Você está na página 1de 3

A luta pela Independência da Colômbia inicia-se da mesma forma que quase todas as outras independências das colônias espanholas

na América, já que na época, a Espanha vivia crise institucional. O processo de independência começa com diversos organizações e feitos, inicialmente liderados por Antonio Nariño e Camilo Torres Tenorio. Adiante, a independência é liderada por Simón Bolívar e Francisco de Paula Santander, na longa Batalha de Boyacá, que tem início em 1810 e termina finalmente com êxito em 1819. O território do Vice-Reinado de Nova Granada se converte em uma República, conhecida como Grã-Colômbia, em homenagem ao navegador Cristóvão Colombo. O primeiro presidente do novo país foi Simón Bolívar. Em 1780, na Região do Vice-Reino de Nova Granada (Colômbia), ocorreu uma das mais fortes manifestações contrarias às políticas metropolitanas. O Movimentos foi provocado pela imposição de pagamentos de novos impostos anuais. Aproximadamente 30 mil pessoas reuniram-se na cidade de Socorro, com o lema "Viva o rei e abaixo o mau governo". Tal lema demonstra que a elite colonial dirigia o movimentos de oposição apenas à maneira como a Coroa estava governando, mas não se opunha à Monarquia propriamente dita. Os revoltosos exigiam a eliminação dos novos impostos, a redução do tributo anual e da alcabala (imposto sobre a venda de mercadorias). Eles derrotaram as tropas reais e instalaram uma Junta Provisória. Mais tarde, porém, reinóis dispersaram os rebeldes e executaram o líder do movimento, o camponês José Antonio Galán O Vice-Reino de Nova Granada abrangia, na época colonial, os países que hoje conhecemos por Colômbia, Panamá e Equador (deste último, apenas uma parte). A história da independência desse vice-reino é complexa - e, até hoje, a data escolhida para se comemorar o princípio de suas lutas (20 de julho de 1810) causa grande debate entre os historiadores. Esse dia marca o início da formação de uma Junta de Governo em Bogotá (a capital), mas essa não foi a primeira Junta de Governo formada na Colômbia e seus membros não chegaram à independência nesse momento. No mesmo ano em que Napoleão tomou o trono espanhol (1808), a primeira cidade de Nova Granada a tentar formar uma Junta de Governo liderada pelos criollos foi Quito, atual capital do Equador. Mas, sem o apoio das regiões vizinhas (todas ainda sob domínio dos chapetones), os quitenhos foram vencidos. Em função disso, a independência do Equador demorou muitos anos para se concretizar. Em 1810, as províncias da atual Colômbia começaram a formar suas Juntas de Governo: Cartagena (22 de maio), Cali, Socorro e Pamplona (3 de julho) - e, em 20 de julho, Santa Fé (atual Bogotá). As noticias sobre a Junta de Bogotá se espalharam rapidamente por toda região, incentivando a formação de outras juntas independentes, até mesmo em pequenas cidades. Mas as diferenças econômicas e culturais e a dificuldade de comunicação entre as regiões da Colômbia agravaram o desentendimento entre os criollos, pois cada Junta defendia uma forma de governo diferente.

