P. 1
A Cantiga de Maldizer

A Cantiga de Maldizer

3.0

|Views: 2.553|Likes:
Publicado porJorge Pedro Ribeiro

More info:

Published by: Jorge Pedro Ribeiro on Aug 13, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/24/2013

pdf

text

original

A cantiga de maldizer

Ao contrário da cantiga de escárnio, a cantiga de maldizer traz uma sátira direta e sem duplos sentidos. É comum a agressão verbal à pessoa satirizada, e muitas vezes, são utilizados até palavrões. O nome da pessoa satirizada pode ou não ser revelado. Exemplo de cantiga Joan Garcia de Guilhade "Ai dona fea! Foste-vos queixar Que vos nunca louv'en meu trobar Mais ora quero fazer un cantar En que vos loarei toda via; E vedes como vos quero loar: Dona fea, velha e sandia! Ai dona fea! Se Deus mi pardon! E pois havedes tan gran coraçon Que vos eu loe en esta razon, Vos quero já loar toda via; E vedes qual será a loaçon: Dona fea, velha e sandia! Dona fea, nunca vos eu loei En meu trobar, pero muito trobei; Mais ora já en bom cantar farei En que vos loarei toda via; E direi-vos como vos loarei: Dona fea, velha e sandia!" Este texto é enquadrado como cantiga de escárnio já que a sátira é indireta e não cita-se o nome da pessoa especifica. Mas, se o nome fosse citado ela seria uma Cantiga de Maldizer, pois contém todas as características diretas como sátira da "Dona". Existe a suposição que Joan Garcia escreveu a cantiga anterior uma senhora que reclamava por ele não ter escrito nada em homenagem a ela. Joan Garcia de tanto ouvi-lá dizer, teria produzido a cantiga.    Crítica direta; geralmente a pessoa satirizada é identificada Linguagem agressiva, direta, por vezes obscena Zombaria

. o da Biblioteca Nacional e o da Vaticana. Por isso. as cantigas líricas apresentam maior potencial pois formam a base da poesia lírica portuguesa e até brasileira. O marco inicial do Trovadorismo data da primeira cantiga feita por Paio Soares Taveirós. flauta. gaita etc. O maior temor humano era a idéia do inferno que torna o ser medieval submisso à Igreja e seus representantes. As cantigas eram cantadas no idioma galego-português e dividem-se em dois tipos: líricas (de amor e de amigo) e satíricas (de escárnio e mal-dizer). onde a cultura apresenta a religiosidade como elemento marcante. A arte reflete. A vida do homem medieval é totalmente norteada pelos valores religiosos e para a salvação da alma. Mais tarde. marcando bem a superioridade de uma sobre a outra. Há bastante distanciamento entre as classes sociais.Contexto Histórico Momento final da Idade Média na Península Ibérica. geralmente. Estes últimos deram origem ao nome deste estilo de época português. tratavam de personalidades da época. viola. então. Já as cantigas satíricas. provavelmente em 1198. essa época é chamada de Teocêntrica. habitavam castelos e exerciam o poder absoluto sobre seus servos ou vassalos. esse sentimento religioso em que tudo gira em torno de Deus. numa linguagem popular e muitas vezes obscena. As relações sociais estão baseadas também na submissão aos senhores feudais. construção de templos religiosos. Características A poesia desta época compõe-se basicamente de cantigas. Do ponto de vista literário. São comuns procissões. missas etc. geralmente com acompanhamento de instrumentos (alaúde. Estes eram os detentores da posse da terra. Quem escrevia e cantava essas poesias musicadas eram os jograis e os trovadores. Os mais importantes Cancioneiros desta época são o da Ajuda.). romarias. as cantigas foram compiladas em Cancioneiros. entitulada Cantiga da Ribeirinha.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->