Tétano

Bactéria Clostridium Tetani

Tétano ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ História Transmissão Tipos Sintomas Prevenção .

Contudo este processo gerava reações imunitárias contra os anticorpos do cavalo. Contudo a sua etiologia (causa) foi descoberta somente em 1884.História € O primeiro registro de ocorrência de tétano é de autoria de Hipócrates. dando inúmeras descrições clínicas da doença. um problema denominado de doença do soro.. Durante muitos anos o antídoto era feito por injeção de toxina em cavalos. pois a reação do seu sistema imunitário contra o anticorpo de cavalo era quase sempre fatal à segunda aplicação do soro. . cada pessoa só podia receber antídoto uma vez na vida. por Carle e Rattone. A primeira imunização passiva contra a doença foi implementada durante a Primeira Guerra Mundial. Por essa razão. que escreve no século V a.C. e o seu soro rico em anticorpos antitoxina era administrado aos doentes.

mas não a imunidade. sem níveis adequados de anticorpos protetores. inclusive os crônicos (como úlceras varicosas) ou do cordão umbilical (tétano neonatal). . Os anticorpos protetores são induzidos exclusivamente pela aplicação da vacina antitetânica. não transmissível de um indivíduo para outro.Transmissão € O tétano é uma doença infecciosa. em razão de atuar em quantidades extremamente reduzidas. uma vez que a neurotoxina. que pode ocorrer em pessoas não imunes ou seja. é capaz de produzir a doença. O tétano pode ser adquirido através da contaminação de ferimentos (tétano acidental).

esterco.Tétano TÉTANO ACIDENTAL € € O tétano acidental (decorrente de acidentes) é. é adquirido através da contaminação de ferimentos (mesmo pequenos) com esporos do Clostridium tetani. O Clostridium tetani. sob condições favoráveis (presença de tecidos mortos. corpos estranhos e sujeira). superfície de objetos principalmente quando metálicos e enferrujados). quando contamina ferimentos. poeira. que são encontrados no ambiente (solo. geralmente. . torna-se capaz de multiplicar-se e produzir tetanospasmina. que atua em terminais nervosos. induzindo contraturas musculares intensas.

fumo. . "mal dos sete dias") é adquirido quando ocorre contaminação do cordão umbilical com esporos do Clostridium tetani. teia de aranha etc). pó de café. O tétano neonatal (tétano umbilical. além de estarem desprotegidas não passam anticorpos protetores para o filho. o que acarreta risco de tétano neonatal para o recém-nato (criança com até 28 dias de idade). A contaminação pode ocorrer durante a secção do cordão com instrumentos não esterilizados ou pela utilização subseqüente de substâncias contaminadas para realização de curativo no coto umbilical (esterco.Tétano Tétano neonatal € As gestantes que nunca foram vacinadas.

. Se o processo não puder ser controlado. a rigidez muscular. Muitas vezes o espasmo gótico pode ser causa de asfixia. febre e dificuldade de deglutição. caracterizase por irritabilidade. na língua e na faringe. torna quase impossível o paciente engolir até mesmo água. no abdômen. projeta a cabeça para trás. o ´riso sardônicoµ. a pessoa poderá morrer asfixiada. Inicialmente. cefaléia. ao chegar à nuca. provoca o que se chama de ´abdômentábuaµ.Sintomas € Os sintomas se manifestam normalmente entre 5 e 10 dias devido às toxinas liberadas pelos bacilos tetânicos. Além de a contratura provocar deformações fisionômicas no rosto.

Devem ser feitas. Outra recomendação importante é lavar os ferimentos com água e sabão. Uma pessoa com algum ferimento que possa levar ao tétano. como. por exemplo.Prevenção Vacinação das crianças. . A dose de reforço ou revacinação deve ser repetida a cada 10 anos. não é necessário revaciná-la antes dos 14 anos. se não foi devidamente vacinada na infância ou se já foi vacinada a mais de 10 anos. Caso a criança tenha tido a vacinação completa. a partir dos 2 ou 3 meses de idade. em geral associada à vacinação contra coqueluche e difteria (vacina tríplice). pode haver também a necessidade de administração de soro antitetânico ou imunoglobulina antitetânica humana. complementar a limpeza com água oxigenada 10 volumes e usar anti-séptico tópico. pode e deve receber a vacina. Importante é não usar pós-cicatrizantes em feridas recentes. no mínimo. tintura de iodo. Portanto. Conforme o caso. com cinco doses. recomenda-se levar a pessoa a um posto de saúde para orientação. três doses com intervalos de 30 a 60 dias.