P. 1
Relatorio Da Auditoria Externa Independente - Um Levantamento Das Teses e Dissertacoes Produzidas No Brasil

Relatorio Da Auditoria Externa Independente - Um Levantamento Das Teses e Dissertacoes Produzidas No Brasil

|Views: 387|Likes:
Publicado porDayana Bastos

More info:

Published by: Dayana Bastos on Jul 29, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/28/2014

pdf

text

original

Relatório da Auditoria Externa Independente: Um Levantamento das Teses e Dissertações Produzidas no Brasil

Marcelo Haendchen Dutra1, Raphael Vinicius Weigert Camargo2, Luiz Alberton3, Rita de Cássia Correa Pepinelli4

1. Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC Centro Sócioeconômico, Departamento de Ciências Contábeis, Bloco C – Sala 215 – Câmpus Universitário – Trindade, Florianópolis/SC, Brasil. mhdutra@eletrosul.gov.br 2. Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC Centro Sócioeconômico, Departamento de Ciências Contábeis, Bloco C – Sala 215 – Câmpus Universitário – Trindade, Florianópolis/SC, Brasil. raphaelvin@hotmail.com 3. Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC Centro Sócioeconômico, Departamento de Ciências Contábeis, Bloco C – Sala 215 – Câmpus Universitário – Trindade, Florianópolis/SC, Brasil. alberton@cse.ufsc.br 4. Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC Centro Sócioeconômico, Departamento de Ciências Contábeis, Bloco C – Sala 215 – Câmpus Universitário – Trindade, Florianópolis/SC, Brasil. ritapepinelli@hotmail.com

Área temática: Auditoria

Relatório da Auditoria Externa Independente: Um Levantamento das Teses e Dissertações Produzidas no Brasil Resumo:
O objetivo deste trabalho é investigar os enfoques apontados nas teses e dissertações dos cursos brasileiros de mestrado e doutorado em contabilidade e administração acerca do tema ‘parecer dos auditores independentes’. Para tanto, realiza-se um levantamento que apresenta uma análise da produção científica brasileira em termos de trabalhos de conclusão de cursos de pós-graduação (stricto sensu) que envolve o escrutínio do relatório final dos auditores independentes, na forma de estudo bibliométrico mesclado com revisão sistêmica. A pesquisa desenvolvida aborda 13 trabalhos de conclusão de cursos de instituições de ensino superior com reconhecimento pelo MEC, em que se constatam os seguintes enfoques predominantes de pesquisa: aspectos polêmicos; conflito de interesses; cumprimento de exigências normativas; poder de comunicação; reflexos sobre investidores e/ou financiadores; e, utilidade e/ou compreensibilidade do relatório. Além disto, este estudo aponta oportunidades de construção e ampliação do conhecimento sobre o relatório final da auditoria externa independente.

Palavras-chave: Auditoria. Auditor Externo Independente (ROC). Relatórios de Auditoria. Certificação Legal de Contas. Parecer dos Auditores Independentes.

2

1 Introdução Parte integrante das informações contábeis que devem ser evidenciadas em conformidade com a legislação, o Parecer dos Auditores Independentes (ou Relatório de Auditoria e Certificação Legal das Contas, como é designado em Portugal) representa a materialização do único produto gerado pelo trabalho da auditoria externa independente que se torna público, ou seja, de acesso irrestrito aos usuários da informação contábil. Assim sendo, a emissão do relatório final da auditoria independente, que encerra as atividades de um processo de auditagem relativamente complexo, envolve, direta ou indiretamente, três grupos de interesses distintos, a saber: auditores, usuários externos e auditados. O auditor, sujeito ativo da emissão, que realiza todo um trabalho analítico para gerar um relatório sintético; o usuário externo (investidores e potenciais investidores e/ou credores e potenciais credores, tanto de natureza financeira quanto de natureza social), sujeito passivo da emissão, que supostamente busca neste relatório verificar se as demonstrações contábeis a ele relacionadas são merecedoras de credibilidade; e, o auditado (os administradores/gestores e o contador, enquanto, respectivamente, responsáveis e responsável técnico pela elaboração das demonstrações contábeis), sujeito oculto da emissão, porém, diretamente envolvido no processo de auditagem, podendo ser afetado por conta da decisão dos usuários, dada em virtude do resultado da emissão de uma opinião modificada (DUTRA, 2006). Dessa forma, o parecer funciona como meio de comunicação entre auditor, auditado e os usuários da informação contábil. Nas palavras de Boynton, Johnson e Kell (2002, p. 82), “o parecer de auditoria é o meio formal pelo qual ele comunica a parte interessada sua conclusão a respeito das demonstrações contábeis auditadas”. A investigação científica deste relatório envolve diversas questões que trazem à tona, dentre outras coisas, o próprio significado da atividade desenvolvida pelas auditoria externas independentes, enquanto forma de atribuir credibilidade às informações financeiras produzidas e evidenciadas pelas empresas. No âmbito dos trabalhos de conclusão de cursos de mestrado e doutorado, estas imersões investigativas tornam-se, ainda, mais expressivas dado à natureza da exigência de alto nível de aprofundamento que requer uma dissertação ou uma tese de doutoramento. Diante do exposto, formula-se a seguinte questão norteadora da pesquisa: Quais os enfoques apontados nas teses e dissertações dos cursos brasileiros de mestrado e doutorado em contabilidade e administração acerca do tema ‘parecer dos auditores independentes’?

3

Em conformidade com a questão de pesquisa, este estudo objetiva investigar os enfoques apontados nas teses e dissertações dos cursos brasileiros de mestrado e doutorado em contabilidade e administração acerca do tema ‘parecer dos auditores independentes’. Com este intuito, o artigo segue organizado da seguinte maneira: na seção próxima apresentam-se os procedimentos metodológicos empregados na pesquisa; na sequência, a descrição e análise dos resultados; as conclusões da pesquisa são apresentadas na penúltima seção; e, a recomendação para futuros trabalhos é apresentada na seção final.

2 Procedimentos Metodológicos Os procedimentos adotados nesta pesquisa foram respectivamente: i) identificar as teses e dissertações defendidas sobre parecer dos auditores independentes; ii) categorizar e sistematizar os enfoques das teses e dissertações defendidas sobre o tema. I) Da identificação: Esta pesquisa foi realizada com base em teses e dissertações defendidas no Brasil no período compreendido entre os anos de 1989 e 2009, catalogadas no ‘Banco de Teses e Dissertações’ da seção de Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), setor este subordinado ao Ministério da Educação (MEC), no âmbito brasileiro. Desta forma, destaca-se a intenção do estudo em identificar a produção acadêmica em termos de trabalhos de conclusão de curso dos Programas de Pós-Graduação (strictu senso) reconhecidos pelo MEC. O escrutínio foi realizado entre os dias 05 e 17 de maio do ano de 2010, no Banco de Teses e Dissertações da CAPES/MEC, pelo critério “por assunto” com os seguintes termos de pesquisa: i) parecer de auditoria, resultando em 13 trabalhos; ii) parecer auditoria, 42 trabalhos; iii) parecer da auditoria, 42 trabalhos; iv) parecer dos auditores, 42 trabalhos; e a busca conjunta pelos termos auditoria independente, auditor independente e parecer, cujo resultado foram 19 trabalhos. Após a fusão dos trabalhos obtidos nas cinco buscas efetuadas, resultaram 158 trabalhos, dos quais foram detectados que pela similaridade dos termos empregados no processo, haviam sido coletados trabalhos repetidos, que totalizavam 116, os quais foram retirados da amostra, resultando em um montante de 42 trabalhos não repetidos. Para estes trabalhos não repetidos, foi realizada a leitura de seus títulos visando identificar quais estavam ou não alinhados à temática parecer dos auditores independentes. Neste processo, constatou-se que haviam 29 trabalhos não alinhados à temática

