinação de petróleo

Sobrenadante de separadores tipo DAF, nas indústrias de refino de petróleo Sólidos da emulsão de óleo residual da indústria de refinação de petróleo Lodo da limpeza dos tubos dos trocadores de calor da indústria de refinação de petróleo Lodos dos separadores de óleo de indústrias de refino de petróleo Resíduos que contêm chumbo de fundo de tanque da indústria de refinação de petróleo Lodo ou poeira do sistema de controle de emissão de gases da produção de aço primário em fornos elétricos Banho de decapagem exaurido das operações de acabamento de aço Lodos ou poeira do sistema de controle de emissões da produção de ferrocromo-silício Lodos ou poeira do sistema de controle de emissões da produção de ferrocromo Lodos ou poeira do sistema de controle de emissões da produção de ferromanganês Poeira do sistema de controle de emissão de gases nos fornos Cubilot na fundição de ferro Lodos e lamas do espessamento do “blow down” ácido na produção de cobre primário Sólidos contidos em reservatórios de sistemas de tratamento de emissões de fundição de chumbo primário ou retirados destes reservatórios Lodos do tratamento de águas residuárias ou do “blow down” ácido na produção de zinco primário Lodos ou lamas calcários de anodos eletrolíticos da produção de zinco primário Resíduo da unidade cádmio (óxido de ferro) na produção de zinco primário Lodo ou poeira do sistema de controle de emissão de gases da fusão de chumbo secundário Solução residual da lavagem ácida do lodo ou poeira do sistema de controle de emissão de gases da fusão de chumbo secundário

K049

(T)

K050

(T)

K051

(T)

K052

(T)

Ferro e aço

K061

(T)

K062

(C, T)

K090

(T)

K091

(T)

K092

(T)

K209

(T)

Cobre primário Chumbo primário

K064

(T)

K065

(T)

Zinco primário

K066

(T)

K067

(T)

K068

(T)

Chumbo secundário

K069

(T)

K100

(T)

/continua

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

11

/continuação Indústria Código do resíduo perigoso K071 Resíduo perigoso Código de periculosidade (T)

Química inorgânica

Lama da estação de tratamento dos efluentes do processo de produção de cloro em célula de mercúrio Resíduos de hidrocarbonetos clorados da etapa de purificação do processo de céluIas de diafragma usando anodos de grafita na produção do cloro Lodos de tratamento de águas residuárias na produção de pigmento de TiO2 com minérios que contêm cromo pelo processo de cloretos Lodo de tratamento de águas residuárias do processo de células de mercúrio na produção de cloro Resíduo de limpeza com solvente na fabricação de tintas Resíduo de limpeza com água ou materiais cáusticos na fabricação de tintas Lodos de tratamento de águas residuárias da produção de tintas Lodo ou poeira do controle de emissões de gases da produção de tintas Lodos e lavagens com solvente, lodos e lavagens alcalinas, ou lodos e lavagens aquosas da limpeza de tubulações e equipamentos usados na formulação de tintas a partir de pigmentos, secantes, sabões e/ou estabilizantes contendo cromo ou chumbo Lodos do tratamento de águas residuárias geradas durante a produção de produtos farmacêuticos veterinários a partir de compostos arsenicais ou organoarsenicais Resíduos de fundo da destilação de compostos à base de anilina na obtenção de produtos farmacêuticos veterinários de compostos arsenicais ou organoarsenicais Resíduos do uso de carvão ativo para descoloração na produção de produtos veterinários à base de arsênico e organoarsenicais Resíduos dos laboratórios de pesquisa de doenças Resíduo de carvão ativo utilizado para descoloração na produção de compostos arsenicais ou organoarsenicais Lodo calcário que contém amônia do resíduo de fundo das operações de coqueificação Lodo de alcatrão do tanque de decantação utilizado no sistema de tratamento de gases de coqueria Resíduo de lavagem ácida do benzeno, originário da destilação do alcatrão de coque

K073

(T)

K074

(T)

K106

(T)

Fabricação de tintas

K078

(I, T)

K079

(T)

K081

(T)

K082

(T)

K086

(T)

Produtos farmacêuticos e veterinários

K084

(T)

K101

(T)

K102

(T)

K203 K205

(P) (T)

Coqueificação

K060

(T)

K087

(T)

K206

(C, T) /continua

Cópia não autorizada

12

NBR 10004/1987

/continuação Indústria Código do resíduo perigoso K088 K200 Resíduo perigoso Código de periculosidade (T) (T)

Alumínio primário

Catodos exauridos da redução de alumínio primário Resíduo do desmonte das cubas de redução na produção de alumínio primário Resíduos em geral Resíduos oriundos do processamento de análises

Hospitais Laboratórios de análises clínicas Institutos de pesquisas Re-refino de óleo

K201 K202

(P) (P)

K204

Resíduos dos laboratórios de pesquisas de doenças

(P)

K207

Borra ácida originada do re-refino de óleos usados

(C, T)

K208
Nota: T - Tóxico I - Inflamável R - Reativo C - Corrosivo P - Patogênico

Borra neutra do re-refino de óleos usados

(T)

/ANEXO C

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

13

ANEXO C - Listagem nº 3 - Constituintes perigosos - Base para relação dos resíduos e produtos das listagens nºs 1 e 2
Código do resíduo perigoso F001 Constituintes perigosos pelos quais o resíduo foi listado

Tetracloroetileno, cloreto de metileno, tricloroetileno, 1,1,1 - tricloroetano, tetracloreto de carbono, fluorcarbonos clorados Tetracloroetileno, cloreto de metileno, tricloroetileno, 1,1,1 - tricloroetano, clorobenzeno, 1,1,2 tricloro - 1,2,2 - trifluoretano, ortodiclorobenzeno, triclorofluormetano N.A. Cresóis e ácido crisílico, nitrobenzeno Tolueno, metiletilcetona, dissulfeto de carbono, piridina, isobutanol Cádmio, cromo hexavalente, níquel, cianeto (complexo) Cianeto (sais) Cianeto (sais) Cianeto (sais) Cianeto (sais) Cianeto (sais) Cianeto (complexo) Cianeto (complexo) Cianeto (sais) Cádmio, cromo, chumbo, cianeto, tolueno, tetracloroetileno Cádmio, cromo, chumbo, cianeto, tolueno, tetracloroetileno Cromo hexavalente, cianeto (complexo) Tetra e pentacloro dibenzo-p-dioxinas, tetra e pentacloro benzofuranos, tri e tetraclorofenol e ácidos, éteres, animas e outros, sais derivados do clorofenoxi Penta e hexacloro dibenzo-p-dioxinas; penta e hexacloro dibenzofuranos, pentaclorofenol e seus derivados Tetra, penta e hexacloro dibenzo-p-dioxinas, tetra, penta e hexacloro dibenzofurano Tetra e pentacloro dibenzo-p-dioxinas, tetra e pentacloro dibenzofuranos, tri e tetra clorofenóis e ácidos, éteres, aminas e outros sais derivados do clorofenoxi Clorometano, diclorometano, triclorometano, tetracloreto de carbono, 1,1 - dicloroetano, 1,2 dicloroetano, trans-1,2 - dicloroetileno, 1,1 - dicloroetileno, 1,1,1 - tricloroetano, 1,1,2 tricloroetano, tricloroetileno, 1,1,1,2 - tetracloroetano, 1,1,2,2 - tetracloroetano, tetracloroetileno, pentacloroetano, tetracloroetileno, pentacloroetano, hexacloroetano, cloreto de alila (3-cloropreno), dicloropropano, dicloropropeno, 2-cloro -1,3 - butadieno, hexacloro - 1,3 butadieno, hexaclorociclopentadieno, hexaclorocicloexano, benzeno, clorobenzeno, diclorobenzenos, 1,2,1 - triclorobenzenos, tetraclorobenzeno, pentaclorobenzeno, hexaclorobenzeno, tolueno e naftaleno Tetra, penta e hexaclorodibenzo-p-dioxinas, tetra, penta e hexaclorodibenzofuranos /continua

