P. 1
A moreninha - João Manoel de Macedo

A moreninha - João Manoel de Macedo

|Views: 222|Likes:
Publicado porCamila Rodrigues

More info:

Published by: Camila Rodrigues on Aug 18, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/04/2014

pdf

text

original

[ TT00416

]

A moreninha

Joaquim Manoel de, Macedo

"Texto pertencente ao acervo de peças teatrais da biblioteca da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), digitalizado para fins de preservação por meio do projeto Biblioteca Digital de Peças Teatrais (BDteatro). Este projeto é financiado pela FAPEMIG (Convênio EDT-1870/02) e pela UFU. Para a montagem cênica, é necessário a autorização dos autores, através da Sociedade Brasileira de Autores Teatrais - SBAT"

A moreninha A MORENINHA Comédia em 1 Prólogo e 4 Atos, de Joaquim Manuel de Macedo Sala: Ao fundo duas portas e uma janela no centro: 2 janelas a d.: Mesa já usada e sôbre ela tinteiro, papéis, livros, dois castiçais de latão, espelho de caixa aberto, canapé velho: 2 cadeiras, canastras, cabide com roupa, estante rude com livros, vasos, escovas, boião de graxa, etc. Botinas no chão, desordem enfim de casa de estudantes.

Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.

2

Joaquim Manoel de, Macedo

prologo cena 1ª
AUGUSTO (Em mangas de camisa e de chinelos deitado no canapé com um livro aberto; Leopoldo de robe de chambre à janela do fundo. Fabrício vestido para sair; mas de barrete vermelho na cabeça, e espreitando a janela da d.) (Augusto canta como absorto) - Bela visão do passado. Que na minha alma ficou. FABRÍCIO (deixando a janela) - O diabo leve a tua visão do passado! é a segunda vez que me espantas a Cocotinha. LEOPOLDO (chegando-se) - A Cocotinha é feia como dia de sabatina. FABRÍCIO - Faz porém pastéis de nata gostosos como tempo de férias. LEOPOLDO - Quem se lembra da Cocotinha hoje que Mme. Venoi com as filhas e as sobrinhas vai em nossa companhia ao fogo dos barraqueiros do Campo... A Nini já por vezes me atirou beijos lá de cima. FABRÍCIO - Eu prefiro um pastel de nata; mas irei ao fogo só por bambochata. LEOPOLDO - O buzilis está na ceia, que é imprescindível; porque a velha é gulosa, como tu, ou como uma harpia. FABRICIO - Macaca assenta melhor. (Quer voltar à janela). LEOPOLDO (Detendo-o) - Tu és tão cínico, que andas sempre com a onça; mas Fabrício, se hoje por exceção... FABRÍCIO (Mostrando a carteira) - Sempre na regra! três pelintras por tôda a riqueza até o fim do mês. LEOPOLDO - O fim do mês é patife! estou reduzido a cinco mil réis. FABRÍCIO - Não os derretas na ceia: as francesas comeriam a isca sem cair no anzol. (Vai para a janela). LEOPOLDO - Que entrosga demorada! Augusto! estás deveras in extremis?... absolutamente em estado de vácuo?... AUGUSTO (Fechando o livro) - Infandum, regina, jubes renovare dolorem!... LEOPOLDO - Cataclisma universal!... é horrível! (Vai para a janela do fundo e namora para cima.) AUGUSTO (Canta) Bela visão do passado Que na minh´alma ficou Imagem de anjo mimoso. FABRÍCIO (Volta-se) - Isto é insuportável! vai cantar para o inferno.

Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.

3

A moreninha

cena 2ª
(Augusto, Leopoldo, Fabrício e Rafael que serve café em louça muito desigual e oportunamente se retira: e logo Felipe que apenas entra, despe a sobrecapa, e vai, falando) FABRÍCIO - "Adsum" ao café! (Chegando-se com Leopoldo). AUGUSTO - Rafael, traze-me aqui uma xícara. LEOPOLDO - Augusto! e o fogo com as francesas?... AUGUSTO - Hei de ir... A Fanny não é feia, a Nini é bonita, a Jeanette é engraçadinha.... eu voto por tôdas três. FABRÍCIO - Êste poli - Cupido é capaz de votar até pela velha. FELIPE (Entrando) - Oh! escândalo sem têrmo! Três estudantes de medicina, tendo por palácio a sala de fundo de um sobrado velho, com tristes cacarecos de casa de belchior! FABRÍCIO - Temos discurso! Felipe depois de jantar fica sempre eloqüente! as carraspanas o tornam orador. FELIPE - Pois hoje o discurso há de ser em verso de música, oh! figuras vergonhosas, e oh! trastaria indecente! (Canta) Dos cacaréus no museu Eis Fabrício em grande gala; (Leopoldo senta-se em uma cadeira) Mas coroou-se sandeo Com o pior trapo da sala: Traz caída sôbre a orelha E remendada ajustou A carapuça vermelha. Que de seus avós herdou. Os três (Cantam e Felipe dança) Vinho alegre! carraspana! Carraspana! carraspana!... FELIPE (Canta) - (Leopoldo em chambre antigo.) Que foi azul n'outra era Pondo a física em castigo, Mil equilíbrios opera; E assim não cai da cadeira, Que com um pé desconjuntado
Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. 4

Irá com seu dono ao chão.. Ali chávena sem asa Em pires de espalhafato. E o sofá onde descansa. FELIPE . Os três (Cantam) Vinho alegre! carraspana! Carraspana! Carraspana!.que louça da Índia! parece louça d`Angola. Comprado em terceira mão Por pouco que dure a dança. (Apresentando)Aqui o símbolo da casa Uma tigela n'um prato! Os três (Cantam) Vinho alegre! Carraspana! Carraspana! Carraspana! FELIPE (Recebe o café em uma caneca que lhe traz Rafael) .. ou em uma cuia! (Canta) No aparelho do café Vê-se n`um pires rachado Xic'ra que não fica em pé.Joaquim Manoel de. e eu Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. Que n`um pé é encarnado. FELIPE (Canta) Augusto mostra deitado A dupla côr de chinelo... Macedo É a que está mais inteira Na mobília do sobrado. oh! Rafael! dá-me café ainda que seja em um boião.Ah! vocês tomaram café?. Os três (Cantam) Vinho alegre! carraspana! Carraspana! Carraspana!.. Mas que tem lavor dourado. 5 .. E no outro pé amarelo.Alto! o café pode se beber.

mas que terceto encantador! uma loura e bela.Felipe.... LEOPOLDO .. isto é uma tentação. linda e tranquina! ai. rosas nas faces. é porém crueldade atacarem-me pelo fraco: ai! as moças têm feito do meu coração almofadinha de alfinetes: não vou a Paquetá. moreninha. pálida. ficarei rendido. romântica. e ao desembarcar na cidade der com os olhos em outra jovem interessante.Pálida?. FELIPE . Augusto? irá acaso apaixonar-te por minha irmã? AUGUSTO . não vou a Paquetá: não vou. LEOPOLDO . olhos azuis.Sim.A pálida? então engajarei namôro com a loura..Sério.Mas se é assim a pesar meu? as moças entram-me no coração sem pedir licença: na mesma hora e no mesmo lugar amo a duas. (Deita-se) LEOPOLDO ..Eí-lo com a sua mania! ah. FELIPE .Ah! Felipe! por tôdas três é mais certo. AUGUSTO . indolente Augusto?. diabo?. AUGUSTO (Sentando-se) . é prender-me a um só amor durante três dias ao menos! LEOPOLDO . olhos azuis?....E tu.Farejante patuscada? Fiat lux! FELIPE . FELIPE . teremos além disso um povinho de moças bonitas.Augusto rendeu-se à descrição. 6 .Minha avó chama-se Ana.Récipe: camisola e cáustico na nuca! FELIPE . mas eu.. a dez. oh!..A moreninha tenho negócio urgente: já houve aqui ajuste para a véspera de Santa Ana?..A Quinquina.Pior! eu não conheço tuas primas. AUGUSTO (Sentando-se) ..Se soubesse que demoninhos no superlativo são minhas primas!. LEOPOLDO ... minha avó é muito amável.Idem. AUGUSTO . Velpeau! tem paciência: até depois de Sant`Ana! (Atira com o livro) Eu vou a Paquetá.E tu.Loura?. a Joaninha.Por muito vadiar ando ando receioso de ficar baleado em novembro.. já nos disseste que tens uma irmã.. minhas primas vão. FELIPE .. Felipe?. FELIPE . LEOPOLDO ...A mais velha. loura.Aposto que volta de Paquetá cativo de uma de minhas primas. mas eu não vou a Paquetá. mas se de volta. AUGUSTO (Movendo-se no sofá) . FABRÍCIO .. SEOPOLDO . e eu os convido para festança séria e de espavento na ilha de Paquetá! LEOPOLDO .. AUGUSTO (Saltando do sofá) . Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. belos olhos negros. a vinte! o que eu queria e não posso. uma menina de 15 anos..Anicus certus in re incerta cernitur: e conta comigo. um ano mais môça. outra pálida e romanesca. meninas de optimé cum laudé. dezoito anos.Bravo! fica porém sabendo que segundo me disseram Fabrício anda encabrestado pela Joaninha.. travessa. ainda que chova. olha..Moreninha. FELIPE . (Deita-se) FELIPE .De ambas é o que mais receio. maluco! AUGUSTO . outra enfim moreninha. meus pecados! (Para o livro)..

Sim.Tambolho indispensável.Aposto que minha prima já te há de ter por namorado escravo até o dia em que te mandar ler o teu Velpeau. 7 . (Assinam) LEPOLDO (A Felipe) .. receitarei amores de costureiras francesas.No dia 24 de julho de 1844.E ralham da minha inconstância em amor!. Augusto sem vintém! eis a situação da república. Felipe e Leopoldo à janela) Partout ce dieu sans façon. FELIPE .. ? L'amour nous fuit la leçon: (Augusto deitado. FELIPE .Fabrício. vamos! e a velha? LEOPOLDO .E eu que ontem caí no absurdo de pagar a conta ao meu alfaiate!. velho amigo da família: é um inglês muito honrado..Eis o têrmo (Lê) . LEOPOLDO . diabo! (Pensa) Temos dinheiro! vou sacar sôbre o banco da Inglaterra! FABRÍCIO .. cinco mil réis. (Leopoldo toma-lhe o braço. e fala com ardor em voz baixa) que pagode!. guloso: aquele que perder escreverá uma comédia. mas devoto de Baco e de reperigas: êle pagará ceia de Luculo e até os bonecos de Teles! venham comigo!. AUGUSTO .. e me faltarem sangue-sugas. AUGUSTO . Prend la nappe pour serviette Turlurette Turlurette Bon vin et fillete FABRÍCIO (Durante o canto) .Que dúvida! O nosso casamento já está resolvido e aprazado. que não me inspira: quando eu fôr médico.. mas não há matéria prima: eu. e quero que a aposta se refira não só à tua prima. (Senta-se à mesa). FELIPE . (Deita-se). como a qualquer outra moça.Vamos.Isto é Parnaso. escreva o que Felipe quiser: tomara eu perder! já não posso com tantas moças no coração. Fabrício três pelintras.E o banco da Inglaterra? FELIPE .. FELIPE ..Não.Joaquim Manoel de.Imprescindível para se embebedar a velha..E foram-se! (Deixando a janela) Quero ir lá em cima encomendar camisas com a condição de não ser a velha quem tome a medida dos colarinhos..E eu aposto que não. FRANCESAS (Cantam ao fundo e do alto).. FABRÍCIO .A tua vai à Paquetá? (Em confidência) FELIPE (A Augusto) . (Penteam-se e vestem-se) AUGUSTO (A Felipe) . mas a ceia? FELIPE . Macedo FELIPE . LEPOLDO E FABRÍCIO .. um noivo em suciata com Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. AUGUSTO .Fora massada! Aprovado unanimemente! assinemos todos.Eu redijo o têrmo da aposta. aquêle que perder pagará um jantar no hotel Faroux.Vou já convidar para a nossa festa de Sant'Ana o mr. na qual faça a confissão da sua derrota. James...

8 . FELIPE .Não: eu só iria se o inglês fosse inglêsa.. Tu não vens? AUGUSTO . (Deita-se) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU..A moreninha francesas costureiras!.Isto vai em despedida de solteiro.

faze-me um favor de amigo: namora a Joaninha em Paquetá: . que me rendia empadas e doces. como sulfato de quinina! ela é sentimental como Julieta. Macedo cena 3ª (AUGUSTO e logo FABRÍCIO) AUGUSTO (Canta) Bela visão do passado Que na minh'alma ficou! Imagem de anjo mimoso.Sinházinha! que doce diminutivo! FABRÍCIO .Amargo. O que quero é pretexto para livrar-me dela e do Tobias. prima de Felipe. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.. lustroso como um botim. AUGUSTO . que me manda a sua importuna sinházinha.Que feliz rapaz!. Mercúrio danado. de cansada.) (Canta) Mamãe.. Que mais nunca me deixou! Tenho fé. esperto e ligeiro como um macaco.Ah! pude agora fugir aos caçadores de inglês! AUGUSTO .O pagem da tua objetiva. hein? FABRÍCIO ..(Canta dentro. AUGUSTO . coitadinha E eu triste. Dormiu. FABRÍCIO . engraçado.Venho pedir-te grande favor. mas uma noite quis experimentar o teu amor ultra-romântico: fui ao teatro de São Pedro e entabolei namôro com uma jovem.. demônio de azeviche. AUGUSTO . AUGUSTO .Oh! tratante! pensas que me presto a zombar de uma inocente Donzela? COCOTA .. sòzinha Velando fiquei. FABRÍCIO . romantismo no caso: no entre ato subi ao corredor da terceira ordem e logo veio a mim um creoulinho. que estava em camarote de terceira ordem: eu não sabia se era bonita ou feia. que se chama Tobias. e ciumenta como Medea! cartas e flores à farta.E vens ao cheiro dos pastéis da Cocotinha. mas podes ter a certeza de que não matarei Desdemona.eu fingirei ciúmes de Otelo.Joaquim Manoel de.Meu Augusto. 9 . e para coroar a obra tenho de esbarrar em Paquetá com o diabo da teimosa que é a pálida Joaninha.. Eu sempre cultivei o amor ultraclássico. que me prendeu nas teias da aranha mais teimosa e que desde essa noite me persegue fazendo-me pagar as cartas e as flores. o Tobias a comer-me os cobres sempre!. um pastel ou uma empada nunca.Um malvado. FABRÍCIO . e logo Fabrício tira de dentro do bôlso e desenrola um cordel que traz um gancho ou anzol na ponta.

Não me caustiques: dá-me outro pastel! FABRÍCIO . (Vai à janela) Ó Cocotinha! A noite se aproxima. mas. COCOTA .. como a Rosemunda de Sardanapalo..Menos essa! Tu és homem que só vive pela barriga.. Augusto? AUGUSTO . gaudério? FABRÍCIO . jura-me porém que hás de namorar a Joaninha em Paquetá.. FABRÍCIO . Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.Borrão da academia! tu acabarás casado com alguma cozinheira! dá-me o pastel! FABRÍCIO (Recuando de Augusto e comendo) ..... paixão romântica em Paquetá ou.Só restam dois e ambos serão teus. FABRÍCIO .Adeus. FABRÍCIO . que eu mesma fiz para o senhor.O que é isso. (Puxa o cordel). AUGUSTO . assim! Oh. 10 . (Deixa a janela) Seis pastéis de nata! isto é que é namôro: queres um pastel. ah! mamãe espirrou e vai acordar: deite depressa o cordel. por que o amo muito.A moreninha Velando cismando.Um e último! decide.Beije-os primeiro: quero nos pastéis o néctar dos seus lábios.Dou-te mais dois em partilha fraternal. e para mim é neste momento que está rompendo a aurora. e a Syracura de Praxiteles!.(Dentro) Se amar-me sempre. AUGUSTO . (Fabrício deita o cordel) FABRÍCIO .. serei para o senhor tudo isso que me diz: adeus! até amanhã! FABRÍCIO .. deixe-me fazer exame. Em que eu nem sei..É a revelação clássica do amor confortativo e estomacal! isto é que é namôro. e o coração me palpita em fogo nos centros frênicos da diafragmada pneumática.Que pouca vergonha! olha que eu desengano a Cocotinha!.Venha..Como a Semiranis de Hipócrates.É o cordel clássico que leva o amor positivo no anzol sólido preso à ponta da realidade. aurora boreal!. quero dar-lhe uns pastéis... AUGUSTO .É o sinal de que a mãe está dormindo a sesta. o inosso casamento é só questão de tempo. mas não quer falar a mamãe: vai ser doutor. um beijo em cada um.(Dentro) O sr fala muito bem. eu creio na sua palavra. FABRÍCIO ..Dá-me outro pastel. AUGUSTO . Cocotinha! és bela como a Euridice de Faetonte. mas com a condição de namôro ferrado em Paquetá! AUGUSTO . (Comem) Na verdade está delicioso. COCOTA (Dentro) .Ah! então come pastéis na imaginação: é romântico.. e verá! AUGUSTO .Cocotinha.Charlatão! FABRÍCIO . COCOTA . Quando te vejo sinto brilhar-me o sol nas medulas da traquéia artéria. FABRÍCIO . AUGUSTO .Pois bem. e eu sou muito pobre para sua noiva.

AUGUSTO . mas foi o meu pastel! eu me vingarei! em Paquetá. eu protesto! (Deita-se).) FABRÍCIO (Com o braço pelo pescoço de Augusto e vendo-o comer).Pedaço d'asno.Joaquim Manoel de. 11 ..Protestas?. por que ficas sem o pastel e sem a namorada.. toleirão! FABRÍCIO . Hein? que pastelinho!.Ficou na tua barriga.. não me perturbes a digestão! FABRÍCIO . Macedo AUGUSTO (Vendo Fabrício com o pastel à bôca) .. Conta comigo. FABRÍCIO .. .Deixaste-me o pior!..Vê lá! palavra de honra?...Invocarei o testemunho de Felipe e de Leopoldo! AUGUSTO . FABRÍCIO ...Pilades e Horestes! Em apêrto igual apela para mim.Tens aí outro pastel de nata? Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU... FABRÍCIO . enganaste-me com um pastel rançoso.Pascácio! vás recomendar-me à elas.. FABRÍCIO .. malvado! Dá-me o pastel! Por fim de contas eu sempre me apaixonaria pela bela Joaninha. AUGUSTO . (Recebe o pastel.. AUGUSTO .Espera..Faze-me êste favor.Eu tenho a tua palavra de honra e em caso de má fé. que queres dizer com isso? AUGUSTO . hei de denunciar o teu sistema de amor inconstante e perfídia à tôdas as senhoras!.Ultimatum! namorarás ou não a Joaninha? AUGUSTO . o contrato é até leonino.Ora!. AUGUSTO (Canta) Bela visão do passado Que na minh'alma ficou.

que tem trazido uma vela de cebo em castiçal de latão.Êste estudante é estroina.. (As francesas continuam a rir.. e muito gracioso.. verruel! eu hoje fique perdida!.Bôlo inglês! Estou caído: viva Mr.... non.Pssiu! pssiu! (Toca castanholas com os dedos.A moreninha cena 4ª (Augusto.) FELIPE . (Vai-se Leopoldo). JAMES .Rafael! dois lençóis lavados para toalha da mesa! a louça tôda já! (Muito movimento) FELIPE .Há velas de sêbo.) ..Mr. e fica intratável se não a namoram.Mr..Nem eu a Fanny: deixa-o por minha conta.Oh! bonites!.. mas faltam os castiçais!. Leopoldo com Rafael arranjam a mesa: eu e Fabrício faremos o prodígio da iluminação! AUGUSTO (A James que observa tudo. nunca freqüentou casa de estudantes?.Garrafas vazias no caso! Augusto. JAMES . Leopoldo. James. e que sai e entra a seu tempo: Felipe e Leopoldo. James. FELIPE . JAMES . perfeito... FABRÍCIO (Vendo o bôlo) ...O inglês paga o pato: mas temô-lo pela proa: declaro que não lhe cedo a Nini. que três amores!. mas pretenciosa. E viva Baco e amor! FELIPE (Apresentando) .) Felipe.. mas estar arrependida: êste non é confortable. (Apertam as mãos) JAMES ..Satisfeita de alegre companhia! estralada de passa-tempo non prejudique o crédita: eu também goste muite de raparigues! (Conversam) LEOPOLDO . Fabrício e Rafael entram e saem arranjando a mesa).) Olhe. Fabrício e Rafael. James! JAMES (Voltando-se) . estudantes comme il faut.Prevenção de amigo: a mãe e tia das cujas é velha.Copos! e por suplemento. ser porém fora de comum. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. bonites!. trazendo grande bôlo inglês: depositam na mesa o que trazem. 12 . Leopoldo e James (Cantam) Gáudio! folgança! festa! Súcia! folia! ardor! Tôda de Baco e amor Comece a noite já! Tra-la-ra-lá-lá-lá... rindo-se) . (Namora-as: risadas das francesas) LEOPOLDO (A Felipe) .Oh. James. (Leva James à janela do f. FELIPE (A James) . Quer ver as francesinhas?. canecas e xícaras! Luzes! FABRÍCIO .. trazendo cada um duas garrafas de champanhe. faz as honras da casa a Mr. James. gentleman! Augusto e Fabrício.Obrigada! mas eu não sabe porque! AUGUSTO .Passarinho foi-se embora! (Deixando a janela) Êste sim vai ser muite confortable! que boa regabofe! Eu hoje deita fogo nos raparigues!. que demoninhas!. (Felipe.

Felizmente com uma ou duas horas de namôro e quatro copos de vinho perde a cabeça e deixa o namorado entregue à filha e às sobrinhas. uma coruja e três borboletas.Silêncio! As francesas descem do 2º andar. cuidado com a velha. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. Obrigada.Joaquim Manoel de.Elas aí vêm.Admirem o candelabro. e bôlo inglês ao inventor! (Mostrando a iluminação em garrafas. FABRÍCIO .Oh! diable! FELIPE . FELIPE .) LEOPOLDO . 13 . Macedo JAMES .Eu namora a velha três horas e lhe dá 8 copas de vinho! êste aumenta originalidade de regabofe. JAMES . doutor Felipa! (Aperta-lhe a mão) FABRÍCIO .Mr. James.

Venoi. como Bayardo.Oh! Sr. c'est la fraternité. Mme. (A James) Mr.Deliciose. eu larga seu braço. LEOPOLDO .Eu sirvo o bolo inglês.A moreninha cena 5ª Os mesmos. acabam por formar aqui um inglesato de francesa! mas.Eu com mademoiseles me abandone à confiança de cavalheiros honrados! LEOPOLDO . mlle?. que espia da porta e ri. LEOPOLDO (Abrindo champanhe..Estar distraída por cativação. (Felipe toma o braço de Fanny) VENOI . como é isto? Vocês me deixaram solteiro?. e eu me ache vivamente apertade em laços de perigose seduction ! AUGUSTO . Fanny. Ip! Ip! Ip! Hurrah! Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. (Serve). Amor ladrão! FANNY (A Felipe) .Se me belisque outra vez. (Leopoldo toma o braço de Nini. FELIPE . James.) VENOI . Jeanette e Rafael. Venoi.Mme. Venoi.Antes do bôlo já foi o coração. Mr. (Vai servindo)...) .. Venoi.Eu me sinta em súbita rendimento aos encantas de Mme.(Arrebatando o bolo que Fanny levava à bôca).Que paraíso de Mahomet! Não sei para qual das três me volte! (James conversa com Venoi) FABRÍCIO (A Jeanette) .É por que a flama sai do amor.Sans peur et sans reproche. AUGUSTO . James. ministre é bien bom. 14 . As senhoras podem ter a certeza de que tudo aqui respire inocência.Pois um beliscãozinho faz mal. mas tem aqui um prato só. James e Mme. Venoi. JAMES . (Apresenta) Mme.. flores em viço de pureza.Eis a fonte de Baco! JAMES . antes de sairmos para o fogo. celibatário inofensivo.. e a iluminação é a giorno pelo fogo do meu amor! (A Fanny) A flama veio de você. Nini. ministro plenipotenciário da Inglaterra e nesta república. e mlles.Eu quer caneca maior! (Toma-a) E pede brinde apaixonado! (Em pé e canta) Come mme.A louça é variada por vaidade dos donos da casa.. até o bolo inglês com o seu cheiro de banha por manteiga. honestíssima viúva em retiro precoce: mlles. FELIPE . FABRÍCIO (A Jeanette) . criatura? AUGUSTO (Todos à mesa) .. JEANETTE (A Fabrício) . Venoi Outre beleza não há: Francesa amarrou inglês. tenha a bondade de embolar Mme. Venoi.) JAMES .Voules-vous faire com votre Jolie main un enxerto de garfo no meu braço. temos a honra de oferecer-lhes uma fatia de bolo inglês e uma taça de champanhe. nos come junte! come junte! VENOI . s'il vous plaite.Mr. (Jeanette toma-lhe o braço) À la gloire!. ladrão? FANNY (A Felipe) .

Ser original! eu quer.Por certa! eu estar caída no vulcão de Mme. 15 .. não admito! JAMES .Urrah!. a ave. eu nom pode mais! (A Augusto). você me tontea muito mais do que champanhe. tu serás jacamim.Eu e mlle. Vamos. quadrúpede.Ah!. Fabrício resume as aves de rapina. e me deixe o resto. tendo ao menos direito a fazer o último brinde! eu vou saldar o amor universal: mas com solenidade representativa: Eu dirijo o brinde. Venoi! Ip! Ip! Ip! TODOS .. Fanny requeremos para ser um casal de pombos batedores. O homem. doutor Augusta! AUGUSTO . AUGUSTO .Estoure esta bomba! (Serve a todos e a Nini) Beba primeiro. Bicharia e ralé atendei do hino do amor universal!. o peixe.Ip! Ip! Ip! Hurrah! FELIPE . James! o fogo que não se apague..Viva o casamento incivil internacional! JEANETTE .Joaquim Manoel de. FELIPE . e recitarei o hino do amor universal acompanhado em estribilho pelas vozes próprias dos animais irracionais que vós outros representareis. o rei da natureza.Senhor come bole inglês por tôda academia. FABRÍCIO . Atenção bicharia!. Ah! bebeu todo? NINI (A Leopoldo) ..No mundo o sêres todos amam-se a modos mil.Mr.Alto! reduzido a folião sem sócia na patuscada. (A Felipe).. Leopoldo perú.Estou fazendo de conta que o bôlo inglês é você. sou o homem. TODOS (Cantam) Da ralé o bando Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.Não.. Venoi é feia como mil diables.. Jeanette! LEOPOLDO (Abrindo champanhe) . e o sino está dando o sinal da partida: ao fogo! (Levantam-se) LEOPOLDO . estroina e cego o amor pinta o diabo E as diabruras curvo o mundo é todo amor. Toute Pleine! LEOPOLDO (Bebe pela mão de Nini) .Acabou o bôlo inglês. Nini! VENOI .O resto é muito feio: (Recebe o champanhe e oferece a Leopoldo). mimosa. RÉCITA ..Isto é pulha!. é gata. (Bebe) JAMES .. Jeanette.James é sapo e Venoi é rã. batráquios.. galináceos. Macedo (Todos) . e Nini galinhona. e ela maitaca. é gavião. (Bebem o sino dá horas) FABRÍCIO .Ainda há champanhe! o último brinde! Ao amor incendiário! (Abre champanhe e serve) AUGUSTO .. a bicharada e a flor: Arteiro. FABRÉCIO (A Jeanette) ..

e dança com a imitação dos movimentos próprios de cada animal) AUGUSTO .. coaxando. 16 . (Rompe o côro desordenado de vozes dos diversos animais representados. por tanto! Viva! o amor universal.) Fim do Prólogo Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.. miando. TODOS (Cantam) Da ralé o bando Nós vamos saudando etc.. nobreza. Ao sol traz as corujas exemplo Venoi Viva.. bicharada!. rodando Cantando. dançando. clero e povo. Tem seu grande palácio dos doidos no hospital. (Recita) O amor domina os reis. Piando.A moreninha Nós vamos saudando. Amor aclamando (Bis) Roncando. Pulando.Alto. (Repete-se tudo com ardor mais vivo.

17 .Joaquim Manoel de. Macedo Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.

e sem pedir copo d'água entraria pela noite. Clementina. Fabrício! AUGUSTO .Não pode falar mais! as senhoras já o declararam fora da lei. (Olhando para Joana.Se êle tornar a interromper-me. mas é claro que amo-a só e precisamente por que é bonita. se imediatamente e ainda no mesmo lugar contemplo outra. Tem terminado o jantar. James. sr.. . Êste meu colega é meio doido. gruta sob rochedo que se eleva. portanto o que eu amo é a sua boniteza: ora.Doido não é êle: será indiscreto por descobrir os segrêdos da Confraria. é lógico.Fabrício acuou! (Chega-se para Clementina. forçoso e natural que eu ame também essas por igual razão. e continua para dentro: No interior da gruta caem gotas d'água em natural bacia de pedra.) CENA 1ª (Ana.Ainda bem que o anjo da inocência me protegeu! Vou demonstrar que pela minha própria inconstância em amor. Augusto vem perseguido e em cêrco) Senhoras e Cavalheiros . 18 . Fabrício. cavalheiros.Isto é pardoxo revoltante e abominável! ANA . Augusto. CAROLINA . mais dez ou vinte senhoras bonitas. JOAQUINA (A Leopoldo) . Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. junto à qual há um copo de prata: Banco de relva. está excomungado.(Cantam) Castigo! Castigo Ao réu d'inconstâncias. Leopoldo. se fôsse comjgo. FABRÍCIO . hei de confundi-lo. Castigo à jactândia De infido rigor! Castigo ao volúvel Que zomba de amor! AUGUSTO . a entrar e a sair. por que sou o mais conseqüente escravo de amor.Fabrício perturba-se. sou o mais fiel e puro. amo-a logo. referindo certo caso de pescarias de pastéis de nata. LEOPOLDO . AUGUSTO . ANA . como a primeira.Quando vejo uma senhora bonita. eu falaria tôda a tarde. a Moreninha acaba de levantar-lhe a ex-comunhão: tem a palavra.. jardim. e Joana para Fabrício).A moreninha ATO I cena 1ª (Chácara em Paquetá: À esquerda e para o fundo dois degraus e porta de varanda que apenas se vê: À direita e à meia cena.É sofisma de calouro! (A Joaquina).Havendo proibição de falar. Gabriela.Sr. Joaquina. AUGUSTO .) FELIPE . e ao fundo e longe o mar. Carolina. Augusto. e senhoras. Joana.Eu peço a palavra para insistir em minha defesa! FABRÍCIO .À ordem. Felipe.

dona Quinquina! Um môço tão bonito bandoleiro assim!.O acusado defendeu-se: seja agora setenciado. de ceiar com as visões na lua.Senhora don. O Sr. é o terceiro beliscão que me dá!.Eu não disse coisa alguma.Joaquim Manoel de.Senhore don'Ana! amigo velha vem fazer saúde de boníssima future de doutor Felipe! vive doutor Felipe! (Bebe) ANA . don'Ana!.. é claro. (Vai para o outro lado). à pena de almoçar com a aurora no céu. Macedo AUGSTO (É interrompido por James. de jantar com o sol e as flores.Prossigo ainda. mas o Sr. portanto sendo amadas por êle. Mr.Se dona Gabriela está no caso. Ana! Amigo velha há de volta aqui cinqüenta anos fazer saúde de coração: Vive Sra.É pena. Augusto. o réu confessou o crime! CAROLINA . pode falar. as bonitas são suspeitas e não podem ser testemunhas. condeno-o pelo crime de inconstantes amores. ANA ...) CAROLINA . Fabrício.. aquela pela graça da gentileza. Qual! nem ela. não há feias aqui. aquel'outra pelo colo de alabastro: juro que em cada qual há encantos adoráveis que a preferência dada a uma fôra injustiça feita às outras. pois bem.Sim! a Moreninha! a Moreninha!.) Preciso ouvir testemunhas da acusação.Está vivo que a Moreninha quer absolver! CAROLINA . Fabrício.. ainda o condeno a merendar na terra pastéis de nata com o Sr. (Salta do banco) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. (Vai-se James).. . Bem.) TODOS . GABRIELA . (Bebe. Não há testemunhas.Sr. e não ama a nenhuma inteira: que se apresente pois alguma em cuja pessoa o Sr. A beleza se multiplica na variedade dos seus tipos: uma é pálida como as visões poéticas ao clarão da lua. GABRIELA (A Joaquina) ..Ah!. e não os feios.. minha avó. Augusto disse que ama os olhos de uma.A prima Joaninha quer saber a história dos pastéis de nata.Pode dizer-me que pastéis de nata foram êsses?. (Carolina em movimento). e portanto amo. 19 . a gentileza de outra. eu chamei as feias.) JAMES (Vem de casa de copo na mão). CAROLINA . FELIPE ... e o colo de alabastro daquel'outra. outra loura como a aurora no céu. depois volta para casa)... Carolina está intolerável!. e uma filha do sol e das flores que saiu morena..Obrigada. Augusto ama pálidas visões ao clarão da lua. nem outras!. (Pensa. e me desvaneço de amar a tôdas! JAMES (Rindo) ....Minha senhora.. CAROLINA (Junto de Joana) . portanto a tôdas mutila.Obrigada.... chamo pois as feias para depor: quem é feia se apresente!.. (Beliscão). A juiza deve ser a Moreninha que lhe deu o recurso da palavra. ANA . Augusto só tenha achado bonito um pedacinho. quem é feia? FABRÍCIO . JOANA (A Fabrício) . AUGUSTO . uma aurora que êle fêz loura no céu. filha do sol que abraza e das flores que respiram amor: esta sobressai pelo fulgor dos olhos negros. mas visto que o Sr. (Cercam Carolina e a obrigam a tomar posição no centro sôbre um banco. Mr.. James. JOANA . e para que haja uma hipótese de indigestão.Ai!. James... outra morena.Foi dona Clementina que me pediu para beliscá-lo: Felipe não a deixa ouvir o discurso do Sr. Augusto ama a tôdas as moças bonitas... (Carolina quer fugir.

Augusto. FELIPE .. uma coleção o satisfaz: beba ao alfabeto inteiro!. James.. que só deixa transpirar em massante romance que canta cem vêzes por dia!. AUGUSTO .Oh! eu vai continuar brinde de amores lá dentro. isso é plural!. repara muito em Augusto) Bela visão do passado Que na minh'alma ficou!. etc. Mr..Y'.. Mr.Uma incógnita!... e como impressionada. (Canta) (Carolina escuta curiosa. JAMES . (Carolina que tem fungido volta logo..A Moreninha absolveu o bandoleiro....... beberá desde o A até o Z. Augusto.. (Bebe) B' (Bebe) C'. ANA .Sempre obrigada.) FELIPE . don'Ane! Viva Moreninha.... (Bebe) FABRÍCIO .. Imagem de anjo mimoso Que mais nunca me deixou! Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.J'. (Indo à porta) Tragam champanhe!.. minha Senhora..Com efeito ser-me-ia bem difícil!. (James quer ir-se) FELIPE . CAROLINA ...Mr... (Bebe) FELIPE .. James.(Sempre a encher o copo) " A .Exigem o singular. James. FELIPE .. AUGUSTO . James!.Cada um de nós saudará ao único e exclusivo objeto do seu amor. GABRIELA (E outras) . JAMES . (Bebe) (Outros Cavalheiros pronunciam iniciais e bebem) JAMES . (Vai-se) CAROLINA (Oferecendo-lhe um copo) . James. (Bebe) D'. é a sua vez!. AUGUSTO (Recebendo a taça) .Basta...C'.Non! eu bebe um amor singular de cada vez.Bravo!.Eu denuncio o X do bandoleiro: Augusto cultiva a lembrança de algum amor misterioso.. desafio Augusto a fazê-lo!. eu porém vou aturdi-lo e castigá-lo.Não me farei rogar.Sr. bravo!.. temos um copo de champanhe a beber! JAMES ... Viva Moreninha!.Ah. ANA . (Os criados trazem bandejas.Sr. É! (Bebe) ANA . diga o seu romance! AUGUSTO . eu obedeço: não saudarei a todo o alfabeto.Criminosa esquecimenta! . rico e bonite!......) FELIPE .. JAMES (Rindo) .Sra.A moreninha VOZES . (Bebe) que ache noive honrade.A mais formosa protetora o manda.. (Bebe) LEOPOLDO .Firme! estar pronte!.Ao contrário! verá que lhe há de ser fácil.Mr. pronunciando a inicial do seu primeiro nome: o brinde é singular!.. há nele porém uma letra que na geometria representa a incógnita é o X: eu bebo ao X.. eu não tenho o previlégio de Mr. 20 . isso não pode ser. CAROLINA ..........