Pátria Boba

o rei Fernando 7º tinha retomado o trono e iniciado um processo de perseguição aos liberais. liderada pelo general Pablo Morillo. formando o Estado da Cundinamarca. Simon Bolívar. derrotando-os definitivamente em 24 de junho de 1821. os chapetones já tinham vencido Bolívar e retomado o poder (1814). e se aliaram a Bolívar. tinha se refugiado na Jamaica e. que os criollos viram no governo de Angostura uma nova possibilidade de libertação. e até 1816. no Haiti . não aderiu a essa união. Luta contra os espanhóis Mas.retornou à Venezuela em 1816 e.que. em 1819.Somente em 1811 foi possível criar uma unidade política: as Províncias Unidas de Nova Granada. Bolívar. e por isso as tropas espanholas partiram para Nova Granada. estava refugiado em Nova Granada. e o fim da escravidão. organizando ali seu quartel-general e a sede de um novo governo independente. Em 1814. com o apoio britânico. Dessa forma. Além disso. Quando Morillo chegou à Venezuela. como Pasto e Santa Maria (na Colômbia) . Porém. Simon Bolívar . liderou o exército das Províncias Unidas. a fim de restaurar a ordem colonial. A partir de então. depois. líder do processo de independência na Venezuela. vencendo e anexando a Cundinamarca em dezembro de 1814. A partir de então. após a vitória sobre a Cundinamarca. que ficava numa região montanhosa e isolada. tanto criollos quanto trabalhadores. No ano seguinte uma série de guerras entre a Cundinamarca e as Províncias Unidas teve início. Ao mesmo tempo. Esse período ficou conhecido como Pátria Boba (período de desunião). Bolívar passou a defender o saque às terras dos chapetones. Nova Granada voltou ao domínio espanhol. determinando a formação de um país . Nova Granada viveu um processo de guerras civis. chegou à Venezuela a maior tropa enviada pela Espanha (10 mil homens). Bolívar e suas tropas venceram inúmeras batalhas contra os espanhóis. não houve razão para qualquer tipo de questionamento. fatos que atraíram muitos mestiços e indígenas para sua causa. na Espanha. Na Venezuela e na Colômbia a perseguição política praticada pelos espanhóis foi tamanha. Em 1816. Em 1815. na formação de um poderoso exército contra os espanhóis. quando ocorreu o Congresso de Cúcuta e se proclamou a formação da GrãColômbia (um Estado que unia Venezuela e Nova Granada). a Assembleia Constituinte que tinha se estabelecido em Cúcuta organizou a Constituição da Grã-Colômbia. Por isso. tanto na Espanha quanto na América. conseguiu tomar o porto de Angostura. Bolívar conseguiu unir colombianos e venezuelanos. algumas regiões preferiram se manter leais à Espanha. já que fora vencido novamente pelos realistas (chapetones) venezuelanos. contando com a colaboração de Santa Maria. Enquanto isso. que acalentava o sonho de formar um grande Estado na região (englobando Nova Granada e Venezuela). a capital.e o Panamá. durante as batalhas. Santa Fé. nesse mesmo ano.

antes de ver a desintegração da Grã-Colômbia. No entanto. Mesmo assim. em 1831. em 1830. Bolívar esperava ver pelo menos alguns arranjos permanentes de consulta e cooperação entre as unidades territoriais independentes".. sendo Bolívar eleito presidente. Mas tal cooperação se tornava. fornecido homens e recursos para os Exércitos de Bolívar no Sul. o que permitiu que também o Equador fosse anexado à Grã-Colômbia. Bolívar convocou. contando com o apoio de tropas enviadas por San Martín. que acabou por ser um fracasso. As diferenças regionais e os interesses das elites eram irreconciliáveis. os generais Paez. Assim. impossível.). "a Grã-Colômbia havia sustentado a guerra de libertação. surgiu a República de Nova Granada. Santander e Flores emergiram como os respectivos governantes da Venezuela. Em novembro de 1821. tinha. depois de vencer os espanhóis em seu último reduto. a Primeira Assembleia Internacional de Estados Americanos (Congresso do Panamá).mas encontrou a Grã-Colômbia em decomposição.centralista. com capital em Bogotá. . Bolívar e Antonio José de Sucre. de um modo ou de outro. Desintegração da Grã-Colômbia Somente em 1826. A tentativa de unidade fora feita (. "embora bastante consciente das dificuldades que impediam maior integração. em 1826. devido à falta de participação dos países americanos recém-independentes. Bolívar faleceu em dezembro de 1830. de Nova Granada e do Equador". com a passar do tempo. Como afirma o historiador Malcolm Deas.. o Panamá se tornou independente e se uniu à Grã-Colômbia. Bolívar retornou a Bogotá . Em maio de 1822. Segundo o historiador David Bushnell. conseguiram libertar Quito. o Peru. que somente em 1886 recebeu o nome de Colômbia.