F002

F003 F004 F005 F006 F007 F008 F009 F010 F011 F012 F014 F015 F017 F018 F019 F020

F021

F022 F023

F024

F026

Cópia não autorizada

14

NBR 10004/1987

/continuação Código do resíduo perigoso F027 Constituintes perigosos pelos quais o resíduo foi listado

Tetra, penta e hexaclorodibenzo-p-dioxina, tetra, penta e hexaclorodibenzofuranos, tri, tetra e pentaclorofenóis e seus ácidos, ésteres, éteres, aminas e outros sais derivados do clorofenoxi Tetra, penta e hexaclorodibenzo-p-dioxinas; tetra, penta e hexaclorodibenzofurano; tri, tetra e pentaclorofenóis e seus ácidos, ésteres, éteres, aminas e outros sais derivados do clorofenoxi Chumbo, arsênio, cádmio, cromo; 1,1,1 - tricloroetano, tricloroeteno, tetracloroeteno (percloroetileno), tolueno, naftaleno Bifenilas policloradas, triclorobenzeno Pentaclorofenol, fenol, 2-clorofenol, p-cloro-m-cresol, 2,4 - dimetilfenol, 2,4 - dinitrofenol, creosoto, criseno, naftaleno, fluoranteno, benzo(b)fluoranteno, benzo(a)pireno, indeno (1,2,3c,d) pireno, benzo(a)antraceno, dibenzo(a)antraceno, acenaftaleno, triclorofenóis, tetraclorofenóis Cromo hexavalente, chumbo Cromo hexavalente, chumbo Cromo hexavalente Cromo hexavalente, chumbo Cromo hexavalente Cianeto (complexo), cromo hexavalente Cromo hexavalente Clorofórmio, formaldeído, cloreto de metileno, cloreto de metiIa, paraldeído, ácido fórmico Clorofórmio, formaldeído, cloreto de metileno, cloreto de metiIa, paraldeído, ácido fórmico, cloroacetaldeído Acrilonitrila, acetonitrila, ácido cianídrico Acido cianídrico, acrilonitrila, acetonitrila Acetonitrila, acrilamida Cloreto de benzila, clorobenzeno, tolueno, cloreto de benzilidina Hexaclorobenzeno, hexaclorobutadieno, tetracloreto de carbono, hexacloroetano, percloroetileno Epicloridrina, cloroéteres (bis-(clorometil)-éter e bis-(2-cloroetil)-éter), tricloropropano, dicloropropanóis 1,2-dicloroetano, tricloroetileno, hexaclorobutadieno, hexaclorobenzeno Dicloreto de etileno, 1,1,1-tricloroetano, 1,1,2-tricloroetano, tetracloroetanos (1,1,2,2-tetracloroetano e 1,1,1,2 - tetracloroetano), tricloroetileno, tetracloroetileno, tetracloreto de carbono, clorofórmio, cloreto de vinila, cloreto de vinilideno Dicloreto de etileno, 1,1,1-tricloroetano, 1,1,2-tricloroetano, tetracloroetanos (1,1,2,2-tetracloroetano e 1,1,1,2-tetracloroetano), tricloroetileno, tetracloroetileno, tetracloreto de carbono, clorofórmio, cloreto de vinila, cloreto de vinilideno Antimônio, tetracloreto de carbono, clorofórmio /continua

F028

F030

F100 K001

K002 K003 K004 K005 K006 K007 K008 K009 K010

K011 K013 K014 K015 K016

K017

K018 K019

K020

K021

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

15

/continuação Código do resíduo perigoso K022 K023 K024 K025 K026 K027 K028 K029 K030 Constituintes perigosos pelos quais o resíduo foi listado

Fenol, alcatrões (hidrocarbonetos policíclicos aromáticos) Anidrido ftálico, anidrido maléico Anidrido ftálico, 1,4-naftoquinona Metadinitrobenzeno, 2,4-dinitrotolueno Paraldeído, piridinas, 2-picolina Tolueno, diisocianato, tolueno-2,4-diamina 1,1,1-tricloroetano, cloreto de vinila 1,2-dicloroetano, 1,1,1-tricloroetano, cloreto de vinila, cloreto de vinilideno, clorofórmio Hexaclorobenzeno, hexaclorobutadieno, hexacloroetano, 1,1,1,2-tetracloroetano, 1,1,2,2-tetracloroetano, dicloreto de etileno Arsênio Hexaclorociclopentadieno Hexaclorociclopentadieno Hexaclorociclopentadieno Creosoto, criseno, naftaleno, fluoranteno, benzo(b)fluoranteno, benzo(a)pireno, indeno-(1,2,3 c,d) pireno, benzo(a)antraceno, dibenzo(a)antraceno, acenaftaleno. Tolueno, ésteres de ácidos fosforoditióico e fosforotióico Tolueno, ésteres de ácidos fosforoditióico e fosforotióico “Phorate’’, formaldeído, ésteres de ácidos fosforoditióico e fosforotióico Ésteres de ácidos fosforoditióico e fosforotióico “Phorate”, formaldeído, ésteres de ácidos fosforoditióico e fosforotióico Toxafeno Hexaclorobenzeno, ortodiclorobenzeno 2,4-diclorofenol, 2,6-diclorofenol, 2,4,6-triclorofenol N.A. N.A. Chumbo N. A. Cromo hexavalente, chumbo Cromo hexavalente, chumbo Cromo hexavalente /continua

K031 K032 K033 K034 K035

K036 K037 K038 K039 K040 K041 K042 K043 K044 K045 K046 K047 K048 K049 K050

Cópia não autorizada

16

NBR 10004/1987

/continuação Código do resíduo perigoso K051 K052 K060 K061 K062 K064 K065 K066 K067 K068 K069 K071 K073 Constituintes perigosos pelos quais o resíduo foi listado

Cromo hexavalente, chumbo Chumbo Cianeto, naftaleno, compostos fenólicos, arsênio Cromo hexavalente, chumbo, cádmio Cromo hexavalente, chumbo Chumbo, cádmio Chumbo, cádmio Chumbo, cádmio Chumbo, cádmio Chumbo, cádmio Cromo hexavalente, chumbo, cádmio Mercúrio Clorofórmio, tetracloreto de carbono, hexacloroetano, tricloroetano, tetracloroetileno, dicloroetileno, 1,1,2,2-tetracloroetano Cromo Cromo, chumbo Chumbo, mercúrcio, benzeno, tetracloreto de carbono, cloreto de metileno, tetracloroetileno, naftaleno, di-(2-etil-hexilftalato), di-n-butilftalato, tolueno Cromo, chumbo, mercúrio, níquel, cloreto de metileno, tolueno Antimônio, cádmio, cromo, chumbo, níquel, prata, cianetos, fenol, mercúrio, pentaclorofenol, cloreto de vinila, 3,3-diclorobenzideno, naftaleno, di-(2-etil-hexilftalato), di-n-butil-ftalato, benzeno, tolueno, tetracloreto de carbono, cloreto de metileno, tricloroetileno Anilina, nitrobenzeno, difenilamina, fenilenodiamina Arsênio Benzeno, monoclorobenzeno, diclorobenzeno, triclorobenzeno, tetraclorobenzeno, pentaclorobenzeno, hexaclorobenzeno, cloreto de benzila Cromo, chumbo Fenol, naftaleno Cianeto (complexo) Cromo Cromo, chumbo Cromo, chumbo Anidrido ftálico, anidrido maléico /continua

K074 K078 K079

K081 K082

K083 K084 K085

K086 K087 K088 K090 K091 K092 K093

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

17

/continuação Código do resíduo perigoso K094 K095 K096 K097 K098 K099 K100 K101 K102 K103 K104 Anidrido ftálico 1,1,2-tricloroetano, 1,1,1,2-tetracloroetano, 1,1,2,2-tetracloroetano 1,2-dicloroetano, 1,1,1-tricloroetano, 1,1,2-tricloroetano Clordano, heptaclor Toxafeno 2,4-diclorofenol, 2,4,6-triclorofenol Cromo hexavalente, chumbo, cádmio Arsênio Arsênio Anilina, nitrobenzeno, difenilamina, fenilenodiamina Benzeno, monoclorobenzeno, diclorobenzeno, tetraclorobenzeno, pentaclorobenzeno, hexaclorobenzeno, cloreto de benzila Benzeno, monoclorobenzeno, diclorobenzenos, 2,4,6-triclorofenol Mercúrio Cianetos (complexos) Microorganismos patogênicos, toxinas Microorganismos patogênicos, toxinas Microorganismos patogênicos, toxinas Microorganismos patogênicos, toxinas Arsênio Benzeno, tolueno, naftaleno, fenol Chumbo, arsênio, cádmio, cromo, 1,1,1-tricloroetano, tricloroeteno, tetracloroeteno (percloroetileno), tolueno, naftaleno Chumbo, arsênio, cádmio, cromo, 1,1,1-tricloroetano, tricloroeteno, tetracloroeteno (percloroetileno), tolueno, naftaleno Cromo, chumbo, cádmio Constituintes perigosos pelos quais o resíduo foi listado

K105 K106 K200 K201 K202 K203 K204 K205 K206 K207

K208

K209

/ANEXO D

Cópia não autorizada

18

NBR 10004/1987

ANEXO D - Listagem nº 4 - Substâncias que conferem periculosidade aos resíduos D.1 As substâncias que conferem periculosidade aos resíduos estão relacionados abaixo:
- acetaldeído; - aramite; - acetato de chumbo; - acetato de fenilmercúrio; - acetato de tálio (I); - 2-acetilaminofluoreno; - acetil-2-tiouréia; - 3-(α-acetonilbenzil)-4-hidroxicumarina e sais; - acetonitrila; - ácido arsênico; - ácido benzenoarsônico; - ácido cianídrico; - ácido cresílico; - ácido 1-(p-clorobenzoil) S-metóxi-2-metilindol-3-acético; - ácido 2,4-diclorofenoxiacético (2,4-D); - ácido fluorídrico; - ácido 7-oxabiciclo 2,2,1-heptano-2,3-dicarboxílico; - ácido selenioso; - ácido 2,4,5-triclorofenoxiacético (2,4,5-T); - ácido 2-(2,4,5-triclorofenoxipropiônico)(2,4,5-TP) (Silve); - acrilamida; - bis-(2-cloroetil)-éter; - acrilonitrila; - N, N-bis-(2-cloroetil)-2-naftilamina; - acroleína; - bis-(2-cloroetoxi)-metano; - aflatoxinas; - alcatrão de carvão; - álcool alílico; - álcool 3,4-diidróxi-α-metilamino-metilbenzílico; - álcool isobutílico; - aldrin; - 4-aminobifenila; - 5-(aminometil)-3-isoxazolol; - 4-aminopiridina; - amitrol; - anidrido ftálico; - anidrido maléico; - bis-(2-cloroisopropil)-éter; - bis-(clorometil)-éter; - bis-(dimetiltiocarbamil)-dissulfeto; - bis-(2-etilexil)-ftalato; - brometo de cianogênio; - bromoacetona; - 4-bromofenil fenil-éter; - bromometano; - brucina; - butilbenzenoftalato; - 2-sec-butil-4,6-dinitrofenol (DNBP); - arsênio e compostos; - auramina; - azaserina; - bário e compostos; - benzo(c)acridina; - benzo(a)antraceno; - benzo(b)fluoranteno; - benzo(j)fluoranteno; - benzo(a)pireno; - benzeno; - benzenos clorados; - benzenotiol; - benzoquinona e isômeros; - benzidina; - benzotricloreto; - berílio e compostos; - bifenilas policloradas (PCB); - anilina; - antimônio e compostos;

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

19

- cádmio e compostos; - carbonato de tálio (I); - carbonila de níquel; - chumbo e compostos; - chumbo tetraetiIa; - cianeto (sais solúveis e complexos); - cianeto de bário; - cianeto de cálcio; - cianeto de cobre; - cianeto de etila; - cianeto de níquel; - cianeto de potássio; - cianeto de prata; - cianeto de prata e potássio; - cianeto de sódio; - cianeto de zinco; - cianogênio; - 2-cicloexil-4,6-dinitrofenol; - ciclofosfamida; - “citrus red” nº 2; - clorambucil; - clordano (isômeros α e γ); - cloreto de acetila; - cloreto de benzila; - cloreto de cianogênio; - cloreto de dimetilcarbamoíla; - cloreto de o-toluidina; - cloreto de tálio (I); - cloreto de vinila; - cloreto de vinilideno; - cloroacetaldeído; - p-cloroanilina; - clorobenzeno; - clorobenzilato; - p-cloro-m-cresol;

- 1-cloro-2,3-epoxibutano; - 1-(0-clorofenil)-tiouréia; - clorofenóis; - 2-clorofenol; - clorofórmio; - clorometano; - 2-cloronaftaleno; - cloronaftalenos; - 3-cloropropionitrila; - cIorotoIueno; - α-clorotolueno; - creosoto; - cresóis; - crisênio; - cromato de cálcio; - cromo e compostos; - crotonaldeído; - “cycasin”; - “daunomycin”; - DDD; - DDE; - DDT; - dialato; - dibenzo(a,h)acridina; - dibenzo(a,j)acridina; - dibenzo(a,h)antraceno; - 7H-dibenzo(c,g)carbazol; - dibenzo(a,e)pireno; - dibenzo(a,h)pireno; - dibenzo(a,i)pireno; - 1,2-dibromo-3-cloropropano; - 1,2-dibromoetano; - dibromometano; - di-n-butilftalato; - diclorobenzenos;

Cópia não autorizada

20

NBR 10004/1987

- 3,3-diclorobenzidina; - 1,1-dicloroetano; - 1,2-dicloroetano;

- 1,2-dimetil-hidrazina; - 3,3-dimetil-1-(metiltio)-2-butanona-0-(metilamina) carboniloxima; - dimetilnitrosoamina;

- trans-1,2-dicloroetano; - dimetoato; - dicloroetilenos; - 1-((2,5-dimetoxifenil)azo)naftol (“citrus red” nº 2); - 1,1-dicloroetileno; - 3,3-dimetoxibenzidina; - diclorofenilarsina; - dinitrobenzenos; - 2,4-diclorofenol; - 4,6-dinitro-0-cresol e sais; - 2,6-diclorofenol; - 2,4-dinitrofenol; - diclorometano; - 2,4-dinitrotolueno; - 1,2-dicloropropano; - 2,6-dinitrotolueno-di-n-octilftalato; - dicloropropanos; - 1,4-dioxano; - dicloropropenos; - dióxido de nitrogênio; - 1,3-dicloropropeno; - di-n-propilnitrosamina; - dieldrin; - dissulfeto de carbono; - diepoxibutano; - dissulfoton; - dietilarsina; - 2,4-ditiobiureto; - dietilestilbestrol; - endossulfan; - dietilftalato; - endrin e metabólicos; - 1,2-dietil-hidrazina; - epicloridrina; - 0,0-dietil-0-(2-pirazinil) fosforotioato; - difenilamina; - 1,2-difenil-hidrazina; - diidrossafrol; - diisocianato de tolueno (TDI); - diisopropilfluorofosfato (DEP); - p-dimetilaminoazobenzeno; - 3,3-dimetilbenzidina; - 7,12-dimetilbenzo(a)antraceno; - 0,0-dimetil-0-(p-(N,N-dimetilsulfamoil)fenil) tiofosfato; - α,α-dimetilfenetilamina; - 2,4-dimetilfenol; - dimetilftalato; - 1,1-dimetil-hidrazina; - éster NN-dimetilbenzeno sulfonamida com éster 0,0-dimetil do ácido fosforotióico; - éster 0,0-dietil-s-(2-etiltio) etílico de ácido fosforotióico; - éster 0,0-dietil-s-metil do ácido fosforoditióico; - éster 0,0-nitrofenil do ácido 0,0-dietilfosfórico; - éster metílico do ácido isociânico; - ésteres de ácido ftálico; - estricnina e sais; - éter 2-cloroetilvinílico; - éter clorometilmetílico; - éteres de cloroalquila; - etilcarbamatos (“Uretha”); - etilenobisditiocarbamato (EBDC); - etilenoimina;

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

21

- etilenotiouréia; - fenacetina; - fenildicloroarsina; - fenilenodiamina; - N-feniltiouréia; - fenol; - flúor; - flúor carbonos clorados; - 2-fluoracetamida; - fluoranteno; - formaldeído; - fosfato de chumbo; - fosfato de tris-(2,3-dibromopropila); - fosfeto de alumínio; - fosfeto de zinco; - fosfina; - fosforotioato de 0,0,0-trietila; - fosgênio; - gás-mostarda; - glicidilaldeído; - halometanos; - heptacloro;

- iodometano; - “iron dextran”; - isossafrol; - “kepone”; - lasiocarpina; - malanonitrila; - “melphalan”; - mercúrio e compostos; - metacrilato de metila; - metanossulfonato de etila; - metanossulfonato de metila; - metapirileno; - “methomil”; - “methoxiclor”; - 2-metilactonitrila; - 2-metilaziridina; - 3-metilcolantreno; - 4,4-metileno-bis-(2-cloroanilina); - metiletilcetona; - metil-hidrazina; - 2-metil-2-(metiltio)-propionaldeído-0-(metilcarbonil) oxima; - N-metil-N’-nitro-N-nitrosoquanidina;

- heptacloroepóxi (isômeros α, β, γ); - “metilparathion”; - hexaclorobenzeno; - metiltiouracila; - hexaclorobutadieno; - mitomicina C; - hexaclorocicloexano (todos os isômeros); - mostarda de uracila; - hexaclorociclopentadieno; - mostarda nitrogenada e seus cloretos; - hexacloroetano; - naftaleno; - hexaclorofeno; - 1-naftilamina; - 1,2,3,4,10,10-hexacloro-1,4,4a,5,8,8a-hexaidro-1,4,58endo, endodimetanonaftaleno; - hexacloropropeno; - hidrazina; - indeno-(1,2,3-c,d)-pireno; - 2-naftilamina; - 1-naftil-2-tiouréia; - 1,4-naftoquinona; - nicotina e sais;

Cópia não autorizada

22

NBR 10004/1987

- níquel e compostos; - nitrato de tálio (I); - p-nitroanilina; - nitrobenzeno; - 4-nitrofenol; - nitroglicerina; - nitrosaminas; - N-nitrosodi-N-butilamina; - N-nitrosodietanolamina; - N-nitrosodietilamina; - N-nitrosodifenilamina; - N-nitrosodimetilamina; - N-nitrosodi-N-propilamina; - N-nitroso-N-etiluréia; - N-nitrosometiletilamina; - N-nitroso-N-metiluréia; - N-nitroso-N-metiluretano; - N-nitrosometilvinilamina; - N-nitrosomorfolina; - N-nitrosonornicotina; - N-nitrosopiperidina; - N-nitrosopirrolidina; - N-nitrosossarcosina; - 5-nitro-o-toluidina; - octametilpirofosforamida; - óxido de etileno; - N-óxido de mostarda nitrogenada e seus cloretos; - óxido de tálio; - óxido nítrico; - 1-oxi-4-nitroquinolina; - “parathion”; - pentaclorobenzeno; - pentacloroetano; - pentaclorofenol;

- pentacloronitrobenzeno (PCNB); - pentóxido de arsênio; - pentóxido de vanádio (pó); - peróxido de 2-butanona; - peróxido de nitrogênio; - 2-picolina; - piridina; - prata e compostos; - pronamida; - 1,3-propanossulfona; - propiltio uracila; - 2-propin-1-01; - propionitrila; - reserpina; - resorcinol; - sacarina; - safrol; - selênio e compostos; - selenito de tálio; - selenouréia; - streptozotocin; - subacetato de chumbo; - sulfato de tálio (I); - sulfato dimetílico; - sulfeto de estrôncio; - sulfeto de hidrogênio; - sulfeto de selênio; - sulfeto de tris-(1-aziridinil)-fosfina; - tálio e compostos; - 1,2,4,5-tetraclorobenzeno; - 2,3,7,8-tetraclorodibenzo-p-dioxina (TCDD); - tetracloroetanos; - 1,1,1,2-tetracloroetano; - 1,1,2,2-tetracloroetano;

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

23

- tetracloroeteno (tetracloroetileno); - 2,3,4,6-tetraclorofenol; - tetraclorometano; - tetraetilditiopirofosfato; - tetraetilpirofosfato; - tetrafosfato de hexaetila;

- 1,2,4-triclorobenzeno; - 1,1,1-tricloroetano; - 1,1,2-tricloroetano; - tricloroeteno (tricloroetileno); - 2,4,5-triclorofenol; - 2,4,6-triclorofenol;

- tetróxido de nitrogênio; - triclorometanotiol; - tetróxido de ósmio; - tricloropropanos; - “thiuran”; - 1,2,3-tricloropropano; - tioacetamida; - tiossemicarbazida; - tiouréia; - tolueno; - toluenodiamina; - toxafeno; - tribromometano; - trinitrobenzeno; - trióxido de arsênico; - “trypan blue”; - uretano; - vanadato de amônio;
Nota: I - Inflamável.

/ANEXO E

Cópia não autorizada

24

NBR 10004/1987

ANEXO E - Listagem nº 5 - Substâncias agudamente tóxicas
Código da substância P092 P092 P002 P001 P010 P103 P088 P063 P003 P005 P102 P070 P004 P007 P007 P008 P105 P054 P014 P015 P022 P017 P017 P018 P073 P110 P013 P021 P029 P101 P063 P074 Acetato de fenilmercúrio Acetato de o-fenilmercúrio 1-Acetil-2-tiouréia 3-(α-acetonilbenzil)-4-hidroxicumarina e seus sais Ácido arsênico Ácido carbamido selenóico Ácido 2,3-dicarboxílico-7-oxabiciclo (2,2,1) heptano Ácido cianídrico Acroleína Álcool alílico Álcool propargílico Aldicarb Aldrin 5-(aminometil)-3-isoxazolol 5-(aminometil)-3-(2H)-isoxazolona 4-a-aminopiridina Azida de sódio Aziridina Benzenotiol Berílio (pó) Bissulfeto de carbono 1-bromo-2-propanona Bromoacetona Brucina Carbonila de níquel Chumbo tetraetila Cianeto de bário Cianeto de cálcio Cianeto de cobre Cianeto de etila Cianeto de hidrogênio Cianeto de níquel /continua Substância agudamente tóxica

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

25

/continuação Código da substância P074 P098 P104 P099 P106 P121 P031 P034 P028 P095 P033 P024 P023 P024 P033 P026 P026 P028 P027 P049 P036 P037 P038 P039 P040 P043 P046 P046 P071 P045 P082 P044 Cianeto de níquelII Cianeto de potássio Cianeto de prata Cianeto de prata e potássio Cianeto de sódio Cianeto de zinco Cianogênio 2-cicloexil-4,6-dinitrofenol Cloreto de benzila Cloreto de carbonila Cloreto de cianogênio 4-clorobenzenamina Cloroacetaldeído p-cloroanilina Clorocianeto 2-clorofenil tiouréia 1-(o-Clorofenil) tiouréia Clorometilbenzeno 3-cloropropanonitrila Diamida tioimidodicarbônico Diclorofenilarsina Dieldrin Dietilarsina 0,0-dietil S [2-(etil tio)etil] fosforoditioato 0,0-dietil-0-pirazinil fosforotioato Diisopropil fluorfosfato 1,1-dimetil, 2-feniletanamina α,α-dimetilfenoetilamina 0,0-dimetil 0-p-nitrofenil fosforotioato 3,3-dimetil-1-(tiometil)-2-butanona 0- [(metilamina) carbonil] oxima Dimetilnitrosamina Dimetoato /continua Substância agudamente tóxica

Cópia não autorizada

26

NBR 10004/1987

/continuação Código da substância P018 P034 P047 P047 P020 P048 P020 P078 P022 P039 P049 P050 P088 P051 P042 P089 P041 P040 P097 P044 P067 P043 P064 P066 P109 P111 P094 P108 P108 P016 P054 Substância agudamente tóxica

2,3-dimetoxiestricnidina-10-ona 4,6-dinitro-o-cicloexilfenol 4,6-dinitro-o-cresol e seus sais 2,4-dinitro-6-metilfenol 2,4-dinitro-6-(1 metilpropil)fenol 2,4-dinitrofenol Dinoseb Dióxido de nitrogênio Dissulfeto de carbono Dissulfoton 2,4-diotiobiureto Endossulfan “Endothal” Endrin Epinefrina Éster 0,0-dietil-0-(p-nitrofenil) do ácido fosforotióico Éster dietil-p-nitrofenílico do ácido fosfórico Éster 0,0-dietil-0-pirazinil do ácido fosforotióico Éster 0,0-dimetil-0-[p-((dimetilamino)-sufonil) fenil] do ácido fosforotióico Éster 0,0-dimetil-S-[2-(metilamino)-2-oxoetil] do ácido fosforoditióico Éster hexaetílico do ácido tetrafosfórico Éster-Bis-(1-metiletil) do ácido fosforofluorídrico Éster metílico do ácido isociânico Éster metílico do ácido N-(metilcarbamoil) (oxi) tioacetamídico Éster tetraetílico do ácido ditiopirofosfórico Éster tetraetílico do ácido pirofosfórico Éstermetil 0,0-dietil S-(tioetil) do ácido fosforotióico Estricnidina-10-ona e sais Estricnina e sais Éter-bis-clorometílico Etilenimina /continua

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

27

/continuação Código da substância P097 P036 P093 P093 P056 P057 P057 P041 P006 P096 P122 P096 P096 P055 P059 P059 P051 “Famphur” Fenildicloroarsina Feniltiouréia N-Feniltiouréia Flúor Fluoroacetamida 2-fluoroacetamida Fosfato de dietil-p-nitrofenil Fosfeto de alumínio Fosfeto de hidrogênio Fosfeto de zinco (R, T) Fosfina Fosgênio Fulminato de mercúrio Heptacloro 1,4,5,6,7,8,8-heptacloro-3a,4,7,7a-tetraidro-4,7-metano, 1H-indeno 1,2,3,4,10,10-hexacloro-6,7-epóxi-1,4,4a,5,6,7,8,8a-octaidro-endo, endo-1,4,5,8-dimetanonaftaleno (Endrin) 1,2,3,4,10,10-hexacloro-6,7-epóxi-1,4,4a,5,6,7,8,8a-octaidro-endo-exo-1,4,5,8dimetanonaftaleno (Dieldrin) 1,2,3,4,10,10-hexacloro-1,4,4a,5,8,8a-hexaidro-1,4,5,8-endo-endo-dimetanonaftaleno 1,2,3,4,10,10-hexacloro-1,4,4a,5,8,8a-hexaidro-1,4,5,8-endo-exo-dimetanonaftaleno (éster metílico do ácido isociânico) Hexacloroexaidro-exo-exo-dimetanonaftaleno Hidrazinacarbotioamida 4- [1-hidróxi-2-(metil-amino)-etil] -1,2-benzenodiol 2-hidróxi-2-metil-propanonitrila Isocianato de metila 2-metil-Iactonitrila N-metil-N-nitroso etenamina 0- [(metilamino)-carbonil] -oxima-2-metil-2-(metiltio) propanal 2-metilaziridina Metilidrazina /continua Substância agudamente tóxica

P037

P060 P064

P060 P116 P042 P069 P064 P069 P084 P070 P067 P068

Cópia não autorizada

28

NBR 10004/1987

/continuação Código da substância P071 P075 P066 P072 P072 P075 P077 P077 P081 P082 P084 P123 P085 P085 P016 P012 P011 P076 P078 P087 P113 P120 P076 P113 P089 P011 P120 P079 P094 P009 P008 Metilparation (S)-3-(1-metil-2-pirrolidina) piridina e sais Metomil 1-Naftaleniltiouréia α-naftiltiouréia Nicotina e sais p-nitroanilina 4-nitro-benzenamina nitroglicerina (R) N-nitrosodimetilamina N-nitrosometilvinilamina Octaclorocanfeno Octametildifosfonamida Octametilpirofosforoamida Oxibisclorometano Óxido de arsênioIII Óxido de arsêniov Óxido de nitrogênioII Óxido de nitrogênioIV Óxido de ósmio Óxido de tálioIII Óxido de vanádio Óxido nítrico Óxido tálico Paration Pentóxido de arsênio Pentóxido de vanádio Peróxido de nitrogênio “Phorate” Picrato de amônio (R) 4-piridilamina /continua Substância agudamente tóxica

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

29

/continuação Código da substância P101 P005 P003 P067 P102 P119 P009 P115 P065 P058 P114 P103 P115 P050 P107 P073 P110 P109 P111 P062 P112 P080 P087 P046 P014 P116 P002 P123 P118 P081 P012 P119 P001
Nota: T - Tóxico R - Reativo

Substância agudamente tóxica

Propanonitrila 2-propen-1-ol 2-propenal 1,2-propilenoimina 2-propin-1-ol Sais amoniacais do ácido vanádico Sal amoniacal de 2,4,6-dinitrofenol (R) Sal de tálioI do ácido sulfúrico Sal mercúrio do ácido fulmínico Sal sódico do ácido fluoracético Selenito de tálioI Selenouréia Sulfato de tálioI Sulfeto cíclico de 5-norboneno-2-3-dimetanol-1,4,5,6,7-hexacloroendossulfato Sulfeto de estrôncio Tetracarbonila de níquel Tetraetila de chumbo Tetraetilditiopirofosfato Tetraetilpirofosfato Tetrafosfato de hexaetila Tetranitrometano (R) Tetróxido de nitrogênio Tetróxido de ósmio “Thiotanox” Tiofenol Tiossemicarbazida N-(tioxometilamina) acetamida Toxafeno Triclorometanotiol Trinitrato de 1,2,3-propanotiol (R) Trióxido de arsênio Vanadato de amônio “narfarin”

/ANEXO F

Cópia não autorizada

30

NBR 10004/1987

ANEXO F - Listagem nº 6 - Substâncias tóxicas
Código da substância U001 U144 U112 U214 U059 Acetaldeído (I) Acetato de chumbo Acetato de etila (I) Acetato de tálio (I) (8S-cis)-8-acetil-10-[β-amino-2,3,6-trideoxi-α-L-oxil hexopiranosil oxil] -7,8,9,10tetraidro-6,8,11-triidroxi-1-metoxi,-5,12-naftacenediona 2-acetilaminofluoreno Acetofenona Acetona (I) Acetonitrila (I, T) Ácido acrílico (I) Ácido cacodílico Ácido cresílico Ácido 1,2-etanodibiscarbamoditióico Ácido fluorídrico (C, T) Ácido fórmico (C, T) Ácido metanóico (C, T) 2-ácido propenóico (I) Ácido selenioso Ácido 2,4,5-triclorofenoxiacético Ácido 2-(2,4,5-triclorofenoxipropiônico) Acrilamida Acrilato de etila (I) Acrilonitrila Alanina L-fenil 3-[p-bis(2-cloroetil)aminol] Álcool n-butílico (I) Álcool isobutílico (I, T) Álcool metílico (I) 4-alil-1,2-metilenodioxibenzeno Amitrol Anidrido do ácido 1,2-benzenodicarboxílico /continua Substância tóxica

U005 U004 U002 U003 U008 U136 U052 U114 U134 U123 U123 U008 U204 U232 U233 U007 U113 U009 U150 U031 U140 U154 U203 U011 U190

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

31

/continuação Código da substância U190 U147 U012 U014 U015 U010 Anidrido ftálico Anidrido maléico Anilina (I, T) Auramina “Azaserine” “Azirino’’-(2',3'=3,4)-pirol (1,2-a)-indol-4,7-diona,6-amino-8-[[aminocarbonil)-oxi]-metil] -1,1a,2,8,8a,8b-hexaidro-8a-metóxi-5-metilcarbamato (éster) Benz(c)acridina 1,2-benzantraceno Benzeno (I, T) Benzenoamina (I, T) 1,3-benzenodiol Benzidina Benzo(a)antraceno Benzo(j,k)fluoreno Benzo(a)pireno 3,4-benzoacridina 1,2-benzofenantreno 3,4-benzopireno p-benzoquinona Benzotricloreto (C, R, T) 1,1'-bifenil-4,4'-diamina "2,2'-bioxirane" (I, T) Brometo de cianogênio Brometo de metila Brometo de metileno 1-bromo-4-fenoxibenzeno 4-bromofenil-feniléter Bromofórmio Bromometano 1-butanol (I) /continua Substância tóxica

U016 U018 U019 U012 U201 U021 U018 U120 U022 U016 U050 U022 U197 U023 U021 U085 U246 U029 U068 U030 U030 U225 U029 U031

Cópia não autorizada

32

NBR 10004/1987

/continuação Código da substância U159 U053 U172 U215 U026 U246 U142 U197 U056 U057 U058 U034 U035 U036 U006 U020 U017 U020 U097 U006 U045 U080 U216 U043 U037 U245 U156 U039 U041 U043 2-butanona (I, T)/ 2-butenal N-butil-N-nitroso 1-butanoamina Carbonato de tálio (l) “Chlornaphazine” Cianeto de bromo 2H-ciclobuta(c,d)pentalen-2-ona-decacloroctaidro-1,3,4-meteno 1,4-cicloexadienodiona Cicloexano (I) Cicloexanona (I) Ciclofosfamida Cloral Clorambucil Clordano Cloreto de acetila (C, R, T) Cloreto de ácido benzenossulfônico (C, R) Cloreto de benzal Cloreto de benzenossulfonila (C, R) Cloreto de dimetilcarbamoíla Cloreto de etanoíla (C, R, T) Cloreto de metila (I, T) Cloreto de metileno Cloreto de tálio (I) Cloreto de vinila Clorobenzeno 1-(p-clorobenzoil)-5-metóxi-2-metilindol-3-ácido acético Clorocarbonato de metila (I, T) 4-cloro-m-cresol 1-cloro-2,3-epoxipropano Cloroetano /continua Substância tóxica

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

33

/continuação Código da substância U035 U042 U024 U048 U048 U044 U226 U027 U045 U237 U049 U039 U026 U041 U046 U047 U047 U051 U052 U050 U032 U053 U055 U059 U060 U061 U206 U139 U107 U111 Substância tóxica

4-[bis(2-cloroeti])-amino]benzeno do ácido butanóico 2-cloroetoxieteno Bis 2-cloroetoximetano o-clorofenol 2-clorofenol Clorofórmio Clorofórmio metílico bis 2-cloroisopropil éter Clorometano (I, T) 5[bis(2-clorometil)amino]uracila 4-cloro-2-metilbenzenoamina 4-cloro-3-metilfenol N, N -bis(2-clorometil)-2-nafilamina 2-(clorometil)-oxirano Clorometoximetano β-cloronaftaleno 2-cloronaftaleno Creosoto Cresóis Criseno Cromato de cálcio Crotonaldeído Cumeno (I) “Daunomycin’’ DDD DDT 2-deóxi-2(3-metil-3-nitroso ureído)-D-glucopiranose Dextran férrico Di-n-octilftalato Di-N-propiInitrosamina /continua

Cópia não autorizada

34

NBR 10004/1987

/continuação Código da substância U062 U133 U221 U015 U063 U063 U064 U064 U067 U066 U067 U067 U069 U077 U076 U083 U073 U074 U060 U061 U192 U080 U017 U062 U070 U071 U072 U071 U070 U072 Dialato Diamina (R, T) Diaminotolueno Diazoacetato de L-serina(éster) Dibenzo(a,h)antraceno 1,2:5,6-dibenzoantraceno Dibenzo(a,i)pireno 1,2:7,8-dibenzopireno Dibrometo de etileno 1,2-dibromo-3-cloropropano 1,2-dibromoetano Dibromometano Dibutilftalato Dicloreto de etileno Dicloreto de etilideno Dicloreto de propileno 3,3'-dicloro-1,1'-bifenil-4,4'-diamina 1,4-dicloro-2-buteno (I,T) Diclorodifenildicloroetano Diclorodifeniltricloroetano 3,5-dicloro-N-(1,1-dimetil-2-propinil) benzamida Diclorometano Diclorometilbenzeno S-(2,3-dicloroalil) diisopropiltiocarbamato 1,2-diclorobenzeno 1,3-diclorobenzeno 1,4-diclorobenzeno m-diclorobenzeno o-diclorobenzeno p-diclorobenzeno /continua Substância tóxica

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

35

/continuação Código da substância U073 U038 U075 U076 U077 U078 U079 U078 U079 U081 U082 U083 U084 U085 U089 U089 U088 U086 U086 U087 U109 U157 U164 U148 U090 U223 U223 U092 U093 U155 3,3'-diclorobenzidina 4,4'-diclorobenzilato de etila Diclorodifluormetano 1,1-dicloroetano 1,2-dicloroetano 1,1-dicloroeteno trans-1,2-dicloroeteno 1,1-dicloroetileno 1,2-dicloroetileno 2,4-diclorofenol 2,6-diclorofenol 1,2-dicloropropano 1,3-dicloropropeno 1,2:3,4-diepoxibutano (I, T) α,α-dietil-4,4'-estilbenediol Dietilestilbestrol Dietilftalato N,N-dietilidrazina 1,2-dietilidrazina 0,0-dietil-S-metil-ditiofosfato 1,2-difenilidrazina 1,2-diidro-3-metil-benz(j)aceantrileno 2,3-diidro-6-metil-2-tioxo-4 (1H) pirimidinona 1,2-diidro-3,6-piradizinediona 1,2-diidrossafrol Diisocianato de tolueno (R, T) 1,3-diisocianato metilbenzeno (R, T) Dimetilamina (I) Dimetilaminoazobenzeno 2-[2-(dimetilamino)-2-fenilamino)] piridina /continua Substância tóxica

Cópia não autorizada

36

NBR 10004/1987

/continuação Código da substância U094 U094 U239 U095 U096 U095 U093 U101 U102 U098 U099 U091 U091 U105 U106 U108 U193 U202 U108 U204 U110 U244 U244 U205 U126 U069 U088 U102 U103 U107 7,12-dimetil-benz(a)antraceno 7,12-dimetil-1,2-benzantraceno Dimetilbenzeno (I, T) 3-3'-dimetilbenzidina α,α-dimetilbenzil hidroperóxido (R) 3,3'-dimetil-1,1'-bifenil-4,4'-diamina N,N’-dimetil-4-fenil-azo-benzenoamina 2,4-dimetilfenol Dimetilftalato 1,1-dimetilidrazina 1,2-dimetilidrazina 3,3'-dimetoxibenzidina 3,3'-dimetóxi-1,1'-bifenil-4,4'-diamina 2,4-dinitrotolueno 2,6-dinitrotolueno 1,4-dioxano 2,2-dióxido, 1,2-oxatiolano 1,1-dióxido de 1,2-benzoisotiazolin-3-ona Dióxido de 1,4-dietileno Dióxido de selênio Dipropilamina (I) Dissulfeto de bis-dimetiltiocarbamoíla Dissulfeto de bis (dimetiltiocarbonil) Dissulfeto de selênio (R, T) 2,3-epóxi-1-propanol Éster dibutílico do ácido 1,2-benzenodicarboxílico Éster dietílico do ácido 1,2-benzenodicarboxílico Éster dimetílico do ácido 1,2-benzenodicarboxílico Éster dimetílico do ácido sulfúrico Éster di-n-octílico do ácido 1,2-benzenodicarboxílico /continua Substância tóxica

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

37

/continuação Código da substância U028 U112 U238 U038 U119 U113 U178 U118 U162 U087 U200 Substância tóxica

Éster bis-2(etil-hexílico) do ácido 1,2-benzenodicarboxílico Éster etílico do ácido acético (I) Éster etílico do ácido carbâmico Éster etílico do ácido 4-cloro-α-(4-clorofenil)-α-hidroxibenzenoacético Éster etílico do ácido metanossulfônico Éster etílico do ácido 2-propenóico (I) Éster etílico metiInitroso do ácido carbâmico Éster 2-metiletílico do ácido 2-propenóico Éster 2-metilmetílico do ácido 2-propenóico (I, T) Éster-s-metílico 0,0-dietil do ácido fosforoditióico Éster metílico 11,17-dimetóxi-18- [(3,4,5-trimetoxibenzoila)oxil], yohimbam do ácido-16carboxílico Éster metílico do ácido carbonoclorídrico (I, T) Estreptozotocina Etanal (I) Etanonitrila (I, T) Etanotioamida Éter cloroetilvinílico Éter clorometilmetílico Éter dicloroetílico Éter etílico (I) Etilcarbamato (urethan) Etileno-bis-ditiocarbamato (EBDC) Etilenotiouréia Bis-2-etil-hexilftalato Etilmetacrilato N-etil-N-nitroso carbamida N-etil-N-nitroso etanamina N-4-etoxifenil acetamida Fenacetina 1,10-(1,2-fenileno)pireno /continua

U156 U206 U001 U003 U218 U042 U046 U025 U117 U238 U114 U116 U028 U118 U176 U174 U187 U187 U137

Cópia não autorizada

38

NBR 10004/1987

/continuação Código da substância U004 U188 U139 U120 U005 U033 U134 U122 U145 U235 U235 U189 U124 U125 U147 U125 U124 U126 U127 U128 U128 U129 U130 U130 U131 U131 U132 U243 U243 U179 1-feniletanona Fenol Ferrodextran Fluoranteno N-9H-fluoreno-2-il-acetamida Fluoreto de carbonila (R, T) Fluoreto de hidrogênio (C, T) Formaldeído Fosfato de chumbo Fosfato de (3:1)-2,3-dibromo-1-propanol Fosfato de tris (2,3-dibromopropil) Fosfeto de enxofre (R) Furan (I) 2-furancarboxialdeído (I) 2,5-furandiona Furfural (I) Furfuran (I) Glicidilaldeído Hexaclorobenzeno Hexaclorobutadieno 1,1,2,3,4,4-hexacloro-1,3-butadieno Hexaclorociclometano (isômero α) Hexaclorociclopentadieno 1,2,3,4,5,5-hexacloro-1,3-ciclopentadieno Hexacloroetano 1,1,1,2,2-hexacloroetano Hexaclorofeno Hexacloropropeno 1,1,2,3,3,3-hexacloro-1-propeno Hexaidro-N-nitroso piridina /continua Substância tóxica

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

39

/continuação Código da substância U148 U133 U135 U222 U188 U116 U014 U137 U245 U138 U138 U141 U142 U143 U129 U149 U150 U151 U152 U119 U154 U153 U155 U220 U186 U157 U105 U106 U158 U158 U024 Hidrazida maléica Hidrazina (R, T) Hidreto de enxofre Hidrocloreto de o-toluidina Hidroxibenzeno 2-imidazoximetiona 4,4'-(imidocarbonil)-bis-N,N’-dimetilbenzenoamina Indeno (1,2,3-cd)pireno Indometacin lodeto de metila lodo metano lsossafrol “Kepone” Lasiocarpina Lindano Malononitrila “Melphalan” Mercúrio Metacrilonitrila (I, T) Metano sulfonato de etila Metanol (I) Metanotiol (I, T) Metapirileno Metilbenzeno 1-metilbutadieno (I) 3-metilcolantreno 1-metil-1,2,4-dinitrobenzeno 1-metil-2,6-dinitrobenzeno 4,4'-metileno bis-2-cloro benzenoamina 4,4'-metileno bis (2-cloroanilina) 1,1'-[metileno bis(oxi)]bis(2-cloroetano) /continua Substância tóxica

Cópia não autorizada

40

NBR 10004/1987

/continuação Código da substância U132 U203 U141 U090 U055 U159 U096 U161 U162 U092 U181 U163 U177 U161 U191 U140 U152 U164 U010 U237 U165 U166 U167 U168 U167 U168 U166 U217 U169 U170 U170 Substância tóxica

2,2'-metileno bis(3,4,6-triclorofenol) 1,2-metilenodióxi-4-alilbenzeno 1,2-metilenodióxi-4-propenilbenzeno 1,2-metilenodióxi-4-propilbenzeno 1-metiletil benzeno (I) Metil-etilcetona(MEK) (I, T) 1-metil-1-feniletil-hidroperóxido (R) Metilisobutilcetona (I) Metilmetacrilato (I, T) N-metilmetanamina (I) 2-metil-5-nitrobenzenoamina N-metil-N-nitro-N-nitrosoquanidina N-metil-N-nitrosocarbamida 4-metil-2-pentanona (I) 2-metil-piridina 2-metil-l-propanol (I, T) 2-metil-2-propenonitrila (I, T) MetiItiouracil “Mitomycin C” Mostarda de uracila Naftaleno 1,4-naftalenodiona α-Naftilamina β-Naffilamina 1-Naftilamina 2-Naftilamina 1,4-naftoquinona Nitrato de tálio (I) Nitrobenzeno (I, T) p-nitrofenol 4-nitrofenol /continua

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

41

/continuação Código da substância U171 U173 U174 U176 U173 U163 U177 U178 U111 U172 U179 U180 U181 U036 U025 U027 U117 U058 U115 U136 U122 U033 U115 U182 U183 U184 U242 U185 U186 U160 U160 2-nitropropano (I) N-nitroso dietanolamina N-nitroso dietilamina N-nitroso N-etiluréia 2,2'-(nitroso-imino)bis-etanol N-nitroso-N-metil-N'-nitroguanidina N-nitroso N-metiluréia N-nitroso N-metiluretano N-nitroso N-propilamina N-nitrosodi n-butilamina N-nitrosopiperidina N-nitrosopirrolidina 5-nitro-o-toluidina 1,2,4,5,6,7,8,8-octacloro-3a,4,7,7a-tetraidro-4,7-metano-indan 1,1'-oxibis(2-cloroetano) 2,2'-oxibis(2-cloropropano) 1,1'-oxibis-etano (I) Óxido de 2-2-[bis(2-cloroetil)amino]tetraidro 2H 1,3,2-oxazafosforina Óxido de etileno (I, T) Óxido de hidroxidimetilarsina Óxido de metileno Oxifluoreto de carbono (R, T) Oxirano (I, T) Paraldeído Pentaclorobenzeno Pentacloroetano Pentaclorofenol Pentacloronitrobenzeno 1,3-pentadieno (I) Peróxido de 2-butanona (R, T) Peróxido de metiletilcetona (R, T) /continua Substância tóxica

Cópia não autorizada

42

NBR 10004/1987

/continuação Código da substância U191 U196 U192 U194 U149 U002 U193 U007 U009 U194 U110 U200 U201 U202 U203 U032 U144 U145 U215 U214 U240 U240 U236 2-picolina Piridina Pronamida 1-propanamina (I, T) Propanodinitrila 2-propanona (I) 1,3-propanossultone 2-propenamida 2-propenonitrila N-propilamina (I, T) N-propil-1-propanamina (I) Reserpina Resorcinol Sacarina e sais Safrol Sais de cálcio do ácido crômico Sais de chumbo do ácido acético Sais de chumbo do ácido fosfórico Sais de ditálio (l) do ácido carbônico Sais de tálio (l) do ácido acético Sais e ésteres de 2,4,4-D Sais e ésteres do ácido 2,4-diclorofenoxacético Sal tetrassódio do ácido 3,3'- [(3,3'-dimetil- (1,1'-bifenil)-4,4' dil)]-bis(azo)bis(5-amino-4hidroxi)-2,7-naftaleno dissulfônico Seleneto de enxofre (R, T) SiIvex Subacetato de chumbo Sulfato dimetílico Sulfeto de hidrogênio Sulfeto fosforoso (R) 2,4,5-T /continua Substância tóxica

U205 U233 U146 U103 U135 U189 U232

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

43

/continuação Código da substância U211 U207 U208 U209 U210 U210 U210 U212 U211 U213 U213 U180 U218 U219 U153 U219 U244 U220 U221 U233 U225 U034 U226 U227 U228 U228 U230 U231 U121 U044 U023 Tetracloreto de carbono 1,2,4,5-tetraclorobenzeno 1, 1 , 1, 2-tetracIoroetano 1,1,2,2-Tetracloroetano Tetracloroeteno 1,1,2,2-tetracloroeteno TetracIoroetiIeno 2,3,4,6-tetraclorofenol Tetraclorometano Tetraidrofuran (I) Tetraidrofurano (I) Tetraidro-N-nitroso-pirol Tioacetamida Tiocarbamida Tiometanol (I, T) Tiouréia Tiran Tolueno Toluenodiamina 2,4,5-TP Tribromometano Tricloroacetaldeído 1,1,1-tricloroetano 1,1,2-tricloroetano Tricloroeteno Tricloroetileno 2,4,5-triclorofenol 2,4,6-triclorofenol Triclorofluorometano Triclorometano Triclorometilbenzeno (C, R, T) /continua Substância tóxica

Cópia não autorizada

44

NBR 10004/1987

/continuação Código da substância U121 U182 U234 U234 U011 U236 U239
Nota: T - Tóxico I - Inflamável R - Reativo C - Corrosivo

Substância tóxica

Tricloromonofluorometano 2,4,5-trimetil-1,3,5-trioxano Trinitrobenzeno (R, T) 1,3,5-trinitrobenzeno (R, T) 1H-1,2,4-trizol-3-amino "Trypan Blue" Xileno (I)

/ANEXO G

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

45

ANEXO G - Listagem nº 7 - Concentração - limite máximo no extrato obtido no teste de lixiviação
Código Poluente Limite máximo no lixiviado (mg/L) 5,0 100,0 0,5 5,0 5,0 150,0 0,1 5,0 1,0 0,003 0,03 0,1 0,003 0,02 0,01 0,01 0,001 0,3 3,0 1,0 0,5 10,0 0,2 3,0 10,0

D005 D006 D007 D008 D009 D010 D011 D012 D013 D014 D015 D016 D017 D018 D019 D020 D021 D022 D023 D024 D025 D026 D027 D028 D029

Arsênio Bário Cádmio Chumbo Cromo total Fluoreto Mercúrio Prata Selênio Aldrin Clordano DDT Dieldrin Endrin Epóxi-heptacloro Heptacloro Hexaclorobenzeno Lindano Metoxicloro Pentaclorofenol Toxafeno 2,4 - D 2,4,5 - T 2,4,5 - TP Organofosforados e carbamatos

Nota: Estes parâmetros foram baseados no W.H.O. - Guidelines for Drinking Water Quality - Vol. 1 - Recommendations - Geneva 1984.

/ANEXO H

Cópia não autorizada

46

NBR 10004/1987

ANEXO H - Listagem nº 8 - Padrões para o teste de solubilização
Poluente Limite máximo no extrato (mg/L) 0,05 1,0 0,005 0,05 0,1 0,05 0,001 1,5 0,001 10,0 0,05 0,01 3,0 x 10-5 3,0 x 10-4 1,0 x 10-3 3,0 x 10-5 2,0 x 10-4 1,0 x 10-4 1,0 x 10-4 1,0 x 10-5 3,0 x 10-3 0,03 0,01 5,0 x 10-3 0,1 2,0 x 10-3 0,03 0,1 0,2 250,0 1,0 500,0 0,3 0,1 200,0 0,2 400,0 5,0

Arsênio Bário Cádmio Chumbo Cianeto Cromo total Fenol Fluoreto Mercúrio Nitrato (mg N/L) Prata Selênio Aldrin Clordano (todos os isômeros) DDT (todos os isômeros) Dieldrin Endrin Epóxi-heptacloro Heptacloro Hexaclorobenzeno Lindano Metoxicloro Pentaclorofenol Toxafeno 2,4-D 2,4,5-T 2,4,5-TP Organofosforados e carbamatos AIumínio Cloreto Cobre Dureza (mgCaCO3/L) Ferro Manganês Sódio Surfactantes (tensoativos) Sulfato (mg SO4/L) Zinco

Nota: Valores obtidos da W.H.O. - Guidelines for Drinking Water Quality - Vol. I - Recommendations Geneva 1984 - e completados com a Portaria nº 56 Bsb, de 14.03.77, do Ministério da Saúde - Padrão Brasileiro de Potabilidade da Água.

/ANEXO I

Cópia não autorizada

NBR 10004/1987

47

ANEXO I - Listagem nº 9 - Concentrações máximas de poluentes na massa bruta de resíduo, que são utilizadas pelo Ministério do Meio Ambiente - França - para classificação de resíduos
Poluente Berílio ou seus componentes Cromo VI ou seus compostos Mercúrio ou seus compostos Chumbo (compostos orgânicos) Selênio ou seus compostos Alcalóides ou bases azotadas Arsênio ou seus compostos Chumbo (compostos minerais) Vanádio ou seus compostos Cianetos (produzidos por hidrólise) Compostos aromáticos hidroxilados, como fenóis Fluidos de usinagem e efluentes de máquinas lavadoras Solventes cíclicos nao-parafínicos, exceto os já citados Solventes halogenados, exceto os já citados Hidrocarbonetos líquidos ou bombeáveis a 80°C, exceto os já citados Substâncias explosivas, exceto as já citadas Limite máximo no resíduo total 100 mg Be/kg 100 mg Cr/kg 100 mg Hg/kg 100 mg Pb/kg 100 mg Se/kg 100 mg/kg 1.000 mg As/kg 1.000 mg Pb/kg 1.000 mg V/kg 1.000 mg CN/kg 10 mg fenol/kg 1% em massa 5% em massa 5% em massa 5% em massa 5% em massa

Nota: Estes poluentes devem ser dosados no resíduo total e, se pelo menos um poluente estiver acima do limite máximo, o resíduo deve ser disposto em instalações adequadas.

/ANEXO J

Cópia não autorizada

48

NBR 10004/1987

ANEXO J - Listagem nº 10 - Concentração mínima para caracterizar o resíduo como perigoso
Código Poluente Concentração mínima (mg /kg) 20,0 0,02 60,0 20,0 0,6 6,020,0 60,0 20,0

C001 C002 C003 C004 C005 C006 C007 C008 C009

Benzeno Benzo (a) pireno Clorofórmio 1,2-dicloroetano 1,1-dicloroeteno Tetracloreto de carbono Tetracloroeteno Tricloroeteno 2,4,6-triclorofenol

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->