P. 1
biofisicaa

biofisicaa

4.0

|Views: 5.119|Likes:
Publicado pordebiecandy

More info:

Published by: debiecandy on Sep 27, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/23/2013

pdf

text

original

Angélica Afonso Bevilacqua Camila Gabriela Veiga Deborah Cristine Teixeira Xavier Felipe de Jesus Jardim Jhon Belico

Terra Karen de Lima Silvia Paola M. Rodrigues

Relatório de Aulas Práticas

Apucarana – Paraná Setembro/2008

Angélica Afonso Bevilacqua Camila Gabriela Veiga Deborah Cristine Teixeira Xavier Felipe de Jesus Jardim Jhon Belico Terra Karen de Lima Silvia Paola M. Rodrigues

Relatório de Aulas Práticas

Relatório de Aulas Práticas apresentado à disciplina de Biofísica, ao curso de Graduação em Ciências Biológicas, da FAP-Faculdade de Apucarana, com o objetivo de Avaliação Formativa.

Apucarana – Paraná Setembro/2008

1. Introdução Hemácia também conhecida como eritrócito ou glóbulo vermelho, originada da medula óssea vermelha a partir de células indiferenciadas totipotentes. Quando maduras, em mamíferos, não possuem núcleos nem organelas citoplasmáticas. Possuem aspecto de disco bicôncavo. São ricas em hemoglobina, a proteína responsável pelo transporte de oxigênio, a importante função desempenhada pelas hemácias (moléculas do sangue). Há 2 tipos de transporte através da membrana: o ativo e o passivo! No ativo temos a Bomba de Na+ e k+ que é contra o gradiente e há gasto de energia. No passivo existem 3 tipos: difusão simples que é o transporte de soluto entre as camadas de lipídios; difusão facilitada que é o transporte de soluto pela proteína e a osmose! Deve-se enfatizar a osmose, pois ela é a mais importante. Osmose é um processo que a água passa entre dois meios de concentrações diferentes de soluto, separados por uma membrana semipermeável. Neste processo a água passa do meio hipotônico para o hipertônico, quando finalizado este processo os estarão em equilíbrio. Os conceitos de tonicidade são ditos por: hipertônico, hipotônico e isotônico. Considerando uma hemácia de concentração 0,6 mols/L, temos que: Se uma solução tiver uma concentração de 0,3 mols/L, em relação á hemácia, a solução será hipotônica. Quer dizer que a hemácia é mais concentrada do que a solução. Se uma solução tiver uma concentração de 0,9 mols /L, em relação á hemácia, a solução será hipertônica. Quer dizer que a hemácia é menos concentrada do que a solução. Se uma solução tiver uma concentração de 0,6 mols/L, em relação á hemácia, a solução será isotônica. Quer dizer que a solução e a hemácia estão em equilíbrio. Relação dos tipos de transporte com a manutenção da homeostase: O liquido extracelular está em movimentação constante pelo corpo. Ele é rapidamente transportado no sangue circulante e, em seguida, misturado entre o sangue e os líquidos teciduais por difusão através das paredes capilares.

Nas células que precisam retirar as substancias que prejudicam elas, ela excretas os resíduos através da difusão facilitada, englobando o solido e jogando-o para a corrente sanguínea e depois para o sistema excretor. Os pulmões absorvem oxigênio e expelem dióxido de carbono. Os rins excretam uréia e regulam as concentrações de água e duma grande variedade de íons. Muitos destes órgãos são controlados por hormônios segregados pela glândula pituitária, cuja ação é por sua vez regulada pelo hipotálamo. Manutenção da glicemia. Osmolaridade: Osmolaridade refere-se ao número de partículas osmoticamente ativas de soluto contidas em 1 litro de solução. A osmolaridade de uma solução depende da temperatura e pode ser vista como uma medida da concentração de partículas osmoticamente ativas. Cálculo da Osmolaridade: Osmol (Osm) = número de partículas vezes a molaridade. A osmolaridade representa a concentração de soluto por unidade de água, sendo assim temos o seguinte exemplo: Solução glicosada 5% (50g/litro) 1 M glicose = 180 g A solução glicosada a 5% tem 50g de glicose em um litro de água. 180g glicose ------------- 1 mol 5 g glicose ---------- X x = 5 = 0,027 mol 180 Osm=n° de partículas X M Osm= 1 X 0,27= 0,27 Osmol

2. Resultados - Pepitas 50 ml de sangue - Homogeneizar suavemente - Observar os resultados (tabela) - Centrifugar por +ou- 5 min. - Observar os resultados (tabela).

1 2 3 4 5 6

7

Soluções 5 ml NaCl 0,07 M 5 ml NaCl 0,1 M 5 ml NaCl 0,15 M 5 ml NaCl 0,30 M 5 ml Uréia 0,30 M 25 ml Uréia 0,3 M + 25 ml NaCl 0,30 M Água destilada

Osmolaridade Pellet 0,14 Presente 0,2 0,30 0,60 0,30 0,15 0,30 0,45 0 Presente maior Presente intermediário Presente menor Ausente Presente idem 4 ausente

Sobrenadante Vermelho Opaco Incolor Incolor Incolor Vermelho Opaco Opaco Opaco Translúcido Opaco Incolor vermelho Translúcido

Discussão dos Resultados: 1 – Hemólise parcial, a osmolaridade é de 0,14 Osmol e hipotônica, hipo osmótica em relação a célula. 2 – Não houve hemólise, a osmolaridade é de 0,2 Osmol e hipotônica hipo osmótica em relação a célula. 3 – Não houve hemólise, a osmolaridade é de 0,30 Osmol e isotônica, iso osmótica em relação a célula.

4 – Não houve hemólise, a osmlaridade é de 0,60 Osmol e hiper osmótica em relação a célula. 5 – Hemólise total, a osmolaridade é de 0,30 Osmol e iso osmótica em relação a célula. 6 – Não houve hemólise, a osmolaridade é de 0,15 na Uréia e de 0,30/0,45 no NaCl e é hiper osmótica em relação a célula. 7 – Hemólise total, a osmolaridade é de 0,00 e hipotônica em relação a célula.

3. Conclusão Concluímos que sendo a Hemólise a quebra das moléculas do sangue, em algumas soluções pode não haver hemólise, como por exemplo, nas que analisamos em 2 soluções houve a hemólise total, em 4 não houve hemólise e apenas em 1 houve hemólise parcial.

4. Bibliografia Básica

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->