UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ. CAMPUS DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON. CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, EDUCAÇÃO E LETRAS.

CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ± BACHARELADO.

ANDRESSA KRACKE

NATAÇÃO: ANÁLISE E ENSINO DO NADO CRAWL (Andrea Michele Fraudenheim e Fabrício Madureira)

MARECHAL CÂNDIDO RONDON ± PARANÁ JULHO DE 2011

propulsionar. ou seja. O ensino do nado crawl é a forma mais eficiente e a mais praticada. imersão e respiração.INTRODUÇÃO Apesar de estarmos no início do século 21. que é visto como eficiente. (b) combinação de movimentos fundamentais leva à flutuação. imergir e respirar. É uma habilidade organizada e hierarquicamente. na natação ainda predomina a visão da década de 80. (c) habilidades específicas se referem a movimentos determinados culturalmente. então a repetição mecânica passa a ser o recurso mais utilizado no ensino. com componentes horizontais e verticais no sentido da interação e não da soma. RECOMENDAÇÕES PARA O ENSINO DO NADO CRAWL A) QUANDO INICIAR O ENSINO DA TÉCNICA DO CRAWL? O processo de desenvolvimento do nadar deve ser precedido de duas fases: (1) fase dos movimentos fundamentais. em seguida a automatização dos gestos técnicos e assim sucessivamente. Com o domínio do nado completo. No entanto. Com a ambientação ao meio líquido inicia-se a aprendizagem de cada componente. o dompinio de formas genéricas e diversificadas de flutuar. O LOCUS DO NADO CRAWL Nadar refere-se à capacidade de sustentar-se e deslocar-se na água por impulso próprio. depois a sua sincronização. rotação e circundação. flexão e extensão. . a ênfase está no aperfeiçoamento. que compreende o domínio de habilidades de estabilização e adaptação respiratória. com o avanço das pesquisas um ensino do nadar menos repetitivo e rígido começa a ser desvelado. propulsão. Autores mostraram que: (a) movimentos fundamentais do nadar são constituídos de posturas estática e dinâmica. e (2) dase das combinações dos movimentos fundamentais.

Independente do critério adotado. o aluno deve escolher o nado no qual tenha maior facilidade. Portanto a pergunta ³qual nado deve ser o primeiro a ser ensinado´ perde sentido. Eles deverão ser introduzidos à técnica dos nados somente quando apresentarem domínio do movimento do corpo na água. Se o objetivo for competição. tronco e respiração em sincronização. o salto ornamental e o pólo aquático. o sentido é sempre iniciar pelo nado mais simples. Se for a segurança. ORGANIZAÇÃO HIERÁRQUICA DO NADO CRAWL . pernas. o nado sincronizado. E quando não houver finalidade. o principal obje tivo passa a ser o de adquirir competência aquática. Assim. B) CRAWL DEVE SER O PRIMEIRO NADO A SER ENSINADO? Não há uma unanimidade quanto à seqüência. deve se ensinar primeiro o peito. no caso de iniciantes. a escolha do nado deve se pautar na finalidade. Para analisá -lo apresentaremos a organização hierárquica do nado crawl. devem-se implantar movimentos de braços e pernas alternadas. Aí então. O processo de desenvolvimento motor dos aprendizes deve ser respeitado. O ensino da natação deve abranger os desportos do meio líquido como o mergulho. ainda amplia o repertório de movimentos. pois compreende ação dos braços. ANÁLISE DO NADO CRAWL O nado crawl pode ser entendido como um sistema complexo. estão aptos a aprender os quatro nados em concomitância. Inúmeras são as vantagens dessa opção: o aumento da diversidade do conteúdo e das atividades a serem propostas como desafios.Os programas de natação deveriam. enfatizar a aquisição de habilidades de estabilização e acrescentar uma fase intermediária entre a amb ientação ao meio líquido e o ensino da técnica dos nados. o que favorece a motivação.

o troco do nadador deve rolar em torno do próprio eixo. Na oposição. Após a imersão da face. A pernada é responsável por 10% da força propulsiva produzida pelo nadador. As ações respiratórias podem ser uni ou bilaterais. oposição e sobreposição. tronco e respiração) é mais simples do que nadar crawl com os componentes diferenciados. pernas. do tronco. A unilateral é a mais utilizada. A sincronização entre os braços pode ocorrer de três formas: deslizamento. ocorre a expiração. Alguns atletas utilizam a expiração nasal. Já na sobreposição a propulsão é simultânea com os dois braços. na qual o indivíduo respira somente para o seu lado dominante. O nadar crawl resultante da interação de 4 componentes (braços. Durante o nado crawl. A ação das pernas pode ser dividida em propulsiva e de recuperação. braços e respiração. pernas e respiração. o nadador produz propulsão com os braços continuadamente. outros a oral e outros exalam o ar pelas duas vias.O nado crawl é caracterizado pela interação da ação dos braços. SINCRONIZAÇÃO ENTRE OS COMPONENTES DO NADO CRAWL O nado crawl só pode ser caracterizado como tal quando há interação entre os braços. A respiração é uma variável fundamental no rendimento do atleta. A fase aérea é o deslocamento do braço fora d¶água. Já na bilateral o nadador alterna os lados. No deslizamento durante alguns segundos o atleta não produz propulsão com os braços. Sua importância está na estabilidade do rolamento. . A ação dos braços é o deslocamento do braço dentro da água (ataque e liberação). Quando a face do nadador rompe a superfície da água ele inicia a inspiração pela boca. oscila entre 30 e 45 graus em velocistas e 50 e 60 graus para fundistas. tronco e braços e entre pernas e braços. o que facilita as ações propulsivas do braço.

A natação deve ser ensinada utilizando-se . o tronco do nadador deve atingir o seu ponto máximo de rolamento ao final da última ação propulsiva dos braços.Nível Avançado: A seleção dos aspectos a serem destacados deve visar a promoção de um deslocamento mais eficiente. Na sincronização entre o tronco e os braço. maior a complexidade da tarefa. . . progressivo e sem final definido.Na sincronização entre os braços e a respiração a inspiração inicia durante o final da segunda varredura propulsiva e o retorno da face do atleta na água ocorre antes da segunda fase da recuperação. Ritmos de pernadas de 6 tempos são mais utilizados em provas de curta distância.Nível Intermediário: Destacar a diminuição da resistência ao deslocamento . . A macro e a microestrutura do nado estão em função do nível de habilidade do nadador. O processo de aprendizado do nado crawl pode ser compreendido como sendo contínuo. já os ritmos de 2 e 4 tempos são mais utilizados por provas de longa distância. RECOMENDAÇÕES PARA O ENSINO A) QUAL A SEQUÊNCIA A SER ADOTADA PARA O ENSINO DO CRAWL? Quanto mais componentes e interação entre eles. B) DEVE-SE COMEÇAR PELO ENSINO DA MACROESTRUTURA DA HABILIDADE OU DE SUA MICROESTRUTURA? A macroestrutura da habilidade deve ser o foco principal e que a partir dela se efetuem destaques dos aspectos da microestrutura. .Nível Inicial: Executar todos os componentes coordenadamente. Já entre pernas e braços deve variar em função da distância das provas.Nível Especializado: O nadar já deve apresentar diferenciação e interação entre os subcomponentes.

percepção de opostos e nados híbridos. g) Nados híbridos ± realização de deslocamentos a partir da utilização de componentes de mais de um lado. propondo exercícios de ir e vir um número crescente de piscinas. mas também pela sua flexibilidade. b) Fragmentação cognitiva com materiais facilitadores ± realização dos movimentos se concentrando em algum aspecto específico. e) Fragmentação física sem materiais facilitadores ± realização de componentes isolados do nado sem nenhum tipo de material de apoio. Assim. considerando-se o nível de habilidade. Em contrapartida. f) Fragmentação cognitiva sem materiais facilitadores ± realização de ações do nado concentrando sua atenção em um aspecto determinado. Nadadores campeões se destacam pela pouca variação da velocidade. fica evidenciado que o nadar altamente habilidoso não se caracteriza somente pela consistência. CONSISTÊNCIA E FLEXIBILIDADE DO NADAR CRAWL HABILIDOSO Até o final do século 20. do organismo e do ambiente. com materiais sensibilizadores. ensina-se a nadar através da repetição mecânica dos movimentos. Em função desse objetivo. freqüência e comprimento das braçadas. .estratégias como as fragmentações física e cognitiva. c) Materiais sensibilizadores ± realização de ações empregando materiais que induzam os movimentos de maior eficiência. Verificou-se que os indivíduos mais habilidosos apresentam menor alteração no nado ao longo da prova. estudos recentes têm revelado que nadadores altamente habilidosos ajustam seu comportamento às modificações da tarefa. a consistência dos movimentos foi tida como a variável crítica ao nadar altamente habilidoso. a) Fragmentação física com materiais facilitadores ± realização dos componentes do nado isoladamente. d) Percepção de opostos ± realização de ações opostas às consideradas mais eficientes.

no futuro.Tarefa: nadar com demanda variada em relação à atividade. a padronização do movimento ocorre a partir de um processo consciente de elaboração. temperatura ambiental e da água variadas. demarcações. mas a demora é recompensada pela qualidade do repertório motor. execução. pautada em solução de problemas. O ensino deve incluir solução de problemas variados em relação à . Assim. luminosidade. Organismo: nadar utilizando peças do vestuário.  Variabilidade da prática O domínio de um repertório motor amplo é crucial quando se almeja um nado que alie consistência e flexibilidade. com ou sem companheiro e equipamentos. Para isso recomendamos que o ensino ocorra mediante:  Solução de problemas A prática não pode compreender mera repetição de movimentos técnicos. Crianças que aprendem e praticam a habilidade em resposta a uma grande variedade de estímulos serão capazes de. Deve-se incluir como conteúdo conhecimentos sobre o nadar nas dimensões . O ensino deve ter significado funcional. . O processo de aquisição pode ser demorado. ou seja. responder com habilidade em uma grande variedade de situações Porém o inverso também é verdadeiro.RECOMENDAÇÕES PARA O ENSINO A) COMO DAVORECER A AQUISIÇÃO DE UM NADAR QUE CONCILIA CONSISTÊNCIA E FLEXIBILIDADE? É fundamental que o ensino garanta a aquisição de um nadar que concilie consistência e flexibilidade. avaliação e modificação de ações a cada tentativa.Ambiente: nadarem piscinas com metragens. aos aspectos temporais e espaciais.  Transmissão de conhecimento sobre o nadar O nadador precisa ser capaz de discernir quando e por que aplicar cada uma das variantes. visando o alcance de determinada conseqüência no meio ambiente.

Em suma. CONSIDERAÇÕES FINAIS Há uma enorme dificuldade em se orientar o ensino da natação por conhecimentos teóricos que fundamentem a prática. Assim. que favoreçam o reconhecimento e a interpretação das demandas da tarefa. Portanto. todos os envolvidos ± administradores. do organismo e do ambiente. biológica e sociocultural.comportamental. Essa mudança pode tornar o processo ensino-aprendizagem mais divertido. pais e professores ± teriam seus respectivos esforços plenamente recompensados. interessante. . propõe-se que haja um esforço conjunto para que o ensino centrado na técnica seja substituído por um ensino que considere a técnica em relação ao aprendiz. motivante. pre valece o ensino da natação centrado na técnica. resultar em nadadores mais habilidosos e na produção de conhecimentos ecologicamente válidos a cada contexto específico.