UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA – UNAMA

Fábio Silva da Silva

PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR:
INSTRUMENTO DE COAÇÃO ATÍPICO REVESTIDO DE FERRAMENTA DE INVESTIGAÇÃO DA CONDUTA DO SERVIDOR PÚBLICO.

2

ANANINDEUA 2007

Fábio Silva da Silva

PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR:
INSTRUMENTO DE COAÇÃO ATÍPICO REVESTIDO DE FERRAMENTA DE INVESTIGAÇÃO DA CONDUTA DO SERVIDOR PÚBLICO.

Pré-projeto apresentado ao Curso de Direito da Universidade da Amazônia como pré-requisito para a obtenção de nota no 2° NI da disciplina Metodologia da Pesquisa Científica, sob a orientação da Professora Ms. Rosália Correa.

.........................................................................................1 GERAIS......... 05 0 2...................... 008 6....... 018 BIBLIOGRAFIA......................... 05 0 2....................................... 06 0 4..................................... JUSTIFICATIVA........................ CRONOGRAMA...........3 ANANINDEUA 2007 SUMÁRIO PÁG........................................ 017 7............. 1...................................... 04 0 2................ MARCO TEÓRICO.................................................................. 07 0 5..................................................................................................................... PROBLEMATIZAÇÃO.................................................................................................................. METODOLOGIA........................................................2 ESPECÍFICOS.................... 005 3........ HIPÓTESES..................... OBJETIVOS............................................ 019 .......................................................................................................................

nem normatização que possibilitasse ao gestor público punir seus servidores. ou seja. principalmente sobre a auto-estima do servidor público que é objeto de um Processo Administrativo Disciplinar. mas das conseqüências da instauração de um PAD sobre a produtividade. uma normatização legal do processo de investigação da conduta dos servidores. não é apenas isso. a Administração Pública não possuía meios concretos de investigar e punir as condutas faltosas de seus servidores. mas às feições atuais. e. marcadas pela positivação e qualidade dos procedimentos investigativos. sobre o moral. A intenção da exploração deste tema surgiu da necessidade de observar o fenômeno do Processo Administrativo Disciplinar dentro da Administração Pública. 8.4 JUSTIFICATIVA Durante muito tempo. não se quer dizer que não havia legislações anteriores acerca do tema.112/90. inclusive sob a ótica dos servidores atingidos pelos PAD’s é fundamental para elucidar como o processo pode ser danoso para o desempenho e para a vida pessoal dos servidores públicos. . a Administração Pública deve ter responsabilidade não apenas sobre da investigação das posturas dos servidores. recebeu moldes pela Lei n°.112/90. notadamente no que diz respeito à observância das informações prestadas pelos entrevistados neste trabalho. com observância da Lei n°. Somente um olhar crítico sobre o processo administrativo disciplinar. 8. No entanto.

mesmo na fase da Sindicância. que mesmo antes de instaurado perfaz-se danoso para o aspecto psicosocial do servidor investigado. através de relatório emitido pelo próprio servidor. − Propor a adoção dos institutos do contraditório e da ampla defesa.5 OBJETIVOS Geral: − Observar as implicações da instauração de um Processo Administrativo Disciplinar sobre o cotidiano de um Servidor Público. . Específicos: − Demonstrar que o Processo Administrativo Disciplinar é um instituto jurídico.

a partir do momento que são potenciais prejudiciais ao desempenho. o Processo Administrativo Disciplinar pode realmente servir como elemento de evolução no desempenho do servidor público? . e a partir desses dados. Essas dúvidas ensejaram a problemática da pesquisa que é determinar: quais aspectos do Processo Administrativo Disciplinar são considerados mais relevantes de se observar sobre o desempenho. motivação e auto-estima do servidor são os objetivos organizacionais que pagam o preço mais alto. seus mecanismos e suas determinantes. órgãos e setores com maior ocorrência de PAD’s. escolhendo a metodologia necessária e mais apropriada. áreas. de maneira que essas indicações iniciais e as demais que deverão surgir no próprio desenvolvimento da pesquisa. produtividade e auto-estima dos servidores públicos? O Processo Administrativo Disciplinar pode ser utilizado sob outros prismas nas organizações paraenses evitando resultados danosos sobre os servidores? E se bem utilizado. possam ser respondida satisfatoriamente. O problema observado é que os Processos Administrativos Disciplinares. e podem gerar conseqüências de não consecução do pleno potencial organizacional. coisa que ainda não ocorre.6 PROBLEMATIZAÇÃO O primeiro parâmetro foi a necessidade de pesquisar informações mais profundas e especificas à respeito do Processo Administrativo Disciplinar. compreender quais os segmentos mais problemáticos do setor público. O andamento (condução) e os resultados do Processo Administrativo Disciplinar – PAD devem estar influenciados por fatores otimizados e sob a eficiência da correlação entre os fatores motivacionais e de valorização do servidor. A partir dessa preocupação desenvolveu-se a proposta de trabalho. Outro parâmetro importante seria a definição das áreas mais facilmente afetadas pela instauração de Processos Administrativos Disciplinares. isto é.

em não dar oportunidade desde o início do processo de levantamento de informações para que o servidor possa apresentar prévia defesa por escrito. a grande normatização das atividades dos servidores por parte da Administração. inocentes ou não. Partindo desse pensamento é fácil encarar a dificuldade existente em se promover um Processo Administrativo Disciplinar dentro dos moldes da legislação pertinente. no entanto. e nas demais legislações vigentes no Estado. Mas não se pode negar que há falhas. Porém é um grande avanço ter o Estado. Existem outras formas de formalizar e conduzir o Processo Administrativo Disciplinar. Nos dias de hoje podese considerar às legislações regulamentadoras do assunto pertinentes e adequadas a situação atual da administração pública. cominadas na Lei 8112/90. infelizmente nos dias de hoje ainda vê-se a Lei do mais forte reinando. pois sempre os investigados sentir-se-ão injustiçados. que é o Estatuto do Servidor Público. quando se fala em poder. Leis claras que procuram promover maior justiça dentro da fiscalização da administração pública.7 HIPÓTESES Os aspectos mais relevantes a serem observados no Processo Administrativo Disciplinar por certo são as características relacionadas aos deveres e as proibições legais no exercício do serviço público. e ao mesmo tempo o controle dos atos dos servidores públicos pertence à administração pública. . pois em toda a legislação infraconstitucional. principalmente. são cada vez mais intensas. apenas decorrência do Poder Disciplinar do Estado. O controle da administração pública pertence aos administradores e aos servidores públicos.

responsáveis pelas ações de investigação e conscientização que visam orientar aos servidores nas práticas funcionais e coibir os desvios de conduta. – São Paulo (SP): REVISTA DOS TRIBUNAIS. e. centrando-se nas investigações das transgressões disciplinares por seus 1 LUZ. Direito Administrativo Disciplinar: Teoria e Prática. . regularidade e sua eficiência dos serviços prestados à sociedade. em não os havendo instaura comissões de investigação e apuração. o Estado organiza-se e. em razão do cargo ou da função. preocupação atual com atividades preventivas e conscientizadoras. É nesta ótica que o Estado no exercício legítimo de sua discricionariedade edita normas e regulamentos que visam manter a disciplina e a ordem para o satisfatório desempenho de suas atividades especificas e que lhe são inerentes. do que próativo. Havendo quebra das regras estatutárias impostas. ou seja. os seus próprios servidores públicos1. Diante da abrangência das atividades e da quantidade de eventos pretensamente puníveis praticados pelos servidores públicos. A atuação hodierna do Estado possui características repressivas e punitivas. visando aferir as condutas faltosas dos agentes públicos.rev. objetivando manter a estabilidade. se moderadas ou graves.. p. portanto. através do pleno exercício do Poder Disciplinar. Egberto Maia. o Estado através de procedimentos próprios e legais. amp. tem como elementos para o correto desenvolvimento da máquina administrativa os homens que a acionam. 1994. portanto. concretizando a pretensão punitiva do Estado. fica o servidor infrator sujeito ao chamado jus puniendi. age por meio de seus órgãos de controle interno. no seu exercício ou fora dele. é evidente.8 REFERENCIAL TEÓRICO Procedimentos Administrativos Disciplinares: Uma visão Educativo-Sociológica Para o exercício regular e eficiente de suas atividades. a atividade da Administração Pública nesta seara assume um caráter mais reativo. como a prática de condutas funcionais irregulares praticadas por seus agentes públicos no curso de suas atividades.69. não havendo. e atual. 3ª ed. Assim. nos mais complexos setores.

Estas medidas investigativas e punitivas estão consubstanciadas na infringência aos deveres e proibições funcionais. da prática de transgressões disciplinares e ainda. 116 São deveres do servidor: VI – levar ao conhecimento da autoridade superior as irregularidades que tiver ciência em razão do cargo. Ressalta-se que não basta a simples denúncia para que se instaure uma sindicância ou Processo Administrativo Disciplinar . Em vista da assertiva acima a Administração Pública se vê compelida a priorizar quando do conhecimento de denúncias de irregularidades funcionais em tese. que versa acerca do “Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União das Autarquias e das Fundações Públicas Federais”. dispõe: Art. VI.PAD. levar ao conhecimento da autoridade superior. 116. inc. de 11 de dezembro de 1990. 199 – A autoridade que tiver ciência de irregularidade no serviço publico é obrigada a promover a sua apuração imediata. ao cometimento de circunstâncias legais específicas. assegurada ao acusado ampla defesa. eleva a categoria de dever funcional ao servidor que ao tomar ciência de irregularidades funcionais em razão do cargo. ou o ato de improbidade administrativa. ou seja.810. in verbis: Art. qualquer procedimento investigatório disciplinar deve respaldar-se de elementos indicadores. é necessário se acercar da devida cautela. Para tanto. de 24 de janeiro de 1994.112. 8. tudo em observância ao disposto no Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos Civis do Estado do Pará. vai mais além.9 servidores abandonando a função da prevenção e controle da qualidade das atividades dos servidores no exercício de suas funções. 5. e suas alterações. que aplicado subsidiariamente. da prática da transgressão disciplinar e de sua autoria. A própria Lei nº. praticadas por seus servidores e de imediato adotar providências necessárias para a apurar a responsabilidade do servidor infrator seja no âmbito penal ou administrativo. de fortes indícios da ocorrência da irregularidade funcional. . como a prática de crime contra a Administração Pública. mediante sindicância ou processo administrativo disciplinar. posto que. Lei nº. É a leitura do Art.

a Sindicância e o Processo Administrativo Disciplinar têm fundamento.10 Destarte esses procedimentos apuratórios disciplinares deverem estar sempre em consonância aos postulados jurídicos. constatar se houve ou não." A defesa consubstanciada pelo Texto Constitucional está embasada nos princípios constitucionais supracitados. buscando provas. em face da Carta Política de 1988. transcrito a seguir: "Art. . a fim de esclarecer materialidade e autoria. em razão da instauração de processo. inciso LV. em decorrência do chamado “devido processo legal”. 5°. mas também. atualmente não mais se admite a visão simplista e imediatista de aplicação de sanção administrativa disciplinar. que: “LV – aos litigantes em processo judicial ou administrativo e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e a ampla defesa. com os meios e recursos a ela inerentes. seja administrativo. Sendo que. posto que. em julgamento público no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias à sua defesa". nº. o contraditório e a ampla defesa. como a presunção de inocência. ocorrência de infração disciplinar praticada pelo servidor no exercício de suas funções ou fora delas. 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem. restaurando relação harmônica entre servidor público e sociedade. em seu art. isto é. por autoridade competente." Nesse panorama legal constitucional é que os procedimentos disciplinares. Dispõe a Constituição Federal Brasileira de 1988. cível ou penal. ao tratar “Dos Direitos e Deveres Individuais e Coletivos“. XI – nº 1 .todo homem acusado de um ato delituoso tem o direito de ser presumido inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei. só poderá ser conduzido. já que a “Constituição Cidadã” buscou alicerce no Princípio do Devido Processo Legal garantido no artigo XI. na garantia da segurança e legalidade do serviço público. para ao final. elevado a princípio constitucional firmado no inciso LIV do artigo 5º da Constituição Federal de 1988: "LIV – ninguém será processado nem sentenciado senão pela autoridade competente.

sigilosa ou publicamente. que apresenta duas finalidades: a de ser peça preliminar informativa para a instauração do Processo Administrativo Disciplinar ou com a finalidade de subsidiar a aplicação de penalidades administrativas passíveis de repreensão ou suspensão. citado por Bacellar Filho (2005. 27ª ed. está o Processo Administrativo Disciplinar que integra uma categoria especial de processo e na definição de Meirelles2: “O meio de apuração e punição de faltas graves dos servidores públicos e demais pessoas sujeitas ao regime funcional de determinados estabelecimentos da Administração. Neste contexto está a Sindicância. que: "a sindicância tem como objetivo somente esclarecer duvidosos fatos ou atos irregulares. uma vez confirmados motivarão a abertura do processo disciplinar". de ser notificado em dia e hora para todas as audiências. ainda. coadunam a oportunidade de ser ouvido. enfim. de sua presença em todos os atos processuais (como oitiva de testemunhas). sobre todos aqueles que se vinculam a seus serviços ou atividades. de produzir provas em sua defesa. com indiciados ou não.. p. mesmo porque os estatutos dos 2 MEIRELLES.125). inserido na estrutura jurídico-constitucional. p. Entre eles. É observação de Louback (1999. as quais.197). resultado das condutas irregulares funcionais menos graves. É um processo punitivo que merece destaque dentre seus congêneres. confirmadas. de refutar acusações. do direito a recurso. de tratamento igualitário e. fornecerão elementos concretos para a imediata abertura de processo administrativo contra o funcionário responsável”. os meios regulares de defesa. . submetendo-se à sua disciplina. Hely Lopes. Segundo conceito de Cretella Jr.. 662. o direito subjetivo de defender-se e de possuir defesa. proceder à apuração de ocorrências anômalas no serviço público. Direito Administrativo Brasileiro. Malheiros: São Paulo. os quais. a Sindicância Administrativa é: “O meio sumário de que se utiliza a Administração do Brasil para.11 Em razão dessa determinação jurídica constitucional é imperioso que toda e qualquer aplicação de sanção administrativa deva ser precedida por um procedimento que assegure ao servidor acusado da prática de ilícito administrativo..) Tal processo baseia-se na supremacia especial que o Estado mantém. p. definitiva ou transitoriamente. (. 2002. Ao cometimento de condutas mais graves e que podem ensejar a demissão do servidor infrator.

. se abebera de normas e princípios [. da verdade material. a instauração do processo administrativo disciplinar tem por fundamento para sua instauração a lei. As Sindicâncias e os Processos Administrativos Disciplinares regem-se através de princípios próprios os quais devem nortear os trabalhos de toda comissão processante.662). da obediência às formas e procedimentos legais (sendo este inerente a todos os processos). impondo desenvolver-se de acordo com ela e ter por escopo a sua preservação”. da publicidade. São Paulo. sob pena de responsabilidade. Impõe o Princípio da Publicidade a maior transparência possível na condução dos trabalhos das comissões processantes. p. 7 e 11. no pertinente ao sigilo imprescindível à segurança da sociedade e do Estado (inciso XXXIII) e a defesa da intimidade ou o interesse social. Costa (2005. p. ou de interesse coletivo ou geral. se assim o exigir. contudo.12 servidores geralmente regulamentam a sua tramitação para cada órgão ou entidade estatal interessada” (2002.]”. da ampla defesa e do contraditório. “XXXIII – todos tem direito a receber dos órgãos públicos informações de seu interesse particular. o preceituado no artigo 5º da Constituição Federal de 1988. conforme disposição do inciso LX do mesmo artigo. que serão prestadas no prazo da lei. ressalvadas. da oficialidade. com o objetivo de fundamentar uma base legal para que sobre ela seja editado o correspectivo ato punitivo. consistindo numa seriação de atos que são desencadeados. posto que. 34ª edição. Reza o Principio da Oficialidade. p. Em consonância Costa (2005. mesmo que 3 Constituição da Republica Federativa do Brasil. o Processo Administrativo Disciplinar é norteado pelos seguintes princípios: o da legalidade objetiva.58). leciona que: “o fenômeno processual disciplinar.. oportunizando o acesso à fiscalização ao legítimo interessado.59) assevera que: “por força do Princípio da Legalidade objetiva. da gratuidade. o preceito isoladamente aplicado não atende e nem esclarece a legítima aplicação do Direito. Preserva-se.. numa seqüência formal. atualizada e ampliada. 2004. da liberdade material ou liberdade da prova. que os procedimentos disciplinares se iniciam e percorrem todo o iter processual probatório por impulso oficial. da proporcionalidade. aquelas cujo sigilo seja imprescindível à segurança da sociedade e do Estado”3. Assim. P.

O Principio do Contraditório natural decorrência do Principio da Ampla Defesa. posto que. licitude ou ilicitude da conduta administrativa irregular imputada ao servidor. a análise minuciosa do fato e o devido julgamento. aflorou no ínterim da Constituição Constitucional de 1988.13 a denúncia tenha chegado ao conhecimento da Administração Pública através da vítima ou quem a represente. estes são desfigurados de pleno direito. procurando trazer ao conteúdo da decorrência processual administrativo disciplinar. se daquela prova trazida aos autos vier embasar a penalidade aplicada ao servidor infrator. são princípios absolutos. há o Princípio da Gratuidade. que é o Principio da Ampla Defesa e do Contraditório. Um dos itens capitais do Estado Democrático de Direito. que não mais admitia limitações ao acesso à Justiça. Ou seja. já estava consciente do seu real papel no contexto social. dispondo que ao servidor infratores não deverão recair custas pecuniárias. em resposta aos anseios da Sociedade Brasileira. interesses em conflito que impusessem a instauração de procedimento apuratório disciplinar. da verdade dos fatos. constituindo vício insanável sua inobservância. esta só terá validade se for produzida em observância aos preceitos constitucionais dos Princípios do Contraditório e da Ampla Defesa. Além do observado. incidindo em todos os processos judiciais e administrativos. A garantia constitucional passou a ser mais ampla e atuante. Configurando a busca da verdade material. configurando decisão reiterada nos Tribunais Superiores do País. O Princípio da Liberdade Material ou Liberdade da Prova preceitua que a comissão processante. é necessário haver conflito. Por força de determinação constitucional. deve pautar-se no curso da instrução probatória com escorreita moralidade. provas que corroborem para comprovação da existência. não há nenhuma exceção quanto a sua aplicação e alcance do contraditório e ampla defesa. já que a Administração Pública tem interesse em constatar se houve ou não a prática de inobservância de dever funcional ou a infringência conduta tipificada como transgressão disciplinar. de falar . ou seja. Havendo cerceamento a atuação aos princípios da ampla defesa e do contraditório nos procedimentos administrativos disciplinares. contudo. só atendem ao rigorismo os atos cuja inobservância à forma contamine a sua validez e execução. requer muito mais que a simples oportunidade do servidor faltoso. portanto. inexistência. econômico e jurídico do País. Pelo Princípio da Obediência às Formas e Procedimentos Legais.

