Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Disciplina: 405038-A0 – Tópicos Especiais em Política

Aluno: Thiago Almeida de Oliveira – Nº UFS: 10140888

Relatório da disciplina Tópicos Especiais em Política no período 2011.1

A disciplina Tópicos Especiais em Política – que deveria se chamar Cinema e Política – tratou dos temas: história do cinema (e suas relações políticas e sociais), diferentes estéticas inseridas em movimentos cinematográficos, e a evolução da linguagem do cinema. Foram utilizados textos principalmente dos livros “História do Cinema Mundial”, organizado por Fernando Mascarello, “As Principais Teorias do Cinema: Uma Introdução”, de J. Dudley Andrew, além dos textos “Dickens, Griffith e nós”, do livro “A Forma do Filme” de Sergei Eisenstein e “A Evolução da Linguagem Cinematográfica”, do livro “O Cinema – Ensaios” de André Bazin, e mais algumas indicações de leituras. Durante a ocupação da Reitoria da UFS, houve a exibição do filme “Vencer” (“Vincere”), do diretor italiano Marco Bellocchio, e um debate sobre o cinema político italiano dos anos 60 até os dias atuais e sobre a reutilização das imagens de arquivos sem comprometer a diegese do filme.

Seminário – Nouvelle Vague
− Os Incompreendidos (Les Quatre Cents Coups), de François Truffaut

Colaborador da revista Cahiers du Cinéma – revista especializada em críticas de cinema, fundada em 1951 por Jacques Doniol-Valcroze, André Bazin e Lo Duca – Truffaut criticava o cinema francês da época, voltado para adaptações de obras literárias e entretenimento, assim como questionava a “realidade” cinematográfica. Tendo Bazin como mestre, Truffaut defendia a política de autor, que desmentia a visão de que o cinema é a realidade e que era responsabilidade do diretor construir essa “realidade – a

um garoto de 14 anos.diegese . Ele acreditava que o cinema francês deveria servir de resistência a cultura americana que estava suprimindo a cultura francesa. Um dos primeiros marcos da Nouvelle Vague. lançado em 1959. Os Incompreendidos ganhou o prêmio de melhor direção no Festival de Cannes de 1959. Truffaut se valia de planos mais longos e planos-sequências. mas que não comprometeu a revolução estética da obra. Contrapondo a linguagem clássica hollywoodiana. filmado em locações reais e modestas. O filme é quase uma autobiografia do próprio François Truffaut. . ao Oscar e ao BAFTA (British Academy of Film and Television Arts). Os Incompreendidos foi produzido com escassos recursos.fílmica. conta a história do parisiense Antoine Doinel. além das indicações à Palma de Ouro de Cannes. Os Incompreendidos. ao invés da montagem acelerada e do plano/contra-plano.