P. 1
IDEOLOGIA FASCISTA

IDEOLOGIA FASCISTA

|Views: 2.974|Likes:
Princípios da ideologia fascista.
Princípios da ideologia fascista.

More info:

Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/07/2013

pdf

text

original

HISTÓRIA 12.

º ANO

IDEOLOGIA FASCISTA

Em 1928, Mussolini afirma que, «no regime fascista, a unidade de todas as classes, a unidade política, social e moral do povo italiano realiza -se no Estado e somente no Estado fascista.»

O documento apresentado expõe alguns princípios do regime fascista instaurado em Itália, em Outubro de 1922 . Em primeiro lugar, na expressão a unidade de todas as classes, a unidade política, social e moral do povo italiano , encontramos uma nítida afirmação de nacionalismo, em que Mussolini exalta a raça italiana, considerando-a superior a toda e qualquer outra raça. Por outro lado, nesse mesmo excerto, verificamos uma referência à unificação de toda a população italiana em relação à actuação do chefe supremo, Benit o Mussolini, ou seja, o culto do chefe que detinha em si todos os poderes. Com este mesmo excerto, Mussolini, de imediato, coloca de parte toda e qualquer oposição ao regime fascista, incitando à união de todos em favor do regime em vigor, o que demonstra, desde logo, que todo e qualquer indivíduo que ousasse colocar em causa a legitimidade da acção de Mussolini, como membros de sindicatos ou partidos de extrema esquerda, seria imediatamente repreendido e sujeito, em situações de maior gravidade, à execução. Podemos ainda fazer referência ao excerto ( ) realiza-se no Estado e somente no Estado fascista , o que claramente demonstra o totalitarismo associado a este regime, em que os interesses do Estado se sobrepunham aos interesses do indivíduo. Outras características podem ser apontadas ao regime fascista, instituído oficialmente em 1924, após vitória em sufrágio universal fraudulento: o militarismo, dado que existia a crença na guerra e no

sacrifício do indivíduo em nome da nação; o corporativismo, isto é, a organização de patrões e empregadores em associações, sendo que os patrões fariam parte dos grémios e os trabalhadores de sindicatos da mesma actividade económica, controlados pelo Estado para, deste modo, negar a luta de classes, a liberdade sindical e o direito à greve; o antiparlamentarismo, dado que não era decretado o sufrágio universal e a livre formação de partidos políticos pluralismo político-partidário , definindo, assim, a existência de um partido único o Partido NacionalSocialista; e o imperialismo, isto é, a necessidade de alargamento do espaço territorial, através de uma política colonialista, para, deste modo, não só construir um espaço geopolítico condizente com a grandeza do povo italiano, bem como para recolher matéria -prima a baixo custo, como contributo para o desenvolvimento do sector industrial.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->