Acórdão n° 14954. inclusive de citação do acusado indicando o teor da acusação e dando prazo para a apresentação de defesa. segundo o qual só é legítimo o constrangimento absolutamente necessário. 4 Carvalho Filho. Portaria incompleta e falta de regular citação. Depreende-se do citado princípio que toda atividade da Administração Pública necessita pautar-se pela adequação da aplicação da punição ao grau da ofensa praticada. decisões condutas de agentes públicos que ultrapassem os limites adequados. 15ª ed. Manual de Direito Administrativo. a gravidade da transgressão disciplinar perpetrada pelo servidor infrator. Portanto. deve atuar porque a situação reclama realmente a intervenção. e na medida do necessário. e esta deve processar-se com equilíbrio. Ademais. Caso a comissão processante insista em desviar-se da finalidade a ser atingida. Nulidade configurada. Apelação Cível e Reexame Necessário. bem como decisão motivada. pode incidir em vício por desvio de finalidade. 31. as acusações contra si imputadas... 5°. ampliada e atualizada.14 nos autos. e ao servidor é legal contrapor nos autos. que assegura o contraditório e ampla defesa. ou seja. em processo administrativo (art. exige-se certas formalidades. A igualdade que se impõe é de dar igual oportunidade às partes. é o mínimo indispensável para garantia do texto constitucional. há inclusive jurisprudência pátria: "Pena de suspensão. tanto à Administração Pública quanto ao servidor." (TJPR. recriminação do Poder Judiciário. sem excessos e proporcionalmente ao fim a se atingido4”. Processo 45994900. quando intervém nas atividades sob seu controle. Após o advento da Constituição Federal de 1988.1999) O fundamento do Princípio da Proporcionalidade e sua aplicação aos procedimentos administrativos disciplinares se embasam pela contensão ao excesso de poder. Processo administrativo disciplinar. 2006. Lúmen Júris: Rio de Janeiro.29-30): “Conter atos. não pode ser utilizada força que exceda o estritamente necessário para fazer cumprir a pretensão. p.]. ou seja. p. LV). Significa que o Poder Público. com vistas ao objetivo colimado pela Administração. Neste sentido. Inobservância dos princípios do contraditório e ampla defesa. [. É válida também a observância do princípio da proporcionalidade inerente ao poder de polícia. sujeitando a decisão determinada a advertência. Unânime. 4ª Câmara Cível. posto que para àquela é lícito buscar os meios capazes de comprovar a irregularidade administrativa praticada em tese.03. 29-30. . revista. decisão não motivada. na compreensão de Carvalho Filho (2006. José dos Santos.

Na verdade. cumpre acrescentar que o acompanhamento e orientação ao Servidor Público. o que indica que a política de repressão/punição embasada somente na instauração de Sindicâncias e PAD´s. deve fazer parte do propósito e finalidade à prevenção de condutas irregulares funcionais. cidadãos. um mero instrumento de 5 COSTA. nos objetivos institucionais a serem alcançados no pertinente às atividades cotidianas do servidor. no exercício de suas atividades funcionais. diante da grande incidência e reincidência no número de infrações disciplinares cometidas por seus servidores. Teoria e Prática do Processo Administrativo Disciplinar. transmutados em ideários constitucionais. de corrupção. a indiferença com as atividades fazem parte do cotidiano dos servidores públicos em suas funções. averiguação e apuração sedimenta no seio da comunidade de servidores públicos. 2005. Destarte os valores de bem estar. p. a política atual de investigação. morosidade. . que deve ser otimizado em programas obrigatórios inseridos não só no âmbito das Instituições. afirma que: ”Por força desse princípio fica a Administração Pública autorizada. a dúvida sobre o exercício de suas funções. desde que tenha sido ajuntada aos autos e feita a respectiva abertura de vistas ao servidor acusado a fim de que exercite o seu legítimo direito de defesa5”. Brasília Jurídica: Brasília. dentro da processualística disciplinar. Priorizar este ideário. Devem ser criados elementos que alicerçam o afastamento do estigma. a recepcionar e levar em conta qualquer elemento de prova que tenha chegado ao conhecimento dos membros da comissão processante. incompetência. aos quais todos.62) acerca do Princípio da Verdade Material (ou da Verdade Real). e que devem estar sedimentados na atividade correcional preventiva/educacional. mas. impregnado à imagem dos servidores públicos.15 No entendimento de Costa (2005. a insatisfação. 5ª ed. gestores e servidores percusionam. p. Finda a abordagem acerca dos princípios que norteiam procedimentos administrativos disciplinares. mesmo nos planos governamentais. as quais seriam evitadas a com a realização de políticas preventivas/educativas. tornando a atividade fiscalizadora. José Armando da. 62. deveria ser também o elemento primaz da Administração Pública. igualdade e justiça. estão longe de realizar modificações ou transformações na conduta disciplinar dos servidores públicos.

Buscou-se na fase de pesquisa uma compreensão mais abrangente do fenômeno PAD. de punição. o aperfeiçoamento dos instrumentos legais de controle interno na consecução do objetivo maior dos órgãos da Administração Direta e Indireta. castigo e corretivo gratuito. Deste modo. que deveria.16 observação da conduta do servidor. estando caracterizado o desvio de conduta. na prática da infração disciplinar. para depois. que é uma tarefa especifica e direcionada de suma importância na vida e no cotidiano da Administração Pública. sobretudo. posto que não é esta a imagem que Administração Pública deve construir ante o servidor. negando a repressão pura e simples. seu poder disciplinar. Como concretização do entendimento do Professor Hely Lopes Meirelles (2002) que afirma que o Processo Administrativo Disciplinar é o meio de apuração e punição de faltas graves dos servidores públicos e demais pessoas sujeitas ao regime funcional de determinados estabelecimentos da Administração. exercer com escopo na lei. não se perde a atividade investigativa exercida através da possibilidade de controle interno. . pois se entende que a adoção de uma política moderna de ação preventiva/educativa. que concorreria para reafirmar o fortalecimento. punindo adequadamente. nortear-se pela atividade preventiva. Não se deve ignorar a observância dos procedimentos de cunho disciplinar como os acima correlacionados. na realidade dos servidores públicos. em atos de arbitrariedades exacerbadas. pela Administração Pública deveria efetivarse desde a seleção da realização do concurso público continuando no curso de formação de servidores.

A adoção de medidas que coloquem o Processo Administrativo Disciplinar e a Sindicância como fontes centrais das diretrizes da Administração Pública. utilizando o método dedutivo de pesquisa e adotando a análise de conteúdo como técnica de investigação. no qual serão realizados encontros pré-agendados com servidores públicos estaduais que nos 12 meses anteriores a pesquisa. A entrevista enquanto técnica essencial na pesquisa em ciências sociais foi programada com um roteiro de perguntas-chave fundamentais para o desenvolvimento da pesquisa. permite que as ações atinentes ao assunto reflitam apenas o caráter de punibilidade. passaram por Processos Administrativos Disciplinares. como também. Este estudo será considerado pesquisa de campo. o papel de norteador de políticas de formação de recursos humanos. o que limita a atuação com segurança. por meio da pesquisa bibliográfica e experimental. Assim sendo. o trabalho fará uso do instrumento de pesquisa Entrevista. Os dados serão coletados através de questionários com perguntas abertas e fechadas. neste trabalho a entrevista tornar-se-á o principal elemento de coleta de dados sobre as conseqüências do Processo Administrativo Disciplinar sobre a produtividade. onde se estuda um fenômeno particular. motivação e auto-estima do servidor público bem como. para observar outros de categoria mais geral. Essa pesquisa exigirá a utilização da abordagem qualitativa descritiva considerando o registro. . agilidade e propriedade na área dos procedimentos disciplinares que possuem o interesse público de investigar a conduta de seus servidores. bem como entrevista e observações “in loco”. uma vez que trabalhará com observações colhidas no contexto real das organizações do setor público. oferecendo subsídios aos interessados na área do Direito Administrativo Disciplinar no âmbito da Administração Pública. para o conhecimento do perfil do profissional que passa pelo Processo Administrativo Disciplinar. não dando ao Direito Administrativo. análise e interpretação dos fatos observados.17 METODOLOGIA O trabalho objetivará compreender os institutos das sanções disciplinares. todo o seu âmbito de aplicação. Utilizando-se da metodologia investigativa no método dedutivo.

18 CRONOGRAMA FASES DO PROJETO P L A N E J A M E N T O ANO/MÊS 2006 MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ 2007 JAN FEV Escolha do assunto Elaboração do Projeto Desenvolvimento da metodologia Contato com orientador C O L E T A D A D O S A N A L I S E R E L A T O R I O Levantamento bibliográfico Fichários Análise de dados Elaboração do plano definitivo Relatório provisório Relatório definitivo Revisão do manuscrito R E V I S Ã O Correção Revisão parte referencial Revisão final Digitação E N T R E G A Entrega e defesa do trabalho .

MEIRELLES. LOUBACK. LAKATOS. Eva Maria. Processo Administrativo Disciplinar e Sindicância: Doutrina. Rio de Janeiro (RJ): LÚMEN JÚRIS. pesquisa bibliográfica. critérios e procedimentos. 2006. 59. P. José dos Santos. São Paulo (SP): 2005. Direito Administrativo.19 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALVES. 1999. – São Paulo (SP): REVISTA DOS TRIBUNAIS. e atual. São Paulo (SP): Malheiros.69. Belo Horizonte (MG): PALPITE. p. 2005.. Teoria e Prática do Processo Administrativo Disciplinar. COSTA. 3ª ed. CARVALHO FILHO. SARAIVA. 2001. 2005. . José Almir Rodrigues. Hely Lopes. BACELLAR FILHO. Elaboração de Trabalhos Acadêmicos: Normas. Metodologia do Trabalho Científico. Gilberto Fernando. 2004. Manual de Direito Administrativo. 27ª ed. Revisada.. José Armando da. 2ª ed.784/99 – Procedimento Administrativo. atualizado de acordo com a Lei n. p. 7 e 11.. Brasília (DF): Brasília Jurídica. José Armando da. p. atualizada e ampliada. 2006. amp. 5ªed. 51. Marina de Andrade. São Paulo. Rev. 5ªed. São Paulo (SP): Atlas. Romeu. 6ª Ed.º 9. publicações e trabalhos científicos. e amp.. Egberto Maia. 1999. projeto e relatório. Léo da Silva. amp.. 34ª edição. 1994. 2002. Direito Administrativo Disciplinar: Teoria e Prática. COSTA. As Teses de Defesa na Sindicância e no Processo Disciplinar. 15ª ed. rev. procedimentos básicos. Editora Brasília Jurídica: Brasília. e atual. Teoria e Prática do Processo Administrativo Disciplinar. Direito Administrativo Brasileiro. CONDURÚ. atualizada e ampliada. MARCONI. prática e jurisprudência. Brasília (DF): Jurídica.rev. Marise Teles. Constituição da Republica Federativa do Brasil. atual. PEREIRA. Belém (PA): EDUFPA. LUZ.

Lei nº. Lei nº. 8. .20 Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União das Autarquias e das Fundações Públicas Federais. 5.810.112. de 11 de dezembro de 1990. de 24 de janeiro de 1994. Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos Civis do Estado do Pará.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful