P. 1
Noções básicas de Legislação Ambiental

Noções básicas de Legislação Ambiental

4.8

|Views: 14.050|Likes:
Apresenta noções sobre legislação ambiental.
Apresenta noções sobre legislação ambiental.

More info:

Published by: Gerisval Alves Pessoa on Sep 21, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/05/2014

pdf

text

original

FACULDADE ATENAS MARANHENSE - FAMA

- Gestão Ambiental Legislação Ambiental
GERISVAL ALVES PESSOA • Mestre em Gestão Empresarial • Especialista em Engenharia da Qualidade • Auditor Líder ISO 9000 e ISO 14000 • Auditor OHSAS 18001 • Instrutor Internacional de TPM • Examinador Prêmio Nacional da Qualidade - Ciclos 2000, 2001 e 2002
© Gerisval Pessoa

Hierarquia dos Órgãos Ambientais

SISNAMA CONSELHO DO GOVERNO CONAMA ÓRGÃO CENTRAL ÓRGÃO EXECUTOR ÓRGÃOS SECCIONAIS ÓRGÃOS LOCAIS

© Gerisval Pessoa

Hierarquia dos Órgãos Ambientais
SISNAMA
Sistema Nacional de Meio Ambiente - composto por órgãos e entidades (fundações instituídas pelo Poder Público) da União, Estados, Distrito Federal, Territórios e Municípios. O SISNAMA está estruturado nos seguintes Órgãos: ÓRGÃO SUPERIOR - CONSELHO DO GOVERNO Integrado pelos Ministros de Estado, pelos titulares dos órgãos essenciais da Presidência da República e pelo Advogado Geral da União com a função de assessorar o Presidente da República na formulação da política nacional e nas diretrizes governamentais para o meio ambiente e os recursos ambientais.
© Gerisval Pessoa

Hierarquia dos Órgãos Ambientais
ÓRGÃO CONSULTIVO E DELIBERATIVO - CONAMA
Conselho Nacional do Meio Ambiente - com a finalidade de assessorar, estudar e propor ao Conselho do Governo, diretrizes de políticas governamentais para o meio ambiente e os recursos naturais e deliberar, no âmbito de sua competência sobre normas e padrões a nível nacional compatíveis com o meio ambiente ecologicamente equilibrado e essencial à sadia qualidade de vida. ÓRGÃO CENTRAL - MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE E AMAZÔNIA LEGAL Planeja, controla, coordena, supervisiona a implementação da política nacional e as diretrizes governamentais fixadas para o meio ambiente.
© Gerisval Pessoa

Hierarquia dos Órgãos Ambientais
ÓRGÃO EXECUTOR - IBAMA
Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - entidade autárquica de regime especial, com autonomia administrativa e financeira, dotada de personalidade jurídica de direito público (poder de polícia). Possui 14 objetivos: 01 - reduzir os efeitos prejudiciais e prevenir acidentes decorrentes da utilização de agentes e produtos agrotóxicos, seus componentes e afins, bem como seus resíduos; 02 - promover a adoção de medidas de controle de produção, utilização, comercialização, movimentação e destinação de substâncias químicas e resíduos potencialmente perigosos; 03 - executar o controle e a fiscalização ambiental nos âmbitos regional e nacional;
© Gerisval Pessoa

Hierarquia dos Órgãos Ambientais
ÓRGÃO EXECUTOR - IBAMA
04 - intervir nos processos de desenvolvimento geradores de significativo impacto ambiental, nos âmbitos regional e nacional; 05 - monitorar as transformações do meio ambiente e dos recursos naturais; 06 - executar ações de gestão, proteção e controle da qualidade dos recursos hídricos; 07 - manter a integridade das permanentes e das reservas legais; áreas de preservação

08 - ordenar o uso dos recursos pesqueiros em águas sob domínio da União;
© Gerisval Pessoa

Hierarquia dos Órgãos Ambientais
ÓRGÃO EXECUTOR - IBAMA
09 - ordenar o uso dos recursos florestais nacionais; 10 - monitorar o status da conservação dos ecossistemas, das espécies e do patrimônio genético natural, visando à ampliação da representação ecológica; 11 - executar ações de proteção e de manejo de espécies da fauna e da flora brasileiras; 12 - promover a pesquisa, a difusão e o desenvolvimento técnicocientífico voltados para a gestão ambiental; 13 - promover o acesso e o uso sustentado dos recursos naturais e 14 - desenvolver estudos analíticos, prospectivos e situacionais verificando tendências e cenários, com vistas ao planejamento ambiental.
© Gerisval Pessoa

Hierarquia dos Órgãos Ambientais

ÓRGÃOS SECCIONAIS
Órgãos ou entidades estaduais responsáveis pela execução de programas, projetos e pelo controle e fiscalização de atividades capazes de provocar a degradação ambiental. Ex.: COSEMA - Conselho Estadual de Meio Ambiente e GAMA Gerência Adjunta do Meio Ambiente. Os Estados, na esfera de suas competências e nas áreas de sua jurisdição, elaborarão normas supletivas e complementares e padrões relacionados com o meio ambiente observados os que forem estabelecidos pelo CONAMA.

© Gerisval Pessoa

Hierarquia dos Órgãos Ambientais

ÓRGÃOS LOCAIS
Órgãos ou entidades municipais, responsáveis pelo controle e fiscalização ambiental, nas suas respectivas jurisdições. Os Municípios, observando as normas e os padrões federais e estaduais, também poderão elaborar as normas.

© Gerisval Pessoa

Hierarquia dos Órgãos Ambientais

CONSTITUIÇÃO LEIS DECRETOS
e substituído pelas medidas Provisórias) DECRETO-LEI RESOLUÇÃO /PORTARIA Normas infralegais NORMAS (Foi extinto a partir de 1988

© Gerisval Pessoa

Definições
LEI
Norma elaborada e votada pelo poder legislativo, que estabelece Política Ambiental.

DECRETO
Determinação escrita, emanada do chefe de Estado ou de outra autoridade superior, que regulamenta a Lei Ambiental.

DECRETO - LEI
Regulamentação do Poder Público.
(*) Presidente da República, Ministro e Governador do Estado
© Gerisval Pessoa

Definições
RESOLUÇÃO
Estabelece critérios e definições. Ex.: Resolução CONAMA 20/86: Classificação das águas doces, salobras e salinas do Território Nacional
(*) Presidente da Entidade

PORTARIA
Delibera a nível de localidade ou especificidade (executivo). Ex.: Portaria MINTER 124/80: Armazenamento de produtos perigosos Portaria IBAMA 85/96: Programa de autofiscalização e correta manutenção da frota
(*) Presidente da Entidade © Gerisval Pessoa

Definições

NORMAS
Regra, preceito, lei. Ex.: Norma Técnica NBR 10.004 de 1987: Classifica os resíduos sólidos Norma Técnica NBR 5.681 de 1980: Controle tecnológico da execução de aterros em obras e edificações (*) ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas

© Gerisval Pessoa

Noções de Direito e de Lei
Direito objetivo: (contém normas de conduta) - Constituição
Federal, Código Civil, Código Penal, etc.) Ex.: Art. 5o , inciso XXII da Constituição Federal -” É garantido o direito de propriedade” - regra objetiva.

Direito subjetivo (normas que contém a faculdade de agir) Código de Processo Civil, Código de Processo Penal e Outros. Ex.: Uso dos meio legais para impedir a invasão de minha propriedade através das regras subjetivas que irão garantir a manutenção do citado princípio da Carta Magna proibindo que alguém impeça o exercício do meu direito.

© Gerisval Pessoa

Noções de Direito e de Lei
Constituição Federal de 1988
Art. 5o - Inciso II - ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude da Lei. Inciso XXXVI - a Lei não prejudicará o direito adquirido, o ato perfeito ou a coisa julgada. Inciso XXXIV - Não há crime sem lei anterior que o defina, nem pena sem prévia comunicação legal.

© Gerisval Pessoa

O Meio Ambiente na Constituição Federal
Art. 225 - Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente
equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo para as presentes e futuras gerações. Comentário: Observa-se que a obrigação constitucional na preservação e defesa do meio ambiente é de todos

Art. 23 - É competência comum da União, dos Estados, do
Distrito Federal e dos Municípios: ............................................................................................. VI - proteger o meio ambiente e combater a poluição em qualquer de suas formas; VII - preservar as florestas, fauna e a flora;
© Gerisval Pessoa

O Meio Ambiente na Constituição Federal
Art. 24 - Compete a União, aos Estados e ao Distrito Federal
legislar corretamente sobre: ............................................................................................. VI - florestas, caça, pesca, fauna, conservação da natureza, defesa do solo e dos recursos naturais, proteção do meio ambiente e controle da poluição; Parág. 1o - no âmbito da legislação concorrente, a competência da União limitar-se-á a estabelecer normas gerais.

Art. 30 - Compete aos municípios:
I - legislar sobre assuntos de interesse local II - suplementar a legislação federal e a estadual no que couber;
© Gerisval Pessoa

Histórico da Legislação Brasileira Sobre o Meio Ambiente

Regimento sobre o Pau-Brasil - 12 de dezembro de 1605
- proibição do corte do pau-brasil sem expressa licença real ou do provedor-mor na fazenda da capitania, em cujo distrito estivesse a mata em que se houvesse de cortá-lo, sob pena de morte e confiscação de toda a fazenda do infrator; - o provedor-mor antes de conceder a licença para o corte de madeira deveria efetuar uma investigação sobre o solicitante, não a expedindo em caso de descaminho ou furto.

© Gerisval Pessoa

Instrumentos Legais de Controle e Autocontrole

Art .9o da Lei 6.938/81 (Política nacional do Meio Ambiente) - o
controle das atividades que impactam o meio ambiente, dado o seu caráter dinâmico é contínuo e deve ser exercido tanto pela autoridade quanto pelo empreendedor. Para isso foi necessário o estabelecimento de vários instrumentos legalmente previstos e colocados à disposição dos atores envolvidos tais como: padrões de lançamento de efluentes, sistemas dos processos industriais ou de exploração, prevenção e recuperação de áreas degradadas, zoneamento ambiental, avaliação de impactos ambientais, relatório de impacto ambiental, incentivos, espaços territoriais devidamente protegidos, sistemas de informações (banco de dados, etc.), cadastro técnico, penalidade e licenciamento ambiental e a sua revisão.
© Gerisval Pessoa

Instrumentos Legais de Controle e Autocontrole
1 - Controle da Poluição:
A Lei 6.938/81, estabelece: Art. 3o - inciso III - Poluição: a degradação da qualidade ambiental resultante das atividades que direta ou indiretamente: a - prejudiquem a saúde, a segurança e o bem-estar da população; b - criem condições adversas às atividades sociais e econômicas; c - afetem desfavoravelmente a biota; d - afetem as condições estéticas ou sanitárias do meio ambiente; e - lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais estabelecidos Uma das formas encontradas para o controle da poluição é o estabelecimento de parâmetros ou padrões de qualidade para lançamento de resíduos, no ar, no solo e na água. Normas estabelecem quantidades e qualidades máximas toleráveis de resíduos de qualquer natureza que podem ser lançados no ar, na água e no solo. Ex.: Resolução CONAMA 020/86.
© Gerisval Pessoa

Instrumentos Legais de Controle e Autocontrole
2 - Estudo de Impacto Ambiental/EIA - Relatório de Impacto Ambiental/RIMA:
O Estudo de Impacto Ambiental está regulamentado pela Resolução CONAMA 001/86, que define: Art. 2o - Dependerá de elaboração de estudo de impacto ambiental e respectivo relatório de impacto ambiental - RIMA, a serem submetidos à aprovação do órgão estadual competente, e da SEMA em caráter supletivo, o licenciamento de atividades modificadoras do meio ambiente, tais como: .................................................................................................................................... . II - Ferrovias; III - Portos e terminais de minério, petróleo e produtos químicos; X - Aterro sanitários, processamento e destino final de resíduos tóxicos ou perigosos;
De acordo com a Resolução CONAMA 009/87, ao receber o RIMA, sempre que julgar necessário, ou quando for solicitado por entidade civil, pelo Ministério Público, ou por 50 (cinqüenta) ou mais cidadãos, o © Gerisval Pessoa órgão público deverá promover a realização de AUDIÊNCIA PÚBLICA.

Instrumentos Legais de Controle e Autocontrole
3 - Licenciamento Ambiental:
O licenciamento ambiental está regulamentado pela Resolução CONAMA 237/97. “A construção, ampliação, instalação e o funcionamento de estabelecimento e atividades utilizadoras de recursos ambientais, consideradas efetiva e potencialmente poluidoras, bem como os capazes sob qualquer forma de causar degradação ambiental, dependerão de prévio licenciamento do órgão estadual competente, integrante do sistema Nacional de Meio ambiente - SISNAMA e do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis - IBAMA em caráter supletivo, sem prejuízo de outras licenças exigíveis. O Decreto Federal no 99.274 de 06 de junho de 1990, prevê que o licenciamento ambiental deverá obedecer três fases distintas: • Licença Prévia - na fase do planejamento • Licença de Instalação - na fase de implantação do empreendimento e • Licença de Operação - na fase de funcionamento da atividade licenciada.
© Gerisval Pessoa

Controle da Poluição e Qualidade do Ar
- Resolução CONAMA 18/86
Institui em caráter nacional, o Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores – PROCONVE.

- Resolução CONAMA Nº 05/89
Institui o Programa Nacional de Controle da Qualidade do Ar - PRONAR, e dá outras providências.

- Resolução CONAMA Nº 03/90
Dispõe sobre a Qualidade do Ar, definições e padrões

.

- Resolução CONAMA Nº 08/90
Estabelece, em nível nacional, limites máximos de emissão de poluentes do ar (padrões de emissão) para processos de combustão externa em fontes novas fixas de poluição com potências nominais totais até 70 MW (setenta megawatts) e superiores.

- Resolução CONAMA Nº 13/95
Dispõe sobre o cadastro junto ao Ibama das Empresas que produzem, importe, exportem, utilize e comercializam ou utilizam Substâncias Controladas conforme estabelecido no Protocolo de Montreal. - NBR

© Gerisval Pessoa

6016 - Gás de Escapamento de Motor Diesel

Avaliação de Teor de Fuligem com a Escala de Ringelmann

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->