AUGUSTO . 21 ..(Os cavalheiros dão os braços às sras. e a outras senhoras também.. Num dia só que brilhou: Bela visão do passado Que na minh'alma ficou! VOZES ...Liberdade ao Sr..Eu ralharei com a travêssa que o enganou.Ah! ANA (Tomando o braço de Ana) . É bela e amena.....Muito bem! muito bem! GABRIELA ..Joaquim Manoel de. veja! (Augusto volta-se: Carolina vai-se correndo). Macedo Tenho fé qu'inda na vida Deus me dará meu encanto Aquêle amor que amei tanto. ANA . (No meio das flores) Gozemô-la já. AUGUSTO . passemos pelo jardim. festiva Em ledos fulgores A noite será! (Vão-se) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.) .(Voltando-se) Ora. porque são tôdas tão formosas. TODOS (Cantam saindo) A tarde é serena. Que logo mais Ardente.Está incluído no valor do X... GABRIELA . AUGUSTO . GABRIELA . AUGUSTO (Rindo-se ao ver-se iludido) . Excia.. mas.Minha senhora! (A Carolina) CAROLINA (Finge aceitar o braço) ..Com o maior prazer. sem a menor dúvida. não devo: dona Gabriela o reclama. Augusto.. ama extremoso e constante....Portanto o Sr. forçosamente.E o nome da visão do passado?.À V.

.. RECITA A moreninha da ledice o gênio.. ilusão. Travêssa e linda. foge ao sonho. É como a aurora. a alma lhe nevoa. voa (Vai-se correndo) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU..A moreninha cena 2ª (Carolina sai da gruta. borboleta e flor Aura que voa. Não fôra Aurora. súbito cuidado.. A moreninha .. senta-se pensativa e depois começa a repetir baixinho e docemente o romance de Augusto.. é colibri medroso.. Sonho.. graça que enfeitiça. Estende as asas... 22 .. (Levanta-se) Doida estou!.) CAROLINA Bela visão do passado Que na minh'alma ficou! Imagem de anjo mimoso Que mais nunca. Sorri à vida na insenção do amor.. flor e borboleta Se ela não fosse o gênio da alegria E quando ansioso. observa em tôrno.. porque a luz mais dôce No céu da face pura lhe radia.

) ANA . ANA .. AUGUSTO . caiu. quando um dia a mais linda menina.E depois?. AUGUSTO .A mãe da menina lhe mandara logo bôlsa cheia de ouro: meu pai chegou comigo pouco depois: encontramos um cadáver.. abençoando-nos.. e que mais?. uma velha soluçava..... ela sorriu-se e disse-me:" quando formos grandes o Sr. de súbito correu para ela.Confessei-me curiosa."oh! sim!." (Carolina retira-se comovida.. a menina inspirada pela caridade tirou do peito um alfinete de esmeralda. (Carolina à entrada da gruta. e só a velha e os órfãos para socorrer.. a mim o da esmeralda e disse com voz solene: "guardem-nos e esperem a bênção de Deus!". ANA .. de repente ela estacou." (Foge Carolina) ANA .. escuta e esconde-se)." tornei-lhe eu..Acaba de retratar-me uma criança."ah!. (Sentam-se) AUGUSTO . quer?" . eu a imitá-la arranquei da camisa um botão de camafeu.." respondi-lhe. que não podia ter mais que oito. enlevado. e por sua ordem a velha tirou de uma caixa descoseu. Sentemo-nos.Isto começa a afigurar-se romance!. como a continuar conversação) AUGUSTO . no branco a esmeralda. escorregou. cobiçava linda concha. se casará comigo. chorando: "meu pai está morrendo!.. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.Eu tinha 15 anos. abraçando dois netinhos quase em nudez ao pé do filho a morrer! em face da miséria e da agonia. o infeliz doente perguntou balbuciante: "quem sois?" o anjo respondeu infantilmente: "somos dois camaradas. o segrêdo inocente que tenho sempre negado a estudantes que de tudo riem.... levantou-se rápida. AUGUSTO . deu o breve do camafeu à menina.." e no mesmo instante exclamou a rir: "eu caí! eu caí!" e logo entristecida murmurou em desconsôlo:" uma concha tão linda!. quando formos grandes.tão bonita!. e olhando-me com seus belos olhos negros." Voamos ambos para o teto humilde! Oh!.. mas já de longe ainda nos voltamos um para o outro.. ANA . nos lançamos a correr pela praia. balbuciou a custo: "a esmola de seus pais para a velha e para os órfãos. fêz grande esfôrço. AUGUSTO .Joaquim Manoel de.. perguntou-me.Mas eu não hesito em confiar a V. dei-lhe a concha e.Apanhei. dissemos a um tempo: "para sempre!. AUGUSTO .sim!.Saimos a correr cada um do seu lado para nossas casas.. 23 ... e fechando os olhos... que havemos de casar-nos.Amor de meninos! e depois? (Carolina observa da gruta)..E o pobre doente?... e mostrando nossos breves. abriu dois breves. estava a borda do mar.. ANA . . e temia-se das ondas.. AUGUSTO . um branco e outro verde.Encerrou no verde o camafeu..... Excia.Quase logo vimos à porta de pobre casa um menino a bradar. " sou bonita ou feia?..... eu ia morrer afogada!. gritando assustada! .. demô-los. e o lindo anjo correu jubiloso!." ANA (Comovida) .. e depois?..."Deus o permitirá!" murmurou o infeliz.. Macedo cena 3ª (Ana e Augusto. logo camaradas.Dois breves?. e logo aquele homem que ia morrer..

A moreninha ANA - Infelizes! (Silêncio). mas... a menina de oito anos?... AUGUSTO - Não tornei mais a vê-la! é a minha visão do passado. ANA - Ao menos o seu nome... AUGUSTO - Não lh'o perguntei, nem ela m'o disse. ANA - Em suma... foi amor de crianças... AUGUSTO - Que guardei no coração com a imagem mais linda e graciosa... oh! (Voltando-se) (Carolina foge de todo). ANA - Que é? AUGUSTO - Pareceu-me ouvir passos... do lado da gruta... (Em pé) ANA - Talvez algum indiscreto... veja! (Augusto observa a gruta). AUGUSTO - Ninguém! (Avança para cena.) ninguém! oh! lá vejo sua bela neta imóvel e pensativa junto à estátua da esperança. ANA - É singular!... a Moreninha quieta e pensativa! AUGUSTO - Agora esquiva-se ligeira, e vêm chegando as duas sobrinhas de V. Excia. ANA - Para interromper-nos: eu voltarei a procurá-lo: desejo ouvi-lo ainda. (Entra em casa: Augusto vai-se pelo fundo.)

Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.

24

Joaquim Manoel de, Macedo

cena 4ª
(Joana e Joaquina) JOAQUINA - Que aconteceu, mana? Você está aflita... JOANA - Menos essa: aflita, não; desapontada, sim: o primo Felipe e dona Clementina vão casar-se em breve. JOAQUINA - Deveras!... que demônio aquêle!... eu não te dizia, que além de estudante êle era judeu? JOANA - Mas ainda há 5 dias derrentendo-se em finezas, e a dizer-me coisas que deviam fazer-me esperar... ah!... e não poder vingar-me!... JOAQUINA - Nem pensar nisso: nestes casos a gente faz rosto alegre e manda o coração procurar novos ares, e novos climas. JOANA - É claro: também feitas as contas já estava paga: o que me despontou foi a surprêsa da notícia logo depois dos seus dez mil juramentos de amor há cinco dias. JOAQUINA - Êle é capaz de repeti-los ainda amanhã. JOANA - Oh, se é!... ao menos porém quero divertir-me, perturbando-lhe gozos desta festa. JOAQUINA - Como? JOANA - Conto contigo e ser-me-á fácil aproveitar a sonsidade de dona Gabriela. Tenho a idéia de inflamaro meu belo primo em ciúmes da sua noiva. JOAQUINA - Mas de que modo?... JOANA - Não sei ainda... vamos pensar.... deve ser intriga de bom gôsto... reflete... imagina... JOAQUINA - Agora é impossível. (Voltando-se) Dissimula, e ri. JOANA - Ah! tenho um toleirão, que me pagará as culpas do nosso primo namorador. (Joana, Joaquina, Leopoldo e Fabrício.)

Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.

25

A moreninha

cena 5ª
Joana, Joaquina, Leopoldo e Fabrício. LEOPOLDO - Presas por crime de deserção! (Oferecendo o braço a Joaquina) JOAQUINA (Tomando o braço) - O Sr. sabe prender, eu o sinto; duvido porém que saiba prender-se... (Vão indo.) ou que se deixe prender... vamos... LEOPOLDO - Pode ser que também o sol duvide que abraza. (Vão-se)

Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.

26

Joaquim Manoel de, Macedo

cena 6ª
(Joana, Fabrício, logo Carolina) FABRÍCIO (Oferecendo o braço) - E V. Excia?... resiste à prisão?... JOANA - Sem dúvida a sua modéstia julga isso impossível. FABRÍCIO - Ah! eu apenas calculava com a bondade de V. Excia. JOANA - A bondade perde-se, quando no coração se apaga a crença. O Sr. enganou-se comigo, ou antes fui eu que o enganei: não tenho os dotes que deslumbram a sua delicadeza: eu nem sei fabricar pastéis de nata! (Carolina chega-se pé por pé.) FABRÍCIO - Já expliquei por vezes essa zombaria; mas V. Excia. insiste em confundir-me de modo que me transtorna a razão! CAROLINA- Ah, prima! não ponha doido o sr. Fabrício! (Entre os dois) JOANA - Você jurou perseguir-me hoje? se procura rir-se à custa de alguém o Senhor Fabrício é mais divertido... FABRÍCIO (Desapontado) - Que bonita rosa! (A Carolina). V. Excia. tráz na mão o símbolo da beleza; por que a rosa é bela; mas espinha. (A Joana). Não é verdade, minha Senhora? (Joana volta-lhe o rosto.) CAROLINA - O cumprimento vem espinhado no símbolo! (A Joana) Não se arrufe! (A Fabrício) O Sr. quer a rosa simbólica? FABRÍCIO - Desejo-a por isso e pela mão mimosa que oferece. JOANA (A FABRÍCIO) - Também a Moreninha?... (A Carolina) Dê-lhe a rosa, prima; êle faz coleções de flores... CAROLINA - Dou-lh'a por ser o retrato da prima. (Dá a rosa). FABRÍCIO (Carolina o faz espinhar-se) - Agradecido... ai! JOANA - Que foi? algum espinho? o complemento do símbolo?... FABRÍCIO - Nada: uma gota de sangue... mas a rosa é minha! CAROLINA (Chega-se) - Espinhou-se? Feriu-se?... oh! rosa cruel!... eu te amaldiçôo! (Com um riparote desfolha a rosa e foge) JOANA - Muito bem feito! (Fabrício oferece-lhe o braço) - Obrigada... (recusando) Não me embalo com ilusões... peço-lhe que me esqueça... (Vai-se).

Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.

27

tonteamento com juízo. há nela inocência de mistura com malícia.) AUGUSTO (Seguindo-o) . pasteleiro?.. FABRÍCIO .A moreninha cena 7ª (Fabrício desapontado e Augusto que entra rindo). a Quinquina me encanta. dona Gabriela me cativa. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.Que cara é essa. depois estouvada e impertinente. AUGUSTO . Durante o jantar achei-a espirituosa..Cara em duplicata contraditória: puseste-me em vergonhosa derrota. travessa com sensibilidade.. e de buço castanho e que me olha com raiva. mas creio que a Joaninha me passou carta de liberdade.. Como vais tu de paixões românticas?. no jardim feiticeira e linda!.. AUGUSTO .Problema a resolver! Quando cheguei aqui pareceu-me bonitinha. FABRÍCIO . 28 . FABRÍCIO .. e tem covinha nas faces. dar-te-ia nela o papel que mereces.Se eu a escrevesse. uma outra de cabelos pretos. beleza sem vaidade.Diabo! assim vão tôdas! e a Moreninha? AUGUSTO .... certa ingênua que não fala.Todos em flamas! a Joaninha me arrebata. e uma outra.Augusto! vais perder a aposta que fizeste com Felipe! apronta a comédia!. graça sem artifício. (Vai-se....

.. a quem está falando: eu já sei que o Sr.. sem altar no coração.Antes o fôsse! mas a minha inconstância é real.Confesso que não sei o breve que contém a esmeralda é de fato e de direito talisman de constância que trago sempre comigo.Um beija-flor?.Joaquim Manoel de. talvez devido a excesso de sensibilidade.Sim.) AUGUSTO .. render-me sucessivamente cativo a tantas belezas?.. está aqui: (Mostra o peito) mas para com as senhoras não serei de direito: mas sou de fato. (Carolina desaparece) Nos versos que lhe ouvimos luz a esperança de encontrar ainda a sua camarada: Se assim acontecesse como se haveria com a inconstância a transviá-lo e com o seu breve branco a prendê-lo a bela visão do passado?. (Carolina observa.Oh! se nessa doce lembrança do passado eu cultivasse em único e exclusivo amor.) AUGUSTO . ANA .De uma idéia que me acudiu. AUGUSTO . (Augusto dá alguns passos e observa. Ouvi com interêsse a história da sua incógnita. ANA . que sai de casa) ANA . mas porque hei de ser beija-flor?.Oh! é sua interessante neta que trás preso um beija-flor. Excia ri?.. é amante apaixonado e fiel da sua noiva de oito anos de idade. Beija-flor no caso! VOZES (Cantam dentro) O tipo da inconstância Escravo está de amor! Caiu da Moreninha No laço encantador. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.. como o botânico com as plantas. como poderia à semelhança do beija-flor que festeja tôdas as flores. ANA . Quero ainda importuná-lo. e reconheci o que pensava: a sua inconstância em amor é apenas fingimento.São cultos efêmeros dos olhos.. AUGUSTO .. esqueço facilmente tôdas elas e nunca a linda menina..Deixe ir o seu amigo.. 29 . ANA . ANA .Que será isto?.Repare que é uma velha. acho em tôdas encantos adoráveis.. V. AUGUSTO . Macedo cena 8ª (Augusto e Ana...

Veja. se entregou rendido. Não dou. solta êsse lindo e inocente passarinho!.Eu tinha-te proibido tocar no ninho dos beija-flores!. e me caiu no seio. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU... CAROLINA (Recita) Não fui buscá-lo.. AUGUSTO (A Fabrício) . Sorri-me ledo. CÔRO DAS SENHORAS O tipo da inconstância Escravo está de amor Não solte. Todos a cercam. Do prado as flores voe a festejar. A tôdas nós compete Ter preso o beija-flor.. e quietinho!. Ana. 30 . não.. Joana.. Gabriela. e a sedução do riso Pousou-me ao ombro. Leopoldo. ( Mostrando) vejam só... E da beleza e amor. minha avó. não cedo o beija-flor mimoso. meu encanto o inflama. É meu cativo. na mão um beija-flor.A moreninha cena 9ª Augusto. manso.. ardam no anelar ativo.Pasteleiro! isto não te faz palpitar o coração?.. Que à moreninha se rendeu cativo: CÔRO DAS SENHORAS A causa é de nós tôdas... não solte Não solte o beija-flor.. Felipe... CAROLINA (Recita) Soltá-lo posso.. como é formoso!. está preso. Clementina e senhoras. CAROLINA (Falado) .) CAROLINA (Recita) Embora a glória me invejando tôdas Ansiem. Joaquina.Ah!.. Fabrício.. cavalheiros e Carolina que tráz.. ANA .) SENHORAS .. o cativeiro adora: Soltá-lo posso. que há de a mim voltar! (Soltá-lo o Beija-flor. Viu-me entre as flôres. e enleiado veio.

como ficarei agora?. Augusto.. ANA . pois quem bebe daquela água.Cuidado!. garboso cabloco que de costume vinha caçar na ilha e pescar perto de suas praias.. e um dia tocou terna harmonia o ouvido de Jonassu.Apronta a comédia.Coema viveu ditosa. a tradição o conserva. GABRIELA . e o ingrato nem ouvia o magoado soluçar nem o canto apaixonado. a caboclinha aperfeiçoara a afinação do canto e destilação das lágrimas! ANA .. JOAQUINA (A Leopoldo) .E foi-se o beija-flor! mas a propósito! o Sr.... o que é mais grave. logo após caiu-lhe sôbre os coração uma lágrima..Pudera!.. viu Coema e amou-a!... a qual amava Jonassu. Excia... a amorosa índia cantava e se desfazia em lágrimas. e êle exclamou suspirando: "amor!... AUGUSTO .Quisera ouvi-la cantar do alto do rochedo! então sim!. sem que uma vez ao menos olhasse para a infeliz que em pé sôbre o rochedo o esperava sempre.Perdão! fui eu somente o paroleiro enfadonho e a prova do muito que falei é a sêde que me devora: peço licença para beber um copo d'água desta atrativa fonte. LEOPOLDO (A Joaquina) .. ANA .. ouvir o canto de Coema.. e.Bebeu lágrimas de amor. até agora eclipsado. 31 . (Carolina se retira...E que nos diz da segunda?.. AUGUSTO . AUGUSTO . êle teve de sacrificar-se à garrulice de uma velha. ANA .Enquanto êle repousava. Macedo FABRÍCIO (A Augusto) . CAROLINA (Do alto do rochedo canta) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.A primeira virtude é positiva: as Senhoras mal pensam quantos dos seus segredos já eu sei! JOAQUINA .Não senhor. que murmurou comovido: "encanto"!. Augusto! ANA .Ainda ponho em dúvida o encanto: creio que para influição desse amor milagre seria preciso além de beber as lágrimas..Coitadinha! Jonassu ainda era pior do que o Sr. tendo duas virtudes ou condições perigosas.. GABRIELA .. e suas lágrimas que caem gota a gota ainda hoje. adivinha os segredos de amor das pessoas presentes. e. quer um copo d'água?.Enfeitiçado já eu estava!. ANA . mas ficaram encantadas no rochedo as suas harmonias que dizem ouvir-se às vêzes. deve estar com sêde..Joaquim Manoel de. essa fonte é encantada!.. se a caboclinha ressucitasse!.. mas as lágrimas e as harmonias chegaram a traspassar o rochedo. AUGUSTO . correu para fora da gruta. tenho medo de moléstias do coração. GABRIELA . AUGUSTO .) LEOPOLDO . Augusto.Mártir do ressentimento das Senhoras. fica para sempre escravo de um só e perpétuo amor.." e levantou-se... (Entra na gruta) FELIPE (Vendo Augusto beber) ... é uma balada. descansando depois naquela gruta... Dizem que no tempo do domínio dos índios habitava com seus pais nesta ilha uma linda caboclinha de nome Coema.Ah!.Eu lhes conto a tradição desta fonte. do amor único e perpétuo?...V.Estás enfeitiçado. e por onde floribeijava?..

. VOZES Ei-la!. (Movimento geral) AUGUSTO .... FIM DO 1° ATO Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.A moreninha Aqui venho chorar!.) Todos . Ou sempre que tornares Terás de ouvir meus áis. 32 . E aqui não tornes mais.. Que por tão triste amor Aqui venho chorar. Mas amo e não amada Sou tôda amor ainda.Eu creio nos encantos de de Coema!. E eu sou a pobre flor Que vai morrer de amor....Ah!... bravo!... Ingrato! ingrato. Aquêle que eu adoro. (Carolina desce do rochedo correndo.Bravo!..) AUGUSTO . CAROLINA (Canta) Eu tenho 15 anos Eu sou morena e linda. E por tão triste amor Aqui venho chorar.. É qual rio que corre Sem ver a flor amante Que à margem pende e morre... foge!. (Voltam-se todos. ah!.

Macedo Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.Joaquim Manoel de. 33 .

Joaquina e Gabriela. abre portas para varanda de colunas. E o bandoleiro? GABRIELA . que entra) JOAQUINA . e há sempre no jardim ruído festivo. GABRIELA (Entrando) . livro de sortes e dados. 34 . Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. e a Moreninha perilampadeja traquinando.Tomo nota. JOANA . basta-me arranhar.Coitado! D. Por exemplo: D. A casa acha-se iluminada. JOAQUINA . piano. Augusto. e serve de troféu a feliz vencedora.Melhor: será intriga inocente.Portanto mais verossímil. É noite.Nem o larga! é caso de se requerer habeas-corpus: . (Em pé) Estar-se representando aqui uma Comédia. além da qual se avista o jardim iluminado. Clementina está em pleno uso e domínio do braço do Sr... na qual temos a honra de desempenhar os papéis de comparsas. JOANA . Creio que Jonassu rendeu-se à Caboclinha. JOANA .Joaninha! (Começa-se a perceber o clarão da fogueira). Violante é velha e tem natureza de Carrapato. não não quero ferir.Mas o bandoleiro deixa-a falar e não tira os olhos da Moreninha.D. mas perseguindo sempre especialmente o môço dos pastéis de nata. GABRIELA . Mobília elegante. JOANA ... GABRIELA .Abandonaram o campo? D. Portas laterais de salas interiores e de comunicação da casa.A moreninha ATO II cena 1ª (Sala que ao f. Violante ainda não o largou! JOAQUINA . (Querem ir-se)... (Sentam-se) JOAQUINA . JOANA .É o monopólio da família. mesas. mas não tem como ela o dom de agradar ao Sr.Nada: acendem a fogueira. Gabriela é muito mais bonita do que a Moreninha.Que quer dizer?. vamos brincar. sôbre uma destas. Felipe.Não pode ter conseqüências.Isso é trivial.) (Principia com o côro "Viva Sant'Ana") CENA 1ª (Joana.

era incombustível como o amianto.Isso nos divertiria muito! Mas o meio? CÔRO (Dentro) Viva Sant'Ana! Ferva a alegria! No céu há festa.Dei apenas uma resposta aérea. VIOLANTE . Sr..) FELIPE .Com efeito. Augusto! Viu o balão? AUGUSTO . Joaquina.Parceiro só até que chegue de volta o Capitão Fábio. JOAQUINA (Chegando-se) . Ana que logo se retira. AUGUSTO . ANA . Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. Felipe e três cavaleiros que se sentam a jogar. Eis uma cadeira. queimam-me sem piedade! CAROLINA (Chegando-se à mesa do fogo) .Sr. prefiro aquelas que fazem perder o coração.Boa noite. VOLANTE .. Augusto que traz pelo braço violante..Joaquim Manoel de. mas neste caso eu cedo ao instinto de conservação. se tivesse subido nêle! VIOLANTE .. Senhoras que entram e saem. Que é santo o dia! Ferva alegria Viva Sant'Ana. eu me prendo à sua conversação.Porque? Preferia o balão à minha companhia? AUGUSTO . pertenço todo as Sras. Gabriela. Fabrício. Excia. Excia.Ah! e imaginei-me feliz..Não. desculpe esta menina travêssa... (Sentam-se) Hoje não jogo.O orvalho pode fazer-lhe mal.Ao contrário.Perdão! é quase crime fugir de V. FABRÍCIO (A fugir de Carolina) .O culpado foi êle! Chamou-me bela incendiária e naturalmente eu quis experimentar se o incendiava. (Augusto entra com Violante) FABRÍCIO (A Joana) ..Estas fazem apenas perder dinheiro. (Começa o jôgo do Voltarete.. Logo depois Carolina com uma rodinha acesa a perseguir Fabrício. têm bom gôsto! jogam em noite de fogueira! (Fica olhando) GABRIELA . 35 . Joana conversa com Gabriela).. JOANA (A Fabrício) . ANA .Mas (Abrindo o relógio) há duas horas que eu abuso da bondade de V. no sentido da pergunta nebulosa.Ah! os Srs.Eu pensava que o sr..E não tem aí quatro damas? FELIPE . AUGUSTO . perdão! as flores amam o orvalho.Carolina! Carolina! CAROLINA (Parando) . Macedo cena 2ª (Joana. GABRIELA (A Joaquina) . vamos antes passear no jardim.. a pergunta foi aerostática! As môças dêste tempo não sabem conversar com espírito.

.Mata a manilha e a tôdas.Qual é a carta maior? FELIPE (Mostrando) . (Carolina arrebata a espadilha) CAROLINA . mas desta vez a travêssa tem razão. FELIPE (A Augusto. que mata a manilha. JAOANA (A Gabriela) .Assassina! fogueira com ela! (Vai-se correndo) FELIPE (Levantando-se) . CAROLINA .Viva Sant'Ana! (Foguetes.Adeus.Não há jôgo possível.Lisonjeiro! e quer que o o deixe! vamos orvalhar-nos. quer o meu braço? Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. vamos para a sala das sras. a espadinha.Como se chama êste jôgo? FELIPE .. perverso! (Vai-se com Violante) JOAQUINA (A Gabriela) . (Vai-se com Gabriela: Entram a e) VOZES (Dentro) .Vamos aplaudir a fogueira! Prima Quinquina.Voltarete..Adeus. JOANA .Deixemos por hora o bandoleiro na penitenciária.Aqui não temos liberdade.É caso de habeas-corpus.. ou não? GABRIELA (A Joaquina) . mas somente como zombaria inocente.Pois ela mata? FELIPE .Esta.A moreninha VIOLANTE . bombas) FELIPE (Aos cavalheiros) . e basto e a tôdas. 36 . (A Joana) Convenho na intriga. ditoso Augusto! AUGUSTO . que passa) . (Conversam) CAROLINA . CAROLINA .Está claro.

segue-a) CAROLINA . ANA . FELIPE . 37 .) Misericórdia! Ai! ai! que horror! Ai que furor! Misericórdia! Ai! ai! ai! ai! Misericórdia! (Bichas e estalos sempre.Joaquim Manoel de.Mas agora cumpre a despertá-lo a fogo rolante! Venham cartas de bichas e estalos! (Sai Leopoldo) As Snras.. .. Macedo cena 3ª (Joaquina... VIOLANTE . eu sou muito nervosa! LEOPOLDO (De volta) . não entram no jôgo.. Violante que não o larga.. Grande ruído. mas gritam consternadas.. Clementina. D. cavalheiros. Carolina. Felipe.Senhoras..! GABRIELA . Leopoldo. imitam caixas de guerra trombetas) Fogo a porfia! Artilharia! Pom! pom! pom! pom! Fogo a porfia! Fuzilaria! Rom! rom! rom! rom! Fogo! Fogo! Pom! pom! pom! pom! Rom! rom! rom! rom! SENHORAS (Cantam ao mesmo tempo. por 2 minutos só.Ai! não posso deixá-lo!... durante o côro.Não é possível.. Fabrício. Joana e Gabriela assentadas.. foi dormir na sala das Snras. (A Violante) Precisamos de Augusto.Estão roncando na sala particular das Snras.Eis as munições de guerra!. (Entra Felipe. Violante.) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. Augusto.. e errando a porta de seu quarto.. e logo depois James) JOANA ...Ao fogo rolante! (Atacam bichas à porta de E. Ana. James excedeu-se hoje um pouco no jantar. eu vou.Oh! um homem lá!... quero ver.! êle não estava em si.Como foi que nenhuma das medrosas desmaiou? Aposto que não é coisa de cuidado? (Felipe sai rindo-se) ANA (De volta) Perdoem! Mr. (Traz cartas de bichas) FELIPE .) CAVALHEIROS (Cantam.É homem que ronca ou fera que ruge! FELIPE .

James. Viva Sra. D. (Vão saindo. e tu.Vamos pois a fogueira!. mas eu ser duque de Wellington e vence vocês tôdas. mas ataque bombas! FELIPE . Ana! VOZES (Dentro) . podes cantar comigo. (Foguetes) CAROLINA . venha saltar a fogueira! JAMES . 38 .Viva Sant'Ana.... Augusto?.Não salta foqueiras.Mr..) AUGUSTO . Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.A moreninha JAMES (À porta) Êste é batalha de Waterloo.Não tardo.

. se quiser lhe confiar o segrêdo glorificador de amigo muito estimado seu.... calafrios nos lombos. sei tudo.Minha amiga.Joaquim Manoel de.Já os ouvi 3 vêzes. tonteiras..Outro ofício. no coração.Eu vinha libertá-lo trazendo para apresentar a D. Ana. asseguro-lhe que é muito estúpido! (Vai-se) ANA (A Augusto) .agora porém.Sim. AUGUSTO . além disso.. Clementina) ANA (A Violante) . VIOLANTE .. minha Sra.. vou começar de novo. muito comuns nos homens e raramente confessados pelas Sras. palpitações. quando fomos interrompidos.. e eu darei prova de indiscrição. AUGUSTO ... ANA . que é que eu sofro? AUGUSTO . acertava com a minha moléstia.Minha Sra..Mas o Sr.. Então. evidente. prêso há mais de duas horas.. VIOLANTE (Recuando) ..Atende bem: fui sempre muito sensível.É inútil. AUGUSTO . VIOLANTE .... Violante que se retira. V. eu me referia.Espero mostrar que ao contrário do que se increpa ao meu sexo sei guardar segredos. (Clementina aceita o braço de Augusto) CLEMENTINA .. abana-se fortemente com o leque) (Augusto. Macedo cena 4ª (Augusto Violante) VIOLANTE . (Foguetes e bombas dentro) AUGUSTO ... Claríssimo.A sua moléstia.Ouvi o seu diagnóstico: perdôo-lhe o recurso cruel. talvez se engane.Depois hei de consultá-lo também sobre uma demanda que tenho. (A Ana) Êle não tem espírito. sofre. Violante a minha..Vou gozar o fresco da noite. VIOLANTE .. . não há de abandonar-me! lembre-se... já estou bem informado.... menino! oh! não nasceu para médico! (Retirando-se. em atenção ao abuso de que era vítima. AUGUSTO . AUGUSTO ..Que é que diz? AUGUSTO .. atraiçoando mimosa confidência de que Felipe me julgou digno. Excia.. revoltei-me contra a ameaça de prisão perpétua. CLEMENTINA (Abaixando os olhos) .Hemorróides.Ah! pois eu sofro moléstia masculina?. 39 . VIOLANTE (Furiosa) . quero repetir-lhe por miudo os meus padecimentos.Ah! eu logo vi que o Sr.Ah! Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.Os homens são sempre muito mais indiscretos....... mas. penso que o mal está aqui. deixa o seu amável cavalheiro? VIOLANTE . são crônicos. VIOLANTE . dá licença?. Clementina. Sr. Augusto dê agora o braço a D.Quanto ao tratamento..

40 .. É crime de estelionato. vai ficar prêso.Falaremos mal de Felipe.Já sabia? tanto melhor.. (Saindo) Clementina êle já está sentenciado.A moreninha ANA . Exa. êle ousou abrir-me o coração que já era de V. (Vão-se) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.. (Foguetes e bombas dentro) AUGUSTO .. minha Sra..

Desatou a rir. finja-se jubilosa.Conversando com a Moreninha.. (Vão-se. e brincou em dôbro.Ótimo! Vou já dá-lo ao Fabrício.E ela? VOZES (Dentro) .Olhe.D. o bandoleiro fica-lhe entregue a discrição! Êle não trazia na casa da sôbre-casaca um raminho de violetas? GABRIELA . tome o braço do bandoleiro.Trazia.. mas ainda assim é caso grave! (Vai-se) GABRIELA (Mostrando) . então êle.Já fiz mais: . deixando-o depois mostre no peito o raminho de violetas. GABRIELA . Joana e Gabriela).Viva Sant'Ana! (Foguetes) GABRIELA . não faça de mim tabela para carambolar no bandoleiro! JOANA . JOANA .Antes isso..Titia. mas olhe que é só para concordar com você. Macedo cena 6ª (Ana que sai logo.Ah!. Serve? JOANA . Violante harpoou-o! ANA . é o botão de rosa que a Moreninha trazia no peito. por que você estava ardendo em ciúmes. (Dá-lhe as violetas).Mas veja.Que vãos escrúpulos! Não vê que é jogo de flores? Venha. (Recebe o botão).Que lhe aconteceu? (Sempre rindo e fogo dentro) JOANA .Quinquina lh'o roubou no jardim: você logo que tiver ocasião. caiu-lhe e eu apanhei-o. é deveras? JOANA .Farei diabruras de môça. James! ANA . Tome.. JOANA .Excelente! você brilhou! GABRIELA . e. sim! JOANA .) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.Êle é padecente e eu deixo-o padecer! GABRIELA . pedi-lhe que não continuasse a brincar com o Fabrício. acuda a Mr. 41 . e o obrigarei a trazê-lo ostentoso tôda a noite.Não.Joaquim Manoel de. Quinquina nos espera. como prenda recebida de mim.. JOANA .. JOANA . GABRIELA (Recebendo) .

mas eu quer ataca bombes!. Lá fora faz muito frio. merece todos os sacrifícios..Mas cai geada. 42 . Violante. JAMES . D.. JAMES ..Obrigade.A moreninha cena 7ª (James muito contrariado e Violante).Perto de fogueira está quente. e eu toma pormissão de ir para fora.Acha justíssima... (Violante levanta-se e toma-lhe o braço. Sra.Obrigade! Obrigade!.Descansemos aqui. Eu gosto. atacará bombas. Muito obrigade! (Vão-se.) VIOLANTE . prefiro esta sala. VIOLANTE . (Senta-se. VIOLANTE . VIOLANTE .. JAMES . e me acenderá rodinhas.) JAMES .) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. para não constipa fique na sala.O Sr.Em tal caso irei também: o Sr.

.Uma contradança!.. mordem como serra em madeira. É denunciador.. As duas feias da cidade. Clementina: êste leva as iniciais do nome do dono.. Clementina deixou o braço de Augusto..Bem! e eu já furtei o lenço do bandoleiro.. somos duas inocentes... saiamos daqui! JOANA . já há arrufos entre os noivos. 43 .Ao contrário. que antes de tempo já se pos com o raminho de violetas ao peito! JOANA .Escuta depressa: conversando de propósito com aquelas duas môças muito feias que vieram da cidade. JOANA ..Adiantou-se por néscia e presumida. D. Apoiado! Apoiado!.Aí vêm todos.E como é chic!.. ei-lo! (Mostra-o. Logo depois.. VOZES (Dentro) . Macedo cena 8ª (Joana e Joaquina) JOAQUINA ..) JOAQUINA . Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.Joaquim Manoel de. Chic de mais para homem!.. fiquemos.... JOAQUINA .Hei de trocá-lo no primeiro enseja pelo de D. pouco importa. disse e fi-las dizer mentiras que o desnortearam.. e fingindo não ver o primo Felipe que estava perto. JOAQUINA . (Examinando) JOANA .Mas olha que D. Gabriela está a namorar o Augusto de modo ridículo e desfrutável! E tão néscia.

Perdão. (Levando-o) JAMES .. Soam de novo os foguetes e os vivas dentro.No jardim seremos inspirados pelas flores. entram criados trazendo em bandejas caras e batatas.. VIOLANTE .) CAROLINA (A Fabrício) . D. non dance triste!. eu quer! fica consolade!.Eu toma conta de piano e toca contradance.Não. Augusto repara no botão de rosa ao peito de Fabrício que Gabriela lh'o mostra.. e ao apanhá-lo.Eu triste? (Dança vivamente) Ora!.Bravo.....De não tocar piano.. Fabrício com Carolina.Obrigade.Oh! mas eu jura que não tem mais nada para dizer!. James! (James dança frenético.. Fabrício. Felipe..Eu já fiz protestação de que non tem mais nada para dizerrr! (Sai pisando forte) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.Eu danço. Os cavalheiros e sras. obrigade! (Começa a contradança. fique sentada comendo batates. JAMES .Ora. VIOLANTE . Acaba a contradança. um cavalheiro ou uma sra. (Faz-lhe cair o lenço. Clementina com Felipe. Carolina repara nas violetas que Gabriela tem ao peito.. Joaninha! que bondade! (Recebe o lenço..Moreninha..) JAMES . troca-o pelo de Augusto.a sua conversação cativa! JAMES ..Consolado de que? JAMES . Violante o imita. Joana.. lembra fogo de barraqueiros? eu estar como lá. e eu ataque bombes. (Forma-se a contradança..Menos essa! quero dançar e não prescindo do meu belo cavalheiro.. Leopoldo dança com Joaquina. Clementina! foi sem querer.Ah! Dr. Leopoldo. Violante. Augusto com Gabriela.Senhore D. que diable de destine!. D.) FELIPE . VIOLANTE . não. VIOLANTE .. eu comerei batatas passeiando: . fica triste depois dança com ardor... (Com raiva) JOANA .) JAMES (Na segunda marca) .Moreninha.A moreninha cena 9ª Ana. JAMES . servem-se e vão saindo.) JAMES . James com Violante. obrigade!.. senhoras e cavalheiros. mas há de ser de vis-á-vis com Mr. 44 . CAROLINA .. Mr. Carolina. toca o piano. Joaquina.. James.Uma contradança! Pares! Pares! JAMES .. VIOLANTE .) CLEMENTINA .

