GERMINAÇÃO DA SEMENTE do metabolismo TIPOS DE SEMENTES Quanto à resistência ao dessecamento (perda de água) as sementes podem ser: ORTODOXAS: Perdem

grande volume de água durante a maturação (em torno de 70 %). Exemplo: aroeira.

GERMINAÇÃO DA SEMENTE TIPOS DE SEMENTES RECALCITRANTES: Perdem pequeno volume de água durante a maturação (em torno de 30 %). Exemplo: manga, jenipapo, abacate. Quanto à dormência as sementes podem ser: QUIESCENTES: DORMENTES:

Fase da embebição: CURVA DE EMBEBIÇÃO 10 ponto de estabilização da absorção de água III Fase de emergência da radícula sssaaddsddemergêngi embebição II Fase de latência embebição I Fase de embebição TEMPO .GERMINAÇÃO DA SEMENTE FASES DA GERMINAÇÃO 1.

Fase latência: pequena absorção de água Ativação das mitocôndrias Síntese de enzimas Recuperação de mRNAs pré-existentes Síntese de novos mRNAs Bioquimicamente ativa. .GERMINAÇÃO DA SEMENTE FASES DA GERMINAÇÃO 2.

Fase de emergência da radícula: elevada absorção de água aparecimento da radícula alongamento celular divisão celular novo alongamento celular .GERMINAÇÃO DA SEMENTE FASES DA GERMINAÇÃO 3.

O desenvolvimento das folhas primárias. O alongamento e divisão celular .GERMINAÇÃO DA SEMENTE FASES DA GERMINAÇÃO 4. Fase de formação da parte aérea: O Desenvolvimento do epicótilo e do hipocótilo (caule).

GERMINAÇÃO DA SEMENTE TIPOS DE GERMINAÇÃO HIPÓGEA .

GERMINAÇÃO DA SEMENTE TIPOS DE GERMINAÇÃO EPÍGEA Epicótilo Cotilédones Hipocótilo .

GERMINAÇÃO DA SEMENTE SUBSTÂNCIAS DE RESERVA DA SEMENTE Carboidratos (CH2O) Proteínas Lipídios .

GERMINAÇÃO DA SEMENTE FATORES QUE INFLUENCIAM NA GERMNAÇÃO Intrínsecos: Viabilidade da semente Longevidade da semente Extrínsecos: Temperatura: Temperatura máxima. Temperatura mínima. Temperatura ótima .

GERMINAÇÃO DA SEMENTE FATORES QUE INFLUENCIAM NA GERMNAÇÃO Água Aeração Luz Fotoblásticas positivas (+) Fotoblásticas negativas (-) Fotoblástica neutras .

DORMÊNCIA DE SEMENTES Dormência Primária exógena endógena Dormência primária exógena: física. mecânica e química Dormência física: Devido o tegumento ser impermeável Presença de compostos fenólicos que levam ao seqüestro do oxigênio (O2) .

3.Escarificação mecânica: 2.Choque térmico: 4. NaOH ou KOH concentrados.DORMÊNCIA DE SEMENTES Dormência Primária Tratamentos para a quebra da dormência física 1.Fervura da semente: .Escarificação química: HCl ou H2SO4 .

que impede a ruptura da casca e emergência da radícula .DORMÊNCIA DE SEMENTES Dormência Primária Dormência mecânica: Tegumento impedindo a emergência da radícula. duro (pétreo) Nesse tipo de tegumento há uma maior deposição de parede celular secundária (que é mais grossa).

2.Se os inibidores estiverem no tegumento: Deve-se promover uma lavagem da semente para a retirada dos inibidores.DORMÊNCIA DE SEMENTES Dormência Primária Dormência química: Ocorre devido à presença de inibidores de germinação (ABA (ácido abscísico) e compostos fenólicos) Tratamentos: 1. . para diminuir a concentração de inibidores e aumentar a concentração de promotores de germinação. Se os inibidores estiverem no tecido de reserva do embrião: Deve-se efetuar tratamento com giberelina e/ou citocinina.

. fisiológica ou morfofisiológica.DORMÊNCIA DE SEMENTES Dormência primária endógena: Ocorre em virtude do embrião apresentar dormência morfológica. Dormência Morfológica: Ocorre devido o embrião se encontrar subdesenvolvido (exemplo: erva-mate. Tratamento: alternar baixas e altas temperaturas. maçã e girassol).

DORMÊNCIA DE SEMENTES Dormência Fisiológica: Ocorre em virtude do embrião apresentar um baixo metabolismo Tratamentos: Armazenamento a seco: Baixa temperatura (estratificação): Reduz-se a temperatura para uma faixa de 00 C a 50 C. síntese de giberelina Tratamento luminoso: .

DORMÊNCIA DE SEMENTES Dormência Morfofisiológica: Ocorre em virtude do embrião se apresentar subdesenvolvido e com baixo metabolismo. Tratamento: Armazenamento a baixa temperatura. .

Tratamento: luz ou escuro temperatura entre 250 C e 300 C fornecer água.DORMÊNCIA DE SEMENTES Dormência Secundária: Ocorre quando a semente é dispersa quiescente. . mas encontrando condições não ideais ou estressantes ela não germina.

REGULAÇÃO HORMONAL DA DORMÊNCIA Giberelina (GA) dormência do embrião (baixa concentração de GA no embrião) tratamento da semente com GA sintética elevação da concentração da concentração de GA na semente quebra da dormência germinação. .

REGULAÇÃO HORMONAL DA DORMÊNCIA Citocinina (CK) dormência do embrião (baixa concentração de CK no embrião) tratamento da semente com CK sintética elevação da concentração de CK na semente quebra da dormência germinação. .

. protease) inibindo a germinação.REGULAÇÃO HORMONAL DA DORMÊNCIA Ácido Abscísico (ABA) inibe a síntese de enzimas da degradação de substâncias de reserva da semente ( ± amilase.

REGULAÇÃO HORMONAL DA DORMÊNCIA Compostos Fenólicos inibe a atividade de enzimas da respiração (glicose isomerase. . glicose dehidrogenase) inibindo a germinação.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful