Você está na página 1de 80

Bom dia! Chegamos a mais uma aula de Direito Administrativo! Nossa 6ª e última aula.

Espero que você tenha aproveitado o nosso curso e estudado todos os assuntos vistos na aula. Mas ainda não acabou! Hoje veremos o assunto “Servidores Públicos”. Iremos estudar a Lei nº 8.112/90 exatamente como recepcionada pelo Distrito Federal. O assunto da aula 06 é o seguinte: Lei nº 8.112/1990, adotada pelo Distrito Federal por meio da Lei nº 197, de 4/12/1991.

AULA 06

Vamos à aula de hoje? Bons estudos!! Patrícia Carla Twitter - @profapatricia E-mail: patriciacarla@pontodosconcursos.com.br

1

Agentes Públicos

Conceito

É todo aquele que exerce algum tipo de serviço para o Estado, ainda que transitoriamente ou sem remuneração, por eleição, nomeação, designação, contratação ou qualquer outra forma de investidura ou vínculo, mandato, cargo, emprego ou função.

Espécies

Agentes políticos: São os que compõem os altos escalões do Governo, como Presidente da República, Governador, Prefeito, Senador, Deputado, Vereador e Magistrado, com características, prerrogativas e privilégios próprios, em geral estabelecidos pela Constituição Federal; Agentes em delegação: São aqueles particulares que recebem do Estado a competência para executar determinada atividade pública, ou prestação de serviço público ou, ainda, construção de obra pública. Citem-se os leiloeiros, peritos, tradutores, concessionários, permissionários e autorizatários. Servidores públicos em sentido amplo: são todos os que prestam serviços ao Estado, incluindo a Administração Pública Indireta, tendo vínculo empregatício e pagos pelos cofres públicos. São também chamados de agentes administrativos. Nessa classificação estão tanto os servidores estatutários, sujeitos ao regime legal (Lei nº 8.112/90), quanto os empregados públicos, do regime contratual, além dos temporários, nos termos do art. 37, IX, da CF/88.
2

Servidor estatutário

São os titulares de cargos públicos e estão sujeitos ao regime legal, ou estatutário, pois é lei de cada ente da federação (União, Estados-membros, Distrito Federal e Municípios) que estabelece as regras de relacionamento entre os servidores e a Administração Pública.

Empregados públicos

São aqueles contratados, seguindo o regime trabalhista, próprio da iniciativa privada. Assim, devem obedecer a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), bem como as regras impostas pela CF/88, como acesso mediante concurso público (art. 37, II, CF/88), limitações de remuneração (art. 37, XI, CF/88) e acumulação remunerada de cargos e empregos públicos (art. 37, XVI e XVII, CF/88).

Temporários

aqueles contratados para São atividades transitórias, emergenciais, submetidos a um regime jurídico especial, como, na esfera federal, disciplinado pela Lei nº 8.745/93. A lei que trate desse tipo de situação não pode estabelecer hipóteses abrangentes e genéricas de contratação temporária, sem a especificação da contingência fática que evidencie tal situação excepcional, sob pena de inconstitucionalidade. Essa classe está prevista, como mencionado, no art. 37, IX, da CF/88, e também tem seus litígios submetidos à Justiça Federal, quando contratados por entidade dessa esfera

3

Estabilidade: É uma garantia de ordem constitucional deferida aos ocupantes de cargos públicos de provimento efetivo, com o intuito de assegurar sua permanência no cargo, enquanto atendidos os requisitos legais. Para que o servidor adquirir a sua estabilidade, ele terá que preencher os seguintes requisitos: I – Requisitos Objetivos: a) nomeação para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público; b) 03 anos de efetivo exercício (CF/88, art. 41, caput); II – Requisitos subjetivos: a) aprovação no estágio probatório, sob pena de exoneração (art. 20, § 2º); b) aprovação na avaliação especial de desempenho efetivada por comissão instituída para essa finalidade (CF/88, art. 41, § 4º). O servidor estável poderá perder o seu cargo em 04 situações (artigos 41 e 169, CF/88): a) Em virtude de sentença judicial transitada em julgado; b) Mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa; c) Mediante procedimento de avaliação periódica de desempenho; d) Para o cumprimento dos limites com a despesa com pessoal ativo e inativo. O servidor deverá ter a sua capacidade avaliada todo tempo e não apenas durante o estágio probatório. Assim, no momento em que ele deixar de atender às expectativas da Administração, poderá, após um procedimento adequado, perder o cargo, ainda que seja estável no serviço público. Não podemos confundir o conceito de estabilidade com estágio probatório: Estágio probatório: É o período a que se submete todo o servidor nomeado para cargo de provimento efetivo, durante o qual a sua aptidão e capacidade serão objeto de avaliação para o desempenho do cargo (art. 20). No decorrer desse tempo, será ele constantemente avaliado, a fim de se confirmarem suas qualidades para o bom desempenho da atividade própria do cargo, qualidades
4

468/2005 da Procuradoria-Geral Federal que restringiu a elaboração e edição de listas de promoção e progressão aos procuradores federais que houvessem findado o estágio probatório entre 1º de julho de 2000 a 30 de junho de 2002. De modo que. PRAZO. há a Portaria n. Informativo 391. 73/1993 (Lei Orgânica da Advocacia-Geral da União) e em outros estatutos de servidores públicos – ou o prazo de aquisição de estabilidade no serviço público. após três anos do efetivo exercício vir a ser estabilizado no mesmo cargo. atendidos os requisitos legais. que se dá após três anos. esse prazo só pode ser de estágio probatório. Relator. 41 da CF/1988 (com a redação dada pela EC n. conforme disposto no art. que aumentou para três anos o prazo para aquisição da estabilidade no serviço público. o servidor adquire estabilidade no serviço público. no momento da elaboração das listas. o servidor público pode avançar na carreira independentemente de se encontrar em estágio probatório. Assim. permanecendo no cargo. haveria também a circunstância de que. Durante o efetivo exercício das atribuições do cargo. 41 imediatamente aplicável. presumem-se existentes com a aprovação em concurso público. ALTERAÇÃO. 8. Em mandado de segurança.112/1990). 19/1998. não faz sentido que o servidor público seja considerado apto para o cargo num estágio probatório de dois anos e apenas. 19/1998). 8. por tempo indeterminado. deverá ele comprovar ser merecedor da confiança estatal. 20 da Lei n. o estágio probatório é o período compreendido entre o início do exercício do cargo e a aquisição de estabilidade no serviço público. só o perdendo diante das situações previstas na legislação. de 3 anos.112/1990 – reproduzido no art. da Lei n. Assim. Sendo assim. a partir do segundo ano. não há como dissociá-los. no antigo entendimento. 19/1998 diz que os servidores são estáveis após três anos. o servidor perderia o direito à recondução (art. Observa que a finalidade do estágio é fornecer subsídios para a estabilização ou não do servidor público. o prazo de estágio probatório dos servidores públicos deve observar a alteração promovida pela EC n. 29.essas que. como o impetrante não concluiu o requisito no lapso temporal do efetivo exercício para conclusão do período do estado probatório. instituto que será amplamente estudado no tópico seguinte. Ademais. I. Aponta ser também essa a opinião do STF. STJ: ESTÁGIO PROBATÓRIO. Destaca que segundo a doutrina quando a EC n. Ressalta que havendo autorização legal. 22 da LC n. ambos estão pragmaticamente ligados. visto que. de fato. Para o Min. No caso dos autos. discute-se o prazo a ser considerado para inclusão de procurador federal em listas de promoção e progressão na carreira: se o prazo para o estágio probatório de dois anos nos termos do art. entre eles a aprovação no estágio. 5 . apesar de esses institutos jurídicos (estágio probatório e estabilidade) serem distintos entre si. de início. se for aprovado. que considerou ser a nova ordem constitucional do citado art.

6 . II – disciplina. III – capacidade de iniciativa.o gozo dos direitos políticos. acessíveis a todos os brasileiros. IV – produtividade. a Seção mudou seu posicionamento quanto ao estágio probatório e denegou o MS.o nível de escolaridade exigido para o exercício do cargo. IV . Com esse entendimento. será exonerado. (grifou-se) Hoje. observados os seguintes fatores (art. empregos e funções públicas são acessíveis aos brasileiros que preencham os requisitos estabelecidos em lei. o servidor nomeado para cargo de provimento efetivo ficará sujeito a estágio probatório. Os cargos. esse é o entendimento a ser usado em provas de concursos!!! Ao entrar em exercício. da CF/88). dois caminhos foram previstos (art. na forma da lei (art.a idade mínima de dezoito anos. para provimento em caráter efetivo ou em comissão.a quitação com as obrigações militares e eleitorais. Em caso de não-aprovação do servidor no estágio probatório. o servidor será aproveitado em outro (art. II . 3o Cargo público é o conjunto de atribuições e responsabilidades previstas na estrutura organizacional que devem ser cometidas a um servidor. 37.a nacionalidade brasileira. V . encontrando-se provido o cargo de origem. No primeiro caso. 20. durante o qual a sua aptidão e capacidade serão objeto de avaliação para o desempenho do cargo. pelo período de trinta e seis meses. Cargo: Lei nº 8112/90. II – se não se enquadrar na possibilidade anterior. V – responsabilidade. Requisitos básicos para investidura em cargo público: I . será reconduzido a ele. III . são criados por lei. Os cargos públicos. Parágrafo único. com denominação própria e vencimento pago pelos cofres públicos.não pode figurar nas listas de promoção e progressão funcional. I. assim como aos estrangeiros. 29). § 2o): I – se detinha estabilidade no cargo anteriormente ocupado. art. 20): I – assiduidade.

Petrobras). Os cargos em comissão são os de livre nomeação e exoneração. direção ou assessoramento. exigir diploma de bacharel em Direito. exige-se que. mas que se diferencia do cargo pelo vínculo que une seus titulares ao Estado. não necessitam de concurso público e não oferecem qualquer garantia de permanência ao seu titular. É o caso dos assessores ou diretores. DJ 08/10/2004). nos casos em que é necessário um liame de confiança entre determinada autoridade e o titular de cargo de direção. já o empregado (regido pela CLT) será titular de um emprego (ex. no que concerne à chefia.VI . A exigência de habilitação para o exercício do cargo objeto do certame dar-seá no ato da posse e não da inscrição do concurso (STF. Assim. como no citado caso dos Ministros de Estado (art. diz-se. sendo ato puramente discricionário da autoridade competente para nomear. pode determinar idade mínima de vinte e um anos. Súmula 686. por isso. o que não desvirtua essa característica do cargo. a lei pode estabelecer certas regras. Essa característica é dada pela lei que cria o cargo. podendo a lei exigir outros. RE 392. CF/88). Assim. A exoneração não precisa ser motivada. Incabível restringir. TRE). já seja concursado. Assim. no Edital do Concurso. servidor do INSS. posto que transitórios. A lei também indica a autoridade competente para fazer a nomeação. chefia ou assessoria. É o acréscimo de algumas atribuições àquelas já destinadas ao agente. Emprego: Emprego público é um conjunto de atribuições. do STF: Só por lei se pode sujeitar a exame psicotécnico a habilitação de candidato a cargo público. Banco do Brasil. para os Diretores de Secretaria na Justiça Federal. proibir nomeações de determinados parentes etc. onde é fundamental o envolvimento entre estes e a autoridade que os nomeia. 87. para exercê-la. de acordo com as atribuições do cargo. pelo poder Público.976/MG. empregado dos Correios. 7 . A relação dos requisitos é meramente exemplificativa. a um agente.aptidão física e mental. o estatutário (regido por um estatuto que no âmbito federal é a Lei nº 8112/90) será titular de um cargo (ex. o que a lei não limitou. Função: Já a função refere-se a uma atribuição específica. Apesar de ser livre a nomeação. que a exoneração é ad nutum.

os agentes em delegação e os servidores públicos. 2. (D) adquire estabilidade com a aprovação no concurso público para provimento do cargo. (B) perde o cargo em virtude de sentença judicial transitada em julgado ou mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada a ampla defesa. prestam algum tipo de serviço ao Estado.Art. e os cargos em comissão. 1. enquanto atendidos os requisitos legais. chefia e assessoramento. mesmo que transitoriamente e sem remuneração. Vamos sintetizar tudo? 1. Entre os agentes. IV – para o cumprimento dos limites com a despesa com pessoal ativo e inativo. (C) perde o cargo após dois anos de efetivo exercício e apenas mediante decisão administrativa transitada em julgado. condições e percentuais mínimos previstos em lei. 4. destinam-se apenas às atribuições de direção. Gabarito: B Comentários: Em relação ao servidor público ocupante de cargo efetivo pode-se afirmar: 8 . A estabilidade é uma garantia de ordem constitucional deferida aos ocupantes de cargos públicos de provimento efetivo. São quatro as possibilidades de perda do cargo do servidor estável: I – em virtude de sentença judicial transitada em julgado. 37. quais sejam. da CF/88: As funções de confiança. II – mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa. O gênero agentes públicos abrange todas as pessoas que. os agentes políticos. de uma forma ou de outra. 3. a serem preenchidos por servidores de carreira nos casos. (FCC/DPE-SP/Oficial/2010) Em relação ao servidor público ocupante de cargo efetivo pode-se afirmar: (A) adquire estabilidade após dois anos de efetivo exercício no cargo. encontram-se três espécies principais. exercidas exclusivamente por servidores ocupantes de cargo efetivo. V. com o intuito de assegurar sua permanência no cargo. (E) perde o cargo por meio de decisão administrativa somente se já adquiriu estabilidade. III – mediante procedimento de avaliação periódica de desempenho.

41. 41. Errado! Após três anos de efetivo exercício no cargo (CF/88. 20. b) aprovação na avaliação especial de desempenho efetivada por comissão instituída para essa finalidade (CF/88. § 4º). (D) adquire estabilidade com a aprovação no concurso público para provimento do cargo. o servidor estável poderá perder o seu cargo também em outras situações (artigos 41 e 169. c) Mediante procedimento de avaliação periódica de desempenho. II – Requisitos subjetivos: a) aprovação no estágio probatório.(A) adquire estabilidade após dois anos de efetivo exercício no cargo. d) Para o cumprimento dos limites com a despesa com pessoal ativo e inativo. Correto! Além dessas duas hipóteses. Errado! Não existe essa previsão de perda do cargo após dois anos de efeDecisão administrativa não transita em julgado. Errado! Ah. art. § 2º). apenas decisão judicial. 41. caput). 9 . CF/88): a) Em virtude de sentença judicial transitada em julgado. b) Mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa. sob pena de exoneração (art. ele terá que preencher os seguintes requisitos: I – Requisitos Objetivos: a) nomeação para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público. b) 03 anos de efetivo exercício (CF/88. art. (C) perde o cargo após dois anos de efetivo exercício e apenas mediante decisão administrativa transitada em julgado. caput) (B) perde o cargo em virtude de sentença judicial transitada em julgado ou mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada a ampla defesa. art. se fosse assim seria tão bom! Para que o servidor adquirir a sua estabilidade.

III. (D) III e V. atribuindo-lhe um titular. (FCC/MPE-RN/Agente/2010) Considere as seguintes afirmações: I. (E) IV e V. Transferência e readaptação não são formas de provimento. vedada a delegação. Transferência e readaptação não são formas de provimento. IV e V. ou seja. IV. II e IV. (B) I e III. Gabarito: B Comentários: I. Portanto. Está correto o que se afirma APENAS em (A) I. atribuindo-lhe um titular. O provimento realiza-se mediante ato da autoridade competente de cada Poder ou órgão equivalente e só produz efeitos a partir de sua publicação no jornal oficial. II. é a atribuição desse conjunto de competências a alguém. As funções são providas mediante nomeação. 8112/90). Provimento é o ato de preenchimento de cargo ou função pública vago. 10 . correta a letra B. 2. Errado! Mesmo sem ter adquirido a tão sonhada estabilidade ele poderá perder o seu cargo. 7º. (C) III. II. Promoção e aproveitamento são formas de provimento. Correto! provimento é o ato administrativo pelo qual se preenche o cargo vago. V. Provimento é o ato de preenchimento de cargo ou função pública vago.(E) perde o cargo por meio de decisão administrativa somente se já adquiriu estabilidade. A investidura em cargo público ocorrerá com a posse (art.

84. em cargo que não integra a carreira na qual anteriormente investido. devido à limitação física. Correto! IV. sem prévia aprovação em concurso público destinado ao seu provimento. 3. passa a exercer atribuições compatíveis com sua situação atual. 6o O provimento dos cargos públicos far-se-á mediante ato da autoridade competente de cada Poder. no que concerne à chefia. Assim. pelo Poder Público. (B) recondução. V. para exercê-la. (C) readaptação. A ascensão e a transferência foram considerados inconstitucionais pelo STF: Súmula 685. correta a letra B. (E) transposição. Errado! Art. direção ou assessoramento. Promoção e aproveitamento são formas de provimento. Errado! A função refere-se a uma atribuição específica. As funções são providas mediante nomeação. É possível a delegação do ato de provimento (CF/88. exige-se que. Trata-se da (A) reversão. vedada a delegação. art. (FCC/MPE-RN/Agente/2010) Forma de provimento quando o Agente. STF: É inconstitucional toda modalidade de provimento que propicie ao servidor investir-se. XXV e parágrafo único).Errado! A readaptação é uma forma de provimento. (D) recolocação. a um agente. adquirida no exercício das funções do cargo de origem. Ou seja: é o acréscimo de algumas atribuições àquelas já destinadas ao agente. Gabarito: C 11 . já seja concursado. O provimento realiza-se mediante ato da autoridade competente de cada Poder ou órgão equivalente e só produz efeitos a partir de sua publicação no jornal oficial. Portanto. III.

para cargo que não tem a mesma natureza de trabalho. a celebração de convênios ou contratos entre os entes federados”. a nomeação é a única possibilidade de provimento originário de cargo público diante da atual Carta Política. que é a passagem de servidor de um cargo para outro. Exemplo disso seria a ascensão de Analista Tributário da Receita Federal para o cargo de Auditor Fiscal. de Agente da Polícia Federal para Delegado nas mesmas circunstâncias. pertencente a quadro de pessoal diverso. a participação em cursos de formação e aperfeiçoamento em escolas de governo. “a União. este depende de vínculo anterior dele com a Administração Pública. 12 . foi julgado inconstitucional pelo STF. preenchidos por pessoas de confiança da autoridade competente. PROMOÇÃO: A promoção é forma de provimento pela qual o servidor passa para cargo de maior grau de responsabilidade e maior complexidade de atribuições. NOMEAÇÃO: Como já dito anteriormente. 8º. que seria provimento sem concurso público.Comentários: Provimento originário: é aquele se refere a um vínculo inicial do servidor ao cargo. Diversas são as hipóteses em que isso pode ocorrer. Distingue-se da transposição porque. Já a transferência. De acordo com a atual previsão constitucional. nesta. como requisito para promoção. exceto nos casos de cargos em comissão. a única forma de provimento originário possível é através da nomeação (ou contratação. 39 da CF/88. facultada. constituindo-se a participação nos cursos um dos requisitos para a promoção na carreira. ou ascensão. Constitui uma forma de ascender na carreira. ou seja. pela simples passagem do tempo. e o Estatuto. ou ainda. os Estados e o Distrito Federal manterão escolas de governo para a formação e o aperfeiçoamento dos servidores públicos. A Emenda Constitucional nº 19 trouxe uma novidade ao exigir. precedida necessariamente de concurso público. Provimento derivado: há um vínculo prévio entre quem está sendo investido em novo cargo e a Administração Pública. dentro da carreira a que pertence. sem concurso externo em igualdade de condições com todos os candidatos. sem o indispensável concurso público. se celetistas). representando a passagem de uma carreira para outra. Segundo o § 2º do art. o servidor passa para cargo de conteúdo ocupacional diverso. tratou delas: O acesso. em seu art. para isso. foi também declarada inconstitucional.

Importante ressaltar que a limitação citada não o impede de seguir laborando em outro cargo. § 1º. por sua vez. Então. 25.READAPTAÇÃO: Por readaptação entende-se a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental verificada em inspeção médica (art. até a ocorrência de vaga (art. § 1º do Estatuto). ambos da CF/88. CF/88 e art. Se for de tal gravidade que torne inviável o exercício de qualquer atividade. 25. § 2º). APROVEITAMENTO: É o retorno ao serviço público daquele que estava em disponibilidade. e deve ser precedida de decisão de junta médica específica para tal fim. I. É o caso do motorista acidentado que perdeu as pernas. compatível com ela. e do § 9º. declarada essa situação por junta médica (art. Neste caso. 24. ou a disponibilidade no caso de não existir vaga. enquanto não vagar um já existente. 40. Em não havendo vaga aberta. por alguma limitação que tenha sofrido. A disponibilidade é exclusividade de servidor estável. I). O aproveitamento. não pode haver acréscimo de vencimentos nem responsabilidades. até que uma desocupe. 24. que pode ser readaptado para agente administrativo ou ascensorista. nada mais é que não trabalhar. ou seja. Esse provimento é horizontal. 40. de existência efêmera. que pode ser tanto física quanto mental. 24). por isso. proporcionalmente ao tempo de serviço. como é de interesse da Administração Pública. O cargo virtual desaparecerá no momento em que surgir uma vaga entre os cargos legalmente previstos. Esta. segundo a nova redação do § 3º. A primeira é daquele aposentado por invalidez que deixou de ser inválido. encontrando-se provido o cargo. da mesma forma que no caso da readaptação retromencionado. § 3º). o readaptado entrará em exercício como excedente. ficando curado o servidor. do art. mas estar à disposição do Estado. deverá ele voltar à ativa. Exercício como excedente significa que ao servidor será criado uma espécie de cargo virtual. do art. ocorre em duas situações constitucionalmente previstas: 13 . estando obrigado a entrar em exercício se a Administração assim determinar. quando essa vaga temporária do excedente desaparecerá (art. Ela se dá quando não é possível ao servidor seguir no desempenho das atividades do cargo. deve o servidor ser aposentado por invalidez (art. 41. remunerado. REVERSÃO: O aposentado tem duas formas de retorno à ativa por provimento derivado. o servidor exercerá suas atribuições como excedente.

I – extinção de cargo ou declaração de sua desnecessidade (art. 14 . Segundo o STJ. a qualquer tempo. CF/88). 41. 32). Assim. posto que é desfazimento de ato ilegal. será no mesmo cargo. Estando em disponibilidade. Suponha-se que determinada pessoa já seja estável no cargo de agente administrativo. quando não seja possível reconduzir o atual ocupante ao cargo antigo ou aproveitá-lo em outro cargo (art. II – reintegração do anterior ocupante. 31) e. Aprovada em concurso público para Analista do Tribunal de Contas da União. não pode ser colocado em disponibilidade servidor estável sem que o respectivo cargo seja extinto ou declarado desnecessário. inclusive promoções que teria direito se em exercício estivesse. quanto do aproveitando de assumir novo posto que. e não ao tempo de contribuição. como dito. § 3º. extinto o cargo ou declarada sua desnecessidade no órgão ou entidade. deverá ser submetida a novo estágio probatório. tanto da Administração Pública de convocar. o servidor poderá ser convocado para entrar em exercício em vaga que vier a ocorrer nos órgãos ou entidades da Administração Pública Federal (art. § 2º. CF/88). 30). não o fazendo no prazo legal. o servidor estável que não for redistribuído será colocado em disponibilidade. § 3º). com exceção do item II retro. Prevê ainda o Estatuto que. não é porque é estável em um cargo que não mais será necessário o estágio probatório em outros que venha eventualmente a assumir via concurso público. 41. Trata-se de obrigação. será tornado sem efeito o aproveitamento e cassada a disponibilidade. a reintegração é a reparação integral dos direitos. §§ 1º e 9º. O retorno à atividade de servidor em disponibilidade far-se-á mediante aproveitamento obrigatório em cargo de atribuições e vencimentos compatíveis com o anteriormente ocupado (art. como é o caso dos proventos de aposentadoria (art. pois este visa avaliar a aptidão e capacidade para um cargo específico. RECONDUÇÃO: Duas são as possibilidades de provimento derivado via recondução (art. II – reingresso do servidor ilegalmente desligado de seu cargo. REINTEGRAÇÃO: Quando um servidor é ilegalmente desligado de seu cargo. Importante ressaltar que o valor recebido pelo servidor em disponibilidade. até seu aproveitamento (37. 40. nos casos de reorganização ou extinção de órgão ou entidade. CF/88). com o conseqüente ressarcimento de todos os prejuízos sofridos. preferencialmente. salvo doença comprovada por junta médica oficial (art. 29): I – inabilitação em estágio probatório relativo a outro cargo. ou seja. deverá ser reintegrado. é proporcional ao tempo de serviço.

para a retomada do efetivo desempenho das atribuições do cargo. sem ressarcimento de eventuais vantagens. onde já era estável. se estável neste. quando invalidada a sua aposentadoria por decisão administrativa ou judicial. podendo ser prorrogado por igual prazo.Assim. dentre outras hipóteses. em comissão. Gabarito: C Comentários: Em relação ao provimento do cargo público é correto afirmar que. (B) a nomeação far-se-á. inclusive na condição de interino para cargos de confiança vagos. 4. 15 . uma única vez. (E) a recondução é a reinvestidura do servidor efetivo ou comissionado no cargo anteriormente ocupado. ou seja. correta a letra C. Digo teórica pois dificilmente ocorrerá. podendo ser prorrogado por igual prazo. será reconduzida ao cargo anterior. (A) a posse e o exercício ocorrerão no prazo de trinta dias contados da publicação do ato de proclamação dos aprovados no concurso. incluído nesse prazo o tempo necessário para o deslocamento para a nova sede. quando se tratar de cargo isolado de provimento efetivo ou de carreira. que já foi mencionada no item precedente. uma única vez. (FCC/TRE-AC/Analista/2010) Em relação ao provimento do cargo público é correto afirmar que. sendo de trinta dias o prazo para o servidor aprovado em cargo público entrar em exercício. o atual ocupante retornará ao cargo anteriormente ocupado. contados da publicação do ato. poderá vir a ser reprovada no estágio e não poderá continuar nele. (A) a posse e o exercício ocorrerão no prazo de trinta dias contados da publicação do ato de proclamação dos aprovados no concurso. dez e. no novo cargo de analista. trinta dias de prazo. contados da data do ato de provimento. (C) o servidor que deva ter exercício em outro município em razão de ter sido posto em exercício provisório terá. ou no cargo resultante de sua transformação. Nesse caso. no máximo. (D) pela posse há o efetivo desempenho das atribuições da função de confiança. no mínimo. preferindo da Administração manter o servidor num outro cargo igual vago. A outra possibilidade teórica de recondução ocorre no caso de reintegração do anterior ocupante. Portanto.

(B) a nomeação far-se-á. no mínimo.Errado! Desconsiderem o prazo de 30 dias e de 15 dias. contados da publicação do ato. Tratando-se do DF. (C) o servidor que deva ter exercício em outro município em razão de ter sido posto em exercício provisório terá.em caráter efetivo. contados da data do ato de provimento. para a retomada do efetivo desempenho das atribuições do cargo. quando se tratar de cargo isolado de provimento efetivo ou de carreira. Tais prazos são válidos para concursos federais. O servidor que deva ter exercício em outro município em razão de ter sido removido. (D) pela posse há o efetivo desempenho das atribuições da função de confiança. dez e. Correto! Art. 18. incluído nesse prazo o tempo necessário para o deslocamento para a nova sede. no máximo. dentre outras hipóteses. respectivamente. em comissão (o correto seria: em caráter efetivo). para cargos de confiança vagos.em comissão. Errado! Art. trinta dias de prazo. trinta dias de prazo. no mínimo. contados da publicação do ato. inclusive na condição de interino. requisitado. incluído nesse prazo o tempo necessário para o deslocamento para a nova sede. para a posse e para o exercício. quando invalidada a sua aposentadoria por decisão administrativa ou judicial. correta a letra C. ou no cargo resultante de sua transformação. II . (o correto seria: em comissão) inclusive na condição de interino para cargos de confiança vagos. 16 . dez e. cedido ou posto em exercício provisório terá. 9o A nomeação far-se-á: I . Portanto. sem ressarcimento de eventuais vantagens. Errado! (E) a recondução é a reinvestidura do servidor efetivo ou comissionado no cargo anteriormente ocupado. redistribuído. quando se tratar de cargo isolado de provimento efetivo ou de carreira. para a retomada do efetivo desempenho das atribuições do cargo. os prazos para a posse e para o exercício são de 25 dias e 5 dias úteis respectivamente. no máximo. sendo de trinta dias o prazo para o servidor aprovado em cargo público entrar em exercício.

II. 17 . descontadas as vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei. considere: I. considere: I. Está correto o que se afirma APENAS em (A) I. As faltas justificadas decorrentes de caso fortuito ou de força maior poderão ser compensadas a critério da chefia imediata. vantagens e adicionais do servidor público civil da União.5. (FCC/TRE-AC/Analista/2010) Quanto aos direitos. Vencimento é a remuneração do cargo efetivo ou comissionado. II e III. V. descontadas as vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei. a respectiva vantagem não será considerada no cálculo das férias. (D) III. (B) I e III. vantagens e adicionais do servidor público civil da União. ou seja. Mediante expressa solicitação do servidor. IV e V. contraprestação pelos serviços realizados. não se presta serviços à Administração Pública de forma gratuita. III. Assim. será pago por ocasião das férias. IV. sendo assim consideradas como efetivo exercício. sendo que as gratificações e os adicionais incorporam-se ao vencimento ou provento. sendo que no caso de cargo em comissão. O serviço extraordinário será remunerado com acréscimo de cinquenta por cento em relação à hora normal de trabalho e somente será permitido para atender a situações excepcionais e temporárias. (E) IV e V. (C) II. nos casos e condições indicados em lei. Vencimento é a remuneração do cargo efetivo ou comissionado. IV e V. Errado! Como regra geral. Gabarito: D Comentários: Quanto aos direitos. respeitado o limite máximo de duas horas por jornada. um adicional correspondente a um terço da remuneração de férias. As indenizações não se incorporam ao vencimento ou provento para qualquer efeito. há retribuição pecuniária ao servidor.

O serviço extraordinário será remunerado com acréscimo de cinquenta por cento em relação à hora normal de trabalho e somente será permitido para atender a situações excepcionais e temporárias. nada mais é do que a devolução dos valores gastos pelo funcionário para o exercício de suas atribuições. com valor fixado em lei. Mediante expressa solicitação do servidor. Errado! Art. Correto! Em face de exigências do trabalho. será pago por ocasião das férias. por ocasião das férias. 40. e será remunerado com acréscimo de 50% em relação à hora normal de trabalho. 76. As faltas justificadas decorrentes de caso fortuito ou de força maior poderão ser compensadas a critério da chefia imediata. ou ocupar cargo em comissão. Correto! serviço extraordinário é popularmente conhecido como hora extra. As indenizações não se incorporam ao vencimento ou provento para qualquer efeito. um adicional correspondente a um terço da remuneração de férias. nos casos e condições indicados em lei. A compensação ou restituição desses gastos é chamada de indenização. Será permitido apenas para atender a situações excepcionais e temporárias. sendo que as gratificações e os adicionais incorporam-se ao vencimento ou provento. um adicional correspondente a 1/3 (um terço) da remuneração do período das férias. por vezes os servidores vêem-se obrigados ao dispêndio de quantias para executá-lo ou para atender ao interesse público. respeitado o limite máximo de duas horas por jornada. respeitado o limite máximo de duas horas por jornada. a respectiva vantagem não será considerada no cálculo das férias. V. sendo que no caso de cargo em comissão. Remuneração é o vencimento do cargo efetivo. Correto! IV. II. acrescido das vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei. 41. Parágrafo único.Art. Vencimento é a retribuição pecuniária pelo exercício de cargo público. sendo assim consideradas como efetivo exercício. chefia ou assessoramento. No caso de o servidor exercer função de direção. ou seja. 18 . Art. Independentemente de solicitação. será pago ao servidor. e considera-se como tal aquele realizado após o horário normal de trabalho ou antes de ele começar. a respectiva vantagem será considerada no cálculo do adicional de que trata este artigo III.

Só haverá posse nos casos de provimento de cargo por nomeação. vejamos: Errado! Desconsiderem o prazo de 30 dias e de 15 dias. (E) II. Bem. como o nosso concurso é distrital. Gabarito: A Comentários: Quanto à posse do servidor público considere: I. II. dispensada nas hipóteses de acesso. Portanto. respectivamente. sendo ela realizada por ocasião do exercício. Tratando-se do DF. o serviço extraordinário não será remunerado. os prazos para a posse e para o exercício são de 25 dias e 5 dias úteis respectivamente. (B) I. (C) I e V. A posse poderá dar-se mediante procuração específica. Tais prazos são válidos para concursos federais. A posse em cargo público independerá de prévia inspeção médica oficial. a coisa muda de figura.Em não havendo prévia autorização da autoridade competente. 6. (FCC/TRE-AC/Técnico/2010) Quanto à posse do servidor público considere: I. 19 . A posse ocorrerá no prazo de trinta dias contados da publicação do ato de provimento. correta a letra D. Está correto o que se afirma APENAS em (A) I. V. III. Haverá posse nos casos de provimento de cargo por nomeação e comissão. III e IV. III e V. pelo gabarito está correto porque é uma questão de um concurso federal. Porém. (D) II e III. para a posse e para o exercício. II e IV. IV. A posse ocorrerá no prazo de trinta dias contados da publicação do ato de provimento.

§ 5º). não haverá posse nos cargos de provimento derivado. § 3º). Correto! Art. 13. Cada cargo pode ter requisitos médicos e psicológicos diferenciados. Anualmente. 13. Errado! Só haverá posse nos casos de provimento de cargo por nomeação (art. para que seja possível um controle efetivo da evolução patrimonial do servidor. § 4º). evitando-se enriquecimento ilícito por conta de condutas vedadas na Administração Pública. podendo ainda optar por apresentar cópia da relação de bens fornecida à Receita Federal. Portanto. Entre os documentos apresentados no ato da posse. visto que já existe vínculo anterior do servidor com o serviço público. Outro requisito para a posse é a prévia aprovação em inspeção médica oficial. III. essa declaração de bens deverá ser atualizada. § 3o A posse poderá dar-se mediante procuração específica. emprego ou função pública (art. 13. A posse poderá dar-se mediante procuração específica. Importante ressaltar que a posse poderá dar-se mediante procuração específica (art. IV. e quando de seu desligamento. 13. 20 . Uma vez assinado o Termo de Posse. § 4o Só haverá posse nos casos de provimento de cargo por nomeação. direitos. pois só poderá ser empossado aquele que for julgado apto física e mentalmente para o exercício do cargo (art. Portanto. com todas suas prerrogativas. 13. ao tomar posse. exige-se do servidor a declaração de bens e valores que constituem seu patrimônio e declaração quanto ao exercício ou não de outro cargo. Caberá a pena de demissão para aquele que se recusar a prestar as informações ou as prestar falsas. 14). Só haverá posse nos casos de provimento de cargo por nomeação. deve o candidato apresentar a relação de bens e valores de seu patrimônio. Haverá posse nos casos de provimento de cargo por nomeação e comissão.II. Correto! Art. dispensada nas hipóteses de acesso. vantagens e deveres. o agora servidor estará investido das atribuições do cargo. Assim. posto que já existe vínculo anterior do servidor com o serviço público. não haverá posse nos cargos de provimento derivado. a depender das características de cada atividade.

a depender das características de cada atividade. como o nosso concurso não federal. Porém. Gabarito: D Comentários: Readaptação: é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental verificada em inspeção médica (art. Reintegração: quando um servidor é ilegalmente desligado de seu cargo deverá ele ser reintegrado. com o conseqüente ressarcimento de todos os prejuízos sofridos. Portanto. que pode ser readaptado para agente administrativo ou ascensorista. Se o cargo for extinto. Ex. Errado! Cada cargo pode ter requisitos médicos e psicológicos diferenciados. 7. inclusive promoções a que teria direito se em exercício estivesse. Recondução: pode acontecer por inabilitação em estágio probatório relativo a outro cargo ou por reintegração do anterior ocupante. denomina-se: (A) Readaptação.V. Art. (D) Reversão. 14. dentre outras hipóteses. mas distrital. motorista acidentado que perdeu as pernas. (C) Reintegração. a reinvestidura darse-á no cargo resultante de sua transformação. 24). 21 . (B) Recondução. sendo ela realizada por ocasião do exercício. quando junta médica oficial declarar insubsistentes os motivos da aposentadoria. o servidor reintegrado ficará em disponibilidade. correta a letra A (repito: o gabarito com a letra A está correto porque foi um concurso federal e considerou o item I correto. o item I está errado pelas razões acima já expostas. (FCC/TRE-AC/Técnico/2010) O retorno à atividade de servidor aposentado. (E) Transferência. por invalidez. caso tenha sido transformado em outro. A reintegração é a reparação integral dos direitos. uma vez que é o desfazimento de ato ilegal. A posse em cargo público dependerá de prévia inspeção médica oficial. A posse em cargo público independerá de prévia inspeção médica oficial.

se a Administração assim o determinar) ou a pedido (acontecerá no interesse da Administração. sequestro ou penhora. desde que sejam atendidos os seguintes requisitos:1 – tenha solicitado a reversão. (C) exoneração ou promoção. 4 – a aposentadoria tenha ocorrido nos cinco anos anteriores à solicitação. sem titular. sem o indispensável concurso público. em qualquer caso. em qualquer caso. 22 . o servidor receber menos que dois salários mínimos. 2 – a aposentadoria tenha sido voluntária. 9. objeto de arresto. (D) readaptação ou demissão. (E) promoção ou aposentadoria. 5 – haja cargo vago). ou seja. Transferência: passagem de servidor de um cargo para o outro. 8. ficando curado o servidor. computadas ou acumuladas. correta a letra D. (C) a remuneração e o provento poderão ser. 3 – estável quando na atividade. (FCC/TRE-AC/Técnico/2010) Quanto aos direitos e vantagens do servidor público civil é certo que. deverá ele voltar à ativa. não podendo contudo. correta a letra B.Reversão: acontece a reversão do aposentado por invalidez que deixou de ser inválido (assim. dentre outras hipóteses. estando obrigado a entrar em exercício. de (A) aposentadoria ou falecimento. (A) as vantagens pecuniárias serão. (FCC/TRE-AC/Técnico/2010) É INCORRETO afirmar que a vacância no cargo público decorrerá. ainda que sob o mesmo título ou idêntico fundamento. declarada inconstitucional pelo STF. (B) ascensão ou posse em outro cargo acumulável. (B) o vencimento e a remuneração do cargo efetivo. para efeito de concessão de quaisquer outros acréscimos pecuniários ulteriores. são redutíveis. e pode acontecer nas seguintes hipóteses: Portanto. Portanto. Gabarito: B Comentários: Vacância é a situação do cargo público que está vago.

Errado! Art.. Art.adicionais. nem acumuladas. Vencimento é a retribuição pecuniária pelo exercício de cargo público. em virtude de mandato eletivo. para efeito de concessão de quaisquer outros acréscimos pecuniários ulteriores.indenizações. 23 . . são redutíveis. II . o servidor receber menos que dois salários mínimos.(D) o servidor em débito com o erário. computadas ou acumuladas.gratificações. que for demitido. terá que quitar o débito no ato da exoneração. sob o mesmo título ou idêntico fundam (B) o vencimento e a remuneração do cargo efetivo. ou reassumi-lo. 41. em qualquer caso. § 1o As indenizações não se incorporam ao vencimento ou provento para qualquer efeito. 50. Errado! Art. Gabarito: E Comentários: Quanto aos direitos e vantagens do servidor público civil é certo que. acrescido das vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei. para efeito de concessão de quaisquer outros acréscimos pecuniários ulteriores. nos casos e condições indicados em lei. As vantagens pecuniárias não serão computadas. não podendo contudo. 49. vedado prazo ou parcelamento da dívida. (E) não será concedida ajuda de custo ao servidor que se afastar do cargo. Remuneração é o vencimento do cargo efetivo.. (A) as vantagens pecuniárias serão. ainda que sob o mesmo título ou idêntico fundamento. III . Art. poderão ser pagas ao servidor as seguintes vantagens: I . Além do vencimento. 40. § 2o As gratificações e os adicionais incorporam-se ao vencimento ou provento. com valor fixado em lei.

(FCC/TRE-AL/Analista/2010) Sérgio exerce o cargo de analista judiciário. . acrescido das vantagens de caráter permanente. seqüestro ou penhora. Portanto. a remuneração e o provento não serão objeto de arresto. (C) a remuneração e o provento poderão ser. em virtude de mandato eletivo. Nesse caso. (B) será concedida essa indenização apenas quanto ao afastamento do cargo efetivo para o mandato de deputado federal. exceto nos casos de prestação de alimentos resultante de decisão judicial. Terminado o mandato eletivo. ou reassumi-lo. vedado prazo ou parcelamento da dívida.§ 3o O vencimento do cargo efetivo. Não será concedida ajuda de custo ao servidor que se afastar do cargo. correta a letra E. O vencimento. Errado! Art. que for demitido. Errado! Art. (E) não será concedida ajuda de custo ao servidor que se afastar do cargo. 47. sequestro ou penhora. § 5o Nenhum servidor receberá remuneração inferior ao salário mínimo. é irredutível. exonerado ou que tiver sua aposentadoria ou disponibilidade cassada. (A) não será concedida a ajuda de custo em ambas as situações.. tanto pelo afastamento como pela reassunção do cargo efetivo. ou reassumi-lo. que for demitido. reassumiu suas funções de servidor público e está pleiteando ajuda de custo. Afastou-se de seu cargo por ter sido eleito deputado federal. em virtude de mandato eletivo. O servidor em débito com o erário.. terá o prazo de sessenta dias para quitar o débito. Correto! Art. terá que quitar o débito no ato da exoneração. 55. 48. (C) será concedida essa indenização apenas quanto à reassunção ao cargo de analista judiciário. objeto de arresto. em qualquer caso. (D) o servidor em débito com o erário. 10. 24 .

reassumiu suas funções de servidor público e está pleiteando ajuda de custo. a partir do registro da candidatura e até o décimo dia seguinte ao da eleição. quanto Deputado Estadual ou Federal. a partir do que. Porém. a critério da Administração. Afastou-se de seu cargo por ter sido eleito deputado federal. que tanto pode ser para Vereador. sem remuneração. 86. e a véspera do registro de sua candidatura perante a Justiça Eleitoral (art. § 2º). (E) não será concedida a ajuda de custo. Sérgio exerce o cargo de analista judiciário. Correto! (B) será concedida essa indenização apenas quanto ao afastamento do cargo efetivo para o mandato de deputado federal. Senador. Nesse caso. Gabarito: A Comentários: A licença para atividade política será concedida ao servidor candidato a cargo eletivo. a licença será concedida. não mais haverá qualquer retribuição pecuniária. assegurando-se os vencimentos do cargo efetivo (art. se tiver direito ainda à licença. como candidato a cargo eletivo. mas sim a de transporte. Prefeito. (A) não será concedida a ajuda de custo em ambas as situações. A licença será concedida. tanto pelo afastamento como pela reassunção do cargo efetivo. o pagamento está garantido durante o período máximo de 03 meses. No entanto.(D) será concedida uma ajuda de custo em ambas as situações em razão da mudança de sede. durante o período que mediar entre a sua escolha em convenção partidária. 86). Errado! (C) será concedida essa indenização apenas quanto à reassunção ao cargo de analista judiciário. 25 . Terminado o mandato eletivo. Governador ou Presidente da República. Errado! (D) será concedida uma ajuda de custo em ambas as situações em razão da mudança de sede.

(B) será nomeada em outro cargo de sua livre escolha. Errado! Portanto.Errado! (E) não será concedida a ajuda de custo. analista judiciário. A irregularidade na demissão pode ser reconhecida judicialmente. 28). Porém. através de sentença que anula o ato administrativo de demissão e determina a reintegração. em face do princípio da autotutela. 41. (E) poderá. a reintegração é a reparação integral dos direitos. A Carta Política prevê expressamente a primeira hipótese (art. com o conseqüente ressarcimento de todos os prejuízos sofridos. Segundo o STJ. sem direito a indenização. a critério da Administração. deverá ser reintegrado. § 2º. ou pela via administrativa. 11. Gabarito: D Comentários: Quando um servidor é ilegalmente desligado de seu cargo. de acordo com as seguintes Súmulas do STF: Súmula 346: A Administração pública pode declarar a nulidade dos seus próprios atos. (C) será reintegrada no cargo de origem ou ficará em disponibilidade. Ainda que assim não o fosse. inclusive promoções que teria direito se em exercício estivesse. esse cargo anterior já encontra-se provido e ocupado por Isabela. servidora pública estável. a critério da Administração. a critério da Administração. Isabela (A) ficará em disponibilidade. mas sim a de transporte. rever seus próprios atos. 26 . esteja ou não. ou aproveitada em outro cargo. mas compatível com suas funções. será reintegrado no cargo anteriormente ocupado. Nesse caso. caberia à Administração Pública. ser readmitida ao cargo de origem ou transferida para outro órgão público federal. posto que é desfazimento de ato ilegal. o cargo de origem provido por outro servidor. correta a letra A. na ausência de determinação de reintegração pela via administrativa. CF/88) e o Estatuto prevê ambas as possibilidades (art. (FCC/TRE-AL/Analista/2010) Mélvio. (D) será reconduzida ao cargo de origem. entre outras hipóteses.

e ressalvada. desde que. ainda que o servidor tenha sido dispensado antes da instituição do Regime Jurídico Único. 12. como autoridade competente. Por fim. correto letra D. o relatório conclui que a infração está capitulada como ilícito penal. III – posto em disponibilidade. o ocupante seja estável. 27 . 28. o servidor reintegrado ficará em disponibilidade (art.112/90. aguardando-se suas investigações para a instauração do processo disciplinar. caso tenha sido transformado em outro. encaminhará cópia dos autos ao (A) Delegado de Polícia local. é a sua recolocação em outro cargo igual. ou revogá-los. 28. respeitados os direitos adquiridos. sem direito à indenização. veja-se o conteúdo do verbete nº 173 da Súmula do Superior Tribunal de Justiça. quando eivados de vícios que os tornam ilegais. II – aproveitado em outro cargo. Aqui surge uma preocupação freqüente. caput). o cargo ficou vago com a demissão -. de 31/10/1996: Compete à Justiça Federal processar e julgar o pedido de reintegração em cargo público federal. em especial entre aqueles que se preparam para concursos públicos: saber se a vaga para a qual foram nomeados pertencia a alguém que foi demitido. Nesse caso. Portanto. por motivo de conveniência ou oportunidade. aquele que foi nomeado para esse cargo do reintegrado poderá seguir três caminhos distintos: I – reconduzido ao cargo de origem.afinal. (B) Ministério Público. Marcelo. porque deles não se originam direitos. pois na Administração Pública sempre há vagas abertas. O que se percebe que acontece com o eventual ocupante do cargo do reintegrado. a reinvestidura se dará no cargo resultante de sua transformação (art. independentemente da imediata instauração do processo disciplinar. instaurada em razão do conhecimento de irregularidades no serviço de um determinado setor do Tribunal Regional Eleitoral. Mas. analista judiciário. § 1º). com remuneração proporcional ao tempo de serviço. em todos os casos. Na hipótese de estar provido o cargo . (FCC/TRE-AL/Analista/2010) Encerrada uma sindicância.Súmula 473: A Administração pode anular seus próprios atos. as três possibilidades são possíveis. em geral. em conformidade com a Lei no 8. de acordo com previsão expressa da Constituição. a apreciação judicial. teoricamente. Se o cargo foi extinto.

Nesse caso. é mera medida preparatória do processo disciplinar. a autoridade competente encaminhará cópia dos autos ao Ministério Público. Art.(C) Presidente do Tribunal Regional Eleitoral. a instauração do processo disciplinar. neste caso. 13. inclusive para os proventos da aposentadoria. 126). Os autos da sindicância integrarão o processo disciplinar. no que se refere à gratificação por encargo de curso. mas não poderá ser utilizada como base de cálculo para as demais vantagens. Como a sindicância. para que determine o afastamento preventivo e a instauração da ação penal. Assim. exceto no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou de sua autoria (art. independentemente da imediata instauração do processo disciplinar. seus autos farão parte do processo disciplinar. (C) incorpora-se ao vencimento da servidora para todos os efeitos. Parágrafo único. como peça informativa da instrução. ou não. correta a letra B. (E) Presidente da Comissão. regularmente instituído no âmbito da Administração Pública Federal. podendo as sanções penal e administrativa cumularem-se. é certo que essa vantagem (A) incorpora-se à remuneração da servidora para alguns efeitos como a aposentadoria e disponibilidade. podendo ser utilizada como base de cálculo para outras vantagens a que tiver direito. o inquérito do Ministério Público correrá concomitantemente com o PAD. (D) Corregedor Regional Eleitoral. para que determine. (B) não se incorpora ao vencimento da servidora para qualquer efeito e não poderá ser utilizada como base de cálculo dos proventos da aposentadoria. (FCC/TRE-AL/Analista/2010) Silvana atua como instrutora em curso de formação. para fins de conhecimento e instauração do processo disciplinar. Na hipótese de o relatório da sindicância concluir que a infração está capitulada como ilícito penal. Portanto. Gabarito: B Comentários: No caso de prévia sindicância. 154. sua realização é dispensável quando já existirem elementos suficientes para a instauração do processo. 28 . como peça informativa da instrução.

quando tais atividades não estiverem incluídas entre as suas atribuições permanentes.(D) não se incorpora aos vencimentos da servidora para qualquer efeito. salvo para efeito da aposentadoria ou disponibilidade. mas poderá ser utilizada como base de cálculo dos proventos da aposentadoria. Correto! 29 . Participar da logística de preparação e de realização de concurso público envolvendo atividades de planejamento. de desenvolvimento ou de treinamento regularmente instituído no âmbito da administração pública federal. (E) não se incorpora à remuneração ou salário da servidora. coordenação. (A) incorpora-se à remuneração da servidora para alguns efeitos como a aposentadoria e disponibilidade. Participar ou supervisionar a aplicação de provas de exame vestibular ou de concurso público. análise curricular. no que se refere à gratificação por encargo de curso. em caráter eventual: 1. Gabarito: B Comentários: Silvana atua como instrutora em curso de formação. correção de provas discursivas. supervisão. A referida gratificação não se incorpora ao vencimento ou salário do servidor para qualquer efeito e não poderá ser utilizada como base de cálculo para quaisquer outras vantagens. vedada sua utilização como base de cálculo de outras vantagens e adicionais. é certo que essa vantagem A gratificação por encargo de curso ou concurso é devida ao servidor que. Nesse caso. regularmente instituído no âmbito da Administração Pública Federal. Errado! (B) não se incorpora ao vencimento da servidora para qualquer efeito e não poderá ser utilizada como base de cálculo dos proventos da aposentadoria. execução e avaliação de resultado. 2. elaboração de questões de provas ou julgamento de recursos intentados por candidatos. podendo ser utilizada como base de cálculo para outras vantagens a que tiver direito. inclusive para fins de cálculo dos proventos da aposentadoria e das pensões. 3. Atuar como instrutor em curso de formação. 4. Participar de banca examinadora ou de comissão para exames orais.

(A) o tempo de até cento e oitenta dias em que a servidora estiver em exercício não poderá ser contado para a concessão da aposentadoria. Nesse caso. a critério da Administração. junta médica oficial julgou insubsistente os motivos de sua aposentadoria. vedada sua utilização como base de cálculo de outras vantagens e adicionais. Há duas formas de retorno do servidor aposentado à ativa por meio da reversão: 30 .(C) incorpora-se ao vencimento da servidora para todos os efeitos. (FCC/TRE-AL/Analista/2010) Benedita aposentou-se por invalidez. mas não poderá ser utilizada como base de cálculo para as demais vantagens. (E) encontrando-se provido o cargo. Errado! Portanto. Errado! (D) não se incorpora aos vencimentos da servidora para qualquer efeito. inclusive para os proventos da aposentadoria. Errado! (E) não se incorpora à remuneração ou salário da servidora. Nesse caso. a servidora ficará em disponibilidade pelo período de até dois anos. (D) poderá dar-se a reversão. Gabarito: C Comentários: Benedita aposentou-se por invalidez. é certo que. salvo para efeito da aposentadoria ou disponibilidade. junta médica oficial julgou insubsistente os motivos de sua aposentadoria. Entretanto. dentre outras situações pertinentes. é certo que. ainda que a servidora tenha completado setenta anos de idade. 14. mas poderá ser utilizada como base de cálculo dos proventos da aposentadoria. dentre outras situações pertinentes. (B) a servidora poderá reverter em qualquer cargo. correta a letra B. Entretanto. (C) a reversão far-se-á no mesmo cargo ou no cargo resultante de sua transformação.

os seguintes requisitos: a) b) c) d) e) Tenha solicitado a reversão. 25. No caso do inválido que sofre a reversão. até a ocorrência de vaga (art. Estável quando na atividade. Haja cargo vago. No que diz respeito à remuneração. é certo que. A segunda hipótese de reversão ocorre no interesse da Administração. Benedita aposentou-se por invalidez. 25. o servidor exercerá as suas atribuições como excedente. Errado! (B) a servidora poderá reverter em qualquer cargo. Entretanto. não havendo cargo vago. Os cinco requisitos são cumulativos. o servidor que retornar à atividade por interesse da Administração perceberá. a remuneração do cargo que voltar a exercer. § 3º). encontrando-se provido o cargo. art. não havendo vaga.1. 25). junta médica oficial julgou insubsistente os motivos de sua aposentadoria. a critério da Administração. Nesse caso. Na segunda hipótese. § 1º) e não poderá ser efetivada no caso de aposentado que já tenha completado 70 anos de idade (art. desde que sejam atendidos. não será possível a reversão a pedido. (A) o tempo de até cento e oitenta dias em que a servidora estiver em exercício não poderá ser contado para a concessão da aposentadoria. inclusive com as vantagens de natureza pessoal que percebia anteriormente à aposentadoria. Errado! 31 .112/90. I): neste caso. § 4º). na falta de um deles. A aposentadoria tenha ocorrido nos cinco anos anteriores à solicitação. a reversão far-se-á no mesmo cargo ou no cargo resultante de sua transformação (art. A primeira refere-se ao aposentado por invalidez que deixou de ser inválido (Lei nº 8. em substituição aos proventos da aposentadoria. 2. exercerá as atribuições como excedente. como é do interesse da Administração Pública. Em ambas as hipóteses. não poderá ser deferido o pedido. dentre outras situações pertinentes. 25. pelo aposentado. A aposentadoria tenha sido voluntária. 25. revertendo os prejuízos financeiros que eventualmente teve com a mesma (art.

está sendo responsabilizado por valer-se do exercício de suas funções para lograr proveito pessoal em detrimento da dignidade da função pública. 132. correta a letra C. Nesse caso.crime contra a administração pública. (E) demissão. pelo prazo de cinco anos. II . (D) suspensão de noventa dias. ficando vedado seu retorno ao serviço público federal. Errado! Portanto. Correto! (D) poderá dar-se a reversão. 32 . (C) destituição de suas funções e declaração de sua inidoneidade para o serviço público. incompatibilizando-o para nova investidura em cargo público federal. vedada a conversão da pena em multa pecuniária. titular de cargo efetivo junto ao Tribunal Regional Eleitoral. (B) destituição do cargo público. ainda que a servidora tenha completado setenta anos de idade. a servidora ficará em disponibilidade pelo período de até dois anos. (FCC/TRE-AL/Analista/2010) Carlos. A demissão será aplicada nos seguintes casos: I . ficando vedada sua investidura em cargo público pelo prazo de dois anos.(C) a reversão far-se-á no mesmo cargo ou no cargo resultante de sua transformação. Errado! (E) encontrando-se provido o cargo. 132 relaciona os casos em que a demissão será aplicada: Art. o servidor estará sujeito à pena de (A) demissão. Gabarito: A Comentários: O art. mas podendo concorrer a cargo estadual ou municipal. 15.abandono de cargo.

V . XIV .revelação de segredo do qual se apropriou em razão do cargo. XII .ofensa física.corrupção. na repartição. XI .aplicação irregular de dinheiros públicos. exercer o comércio. 33 . Quando o servidor ocupante de cargo efetivo pratica uma infração grave e está em atividade. presente ou vantagem de qualquer espécie. VIII . salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau. XVI . X .praticar usura sob qualquer de suas formas. em detrimento da dignidade da função pública. XX .incontinência pública e conduta escandalosa. XIX . personificada ou não personificada. junto a repartições públicas. XVII . comissão. emprego ou pensão de estado estrangeiro.utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares. salvo em legítima defesa própria ou de outrem. A pena de demissão pode ser transformada em pena de cassação ou de destituição. exceto na qualidade de acionista. a servidor ou a particular. XIII . VII . empregos ou funções públicas.acumulação ilegal de cargos. este será demitido. se comprovada em processo disciplinar.inassiduidade habitual. cotista ou comanditário. em serviço.aceitar comissão.insubordinação grave em serviço.participar de gerência ou administração de sociedade privada. XV .proceder de forma desidiosa. e de cônjuge ou companheiro. XIII .improbidade administrativa. como procurador ou intermediário.receber propina. em razão de suas atribuições.lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio nacional.valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem. IV .atuar. VI . IX .III .

Carlos. nunca será suspenso. 34 . 137): Art. 2 – improbidade administrativa. X e XI: 1 – crime contra a Administração Pública. incompatibilizando-o para nova investidura em cargo público federal. 4 – lesão aos cofres públicos. em data posterior. VIII. titular de cargo efetivo junto ao Tribunal Regional Eleitoral. pelo prazo de cinco anos. aquele que não é efetivo. 3 – aplicação irregular de dinheiros públicos. Não poderá retornar ao serviço público federal o servidor que for demitido ou destituído do cargo em comissão por infringência do art. pelo prazo de 5 (cinco) anos: 1 – valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem. a pena de demissão será convertida em cassação de aposentadoria ou disponibilidade. será ele destituído daquele cargo (art. em detrimento da dignidade da função pública. está sendo responsabilizado por valer-se do exercício de suas funções para lograr proveito pessoal em detrimento da dignidade da função pública. Não haverá nova investidura em cargo público federal pelo prazo de 5 anos. por infringência do art. 117. 2 – atuar. incisos IX e XI. Já no caso do ocupante de cargo em comissão. salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau. A demissão ou a destituição de cargo em comissão. o servidor estará sujeito à pena de (A) demissão. Parágrafo único. incisos I. Portanto. cometer infração sujeita às penalidades de suspensão ou de demissão. incompatibiliza o ex-servidor para nova investidura em cargo público federal. e de cônjuge ou companheiro. como procurador ou intermediário. acaso o servidor tenha praticado a mesma infração grave enquanto esteve em atividade e. 5 – dilapidação do patrimônio nacional. quem tem cargo em comissão. 137. se aposentou ou entrou em disponibilidade. Nesse caso. IV. o ex-servidor demitido ou destituído de cargo em comissão. 132. sendo diretamente destituído. ou seja. 135). 6 – corrupção. por infringência das seguintes proibições (art.Todavia. junto a repartições públicas.

Errado! Portanto. ficando vedada sua investidura em cargo público pelo prazo de dois anos. (D) civil-administrativa resulta de ato omissivo ou comissivo praticado no desempenho do cargo ou função. mas podendo concorrer a cargo estadual ou municipal. 121. (E) administrativa do servidor será afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. vedada a conversão da pena em multa pecuniária. Errado! (D) suspensão de noventa dias. ficando vedado seu retorno ao serviço público federal. Lei nº 8112/90 (B) destituição do cargo público. (C) destituição de suas funções e declaração de sua inidoneidade para o serviço público. que resulte em prejuízo ao erário ou a terceiros. Errado! Destituição apenas para os ocupantes de cargo em comissão ou função de confiança. 132. correta a letra A. O servidor responde civil. XIII. (C) civil pela reparação do dano não se estende aos sucessores do servidor. 35 . Gabarito: C Comentários: Art. nessa qualidade. (FCC/TRE-AM/Analista/2010) Nos termos do Estatuto do Servidor Público é INCORRETO que a responsabilidade (A) penal abrange os crimes e contravenções imputadas ao servidor. penal e administrativamente pelo exercício irregular de suas atribuições. Carlos era titular de cargo efetivo. doloso ou culposo. Errado! (E) demissão.Correto! Art. 16. (B) civil decorre de ato omissivo ou comissivo.

A responsabilidade penal abrange os crimes e contravenções imputadas ao servidor. As sanções civis. A responsabilidade administrativa do servidor será afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. A responsabilidade penal abrange os crimes e contravenções imputadas ao servidor. Art. Art. Errado! 36 . responderá o servidor perante a Fazenda Pública. 122. que resulte em prejuízo ao erário ou a terceiros. 46. 125. Correto! Art. A responsabilidade civil-administrativa resulta de ato omissivo ou comissivo praticado no desempenho do cargo ou função. nessa qualidade. nessa qualidade.Art. doloso ou culposo. sendo independentes entre si. (C) civil pela reparação do dano não se estende aos sucessores do servidor. em ação regressiva. Nos termos do Estatuto do Servidor Público é INCORRETO que a responsabilidade (A) penal abrange os crimes e contravenções imputadas ao servidor. § 1o A indenização de prejuízo dolosamente causado ao erário somente será liquidada na forma prevista no art. na falta de outros bens que assegurem a execução do débito pela via judicial. 122. que resulte em prejuízo ao erário ou a terceiros. Correto! Art. 124. nessa qualidade. 123. doloso ou culposo. Art. 123. 126. Art. § 3o A obrigação de reparar o dano estende-se aos sucessores e contra eles será executada. A responsabilidade civil decorre de ato omissivo ou comissivo. A responsabilidade civil decorre de ato omissivo ou comissivo. (B) civil decorre de ato omissivo ou comissivo. doloso ou culposo. § 2o Tratando-se de dano causado a terceiros. até o limite do valor da herança recebida. penais e administrativas poderão cumular-se. que resulte em prejuízo ao erário ou a terceiros.

(E) administrativa do servidor será afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. resposta letra C. nesse período. As penalidades de advertência e de suspensão terão seus registros cancelados. praticado nova infração disciplinar. 126. após o decurso de 3 (três) e 5 (cinco) anos de efetivo exercício. (D) civil-administrativa resulta de ato omissivo ou comissivo praticado no desempenho do cargo ou função. III. Correto! Art. considere: às penalidades disciplinares I. 124. suspensão e demissão. não se interrompendo pela abertura de sindicância. (FCC/TRE-AM/Analista/2010) Quanto previstas na Lei no 8. O ato de imposição da penalidade mencionará sempre o fundamento legal e a causa da sanção disciplinar. 37 . se o servidor não houver. até o limite do valor da herança recebida. 122. Está correto o que se afirma APENAS em (A) I e II. A destituição de cargo em comissão exercido por ocupante de cargo efetivo será aplicada nos casos de infração sujeita às penalidades de advertência e suspensão. Correto! Art. surtirá efeitos retroativos à data da sua aplicação. § 3o A obrigação de reparar o dano estende-se aos sucessores e contra eles será executada. (B) II e IV. O prazo de prescrição da ação disciplinar começa a correr da data em que o autor se tornou conhecido. 17. respectivamente. A responsabilidade civil-administrativa resulta de ato omissivo ou comissivo praticado no desempenho do cargo ou função. Assim. O cancelamento das penalidades de advertência.Art. V.112/90. mas apenas pela instauração de processo disciplinar. A responsabilidade administrativa do servidor será afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. IV. II.

deve a autoridade atentar para as garantias constitucionais insertas no art. 130. 5º. 127): I – advertência. parágrafo único). o ato de imposição da penalidade mencionará sempre o fundamento legal e a causa da sanção disciplinar (art. VI – destituição de função comissionada. seguindo sempre o processo administrativo disciplinar correspondente. IV – cassação de aposentadoria ou disponibilidade. Administrativamente.a lei regulará a individualização da pena e adotará. Na aplicação da penalidade. II – suspensão. Quando da aplicação das penalidades. entre outras. progressão funcional e outros. 128). IV e V. Tal rol é exaustivo. ‘b’. tem-se que a pena disciplinar é a sanção aplicada pela autoridade competente ao servidor faltoso. se preordenam a promover a educação do punido. ‘e’. conforme o caso. São as seguintes as penalidades disciplinares (art. ou praticar alguma conduta proibida. XLVII. com reflexos variados. III e IV. “A não ser que se trate de medida extrema (pena de demissão). III – demissão. como nos vencimentos. numerus clausus. Para garantir o pleno exercício da defesa. não poderá o administrador “criar” ou “aplicar” outras sanções não previstas na lei. ou ainda destituir de cargo em comissão ou função comissionada. que consiste em advertir. tempo de serviço. § 2o). estará sujeito às penalidades descritas no Estatuto. V – destituição de cargo em comissão. suspender. cassar sua aposentadoria ou disponibilidade. VII – multa. XLVI. (E) II. demitir. (D) I. além da possibilidade de se estenderem às esferas penal e civil. a espalhar exemplaridade no seio do funcionalismo e a preservar a ordem interna do órgão a que pertence o servidor apenado”. 128. após o devido processo administrativo disciplinar.(C) III e V. as seguintes: 38 . desde que aplicadas com justiça e eqüidade. as circunstâncias agravantes ou atenuantes e os antecedentes funcionais (art. da CF/88: XLVI . as sanções disciplinares. ou seja. serão consideradas a natureza e a gravidade da infração cometida. Gabarito: A Comentários: Sempre que um servidor faltar com seus deveres e obrigações. os danos que dela provierem para o serviço público. como substituta da suspensão (art. e § 2º.

ainda. 131). XLVII . a ação disciplinar. primeira parte). § 1º). injustificadamente. permanecerá 39 . após o decurso de 3 (três) anos de efetivo exercício. recusar-se a ser submetido a inspeção médica determinada pela autoridade competente. nesse período. Os efeitos já produzidos pela penalidade aplicada não são alterados com esse cancelamento de registro. reduzindo-se o vencimento ou remuneração. No entanto. Então. a título de multa. como substituta da suspensão.. Será aplicada em especial nos casos de violação de proibição constante do art. ou dos tratados internacionais em que a República Federativa do Brasil seja parte. incisos I a VIII e XIX. praticado nova infração disciplinar.. quando não justifique imposição de penalidade mais grave. prescreverá em 180 (cento e oitenta) dias (art. III e § 1º). é possível a fixação de multa. Assim. a jurisprudência não tem admitido penas de caráter perpétuo na esfera administrativa. Advertência: as faltas leves serão punidas com a advertência. se o servidor não houver. 130). deverá o servidor suspenso permanecer em serviço. quando houver conveniência para o serviço. não surtirá efeitos retroativos (art. que poderá ser consultado para análise quanto à reincidência. se for suspenso por 30 (trinta) dias. 127. cabe a suspensão nos casos previstos no art.(. A partir da data em que o fato tornou-se conhecido. Ainda que não mencionada expressamente no rol de penalidades do art. 130. cessando os efeitos da penalidade uma vez cumprida a determinação (art. por óbvio. haverá o cancelamento desse registro que. O servidor terá o registro de sua advertência feito nos seus assentamentos.. à base de 50% (cinqüenta por cento) por dia. quanto à advertência. 142. não podendo exceder de 90 (noventa) dias (art. a suspensão por até 15 (quinze) dias do servidor que. 117. § 2º . e de inobservância de dever funcional previsto em lei.) b) de caráter perpétuo. no lugar de ficar afastado de suas funções.) e) suspensão ou interdição de direitos. regulamentação ou norma interna (art. Nessa hipótese. do Estatuto. 117. XVII e XVIII. Suspensão e multa: a suspensão será aplicada em caso de reincidência das faltas punidas com advertência e de violação das demais proibições que não tipifiquem infração sujeita à penalidade de demissão. situação em que será aplicada a pena de suspensão (art. do estatuto. 130.Os direitos e garantias expressos nesta Constituição não excluem outros decorrentes do regime e dos princípios por ela adotados.não haverá penas: (. Cabe.. Com isso. 129).

participação do capital social. sociedade civil.em atividade. empregos ou funções públicas. em serviço. em 2 (dois) anos. quanto à suspensão. XII – acumulação ilegal de cargos. Exemplo de efeito retroativo seria o caso em que o suspenso. 131). nova infração disciplinar. IX – revelação de segredo do qual se apropriou em razão do cargo. VI – insubordinação grave em serviço. sendo-lhe vedado exercer o comércio. VIII – aplicação irregular de dinheiros públicos. porém receberá relativamente a apenas metade do valor devido nesse período (art. Como no caso da advertência. retornando à primariedade. A prescrição da ação disciplinar dar-se-á. em detrimento da dignidade da função pública. A suspensão também será registrada nos assentamentos do servidor. direta ou indiretamente. 40 . Claro que isso não é possível. II. aqui também não surtirá efeitos retroativos tal cancelamento da penalidade. como procurador ou intermediário. XI – corrupção. a servidor ou a particular. Após 5 (cinco) anos de efetivo exercício. XV – atuar. VII – ofensa física. após o cancelamento do registro. XIV – participar de gerência ou administração de empresa privada. no período. X – lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio nacional. a devolução da multa. § 2o). junto a repartições públicas. e de cônjuge ou companheiro. salvo a participação nos conselhos de administração e fiscal de empresas ou entidades em que a União detenha. esse registro será cancelado (art. cotista ou comanditário. requisitasse. XIII – valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem. Demissão: faltas graves serão punidas com demissão O art. 142. IV – improbidade administrativa. II – abandono de cargo. V – incontinência pública e conduta escandalosa na repartição. O objetivo desse cancelamento é proporcionar-lhe incentivo a que não pratique novas infrações. salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau. III – inassiduidade habitual. e § 1º). salvo em legítima defesa própria ou de outrem. 132 relaciona os casos em que a demissão será aplicada: I – crime contra a Administração Pública. 130. que teve sua pena convertida em multa. se o servidor não praticar. exceto na qualidade de acionista. contados da data em que o fato tornou-se conhecido (art.

prevê. também deve ser expurgado dos quadros públicos. § 4º. 323 do CP. II – em legítima defesa. estado de necessidade. 138). I a III. enquanto que a Lei Penal foi mais ampla. A lesão corporal está tipificada como crime no art. a perda da função pública. que é seu esbanjamento. A aplicação irregular de dinheiros públicos foi criminalizada através do art. Ímprobo é aquele servidor desonesto. 23 do mesmo Código Repressor (I – em estado de necessidade. comissão. 37. conceito que muitas vezes confunde-se com a dilapidação do patrimônio nacional. Porém. conhecida como Lei contra a Improbidade Administrativa. XVII – aceitar comissão. com previsão de excludentes de ilicitude no art. A incontinência pública ou a conduta escandalosa na repartição podem ser observadas nos casos previstos. intencionalmente. retidão. Já a inassiduidade habitual é a falta ao serviço. 233 e 234 do Código Penal (ato ou objeto obsceno). emprego ou pensão de estado estrangeiro. Se a insubordinação em serviço for grave. 129 do CP.XVI – receber propina. em seu art. 315 do CP. 12. A quebra da hierarquia na Administração Pública só pode ser justificada pela manifesta ilegalidade da ordem. ou ainda no art. interpoladamente. há o abandono no trigésimo primeiro dia seguido de ausência injustificada. nos arts. Então. má gestão das rendas públicas etc. nos arts. durante o período de 12 (doze) meses (art. em razão de suas atribuições. Vê-se muito disso nas obras inacabadas e na compra de equipamentos que nunca são usados. pois seria mesmo ilógico e descabido demitir um servidor que ofende fisicamente outrem em. a quem falta integridade. portanto. presente ou vantagem de qualquer espécie. III – em estrito cumprimento do dever legal ou no exercício regular de direito). por 60 (sessenta) dias. também do mesmo CP. entendo que a ausência das demais excludentes não as afasta. como na Usina Termonuclear de Angra dos entre outros tantos casos. sem causa justificada. A Lei nº 8. entre outras penas possíveis. que se refere ao ébrio habitual. XVIII – praticar usura sob qualquer de suas formas. XX – utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares. Dá-se o abandono de cargo quando o servidor ausenta-se do serviço. É também crime previsto no art. Como se denota da leitura do Estatuto. 325 e 326. 62 da Lei de Contravenções Penais. 41 . XIX – proceder de forma desidiosa. A lesão aos cofres públicos refere-se a qualquer forma de prejudicar o erário no exercício da função pública. repetindo regra inserta no art. CF/88. em razão do cargo.429/92. por mais de 30 (trinta) dias consecutivos (art. cabe demissão. entre outros. somente excepcionou da penalidade a legítima defesa própria ou de outrem. assim como a revelação de segredo do qual se apropriou. 139).

a acumulação resultará em demissão de todos os cargos. ‘b’. No caso do servidor público. garantidos ampla defesa e contraditório. afastando a aplicação da garantia à grávida prevista no art. do ADCT não se aplica às servidoras públicas. regidos pela CLT e pela Lei nº 9. não é arbitrária a dispensa da servidora grávida se precedida de processo administrativo disciplinar. apurada em procedimento no qual se assegurem pelo menos um recurso hierárquico dotado de efeito suspensivo. III – necessidade de redução de quadro de pessoal. Fora dessas exceções constitucionais. 10. que o citado art. Cite-se também que. 3º: Art. ‘b’. obrigatoriamente estabelecidos de acordo com as peculiaridades das atividades exercidas. Prescrição: 42 .429/92.3 desta Aula foram estudadas as possibilidades de acumulação legal de cargos. assim previu seu art. onde se determina que: “fica vedada a dispensa arbitrária ou sem justa causa da empregada gestante. ainda que fora da função ou antes de assumi-la. mas em razão dela.” Nos termos da decisão. 10. Acrescente-se ainda recente decisão do STF. II. Excluem-se da obrigatoriedade dos procedimentos previstos no caput as contratações de pessoal decorrentes da autonomia de gestão de que trata o § 8o do art. 12. quanto passiva. bem assim no caso de condenação pela Lei contra a Improbidade Administrativa (Lei nº 8. e o prévio conhecimento dos padrões mínimos exigidos para continuidade da relação de emprego. I a III). art. Parágrafo único. este será demitido se praticar a figura da corrupção passiva. desde a confirmação da gravidez até cinco meses após o parto. 169 da Constituição Federal. do ADCT. dentre as enumeradas no art. nos termos da lei complementar a que se refere o art. no caso específico dos empregados públicos. para si ou para outrem. que será apreciado em trinta dias. empregos ou funções públicas. que consiste em solicitar ou receber. 482 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT. Ademais. em seu voto. por excesso de despesa. vantagem indevida ou aceitar promessa de tal vantagem. II – acumulação ilegal de cargos. quem solicita ou recebe vantagem indevida (CP.Corrupção tanto pode ser ativa. 37 da Constituição Federal. No item 17. art. empregos ou funções públicas. 317). o Ministro Marco Aurélio ressaltou. art. 333). quem a oferece (CP. empregos ou funções públicas irregularmente acumulados. A legislação pátria prevê hipóteses de perda do cargo ou função pública como efeito da condenação na esfera penal. 3o O contrato de trabalho por prazo indeterminado somente será rescindido por ato unilateral da Administração pública nas seguintes hipóteses: I – prática de falta grave. IV – insuficiência de desempenho.962/2000. direta ou indiretamente. II.

não sendo admissível que o servidor possa ser apenado criminalmente por uma conduta grave. Tais prazos de prescrição começam a correr da data em que o fato tornou-se conhecido (art. 142.. 142. autorizando a possibilidade da absurda interrupção da prescrição sem prazo final. o prazo prescricional pode chegar a 20 (vinte) anos (CP. da Advocacia-Geral da União. enquanto. Interrompido o curso da prescrição.. a respectiva ação corretiva extingue-se em dezesseis anos”. cassação de aposentadoria ou disponibilidade e destituição de cargo em comissão. aplicam-se os prazos de prescrição previstos na Lei Penal (art. O prazo da prescrição penal. Dessa forma. 43 . começa a correr do dia em que o crime se consumou (CP. quanto às infrações puníveis com demissão.. como regra. sendo os casos imprescritíveis a exceção. bastando. não há como o intérprete restringir quando o próprio legislador não o fez. Note-se que a regra no ordenamento jurídico é a prescritibilidade. quanto à suspensão. Essa determinação é baseada no fato de que. 142. Como o Estatuto determina que se deva contar o prazo da prescrição de quando o fato se tornar conhecido. já mencionada. porém sem especificar por quem. art. Para exemplificar. quanto à advertência. no caso do PAD. 142.. § 4º). art. esse prazo será estendido para a instância administrativa. Ocorre que a norma quanto ao reinício da contagem do prazo prescricional (“. sob pena de tornar imprescritível”. II – dar-se-á em 2 (dois) anos. 142. Segundo entendimento do STJ. cite-se o Parecer nº GQ – 164. § 1º). os direitos devem ser exercidos dentro de prazo certo. conta-se novamente o prazo na sua integralidade. o prazo começará a correr a partir do dia em que cessar a interrupção (art. resume-se da forma a seguir (art. Com o reinício. 109. A prescrição será interrompida pela abertura de sindicância ou a instauração de processo disciplinar.Sobre a prescrição da ação disciplinar. I). inicia-se a contagem na data em que qualquer autoridade da Administração tomar ciência inequívoca do fato imputado ao servidor. e não administrativamente. que o processo se prolongue no tempo. como visto.até a decisão final proferida por autoridade competente. o prazo prescricional tem início na data em que o fato tornou-se conhecido (art. III – dar-se-á em 180 (cento e oitenta) dias. Nas infrações disciplinares capituladas também como crime. 142): I – dar-se-á em 5 (cinco) anos. para isso. não necessariamente a autoridade competente para a instauração do processo disciplinar. § 3o). § 2o).”) “está a merecer moderada interpretação. I). sem decisão final. até a decisão final proferida por autoridade competente (art. § 1º). na Lei Penal. 111. se já tiver sido prescrita a pretensão punitiva nessa esfera pelo decurso do prazo normal de 05 (cinco) anos. onde ficou consignado que “em decorrência de a ‘lesão aos cofres públicos’ corresponder ao crime de peculato. é dizer. se o CP prevê um prazo maior de prescrição.

“a interrupção prevista no § 3º do artigo 142 da Lei nº 8.voltando a ter curso. expressamente. para a posse e para o exercício. a autoridade julgadora determinará o registro do fato nos assentamentos individuais do servidor (art. Gabarito: E Comentários: Agora que já estudamos o assunto. Portanto. (D) a promoção interrompe o tempo de exercício. Note-se que. Extinta a punibilidade pela prescrição. Com esse entendimento. contados da data da publicação do ato de provimento. (B) a posse ocorrerá no prazo de quinze dias contados da data do ato de nomeação. que é contado no novo posicionamento na carreira a partir da data da posse do servidor. a chamada prescrição intercorrente no Processo Administrativo Disciplinar. de 11 de dezembro de 1990.artigos 152 e 167 da referida Lei . o prazo prescricional”. Tratando-se do DF. incumbe ao servidor a comprovação da incidência do prazo prescricional previsto neste artigo.Seguindo a firme jurisprudência do STF. (C) é de trinta dias o prazo para o servidor empossado em cargo público entrar em exercício. (FCC/TRE-AM/Analista/2010) Nos termos da Lei no 8. quanto à posse e ao exercício em cargo público.112/90. cessa uma vez ultrapassado o período de 140 dias alusivo à conclusão do processo disciplinar e à imposição de pena . respectivamente.112. 18. Tais prazos são válidos para concursos federais. na integralidade. mediante procuração específica. fica muito fácil responder!!!! Por tudo já estudado anteriormente. Lembrar!!!!! Desconsiderem o prazo de 30 dias e de 15 dias. 44 . o STF passou a acatar. é correto que (A) a posse e o exercício poderão dar-se através da nomeação da autoridade do órgão como procurador do servidor. resposta letra A. (E) à autoridade competente do órgão ou entidade para onde for nomeado ou designado o servidor compete dar-lhe exercício. segundo já decidiu o STF. correta a letra E. os prazos para a posse e para o exercício são de 25 dias e 5 dias úteis respectivamente. 170).

Então. nos casos de advertência ou de suspensão de até 30 (trinta) dias. será ele destituído daquele cargo (art. ou seja. incompatibiliza o ex-servidor para nova investidura em cargo público federal. a aposentadoria e a disponibilidade não têm o condão de isentar o servidor das faltas cometidas durante a atividade. pelo prazo de 5 (cinco) anos. falta punível com a demissão (art. considere: I. 134). II. 45 . ou seja. Estão corretas APENAS (A) III e V. Será cassada a aposentadoria do inativo que houver praticado. A ação disciplinar prescreverá em 3 (três) anos. (B) II. 135). perderá sua aposentadoria ou disponibilidade. III e V. (E) I e IV. Entende-se por inassiduidade habitual a falta ao serviço. que não é titular de cargo efetivo. (D) I. IV.19. As penalidades disciplinares serão aplicadas pelo chefe da repartição e outras autoridades na forma dos respectivos regimentos ou regulamentos. III. (C) II. Sempre que o ocupante exclusivamente de cargo em comissão. após a devida apuração. durante o período de doze meses. falta punível com a suspensão superior a 30 (trinta) dias. na atividade ou inatividade. IV e V. A demissão de cargo em comissão daquele que se vale do cargo para lograr proveito pessoal em detrimento da dignidade da função pública. quanto à suspensão e em 180 (cento e oitenta) dias.112/90. por sessenta dias. Gabarito: D Comentários: Será cassada a aposentadoria ou a disponibilidade do inativo que houver praticado. além de outras punições cabíveis no caso concreto. V. na atividade. 8. (FCC/TRE-AM/Analista/2010) Quanto às penalidades aplicáveis aos servidores públicos civis nos termos da Lei n. II e IV. interpoladamente. cometer infração sujeita às penalidades de suspensão ou de demissão. quanto à advertência. sem causa justificada.

40. mas estar à disposição do Estado. (D) a disponibilidade. 135. transforma-se em demissão. Gabarito: B Comentários: Aproveitamento é o retorno ao serviço público daquele que estava em disponibilidade. Quanto às infrações puníveis com demissão. I. correta a letra D. como os previstos nos arts. Portanto. do art. a demissão é a perda do cargo efetivo. ocorre em duas situações constitucionalmente previstas: 46 . a ação disciplinar prescreverá em 5 (cinco) anos da data em que o fato se tornou conhecido (art. cassação de aposentadoria ou disponibilidade e destituição de cargo em comissão. 20. Nos casos em que houve exoneração – que não é punição – do ocupante de cargo em comissão a pedido ou de ofício pela autoridade competente (art. ou seja. (C) a transferência. por sua vez. O aproveitamento. (A) a ascensão. e do § 9º. nada mais é que não trabalhar. com todos os prejuízos que uma punição acarreta. perde o cargo. nunca poderá ser suspenso. dentre outras. 142. remunerado. ou a disponibilidade no caso de não existir vaga. Esta. a destituição é a perda do cargo em comissão.Portanto. proporcionalmente ao tempo de serviço. sendo diretamente destituído. por isso. do art. essa exoneração será convertida em destituição de cargo em comissão (art. Portanto. (FCC/TRE-AM/Técnico/2010) São formas de provimento de cargo público. 136 e 137 do Estatuto. 35). segundo a nova redação do § 3º. quem só tem cargo em comissão. (E) a inscrição. parágrafo único). e § 1º). 41. ambos da CF/88. constatada a existência de infração anterior à sua saída. A disponibilidade é exclusividade de servidor estável. (B) o aproveitamento. Para que fique bem claro. o que era uma mera exoneração sem qualquer conseqüência extra.

quanto do aproveitando de assumir novo posto que. Prevê ainda o Estatuto que. foi reinvestido no cargo anteriormente ocupado.I – extinção de cargo ou declaração de sua desnecessidade (art. (C) recondução. e não ao tempo de contribuição. 32). CF/88). Trata-se de obrigação. ocorreu a (A) readaptação. (E) ascensão. tanto da Administração Pública de convocar. Portanto. o servidor poderá ser convocado para entrar em exercício em vaga que vier a ocorrer nos órgãos ou entidades da Administração Pública Federal (art. é proporcional ao tempo de serviço. Assim. 30). salvo doença comprovada por junta médica oficial (art. até seu aproveitamento (37. Estando em disponibilidade. nos casos de reorganização ou extinção de órgão ou entidade.112/90. 31) e. quando não seja possível reconduzir o atual ocupante ao cargo antigo ou aproveitá-lo em outro cargo (art. CF/88). § 3º). II – reingresso do servidor ilegalmente desligado de seu cargo. § 3º. Nos termos da Lei no 8. Importante ressaltar que o valor recebido pelo servidor em disponibilidade. diante da invalidação da sua demissão por decisão administrativa. (B) reversão. (FCC/TRE-AM/Técnico/2010) Armando. 41. não o fazendo no prazo legal. o servidor estável que não for redistribuído será colocado em disponibilidade. (D) reintegração. Técnico Judiciário do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (estável). preferencialmente. como dito. será no mesmo cargo. Gabarito: D Comentários: 47 . como é o caso dos proventos de aposentadoria (art. §§ 1º e 9º. § 2º. 40. 21. 41. O retorno à atividade de servidor em disponibilidade far-se-á mediante aproveitamento obrigatório em cargo de atribuições e vencimentos compatíveis com o anteriormente ocupado (art. não pode ser colocado em disponibilidade servidor estável sem que o respectivo cargo seja extinto ou declarado desnecessário. CF/88). correta a letra B. a qualquer tempo. extinto o cargo ou declarada sua desnecessidade no órgão ou entidade. será tornado sem efeito o aproveitamento e cassada a disponibilidade. com exceção do item II retro. com ressarcimento de todas as vantagens.

III – dar-se-á em 180 (cento e oitenta) dias. é necessária a existência de um vínculo anterior do servidor com a Administração Pública.112/90. III – Aproveitamento: daquele que está em disponibilidade. IV – Reintegração: do injustamente demitido. recondução ou reingresso. 22. Gabarito: C Comentários: Como já estudado anteriormente. (B) 90 (noventa) dias. dentre outras hipóteses. (D) 03 (três) anos. resume-se da forma a seguir (art. quanto à advertência. temos as seguintes situações: I – Readaptação: de quem sofreu limitação física ou mental. II – Reversão: do aposentado por invalidez que deixou de ser inválido ou a pedido. a prescrição da ação disciplinar. correta a letra D. quanto à disponibilidade. quanto à advertência. (E) 180 (cento e oitenta) dias. quanto às infrações puníveis com destituição de cargo em comissão. quanto à suspensão. Este compreende as modalidades de reintegração. em (A) 24 (vinte e quatro) meses. 142): I – dar-se-á em 5 (cinco) anos. V – Recondução: do reprovado em estágio probatório em outro cargo ou de quem ocupava o cargo do reintegrado. quanto à suspensão. II – dar-se-á em 2 (dois) anos. cassação de aposentadoria ou disponibilidade e destituição de cargo em comissão. Portanto. quanto às infrações puníveis com cassação de aposentadoria. já mencionada. aproveitamento ou reversão.No caso de provimento derivado. pois são casos em que o servidor não está em atividade e a ela retorna. Em resumo. (FCC/TRE-AM/Técnico/2010) A Ação disciplinar prevista na Lei no 8. readaptação. quanto às infrações puníveis com demissão. 48 . prescreverá. (C) 2 (dois) anos. Pode ser por promoção.

em cargo ou função de confiança cônjuge. havendo delegação.112/1990. devemos seguir sua literalidade. a penalidade será aplicada pela autoridade que houver feito a nomeação. De acordo com a Lei. em ação regressiva. ressaltamos que. 23. companheiro ou parente até o terceiro grau. compete ao Presidente da República. a penalidade será aplicada pela autoridade que houver feito a nomeação. Abre-se um PAD e a execução da medida será feita pela autoridade máxima. (B) Ao servidor é proibido manter sob sua chefia imediata. fiquem atentos. (A) As penalidades de demissão e cassação de aposentadoria serão aplicadas pelo Presidente da República ou.Tais prazos de prescrição começam a correr da data em que o fato tornou-se conhecido (art. (D) Tratando-se de dano causado a terceiros. Gabarito: D (A) As penalidades de demissão e cassação de aposentadoria serão aplicadas pelo Presidente da República ou. durante o período de doze meses. correta a letra C. Segundo a literalidade da Lei. em cargo ou função de confiança cônjuge. de natureza vinculante. 49 . a proibição é para 2º grau. porque de acordo com o STF. (C) Tratando-se de servidor ocupante de cargo em comissão. Porém. assinale a afirmativa correta. (E) Entende por inassiduidade habitual a falta ao serviço. 142. pelo Ministro de Estado. responderá o servidor perante a Fazenda Pública. a proibição é até o 3º grau. o ato demissório. de acordo com a Súmula 13 do STF. (C) Tratando-se de servidor ocupante de cargo em comissão. em havendo delegação. sem causa justificada. (FUNIVERSA/SEJUS/DF – TÉCNICO PENITENCIÁRIO/2008) Relativamente ao regime disciplinar dos servidores regidos pela Lei n. havendo delegação. No entanto. caberá ao Ministro efetivar. igualmente. (B) Ao servidor é proibido manter sob sua chefia imediata. Portanto. Como o comando da questão fala expressamente em lei. responderá o servidor perante a Fazenda Pública. por trinta dias. § 1º). companheiro ou parente até o terceiro grau.° 8. pelo Ministro de Estado. em ação regressiva. (D) Tratando-se de dano causado a terceiros.

(B) é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental verificada em inspeção médica. mediante aproveitamento obrigatório em cargo de atribuições e vencimentos compatíveis com o anteriormente ocupado. Correto! (B) é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental verificada em inspeção médica. quando junta médica oficial declarar insubsistentes os motivos da aposentadoria.112/90 estabelece que a (A) quando provido o cargo do servidor estável objeto desta. o seu eventual ocupante será reconduzido ao cargo de origem. posto em disponibilidade. o seu eventual ocupante será reconduzido ao cargo de origem. 50 . assim entende o STF. o servidor exercerá suas atribuições como excedente. ainda assim. Gabarito: A Comentários: A Lei nº 8. É readaptação. (FCC/TRT8/Analista/2010) reintegração A Lei nº 8. respeitada a habilitação exigida. Opa! Acima de 60 dias. nível de escolaridade e equivalência de vencimentos e. (E) Entende por inassiduidade habitual a falta ao serviço.Correta! A única forma de responsabilização do servidor é por meio de ação regressiva e. Não cabe o ingresso diretamente contra o servidor. Errado. até a ocorrência de vaga. na hipótese de inexistência de cargo vago. durante o período de doze meses. (E) é o retorno à atividade de servidor. (C) será efetivada em cargo de atribuições afins. sem direito à indenização ou aproveitado em outro cargo. por trinta dias. sem causa justificada. 24. posto em disponibilidade.112/90 estabelece que a reintegração (A) quando provido o cargo do servidor estável objeto desta. sem direito à indenização ou aproveitado em outro cargo. (D) é o retorno à atividade de servidor aposentado por invalidez. se houver dolo ou culpa de sua parte. ou ainda. ou ainda.

nível de escolaridade e equivalência de vencimentos e. A critério da Administração. III.por invalidez. correta a letra A. (C) será efetivada em cargo de atribuições afins. poderão ser concedidas ao servidor ocupante de cargo efetivo ou em estágio probatório.Art. caput). licenças para tratar de assuntos particulares pelo prazo de até três anos consecutivos. 24. 28. Errado! Portanto. Art. ou fração superior a quatorze dias. desde que assim requeridas pelo servidor. na proporção de um doze avos por mês de efetivo exercício. (E) é o retorno à atividade de servidor. 51 . e no interesse da administração pública. Errado! Se o cargo foi extinto. na hipótese de inexistência de cargo vago. o servidor exercerá suas atribuições como excedente. Errado! É a reversão. 25. II. até a ocorrência de vaga. perceberá indenização relativa ao período das férias a que tiver direito e ao incompleto.no interesse da administração. Readaptação é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental verificada em inspeção médica. considere: I. § 1o). As férias poderão ser parceladas em até três etapas. respeitada a habilitação exigida. ou em comissão. com ou sem remuneração. O servidor exonerado do cargo efetivo. Reversão é o retorno à atividade de servidor aposentado: I . quando junta médica oficial declarar insubsistentes os motivos da aposentadoria. 25. o servidor reintegrado ficará em disponibilidade (art. quando junta médica oficial declarar insubsistentes os motivos da aposentadoria. (D) é o retorno à atividade de servidor aposentado por invalidez. caso tenha sido transformado em outro. mediante aproveitamento obrigatório em cargo de atribuições e vencimentos compatíveis com o anteriormente ocupado. (FCC/TRT8/Analista/2010) Quanto às férias e às licenças do servidor público. a reinvestidura dar-se-á no cargo resultante de sua transformação (art. 28. ou II .

IV. A licença concedida dentro de sessenta dias do término de outra da mesma espécie não será considerada como prorrogação. V. O servidor terá direito a licença, com remuneração, durante o período que mediar entre a sua escolha em convenção partidária, como candidato a cargo eletivo, e a véspera do registro de sua candidatura perante a Justiça Eleitoral. Está correto o que se afirma APENAS em: (A) I, III e V. (B) I e IV. (C) II e III. (D) II, IV e V. (E) III e V. Gabarito: C Comentários: Art. 81. Conceder-se-á ao servidor licença: I - por motivo de doença em pessoa da família; II - por motivo de afastamento do cônjuge ou companheiro; III - para o serviço militar; IV - para atividade política; V - prêmio por assiduidade; VI - para trato de interesses particulares; VII - para desempenho de mandato classista. § 1º A licença prevista no inciso I será precedida de exame por médico ou junta médica oficial. § 2º O servidor não poderá permanecer em licença da mesma espécie por período superior a 24 (vinte e quatro) meses, salvo nos casos dos incisos II, III, IV e VII. § 3º É vedado o exercício de atividade remunerada durante o período da licença prevista no inciso I deste artigo Como regra para todas as licenças, aquela que for concedida dentro de 60 dias do término de outra da mesma espécie será considerada como prorrogação (art. 82). Ressalte-se que essas licenças serão deferidas apenas aos titulares de cargos efetivos, não abrangendo os cargos em comissão.
52

Além dessas aqui relacionadas, ainda estão previstas as licenças para tratamento da própria saúde, à gestante, à adotante, paternidade e por acidente em serviço. I. A critério da Administração, poderão ser concedidas ao servidor ocupante de cargo efetivo ou em estágio probatório, licenças para tratar de assuntos particulares pelo prazo de até três anos consecutivos, com ou sem remuneração. Errado! Da Licença para Tratar de Interesses Particulares Art. 91. (A licença para tratar de assuntos particulares está disciplinada no art. 5º da Lei nº 1.864, de 19/1/98, o que afasta tacitamente a aplicação deste dispositivo.) Art. 5º Aos servidores ocupantes de cargo efetivo, desde que não estejam em estágio probatório, poderá ser concedida, a critério da administração, licença para trato de assuntos particulares, sem remuneração, pelo prazo de até três anos consecutivos, prorrogável uma única vez por igual período. II. O servidor exonerado do cargo efetivo, ou em comissão, perceberá indenização relativa ao período das férias a que tiver direito e ao incompleto, na proporção de um doze avos por mês de efetivo exercício, ou fração superior a quatorze dias. Correto! Art. 78. § 3o O servidor exonerado do cargo efetivo, ou em comissão, perceberá indenização relativa ao período das férias a que tiver direito e ao incompleto, na proporção de 1/12 (um doze avos) por mês de efetivo exercício, ou fração superior a 14 (quatorze) dias. III. As férias poderão ser parceladas em até três etapas, desde que assim requeridas pelo servidor, e no interesse da administração pública. Correto porque toma como base a integralidade da Lei nº 8112/90.

Bem, a nossa Lei Distrital dispõe o seguinte a respeito do referido assunto: Art. 77. (O direito às férias anuais recebeu nova d i s c i p l i n a n a L e i n º 1.569, de 15/7/97, o que afasta tacitamente a aplicação deste dispositivo.) § 1º (O tempo mínimo de exercício para o primeiro período aquisitivo de férias recebeu nova disciplina na Lei nº 1.569, de 15/7/97, o que afasta tacitamente a aplicação deste dispositivo.)
53

Art. 1º A cada período de doze meses de exercício, o servidor da administração direta, autárquica e fundacional do Distrito Federal fará jus a trinta dias de férias, que podem ser acumuladas até o máximo de dois períodos no caso de necessidade do serviço, ressalvadas as hipóteses previstas em legislação específica. § 1º As férias poderão ser consecutivas ou parceladas. § 2º No caso de manifestação expressa do servidor, quando da elaboração do mapa de férias poderão ser gozadas em dois períodos, nenhum deles inferior a dez dias, e a devolução da antecipação da remuneração de férias será feita em duas parcelas, vencendo a primeira no mês subseqüente ao retorno do servidor. §3º Para o primeiro período aquisitivo de férias serão exigidos doze meses de exercício. IV. A licença concedida dentro de sessenta dias do término de outra da mesma espécie não será considerada como prorrogação. Errado! V. O servidor terá direito a licença, com remuneração, durante o período que mediar entre a sua escolha em convenção partidária, como candidato a cargo eletivo, e a véspera do registro de sua candidatura perante a Justiça Eleitoral. Errado! Art. 86. O servidor terá direito a licença, sem remuneração, durante o período que mediar entre a sua escolha em convenção partidária, como candidato a cargo eletivo, e a véspera do registro de sua candidatura perante a Justiça Eleitoral. Portanto, correta a letra C. 26. (FCC/TRT8/Analista/2010) Nos termos da Lei no 8.112/90, é assegurado ao servidor o direito de requerer aos Poderes Públicos, em defesa de direito ou interesse legítimo. Diante disso, (A) não caberá recurso das decisões sobre os recursos sucessivamente interpostos. (B) o prazo para interposição de pedido de reconsideração é de quinze dias, a contar da intimação do interessado ou do seu representante legal. (C) não cabe pedido de reconsideração à autoridade que houver expedido o ato ou proferido a primeira decisão.
54

(D) o pedido de reconsideração e o recurso, quando cabíveis, não suspendem ou interrompem a prescrição. (E) o prazo de prescrição do direito de requerer será contado da data da publicação do ato impugnado ou da data da ciência pelo interessado, quando o ato não for publicado. Gabarito: E Comentários: Art. 104. É assegurado ao servidor o direito de requerer aos Poderes Públicos, em defesa de direito ou interesse legítimo.
O direito de petição é o direito que todo servidor tem de pedir, requerer aos Poderes Públicos, em defesa de direitos ou interesse legítimo, seja férias, licença, reintegração, reversão, horário especial de estudante, cópias de um processo administrativo, promoção etc.

Art. 105. O requerimento será dirigido à autoridade competente para decidi-lo e encaminhado por intermédio daquela a que estiver imediatamente subordinado o requerente. Art. 109. O recurso poderá ser recebido com efeito suspensivo, a juízo da autoridade competente. Parágrafo único. Em caso de provimento do pedido de reconsideração ou do recurso, os efeitos da decisão retroagirão à data do ato impugnado. Art. 110. O direito de requerer prescreve: I - em 5 (cinco) anos, quanto aos atos de demissão e de cassação de aposentadoria ou disponibilidade, ou que afetem interesse patrimonial e créditos resultantes das relações de trabalho; II - em 120 (cento e vinte) dias, nos demais casos, salvo quando outro prazo for fixado em lei. Parágrafo único. O prazo de prescrição será contado da data da publicação do ato impugnado ou da data da ciência pelo interessado, quando o ato não for publicado. Art. 111. O pedido de reconsideração e o recurso, quando cabíveis, interrompem a prescrição. Art. 112. A prescrição é de ordem pública, não podendo ser relevada pela administração.

55

na repartição. (B) o prazo para interposição de pedido de reconsideração é de quinze dias. (A) não caberá recurso das decisões sobre os recursos sucessivamente interpostos. A administração deverá rever seus atos. que são acontecimentos imprevisíveis e estão fora do alcance das partes. salvo motivo de força maior. 113. Art. 107 . O prazo para interposição de pedido de reconsideração ou de recurso é de 30 (trinta) dias. em defesa de direito ou interesse legítimo. não podendo abrir mão dos prazos. salvo motivo de força maior. a contar da publicação ou da ciência. Errado! Art. é assegurado ao servidor o direito de requerer aos Poderes Públicos. Art. II . recebendo recurso a destempo. são fatais e improrrogáveis os prazos aqui estabelecidos. 108. Errado! Art. Art. a contar da intimação do interessado ou do seu representante legal. 114. Cabe pedido de reconsideração à autoridade que houver expedido o ato ou proferido a primeira decisão. é assegurada vista do processo ou documento. Para o exercício do direito de petição. 106.Caberá recurso . Nos termos da Lei no 8. quando eivados de ilegalidade..112/90. (C) não cabe pedido de reconsideração à autoridade que houver expedido o ato ou proferido a primeira decisão. da decisão recorrida. 56 .das decisões sobre os recursos sucessivamente interpostos. a qualquer tempo. São fatais e improrrogáveis os prazos estabelecidos neste Capítulo. Errado! Art. ao servidor ou a procurador por ele constituído. 115.. pelo interessado. Por isso. não podendo ser renovado. Diante disso.Ser a prescrição de ordem pública significa que o interesse do Estado em manter a ordem pública prevalece.

e administrativas (E) não responsabilização do servidor perante a Fazenda Pública. quando cabíveis. Errado! Art. (FCC/TRT8/Analista/2010) Nos termos da Lei no 8. por serem independentes entre si. (D) inaplicabilidade das sanções civis. tratando-se de dano causado a terceiros. quando o ato não for publicado. praticado em razão da qualidade de funcionário público e não em razão da sua função. Portanto. correta a letra E. (C) responsabilização civil-administrativa. O pedido de reconsideração e o recurso. 111. quando cabíveis. a prática de determinado ato considerado irregular por servidor público em face de suas atribuições. não suspendem ou interrompem a prescrição. (E) o prazo de prescrição do direito de requerer será contado da data da publicação do ato impugnado ou da data da ciência pelo interessado. em ação regressiva. Gabarito: B Comentários: (A) inafastabilidade da responsabilidade administrativa do servidor no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. O direito de requerer prescreve: Parágrafo único. interrompem a prescrição. (B) obrigação de reparar o dano estendida aos sucessores e contra eles executada.(D) o pedido de reconsideração e o recurso. 110. quando o ato não for publicado.112/90. somente se resultante de ato comissivo e não omissivo. O prazo de prescrição será contado da data da publicação do ato impugnado ou da data da ciência pelo interessado. 27. implica na (A) inafastabilidade da responsabilidade administrativa do servidor no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. penais cumulativamente. até o limite do valor da herança recebida. 57 . Correto! Art.

Errado! Na qualidade de servidor público ocupante de um cargo ou função. 125. praticado em razão da qualidade de funcionário público e não em razão da sua função. 28. Antonia (A) ficará obrigada a restituí-las. por serem independentes entre si. sendo independentes entre si. (D) inaplicabilidade das sanções civis. 124. Correto! Art. (FCC/TRE-AL/Técnico/2010) Antonia. no que se refere às diárias. 58 e administrativas . Nesse caso. A responsabilidade civil-administrativa resulta de ato omissivo ou comissivo praticado no desempenho do cargo ou função. não houve necessidade de afastar-se da sede. somente se resultante de ato comissivo e não omissivo. A ação regressiva se dará nos moldes do art. penais e administrativas poderão cumular-se.00 (um mil reais) a título de diárias. integralmente. servidora pública federal. As sanções civis. § 2o Tratando-se de dano causado a terceiros. § 3o A obrigação de reparar o dano estende-se aos sucessores e contra eles será executada. Portanto. em ação regressiva. Art. penais cumulativamente. 122. Art. até o limite do valor da herança recebida. tratando-se de dano causado a terceiros. (C) responsabilização civil-administrativa. (E) não responsabilização do servidor perante a Fazenda Pública. recebeu R$ 1. atendendo a ordens superiores. 122. § 6º. correta a letra B. em ação regressiva. 126.000. (B) obrigação de reparar o dano estendida aos sucessores e contra eles executada.Errado! A responsabilidade será afastada. Entretanto. CF/88. Art. responderá o servidor perante a Fazenda Pública. A responsabilidade administrativa do servidor será afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. Errado! As sanções poderão cumular-se. Errado! Art. até o limite do valor da herança recebida. 37. no prazo de cinco dias.

atendendo a ordens superiores. no que se refere às diárias. não houve necessidade de afastar-se da sede. ou seja. por qualquer motivo. Antonia. art. em caráter eventual ou transitório. Se o servidor receber diárias e não se afastar da sede.(B) deverá restituí-las.00 (um mil reais) a título de diárias. restituirá as diárias recebidas em excesso. no valor de dois terços e o restante até trinta dias. por razões do serviço. de imediato. receberá indenização relativa a todos os custos do afastamento. alimentação e locomoção urbana. Resposta: A Comentários: Em havendo necessidade de deslocamento do servidor da sede. servidora pública federal. Errado! (D) poderá compensar um terço do valor como dias trabalhados. 59). Antonia (A) ficará obrigada a restituí-las. mas restituindo o saldo. conforme se dispuser em regulamento. Correto! (B) deverá restituí-las. para outro ponto do território nacional ou para o exterior. por ter cumprido ordens superiores. no prazo de cinco dias. (E) deverá restituí-las. pela metade. (C) não deverá restituí-las. ficará obrigado a restituí-las integralmente. passagens e diárias destinadas a fazer face às parcelas de despesas extraordinárias com pousadas. no prazo de 5 dias. Errado! (C) não deverá restituí-las. Nesse caso. Havendo deslocamento. porém retornando à sede em prazo menor do que o previsto para o seu afastamento. integralmente. (D) poderá compensar um terço do valor como dias trabalhados. no prazo de cinco dias. Entretanto. por ter cumprido ordens superiores. no prazo de cinco dias. pela metade. recebeu R$ 1. no mesmo prazo (Lei nº 8112/90.000. 59 . mas restituindo o saldo.

I. 130). § 1º). vários documentos da secretaria do órgão público. locomoção etc. (C) suspensão e multa. (D) destituição do cargo e multa. Cabe. Nesses casos. Errado! Portanto. 2 – servem para indenizar alimentação. (FCC/TRE-AL/Técnico/2010) Analise as penalidades previstas para as condutas abaixo. 29. injustificadamente. pode-se dizer que as diárias servem para: 1 – compensar o afastamento da sede em caráter eventual ou transitório para outro ponto do território nacional ou para o exterior. Vânia está sendo responsabilizada por retirar. 130. sem prévia anuência da autoridade competente. não podendo exceder de 90 dias (art. no valor de dois terços e o restante até trinta dias. cessando os efeitos da penalidade uma vez cumprida a determinação (art. (E) demissão e advertência. respectivamente. despesas extraordinárias com pousada. II. Resposta: E Comentários: Suspensão e multa: a suspensão será aplicada em caso de reincidência das faltas punidas com advertência e de violação das demais proibições que não tipifiquem infração sujeita à penalidade de demissão. de imediato. recusar-se a ser submetido a inspeção médica determinada pela autoridade competente. das penas de (A) suspensão e advertência. Milton está sendo responsabilizado por incontinência pública. a suspensão por até 15 dias do servidor que. ainda. serão passíveis. praticadas por servidores públicos federais.Errado! (E) deverá restituí-las. (B) demissão e suspensão. 60 .

em cargo ou função de confiança.recusar fé a documentos públicos.promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição. § 2º). IX . fora dos casos previstos em lei. 61 . Se for suspenso 30 dias.cometer a pessoa estranha à repartição.valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem.Ainda que não mencionada expressamente no rol de penalidades do art. Será aplicada em especial nos casos de violação de proibição constante do art. cônjuge. do Estatuto. em detrimento da dignidade da função pública. a título de multa. V . ou a partido político. deverá o servidor suspenso permanecer em serviço. incisos I a VIII e XIX. personificada ou não personificada.manter sob sua chefia imediata. 117. cotista ou comanditário. é possível a fixação de multa. VI . Advertência: As faltas leves serão punidas com a advertência. VIII . reduzindo-se o vencimento ou remuneração. qualquer documento ou objeto da repartição. e de inobservância de dever funcional previsto em lei. sem prévia autorização do chefe imediato. 129). companheiro ou parente até o segundo grau civil. regulamentação ou norma interna (art. Art.participar de gerência ou administração de sociedade privada.ausentar-se do serviço durante o expediente. III . exercer o comércio. II . à base de 50% por dia. 127. no lugar de ficar afastado de suas funções. quando houver conveniência para o serviço. 130.coagir ou aliciar subordinados no sentido de filiarem-se a associação profissional ou sindical. sem prévia anuência da autoridade competente. X . IV . 117. Ao servidor é proibido: I .retirar. exceto na qualidade de acionista. VII . quando não justifique imposição de penalidade mais grave. permanecerá em atividade. Nessa hipótese. o desempenho de atribuição que seja de sua responsabilidade ou de seu subordinado. porém receberá relativamente a apenas metade do valor devido nesse período (art.opor resistência injustificada ao andamento de documento e processo ou execução de serviço. como substituta da suspensão.

V . II . salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau.XI . Demissão: penalidade disciplinar. XIX . 132. XV .ofensa física. como procurador ou intermediário. em razão de suas atribuições. A advertência aplicada nos casos de violação de proibição constante do art. cabível nas hipóteses descritas no art. 132.improbidade administrativa. regulamentação ou norma interna (art. VII . configura desligamento do servidor do cargo que ocupa em razão da prática de uma infração funcional grave.incontinência pública e conduta escandalosa.receber propina.utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares.insubordinação grave em serviço. XVII . exceto em situações de emergência e transitórias.lesão aos cofres públicos de dilapidação do patrimônio nacional.praticar usura sob qualquer de suas formas.exercer quaisquer atividades que sejam incompatíveis com o exercício do cargo ou função e com o horário de trabalho. O art.cometer a outro servidor atribuições estranhas ao cargo que ocupa. emprego ou pensão de estado estrangeiro.proceder de forma desidiosa. a servidor ou a particular.atuar. comissão. XII . III . junto a repartições públicas. 117. 129). XIV . em serviço. presente ou vantagem de qualquer espécie. IX . na repartição. 132 relaciona os casos em que a demissão será aplicada: Art.corrupção. incisos I a VIII e XIX.inassiduidade habitual. e de inobservância de dever funcional previsto em lei. XIII . VIII .crime contra a Administração Pública. X . IV . VI .abandono de cargo. e de cônjuge ou companheiro.revelação de segredo do qual se apropriou em razão do cargo. XVIII . 62 . salvo em legítima defesa própria ou de outrem.recusar-se a atualizar seus dados cadastrais quando solicitado.aceitar comissão.aplicação irregular de dinheiros públicos. do Estatuto. A demissão será aplicada nos seguintes casos: I . XI . XVI .

salvo a participação nos conselhos de administração e fiscal de empresas ou entidades em que a União detenha. sendo-lhe vedado exercer o comércio. salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau. XII . 132. participação do capital social. Analise as penalidades previstas para as condutas abaixo. XV . vários documentos da secretaria do órgão público – a penalidade a ser aplicada deverá ser a advertência (art.XII . II). . e de cônjuge ou companheiro. XIII .acumulação ilegal de cargos.receber propina.utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares. sociedade civil.valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem. em detrimento da dignidade da função pública. I. XVI . direta ou indiretamente. comissão. 117. XIV . X . emprego ou pensão de estado estrangeiro. 117.aceitar comissão. IX . XIII .proceder de forma desidiosa.participar de gerência ou administração de empresa privada.praticar usura sob qualquer de suas formas. 117. sem prévia anuência da autoridade competente. em razão de suas atribuições. empregos ou funções públicas. Vânia está sendo responsabilizada por retirar. como procurador ou intermediário. exceto na qualidade de acionista. V) II. praticadas por servidores públicos federais. XI . presente ou vantagem de qualquer espécie.atuar. cotista ou comanditário. 63 . Milton está sendo responsabilizado por incontinência pública – a penalidade a ser aplicada deverá ser a de demissão (art.transgressão dos incisos IX a XVI do art. junto a repartições públicas. Art.

Conseguimos comentar as questões mais representativas aplicadas nos últimos dois anos. muito sucesso no seu concurso e que Deus te abençoe.br 64 . o nosso curso online de exercícios comentados de questões para o concurso da PGDF. Patrícia Carla @profapatricia Twitter .@profapatricia E-mail: patriciacarla@pontodosconcursos. e espero – sinceramente – que ele seja útil na sua aprovação no concurso. Um grande beijo.com. terminamos. bons estudos.Bem. aqui. e isso é muito importante para você conhecer como os temas são cobrados nas provas de concurso. Agradeço a você pelo respeito dedicado ao meu modesto trabalho.

(D) III e V. 2. (E) perde o cargo por meio de decisão administrativa somente se já adquiriu estabilidade. (FCC/DPE-SP/Oficial/2010) Em relação ao servidor público ocupante de cargo efetivo pode-se afirmar: (A) adquire estabilidade após dois anos de efetivo exercício no cargo. III. IV e V. Transferência e readaptação não são formas de provimento. (FCC/MPE-RN/Agente/2010) Considere as seguintes afirmações: I. (E) IV e V. (C) III. (B) I e III. V. 65 . As funções são providas mediante nomeação. (D) adquire estabilidade com a aprovação no concurso público para provimento do cargo. Provimento é o ato de preenchimento de cargo ou função pública vago. IV. Promoção e aproveitamento são formas de provimento. Está correto o que se afirma APENAS em (A) I. O provimento realiza-se mediante ato da autoridade competente de cada Poder ou órgão equivalente e só produz efeitos a partir de sua publicação no jornal oficial. II e IV. (C) perde o cargo após dois anos de efetivo exercício e apenas mediante decisão administrativa transitada em julgado.QUESTÕES VISTAS NA 6ª AULA 1. (B) perde o cargo em virtude de sentença judicial transitada em julgado ou mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada a ampla defesa. vedada a delegação. II. atribuindo-lhe um titular.

devido à limitação física. descontadas as vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei. um adicional correspondente a um terço da remuneração de férias. contados da publicação do ato. II. ou no cargo resultante de sua transformação. (FCC/TRE-AC/Analista/2010) Quanto aos direitos. 4. sem ressarcimento de eventuais vantagens. (FCC/MPE-RN/Agente/2010) Forma de provimento quando o Agente. (C) readaptação. incluído nesse prazo o tempo necessário para o deslocamento para a nova sede. adquirida no exercício das funções do cargo de origem. trinta dias de prazo. (E) a recondução é a reinvestidura do servidor efetivo ou comissionado no cargo anteriormente ocupado. sendo que 66 . (B) a nomeação far-se-á. (E) transposição. dentre outras hipóteses. podendo ser prorrogado por igual prazo. 5. no máximo. (B) recondução. será pago por ocasião das férias. Trata-se da (A) reversão. contados da data do ato de provimento. Mediante expressa solicitação do servidor. (D) recolocação. (FCC/TRE-AC/Analista/2010) Em relação ao provimento do cargo público é correto afirmar que. (D) pela posse há o efetivo desempenho das atribuições da função de confiança. dez e. (C) o servidor que deva ter exercício em outro município em razão de ter sido posto em exercício provisório terá.3. para a retomada do efetivo desempenho das atribuições do cargo. em comissão. quando invalidada a sua aposentadoria por decisão administrativa ou judicial. (A) a posse e o exercício ocorrerão no prazo de trinta dias contados da publicação do ato de proclamação dos aprovados no concurso. Vencimento é a remuneração do cargo efetivo ou comissionado. uma única vez. inclusive na condição de interino para cargos de confiança vagos. no mínimo. passa a exercer atribuições compatíveis com sua situação atual. considere: I. quando se tratar de cargo isolado de provimento efetivo ou de carreira. sendo de trinta dias o prazo para o servidor aprovado em cargo público entrar em exercício. vantagens e adicionais do servidor público civil da União.

IV e V. Só haverá posse nos casos de provimento de cargo por nomeação. II. (FCC/TRE-AC/Técnico/2010) Quanto à posse do servidor público considere: I. 67 . A posse poderá dar-se mediante procuração específica. sendo que as gratificações e os adicionais incorporam-se ao vencimento ou provento. A posse ocorrerá no prazo de trinta dias contados da publicação do ato de provimento. A posse em cargo público independerá de prévia inspeção médica oficial. sendo ela realizada por ocasião do exercício. (B) I e III. Está correto o que se afirma APENAS em (A) I. (E) IV e V. a respectiva vantagem não será considerada no cálculo das férias. O serviço extraordinário será remunerado com acréscimo de cinquenta por cento em relação à hora normal de trabalho e somente será permitido para atender a situações excepcionais e temporárias. (C) II. As faltas justificadas decorrentes de caso fortuito ou de força maior poderão ser compensadas a critério da chefia imediata. III e V. respeitado o limite máximo de duas horas por jornada. II e III. II e IV. 6. V. sendo assim consideradas como efetivo exercício. Está correto o que se afirma APENAS em (A) I. III. IV. Haverá posse nos casos de provimento de cargo por nomeação e comissão. (B) I. III. IV e V. V. dispensada nas hipóteses de acesso. IV. nos casos e condições indicados em lei.no caso de cargo em comissão. (D) III. As indenizações não se incorporam ao vencimento ou provento para qualquer efeito.

(FCC/TRE-AC/Técnico/2010) É INCORRETO afirmar que a vacância no cargo público decorrerá. por invalidez. 8. objeto de arresto. denomina-se: (A) Readaptação. dentre outras hipóteses. (FCC/TRE-AC/Técnico/2010) O retorno à atividade de servidor aposentado. são redutíveis.(C) I e V. (FCC/TRE-AC/Técnico/2010) Quanto aos direitos e vantagens do servidor público civil é certo que. (B) ascensão ou posse em outro cargo acumulável. (B) o vencimento e a remuneração do cargo efetivo. III e IV. (D) II e III. (E) Transferência. computadas ou acumuladas. (C) Reintegração. não podendo contudo. 9. (C) exoneração ou promoção. em qualquer caso. o servidor receber menos que dois salários mínimos. (C) a remuneração e o provento poderão ser. (B) Recondução. 7. 68 . de (A) aposentadoria ou falecimento. sequestro ou penhora. dentre outras hipóteses. (D) readaptação ou demissão. em qualquer caso. para efeito de concessão de quaisquer outros acréscimos pecuniários ulteriores. (D) Reversão. (A) as vantagens pecuniárias serão. (E) II. ainda que sob o mesmo título ou idêntico fundamento. quando junta médica oficial declarar insubsistentes os motivos da aposentadoria. (E) promoção ou aposentadoria.

terá que quitar o débito no ato da exoneração. 10. (FCC/TRE-AL/Analista/2010) Sérgio exerce o cargo de analista judiciário. ou reassumi-lo. (B) será concedida essa indenização apenas quanto ao afastamento do cargo efetivo para o mandato de deputado federal. (FCC/TRE-AL/Analista/2010) Mélvio. a critério da Administração. será reintegrado no cargo anteriormente ocupado. sem direito a indenização. Porém. mas sim a de transporte. (B) será nomeada em outro cargo de sua livre escolha. (A) não será concedida a ajuda de custo em ambas as situações. tanto pelo afastamento como pela reassunção do cargo efetivo. a critério da Administração. que for demitido. instaurada em razão do conhecimento de irregularidades no serviço de um determinado setor 69 . vedado prazo ou parcelamento da dívida.(D) o servidor em débito com o erário. ou aproveitada em outro cargo. Afastou-se de seu cargo por ter sido eleito deputado federal. Terminado o mandato eletivo. o cargo de origem provido por outro servidor. (C) será concedida essa indenização apenas quanto à reassunção ao cargo de analista judiciário. 12. Isabela (A) ficará em disponibilidade. Nesse caso. (E) poderá. servidora pública estável. mas compatível com suas funções. esteja ou não. em virtude de mandato eletivo. a critério da Administração. esse cargo anterior já encontra-se provido e ocupado por Isabela. (D) será reconduzida ao cargo de origem. 11. (FCC/TRE-AL/Analista/2010) Encerrada uma sindicância. (C) será reintegrada no cargo de origem ou ficará em disponibilidade. (E) não será concedida a ajuda de custo. entre outras hipóteses. Nesse caso. analista judiciário. (E) não será concedida ajuda de custo ao servidor que se afastar do cargo. ser readmitida ao cargo de origem ou transferida para outro órgão público federal. reassumiu suas funções de servidor público e está pleiteando ajuda de custo. (D) será concedida uma ajuda de custo em ambas as situações em razão da mudança de sede.

13. independentemente da imediata instauração do processo disciplinar. (D) Corregedor Regional Eleitoral. em conformidade com a Lei no 8. aguardando-se suas investigações para a instauração do processo disciplinar. (C) incorpora-se ao vencimento da servidora para todos os efeitos. Nesse caso. como autoridade competente. (B) Ministério Público. Entretanto. analista judiciário. a instauração do processo disciplinar. Marcelo. é certo que. junta médica oficial julgou insubsistente os motivos de sua aposentadoria. (D) não se incorpora aos vencimentos da servidora para qualquer efeito. Nesse caso. 14. regularmente instituído no âmbito da Administração Pública Federal. Nesse caso. é certo que essa vantagem (A) incorpora-se à remuneração da servidora para alguns efeitos como a aposentadoria e disponibilidade.112/90. dentre outras situações pertinentes. o relatório conclui que a infração está capitulada como ilícito penal. no que se refere à gratificação por encargo de curso. para fins de conhecimento e instauração do processo disciplinar. (A) o tempo de até cento e oitenta dias em que a servidora estiver em exercício não poderá ser contado para a concessão da aposentadoria. ou não. inclusive para os proventos da aposentadoria. (E) não se incorpora à remuneração ou salário da servidora. encaminhará cópia dos autos ao (A) Delegado de Polícia local. para que determine. 70 . (C) Presidente do Tribunal Regional Eleitoral. vedada sua utilização como base de cálculo de outras vantagens e adicionais. (B) não se incorpora ao vencimento da servidora para qualquer efeito e não poderá ser utilizada como base de cálculo dos proventos da aposentadoria. salvo para efeito da aposentadoria ou disponibilidade. (E) Presidente da Comissão. (FCC/TRE-AL/Analista/2010) Benedita aposentou-se por invalidez. podendo ser utilizada como base de cálculo para outras vantagens a que tiver direito.do Tribunal Regional Eleitoral. mas poderá ser utilizada como base de cálculo dos proventos da aposentadoria. (FCC/TRE-AL/Analista/2010) Silvana atua como instrutora em curso de formação. para que determine o afastamento preventivo e a instauração da ação penal. mas não poderá ser utilizada como base de cálculo para as demais vantagens.

(D) poderá dar-se a reversão. nessa qualidade. vedada a conversão da pena em multa pecuniária. 71 . (C) a reversão far-se-á no mesmo cargo ou no cargo resultante de sua transformação. (E) demissão. (C) civil pela reparação do dano não se estende aos sucessores do servidor. (E) encontrando-se provido o cargo. ficando vedado seu retorno ao serviço público federal. está sendo responsabilizado por valer-se do exercício de suas funções para lograr proveito pessoal em detrimento da dignidade da função pública. doloso ou culposo. o servidor estará sujeito à pena de (A) demissão. ficando vedada sua investidura em cargo público pelo prazo de dois anos. a critério da Administração. a servidora ficará em disponibilidade pelo período de até dois anos. (FCC/TRE-AM/Analista/2010) Nos termos do Estatuto do Servidor Público é INCORRETO que a responsabilidade (A) penal abrange os crimes e contravenções imputadas ao servidor.(B) a servidora poderá reverter em qualquer cargo. (D) civil-administrativa resulta de ato omissivo ou comissivo praticado no desempenho do cargo ou função. mas podendo concorrer a cargo estadual ou municipal. (D) suspensão de noventa dias. (FCC/TRE-AL/Analista/2010) Carlos. pelo prazo de cinco anos. (C) destituição de suas funções e declaração de sua inidoneidade para o serviço público. incompatibilizando-o para nova investidura em cargo público federal. titular de cargo efetivo junto ao Tribunal Regional Eleitoral. (B) civil decorre de ato omissivo ou comissivo. 16. 15. que resulte em prejuízo ao erário ou a terceiros. (E) administrativa do servidor será afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. Nesse caso. (B) destituição do cargo público. ainda que a servidora tenha completado setenta anos de idade.

112/90. se o servidor não houver. O prazo de prescrição da ação disciplinar começa a correr da data em que o autor se tornou conhecido. não se interrompendo pela abertura de sindicância. contados da data da publicação do ato de provimento. (B) a posse ocorrerá no prazo de quinze dias contados da data do ato de nomeação. IV e V. IV. quanto à posse e ao exercício em cargo público. II. 18. praticado nova infração disciplinar. (E) II. As penalidades de advertência e de suspensão terão seus registros cancelados.17. III. Está correto o que se afirma APENAS em (A) I e II. V. suspensão e demissão. 72 . A destituição de cargo em comissão exercido por ocupante de cargo efetivo será aplicada nos casos de infração sujeita às penalidades de advertência e suspensão. considere: às penalidades disciplinares I. (D) I. nesse período.112/90. respectivamente. após o decurso de 3 (três) e 5 (cinco) anos de efetivo exercício. (B) II e IV. é correto que (A) a posse e o exercício poderão dar-se através da nomeação da autoridade do órgão como procurador do servidor. surtirá efeitos retroativos à data da sua aplicação. III e IV. (C) é de trinta dias o prazo para o servidor empossado em cargo público entrar em exercício. O cancelamento das penalidades de advertência. mediante procuração específica. (C) III e V. (FCC/TRE-AM/Analista/2010) Nos termos da Lei no 8. (FCC/TRE-AM/Analista/2010) Quanto previstas na Lei no 8. O ato de imposição da penalidade mencionará sempre o fundamento legal e a causa da sanção disciplinar. mas apenas pela instauração de processo disciplinar.

73 . 20. (C) II. Estão corretas APENAS (A) III e V. IV e V. 19. falta punível com a suspensão superior a 30 (trinta) dias.112/90. II. (E) à autoridade competente do órgão ou entidade para onde for nomeado ou designado o servidor compete dar-lhe exercício. pelo prazo de 5 (cinco) anos. interpoladamente. incompatibiliza o ex-servidor para nova investidura em cargo público federal. As penalidades disciplinares serão aplicadas pelo chefe da repartição e outras autoridades na forma dos respectivos regimentos ou regulamentos. dentre outras. A demissão de cargo em comissão daquele que se vale do cargo para lograr proveito pessoal em detrimento da dignidade da função pública. III e V. (E) I e IV. (B) II. 8. (B) o aproveitamento. considere: I. nos casos de advertência ou de suspensão de até 30 (trinta) dias. sem causa justificada. IV. A ação disciplinar prescreverá em 3 (três) anos. que é contado no novo posicionamento na carreira a partir da data da posse do servidor.(D) a promoção interrompe o tempo de exercício. Será cassada a aposentadoria do inativo que houver praticado. quanto à suspensão e em 180 (cento e oitenta) dias. na atividade ou inatividade. (FCC/TRE-AM/Técnico/2010) São formas de provimento de cargo público. (FCC/TRE-AM/Analista/2010) Quanto às penalidades aplicáveis aos servidores públicos civis nos termos da Lei n. Entende-se por inassiduidade habitual a falta ao serviço. quanto à advertência. (A) a ascensão. durante o período de doze meses. por sessenta dias. III. V. II e IV. (D) I.

(B) Ao servidor é proibido manter sob sua chefia imediata. (FUNIVERSA/SEJUS/DF – TÉCNICO PENITENCIÁRIO/2008) Relativamente ao regime disciplinar dos servidores regidos pela Lei n. Nos termos da Lei no 8. dentre outras hipóteses. 22. pelo Ministro de Estado.(C) a transferência.112/90. 21. (E) 180 (cento e oitenta) dias. (B) 90 (noventa) dias. Técnico Judiciário do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (estável). quanto à disponibilidade.112/90. (D) reintegração.112/1990. 74 . diante da invalidação da sua demissão por decisão administrativa. prescreverá. (B) reversão. 23. ocorreu a (A) readaptação. foi reinvestido no cargo anteriormente ocupado. (E) a inscrição.° 8. quanto às infrações puníveis com cassação de aposentadoria. com ressarcimento de todas as vantagens. (A) As penalidades de demissão e cassação de aposentadoria serão aplicadas pelo Presidente da República ou. havendo delegação. (D) a disponibilidade. quanto à advertência. quanto à suspensão. (C) 2 (dois) anos. (C) recondução. em cargo ou função de confiança cônjuge. (FCC/TRE-AM/Técnico/2010) A Ação disciplinar prevista na Lei no 8. em (A) 24 (vinte e quatro) meses. (E) ascensão. assinale a afirmativa correta. quanto às infrações puníveis com destituição de cargo em comissão. companheiro ou parente até o terceiro grau. (FCC/TRE-AM/Técnico/2010) Armando. (D) 03 (três) anos.

(E) Entende por inassiduidade habitual a falta ao serviço. (FCC/TRT8/Analista/2010) reintegração A Lei nº 8. O servidor exonerado do cargo efetivo. na hipótese de inexistência de cargo vago. em ação regressiva. desde que assim requeridas pelo servidor. nível de escolaridade e equivalência de vencimentos e. (D) é o retorno à atividade de servidor aposentado por invalidez. (C) será efetivada em cargo de atribuições afins. e no interesse da administração pública. até a ocorrência de vaga. III. durante o período de doze meses. sem causa justificada. o seu eventual ocupante será reconduzido ao cargo de origem. mediante aproveitamento obrigatório em cargo de atribuições e vencimentos compatíveis com o anteriormente ocupado. poderão ser concedidas ao servidor ocupante de cargo efetivo ou em estágio probatório. 75 . a penalidade será aplicada pela autoridade que houver feito a nomeação. As férias poderão ser parceladas em até três etapas.112/90 estabelece que a (A) quando provido o cargo do servidor estável objeto desta. ou ainda. com ou sem remuneração. respeitada a habilitação exigida. por trinta dias. na proporção de um doze avos por mês de efetivo exercício. 24. o servidor exercerá suas atribuições como excedente. ou fração superior a quatorze dias. II. posto em disponibilidade. quando junta médica oficial declarar insubsistentes os motivos da aposentadoria.(C) Tratando-se de servidor ocupante de cargo em comissão. considere: I. 25. licenças para tratar de assuntos particulares pelo prazo de até três anos consecutivos. ou em comissão. A critério da Administração. (D) Tratando-se de dano causado a terceiros. (B) é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental verificada em inspeção médica. responderá o servidor perante a Fazenda Pública. perceberá indenização relativa ao período das férias a que tiver direito e ao incompleto. sem direito à indenização ou aproveitado em outro cargo. (FCC/TRT8/Analista/2010) Quanto às férias e às licenças do servidor público. (E) é o retorno à atividade de servidor.

A licença concedida dentro de sessenta dias do término de outra da mesma espécie não será considerada como prorrogação. não suspendem ou interrompem a prescrição. (D) II. (C) II e III. (B) I e IV. (B) o prazo para interposição de pedido de reconsideração é de quinze dias.112/90. (FCC/TRT8/Analista/2010) Nos termos da Lei no 8. em defesa de direito ou interesse legítimo. é assegurado ao servidor o direito de requerer aos Poderes Públicos. quando o ato não for publicado. IV e V. (E) o prazo de prescrição do direito de requerer será contado da data da publicação do ato impugnado ou da data da ciência pelo interessado. com remuneração.112/90. a contar da intimação do interessado ou do seu representante legal. V. a prática de determinado ato considerado irregular por servidor público em face de suas atribuições.IV. 26. 27. (C) não cabe pedido de reconsideração à autoridade que houver expedido o ato ou proferido a primeira decisão. quando cabíveis. e a véspera do registro de sua candidatura perante a Justiça Eleitoral. Está correto o que se afirma APENAS em: (A) I. Diante disso. implica na (A) inafastabilidade da responsabilidade administrativa do servidor no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. durante o período que mediar entre a sua escolha em convenção partidária. (A) não caberá recurso das decisões sobre os recursos sucessivamente interpostos. III e V. 76 . O servidor terá direito a licença. (D) o pedido de reconsideração e o recurso. (E) III e V. (FCC/TRT8/Analista/2010) Nos termos da Lei no 8. como candidato a cargo eletivo.

e administrativas (E) não responsabilização do servidor perante a Fazenda Pública. (C) suspensão e multa. recebeu R$ 1. (FCC/TRE-AL/Técnico/2010) Analise as penalidades previstas para as condutas abaixo. (C) responsabilização civil-administrativa. no que se refere às diárias. II. de imediato. pela metade. por serem independentes entre si. somente se resultante de ato comissivo e não omissivo. 28. (FCC/TRE-AL/Técnico/2010) Antonia. Vânia está sendo responsabilizada por retirar. vários documentos da secretaria do órgão público. tratando-se de dano causado a terceiros. até o limite do valor da herança recebida.00 (um mil reais) a título de diárias. Entretanto. Antonia (A) ficará obrigada a restituí-las. integralmente. (D) inaplicabilidade das sanções civis. Nesses casos. (D) destituição do cargo e multa. sem prévia anuência da autoridade competente. penais cumulativamente. praticadas por servidores públicos federais. (D) poderá compensar um terço do valor como dias trabalhados. no prazo de cinco dias. (B) deverá restituí-las. por ter cumprido ordens superiores. em ação regressiva. (B) demissão e suspensão. servidora pública federal. não houve necessidade de afastar-se da sede. Milton está sendo responsabilizado por incontinência pública. Nesse caso. no valor de dois terços e o restante até trinta dias.(B) obrigação de reparar o dano estendida aos sucessores e contra eles executada. respectivamente. I. (E) deverá restituí-las. (C) não deverá restituí-las. serão passíveis. 29. 77 . mas restituindo o saldo.000. praticado em razão da qualidade de funcionário público e não em razão da sua função. das penas de (A) suspensão e advertência. no prazo de cinco dias. atendendo a ordens superiores.

(E) demissão e advertência. 78 .

GABARITO 01 B 11 D 02 B 12 B 03 C 13 B 04 C 14 C 05 D 15 A 06 A 16 C 07 D 17 A 08 B 18 E 09 E 19 D 10 A 20 B 79 .

21 D 22 C 23 D 24 A 25 C 26 E 27 B 28 A 29 E 80 .