Você está na página 1de 47

1

Química Inorgânica e Mineralogia

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOREstudo dos Elementos Representativos da Tabela Periódica O ESTUDO DO HIDROGÊNIO 1. O elemento O

O ESTUDO DO HIDROGÊNIO

DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR O ESTUDO DO HIDROGÊNIO 1. O elemento O hidrogênio não se encaixa

1.

O elemento

O

hidrogênio não se encaixa muito bem na tabela periódica. Ele é algumas vezes colocado no início dos metais

alcalinos no Grupo 1, considerando que o hidrogênio e os metais alcalinos possuem somente um elétron de valência. Entretanto, esta posição não é inteiramente satisfatória quando consideramos as propriedades químicas e físicas dos elementos. Em particular, o hidrogênio não é um metal sob condições normais. Para alcançar uma forma metálica, o hidrogênio deve ser submetido a pressões muito altas. As pressões necessárias ainda não foram alcançadas em laboratório, mas os valores estão se aproximando das pressões necessárias. O hidrogênio pode ser metálico no centro de Júpiter. Menos freqüentemente, o hidrogênio é colocado acima dos halogênios no Grupo 17 ou VII A, considerando que, como os halogênios, requer um elétron para completar sua camada de valência, e, como veremos, realmente há algumas comparações entre as suas propriedades e as halogênios.

O hidrogênio é o elemento químico mais abundante do Universo, existindo nas estrelas em grande quantidade no

estado de plasma. Aparece também em milhões de substâncias, como por exemplo, na água e nos compostos denominados orgânicos, e é capaz de reagir com a maioria dos elementos. O núcleo do isótopo mais abundante é formado por um único próton e nenhum nêutron. Entretanto, existem outros dois isótopos: o deutério, que tem um nêutron e o trítio que tem dois. Em 2001 e 2003 foram criados, respectivamente, os isótopos 5 H e 7 H.

O hidrogênio é o elemento químico mais leve, possuindo o seu isótopo mais abundante um único par próton-eletron.

Nas condições normais de pressão e temperatura forma um gás diatômico, H 2 com um ponto de ebulição de 20,27 K (252,88 ºC) e um ponto de fusão de 14,02 K (-259,13 ºC). Submetidas à alta pressão, tal como ocorre no núcleo das estrelas gigantes gasosas, as moléculas mudam sua natureza e o hidrogênio se torna um líquido metálico. Quando submetido a pressão muito baixa, como no espaço, o hidrogênio tende a existir na forma de átomos individuais, simplesmente porque é muito pequena a probabilidade de que se combinem, entretanto, quando isso acontece

podem formar nuvens de H 2 que se asociam para a criação das estrelas.

Este elemento tem uma função fundamental no universo, já que através da fusão estelar (combinação de átomos de hidrogênio resultando átomos de hélio) ocorre liberação de uma imensa quantidade de energia.

2. Propriedades nucleares

Ha três isótopos de hidrogênio: o próprio hidrogênio ( 1 H), o deutério (D, 2 H) e o trício (T, 3 H); o trício e radioativo. Os três isótopos são os únicos a apresentar nomes diferentes, refletindo as diferenças significativas em suas massas e nas propriedades químicas que derivam da massa, como as velocidades das reações de quebra de ligação. As propriedades distintas dos isótopos os tornam úteis como marcadores, os quais são isótopos que podem ser seguidos através de uma série de reações, por espectroscopia no infravermelho (IV) ou RMN, por exemplo. O trício e algumas vezes preferido como marcador porque ele pode ser detectado por sua radioatividade, que é uma sonda bem mais sensível do que a espectroscopia.

O isótopo mais leve, 1 H (às vezes chamado de prótio) é sem dúvida o mais abundante. O deutério possui abundância

variável natural, com um valor médio de cerca de 0,016%. Nem o 1 H nem o 2 H são radioativos, mas o trício decai pela perda de partícula (β para produzir um isótopo de hélio raro, mas estável):

para produzir um isótopo de hélio raro, mas estável ): → + β - A meia-vida

produzir um isótopo de hélio raro, mas estável ): → + β - A meia-vida para

+ β -

A meia-vida para este decaimento e de 12,4 anos. A abundância do trício de 1 em 10 21 átomos de hidrogênio nas águas superficiais reflete um estado estacionário entre a sua produção por bombardeamento de raios cósmicos na atmosfera superior e a sua perda por decaimento radioativo. Entretanto, a baixa abundância natural do isótopo é aumentada artificialmente pelo fato de ele ter sido produzido em uma quantidade desconhecida pelo uso de bombas termonucleares. Esta síntese usa os nêutrons de um reator de fissão e Li como alvo:

termonucleares. Esta síntese usa os nêutrons de um reator de fissão e Li como alvo: +

+

termonucleares. Esta síntese usa os nêutrons de um reator de fissão e Li como alvo: +

termonucleares. Esta síntese usa os nêutrons de um reator de fissão e Li como alvo: +

+

termonucleares. Esta síntese usa os nêutrons de um reator de fissão e Li como alvo: +

-

Profa. Cláudia Valle

2

Química Inorgânica e Mineralogia

3. Propriedades físicas

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

As propriedades físicas e químicas de moléculas substituídas isotopicamente são em geral muito similares. Entretanto, o mesmo não é verdadeiro quando o H é substituído por D, pois a massa do átomo substituído e duplicada. Por exemplo, a Tabela 1 mostra que as diferenças nos pontos de ebulição e nas entalpias de ligação são facilmente mensuráveis para 2 H e D. A diferença no ponto de ebulição entre H 2 O e D 2 O reflete a maior forca da ligação hidrogênio O ••• D—O comparada com aquela da ligação O ••• H—O.

Tabela 1 - O efeito da deuteração nas propriedades físicas.

 

H 2

D 2

H 2 O

D 2 O

Ponto de ebulição normal/°C Entalpia media de ligação/(kJ mol-1)

-252,8

-249,7

100,00

101,42

436,0

443,3

463,5

470,9

Freqüentemente as velocidades das reações são mensuravelmente diferentes para os processes onde as ligações EH e ED são quebradas, formadas, ou rearranjadas. A detecção deste efeito cinético isotópico freqüentemente pode suportar um mecanismo de reação proposto. Os efeitos cinéticos isotópicos são freqüentemente observados quando um átomo de H e transferido de um átomo para outro em um complexo ativado. O efeito na velocidade quando ocorre esta transferência de átomo e chamado de efeito isotópico primário, e a transferência do átomo de D pode ser ate dez vezes mais lenta do que a transferência do átomo H. Por exemplo, a redução eletroquímica do

H + (aq) a H 2 (g) ocorre com um substancial efeito isotópico, com o H 2 sendo liberado mais rapidamente. Uma conseqüência pratica da diferença nas velocidades de formação de H 2 e D 2 e que D 2 O pode ser concentrado eletroliticamente. Um efeito isotópico secundário substancial pode ocorrer quando o H não é transferido. Por exemplo,

a velocidade de hidrolise da ligação CrNCS da trans-[Cr(NCS) 4 (NR 3 ) 2 ] - é duas vezes mais rápida quando os

ligantes são ND 3 do que quando eles são NH 3 , embora nenhuma ligação NH seja quebrada na reação. Este efeito é descrito por uma mudança na força da ligação hidrogênio NH•••O entre o complexo e o solvente, e o efeito dessa ligação na facilidade com a qual o ligante NCS - é capaz de se separar do sítio Cr(III). A velocidade é maior para o D do que para o H porque as ligações N—D•••O são mais fortes do que as ligações N—H•••O.

Pelo fato de que as freqüências das transições entre os níveis vibracionais dependem das massas dos átomos, elas são fortemente influenciadas pela substituição do H pelo D. O isótopo mais pesado resulta em uma menor freqüência 2 Inúmeras vezes os químicos inorgânicos tiram vantagem deste efeito isotópico observando o espectro IV dos isotopômeros (moléculas que diferem em sua composição isotópica) para determinar se uma transição infravermelha envolve movimento significativo do hidrogênio.

Outra propriedade importante do núcleo do hidrogênio é o seu spin, 1/2, amplamente utilizado em RMN (os spins nucleares do D e do T são 1 e 1/2, respectivamente). O RMN de próton é útil para detectar a presença de átomos H em um composto e para identificar os átomos aos quais o hidrogênio esta ligado pela observação do deslocamento químico ou do acoplamento spin-spin com outro núcleo.

Os três isótopos de hidrogênio H, D e T possuem grandes diferenças em suas massas atômicas e spin nuclear, que dão origem a mudanças facilmente detectadas no espectro IV, Raman e RMN de moléculas contendo estes isótopos.

4. Propriedades e reações do di-hidrogênio

, mais informalmente e daqui em diante

"hidrogênio". A molécula H 2 tem uma entalpia de ligação alta (436 kJ mol -1 ) e um comprimento de ligação curto (0,74 A). Como possui poucos elétrons, as forças entre as moléculas de H 2 vizinhas são fracas, e a 1 atm. o gás condensa em um liquido somente quando resfriado a 20 K.

A forma estável do hidrogênio elementar sob condições normais e o di-hidrogênio,

H 2

Produção:

Em laboratório é obtido mediante a reação de ácidos com metais como o zinco e industrialmente pelo processo da eletrólise da água, entretanto, os pesquisadores estão investigando outros métodos como a intervenção de algas verdes para a obtenção do hidrogênio. O hidrogênio é empregado na produção de amoníaco, como combustível alternativo, e recentemente para o fornecimento de energia às células de combustíveis.

O hidrogênio molecular não esta presente em quantidades significativas na atmosfera da Terra ou em depósitos de

gas subterrâneo, mas ele e produzido em quantidades enormes para satisfazer as necessidades da indústria. O

Profa. Cláudia Valle

3

Química Inorgânica e Mineralogia

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

processo comercial principal para a produção do hidrogênio e atualmente a reforma a vapor, a reação catalisada da água com hidrocarbonetos (geralmente metano do gás natural) a altas temperaturas:

CH 4 (g) + H 2 O(g) CO(g) + 3H 2 (g)

Uma reação similar, mas com coque como agente redutor, e algumas vezes chamada de reação do gás de d’água:

C(s) + H 2 O(g) CO(g) + H 2 (g)

Esta reação já foi à fonte primária de H 2 e ela pode tornar-se importante novamente quando os hidrocarbonetos naturais se esgotarem. Ambas as reações são geralmente seguidas por uma segunda reação, freqüentemente chamada de reação de deslocamento, na qual a água e reduzida a hidrogênio pela reação com o monóxido de carbono:

CO(g) +

H 2 O(g) CO 2 (g) + H 2 (g)

5. Classificação dos compostos de hidrogênio

A Figura 1 resume a classificação dos compostos binários de hidrogênio e sua distribuição na tabela periódica. O ponto principal desta classificação é enfatizar as tendências principais nas propriedades. De fato, há uma graduação dos tipos estruturais e alguns elementos formam compostos com o hidrogênio que não se enquadram estritamente em nenhuma categoria. As três classes de compostos binários de hidrogênio que consideraremos são:

1. Compostos covalentes ou moleculares, compostos binários de um elemento e hidrogênio na forma de moléculas individuais, discretas.

2. Hidretos iônicos ou salinos, sólidos não-voláteis, eletricamente não-condutores e cristalinos.

3. Hidretos metálicos, sólidos não-estequiométricos e eletricamente condutores.

sólidos não-estequiométricos e eletricamente condutores. Figura 1 - Classificação dos compostos binários de

Figura 1 - Classificação dos compostos binários de hidrogênio dos elementos do bloco s, p e d. Embora alguns elementos do bloco d, como ferro e rutênio, não formem hidretos binários, eles formam complexos metálicos contendo o ligante hibrido.

5.1. Compostos covalentes ou moleculares

Compostos moleculares de hidrogênio são comuns para os elementos eletronegativos dos grupos 13/III A ao 17/VII A e exemplos incluem B 2 H 6 , CH 4 , NH 3 , H 2 O e HF.

(a) Nomenclatura e classificação

Os nomes sistemáticos dos compostos moleculares de hidrogênio são formados a partir do nome do elemento e o sufixo-ano, como em fosfano para PH 3 . Entretanto, os nomes mais tradicionais, como fosfina e sulfeto de hidrogênio (H 2 S, sulfano) ainda são amplamente usados (Tabela 2). Os nomes não-sistemáticos amônia e água são universalmente usados em vez de seus nomes sistemáticos azano e oxidano.

É conveniente classificar os compostos moleculares de hidrogênio em três categorias:

Profa. Cláudia Valle

4

Química Inorgânica e Mineralogia

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

1. Em um composto com número exato de elétrons, todos os elétrons de valência do átomo central estão envolvidos nas ligações.

2. Em um composto deficiente em elétrons, há poucos elétrons para que possa ser escrita uma estrutura de Lewis para a molécula.

3. Em um composto rico em elétrons, há mais pares de elétrons no átomo central do que o necessário para a formação da ligação.

Tabela 2 - Alguns compostos moleculares de hidrogênio.

 

Grupo

Fórmula

Nome tradicional

Nome IUPAC

 

13/III A

B 2 H 6

Diborano

Diborano(6)

14/IV A

CH 4

Metano

Metano

 

SiH 4

Silano

Silano

GeH 4

Germano

Germano

SnH 4

Estanano

Estanano

 

15/V A

NH 3

Amónia

Azano

 

PH 3

Fosfina

Fosfano

AsH 3

Arsina

Arsano

 
 
 

SbH 3

Estibina

Estibano

 

16/VI A

H 2 O

Água

Oxidano

 

H 2 S

Sulfeto de hidrogênio

Sulfano

H 2 Se

Seleneto de hidrogênio

Selano

H 2 Te

Telureto de hidrogênio

Telano

 

17/VII A

HF

Fluoreto de hidrogênio

Fluoreto de hidrogênio

 

HCl

Cloreto de hidrogênio

Cloreto de hidrogênio

 
   
 
 

HBr

Brometo de hidrogênio

Brometo de hidrogênio

 

Hl

Iodeto de hidrogênio

Iodeto de hidrogênio

Os hidrocarbonetos, como metano e etano, são compostos com número de elétrons exatos; assim também são o silano, SiH 4 , e o germano, GeH 4 . Todas essas moléculas são caracterizadas pela presença de ligações de dois centros, dois elétrons (ligações 2c, 2e) e a ausência de pares isolados no átomo central.

O diborano, B 2 H 6 é um exemplo de um composto deficiente em elétrons. Sua estrutura de Lewis requereria no mínimo

14 elétrons de valência para manter os oito átomos juntos, mas a molécula possui somente 12 elétrons de valência. A explicação mais simples de sua estrutura é a presença de ligações 3c, 2e BHB atuando como pontes entre os dois átomos B; assim, dois elétrons podem ajudar a ligar os três átomos. Compostos de hidrogênio deficientes em elétrons são comuns para o boro e o alumínio.

Compostos ricos em elétrons são formados pêlos elementos do grupo 15/V A até o 17/VII A. A amônia, NH 3 , com um par isolado no nitrogênio, e a água, H 2 O, com dois pares isolados no oxigênio, são exemplos. Estes tipos de moléculas geralmente exibem basicidade de Lewis. Por exemplo, o composto rico em elétrons a trimetilamina, N(CH 3 ) 3 , reage com trifluoreto de boro para formar o complexo ácido-base de Lewis trimetilamina trifluoroborano, (H 3 C) 3 NBF 3 . Os haletos de hidrogênio, HF, HCI, HBr e HI, são um outro grupo importante de compostos ricos em elétrons.

Compostos moleculares de hidrogênio são classificados como ricos em elétrons, com números de elétrons exatos, ou deficientes em elétrons, como descrito anteriormente.

(b) Aspectos gerais das propriedades

As formas dos compostos com número de elétrons exatos e dos ricos em elétrons podem ser previstas pelas regras

da RPECV (Teoria da Repulsão dos Pares Eletrônicos da Camada de Valência). Então, o CH 4 é tetraédrico (6), o NH 3

é piramidal (7), o H 2 O é angular (8) e o HF é necessariamente linear. Entretanto, as regras simples da RPECV não indicam a mudança considerável no ângulo de ligação entre o NH 3 e seus análogos mais pesados, ou entre H 2 O e seus análogos do Grupo 16/VI A. Pois, os ângulos de ligação do NH 3 e do H 2 O são levemente menores do que o ângulo tetraédrico, mas para seus análogos mais pesados o ângulo de ligação é tão pequeno quanto 90°.

Profa. Cláudia Valle

5

Química Inorgânica e Mineralogia

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

Uma conseqüência importante da presença simultânea de átomos altamente eletronegativos (N, O e F) e pares isolados em compostos ricos em elétrons é a possibilidade de formar ligações hidrogênio. Uma ligação hidrogênio consiste em um átomo de H entre átomos de elementos não-metálicos mais eletronegativos. Esta definição inclui as ligações hidrogênio amplamente reconhecidas NH•••N e OH•••O, mas exclui as pontes BHB nos hidretos de boro, porque o boro não é mais eletronegativo do que o hidrogênio.

5.2. Hidretos iônicos ou salinos

A altas temperaturas, os metais do Grupo 1 e os metais mais pesados do Grupo 2 (Ca, Sr e Ba) formam hidretos

iônicos tais como NaH e CaH 2 . Esses compostos são sólidos com elevados ponto de fusão, e são classificados como hidretos iônicos (salinos). Esse tipo de hidreto só é formado por elementos que tenham eletronegatividade significativamente menores que o valor 2,1 do hidrogênio, de modo a favorecer a abstração de um elétron do metal pelo hidrogênio, com formação de M + e H - .

A densidade desses hidretos é maior que a do correspondente metal de que são formados. Isso pode ser explicado

pelo fato dos íons H + ocuparem os interstícios no retículo cristalino do metal, sem provocar distorções no mesmo. Os hidretos iônicos apresentam elevados calores de formação e são sempre estequiométricos. Os hidretos do Grupo 1 são mais reativos que os correspondentes hidretos do Grupo 2. Além disso, a reatividade aumenta de cima para baixo dentro do grupo.

O íon hidreto H - não é um íon muito comum e é instável em água. Todos os hidretos iônicos reagem com água

formando hidrogênio. Eles são agentes redutores fortes, especialmente a temperaturas elevadas, embora sua reatividade com a água limite sua utilidade. O NaH apresenta diversos usos como agente redutor em química sintética. Ele é utilizado para obter outros hidretos importantes, especialmente o hidreto de alumínio e lítio Li[AlH 4 ] e o borohidreto de sódio Na[BaH 4 ]. Ambos são muito utilizados como agentes redutores tanto em síntese orgânica como inorgânica.

5.3. Hidretos metálicos

Muitos dos elementos do bloco d e os elementos das séries dos lantanídeos e dos actinídeos, no bloco f, reagem com H 2 e formam hidretos metálicos. Contudo, os elementos situados na região intermediária do bloco d não formam hidretos. A ausência de hidretos nessa parte da Tabela Periódica é às vezes denominada ―lacuna do hidrogênio‖. Esses hidretos geralmente apresentam propriedades semelhantes àquelas dos metais correspondentes: eles são duros, conduzem a corrente elétrica, apresentam brilho metálico e apresentam propriedades magnéticas. Esses hidretos são menos densos que os correspondentes metais porque o retículo cristalino se expande com a inclusão do hidrogênio.

Os hidretos metálicos são geralmente preparados aquecendo-se o metal com o hidrogênio sob pressão elevada (quando aquecidos a temperaturas mais altas os hidretos se decompõem, essa propriedade pode ser utilizada como um método conveniente para a preparação de hidrogênio de elevada pureza). Em muitos casos, os compostos não

são estequiométricos, por exemplo LaH n , TiH n e PdH n , nos quais a composição química é variável. Composições

Esses compostos foram

típicas apara esse tipos de compostos são LaH 2,87 , YbH 2,55 , TiH 1,8 , ZrH 1,9 , NbH 0,7 , etc

inicialmente denominados hidretos intersticiais. Pois, se imaginava que um número variável de posições intersticiais do retículo poderiam estar sendo preenchidos pelo hidrogênio. As ligações que ocorrem nesses hidretos é mais complicada do que se supunha inicialmente, e é ainda hoje um motivo de controvérsias.

5.4. Hidretos Intermediários

Alguns poucos hidretos não se enquadram nas classificações dadas acima. Por exemplo: o (BeH 2 ) n é polimérico, e supõem-se que ele seja uma cadeia polimérica com átomos de hidrogênio em ponte. O MgH 2 apresenta propriedades intermediárias entre aquelas dos hidretos iônicos e dos hidretos covalentes. CuH, ZnH 2 , CdH 2 e HgH 2 também

possuem propriedades intermediárias entre as dos hidretos metálicos e dos hidretos covalentes. Provavelmente, eles são deficientes em elétrons como (AlH 3 ) n . A reação de formação do CuH é endotérmica, isto é, é preciso fornecer

com ácido hipofosforoso. Os hidretos de Zn e Cd e

energia para formar o composto. Ele é obtido reduzindo-se Cu Hg são obtidos reduzindo-se os respectivos cloretos com Li[AlH 4 ].

2+

Profa. Cláudia Valle

6

Química Inorgânica e Mineralogia

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

História

O hidrogênio ( do francês Hydrogène, do grego hydros, água e gennein, gerar ) foi reconhecido como um elemento

químico em 1776 por Henry Cavendish; mais tarde Antoine Lavoisier daria o nome pelo qual o conhecemos.

Formas

Em condições normais, o gás hidrogênio é uma mistura de dois tipos diferentes em função da direção do spin de seus elétrons e núcleos. Estas formas são conhecidas como orto- e para-hidrogênio. O hidrogênio normal é composto por 25% da forma para- e 75% da forma orto-. Ambas as formas têm energias ligeiramente diferentes, o que provoca propriedades físicas não idênticas; como por exemplo, a forma para- tem pontos de fusão e ebulição 0,1 K mais baixas que a forma orto-.

Abundância e obtenção

O hidrogênio é o elemento mais abundante, constituindo 75% da massa e 90% dos átomos do universo. Encontra-se

em abundância nas estrelas e nos planetas gigantes gasosos, entretanto, na atmosfera terrestre é encontrado numa quantidade pequena, aproximadamente de 1 ppm em volume.

A fonte mais comum de hidrogênio é a água, composta por dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio (H 2 O). Outra fonte importante são as substânicas formadas principalmente de carbono e hidrogênio que são os compostos orgânicos, incluindo todas as formas de vida conhecidas, os combustíveis fósseis e o gás natural. O metano, produto da decomposição orgânica, está adquirindo uma crescente importância como fonte de hidrogênio.

O hidrogênio pode ser obtido de várias formas:

Eletrólise da água; atualmente se investiga a fotólise da água;

Reação de hidrocarbonetos com vapor de água;

Aplicações

Industrialmente são necessárias grandes quantidades de hidrogênio, principalmente no processo de Haber para a obtenção de amoníaco, na hidrogenação de graxas e azeites e na obtenção de metanol. Outros usos que podem-se citar são:

O hidrógeno líquido apresenta aplicações criogênicas, incluindo a investigação da supercondutividade;

Devido a sua leveza era usado como gás de enchimento de balões e dirigíveis; após o desastre do dirigível Hindenburg abandonou-se seu uso devido sua grande inflamabilidade;

O trítio é produzido nas reações nucleares e é empregado na construção de bombas de hidrogênio. Também se utiliza como fonte de radiação em pinturas luminosas e como marcador nas ciências biológicas;

O deutério possui aplicações nucleares como moderador, como constituinte da água pesada;

O hidrogênio pode ser usado em motores de combustão interna. Uma frota de automóveis com motores deste tipo é

mantida na atualidade pela Chrysler-BMW. Afinal, as células de combustível em desenvolvimento parecem que serão capazes de oferecer uma alternativa limpa e econômica aos motores de combustão interna.

Precauções

Explosão do hidrogênio no Hindenburg.

O hidrogênio é um gás extremamente inflamável. Reage violentamente com o flúor e o cloro, especialmente com o

primeiro, com o qual a reação é tão rápida e imprevisível que não se pode controlar. Também é perigosa sua despressurização rápida, já que diferentemente dos outros gases, a sua expansão acima de -40 ºC ocorre com aquecimento, podendo inflamar-se.

Profa. Cláudia Valle

7

Química Inorgânica e Mineralogia

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

ESTUDO DA COLUNA 1 A - METAIS ALCALINOS

1) IDENTIFICAÇÃO

Elementos: Li, Na, K, Rb, Cs e Fr Elementos mais comuns: Na e K

Alcalinos do árabe: alquili = cinza

2) PROPRIEDADES FÍSICAS e QUÍMICAS

a) Apresentam 1 e - no último nível.

b) Tendência em ceder este elétron, tornando-se íon (Cátion).

c) Estável - configuração eletrônica dos gases nobres.

d) Baixa densidade (metais leves) {Li, Na e K, menos densos que a água}.

e) Cada metal alcalino apresenta o elemento de maior raio atômico entre os elementos do mesmo período.

f) PF baixo (exceto o Li) todos sofrem fusão 100 o C.

g) Estrutura iônica.

h) Elementos mais eletropositivos, funcionando como monovalentes nos seus compostos.

i) Sais bastante solúvel em água - usados (Na e K) como reagentes químicos.

j) O lítio é usado na medicina para tratamento da Síndrome Maníaco depressivo‖.

3) PROPRIEDADES QUÍMICAS

1) Elementos químicos muito reativos em contato com o ar perdem rapidamente o brilho, formando os óxidos correspondentes:

Ex:

K

+

O 2

2

K

+

½ O 2

K 2 O

2) Reagem com os não metais (halogênios, calcogênios, Ex: N, P) formando os compostos iônicos correspondentes.

Ex:

a )

F 2 (halogênio)

b) 6 Rb + N 2 2 Rb 3 N

2 Li

+

2 LiF

ou

Li

+

½ F 2

LiF

3) Quando aquecidos em atmosfera de hidrogênio (H 2 ) formam os respectivos hidretos.

Ex:

2 Na

+

H 2

2 NaH

4) Metais alcalinos reagem violentamente com a água formando os hidróxidos correspondentes e desprendimento de hidrogênio.

Ex:

Li

+

H 2 O

LiOH

+

½

H 2

Obs: O Rubídio e o Césio chegam a explodir.

5) Reagem violentamente com os ácidos, formando os sais correspondentes e desprendimento de hidrogênio.

Ex:

2 Na

SÓDIO: [ (Na)

Z

=

+

H 2 SO 4

11 ]:

Na 2 SO 4

+

H 2

Características:

Possue baixa densidade, d = 0,97.

Possue baixo P.F ( 97,5 o C ).

6 o elemento em abundância na crosta terrestre.

Metal branco prateado, brilhante, pode ser cortado.

Obs: O sódio e o potássio são considerados os elementos mais comuns da T.P.

Obs: O Na é guardado em frascos contendo óleo para não haver oxidação ao ar.

Emprego:

Matéria - prima na fabricação do chumbo tetraetila. Células fotoelétricas de TV. Obtenção de hidrocarbonetos pelo método de Wurtz. Lâmpadas de vapor de sódio.

Obtenção:

A partir do hidróxido de sódio fundido ou do cloreto de sódio fundido.

O cloreto de sódio (NaCl) é um dos compostos mais abundantes, ocorrendo dissolvido na água do mar (sal marinho) e em jazidas da crosta terrestre (sal-gema), sob o mineral halita.

Profa.

Cláudia Valle

8

Química Inorgânica e Mineralogia

A partir do NaOH por (Eletrólise).

corrente elétrica

NaOH

Na +

+

OH -

Na + +

1 e -

Na 0

A partir do NaCl (Célula de Down).

 
 

corrente elétrica

 

NaCl

800 o C

Na +

+

Cl -

Na + +

1 e -

Na 0

PROPRIEDADES QUÍMICAS DO SÓDIO:

a)

2 Na

+

O 2

Na 2 O

b) Reage com F , Cl, Br, I, Te, N e P

c) P

Na

+

Na 3 P

d) N Na 3 N

Na

+

e) Na + H 2 NaH (hidreto)

f) Na

+

H 2 O NaOH

+

H 2

COMPOSTOS DO SÓDIO:

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

a) Cloreto de sódio (NaCl) sal incolor, inodoro, e de sabor salgado, brilho vítreo.

P.F = 801 o C ; P.E = 1750 o C ; Densidade = 2,12 g/cm 3 ; Dureza= 2,5 ; Maior coeficiente de solubilidade = 357 g/L.

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

1) Reage com um sal formando 2 novos sais.

 

SAL

+

SAL

SAL

+

SAL

solúvel

solúvel

solúvel

insolúvel

Ex :

NaCl

+

AgNO 3

NaNO 3

+

AgCl

 

ppto.

Obs: Um sal solúvel reage com outro sal solúvel produzindo dois outros sais, desde que pelo menos um dos sais obtidos seja insolúvel

2) Reage com um ácido formando outro sal e outro ácido.

 

solúvel

fixo

insolúvel

volátil

Ex :

2 NaCl

+

H 2 SO 4

Na 2 SO 4

+

2 HCl

solúvel

forte

soúvel

fraco

Ex:

NaCN

+ HCl

NaCl

+ HCN

ONDE PODEMOS USAR O CLORETO DE SÓDIO:

Obs: Ácido produto deve ser fixo é o formado volátil. Sal produto deve ser insolúvel.

Obs: Ácido produto deve ser forte é o formado fraco. Sal produto deve ser solúvel.

Obtenção do hidróxido de sódio;

Obtenção de ácido clorídrico e outros compostos de sódio e cloro;

Na alimentação como conservante de carnes, peixes, etc;

Na fabricação do sabão.

b) Carbonato de sódio ( Na 2 CO 3 )

É um pó branco;

Solúvel em água;

P.F = 850 o C. Sal: possui a propriedade de formar vários sais hidratados:

Na 2 CO 3 . 10 H 2 O estável até 32 o C (decaidratado).

Na 2 CO 3 . 7 H 2 O estável até

Na 2 CO 3

36 o C (heptaidratado).

H 2 O

estável até 107 o C (acima de 107 o C torna-se anidro, ou seja, sem água).

.

Profa. Cláudia Valle

9

Química Inorgânica e Mineralogia

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

Em solução tratado por excesso de gás carbônico transforma - se

no bicarbonato de sódio.

Na 2 CO 3

+

H 2 O

+

CO 2

2 NaHCO 3

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

NaHCO 3

+ H 2 O H 2 CO 3

+ Na +

CO 2

+ H 2 O

+ OH -

1) Reage com outro sal formando 2 novos sais .

Ex:

2 Na 2 CO 3

+

Pb( NO 3 ) 2

2 NaNO 3

+

PbCO 3 ppto.

2) Em solução tratado por excesso de gás carbônico transformando - se no bicarbonato de sódio.

CO 2

3) Reage com uma base formando outro sal e outra base.

Ex:

Na 2 CO 3

+

H 2 O

+

2 NaHCO 3

 

SAL

+

BASE

SAL

+

BASE

Ex :

solúvel Na 2 CO 3

+

Ca(OH) 2

insolúvel CaCO 3

+

2 NaOH

* Sal produto insolúvel.

ONDE PODE SER USADO:

obtenção

fabricação de sabão, de vidro;

matéria - prima na preparação do bicarbonato de sódio;

fabricação de papel.

de sais de sódio;

c) Hidróxido de sódio ( NaOH ):

sólido

branco

solúvel em água

cristalino

iônico

P.F =

322 o C

Base : solúvel em água, sendo sua dissolução acompanhada de

um grande desprendimento de calor. Base forte e muito importante, muito corrosiva, daí o nome soda cáustica, pois corrói tecidos animal e vegetal, até mesmo o vidro.

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

1) Reage com um ácido formando sal e água.

Ex :

BASE

+

ÁCIDO

SAL

NaOH

+

HCl

NaCl

+

NaOH

+

HI

NaI

+

2 NaOH

+

H 2 SO 4

Na 2 SO 4

+

2 O

O

H

H 2

ÁGUA

+

2 H 2 O

2) Reage com um sal formando outra base e outro sal.

 

BASE

+

SAL

BASE

+

SAL

Ex:

2 NaOH

+

FeCl 2

Fe (OH) 2

+

2 NaCl

3) Reage com os halogênios, formando

2 sais

e água.

Ex :

2 NaOH

+

Cl 2

NaCl +

NaClO +

H 2 O

( á frio e em solução diluída)

 

hipoclorito de sódio

 

6 NaOH

+

3 Cl 2

5 NaCl

+

NaClO 3

+

3 H 2 O ( á quente e em solução concentrada)

clorato de sódio

Profa. Cláudia Valle

10

Química Inorgânica e Mineralogia

ONDE PODE SER USADO:

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

fabricação de sabões e sabonetes; curtimento de couro; obtenção de sais de sódio.

d) Nitrato de sódio ( NaNO 3 ):

Sal - é o salitre do Chile. Forma cristais do sistema cúbico, muito solúvel em água. P.F = 316 o C com decomposição.

NaNO 3

2 NaNO 3

NaNO 2

+

2 NaNO 2

½ O 2

+

O 2

ONDE PODE SER USADO:

Devido a esta propriedade, é usado como oxidante.

Como fertilizante;

Na fabricação de explosivos e fogos de artifício;

Na obtenção do HNO 3 , NaNO 2 e outros sais de sódio;

Na conservação de carnes.

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

1)

2)

NaNO 3 NaNO 2

2 NaNO 3 + H 2 SO 4 Na 2 SO 4 + 2 HNO 3

+ ½ O 2 (desprendimento)

POTÁSSIO [ ( K ), ( Z = 19 ) ]

Metal prateado , brilhante , propriedades semelhantes às do sódio. Descoberto em 1807 por Humphry Davy.

Configuração - 1s 2 2s 2 2p 6 3s 2 4s 1

 

Reage com a água

:

2 K

+

2 H 2 O

2 KOH

+

P.

F baixo = 62,3 o C

; P. E = 760 o C

 

7 o elemento em abundância na crosta terrestre.

H 2

O K e seus compostos são muito usados como fertilizantes.

OBTENÇÃO:

Eletrólise do hidróxido de potássio fundido, ou do cloreto de potássio fundido.

c. elétrica

KOH

K +

+

OH -

K +

+

1 e -

K

c . elétrica

 

KCl

K +

+

Cl -

K +

+

1e -

K

COMPOSTOS DE POTÁSSIO:

a) Cloreto de potássio ( KCl )

Sal: ocorre na forma

de silveirita (KCl) e de carnalita no MgCl 2 KCl . 6H 2 O

ONDE É USADO:

Como fertilizante; Na obtenção de outros sais de potássio.

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

1) Cloreto de potássio reage

Ex: KCl

+ AgNO 3 KNO 3

com um sal + AgCl

formando 2 novos sais .

Profa. Cláudia Valle

11

Química Inorgânica e Mineralogia

Estudo

2) Reage com um ácido , formando outro sal e outro ácido .

Ex: 3 KCl

+

H 3 PO 4

K 3 PO 4

+ 3HCl ( volátil )

b) Carbonato de potássio ( K 2 CO 3 )

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

Pó branco;

Solúvel em água;

Forma vários sais hidratados: K 2 CO 3 .3 H 2 O; K 2 CO 3 2 H 2 O; K 2 CO 3 .H 2 O

Usado durante muito tempo para fins de limpeza , sendo substituído posteriormente pelos sabões;

Nome comercial: Potassa.

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

1) Em solução , tratado com excesso de gás carbônico , forma o bicarbonato de potássio.

Ex: K 2 CO 3 +

H 2 O

+

CO 2

2 KHCO 3

2) Reage com uma base , formando outro sal e outra base.

Ex

:

K 2 CO 3

+

Ca ( OH ) 2

CaCO 3 insolúvel

+

2 KOH

ONDE É USADO:

Fabricação de sabões, vidros

Obtenção de ompostos de potássio, etc.

Base forte em laboratório.

c) Hidróxido de potássio ( KOH ):

Base :

sólido branco , cristalino, iônico, solúvel em água;

é uma base forte;

é muito corrosivo , daí o nome potassa cáustica.

Possui um comportamento químico semelhante ao do hidróxido de sódio.

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

1) Reage com um ácido formando sal e água.

Ex:

KOH

+

HNO 3 KNO 3 +

H 2 O

2) Reage com um sal , formando outra

Ex:

3 KOH

+

AlBr 3

Al ( OH ) 3

+

base e outro sal.

3 KBr

d) Nitrato de potássio ( KNO 3 )

Sal:

Maior aplicação: indústria de explosivos.

Quando aquecido se decompõe: 2 KNO 3 2 KNO 2 + O 2

Devido a essa propriedade, é usado como oxidante.

É usado também como fertilizante.

Profa. Cláudia Valle

12

Química Inorgânica e Mineralogia

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

1) Quando aquecido , se decompõe:

2 KNO 3

2 KNO 2 +

O 2

nitrito de potássio

2) Reage com um ácido , formando outro sal e outro ácido ( volátil )

Ex:

3 KNO 3

+

H 3 BO 3

K 3 BO 3

borato de potássio

+

3 HNO 3

ácido bórico

ESTUDO DA COLUNA 2A - METAIS ALCALINOS TERROSOS

1) IDENTIFICAÇÃO

Elementos: Berílio, Magnésio, Cálcio, Estrôncio, Bário e Rádio. Elementos mais comuns: Mg e Ca.

2) PROPRIEDADES FÍSICAS e QUÍMICAS

Apresentam dois elétrons no nível de valência

Tendência em ceder esses 2 elétrons, tornando - se íons, adquirindo uma configuração eletrônica semelhante a dos gases nobres.

Grande reatividade química - íons bivalentes na formação de seus compostos.

Raio atômico menor do que o do metal alcalino correspondente.

3) PROPRIEDADES QUÍMICAS

1) Reagem com a água ( à frio ), formando o hidróxido correspondente e desprendimento de hidrogênio.

Ex :

Ba

Be faz exceção; Mg à frio a reação é lenta , a 100 o C , ainda reage lentamente, aquecido

+

2

H 2 O

Ba (OH) 2

+

H 2

em

corrente de vapor de água a reação é rápida.

2) Quando exposto ao seco, imediatamente se recobrem com uma camada de óxido.

Ex :

Sr

+

½ O 2

SrO

( Be

e

Mg não se

alteram )

3) Aquecidos em atmosfera de hidrogênio, formam os respectivos hidretos ( compostos iônicos , cristalinos, totalmente decompostos pela água ( à frio ).

Ex :

Ca

CaH 2

+

+

H 2

2

H 2 O

CaH 2

Ca(OH ) 2

2 H 2

+

MAGNÉSIO [ ( Mg ) ;

( Z = 12 ) ]

Obs: Be e Mg não reagem com hidrogênio.

Metal branco, prateado, brilhante

8 o elemento em abundância na crosta terrestre

P. F = 633 o C

P. E = 1000 o C Obtenção:

Eletrólise da carnalita fundida ou de uma mistura de MgCl 2 e NaCl fundidos.

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

1) Quando exposto

ao ar seco , não se altera a temperatura comum , mas , aquecido se inflama com chama

intensa formando o óxido de magnésio.

Profa. Cláudia Valle

13

Química Inorgânica e Mineralogia

 

Ex: Mg

+

½ O 2

MgO

ou

2

Mg

+

O 2

Estudo

2 MgO

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

2) Reage com os ácidos , formando os sal correspondente

Ex:

Mg

+

H 2 SO 4

MgSO 4

+

H 2

e desprendimento de hidrogênio.

3) Reage com os não metais , formando os sais binários correspondentes.

Ex :

Mg

+

Br 2

MgBr 2

COMPOSTOS DE MAGNÉSIO :

Obs: Calcinação = aquecimento muito intenso

a) Óxido de magnésio ( MgO ): Óxido básico:

Outras denominações: Magnésia ou magnésio calcinado, leite de magnésia.

Características:

 

É um pó branco , inodoro , pouco solúvel em água.

P.F elevado = 280 o C.

Devido à grande resistência ao aquecimento é usado na fabricação de tijolos, refratórios cadinhos, revestimento de fornos elétricos etc.

Em suspensão aquosa - leite de magnésio usado como anti - ácido, laxante brando, etc.

Obtenção:

1) Combustão do magnésio em presença do ar.

Ex:

MgO

Mg

+

½ O 2

2) Calcinação do carbonato de magnésio ou do hidróxido de magnésio:

Ex :

MgCO 3

MgO

+ CO 2

 

Mg( OH ) 2

MgO

+

H 2 O

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

1) Reage com a água , formando o hidróxido correspondente.

Ex : MgO

+

H 2 O

Mg (OH ) 2

2) Reage com os ácidos formando os sal correspondente

Ex: MgO

+

H 2 SO 4 MgSO 4

+

H 2 O

e água.

b) Sulfato de magnésio ( MgSO 4 ):

Ocorre dissolvido na água do mar, em águas minerais e também é encontrado em jazidas da crosta terrestre sob a forma hidratada. Ex: MgSO 4 . 7 H 2 O ( epsmita ), MgSO 4 . 6 H 2 O, MgSO 4 . H 2 O ( quiezerita )

ou

sob a forma de

sal duplo: MgSO 4 . KCl . 6 H 2 O

( cainita )

Obtenção: A partir da reação do CaCO 3 . MgCO 3 com o H 2 SO 4

CaCO 3 . MgCO 3

+

2

H 2 SO 4

CaSO 4

+ MgSO 4 +

2 H 2 CO 3

2 H 2 O + 2CO 2
2 H 2 O
+
2CO 2

Nomes comerciais: Sal de Epson e sal amargo.

Caraterísticas: Sólido, cristalizado, sabor amargo, solúvel na água.

Profa. Cláudia Valle

14

Química Inorgânica e Mineralogia

Onde é usado:

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

Na medicina como purgativo; Indústria de curtimento; Fabricação de sabões; Preparação de tintas.

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

1) Reage com um sal, formando 2 novos sais.

Ex:

MgSO 4

+

Pb( NO 3 ) 2

Mg( NO 3 ) 2

+ PbSO 4

2) Reage com uma base , formando outro sal e outra base.

Ex: MgSO 4

+

2 NaOH

Na 2 SO 4 +

Mg ( OH ) 2

CÁLCIO

[ ( Ca ) ; ( Z = 40 ) ]

Características:

Metal branco, prateado, brilhante, de baixa densidade ( leve ), 5 o elemento em abundância na crosta terrestre , P . F = 800 o C ; P . E = 1200 o C ; d = 1,55 Característica fundamental na constituição dos ossos e dos dentes.

Obtenção: Eletrólise do cloreto de cálcio.

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

1) Quando exposto ao ar seco , recobre - se com uma camada de óxido.

Ex :

Ca

+

½ O 2 CaO

2) Reage com água em reação rápida formando o hidróxido correspondente hidrogênio.

Ex:

Ca

+

H 2 O

Ca ( OH ) 2

+

H 2

3) Reage com os não metais formando os sais binários correspondentes.

Ex:

Ca

+

S

CaS

e desprendimento de

4) Aquecido em atmosfera de hidrogênio forma o respectivo hidreto.

Ex:

Ca

+

H 2

CaH 2

5) Reage com os ácidos formando os sais correspondentes e desprendimento de hidrogênio.

Ex: Ca

+ H 2 SO 4 + HCl

CaSO 4 +

Ca Cl 2

+

H 2

H 2

Ca

COMPOSTOS DO CÁLCIO:

a) Óxido de cálcio ( CaO ):

Óxido básico: Sólido branco, conhecido com os nomes de cal viva e cal virgem . P.F = 2 500 o C Obtenção: Decomposição térmica do carbonato de cálcio: CaCO 3 CaO + CO 2

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

1) Reage com a água formando o hidróxido correspondente.

Ex: CaO

+

H 2 O

Ca ( OH ) 2

2) Reage com os ácidos

Ex: CaO

formando os sais correspondentes

+

H 2 O

+

H 2 SO 3 CaSO 3

e água.

Profa. Cláudia Valle

15

Química Inorgânica e Mineralogia

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

3) Reage com os óxidos ácidos formando os sais correspondentes.

Ex: CaO

+

H 2 O

CO 2

CaCO 3

ONDE É USADO:

Na agricultura para corrigir solos ácidos; na preparação do hidróxido de cálcio;

Na obtenção do carbureto de cálcio, a partir do qual se obtém o acetileno, produto básico da indústria química orgânica sintética;

Na obtenção de hidrogênio puro. Ex: CaO + H 2 O + CO CaCO 3 + H 2

b) Hidróxido de cálcio [ Ca( OH ) 2 ]:

Base: Forte, sólido branco, pouco solúvel em água. Outras denominações: Cal extinta, cal apagada e cal hidratada.

A solução do Ca(OH) 2 na água água de cal

A suspensão do Ca (OH) 2 na água água de cal

A água de cal quando exposta ao ar absorve CO 2 , tornando - se leitosa devido a formação do CaCO 3 , que

é insolúvel.

Ca( OH ) 2

+ CO 2

2 O CaCO 3

H

ONDE É USADO:

+

H 2 O

Na preparação de argamassa, fabricação de vidros. Na agricultura para correção de solos ácidos.

PROPRIEDADES

QUÍMICAS:

1) Reage com os ácidos formando sal e água.

Ex :

Ca ( OH ) 2

+

HNO 3

Ca ( NO 3 ) 2

+

2

H 2 O

2) Reage com óxidos ácidos formando os sais correspondentes e água.

Ex:

Ca ( OH ) 2

+

CO 2 CaCO 3 +

H 2 O

c) Carbonato de cálcio ( CaCO 3 ):

Sal: Sólido branco , insolúvel na água , mas que se dissolve quando em suspensão na água pela passagem de uma corrente de CO 2 , devido a formação do bicarbonato de cálcio, que é solúvel. CO 2 CaCO 3 + H 2 O Ca ( CO 3 )

Encontrado na natureza sob diversas modalidades:

mármore ;

calcita ;

calcário ;

aragonita

ONDE É USADO:

Na obtenção do óxido de cálcio e do dióxido de carbono.

CaCO 3 CaO

+ CO 2

PROPRIEDADES QUÍMICAS

1 ) Apresenta as reações gerais dos carbonatos, assim reage com os ácidos, formando outro sal, água e dióxido de carbono .

Ex:

CaCO 3 + HCl

CaCl 2 +

H 2 O

+

CO 2

2) Reage com as bases formando outro sal

e outra base.

Ex:

CaCO 3

+

2 NaOH

Na 2 CO 3 + Ca(OH) 2

Profa. Cláudia Valle

16

Química Inorgânica e Mineralogia

d) Sulfato de cálcio ( CaSO 4 )

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

Sólido branco, insolúvel na água. Ocorre sob as formas de anidrido (CaSO 4 ) e de gipsita (CaSO 4 . 2 H 2 O ).

O CaSO 4 . 2 H 2 O aquecido a 120 o C, transforma - se no gesso: CaSO 4 . ½ H 2 O, quando aquecido acima de 120 o C

perde toda a sua água de cristalização tornando-se anidro CaSO 4

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

1) Reage com uma base formando outro sal e outra base.

Ex: CaSO 4 +

LiOH

Li 2 SO 4 +

Ca( OH ) 2

2) Reage com um sal formando 2 novos sais:

Ex

:

CaSO 4 + Na 2 CO 3

Na 2 SO 4 + CaCO 3

ESTUDO DA COLUNA 3 A - FAMÍLIA DO BORO

1) IDENTIFICAÇÃO

Constituída pelos elementos: Boro, Alumínio, Gálio, Índio e Tálio Apresentam 3 e - no nível de valência e em decorrência funcionam como trivalentes nos seus compostos.

BORO [ ( B ) ; ( Z = 5 ) ]

Semi - metal , sólido , ocorre na forma de boratos ( bórax : tetraborato

é

o

principal ) e

na

forma de ácido bórico ( H 3 BO 3 )

Obtenção:

de sódio decaidratado Na 2 B 4 O 7 . 10 H 2 O

1)

Redução por aquecimento de mistura de B 2 O 3 com Na ou Mg em pó.

B 2 O 3

 

+

3

Mg

3 MgO

+

2 B

2)

fazendo - se passar uma mistura de BCl 3 forte carga de luz )

BCl 3 +

3/2

arco voltaico

H 2

3 HCl

+

B

e H 2 através do arco voltaico ( uma descarga elétrica, com uma

OBS : Apresenta uma dureza quase como o diamante.

( fornece o boro puro )

OBS : O boro cristalizado ( transparente ) é obtido por resfriamento de mistura fundida com alumínio.

PROPRIEDADES FÍSICAS E QUÍMICAS:

1)

Baixa condutividade elétrica à temperatura normal , mas sua condutividade aumenta à medida que a temperatura sobe - Semi - condutor.

2)

Baixa reatividade química à temperatura normal , não se oxidando ao ar, e nem reagindo com cloro, bromo

e

outros oxidantes.

3)

É atacado a frio

pelo flúor, pelos demais halogênios e pelo oxigênio a quente.

Ex:

2 B

+

3

Cl 2

2 BCl 3

4 B

+

3 O 2

2 B 2 O 3

4)

É transformado em ácido bórico, pelos ácidos oxidantes.

Ex :

B

+

H 2 O

+

HNO 3

H 3 BO 3

+

NO

Profa. Cláudia Valle

17

Química Inorgânica e Mineralogia

COMPOSTOS

DO

BORO:

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

a) Bórax - Tetraborato de sódio decaidratado ( Na 2 B 4 O 7 . 10 H 2 O )

Onde é usado:

1)

Em Química Analítica, na preparação da pérola de bórax ( ensaios na chama ).

2)

Fabricação de vidros pirex de vastíssima aplicação.

3)

Na soldagem de metais, removendo durante o aquecimento óxidos presentes na superfície dos metais. permitindo maior aderência da solda à superfície do metal.

OBS: Pérola de bórax é um vidro transparente que é obtido aquecendo-se o bórax com um fio de platina.

ALUMÍNIO [ ( Al )

;

Z

=

13 ]

Metal branco azulado, brilhante, d = 2,7 g/cm 3

Participa na forma de silicatos

e minerais da crosta terrestre como as argilas e os feldspatos.

duplos

de alumínio ou de outros metais (Na, K, Mg, etc ) e de várias rochas

Seu principal minério

é

a

Bauxita ( Al 2 O 3 . 2 H 2 O ).

É um metal macio e frágil, mas quando ligado ao cobre ou lítio torna-se duro e resistente como o aço.

Em

linhas

de

transmissão

que

levam

eletricidade

a

grande

distância

em

torres. Essas linhas de

transmissão têm um núcleo de aço para ganhar resistência.

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

Não se altera ao ar seco, mas em presença do ar úmido, se recobre com uma leve camada de óxido ( Al 2 O 3 ), que lhe dá proteção

1)

Aquecido acima de 800 o C, se oxida ao ar; em reação exotérmica ( desprendimento de calor )

 

 

4

Al

+

3 O 2

2 Al 2 O 3

+

Calor

2)

Reage (a quente ) com os não metais, formando os sais correspondentes.

   

Ex :

2

Al

+

3 S

Al 2 S 3

4

Al

+

3 C

Al 4 C 3 ( carbeto de alumínio )

2

Al

+

3

Br 2

2 AlBr 3

2

Al

+

3 Cl 2

2 AlCl 3

3) Reage com os ácidos formando os sais correspondentes e desprendimento de hidrogênio.

Ex

2

2

Al

Al

Al

+

+

6 HNO 3

3 H 2 SO 4

2

Al ( NO 3 ) 3 Al 2 (SO 4 ) 3 H 2

+

+

H 2 3 H 2

3

:

+ HBr

AlBr 3 +

ONDE É USADO:

Construção de aviões, aparelhagens industriais, utensílios domésticos;

Em pó constitui - se em um bom revestimento protetor em pinturas de canos, caldeiras.

COMPOSTOS DE ALUMÍNIO:

a) Óxido de alumínio ( Al 2 O 3 ), também chamado alumina

Sob a forma natural constitui o Corindon (dureza = 9 na escala de MOHS, o que lhe permite ser usado como abrasivo.

Tem P.F elevado (2.010 o C) sendo usado como material refratório na fabricação de tijolos, refratórios cadinhos etc.

O Al 2 O 3 natural, bem cristalizado e contendo inclusões de outros óxidos adquire cores e brilhos fascinantes.

Ex: Safira ( contém Cr 2 O 3 ), Rubi ( Al 2 O 3 , óxido de titânio e óxido de ferro ).

Profa. Cláudia Valle

18

Química Inorgânica e Mineralogia

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

Obtenção:

Decomposição térmica do hidróxido de alumínio : 2 Al(OH) 3 Al 2 O 3

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

+

3

H 2 O

Óxido anfótero: reage com ácido ou base formando sal + água

1) Reage com os ácidos

Ex:

Al 2 O 3 + H 2 SO 4

formando os sais correspondentes e água. Al 2 (SO 4 ) 3 + H 2 O

2) Reage com as bases formando os sais correspondentes e água.

Ex:

b) Sulfato de Alumínio [ Al 2 (SO 4 ) 3 ]

+

Al 2 O 3

2 NaOH

2 NaAlO 2

+

H 2 O

Obtenção: Reação entre ácido sulfúrico e hidróxido de alumínio.

3 H 2 SO 4

+ 2 Al(OH) 3 Al 2 (SO 4 ) 3 +

6 H 2 O

É um sal bastante solúvel em água

Tem a propriedade de quando dissolvido em grande quantidade de água forma um precipitado gelatinoso de Al (OH) 3 o qual absorve impureza e substâncias em suspensão na água. Daí o seu emprego como agente de purificação nos serviços de tratamento de água das cidades.

OBS: Sulfato duplo para cátion monovalente

ou trivalente ( Al duplo )

Alúmen comum

É obtido pela simples evaporação da solução aquosa de mistura de K 2 SO 4 e Al 2 (SO 4 ) 3 em proporção 1:1.

ou

pedra ume

Al 2 (SO 4 ) 3 . K 2 SO 4 . 24 H 2 O

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

1) Reage com um sal

Ex :

formando dois novos sais ( insolúvel ).

3 CaSO 4

Al 2 (SO 4 ) 3 + 3 Ca(NO 3 ) 2 2 Al(NO 3 ) 3 +

2) Reage com uma base formando outro sal e outra base.

Ex:

Al 2 (SO 4 ) 3 +

6 KOH

3 K 2 SO 4 +

2 Al(OH) 3

ESTUDO DA COLUNA 4 A - FAMÍLIA DO CARBONO

1) IDENTIFICAÇÃO

Formada pelos elementos: carbono, silício, germânio, estanho e chumbo. Apresentam 4 elétrons no nível de valência, sendo mais comum a tetravalência das mesmas na formação de seus compostos. O caráter metálico aumenta do carbono para o chumbo, sendo que o carbono e silício apresentam características predominantemente não metálicas. No caso do germânio as propriedades metálicas predominam sobre as não metálicas. CARBONO ( C ; Z = 6 )

É um não metal, sólido.

É o elemento fundamental nos seres vivos.

Ocorre na forma livre: grafite, diamante, carvão de pedra e na forma combinada: monóxido de carbono, dióxido de carbono, sulfeto de carbono, carbonatos, metano, etano , etc

Em substâncias encontradas no organismo - lipídios, proteínas etc .

Tem a propriedade de formar compostos onde seus átomos se unem em cadeias carbônicas, compostos

orgânicos estudados na Química Orgânica. Ex :

CH 3 CH 2 OH

É dotado da propriedade da alotropia.

Profa. Cláudia Valle

19

Química Inorgânica e Mineralogia

Estudo

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

Variedades alotrópicas grafite ( Cn ) e diamante ( Cn ) diferem na estrutura ou sistema cristalino.

OBS: O CO combina - se com a hemoglobina do sangue, formando a carboxiemoglobina, muito estável, e que impede o transporte de oxigênio aos tecidos.

COMPOSTOS DO CARBONO:

a) Monóxido de carbono ( CO )

É um gás incolor, inodoro, insípido, menos denso que o ar e bastante venenoso, mesmo quando misturado ao

ar em pequenas quantidades. Aparece no gás de rua, nos gases que escapam dos motores de carros etc. Usado como combustível na preparação do álcool metílico, etc. Foi descoberto em 1766 pelo químico francês Lassowe através da reação de redução de óxido de zinco com carvão. Ex: ZnO + C Zn + CO Óxido neutro ou indiferente: não participa de outra reação química, não reage nem com água, nem base e nem ácido.

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

1)

Queima ao ar ou em atmosfera de oxigênio formando o dióxido de carbono .

 

 

2 CO

+

O 2

2 CO 2

2)

Reage ou combina - se na Guerra Mundial.

com o cloro ( presença de luz ) formando o cloreto de carbonila ( fosgênio ) usado

 

CO

+

luz Cl 2 COCl 2

3)

É reduzido pelo hidrogênio formando álcool metílico ( metanol ) em presença de catalisadores ( mistura de óxidos ) à alta temperatura ( 400 o C) e sob grande pressão.

CO

+ 2 H 2

CH 3 OH

Obtenção: desidratação do ácido fórmico (ácido metanóico) ou do ácido oxálico em presença do H 2 SO 4 concentrado

CH 2 O 2

C 2 H 2 O 4

CO

CO

+

H 2 O

+ CO 2

+

H 2 O

OBS : Fotossíntese as plantas sintetizam pelo processo de fotossíntese os hidretos de carbono (açucares, amido, celulose) com os quais se desenvolvem

b) Dióxido de carbono ( CO 2 ) - Gás carbônico ( estado gasoso )

Gás mais denso que o ar. Pouco solúvel na água. Pode ser liquefeito por meio de pressão.

Neve carbônica - mantida nas condições normais passa diretamente do estado sólido para o estado gasoso ―gelo seco‖. É um dos componentes do ar atmosférico. Fundamental para a vida dos seres , animais e vegetais Fotossíntese .

É formado na combustão dos alimentos nos organismos animais sendo eliminado na expiração . Também é

eliminado na decomposição dos animais e vegetais mortos. Não alimenta a combustão. ( Usado em extintores ) Óxido ácido: É bastante estável mesmo a temperaturas elevadas.

PROPRIEDADES QUÍMICAS:

1) Reage com a água formando o ácido correspondente.

CO 2

+

H 2 O

H 2 CO 3

2)

Reage com as bases formando os

sais correspondentes

e

água.

Ex : CO 2 + Mg(OH) 2 MgCO 3 + H 2 O

3)

Reage com os óxidos básicos formando

os sais correspondentes.

Ex

:

CO 2 + CaO CaCO 3

Profa. Cláudia Valle

20

Química Inorgânica e Mineralogia

Obtenção:

Estudo

1) Decomposição térmica de carbonatos.

 

Ex

:

CaCO 3

CaO + CO 2

2) Combustão direta do carvão .

C

+

O 2

CO 2

3) Combustão de CO em presença do ar ou do oxigênio.

2 CO

+

O 2

2 CO 2

4) Ação de ácidos sobre carbonatos.

dos Elementos Representativos da Tabela Periódica

Ex :

MgCO 3

+

H 2 SO 4 MgSO 4

+

H 2 O

+

CO 2

 

CaCO 3

+

HCl

CaCl 2 +

H 2 CO 3 ( H 2 O

+

CO 2 )]

ONDE É USADO: Extintores

de incêndio.

Obtenção do Na 2 CO 3 a partir do NaOH (NaOH + CO 2 Na 2 CO 3 + H 2 O), do NaHCO 3 ,etc .

SILÍCIO ( Si

, Z

=

14 )

Segundo elemento em abundância na crosta terrestre. Ocorre sob a forma de silicatos e de dióxido de silício. Forma compostos com os metais, com o nox 4 formando silicatos. Propriedades não metálicas e metálicas.

Obtenção:

1) Redução

do dióxido de silício

pelo carbono.

 

SiO 2

+

2C

Si

+ 2CO

1000 o C

2) Decomposição térmica do tetracloreto de silício.

SiCl 4

Si

+ 2Cl 2

PROPRIEDADES

QUÍMICAS:

1) À temperatura normal, é bastante inativo não reagindo diretamente com nenhum elemento, exceto com o flúor.

2) É atacado apenas pelo ácido fluorídrico

3) Dissolvido em solução alcalina , forma metasilicato e liberta hidrogênio.

Si

HF

SiF 4 +

H 2

+

Ex:

Si

+

NaOH

+ H 2 O

Na 2 SiO 3 +

2H 2

4 ) Quando aquecido , reage diretamente com metais formando silicatos.