P. 1
Cabrio Top

Cabrio Top

|Views: 842|Likes:
Publicado porJefferson Alves

More info:

Published by: Jefferson Alves on Aug 04, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/07/2012

pdf

text

original

CABRIO TOP

VERIFICAR AS RESTRIÇOES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS NO PARANÁ Registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA sob nº 001303 COMPOSIÇÃO: Zinc ammoniate ethylenebis(dithiocarbamate)-poly[ethylenebis (thiuramdisulphide)] (METIRAM)..................................................................................... 550 g/Kg (55,0% m/m)
Methyl N-(2-{[1-(4-chlorophenyl)-1H-pyrazol-3-yl]oxymethyl}phenyl)N-methoxy carbamate

(PIRACLOSTROBINA)....................................................................... 50 g/Kg (5,0% m/m) Ingredientes inertes........................................................................ 400 g/Kg (40,0% m/m) . PESO LÍQUIDO: VIDE RÓTULO. CLASSE: Fungicida sistêmico do grupo químico alquilenobis (ditiocarbamato) e estrobilurina. TIPO DE FORMULAÇÃO: Granulado dispersível TITULAR DO REGISTRO: BASF S. A. Estrada Samuel Aizemberg 1707 – São Bernardo do Campo – SP – CEP 09851-550 CNPJ 48.539.407/0001-18 Registro da Empresa na CDA/SAA – SP – sob N° 044. IMPORTADOR (PRODUTO TÉCNICO E FORMULADO): BASF S.A. Estrada Samuel Aizemberg 1707 – São Bernardo do Campo – SP – CEP 09851-550 CNPJ 48.539.407/0001-18 Registro da Empresa na CDA/SAA – SP – N° 044. FABRICANTE DO PRODUTO TÉCNICO: Metiram Técnico: BASF AG – Carl Bosch Strasse, 38-67056 – Ludwigshafen – Alemanha Pyraclostrobin Técnico: BASF AG – Carl Bosch Strasse, 38-67056 – Ludwigshafen – Alemanha BASF Schwarzheide GmbH – Schipkauerstr. 1, D-01986 – Schwarzheide – Alemanha FORMULADOR: - BASF AG – Carl Bosch Strasse, 38-67056 – Ludwigshafen – Alemanha - BASF Schwarzheide GmbH – Schipkauerstr. 1, D-01986 – Schwarzheide – Alemanha - BASF S.A. – Av. Roberto Simonsen, 1500 – Paulínia – SP – Brasil – CEP 13140-000 – CNPJ: 48.539.407/0003-80 - Registro da Empresa na CDA/SAA - SP sob o n° 488 - BASF S.A. – Av. Brasil, 791 – Bairro Eng. Neiva – Guaratinguetá – SP – Brasil – CEP 12521-140 – CNPJ: 48.539.407/0002-07 – Registro da Empresa na CDA/SAA – SP sob o n° 487. - BASF S.A. – Rodovia Presidente Dutra, Km 300,5 – Resende – RJ – Brasil – CEP 27537-000 – CNPJ: 48.539.407/0005-41 – Cadastro FEEMA: LO n° 484/98 Telefones de emergência: (0800) 11-2273 ou (0XX12) 528-1357

1

5 - 900 - 3 2 .0 Puccinia allii Colletotrichum gossypii Ramularia areola Alternaria solani 2.5 a 2.0 2. PROTEJA-SE. A BULA E A RECEITA E CONSERVE-OS EM SEU PODER. atuando através do ingrediente ativo Pyraclostrobin como inibidor do transporte de elétrons nas mitocôndrias das células dos fungos.0 3. devido a sua atuação na inibição da germinação dos esporos. desenvolvimento e penetração dos tubos germinativos. CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA III – MEDIANAMENTE TÓXICO CLASSIFICAÇÃO DO POTENCIAL DE PERICULOSIDADE AMBIENTAL II – PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE INSTRUÇÕES DE USO: CABRIO® TOP é um produto que apresenta duplo modo de ação.0 2. CABRIO® TOP apresenta excelente ação protetiva. É OBRIGATÓRIA A DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA.5 200 1200 1200 900 a 1200 1800 1200 1200 1500 120 Produto comercial kg/ha doses Ingrediente ativo g/ha g/100 L d’ água g/100L d’água Volume de calda Nº máximo de aplicação 500 a 800 200 500 a 800 500 a 800 500 a 800 700 a 1000 200 a 300 4 3 Algodão Phytophthora infestans Queima das Alternaria dauci Cenoura folhas por alternaria Mancha Alternaria porri púrpura Cebola Míldio Peronospora destructor Crisântemo Ferrugem Puccinia horiana branca Mancha Phaeoisariopsis angular griseola Antracnose Colletotrichum Feijão lindemuthianum Ferrugem Uromyces appendiculatus 6 3 4 - 1. da célula do fungo. bem como o desenvolvimento do tubo germinativo. inibindo a formação de ATP. atuando assim sobre um grande número de processos vitais. as quais estão largamente distribuídas na célula do fungo. inibindo a germinação dos esporos.0 1. Patógeno Cultura Nome comum Alho Mancha púrpura Ferrugem Antracnose Ramularia Pinta preta Batata Requeima Nome científico Alternaria porri 2.N° do lote ou partida: Data de fabricação: Data de vencimento: VIDE EMBALAGEM ANTES DE USAR O PRODUTO LEIA O RÓTULO.0 2. É OBRIGATÓRIO O USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. que reagem inespecíficamente com enzimas sulfidrilicas. essencial nos processos metabólicos dos fungos e através do ingrediente ativo Metiram o qual se decompõe formando compostos tóxicos.

antes do aparecimento dos primeiros sintomas da requeima. respeitando-se o intervalo de carência. Fazer no máximo 4 aplicações. dependendo da evolução da doença. em intervalos de10 a 12 para mancha púrpura e ferrugem. Para controle da pinta preta. repetindo as aplicações em intervalos de 7 dias.0 - 1200 - 400 a 1000 4 2.Maçã Melão Melancia Pepino Pimentão Rosa Tomate Uva Sarna da Venturia macieira inaequalis Podridão Colletotrichum amarga gloeosporioides Oídio Sphaerotheca fuliginea Míldio Pseudopenospora cubensis Oídio Sphaerotheca fuliginea Míldio Pseudopenospora cubensis Oídio Sphaerotheca fuliginea Míldio Pseudopenospora cubensis Oídio Sphaerotheca fuliginea Oídio Sphaerotheca fuliginea Mancha das Diplocarpon rosae folhas Pinta preta Alternaria solani Septoriose Septoria lycopersici Requeima Phytophthora infestans Oídio Uncinula necator Míldio Plasmopara viticola Ferrugem Phakopsora euvitis - 250 - 150 1000 4 2. e repetir se necessário. dependendo da evolução da doença. ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO: Alho: Iniciar as aplicações preventivamente no aparecimento dos primeiros sintomas. dependendo da evolução da doença.0 1200 1200 - 3 NÚMERO. repetindo as aplicações se necessário. Algodão: Iniciar as aplicações do 25 a 35 dia após o plantio ou após o aparecimento dos primeiros sintomas da doença e repetir se necessário em intervalos de 15 a 20 dias. Fazer no máximo 3 aplicações. Batata: Iniciar as aplicações preventivamente.0 kg/ha quando as condições forem favoráveis.0 - 1200 - 400 a 1000 4 2.0 - 200 200 1200 - 120 120 1000 500 a 1000 700 a 1000 4 4 - - 200 400 - 120 100 240 500 a 1000 5 2.5 kg/ha para controle da pinta-preta em condições climáticas não tão favoráveis ao desenvolvimento da doença e 2. 3 . em intervalos de 10 a 14 dias. respeitando-se o intervalo de carência. iniciar as aplicações preventivamente no aparecimento dos primeiros sintomas da doença. utilizando-se a dose de 1. que normalmente ocorre no início da tuberização (ao redor dos 45 dias após plantio). respeitando-se o intervalo de carência. dependendo da evolução da doença e respeitando-se o intervalo de carência.

dependendo da evolução de doença e respeitando-se o intervalo de carência. bem como a aplicação dos volumes de calda indicados. Melão: Iniciar as aplicações preventivamente a partir de 2 semanas da emergência e repetir se necessário. que normalmente ocorre entre o primeiro e o segundo amarrio do tomate estaqueado (45 dias do transplante) e a partir do florescimento do tomate rasteiro (40 a 50 dias após transplante). dependendo da evolução da doença. repetindo se necessário em intervalos de 7 a 14 dias. repetindo as aplicações em intervalos de 7 dias. estacionários. de modo que haja uma boa cobertura.repelente com mangas compridas. turbinados. INTERVALO DE SEGURANÇA: Cultura Carência (dias) Algodão 7 Alho 7 Batata 7 Cebola 7 Cenoura 7 Crisântemo UNA Feijão 14 Maçã 21 Melancia 7 Melão 7 Pepino 7 Pimentão 3 Rosa UNA Tomate 7 Uva 30 INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: O intervalo de reentrada é de até 24 horas e se as partes tratadas estiverem úmidas. Para o controle da pinta-preta.Aplicação terrestre: Pulverizadores: costais. antes do aparecimento dos primeiros sintomas da requeima. luvas e gotas de borracha. iniciar as aplicações preventivamente no aparecimento dos primeiros sintomas da doença. MODO DE APLICAÇÃO: CABRIO® TOP deve ser diluído em água e aplicado por pulverização sobre as plantas a proteger. com diâmetro entre 100 a 200 micra. INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS: . LIMITAÇÕES DE USO: Não ha limitações de uso quando utilizado de acordo com as recomendações constantes na bula. 4 . dependendo da evolução da doença e respeitando-se o intervalo de carência. Tomate: Iniciar as aplicações preventivamente. em intervalos de 7 a 10 dias para míldio e oídio. respeitando-se o intervalo de carência. em intervalos de 7 a 10 dias. montados ou tracionados por trator. dependendo da evolução da doença. Usar bicos de jato cônico ou em leque com abertura e pressão que possibilitem densidade de 70 a 100 gotas/cm². usar macacão de algodão hidro .Crisântemo e Rosa: Iniciar as aplicações no aparecimento dos primeiros sintomas da doença e repetir se necessário.

Quando for realizada aplicações em blocos não realizar mais do que 3 aplicações consecutivas. c) No manejo de controle de doenças com um total de 12 aplicações de fungicidas durante o ciclo da cultura. Nunca finalizar as pulverizações ao término do ciclo da cultura com fungicidas com mesmo modo de ação das strobilurinas. devem ser usados preventivamente. ANTÍDOTO E TRATAMENTO: ANTES DE USAR. use macacão com mangas compridas. capa ou avental impermeável. INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL: Vide Precauções de uso / Proteção a Saúde Humana. luvas impermeáveis. chapéu 5 . eficiente sobre patógenos resistentes que não tenham manifestado resistência cruzada a strobilurinas. b) No manejo de controle de doenças com um total de 8 a 11 aplicações de fungicidas durante o ciclo da cultura. • Fungicidas com o mesmo modo de ação da strobilurinas são extremamente eficientes na prevenção da germinação dos esporos. • Usar os fungicidas com mesmo modo de ação das strobilurinas em aplicações em blocos ou alternadas com fungicidas de diferentes modo de ação. utilizar no máximo 3 aplicações de fungicidas com o mesmo modo de ação que as strobilurinas. evitando-se o uso em condições curativas e erradicativa no intuito de diminuir a pressão de seleção. utilizar no máximo 4 aplicações de fungicidas com o mesmo modo de ação que as strobilurinas. preparação da calda e aplicação. • O número total de aplicações de fungicidas com o mesmo modo de ação das strobilurinas devem ser limitados durante o ciclo da cultura. d) No manejo de controle de doenças com um total acima de 12 aplicações de fungicidas durante o ciclo da cultura. seguindo-se a seguinte recomendação: a) No manejo de controle de doenças com um total de até 7 aplicações de fungicidas durante o ciclo da cultura. INFORMAÇÕES SOBRE O DESTINO FINAL DE EMBALAGENS E DAS SOBRAS DE AGROTÓXICO E AFINS: Ver precauções de Uso e Advertência quanto aos cuidados de Proteção ao Meio Ambiente. por isso. DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA PRECAUÇÕES DE USO E RECOMENDAÇÕES GERAIS QUANTO AOS PRIMEIROS SOCORROS. LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ATENÇÃO: “Durante o manuseio. utilizar no máximo 2 aplicações de fungicidas com o mesmo modo de ação que as strobilurinas. recomenda-se as seguintes estratégias e recomendações no intuito de preservar a atividade dos fungicidas. • Sempre aplicar os fungicidas com o mesmo modo de ação das strobilurinas de acordo com a dose registrada pelo fabricante. Seguindo norma internacionais do Comitê de resistência a fungicidas (FRAC) para uso de fungicidas do grupo da strobilurinas e outros com mesmo modo de ação. é um novo fungicida. utilizar somente 30% do total das pulverizações com fungicidas com o mesmo modo de ação que das strobilurinas.INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO DE RESISTÊNCIA: CABRIO® TOP.

• Não permita que crianças ou qualquer pessoa não autorizada permaneça na área em que estiver sendo aplicado o produto. luvas e botas. • Aplique somente as doses recomendadas. • Não fume. Atentar para o período de vida útil dos filtros. Caso o produto seja inalado ou aspirado. óculos protetores ou viseira facial. seguindo corretamente as especificações do fabricante. • Não transporte este produto juntamente com alimentos. • A pulverização do produto produz neblina. ou em áreas tratadas. • Não aplique o produto contra o vento. PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: • Evite o máximo possível o contato com a área de aplicação. chapéu de aba larga. óculos protetores e máscaras protetoras especiais providas de filtros adequados. rações. lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. chapéu de aba larga. máscara e óculos. não beba e não fume durante o manuseio do produto. Se houver contato do produto com os olhos. logo após a aplicação. use máscara cobrindo o nariz e a boca. 6 . botas. avental impermeável. • Use luvas de Borracha. • Tome banho. • Dar manutenção necessária nos equipamentos de segurança. avental impermeável e máscara protetora especial provida de filtro adequado. • Ao abrir a embalagem. Ocorrendo contato do produto com a pele. • Não desentupa bicos. macacão com mangas compridas. se necessário use macacão com mangas compridas. troque de roupa. PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA: • Use protetor Ocular. PRECAUÇÕES GERAIS: • Não coma. durante a aplicação do produto. animais e pessoas. • Mantenha o restante do produto em sua embalagem original adequadamente fechada em local trancado. longe do alcance de crianças e animais. luvas. óculos protetores ou viseira facial. chapéu de aba larga ou touca árabe. lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. • Não distribua o produto com as mãos desprotegidas. orifícios e válvulas com a boca. luvas. botas. • Use máscaras cobrindo o nariz e a boca. • Não utilize equipamentos com vazamento. • Uso exclusivamente agrícola. beba ou coma. procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS.impermeável de aba larga. • Não reutilize a embalagem vazia. medicamentos. PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: • Não entre nas áreas tratadas até a secagem do produto sobre as folhas das plantas. botas. faça de modo a evitar que o produto se espalhe e use macacão com mangas compridas. Lave suas roupas de trabalho separado das demais roupas de seus familiares. • Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.

PRIMEIROS SOCORROS: • Em caso de INGESTÃO acidental. • Em caso de INALAÇÃO. A alta excreção urinária demonstrou que 14Cetilenotiuréia foi bem absorvida. para machos e fêmeas. 14C-Metiram foi administrado oralmente a ratos (5 machos e 5 fêmeas). metabolizado pelo fígado. bula e receituário agronômico do produto. Cerca de 65% (machos) e 54% (fêmeas) da dose foram eliminados pelas fezes. rótulo. rótulo. Não houve acúmulo da substância nos tecidos e órgãos. bile e urina. respectivamente. respectivamente.25%.10% em fêmeas. uma média de 96% da radioatividade foi excretada pela urina em 3 dias. rótulo. EMPRESA: BASF S. (0800) 11. remova o paciente para local arejado e procure um médico ou serviço de saúde levando a embalagem. principalmente através de reação de n-desmetoxilação e seus metabólitos foram excretados através das fezes. Uma média de 37-45% da radioatividade foi excretada via urina.A. Os testes que originaram as informações acima foram conduzidos de acordo com as diretrizes internacionais para o delineamento experimental de testes de toxicidade com animais de laboratório. durante o mesmo período. durante 7 dias. NÃO PROVOQUE VÔMITO.A. bula e receituário agronômico do produto. Mecanismo de ação.1357 CENTROS DE INFORMAÇÕES TOXICOLÓGICAS: Porto Alegre – RS: (0XX51) 223-6110 / 217-9303 São Paulo – SP: (0XX11) 5012-5311 / 5011-5111 ramal 251 UNICAMP: (0XX19) 289-3128 / 289-7555. se a vítima estiver consciente administre 2-3 copos de água e procure imediatamente o médico ou serviço de saúde levando a embalagem.18% e 0. rótulo.P. bula e receituário agronômico do produto.39% da dose em machos e 1. provavelmente como 41CO2. em dose única de 5mg/kg. O Pyraclostrobin foi absorvido pelo trato gastrointestinal e através da pele (pequena quantidade). absorção e excreção: Não foram realizados estudos com seres humanos. remova roupas e sapatos contaminados e lave imediatamente com água e sabão em abundância e procure um médico ou serviço de saúde levando a embalagem. TELEFONES PARA OS CASOS DE EMERGÊNCIA: BASF S. bula e receituário agronômico do produto. sendo 0. lave-os imediatamente com água corrente em abundância e procure imediatamente o médico ou serviço de saúde levando a embalagem. • Em caso de contato com os OLHOS. 7 .2273 ou (0XX12) 528. durante 3 dias. TRATAMENTO MÉDICO DE EMERGÊNCIA: Tratamento sintomático de acordo com o quadro clínico ANTÍDOTO: Este produto não possui antídoto específico. Uma pequena porcentagem da radioatividade foi eliminada no ar expirado. • Em caso de contato com a PELE. Guaratinguetá – S. Após a administração oral de 0. A radioatividade nas fezes e ar expirado foi de média de 4.5 mg/kg de 14C-Etilenotiuréia (ETU) (metabólito do Metiram) para ratos machos.

( )Perigoso ao meio ambiente (CLASSE III). Efeitos crônicos: Os estudos toxicológicos de longa duração são definidos como estudos nos quais os animais são observados durante toda ou boa parte de suas vidas expostos ao material teste. Efeitos colaterais: Por não ser de finalidade terapêutica. Neste testes o Pyraclostrobin e o Metiram foram estudados em animais de laboratório.Preserve a Natureza. Os resultados dos estudos com animais de laboratório permitem concluir que Pyraclostrobin e o Metiram não são teratogênicos. O produto não apresentou potencial sensibilizante cutâneo em cobaias. Foram realizados testes de mutagenicidade em células de bactérias e micronúcleos. Os testes agudos que originaram as informações acima foram conduzidos de acordo com as diretrizes internacionais para o delineamento experimental de testes de toxicidade com animais de laboratório. em diferentes concentrações dos produtos. Em animais de laboratório foi determinada uma dose letal de 50% aguda oral maior que 500 mg/Kg e menor igual que 2000 mg/Kg de peso corporal para ratos machos e fêmeas e uma dose letal de 50% aguda dermal maior que 2000 mg/Kg de peso corporal para ratos machos e fêmeas. onde foram estabelecidos doses de não efeito tóxico.Efeitos agudos: Não foram realizados estudos em seres humanos e não existem sintomas agudos relatados de casos de intoxicação com o produto. (X)MUITO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE II). -Evite a contaminação ambiental . Os testes sub-crônicos e crônicos que originaram as informações acima foram conduzidos de acordo com as diretrizes internacionais para o delineamento experimental de testes de toxicidade com animais de laboratório. não há como caracterizar seus efeitos colaterais. em condições práticas de aplicação. Sintomas de alarme: Não são conhecidos sintomas de alarme. Efeitos sobre o processo reprodutivo e a progênie de animais de laboratório também foram avaliados em estudos específicos. e foram estabelecidas doses de não efeito tóxico. O produto testado em coelhos mostrou ser levemente irritante para os olhos e irritante para a pele. -Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para organismos aquáticos. por exposição crônica às substâncias. -Não utilize equipamento com vazamento. sendo recomendado a suspensão do uso do produto se surgirem quaisquer sintomas durante a sua manipulação. -Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente. 8 . sendo que em ambos os experimentos o resultado foi negativo. ( )Pouco Perigoso ao meio ambiente (CLASSE IV). DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE 1- PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: -Este produto é: ( )Altamente Perigoso ao meio ambiente (CLASSE I).

-Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal concernentes às atividades aeroagrícolas. -Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.EPI (macacão impermeável. . -Em caso de derrame. consulte a empresa registrante. a flora e a saúde das pessoas. sempre fechada. -Contate as autoridades locais competentes e a Empresa BASF S. INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO. -A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação do solo. bebidas. -O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos. evitando o acesso de pessoas não autorizadas. -Não execute aplicação aérea de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância inferior a 500 (quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público e de 250 (duzentos e cinqüenta) metros de mananciais de água. siga as instruções abaixo: Piso pavimentado: recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. coberto e ter piso impermeável. das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido. agrupamentos de animais e vegetação suscetível a danos. Neste caso. para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. recolha esse material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. rios e demais corpos d’água. -O local deve ser ventilado. VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES: -Mantenha o produto em sua embalagem original. 3- 9 . prejudicando a fauna. -Coloque a placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. O produto derramado não deverá mais ser utilizado.-Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. devendo ser isolado de alimentos. contate o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa. -Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos. de CO 2 ou pó químico. óculos protetores e máscaras com filtros). -Em caso de incêndio. -Tranque o local. -Aplique somente as doses recomendadas. Evite a contaminação da água. deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. ficando a favor do vento para evitar intoxicação. Contate a empresa registrante conforme indicado acima. -A construção deve ser de alvenaria ou de material não combustível. 2- INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: -Isole e sinalize a área contaminada. Corpos d’água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano ou animal. rações ou outros materiais. luvas e botas de PVC. principalmente crianças.telefone de Emergência: 0800 11-2273 ou 12 528-1357. visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente. fontes. moradias isoladas. -Utilize equipamento de proteção individual . Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado. use extintores de água em forma de neblina. -Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis. através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final. da água e do ar.A. -Em caso de armazéns.

por 30 segundos. ventilado. ao abrigo de chuva e com piso impermeável. imediatamente após o seu esvaziamento. por 30 segundos. DEVOLUÇÃO. em posição vertical. -Acione o mecanismo para liberar o jato de água. Lavagem sob Pressão: Ao utilizar pulverizadores dotados de equipamentos de lavagem sob pressão seguir os seguintes procedimentos: -Encaixe a embalagem vazia no local apropriado do funil instalado no pulverizador. durante 30 segundos.4- PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM. introduzir a ponta do equipamento de lavagem sob pressão. separadamente das embalagens não lavadas. -ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA Após a realização da Tríplice Lavagem ou Lavagem sob Pressão. -A água de lavagem deve ser transferida para o tanque de pulverizador. -Toda a água de lavagem é dirigida diretamente para o tanque do pulverizador. -Inutilize a embalagem plástica ou metálica. em caixa coletiva. -Direcione o jato de água para todas as paredes internas da embalagem. -Adicione água limpa à embalagem até ¼ do seu volume. -Despeje a água de lavagem no tanque pulverizador. quando existente. -Tampe bem a embalagem e agite-a. até sua devolução pelo usuário. adotando-se os seguintes procedimentos: -Esvazie completamente o conteúdo da embalagem no tanque do pulverizador. deve ser efetuado em local coberto. TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO: EMBALAGENS RÍGIDA LAVÁVEL -LAVAGEM DA EMBALAGEM Durante o procedimento de lavagem o operador deverá estar utilizando os mesmos EPI’s – Equipamento de Proteção Individual – recomendados para o preparo da calda do produto. • Ao utilizar equipamento independente para lavagem sob pressão adotar os seguintes procedimentos: -Imediatamente após o esvaziamento do conteúdo original da embalagem. ou no próprio local onde guardadas as embalagens cheias. -Inutilize a embalagem plástica ou metálica. 10 . -Manter a embalagem nessa posição. perfurando o fundo. perfurando o fundo. -Faça esta operação três vezes. esta embalagem deve ser armazenada com a tampa. O armazenamento das embalagens vazias. -Inutilize a embalagem plástica ou metálica perfurando no fundo. • Tríplice lavagem (Lavagem Manual): Esta embalagem deverá ser submetida ao processo de Tríplice Lavagem. direcionando o jato de água para todas as paredes internas da embalagem. ARMAZENAMENTO. mantendo-a na posição vertical durante 30 segundos. por 30 segundos. mantê-la invertida sobre já boca do tanque de pulverização.

devidamente identificado e com lacre. o qual deverá ser adquirido nos Canais de Distribuição. Use luvas de borrachas no manuseio dessa embalagem. ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal. e ainda esteja dentro de seu prazo de validade. ou no próprio local onde guardadas as embalagens cheias. é obrigatória a devolução da embalagem vazia. com tampa. deve ser efetuado em local coberto. -DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA No prazo de até um ano da data da compra. ao abrigo de chuva e com piso impermeável. pelo usuário. ventilado. ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal. EMBALAGEM RÍGIDA NÃO LAVÁVEL -ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA -ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA O armazenamento das embalagens vazias. emitida no ato da compra. será facultada a devolução da embalagem em até 6 meses após o término do prazo de validade. Essa embalagem vazia deve ser armazenada separadamente das lhavadas. Use luvas de borrachas no manuseio dessa embalagem. Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo. com tampa. em saco plástico transparente (Embalagens Padronizadas – modelo ABNT). ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal. pelo prazo mínimo de um ano após a devolução da embalagem vazia. pelo prazo mínimo de um ano após a devolução da embalagem vazia. ou no próprio local onde guardadas as embalagens cheias. Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo. separadamente das embalagens lavadas. Essa embalagem deve ser armazenada com sua tampa. emitida no ato da compra. com tampa. EMBALAGENS FLEXÍVEIS -ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA -ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA O armazenamento das embalagens vazias. quando existente. será facultada a devolução da embalagem em até 6 meses após o término do prazo de validade. e ainda esteja dentro de seu prazo de validade. ventilado.-DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA No prazo de até um ano da data da compra. O usuário deve guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização. em caixa coletiva. -DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA No prazo de até um ano da data da compra. pelo usuário. ao abrigo de chuva e com piso impermeável. é obrigatória a devolução da embalagem vazia. até sua devolução pelo usuário. deve ser efetuado em local coberto. emitida no ato da compra. é obrigatória a devolução da embalagem vazia. até sua devolução pelo usuário. pelo usuário. 11 . O usuário deve guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização.

A desativação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para este tipo de operação. e ainda esteja dentro de seu prazo de validade.PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO: Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização ou em desuso. da água e do ar. -TRANSPORTE As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos. devidamente identificado e com lacre. o qual deverá ser adquirido nos canais de distribuição. bebidas. animais e pessoas. É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU O FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO. após a devolução pelos usuários. TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS. será facultada a devolução da embalagem em até 6 meses após o término do prazo de validade. bebidas. equipados com câmaras de lavagem de gases efluentes e aprovados por órgão ambiental competente. somente poderá ser realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes. onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal. medicamentos. até sua devolução pelo usuário. pelo usuário.Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo. emitida pelo estabelecimento comercial. -DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS A destinação final das embalagens vazias. EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS: A destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo. medicamentos. COMPONENTES E AFINS: 12 . -TRANSPORTE As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos. Devem ser transportadas em saco plástico transparente (Embalagem Padronizada – modelo ABNT). consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final. O usuário deve guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização. rações. no próprio local onde guardadas as embalagens cheias. animais e pessoas. ao abrigo de chuva e com piso impermeável. EMBALAGEM SECUNDÁRIA (NÃO CONTAMINADA) -ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA -ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA O armazenamento da embalagem vazia. pelo prazo mínimo de um ano após a devolução da embalagem vazia. ventilado. . a flora e a saúde das pessoas. prejudicando a fauna. rações. deve ser efetuado em local coberto. -DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA É obrigatória a devolução da embalagem vazia.

que inclui o acompanhamentos da ficha de emergência do produto. animais. medicamentos ou outros materiais. rações. bem como determina que os agrotóxicos não podem ser transportados junto de pessoas.O transporte está sujeito às regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica. 13 .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->