Joaquim Manoel de. como o coração de Augusto contém amores diversos.Ainda como batatas! (Reparando em Fabrício) FABRÍCIO (Em pé) . CAROLINA . mas é verdade! Donde lhe veio êsse botão de rosa? eu o perdi. Que entra) CAROLINA . duvidei. é porém meu..Minha senhora. 45 . tenho um horror às batatas. vou consultar sôbre o caso a pessoa a quem devo o botão letigioso! (Vai-se. minha senhora. Exa. não ousando resistir a V. em meu caráter de estudante. Eu comi um cará mimoso.Uma só roseira pode conter tantos botões semelhantes. CAROLINA .) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. Macedo cena 10ª (Fabrício que ficara a comer carás) (Carolina.Não lhe permito trazer êsse botão de rosa: restitua-m'o! FABRÍCIO .Não. FABRÍCIO .Avisaram-me.

VIOLANTE . James! o casamento é santo! JAMES .Non. JAMES .É muito justo. VIOLANTE .) CAROLINA (A Fabrício que sai) ...) CAROLINA (Recita ao piano) Minha esperança que raiou tão linda Nos sonhos d'alma em ilusão d'amor. é solteiro ou viúvo? JAMES .Que interêsse liga a êsse raminho de violetas?. VIOLANTE . JAMES .Sim.Sra. Dne. vamos..Sim. Felipe e Clementina que se retiram logo. James!. (Vão-se. como ao vento gélido Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. James! Mr. VIOLANTE ..Compreendo.Eu também Mr. que igualmente me acanha! JAMES .Non o que?. VIOLANTE . VIOLANTE . ah! ao menos tranqüililze a sra..Sim.E pretende voltar ainda a Inglaterra? JAMES (Sem atender) . o meu coração!. VIOLANTE . Não acha que as predileções de Augusto a ocupam muito? CLEMENTINA . você se amofina e me incomoda sem razão...... (Vão-se. 46 .Ah! viagem de recreio! ai! ai! se eu pudesse viajar assim! JAMES .Sim.. James e Violante.Ah! isso é outro caso! JAMES . é solteiro! e estimaria casar-se?.Felipe. e esta! JAMES ..Eu indica que non tem mais nada para dizerrr...Non. eu lh'o juro..Conte com a desforra!.Mr.) VIOLANTE . Murchou tão cedo..Mas não é tão ingrato que lá se deixe ficar!. que me importa! (Ao piano) FELIPE ..Sim. o Sr.Entendo.Non.. VIOLANTE . que quer indicar? JAMES . é perturbação. e também a Moreninha parece melancólica!..Non. me acenderá rodinhas. VIOLANTE . Mas.A moreninha cena 11ª (Carolina que vai sentar-se ao piano.. Violante! eu quer permissão de ataca bombes! VIOLANTE ...Concorda? O Sr. (Carolina harpeja) Ah! repare que ela não ouça! FELIPE .

... que vale a flor que murchou?. (Levanta-se e fala) . (Triste depois de breve silêncio) flor que murchou!..Ora! pois que murchasse!. 47 ... Macedo Descora e murcha na solidão a flor.Joaquim Manoel de. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.

. ah! Sr...Ah! murchas!..) AUGUSTO . sonhava com flores. V. eram azuis.Oh! não!. fique só e livre por sua vez. azul.. O Dr. e afortunadamente. é bem perigoso!..Sonho inocente... surpreendi-a sonhando. CAROLINA (Com surpresa) ... porque felizmente ainda não tenho juízo... que noite escura na minha vida agora! Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. sonho às vezes.... sonhava acordada! ao vê-la . quando entrei...Outra vez perdão. que desengano e castigo!. (Contém-se) AUGUSTO . sonho de coração virgem.. pois que se trata de flores.....Tal e qual como as outras e como também eu!... isto é. quer que o diga?... coberto de sedas e cantando em soprano. era um botão a arrebentar do cálice verde com a purpúrea côr da aurora... azul como as violetas!. a graça fascinadora.. perdão terceira vez.. as violetas? AUGUSTO . Augusto!..... Exa. e eu amo as flores..Não creio no sonho que me enpresta para adivinhação: eu só vejo o sol côr de rosa ao nascente.... Exa. perdidas. mas somente quando estou dormindo.. minha Sra.E todavia V Exa. quando me acordo com a aurora.... Que ilusão. Mas não se incomode..Eu nunca medito. e até logo..Perdão! eu não sabia. Exa.. viçosas. um botão de rosa! CAROLINA .. a Moreninha. sonhe.....Porque se soubesse. e me é indiferente entendê-lo. CAROLINA (Em si e irônica) .... espartilhado.. Oh! que desencanto!..fora disso vejo e sonho o céu sempre azul.! eu quis apenas indicar-me involuntário perturbador da meditação ou dos sonhos de V..Adivinhou-o? Salvo a sua modéstia... (Querendo sair..Não o entendo.... Augusto) AUGUSTO (Parando ao entrar) . mas. nem eram flores. é como as outras. poético. adivinhei-lhe o sonho. sem o querer.. AUGUSTO ....A moreninha cena 12ª (Carolina.. CAROLINA ..Não.. Mas com que sonhava eu? diga-me o que não sei.... a Moreninha em fim. mas até logo. Dr. Devassa a alma do seu próximo sem licença dêle. AUGUSTO . eu me retiro já. por outrem.. e por exceção em contralto!. CAROLINA .. de que côr eram as do meu sonho?. CAROLINA . é o meu sistema de insconstância em amor... o Dr. achadas. levado porém à 5ª e esplêndida essência.. 48 . como são... mas. diga-o? AUGUSTO ........ não por V.. a mais bela das belas. Sonhar.. e desculpei-me. suponhamô-lo. por que. não soube adivinhar.. sonhe.. vestido de fina saia.. minha senhora.. é como eu!. sonho..

Augusta estar fazendo estralade de estudante! (Fabrício vai observar Augusto) VIOLANTE ..Quero expôr-me: tenho razões incandescentes. mas esta noite é de festa.Que fazia tão só aqui?.. Pois vai casar outra vez. Gabriela. Um sem porfia e sem fé....Lembra bem! (À porta) Vamos tirar sortes! (Entram todos) VIOLANTE (A James) . E êsse o que mais te adora Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. Felipe. AUGUSTO .) AUGUSTO . avivemos a alegria!. Clementina.Carolina. deita os dados! (Carolina obedece indeferente. Fabrício. AUGUSTO (Com o livro de sortes) .Mas eu non tem mais nada para dizerrr!.. dado em resposta à hipótese de eu me prestar a contrair segundas núpcias. (Lança os dados) AUGUSTO . Senhoras..) Vamos tirar sortes! ANA . Saiu-te noivo ao pintar Belo.Não. JAMES . Joaquina. e logo depois.Nove! mau número! (Lê) Um namorado glutão Ao teu desejo é traidor. Carolina. me disse há pouco. repetia o seu romance da visão do passado? AUGUSTO . Cavalheiros.A sorte saiu de harmonia com o que o sr. rico velho inglês! VOZES . estava imaginandoae compondo o hino da inconstância do amor.Bravo! Bravo! (Movimento e zumbaias) AUGUSTO .Joaquim Manoel de.) ANA .Eu.Dezoito! o número mais alto! (Lê) Todos amam-te à porfia.Qual dos presentes lhe é muito amante! ANA .Se casará ou não! VIOLANTE . Leopoldo. 49 .. minha senhora. tem de explicar-me o seu tremendo-sim-. (Deita os dados) AUGUSTO . Porque prefere pastéis A glória do teu amor! VOZES .Non creia! Dr. Ana. James.Três! é número fatídico! (Lê) Depressa! prepara a festa..Se alcançará o que deseja! JOANA .O Sr.. (À porta do F. Macedo cena 13ª (Augusto.Parabéns! parabéns! (Violante jubilosa) JAMES . Violante. Joana.

.. Sr.Augusto falsifica as sortes!.Mas deixe-o por um pouco. Augusto! AUGUSTO (A Ana) . James quer ir.É tarde! já fugiu! TODOS .Eu quer ir! (Violante avança com êle segurando-lhe o braço) Eu não quer mais ir!. Eis o livro. (Violante volta com êle) Oh! Senhore Don Anne! eu não tem mais nada para dizerr a Sra. D.A moreninha E tu bem sabes quem é. eu fujo! (Vai-se) FABRÍCIO . apanhado em flagrante delito. não lê.Augusto vai saltar a fogueira.Não o creia. eu vai! VIOLANTE (Contendo James pelo braço) .Jura que há de agarra no falsaria.Um cêrco! um cêrco! (Saem correndo) JAMES ... minha amiga! êle encanta com o seu espírito! ANA .Não consinto! Não quero que se exponha a deligência perigosa! JAMES . Vozes . LEOPOLDO . VOZES (Dentro) .Não salte! não! não! ah! (Ana corre à porta. Violante! VIOLANTE . 50 .. Augusto recua) Oh! ANA (A Augusto) .Muito bem! Muito bem! (Fabrício arrebata o livro das sortes) FABRÍCIO ..Mas agora.. Violante detém-no) Caiu! ah! (Grito geral de angústia) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.Muito bem.. improvisa!. vejam! há dolo e falsidade! VOZES .Prenda-se o falsário! ANA .Oh! (Vão todos ver. eu tenho uma confidência de amizade a fazer-lhe.

Joaquina.Acudam ela! (Arredando-se) Eu aproveita desmaio. ora se enleia e baixa os olhos. James. sras.Oh! êste excesso de barbaridade me reanima!.Viva liberdade! Viva liberdade! MUITAS VOZES .. Carolina. Augusto e Carolina. se mostram a tudo.) JAMES .Bravo! Bravo! (Movimento: Sras. contempla em êxtase. viva liberdade! VIOLANTE . Violante o segue. (Avança) O Sr.Há de dar-me satisfação!. mas prestes escapei à fogueira... Todos cercam Augusto) CAROLINA (Em pranto) ..Bravo! bravo! VIOLANTE . incólume.Que horror! ai! muito nervosa! sensível.Viva liberdade! (Sai correndo..Graças a Deus! ANA ..Joaquim Manoel de..Abençoado salto infeliz! CAROLINA (Com aflição) . Augusto.. Carolina que ainda comovida.Oh! não! medi mal o salto.Viva liberdade! (O mesmo) VIOLANTE (O mesmo) . JAMES ... Fabrício.. Gabriela.) VOZES . e cavalheiros vão até a porta do F. Enquanto se ocupam todos do que se passa entre Violante e James. Violante. outros saem. logo após e consternada. ora o olha. AUGUSTO (Jubiloso) .Queimou-se? (Tomando as mãos de Augusto) queimou-se?. eu desfaleço. saindo também pelo F. não podia deixar-me. Ana à distância observa os dois. ah! (Como a desmaiar.. Cavalheiros. Clementina.Mas queimou-se? AUGUSTO . ai! Mr.. Augusto que entra correndo.... Felipe. James! Sustenha-me. Macedo cena 14ª (Ana. Joana. 51 ..... Leopoldo.. saindo são.. gente curiosa: Susto geral. (Em prantos) queimou-se?. quando eu estava a desmaiar nos seus braços! (Avançando) não podia! JAMES (Recuando sempre) .. (Perseguição e fuga) (Cada vez mais ativas por entre os circunstantes) JAMES . CAROLINA (Rindo e chorando) .Tem que dar-me satisfação do seu procedimento!. indiferentes..Mas que horrível perigo! Proíbo saltos de fogueira! (Vão se afastando de Augusto) VIOLANTE (Deixando o braço de James) .) FIM DO SEGUNDO ATO Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.

A moreninha Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. 52 .

( Dá o lenço) ANA ...Rasom de fôrça maior! (Ana avança.Recebe êste lenço: se uma senhora m'o houvesse dado.Ah! Snr.Compensação: eis aqui o teu que achei na mão de minha noiva. ornamentos. perdoa-me?. de caixinhas de pós.. FELIPE (Rindo-se) ..Minha avó já me confundiu bastante.Essa é boa!.Ninguém se lembrará de procurá-los na sala do toilete das senhoras. V.Ainda o tens?.) Perseguidora vem atrás de mim. substantivo feminino: é isso: desculpas-me agora? JAMES (Dentro) .eí-lo! (Mostra-o) Oh! não é o meu!. 53 . Sr.Eu salta janela!. que diabrura! FELIPE . como porém Augusto insiste em queixar-se de mim.Diabrura. Macedo ATO III cena 1ª (Sala de toucador: porta à direita.. domina sôbre mim pela confiança com que me honra... Augusto e Felipe recuam. Que é do lenço que trazias ontem? AUGUSTO .. Aqui somente poderão entender-se em liberdade. Augusto!. abrindo para o jardim.. ANA . AUGUSTO .. James entra.) CENA 1ª (Ana. ninguém o conseguiria tirá-lo de meu poder. AUGUSTO ...... caí ridiculamente em maligno ardil. minha amiga. duvidando da minha lealdade. eis as iniciais do nome dela.Agora é demais!. Felipe e Augusto) ANA .. Clementina!. Exa..Ainda o tenho comigo..Joaquim Manoel de.Mas aqui ela o apanha!.Minha avó. Augusto! pretendo disputar a um noivo o previlégio de mostrar-se tolo? FELIPE . eis o lenço de D. (Entrega o lenço. já ouço passos. nem dêle me servi.. sofá.. ANA . um outro menor sôbre adequada mesa cheia de vidros de essências.. Grande toucador que chega ao chão. JAMES . cadeiras. mas Felipe ofendeu-me. FELIPE . assevero que não!.Isto é para desatinar um homem!. outra ao fundo: duas janelas à esquerda..) AUGUSTO . Mr. (Sai) AGUSTO (A Fabrício) .. vou confundi-lo também.E duas ou três môças puderam mistificar dois estudantes! os Srs. Augusto.Dignamente.. James galantea-me a fazer negaças: é adorável!. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. (Salta pela janela) VIOLANTE (À porta) ... Exa.Ah! vou cercá-lo no jardim!. (A Ana) eu sinto neste enrêdo dedos côr de rosa! ANA . FELIPE . AUGUSTO . Leito com o cortinado aberto...V. devem envergonhar-se.

! basta uma só para lograr tôda a academia! FELIPE . ANA .Contanto que não houvesse da parte dos mistificadores má intenção. dentro em côro) Procuremos com fervor Um e outro beija-flor. (Sras. eu vai-me enbora para cidade neste hora mesma! ANA .Mas olha. JAMES (Voltando pela janela) .Mas quem são as belas empalmadoras? Joana.Ah! minha Sra.Minha amiga. zombarias de môças.)Procuremos com fervor (Cantam em côro no jardim) Um e outro beija-flor. eu aquietarei D.. mas responde ao canto malicioso que entoam minhas primas e D. FELIPE .Ela vem me cerca. minha avó. todos porém dignos de cavalheiros galantes. 54 . Joaquina e Gabriela (Cantam no jardim) Todo em flores o jardim Inda assim Tem no seio mágoa e dor: Por que choram duas rosas Saudosas Cada qual seu beija-flor. FELIPE. (Vai-se) JAMES . nem admito que se pense de outro modo.O côro é geral. Joaquina e Gabriela (Cantam dentro a retirar-se) Onde está o bandoleiro Traiçoeiro E o seu novo imitador Há duas rosas penando Desejando Cada qual seu beija-flor. Violante. não creia nesse amável mentiroso! é ele quem me provoca a segui-lo para pedir-lhe explicação do fogo abrazador com que me olha. Mr.. ANA . (Sras. Gabriela são as tais! Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. (Vai-se..) JAMES .A moreninha AUGOSTO . AUGUSTO . Joana.Pois bem. VIOLANTE (À janela) .Sim. aquilo de beija-flor é contigo! AUGUSTO .Não. Augusto.Permision! senhore don Anne. James.E não houve: foi brinquedo. e cavalheiros. travessura por travessura. vamos vingar-nos. e caval.Augusto. Imagina mil ardis. que são dois os beija-flores: o outro positivamente és tu. eu fuja!..

Joaquim Manoel de.Eu já as adorava tanto!.. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. 55 . mas agora por vingança devo adorá-las em dôbro.Vamos entrar em campanha: começo propondo que nos finjamos agastados até o fim do baile desta noite. FELIPE .. Macedo AUGUSTO .

JAMES ...Vá trancar-se na sala dos homens e espere que eu o chame: vou imediatamente aplacar D. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. e não me deixa regozija.Isso eu aprovo: guerra de espírito e de alegria.. recua e vai-se) AUGUSTO .. Gabriela dando-me violetas aos cinto e vinte anos de idade! FELIPE ..Eu?. Violante de que o meu colega Fabrício morre de amores por ela. Felipe. mas eu faz experiência..Senhore don Ane.Seriam os dois filhos da casa.A Moreninha poderia ser também ótima aliada.Ah! como Fabrício está burrificado pela gula!... convença D. ANA . ANA .Pensemos. FELIPE . permitindo-me ir ali colher violetas: ela respondeu-me suspirando: "daqui a um século as acharia cultivadas!" vê que poesia!. AUGUSTO .) ANA .Perverso!. AUGUSTO ... Augusto. D. James que entra e sai logo.A moreninha cena 2ª (Ana. logo recua.) AUGUSTO .. entra pelo fundo e esconde-se..Reuniste aqui uma quadrilha de formosas ratoneiras. Clementina... e parecia pronta a entregar-mo.Sabes quem trocou os lenços? foi por fôrça a pálida Joaninha que tem suas razões para estar furiosa contra mim e D. Clementina sofreria. eu volta para a cidade êste hora mesma! Done Violante é pior do que mutuca.Mas o nosso plano de campanha? AUGUSTO .Tratemos do nosso plano de campanha..Não: D. ainda há 5 dias troquei com ela juramentos de amor!... Augusto.. ter-me-ia por derrotado ainda antes do combate. (Carolina. FELIPE ...Quer que eu intrigue também? urdam a sua conspiração que eu volto já para expedi-los desta sala vedada. tu és cabeça de vento. Eu lhe disse que o plantasse no coração... guerreando os hóspedes! Prefiro que o Sr.. Gabriela?. Violante. Felipe. dá-me a ponta de algum fio para tecer a rêde.Pudera!. (Vae-se) FELIPE . (Vai-se) AUGUSTO (Vendo James sair. FELIPE .Ela é capaz de arromba porta. ela era tua namorada também?.Jurou-me que não. mas eu confio na circunspecção do Sr. JAMES (Entrando) .. a propósito: como hei-de intrigar tua irmã?.É claro que vou recrutá-la para o nosso partido... 56 . pois eu havia de ser primo sem cumprir os deveres do suave parentesco?.) -Minha Sra. Augusto intrigue também e sem piedade a Moreninha. vendo-nos assim. FELIPE . qual delas me furtou o meu raminho de violetas?. AUGUSTO . (Carolina. e depois vai entrar pela porta do fundo e esconde-se atrás do grande toucador. Carolina que entra. ANA .Não foi D. AUGUSTO . FELIPE .

. deixei-a ultimamente supor que a preferia à irmã..Joaquim Manoel de.Dissimulada.Nada sei que possa convir: mas.. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU... temos pois D. vê porém se te lembra algum segredinho..Desinquieta.. 57 . perde o tino... muito! AUGUSTO . queres ou não tratar do plano de campanha?. desenhando bonito menino traquina. escreve por baixo do menino "meu noivo".E. FELIPE . quero o botão de rosa.....Estou a imaginá-lo: não achas que tua irmã teve ontem à noite um acesso de melancolia?. a loura também!..... AUGUSTO . nem outra sabem em que não parou o pobre botão. AUGUSTO . mas ignoro o motivo.. Carolina.. ontem reparei que D. eu vejo que tenho bons discípulos!.Ai!.Não! tenho uma inspiração de estudante! espreme-te por baixo dessa cama.. a loura Quinquina hostil por aliança fraternal.Tudo isso: deliniemos agora o plano de campanha.. lembra mais alguma coisa. a teimares sempre com a Moreninha!. AUGUSTO . AUGUSTO . Macedo FELIPE .. e muito curiosa. e daqui a pouco será teu... só travessuras! ah! é verdade: ela desenha sofrivelmente e mais de uma vez...Vamos. bandoleiro?...... FELIPE . alguma inclinação.....Diabo!. é?... e fica aí para ouvir os segrêdos das nossas mistificadoras: encetaremos a campanha por um ataque de emboscada.Sim.Leviana...Bem. eu confesso: como bom primo.Felipe.Elas vêm para o toilete.. eu o empalmei. impertinente.Qual!.. FELIPE . AUGUSTO .. SENHORAS (Cantam dentro e se aproximam) Em busca de beija-flores Perde o tempo. tu estás apaixonado por minha irmã?..... também.Espreme-te ou dou-te baixa de estudante por indigno!... Vamos ao plano.. aproveita ao menos o caso do botão de rosa que ela perdeu e que Fabrício achou e não quis restituir-lhe: nem uma. AUGUSTO . sabes a causa? FELIPE -Notei... Quem vai Adeus infindos amores Vamos chorar êste ensino: Ai! Ai! AUGUSTO . mas.Explora os seus defeitos: a Moreninha é estouvada. AUGUSTO .. a tentação é diabólica! FELIPE . FELIPE .. fujamos! FELIPE .Que idéia!.. AUGUSTO . mas é pouco... FELIPE . FELIPE . Joaninha inimiga por ciúme.

para escapar à baixa rebaixo-me em honra do meu título. estou deveras espremido. 58 . Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.... (Mete-se em baixo da cama) Felipe... e há pulgas!.A moreninha AUGUSTO .Menos essa!..

Carolina escondida) ANA .. Augusto? FELIPE . Sr.. Augusto! AUGUSTO . creia que isto é quase o inferno do Dante: entra-se aqui facilmente. Exa... Augusto..) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.. 59 . isso não convém. que é do Sr.. todos os estudantes são cabeças de vento!.Submergiu-se. saia.Minha senhora.. denuncio-me escondido em baixo da cama: Felipe meteu-me em teias de aranha. Exa..Saiam depressa!. Macedo cena 3ª (Felipe..É tarde! fique. mas. por amor da verdade.. embora. seria demasiado abuso. cantam) ANA .Joaquim Manoel de.V.Portanto não é só Felipe. ANA . não queira saber dêle. mas sair custa muito! (As Sras. se porém V.. seja porém discreto: foge Felipe! (Felipe salta pela janela: Augusto recolhe-se. AUGUSTO . o ordena eu saio do purgatório.

. JOANA ....Eu hei de apertar-lhe o vestido.Que tratante sem consciência!. me ensina como fez para achar o seu tão depressa?. JOANA . façam por achar noivos. Sofia? JOAQUINA .Oh! as Sras. quereria morrer de amor a meus pés!. disse-me que em beleza e graça eu era a rainha de vocês tôdas.Eu quero o seu véu! (Cercam-na) JOANA .Eu quero um alfinete..E você o que faz aí? isso é poeira para deitar nos olhos do badoleiro. e que de todo meu cativo. (Saindo com outras sras. ANA .) JOAQUINA . e Clementina. CLEMENTINA . Chiquinha!. para que êle não veja a minha fealdade? (Joaquina ao toucador.) GABRIELA -Então preciso cegá-lo. que pau vestido! e está sempre a rir.De que modo.Soube merecê-lo. 60 . Gabriela.. JOANA .. GABRIELA .Até que enfim estamos sós. são os dentes. GABRIELA (Deitando pó no rosto) .. miando?.. JOANA . Ficaremos aqui apenas alguns minutos a conversar. que gosta de ouvir os segrêdos das môças para atormentá-las depois. (Gabriela vem para a frente. CLEMENTINA (Voltando-se) ... Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU... (Vai-se.Seriamente.) JOANA . a Sra. mas para que êle não veja as outras.Tenham cuidado! eu as previno de que há nesta sala um gato encantado..Não.. quando ela espirrar há de ser um tiro de artilharia! JOAQUINA . Gabriela.E aquela linguicinha chamada Balbina?..Eu já as avisei: depois não se queixem.Deixaram-me o jardim sem as suas mais belas flores? JOAQUINA .. são mais temíveis..... do que o gato encantado! se me invejam o casamento. titia?. Joana. Ana que se retira logo.Pois ela tem queixo? O que me espanta é o nariz de D.E ela morderá como vocês?. Joaquina.. (Saindo) GABRIELA . e paixão confessada ternamente! JOAQUINA .Ih!.Você já notou no queixo de D..O sol e a fadiga puderam mais do que a nossa vontade. JOAQUINA .) JOAQUINA . Clementina e senhoras que vêm cantando de dentro.E a mim jurou que eu era a mais formosas das criaturas!.. e um grampo! JOAQUINA ..A moreninha cena 4ª (Augusto e Carolina escondidos. por que a única coisa que tem para mostrar. menos Joana... ANA .Ainda bem que a minha futura prima não tem mêdo! tão caladinha que estava! (Beija-a) há de dar-me três botões de flor de laranjeira da sua coroa de noiva! GABRIELA ... Joaquina. Que môço petulante! hão de crer que me declarou a mais bela das senhoras aqui reunidas? e protestos de amor no caso!. e terminam o canto ao entrar:) ANA .Deixar-me-á calçar-lhe um dos sapatinhos?.

Não o perdi.E em vez de uma namorada três diabinhos o ridicularizarão martirizando-o com três paixões fingidas.Joaquim Manoel de. deixemô-la.Eu voto contra. Macedo GABRIELA .E eu uma das pontas da gravata.Eu não convenho em prosseguir na intriga dos noivos: já os vi arrufados e isso pode ser nocivo.Entendidas quanto ao bandoleiro: eu e Quinquina tomamos conta dos noivos. GABRIELA . O paspalhão pediu-me que das luvas... mas não lhe perdoa ter perdido o raminho de violetas que tanto me custou a furtar. por consequência há de ir.. e que D. tiraram-mo. menos o indicador. que é a do casamento. ali no toilete há tesourinhas: cada uma de nós levará a sua para tomar prenda de amor: eu hei de cortar-lhe um dos colarinhos. por que não sei ortografia. Falta agora a Moreninha.Isso não fazia eu. êle porém a achará com todos os dedos cortados. Estou absorvida pelo Leopoldo..Mas isto é zombaria revoltante!. irei também.Essas ninharias provam somente conspiração contra nós: cumpre-nos reagir. marcando-lhe conferência amorosa na gruta encantada. GABRIELA .. GABRIELA . eu cortarei um dos punhos da camisa: há de ser o da manga esquerda. que se apaixonou por mim e que é o mais parvo dos estudantes. Joaninha me agradeceu tanto ao recebê-lo.Já desde ontem estamos em guerra. como ao Fabrício o botão de rosa da Moreninha. continuemô-la! precisamos castigar os que nos humilham. mas se cair nela a sorte. só por falta de tempo. JOANA . A idéia é boa. nem ao próprio Fabrício: môça de juízo nem anima demais nem desengana de todo o seu adorador. 61 .Por que? JOAQUINA .Êle é vaidoso. que é o homem mais feio de Paquetá persegue-me desde ontem com os seus Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. e eu fiquei de ir durante a ceia deixar-lha no jardim aos pés da estátua de Cupido. quem trocou os lenços. Gabriela vota contra. mas se vocês forem.De acordo. Olhem: o Dr. GABRIELA . escreverá.Você nada fêz contra os noivos: foi Joaninha. Comecemos pelo bandoleiro que nos ofendeu: escreva-lhe uma de nós terno bilhete anônimo. JOANA .Tiraremos por sorte: D. mas se vocês cortarem. GABRIELA . que apanhei por acaso. JOANA . JOAQUINA . A cãozinho obediente traz-se pela corda. por conseqüência ridículo. lhe dê a da mão direita. com que eu hoje dançar no baile. amanhã depois do baile. JOAQUINA . dizendo-se "ponha-se na rua". por que foi com a mão esquerda que ontem êle me apertou os dedos. JOANA . JOANA . por conseqüência tôlo.. e ao romper da aurora. GABRIELA . JOANA .Também voto contra.Isso é criança que não entra em república. JOANA .Eu não.. JOANA . Telêmaco.Quem escreve o bilhete?. JOAQUINA . JOAQUINA .Por que é com esse dedo que se aponta.Aditivo ao projeto. JOAQUINA ..

Gabriela!..Iguais!.. Infelizmente os dois eram irmãos. falou-lhe nas doçuras do casamento e você lhe respondeu: "se ama-me. 62 .. JOANA .. GABRIELA (A Joana) . confesso. GABRIELA .. GABRIELA .Meia hora depois um mancebo gigante...) JOAQUINA . ora.. que mimo!...Que diz ela? JOAQUINA . (Estende o pé.Vou respondendo a tudo: não sei. quem me dera já um noivo!. ah! eu só penso em me casar.E não se descuida! lembra-se do baile do casamento da Nicota? aquele moço muito baixinho. JOANA .. JOAQUINA . mas eu também tenho histórias para contar.. GABRIELA ..E você?. Joaninha? (Joana levanta-se e vai para o toucador.A moreninha protestos de amor. GABRIELA .) GABRIELA . ah!. JOANA . levando sempre um sobrinho pobre porém moço: na despedida enquanto o velho beija-lhe vinte vezes as mãos. você namora certo comendador velho e rico que lhe prometeu casamento. então como pensa neste assunto?.) JOANA .E para que?..) JOANA . mas hoje no baile hei de exigir que em prova de amor vá para o mar ao romper da aurora. derreteu-se em finezas. et cetera. GABRIELA .. D.E olhem que formoso pezinho mostrou!... (Reclina-se suspirando. (Medem os pés. GABRIELA ..Você não é bandoleira.. já sei que tenho pés delicados. e do Fabrício o simplório...... GABRIELA . GABRIELA .Conte-as. o pérfido. (Rindo) JOANA ..Repete que está doida por casar.. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. a quem alculhamos capitão Ferraguz.. dirigiu-lhe proposições ternas e decorosas.Quem referiu isso a vocês foi a irmã dos dois embusteiros.Só concedo a medida do meu pé aos sapateiros.Sua mana tem os pés grandes.Acha?. é mais pequeno que o meu: vamos medir?. fê-lhe a côrte. e que vai à noite tomar chá em sua casa. GABRIELA . e você respondeu-lhe de olhos no chão: "se ama-me fale a papai". (Joaquina faz sinal que sim.Ora! o meu pé tão feio! mas se quer!.Quem lhe contou isso?. fale a papai".. talvez. D. fazendo-o tremer de frio uma hora. mas bem capaz de mandar todo o gênero humano masculino falar a papai.. e espantados da fraternidade no amor.Além do seu primo Felipe..E você. JOANA .Para experimentar-lhe a falta de juízo...(Baixo a Joaquina) ..E daí?.Que crueldade! JOAQUINA .Com franqueza?. o sobrinho vai buscar o chapéu e a bengala do tio e acha no chapéu cartinhas e flores que você lhe destina!........ cantar uma barcarola defronte desta casa. nenhum deles foi falar a papai. a quem então apelidamos doutor Milésimo..) JOAQUINA .. galanteou-a.

. Macedo JOANA ....Sim. JOANA .. que as cartinhas que de mim recebia eram com letra desfigurada escritas pelo comandante do batalhão. JOAQUINA .. pode dizer-lho. cada qual a sua: em rua próxima. disseram: " é aquela!... foi algum rato.Ao menos não abuse.Como esse capitão é seu primo.Ai.. mas o comendador tem sessenta e oito anos.Na mesma tarde o Tenente ficou sabendo que era o capitão quem redigia as respostas que você dava às cartas dele.. (Senta-se) GABRIELA . que medo nos causou!.Ah!.. há alguém aqui. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.. ambos a um tempo indicando bela moça à janela de um sobrado..Ah! mas nessa escala você vai até o comandante superior sem mandar um só dos seus namorados falar a Mamãe? AUGUSTO (Abafando um espirro) .Não há. JOANA (Vendo Ana) ..Etchim. e adeus amor em duplicata!." e ambos a um tempo fizeram logo meia volta à direita. e saíram ambos depois do jantar para vê-las mostrá-las um ao outro. GABRIELA .... deitando flores e bilhetes de amor para o sobrinho no chapéu do tio... eu dezoito.Sem isso não havia graça nem romantismo no caso. foi titia!.Só isso?.. GABRIELA .Joaquim Manoel de. fizeram mútuas confidências do amor e da ativa correspondência epistolar que entretinham com suas fiéis namoradas.Agora é com você.. GABRIELA . JOAQUINA .Não nego.. e o sobrinho vinte dois e é lindo!..Foi um espirro!..... os ratos fazem assim.. JOAQUINA . AS TRÊS (Levantando-se) .. 63 . JOANA (A olhar) . Um dia jantando juntos o Tenente Frederico com o capitão da sua companhia da guarda nacional... GABRIELA (A Joaquina) .

(Augusto vai-se.) ANA . Joaquina. AUGUSTO . mercê arranjou um gato. ANA .. Gabriela.Vamos já.Saia. mas não caio em outra! ANA . minha senhora! por causa de uma pulga que me entrou no nariz. Sr. ANA .Oh! Valeu a pena. JOAQUINA .. tu aqui. eu julquei que podia arranjar uma gatinha.. que logo se retiram. que fizeste? CAROLINA .) JOANA ..Com o gato estávamos nós bem: ele que lhe conte os segredos que nos ouviu.) ANA ..Minha avó. GABRIELA . FIM DO TERCEIRO ATO Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.) ANA .) Que rapazes! que loucos!.. curiosa.É verdade.. e vi dois pezinhos que podiam bem servir para alfinetes de peito.Ah! titia! o seu espirro fêz-nos ter um susto!.) ANA .Foi castigo.. pensaram que era o gato encantado?. ANA .O Sr.Miau! (Miando. (Correm ao toucador.A moreninha cena 5ª (Augusto e Carolina escondidos. CAROLINA (Saindo de trás do toucador) ... Joana..O meu espirro! ah!. como V.Já descansaram bastante: estão sendo muito desejadas.Oh! (Voltando-se) Carolina!. sim. Retire-se imediatamente.Depois me contará! Retire-se.. AUGUSTO .. Augusto! ande! (Augusto saindo de baixo da cama) AUGUSTO . 64 ..Tentação! guarda segredo ao menos.Minha senhora! ouvi maravilhas. (Em pé e sacudindo-se. espirrou?. (Vão-se.

Joaquim Manoel de. Macedo Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. 65 .

. porta.portas à direita: mobília elegante: piano. É noite. comunicável com a sala de jantar: . 66 .) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. e ao fundo.A moreninha ATOIV 1° QUADRO (Grande sala: ao fundo janelas e no centro porta com degraus para o jardim que iluminado se vê em parte: à E.

(Despertando ao ruído) Oh!. saindo prêso à fita um botão de rosa. FELIPE .. e por sinal que voltou sem a luva da mão direita.Felipe que sai da sala vizinha.(Vendo Augusto) E esta?. AUGUSTO . (Vai-se descendo apressado para o jardim) FELIPE . e Leopoldo?.Silêncio! olha. CAROLINA .. ..) On ni Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU..) Cala a boca. e vai falar a Felipe .Ruído da ceia na sala próxima. mas que idéia a daquela gente a desentoar melancolias no fervor de uma ceia!. (Volta-se e vê Leopoldo e Gabriela) Ah! não é necessário... estudante espertalhão! (Vai-se pra dentro) FELIPE . pois não adormeci!.) CORO (Dentro) A noite preguiçosa Hoje se fêz veloz Tôda de encantos Deixa tristeza após.E no entanto. amarga Saudade a todos nós. adeus.. JAMES (Dentro e ao som dos bravos. veio pôr-se de sentinela e adormeceu!. impertinente que queres aqui?.Mas que é?.. vou acordá-lo. FELIPE .Ainda não foi buscar a luva: demora-se.(Tomando Felipe pelo braço... puxando-lhe as orelhas. e agora deixaste-me tomá-lo. (Cumprimentando os dois. (Rindo) CAROLINA .. Gabriela também.(A Augusto) E eu vou entreter Leopoldo. FELIPE .. rendendo finezas a D. corro aos pés da estátua de Cupido a apoderar-me da luva.Deixa que eu faça uma travessura inocente. Uma Snra..Carolina que entra do jardim.Ah!.Ah!. (Vai pé por pé a Augusto. e puxa-a do bolso.. Êle aí está prêso como peixe em anzol.. desata uma fita que está atada a uma casa do peito da sôbre-casaca... e esta executa o resolve fazer..(Dentro) Bravo! Bravo!.. CAROLINA .Êle a duas amarras e eu a dormir aqui!.. FELIPE ... e vê. doce...) É meu botão de rosa! tu lh'o deste hoje de manhã.Espichei-me completamente. (Ameigando-o) Deixas?.. mas logo pára.. E longa. AUGUSTO .. .. AUGUSTO . FELIPE . Traiador duas vezes!... 67 . canta dentro e durante o canto Feipe e Carolina falam..Joaquim Manoel de. mas quem mandou este pastrana dormir? (Coro! termina o canto) VOZES ... minha prima Quinquina já saiu para o jardim e já voltou. furtiva. Macedo cena 1ª (Augusto adormecido com o braço direito apoiado a uma das janelas. e pretende despertar Augusto..) Vive senhora don-Ane!.

(E entra para a sala da ceia.) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. 68 .A moreninha soit qu'il mal y pense.

(Abaixando os olhos.Minha senhora.. 69 .. quero comer um suspiro dado pela sua mão. essa ditosa prenda..Que idéia cruel!. eu para que ela não visse a fita. nem eu vimos quem a furtou. pediu-me vinte vêzes: mas eu não lhe dei o meu laço de fita... Continua o ruído festivo da ceia....Oh.. Quinquina? LEOPOLDO . LEOPOLDO . o Snr.... juro-o mil vêzes! assim como juro que V. que ama-me pode falar a papai.. há aqui desde ontem verdadeiro jogo de furtos. foi êle que.. que tão pouco mereço! a prova disso é esse desgraçado laço de fita. pus sôbre a perna.Não prenda. minha Sra.É inconcebível!. Quinquina que estava do outro lado.Ah!... a Sra. falou-me. mas no momento em que o preciso laço caiu na minha mão. em prêmio do que me diz. se é verdade.Por isso mesmo! ao menos porém o Snr.. Excia. e.) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.) GABRIELA .. jura-me que não deu o laço de fita a D.. LEOPOLDO .) LEOPOLDO . tenho medo de endoidecer de alegria.. (Vão para dentro. LEOPOLDO .Tal e qual... tudo isto foi há dois minutos! nem dois minutos de cuidado mereci!.... Macedo cena 2ª (Leopoldo e Gabriela. Exa. zombam injustamente de mim.Joaquim Manoel de... cativou -me para sempre o coração! GABRIELA . foi mesmo assim. não..Ouve?. voltemos à mesa da ceia. e nem V. não sei como caiu dos meus cabelos na sua mão. GABRIELA ..Minha sra. sua amiga. mas furtaram-na! GABRIELA . GABRIELA .

quanto mais luvas! Alguém... AUGUSTO .. FELIPE . se não foi Leopoldo. Felipe?.Nestes casos o mais prudente é entenderes o que melhor te parecer. AUGUSTO .. como Mr. perdi ou furtaram-me o botão de rosa que trazia embolçado.Parece que Leopoldo tem aproveitado as minhas lições! (Guarda o laço em um dos bolsos da aba da casaca.Reprovado com três bolas pretas!. anda.Ah! começas a estafar-me a paciência! não quero que tornes a falar-me da Moreninha.. 70 .. assevero porém que tens a felicidade de ser irmão do anjo mais lindo e provocadoramente endemoninhadinha que tenho visto neste mundo! FELIPE . Gabriela trazia no cabelo e deu a Leopoldo. amarrado e encadeado! FELIPE . empolgou a luva de D. FELIPE . FELIPE . toma este laço de fita que D.. e portanto.) AUGUSTO . Quinquina pelo botão de rosa de tua irmã. ora! é a perda da luva que deves lamentar.A Moreninha! olha que desta vez foste tu que falaste nela. e. mas leve-o demo o segredo: foi a Moreninha. (Dá o laço de fita... e muito contrariado) ..Namorado desfrutável.Augusto! que queres que eu entenda?. (Tira o laço.Pois daria a luva sem dedos ou com todos os dedos de D. meu Felipe. AUGUSTO .Não fui eu: prometi segredo. AUGUSTO . Como o apanhaste..Sabes o que mais me lembra? é que as três vaidosas. James. vens com ares de quem tomou bomba no exame!. Quinquina.A moreninha cena 3ª AUGUSTO E FELIPE AUGUSTO (Largando o chapéu sobre uma cadeira.. Ah! meu botão de rosa!.Maldito impertinente!.. beija-o e guarda-o). (Entra) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. FELIPE . e lembra que antes de 2 horas te acharás no jardim com três apaixonadas que juraram fazer de ti gato e sapato. multiplicadas por trinta..Então?.O botão de rosa da Moreninha?. esquece minha irmã. não valem um só dos sorrisos da Moreninha. e para consolar-te da perda da luva.. mil vezes pior que isso.. fecha os olhos para não me veres beijar o laço de fita que possuo pelas suas mãos!. os pés da estátua de Cupido não tinham meias. AUGUSTO ..) O laço há de servir-me no jardim. deixa-me: ainda não ceiaste: vai para a mesa..Tens razão: vou comer como Fabrício e beber.... que sono danado!.Indigno da minha nobreza de estudante! estou desacreditado! FELIPE .. AUGUSTO ...

V.Isso prova somente que minha irmã tem bom gosto. FELIPE. as mães cegas.. FELIPE . Deixe esse assunto por conta da Moreninha.Oh! esse cuidado terei eu. Desde ontem a observo. Gabriela pediram-lhe licença para a sua travessura. em segundo é passado. FELIPE .Mas o teu amigo evidentemente faz-lhe a côrte. aproveitei a ocasião para prevenir-te de que Carolina e tu me estão fazendo andar a cabeça a roda. ANA . é preciso desistir de semelhante criançada. eu. ANA . que estarão sós. e. FELIPE .. porque Carolina não entra na história: eu não quero que a Moreninha. haverá comédia. como porém lá se deixaram todos em pé a ouvir um discurso de Mr.Tu achas sempre boas razões para me convencer do que te faz conta. ANA .Em primeiro lugar foi visão. e eu já estou tão pateta.. Augusto de seu lado mostrou-me o bilhete anônimo que recebeu.. ANA . que irrefletida autorizei esse encontro de três moças com um estudante em lugar e hora inconvenientes: Felipe.. ANA .Pensas então?.Mas a sua visão do passado?. FELIPE . e os avós patetas.Felipe! FELIPE .. e vossa mercê. ainda melhor.O amor torna os pais surdos. e a Moreninha é enleio do presente e bela esperança do futuro. FELIPE . e o que mais me importa é outra coisa: acabamos de levantar-nos da mesa.É sintoma de moléstia de coração. e se fosse possível atiçava-lhe mais fogo.É claro: Carolina não deve. ela é um pouco leviana.Como? Por que?. Minhas primas e D. é uma doidinha que vende sizo.Deixe também isso por conta dele: a sua obrigação é fechar os olhos. 71 . por que as três moças e Augusto pensam. mercê a fará recolher. Não há pois mistério no caso..Vocês lá se entendem. e tenho chegado a suspeitar que a pobre inocentinha não é indiferente ao teu amigo Augusto.. mas vê bem: eu fraqueio neste ponto.. porque a afeição é curável.Ao contrário. FELIPE .. e mais oito ou dez senhoras e cavalheiros às ocultas apreciaremos a cena. é de Carolina que mais me preocupo: queres que eu te diga?. Macedo cena 4ª Ana e Felipe ANA (observando Augusto) .. FELIPE . FELIPE . ANA ....Ora! eu tenho a certeza de que Augusto está apaixonado por minha irmã.Que ele é trigo sem joio. e não há de lá ir.Joaquim Manoel de. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. que não acerta no que diz. mas não faça caso.. ANA . ANA .. mandando-a dormir logo que acabar o baile. é o remate da nossa festa e sem a menor incoveniência. ANA .Ela?.Como ele vai abstrato! creio que nem me viu. James. e vai com aprovação minha encontrá-las junto da gruta no jardim.Receio.

vê lá!.. James vai cantar! ANA .Ah! minha avó! deixe a menina e o estudante aproveitarem o seu tempo!.....Viva!.Atenção! Mr. VIOLANTE (Dentro) .A moreninha ANA . dona Violante.Então a saúde é a mim ou a Sra.... (Volta-se com Felipe para ouvir) JAMES (Canta dentro) A festa estar tão bonita E eu de champanhe ser tomante... 72 . Dona Ana? VOZES (Dentro) .. (Risadas) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.Felipe.. bravo!..Ainda!. Que até faz uma saúde A Sra. bravo!. VOZES (Dentro) . FELIPE . Vive Senhore don'Ane! ...

.. Carolina que furtivamente deita alguns objetos no chapéu que Augusto deixara sobre a cadeira. queremos ver!.) AUGUSTO ...) VOZES . Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. (Avançam) FABRÍCIO .Joaquim Manoel de.É um ramalhete misterioso.Mas que é isto?. ah quem d'El-rei!. Macedo cena 5ª (Felipe... Joaquina.Mostre-nos as flores! mostre o bouquet!... (Faz negaça e foge para dentro: Todos o seguem. (Cercam Fabrício) FELIPE ... Fabrício com um cartucho grande na mão. FABRÍCIO ... queremos ver!..Mostre!.Sou estúpido como um bobo de comédia.. (Vão-se..Tomemos o cartucho!.Ah quem d'El-rei!. Leopoldo.. 73 . Ana.Tomemos o cartucho!...Eu reclamo o respeito devido ao incógnito do meu cartucho!. JOAQUINA . Senhoras e cavalheiros cercando Fabrício. Augusto que desapontado vai ter com Felipe. GABRIELA . VOZES .) JOAQUINA .. Gabriela. Joana....

ah.Oh! furtaram-me também o laço de fita de D. ah!.. é para te curar de quebranto... mas que te importa o que faz ou como procede minha irmã?... 74 . AUGUSTO .. FELIPE .. (Mostra) Olha! a luva de D.. o que prova que sou um basbaque! FELIPE ..... Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. aquilo é o ramalhete que tua irmã trazia no baile...Augusto.Mas quem foi que.) Que é isto?...Muito bem! bravo!. foi ela. Quinquina também.... já que não posso fugir para o Japão ou para a China! (Vai tomar o chapéu e repara..... vê o lindo botão de rosa!. (Mostra. (Puxa a fita que traz preso um ramo de arruda) Ora! um raminho de arruda!. Gabriela!. mas vou esconder-me no fundo do jardim. FELIPE .Felipe. AUGUSTO ... AUGUSTO . Felipe! aqui está no meu chapéu o laço de D.Positivo! não é da minha conta. Felipe! juro que se não foste tu.. o que vem a ser aquilo? AUGUSTO .Que tens tu?..A moreninha cena 6ª Felipe e Augusto FELIPE .A Moreninha!. Gabriela.) oh! esta fita! é a que prendia o botão de rosa!.. e com o qual acaba de prendar Fabrício!.

Macedo cena 7ª (Felipe.Vai dançar com a minha noiva. ANA . parabéns pelo ramalhete!... (Risadas) VOZES . Leopoldo.. Joana.Eu intervenho com a minha autoridade e peço explicações... (Come o pastel) AUGUSTO (A Felipe) . CAROLINA ..Eu já tinha par: chegou muito tarde. Ana.Julgo que o Sr. AUGUSTO . JOAQUINA ..Pedi-lhe sucessivamente e com antecedência as 3 seguintes.Eu entra na forma.) AUGUSTO (A Carolina) . sempre recebe o que merece!. e eu entreguei-lhe dentro daquele cartucho a prenda merecida. (risadas) JOANA (A Fabrício) .. FABRÍCIO .. hoje ainda não consegui a felicidade de dançar com V. Augusto.Nas duas primeiras contra-danças!. Excia. CAROLINA . Fabrício pode agora sem quebra de delicadeza mostrar o seu ramalhete. Carolina e senhoras.. o Sr... done Violante. ou cedo demais.. Fabrício pediu-me uma florzinha do meu ramalhete do baile.Mas agora?.. 75 .. (Batendo palmas. Violante) . Fabrício disse que aceitava.O Sr.Ah!.) Uma polca! dancemos uma polca! (Movimento. AUGUSTO -Negou-me uma valsa.) FABRÍCIO ..É verdade.Protesto contra o ato de violência! ANA .) VOZES (Cercam todos Fabrício) . Gabriela. esta polca?. CAROLINA . Joaquina.Tome-se o cartucho!.... vou tocá-la ao piano..O caso é simples.Por certo: eu acho que todo o embrulho deve-se desembrulhar.É um pastel de nata!. Clementina.. FABRÍCIO . eu indiquei-lhe que seria melhor dar-lhe o ramalhete todo.Tive medo de ficar tonta. CAROLINA . e dança polca com Sra. não lhe falta porém compensação.) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. JAMES (Entrando com D. CAROLINA . (Vai... mas com antecedência foi cedo demais.Tua irmã é linda como os amores! FELIPE (A Augusto) . bobo! (Alto) a polca! a polca!. posso ostentar a minha glória! (Abre o cartucho e acha um pastel de nata) Oh!.Parabéns!. (Afasta-se.Agora.. CAROLINA .Confesso que o desapontamento foi grande. porque o pastel de nata come-se.Só por sua causa: sempre se dirigiu a mim ou muito tarde.Joaquim Manoel de. AUGUSTO .. minha avó: O Sr.. e logo James e Violante. sim......Minha senhora. cavalheiros. (Organiza-se a dança.E tu és muito mais tolo do que Fabrício. CAROLINA (A Augusto) .) FELIPE (A Augusto) . esta polca?. AUGUSTO .. Fabrício.

(Vai para dentro.) JAMES . Sempre adorei as danças figuradas (Dançam os dois: James cai e com ele Violante) Eu nunca escorreguei em minha vida!. FELIPE . A despedida chegou! Outra festa igual a esta Que tão rápida voou!.. (Umas outras) ..Estou pronta. este homem bebeu mais champanhe do que devia! (Levantam-se Violante e James) JAMES (Rindo-se) .. deixemos descansar estas senhoras.. VIOLANTE . se abraçam e beijam-se.. TODOS (Cantam) Boa noite!.São horas de nos recolhermos. CAROLINA .Mr. 76 . (Começa a polca que se desorganiza no fim de algumas voltas: porque Carolina passa de súbito a tocar a cachucha..Done Violante cai sem escorrega! Eu jura que foi ela que me puxou. James está hoje radiante de galanteria....Eu também dança cachucha! Senhore Done Violante aferrenta cachucha comigo!.. (Idem) . Boa noite!. Joaquina e Gabriela ... (A Augusto) Fica alerta.... (A Felipe) Alerta estou.. (Olhando) Estão alerta.. boa noite!.. AUGUSTO .. Joana.Boa noite!.Boa noite!. FIM DO QUADRO Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.Boa noite!..Fica alerta! Boa noite!.) GAB RIELA .. (Idem) Alerta estou. Começa despedida geral: As Sras.A moreninha VIOLANTE ..Alerta estou.Boa noite!.

Vê-se uma luz no mirante por uma das janelas que estará entreaberta. Macedo 2° QUADRO (A decoração do ato 1°. 77 .) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.Joaquim Manoel de. À entrada da gruta uma lanterna que a esclarece mal. Ainda duram: mas vão-se extinguindo alguns últimos lampeões da iluminação do jardim. O quadro começa ao romper da aurora e acaba à luz do sol.

Mas o baile também cansa. mas um cavalheiro não deve fazer-se esperar por Senhoras: vou escolher a posição para tomar a ofensiva. ANA . ouvindo o canto de Carolina) CAROLINA (Canta dentro do mirante sem aparecer) Sem ilusões no passado.Sim. Felipe que pára nos degraus da porta. GABRIELA . travessas. ANA (Pára nos degraus da porta e logo se retira. Sem cuidados no porvir. (Felipe se retira.. vão: deixo-as ir. e não faças bulha. GABRIELA . mandei pôr uma lanterna à entrada da gruta.Pois bem. mesmo dormindo. AUGUSTO . Tenho sono vou dormir. vou dormir. Pelas auras bafejada.É mais sonsa do que um batalhão de sonsos: canta para ver se o bandoleiro sonha com ela. (Retira-se: As três senhoras demoram-se. é bela.Cuidado com as tesourinhas! se de volta me achares dormindo. mas recolhe-te. Joana.. Podem ir sem medo. e logo se retira.Fique sossegada. Carolina que chega à janela do mirante e imediatamente se recolhe. JOANA .Ah! faz frio de enregelar! Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. acorda-me para me contar como te saiste da entrosga.A cortezia com um frio destes não deixa de custar.A Moreninha está se embalando. Augusto vai de manso e entra na gruta) CAROLINA (Canta dentro do mirante sem ser vista) Aurora rompendo. (Indo para a gruta) FELIPE . Sou feliz mesmo dormindo. Belo o sol que vai luzir.A moreninha cena 1ª (Augusto que desce para o jardim. titia: nós temos muito juízo. AUGUSTO . Sou feliz.) FELIPE .Elas ainda não saíram: é talvez muito cedo. porque confio na discrição de todas três: vejam lá como procedem. JOAQUINA . Joaquina e Gabriela que descem para o jardim) . Tenho sono. Por que sonho sempre a rir.Acreditando que vocês não quereriam estar no escuro. 78 . Por que sonho sempre a rir.

eu votei contra.) GABRIELA . ainda é tempo. mas vou.Não. que eu declarei que votava contra. 79 . por que vocês vão.Joaquim Manoel de. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.. (Indo) JOAQUINA .Ainda bem que você traz uma fogueira no coração... volte para casa! (Indo.Tenho medo! olhem..Em tal caso pode não ir. JOANA . Macedo JOAQUINA .Vamos (Indo..) GABRIELA ..

É mais prudente!.D. duas senhoras.) ... JOANA . com que eu contava. 80 .. GABRIELA (A Joaquina) . JOAQUINA . em vez de uma.Nós não somos auroras.. JOANA .. Violante.. JOANA . JOANA ..Fale você primeiro.Então hei de ser eu?.. que foi. ele assim escarnece de nós. enquanto eu tiro a minha tesourinha que pus no seio. JOAQUINA .Ah! Minha Senhora! começo a ter medo de algum eclipse.Agora é que são elas..Aqui fora. Fabrício que vêm pelo fundo. Gabriela. entremos todas três juntas. Bem de manso! neste ardil A surpresa é de rigor Bem de manso! Bem de manso! Pssiu! Pssiu! nada de rumor. doutor Augusto tem levado a declarar e a jurar a cada uma de Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU... o preguiçoso ainda não chegou.. não.Desde dois dias o Sr. Um pouco mais tarde Carolina que vem por entre as árvores. Entra Quinquina. Joaquina que vão de manso.Pois eu saio! eis-me aqui.Eis-nos junto da gruta. Joaquina e Gabriela a um tempo e recuando) . JOANA ....Não devo ser a primeira.Mas assim não entramos. Leopoldo.Mas.. foi por que as senhoras não quiseram entrar. quem redigiu a carta.Aquilo é chamar-nos lua!.. Gabriela.Por isso mesmo devo ficar atrás para assegurar a retirada. menos Carolina) Bem de manso.. que inesperada felicidade!. AUGUSTO (Avançando) . AUGUSTO (Aparecendo à entrada da gruta.Ai! AUGUSTO .. são três auroras despontando no mesmo dia!.. por que votei contra: entre você primeiro que é mais corajosa.. JOANA . é o sol a quem viemos pedir luz. GABRIELA .. ou esperar aqui fora?. JOAQUINA . GABRIELA . onde se ocultam. Ana. JOANA .Quem entra adiante?... bem de manso... Clementina...Eu não. Entremos. não me empurrem.A moreninha cena 3ª (Joana.Devemos entrar na gruta. Felipe.. AUGUSTO ... GABRIELA (A Joaquina) . (Joana. e tesourinhas em punho. e como receiosas dirigindo-se para a gruta.Perdão! se eu saí.. e desaparece por trás do rochedo. minhas Senhoras!.. você bem sabe que eu votei contra.) CORO (Todos cantam. GABRIELA . (Indo as 3) Ah!.. mas o Sr.. JOAQUINA (A Gabriela) .. e vão sair para o alto do rochedo. Que não se faça rumor.

não! embora rivais furiosas chegamos a acordo: assentamos em convir que o Sr. quer saber?..E eu então?.. Macedo nós.E todas três a um tempo.. imagine. como está ocupado este coração! JOANA .Formoso! JOAQUINA . Com licença.. a primeira condição me lisonjeia muito.Pois bem: a mais bela das três é aquela.Perdão! as prendas ficam para o fim. GABRIELA .Eu também concordo. Augusto!. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.) .É verdade. minhas senhoras..Ele nega-se à segunda condição. e faz descobrir os segredos amorosos das pessoas presentes: farei a experiência. (A Joana e Gabriela) contentemo-nos com a primeira que é a das prendas. (Gabriela.. AUGUSTO (Afastando-se um pouco.. por sua vez. porque..Somadas as três parcelas.. JOAQUINA .E eu?. eu. se esta água fosse deveras encantada!. amor ardente.. por quem sou realmente mais amado: qual é?..Deslumbrante! AUGUSTO . nos ame a todas três ao mesmo tempo. minha Senhora.. Excia... Dr..... GABRIELA ... (As três escondem nas mãos as tesourinhas... AUGUSTO ... declaração leal.. eu.....O que?. profundo.) .. oh!. em atenção à minha modéstia...E nós?.. AUGUSTO . AUGUSTO . e a outra um dos punhos da minha camisa?. (Avançando. Lembra-me um recurso para saber a qual das Sras. coitadinha de mim! morro pelo Sr. JOANA .....Ah! minhas senhoras. confesso. JOANA .. confusas. JOANA .. AUGUSTO ......) AUGUSTO (Com o copo d'água) .Joaquim Manoel de. V. (Entra na gruta) JOAQUINA ... outra uma das pontas da minha gravata. que pode agora comparar-nos à sua vontade.. a cada uma por sua vez: Oh!.Oh. é impossível!. As senhoras armadas de tesourinhas para cortar uma um dos meus colarinhos. perpétuo..... (Tiram as tesouras. JOANA . minha Senhora. adoro-o!...Com efeito. GABRIELA ....Acho-o lindo! GABRIELA . Dizem que a água desta fonte é encantada. Não creio.. Joana e Joaquina. e todavia temos a fraqueza de não poder fazê-lo..... JOAQUINA ..) AUGUSTO . fará imediata declaração de cada qual de nós..O primeiro segredo revelado.. as Senhoras vieram dizer-me que sou muito tolo! eis aí o caso do eclipse do sol. (Bebe) oh!.Sob duas condições: a primeira é que cada uma de nós tomará o seu arbítrio uma prenda do jovem tão amado. devo mais amor.Não há que hesitar: tesouras no caso.Isso não! há de ser em voz alta. (Tira a tesoura) JOAQUINA .. 81 . e juramento de consciência. por mais bonita que lhe merece mais amor.) AUGUSTO (Recuando. vítimas de zombarias ou de ilusão cruel devíamos detestá-lo. é falso!. pelo menos não posso. amo-o.E a segunda é que o Sr....Pronto: vou dizê-lo já baixinho ao ouvido de cada uma. é falso!.

fingindo ternuras ao tio velho. JOANA .. eu lh'o peço. três a um tempo.. V.. a barcarola é cantada por velho pescador assalariado pelo Dr...) . VOZ DE HOMEM (Cantando no mar.. Clementina. para que o pobre namorado provasse o seu amor.Oh. ora esta!.. mas enpalma admiravelmente um ramilhete de violetas: em prêmio de tanta destreza e por encanto desta água maravilhosa me aparece na mão para Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.) Era só a Felipe que V. Telêmaco! Em paga de fazer-lhe a corte estes dois dias. é borboleta de amor como sua irmã?..Ouve?. Telêmaco... VOS DE HOMEM (Canrando no mar) Ai. eu também lh'a peço.. Na cidade vinte amores fingidos! sobre todos o caso singular do galanteio com o tenente. que a incomoda muito! se quisesse dar-me.. e a deitar-lhe no chapéu flores e cartinhas de amor para o sobrinho moço!. sim! V... mas o Dr.Basta. que tivesse ao romper da aurora cantar-lhe do mar uma barcarola.. AUGUSTO (Bebe. AUGUSTO ...... Excia.. é.?..) Oh! AUGUSTO . nós dois vítimas inocentes! (Em voz baixa... mas que lhe leva a casa um sobrinho moço e bonito.. mas quem o diria...Protesto. ora.. dormindo a roncar!!! JOANA . mas.Que água perversa!. tem no bolso do vestido uma tesourinha.... e o Comandante do batalhão da guarda nacional.. trocou ontem meu lenço com o de D.... (A Joaquina) Ah! V. Excia seria tão inconstante como eu?.. (A Joana) Pois V.Está sonhando! (A Joana... minha Senhora?..) Ai!......Bravo!. JOANA (Perturbada) . Não seja o mar na perfídia Retrato de minha bela... V. AUGUSTO . que a esta hora está em sua casa... basta. minha Sra.Basta.Ei-los. AUGUSTO .... seu esperançado noivo..Quantas coisas! o meu colega Fabrício reduzido a caturra para entretenimento de horas vagas!. Excia...Pois sim.. tome-a (Dá a tesourinha) AUGUSTO (Bebe água) . tremendo de frio!.. e V. o capitão.. minha Sra.Não troca lenços.Que invenção!. que história curiosa a do comendador velho e rico. Excia. Excia.. devia castigar: aquele perjuro que ainda há seis dias beijando-lhe a mão dizia-lhe. tudo isso é puro romance..Veja se improvisa mais alguma coisa. neste mar inconstante Segue a bonança e procela. AUGUSTO . e infelizmente pobre. exigir dele ontem no baile. JOANA ... cantando a barcarola.. Excia. faça-o ver estrelas ao meio dia!. JOANA . AUGUSTO (Olhando para o copo) . Excia.A moreninha desconfiadas e guardando as tesouras) É.. não compreendo. JOAQUINA .. 82 .

e de cinco outras Senhoras.) GABRIELA ..D.. deixou aos pés da estátua de Cupido para o meu colega Leopoldo! (Dá a luva) Que luva! só tem o dedo com que se diz: "ponha-se na rua"! V. Ótimo com laude! venci-as!.... Excia...) JOAQUINA .Mas o meu discurso vai longe.Joaquim Manoel de.. ser-me-ia indispensável uma tesourinha. Quinquina. (Indo-se. (Indo-se. (Rompe o sol. Macedo oferecer-lhe esta luva que V. e por novo encantamento posso já oferecer a V.) Você há de me pagar! (A Joaquina que ri) AUGUSTO . o permitirem. terei a honra de acompanhá-las à casa. AUGUSTO . e ao Dr.. GABRIELA .) CAROLINA (Saindo da gruta com o copo na mão) . por causa dele. pois eu lhe contarei trinta histórias de D. Excia.Fujamos antes que ele volte!. é história antiga! nestes dois dias cativos de minhas primas. o mesmo se repete..Bandoleiro!.) AUGUSTO . minha Senhora! é verdade!.. e se V. não é inconstante: deseja só casar-se. (Alto.Foram-se?.) que.O Sr. Melvino ao capitão Ferraguz e a todos os adoradores que a requestam responde sempre: "pode falar a papai".Aqui a tem: (dá-lhe a tesourinha) peço-lhe mil perdões por não lhe ter dado dominus tecum.Mas já soltei o brado do Ipiranga: independência ou morte!. dos seus lindos cabelos passou docemente. minhas senhoras... GABRIELA (Interrompendo) . mas conveio em tudo?.. JOANA .) JOAQUINA . Joaquina e Gabriela..É assim?.Nem mais uma palavra.) Agora aí está D.. votou contra tudo. CAROLINA . (Bebe: Joana. JOAQUINA . ora.. eu rogo que me dispense. este precioso laço de fita (dando-o.Não sou curiosa. quer a minha tesourinha? (dá-lha..Praza ao céu que elas lhe revelem tudo! CAROLINA .) AUGUSTO . JOAQUINA . mas deixaram-me por lauréis da mais famosa vitória de estudante estas tesourinhas que nenhum poder humano seria capaz de arrancar de minhas mãos..Ah!. não. se V.. perdão! só agora reparo que estão transidas de frio: vou depositar na gruta este copo... Gabriela.Ao contrário. AUGUSTO .E agora é a sua vez!.....Como.... Excia.. o sol rompeu.. de D..Já.Vocês querem saber? Foi ele quem espirrou.....) AUGUSTO (De volta) . Gabriela desta vez votou a favor! (vão-se.. Felipe a contém. quando espirrou. e para cortar-lhe o fio. Gabriela. Excia.....Tal promessa me exalta.. adivinhava a ingratidão daquele perverso! quer que eu lhe diga de quem. (Bebe) de que se arreceia?. mas hei de beber as gotas para não se acumularem os segredos..... 83 ..Também experimentarei o encanto das lágrimas de amor. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. ardeu em cruéis ciúmes no baile?. não o faça esperar. Excia. voltam e vão para o rochedo.) GABRIELA . e por isso atende a todas as declarações de amor. (Baixo. Excias. (Ainda quer falar... Ao menos V. AUGUSTO . AUGUSTO . (Entra na gruta.

Espere. não tenho aqui com que cortar a folha.. Excia. pois somente readquiriu esses objetos por partes mágicas do fundo do seu chapéu. A caboclinha Coema acaba de dar-mo: olhe: (Mostra...Reconheço-me por minha vez batido e derrotado..Aqui está outra. AUGUSTO . não achou uma luva que procurava. mas por angélico poder V.Ora.. AUGUSTO .) . AUGUSTO .) . CAROLINA (Bebe. pedi-lo-ia de joelhos! CAROLINA .E que bonita conversação na mesma sala!. leviana.. minha Senhora. CAROLINA . CAROLINA ... eu tinha um único empenho.. CAROLINA (Olhando para o copo) ...) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. aliás. é...Feiticeira lh'o deu.. CAROLINA . não...Pior! além de desmazelado o senhor é fátuo?. e além da luva e da fita um raminha de arruda. (hesitando) O que eu estimaria era não rasgar com descaso o meu álbum.. (Carolina guarda o ramalhete..... obrigada pelo juízo que fez de mim de acordo com Felipe: sou desinquieta.... AUGUSTO .E como é fingido!.Por consequência. não me curou do quebranto. e....) Tome-o..) Sou capaz de apostar que vai de novo figir anhelos de obtê-lo. 84 . E esta?. AUGUSTO .. que. onde por castigo se encheu de teias de aranha. estouvada. por tão pouco?.. simulou ter em grande apreço um pobre botão de rosa e por negligência o perdeu. doutor Augusto. Excia.Muito! mas tenho medo de ficar só com o desejo.É exato. permite. (Dá outra tesoura. (Mostra-o...Eu dou a V.) O boneco é bem desenhado. AUGUSTO ...Misericórdia! o aleivoso foi seu irmão. Sr.. impertinente. minha Senhora.. que é da minha tesoura?.. mas tem o defeito de não se parecer comigo. veja se a acha... desejaria possuí-lo? AUGUSTO ...De joelhos.) . não sei que fiz da tesourinha. não! mas eu lh'o peço. feiticeira o recebeu. atribuiu há pouco ao poder de encantamento a revelação de segredos.Ah. deixou furtarem-lhe uma fita já furtada e veio aqui ostentar habilidade que não teve. a caboclinha coema não me pôs no bolso o meu pequeno álbum de meninas?.) CAROLINA (Cortando o cadarço e dando o botão. quer a terceira tesourinha?. a caboclinha coema deu-me agora mesmo o seu ramalhete de violetas. mas.Oh! fingir. que o diga?.. vá plantá-lo naquele jardim palpitante... (Bebe) já o sei: empenhava-se em saber algum segredo de minha vida..A moreninha CAROLINA . CAROLINA ... e escrevia por baixo da figura "meu noivo". guarde-a: pode ser que venha a precisar dela! (Bebe. que coisa tão feia andar espiando as moças na sua sala de toilete! O Sr. AUGUSTO . coitado! apenas soube que eu às vezes desenhava bonecos.. bem vê que a caboclinha prendeu o botão por este cadarço a algum ponto da gruta.E não irá daqui a cem anos colher violetas no coração de D. fique em poder de feiticeira.Nenhum poder humano seria capaz de arrancar estas tesourinhas de minhas mãos!.... Gabriela?. mas eu não me animo a tirar a consequência: limito-me a confissão do meu pecado..) CAROLINA (Bebe. (mostra-o) Eis um retrato do meu noivo! O Sr. que ouviu indiscretamente escondido. uma tesourinha: (Dá: Carolina corta a folha e guarda a tesoura..... AUGUSTO .Não.

e um camafeu acodem a miséria e a fome..... há nesse amor poesia.. o Sr.. menos um só..Estou vendo.) Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.. leia somente a última página...... mal pensa como é doce e cruel a vitória da minha vaidade! mas triunfo?.) AUGUSTO .... um branco..Portanto o que devo ter no coração é desesperança e desdita! CAROLINA .É um livro cheio de erratas..... ela também chorava... quero que m'o sacrifique! (Ana quer interromper. agora estou lendo no seu coração... CAROLINA .. CAROLINA .. ali estão!....... perdão!.. (Ironia terna) Amor de crianças que dura menos que as rosas.. CAROLINA (Outro tom) . CAROLINA .. CAROLINA (Exaltada) .....Oh. de improviso camaradas correm. (em lágrimas) oh!... não é?.... não ouso.. que não me falhe a esperança da coincidência mais bem aventurada!. CAROLINA .Protesto que seus belos olhos não lêem isso na última página! CAROLINA (Olhando para o copo: comoção crescente. que está escrito na última página..Que livro! é um dicionário de nomes próprios riscados..Ei-lo.Não sei: eu agora leio nele somente perjúrio e ingratidão. e não sei... é a benção do anjo da caridade com um voto e uma prece a Deus!...Meu Deus!. AUGUSTO ..Oh!. não há porém tesoura que possa cortar o meu enleio.. Felipe a impede.. veja!. não exija!. por sua causa!.Deveras? então agradeço-lhe a companhia dos nomes riscados e o bom gosto. ainda conserva sobre o coração o breve da esmeralda: quero-o!... a velha e três meninos que choram. seria possível. AUGUSTO .... abençoada! (Comovida.. e não era não e digo mais.. (Trêmula ergue-se) a mão do moribundo.. é certo que eu o ouvi aqui mesmo contar toda esta história a minha avó.. brincam. o Sr.... chorava.. bem sabe... eles o pai que vai morrer.. ah! uma esmeralda.. CAROLINA . não diz mais o seu romance da visão do passado?...Oh! não!. mais este breve.. agora a cena é lúgubre...) Porque os tenho embebidos na primeira! que vejo eu?. amo-a!.. AUGUSTO . oh!...Exatamente...Não é possível.. 85 .... nunca!. e amor santo! não quero que se apague na sua alma!. Carolina....... AUGUSTO . cercando ela o filho.. com que me pôs do pé do índice. choraram tanto que me estão fazendo chorar!.. AUGUSTO .. esperança.... CAROLINA .É tarde! já sou perjuro e ingrato!. oh!.. ficar-me-ia no seio como o remorso de um sacrilégio.. observa. (Olhando o copo.....Oh!... AUGUSTO . estão a borda do mar... se eu lhe deste este breve.. ei-los encerrados em dois breves. AUGUSTO ...Pensei que se abria o céu. É verdade! O Sr..... perdão. minha senhora..) AUGUSTO (Tirando.. trocam promessa de casamento para quando forem grandes. todos riscados.. é verdade que me sinto completamente enleiado. fé. amo-a. et cetera com potinhos de reticência..) .......Não me perturbe... lembra-se?. Macedo AUGUSTO . é... ele fala!... outro verde...... lembra-se?.. creio que é.. uma garatuja indecifrável.Eu?. minha Sra.Joaquim Manoel de... um menino e uma menina.. sou realmente perjuro e ingrato àquele amor inocente e puro. abençoada seja a recusa!..

CAROLINA ... e alegre concedo o que quer pedir-me.) Meus Deus!. Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. que é isto?.) . Aquele amor que amei tanto.. que se passa em mim?.. o camafeu!. Augusta! (Bebe. achei minha noiva. nós somos camaradas antigos. Deus os abençoou... devo eu também enfim ter cariade: olhe..... ganhando: a comédia está pronta.Carolina!. 86 .) . Sim!. pois que teve fé.Perdi. (Bebe.. estouvada!...Ah.. Parabéns!..Advinho.Verde!..Parabéns!. Num dia só que brilhou.Que pergunta!!...) TODOS .. este exemplo deve ser epidêmico! JAMES . Se outrora fui feliz. achei-a!....) . JAMES (Vindo de casa de copo na mão.Eu venho cheio de entusiasmechon! Viva Moreninha noiva de Dr. (Desce.(Com o breve nas mãos canta. hão de ser felizes!.... VIOLANTE (A James.) Oh!..Ah!. (Rompe com a tesourinha...) FELIPE (Batendo no ombro de Augusto. ANA (Levantando Augusto que se ajoelha.. Augusto.. e descem todos) AUGUSTO . este breve. Que mais nunca me deixou! Tenho fé que inda na vida Deus me dará meu encanto...A moreninha AUGUSTO ...Ex-bandoleiro! perdeste a aposta! deves-me uma comédia.. (Dá o seu breve. para não fica anacrônico..Oh! non.Minha avó. ah!.. Meu Deus!. é a Moreninha. a Caboclinha Coema ordenou-me que lhe entregasse.Carolina!. (Recita) Bela visão do passado Que na minh'alma ficou! Imagem de anjo mimoso. Serei feliz ainda. AUGUSTO . AUGUSTO . Sr..... CAROLINA .Como se intitula?.) ANA (Do Rochedo) . Mr.... Comovido.. CAROLINA (Canta) Eu tenho quinze anos E sou morena e linda.) . James. Vive Senhore don'Ane!. FELIPE .... ANA (Todos em cena) .

Joaquim Manoel de. PANO FIM Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. Macedo CORO (Geral) Feliz outrora foste Serás feliz ainda. 87 .

A moreninha Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU. 88 .

89 .Joaquim Manoel de. Macedo Texto digitalizado para o projeto BDTeatro da UFU.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->