4

proposta, resultando em um total de 13 dissertações aparentemente aderentes aos objetivos desta pesquisa. Como procedimento investigativo de certificação, realizou-se a busca por dissertações e teses nas homepage’s dos programas de mestrado e doutorado em contabilidade e administração cadastrados e reconhecidos junto ao MEC. Nenhum trabalho adicional foi encontrado nestes sítios eletrônicos. Por conseguinte, o procedimento procedente consistiu na busca pelos Full Texts (trabalhos disponibilizados na íntegra em meio eletrônico) das teses e dissertações nos sites das bibliotecas das instituições de ensino de cada autor, uma vez que o Banco de Teses e Dissertações da CAPES/MEC apenas disponibilizava o resumo dos trabalhos. Alguns textos não obtidos neste procedimento foram obtidos junto aos referidos programas de mestrado/doutorado em que o autor defendeu sua dissertação/tese. O único trabalho que não se teve acesso foi a dissertação de Guedes (2008) que não havia disponibilizado o trabalho na biblioteca da instituição de ensino superior em que cursou mestrado. Salienta-se que não foi possível a análise de tal dissertação, considerada apenas para efeitos estatísticos (por apresentar resumo aderente ao tema, junto ao CAPES/MEC), pois não houve a possibilidade de sua inserção no contexto da pesquisa. II) Da categorização e sistematização: Procedida a identificação dos trabalhos, adotou-se criar categorias para classificação e verificação dos enfoques abordados nos estudos averiguados. Ao longo da leitura prévia dos referidos textos, alguns termos recorrentemente utilizados nos trabalhos possibilitaram a verificação de 6 terminologias (aqui enquadradas como enfoques), em razão da frequência de ocorrência, a saber:   Aspectos Polêmicos - em que podem ser classificados os trabalhos que abordam questões polêmicas envolvendo o trabalho de auditorias; Conflito de Interesses - em que podem ser classificadas as pesquisas que abordam aspectos que geram conflito de interesses entre auditados, auditores e usuários externos da informação contábil;  Cumprimento de Exigências Normativas - em que podem ser classificados os estudos que envolvem o cumprimento de exigências normativas por parte da auditoria, neste caso relativamente à emissão do parecer;  Poder de Comunicação - em que podem ser classificados os trabalhos que versam sobre a comunicação gerada através da emissão do relatório final da auditoria externa independente;

5

 

Reflexos sobre Investidores e/ou Financiadores - em que podem ser classificados os estudos que investigam o efeito da emissão do parecer; e, Utilidade e/ou Compreensibilidade - em que podem ser classificadas as pesquisas que discutem a relevância e capacidade de compreensão deste documento emitido pela auditoria.

Considerando tais classificações como categorias em que o enfoque é determinado, a análise foi, destarte, realizada nos trabalhos através da consideração de: resumo, introdução, questão de pesquisa, objetivos, procedimentos metodológicos, resultados e conclusões.

3 Descrição e análise dos resultados Os 13 trabalhos que compõe o portfólio de pesquisa são elencados no Quadro 1, destacando-se que estes foram defendidos entre os anos de 1989 e 2009.

6

Título O parecer dos auditores independentes sobre demonstrações contábeis no Brasil: estudo das limitações ao seu poder de comunicação Grau de Compreensão Dos Pareceres de Auditoria

Autor

Curso

IES USP UERJ Centro Universitário Álvares Penteado Fundação Visconde de Cairu PUC/SP

Orientador

Ano

Luiz Nelson Guedes de Controladoria e Carvalho Contabilidade Francisco José de Araujo Ciências Contábeis

Sérgio de Iudicíbus 1989 Júlio Sérgio de Souza Cardozo Daniel Augusto Moreira Geoge Sebastião Guerra Leone 1997 2002 2003

Responsabilidade e importância do parecer dos auditores independentes: análise Eduardo Vieira Orfão Administração de conflito de interesse A questão da ressalva no parecer dos auditores independentes: aspectos que dão Ciências Alice de Sena Ribeiro margem às controvérsias entre auditores e auditados Contábeis Ciências Roberto José Licciardi Casos polêmicos de pareceres de auditoria das demonstrações contábeis Contábeis e Júnior Atuariais A Importância, A Credibilidade e a Influência do Parecer da Auditoria como Ciências Eloi de Siqueira Ferramenta Auxiliar na Utilização das Demonstrações Contábeis para a Tomada Contábeis e de Decisão dos Investidores: Um Estudo Exploratório Atuariais Uma Análise Crítica dos Pareceres dos Auditores Independentes Sobre Demonstrações Contábeis de Empresas Brasileiras A aderência às exigências normativas dos pareceres da auditoria independente emitidos às empresas do setor elétrico brasileiro O atendimento às normas na reavaliação de ativos imobilizados e nos pareceres emitidos por auditoria independente: um estudo exploratório A associação entre o parecer da auditoria externa e a necessidade de reapresentação das demonstrações contábeis: um estudo das instituições financeiras de capital aberto A relação entre o parecer de auditoria e a troca de auditores: uma investigação nas instituições financeiras brasileiras O impacto dos pareceres de auditoria na variação do preço (retorno) das ações preferenciais das empresas listadas na Bovespa Uma análise da influência do parecer dos auditores independentes com ressalvas em decisões de usuários das informações contábeis Karla Katiuscia Nóbrega de Almeida Marcelo Haendchen Dutra Ildefonso Assing Antonio Carlos dos Santos Guedes Fabiano Pereira dos Santos Cleibson Gonçalves Batista Danielle Montenegro Salamone Nunes Ciências Contábeis Contabilidade Contabilidade Administração Administração Ciências Contábeis Contabilidade

José Carlos Marion 2003

PUC/SP

Carlos Hideo Arima 2004

UNB - UFPB - UFPE - Marco Túllio de 2006 UFRN Castro Vasconcelos UFSC UFSC FGV/RJ FGV/RJ Centro Universitário Álvares Penteado UNB - UFPB - UFPE UFRN Luiz Alberton Luiz Alberton Ricardo Lopes Cardoso Ricardo Lopes Cardoso Anisio Candido Pereira César Augusto Tibúrcio Silva 2006 2008 2008 2008 2009 2009

Quadro 1 – Dissertações selecionadas para integrar o portfólio de pesquisa

7

Notar no Quadro 1 que os trabalhos apresentados no portfólio de pesquisa referem-se a dissertações, não havendo teses de doutoramento sobre o tema. Os dados verificados no Quadro 1 podem ser melhor compreendidos com o uso de gráficos, os quais podem ser verificados nas figuras 1, 2 e 3.

4 Quantidade de Trabalhos 3 3 2 2 1 1 0 0 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 1 1 1 2 2

Anos Figura 1 – Evolução temporal dos trabalhos defendidos

Com base na Figura 1 pode-se verificar que a primeira dissertação sobre o tema foi defendida no ano de 1989, sendo, somente no ano de 1997, 8 anos após, portanto, realizado outro trabalho de conclusão sobre parecer da auditoria. Lacunas como estas ocorreram, também, entre 1998 e 2001, em que nenhum estudo sobre o parecer foi desenvolvido no âmbito dos trabalhos de conclusão de cursos de mestrado e doutorado em contabilidade e administração. Além disto, durante os anos de 1989, 1997, 2002 e 2004 houve somente a defesa de 1 trabalho por ano. Notar, ademais, que nos anos de 2003, 2006 e 2009 foram defendidos 2 trabalhos, em cada ano. A maior quantidade é observada no ano de 2008, 3 trabalhos. Quanto às instituições de ensino em que os trabalhos foram defendidos, estas são apresentadas na Figura 2, juntamente com a respectiva quantidade de trabalhos desenvolvidos.

8

3 Quantidade de trabalhos 2 2 1 1 1 1 2 2 2 2

0
Centro Universitário Alvares Penteado FGV/RJ Fundação Visconde de Cairu PUC/SP UNB - UFPB - UFPE UFRN USP UERJ UFSC

Instituições de ensino superior Figura 2 – Quantidade de trabalhos por instituição de ensino

Verifica-se, pela Figura 2, que, das 8 instituições de ensino superior apresentadas, 4 delas possuem 2 trabalhos defendidos por instituição, quais sejam, o Centro Universitário Álvares Penteado, FGV/RJ, PUC/SP, UNB (mestrado conjunto com UFPB, UFPE e UFRN) e UFSC. No caso da Fundação Visconde de Cairu, USP e UERJ, verifica-se a existência de apenas 1 trabalho sobre parecer dos auditores independentes. Quanto aos professores que orientam pesquisadores neste tema, estes podem ser notados na Figura 3.

Ricardo Lopes Cardoso Luiz Alberton Sérgio de Iudicíbus Marco Túllio de Castro Vasconcelos Júlio Sérgio de Souza Cardozo José Carlos Marion Geoge Sebastião Guerra Leone Daniel Augusto Moreira César Augusto Tibúrcio Silva Carlos Hideo Arima Anisio Candido Pereira 0 1

2 2 1 1 1 1 1 1 1 1 1 2 3

Orientador

Quantidade de trabalhos Figura 3 – Quantidade de trabalhos por orientador

A Figura 3 possibilita visualizar que os professores com maior quantidade de

9

orientações sobre o tema parecer de auditoria são: Ricardo Lopes Cardoso, da FGV/RJ e Luiz Alberton, da UFSC.

3.1 Do conteúdo dos trabalhos Conforme anotado na seção de procedimentos metodológicos, utilizou-se da supressão dos trabalhos previamente à sua categorização. Desta feita, a exposição de uma síntese extraída da supressão realizada é importante para a compreensão da investigação proposta, de modo que, na sequência, apresenta-se tal proposição ordenada em conformidade com o Quadro 1. Cabe lembrar que não se teve acesso ao trabalho de Guedes (2008).

Carvalho (1989) Carvalho (1989) aborda o parecer dos auditores independentes sob a perspectiva de “instrumento de comunicação”, discutindo, sobretudo, aspectos intrínsecos e extrínsecos da redação deste documento e salientando as limitações de seu poder de comunicação. Evidencia, ainda, questões ligadas à formação da opinião do auditor, o uso excessivo de termos técnicos e linguagem hermética, a auto-regulamentação da atividade, dentre outros aspectos.

Araujo (1997) Araujo (1997) estuda a compreensibilidade dos pareceres de auditoria publicados no Brasil, através de um levantamento junto aos 6 principais órgãos envolvidos com o mercado financeiro e de capitais brasileiro. De acordo com Araujo (1997), a forma redacional do parecer ainda não era clara para os usuários, não sendo este relatório plenamente compreendido.

Orfão (2002) Orfão (2002) apresenta, a partir do estudo do caso do Banco Nacional, uma análise da responsabilidade e importância do parecer, bem como das situações de conflitos de interesses envolvidas na execução da auditoria independente. O autor conclui que empresas de grande porte podem exercer influência significativa (pela dominação financeira) sobre as firmas de auditoria.

Ribeiro (2003)

10

O trabalho de Ribeiro (2003) apresenta entrevistas realizadas com seis auditores, visando verificar os principais aspectos que dão margem a controvérsias entre auditores e auditados, conduzindo a opinião dos auditores independentes à emissão de ressalvas. Dentre as conclusões apresentadas pela autora destaca-se que a preocupação dos auditados não reside na aderência ou não-aderência às normas e princípios contábeis, mas sim em uma possível repercussão negativa da publicação das demonstrações contábeis acompanhadas de um parecer de auditoria com ressalvas.

Licciardi Jr. (2003) Licciardi Jr. (2003) apresenta, através de pesquisa bibliográfica e artigos de natureza não-científica publicados em revistas, jornais, homepage’s e outros veículos de comunicação, um estudo sobre casos polêmicos envolvendo auditorias independentes. Segundo o autor, algumas empresas com problemas de continuidade receberam indevidamente pareceres de auditoria sem a informação deste fato indispensável em casos desta natureza.

Siqueira (2004) A dissertação de Siqueira (2004) se propôs a investigar a importância, a credibilidade e a influência exercida pelo parecer dos auditores independentes sobre os investidores, como instrumento de tomada de decisão. De acordo com os resultados obtidos no trabalho, a auditoria é importante ao mercado de capitais segundo a percepção dos usuários pesquisados, porém, o autor enfatiza que estes usuários possuem expectativas de uma atuação mais ativa por parte dos auditores.

Almeida (2006) Almeida (2006) apresenta um estudo realizado com 307 pareceres de instituições nãofinanceiras cadastradas na Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA), em que busca verificar a aderência normativa na emissão destes relatórios, bem como investigar os aspectos de compreensibilidade e utilidade deste documento. A autora apresenta críticas e conclusões sobre o atual modelo adotado, inferido que as informações contidas nos pareceres dos auditores independentes averiguados não atendem aos aspectos de aderência normativa, nem mesmo de compreensibilidade e utilidade.

Dutra (2006) O trabalho de Dutra (2006) apresentou a questão da aderência normativa dos pareceres

11

de auditoria emitidos às empresas do setor elétrico. Dentre os aspectos analisados pelo autor, destaque para verificação de algumas inconsistências (14,9% de pontos não-aderentes) constatando-se que a principal divergência verificada era a inobservância, por parte de alguns auditores, de aspectos da legislação específica do setor (legislação da ANEEL - Agência Nacional de Energia Elétrica).

Assing (2008) A dissertação de Assing (2008) teve como objetivo investigar a aderência às normas de reavaliação de ativos imobilizados pelas empresas listadas na BOVESPA, verificando, paralelamente, se os auditores observam tais normas para a emissão dos pareceres de auditoria. O autor efetuou a confrontação das não-conformidades encontradas, com os pareceres de auditoria, e observou que alguns pareceres emitidos sem ressalvas, na verdade, poderiam conter ressalvas quanto ao não-cumprimento de normas contábeis.

Santos (2008) O trabalho de Santos (2008) teve como objetivo verificar se as administrações de algumas instituições financeiras auditadas realizavam a troca de auditores após o recebimento de pareceres “não-limpos” e se a adoção do rodízio obrigatório realmente propiciava maior independência às auditorias. O autor contata que a administração se torna mais propensa a trocar de firma de auditoria quando recebe um parecer “não-limpo”, todavia, não conseguiu verificar relação entre a adoção do rodízio obrigatório de firmas de auditoria e a emissão de pareceres “não-limpos” nos anos que sucederam a troca dos auditores.

Batista (2009) A dissertação de mestrado de Batista (2009) teve como propósito verificar como os preços das ações reagem à divulgação de pareceres de auditoria (com ressalva e sem ressalva). Segundo o autor, a pesquisa não apontou influências dos pareceres de auditoria com ou sem ressalva nos preços das ações.

Nunes (2009) Nunes (2009) buscou investigar se o parecer com ressalvas exercia influência nas decisões de investidores e/ou financiadores. Como conclusão da pesquisa a autora destaca verificar que a presença do parecer com ressalva não interferia na percepção dos respondentes, não alterando a decisão de compra de ações e nem de concessão de crédito.

12

3.2 Da análise conjunta dos trabalhos Do exposto é possível verificar que os trabalhos de conclusão de curso realizados sobre o tema podem ser classificados por categorias temáticas, de modo a agrupar os enfoques adotados na investigação do tema de pesquisa, conforme Quadro 2.

Título O parecer dos auditores independentes sobre demonstrações contábeis no Brasil: estudo das limitações ao seu poder de comunicação Grau de Compreensão Dos Pareceres de Auditoria Responsabilidade e importância do parecer dos auditores independentes: análise de conflito de interesse A questão da ressalva no parecer dos auditores independentes: aspectos que dão margem às controvérsias entre auditores e auditados Casos polêmicos de pareceres de auditoria das demonstrações contábeis A Importância, A Credibilidade e a Influência do Parecer da Auditoria como Ferramenta Auxiliar na Utilização das Demonstrações Contábeis para a Tomada de Decisão dos Investidores: Um Estudo Exploratório Uma Análise Crítica dos Pareceres dos Auditores Independentes Sobre Demonstrações Contábeis de Empresas Brasileiras A aderência às exigências normativas dos pareceres da auditoria independente emitidos às empresas do setor elétrico brasileiro O atendimento às normas na reavaliação de ativos imobilizados e nos pareceres emitidos por auditoria independente: um estudo exploratório A relação entre o parecer de auditoria e a troca de auditores: uma investigação nas instituições financeiras brasileiras O impacto dos pareceres de auditoria na variação do preço (retorno) das ações preferenciais das empresas listadas na Bovespa Uma análise da influência do parecer dos auditores independentes com ressalvas em decisões de usuários das informações contábeis

Autor Luiz Nelson Guedes de Carvalho

Ano

Enfoque

1989 Poder de comunicação Utilidade e/ou compreensibilidade

Francisco José 1997 de Araujo

Eduardo Vieira 2002 Conflito de interesses Orfão Alice de Sena 2003 Ribeiro Roberto José Licciardi 2003 Júnior Eloi de Siqueira Karla Katiuscia Nóbrega de Almeida Marcelo Haendchen Dutra Ildefonso Assing Fabiano Pereira dos Santos Cleibson Gonçalves Batista Danielle Montenegro Salamone Nunes 2004 Aspectos polêmicos

Aspectos polêmicos

Utilidade e/ou compreensibilidade

2006

Utilidade e/ou compreensibilidade Cumprimento de exigências normativas Cumprimento de exigências normativas

2006

2008

2008 Conflito de interesses Reflexos sobre investidores e financiadores Reflexos sobre investidores e financiadores

2009

2009

Quadro 2 – Enfoques identificados na abordagem do tema ‘parecer dos auditores independentes’

Verifica-se, assim, pela análise realizada o foco dado nas conclusões dos trabalhos de conclusão de cursos de mestrado em administração e contabilidade no Brasil. A Figura 4

13

auxilia na observação, em termos percentuais, da distribuição dos enfoques destes trabalhos.

30,00% 25,00% 25,00% Percentual 20,00% 15,00% 10,00% 5,00% 0,00% 8,33% 16,67% 16,67% 16,67% 16,67%

Enfoques identificados Figura 4 – Percentual de trabalhos por enfoque

Pelo exposto na Figura 4, pode-se notar que, no que tange aos enfoques de pesquisa sobre o parecer destacam-se primeiramente os estudos sobre a ‘utilidade e/ou compreensibilidade’ do parecer, com frequência de 25%; seguido por estudos sobre ‘aspectos polêmicos’, ‘conflito de interesses’, ‘cumprimento de exigências normativas’ e ‘reflexos sobre investidores e financiadores’, cada um com 16,67%; e, estudos sobre o ‘poder de comunicação’ do parecer dos auditores independentes com 8,33% (um único trabalho).

4 Conclusão Como resposta à questão de pesquisa proposta, verificou-se a existência dos seguintes enfoques nos estudos sobre parecer dos auditores independentes: aspectos polêmicos; conflito de interesses; cumprimento de exigências normativas; poder de comunicação; reflexos sobre investidores e/ou financiadores; e, utilidade e/ou compreensibilidade. Uma questão que merece destaque dentro do que foi abordado neste trabalho é um fato notado em quase a totalidade dos trabalhos desenvolvidos, qual seja, a percepção de que os

14

usuários não compreendem plenamente o papel do parecer de auditoria e dos auditores, o que pode explicar relação de baixa satisfação para com o modelo de parecer em vigor. Para tanto, emerge a necessidade de estudos, não só sobre o poder de comunicação do relatório, mas, também, sobre as lacunas de expectativas entre usuários e auditoria, necessidade informacional dos usuários, adaptação/alteração do modelo do relatório e qualquer outra discussão que possibilite auxiliar na clarificação de questões relativas a este instrumento de informação tão expressivo para a evidenciação das informações financeiras. De fato a importância deste relatório reside em sua capacidade de propagar a informação de maneira clara aos usuários da informação contábil.

5 Recomendação para futuros trabalhos Além das considerações realizadas na seção anterior, optou-se por trazer à tona uma das principais temáticas investigativas que emergem na área de administração, qual seja, a discussão de Responsabilidade Sócio-Empresarial. O tema Responsabilidade SócioEmpresarial (que é comumente encontrado como sinônimo de Responsabildiade SócioCorporativa ou Responsabildiade Social Empresarial) tem sido tratada na academia como um conceito que remete a questões que envolve discussões acerca da atuação das corporações e sobre seu comportamento ético, diante da exploração das riquezas da sociedade. As escolas/correntes mais frequentemente referenciadas, que buscam fundamentar conceitualmente o tema, são: a escola da Ética Empresarial (Business Ethics), que dá ao tema um tratamento filosófico, normativo, centrado em valores e em julgamentos morais; a escola da Gestão de Questões Sociais (Social Issues Management), que aborda o tema com uma perspectiva utilitária, tratando os problemas sociais como variáveis a serem consideradas no âmbito da gestão corporativa estratégica; e, a corrente do Mercado e Sociedade (Business & Society), que discute o tema à luz de uma perspectiva sociopolítica, sugerindo uma abordagem contratual aos problemas surgidos na relação empresas/sociedade (KREITLON, 2004). De maneira similar à discussão dada nesta vertente, no âmbito dos estudos sobre a auditoria independente a discussão do papel da auditoria independente e da autação do profissional auditor tem ganho espaço, voltando-se as discussões acerca da relação com a sociedade, conforme realizado por Flint (1988) e Almeida (2004). Todavia, embora haja similaridade, ao não se considerar os preceitos desta abordagem teórica alguns estudos podem ter deixado de lado aspectos relevantes, de modo a não conseguir abordar com toda a profundidade e riqueza detalhes que este assunto requer, para o seu tratamento.

15

Recorrendo-se a Figura 4 deste trabalho, observa-se que os enfoques ‘aspectos polêmicos’, ‘conflito de interesses’ e ‘reflexos sobre investidores e financiadores’, que somados representam 50% dos estudos investigados nesta pesquisa, representam trabalhos que discutem, ainda que indiretamente, e por intermédio do relatório final da auditoria externa independente, a relação social da auditoria com o mercado e sociedade, o que no âmbito das discussões sobre Responsabilidade Sócio-Empresarial é tratado com uma perspectiva sociopolítica (abordagem contratual aos problemas entre corporações e sociedade), dentro da vertente de Mercado e Sociedade (Business & Society). Neste sentido, tendo em vista ser esta uma das principais temáticas emergentes no âmbito da administração, a investigação do relatório da auditoria associada a esta temática poderia ser objeto de investigação de futuros trabalhos, trazendo à tona questões que permeiam a atuação profissional dos auditores externos independentes, e os seus efeitos no mercado e na sociedade.

Referências ALBERTON, L. 2002. Uma contribuição para a formação de auditores contábeis independentes na perspectiva comportamental. Tese de Doutoramento, Universidade Federal de Santa Catarina.

ALMEIDA, B.J.M. 2004. Auditoria e Sociedade: o diálogo necessário. Revista Contabilidade & Finanças, 34, 80-96.

ALMEIDA, K.K.N. 2006. Uma análise crítica dos pareceres dos auditores independentes sobre demonstrações contábeis de empresas brasileiras. Dissertação de Mestrado, Universidades de Brasília/Paraíba/Pernambuco/Rio Grande do Norte.

ARAUJO, F.J. 1997. Grau de compreensão dos pareceres de auditoria. Dissertação de Mestrado, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

ASSING, I. 2008. O atendimento às normas na reavaliação de ativos imobilizados e nos pareceres emitidos por auditoria independente: um estudo exploratório. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

16

BATISTA, C.G. 2009. O impacto dos pareceres de auditoria na variação do preço (retorno) das ações preferenciais das empresas listadas na Bovespa. Dissertação de Mestrado, Centro Universitário Álvares Penteado.

BOYNTON, W.C.; JOHNSON, R.N.; KELL, W.G. 2002. Auditoria, São Paulo, Atlas.

CARVALHO, L.N.G. 1989. O parecer dos auditores independentes sobre demonstrações contábeis no Brasil: estudo das limitações ao seu poder de comunicação. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo.

DUTRA, M.H. 2006. A aderência às exigências normativas dos pareceres da auditoria independente emitidos às empresas do setor elétrico brasileiro. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina.

FLINT, D. 1988. Philosophy and principles of auditing – an introduction. London, Macmillan. GUEDES, A.C.S. 2008. A associação entre o parecer da auditoria externa e a necessidade de reapresentação das demonstrações contábeis: um estudo das instituições financeiras de capital aberto. Dissertação de Mestrado, Fundação Getúlio Vargas.

KREITLON, M.P. 2004. A ética nas relações entre empresas e sociedade: fundamentos teóricos da responsabilidade social empresarial. In: Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ENANPAD), 28, Anais... (CD-ROM).

LICCIARDI JR., R.J. 2003. Casos polêmicos de pareceres de auditoria das demonstrações contábeis. Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

NUNES, D.M.S. 2009. Uma análise da influência do parecer dos auditores independentes com ressalvas em decisões de usuários das informações contábeis. Dissertação de Mestrado, Universidades de Brasília/Paraíba/Pernambuco/Rio Grande do Norte.

ORFÃO, E.V. 2002. Responsabilidade e importância do parecer dos auditores independentes: análise de conflito de interesse. Dissertação de Mestrado, Centro Universitário Álvares Penteado.

17

RIBEIRO, A.S. 2003. A questão da ressalva no parecer dos auditores independentes: aspectos que dão margem às controvérsias entre auditores e auditados. Dissertação de Mestrado, Fundação Visconde de Cairu.

SANTOS, F.P. 2008. A relação entre o parecer de auditoria e a troca de auditores: uma investigação nas instituições financeiras brasileiras. Dissertação de Mestrado, Fundação Getúlio Vargas.

SIQUEIRA, E. 2004. A importância, a credibilidade e a influência do parecer da auditoria como ferramenta auxiliar na utilização das demonstrações contábeis para a tomada de decisão dos investidores: um estudo exploratório. Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

18

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->