P. 1
AÇÃO OBRIGAÇÃO FAZER CC DANOS MORAIS E MATERIAIS

AÇÃO OBRIGAÇÃO FAZER CC DANOS MORAIS E MATERIAIS

|Views: 10.978|Likes:
Publicado porAlex Oliveira

More info:

Published by: Alex Oliveira on Aug 23, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/20/2013

pdf

text

original

EXELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL E CRIMINAL DA COMARCA DE MOMBAÇA/CE.

AÇÃO ORDINÁRIA DE OBRIGAÇÃO DE FAZER CUMULADA COM INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS E MORAIS COM PEDIDO LIMINAR

HÉLIO CÉSAR SÁ CAVALCANTE, brasileiro, casado, Advogado, residente e domiciliado nesta urbe, com escritório profissional na rua Antônio Evangelista Sobrinho, 100, centro, Mombaça/CE, vem, postulando em causa própria e através de seus advogados abaixo firmatários, com todo respeito e súpero acatamento, à presença de VOSSA EXCELÊNCIA, com esteio no art.5º, inciso X, da Cártula Magna de 1988 c/c arts. 3º, I, 16 e 27 e seguintes da Lei 9.099/95, arts. 186 e 927, do Novel Codex Civil, arts. 6º, inciso VI, 39, incisos III e V, 42 e 84, todos do Código de Defesa do Consumidor, além de outros cânones aplicáveis à espécie, propor, como de fato propõe, a presente AÇÃO ORDINÁRIA DE OBRIGAÇÃO DE FAZER CUMULADA COM INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS COM PEDIDO LIMINAR em face da CREDCARD - Administradora de Cartões de Crédito, pessoa jurídica de direito privado, podendo ser citada nos endereços a seguir: a) Av Henrique Schamann, 270, bairro Pinheiros, São Paulo/SP, CEP: 12.170-000; b) Av. Pres. Juscelino Kubitchek, 510 – 1º ao 4º andares, Bairro Itaim Bibi, São Paulo/SP –

cobrar do acionante por compras que não realizara. conforme documentos inclusos.CEP: 04. ou seja. No dia 06/02/2006. que o promovente. veio a se surpreender com um registro negativo de R$ 263. pelas razões fáticas e de direito adiante expostas: SINOPSE FÁTICA. juízo a conceder a tutela liminar. Trata-se de outra inscrição indevida e criminosa datada de 14/08/2005.543-906. por conta de uma outra inscrição negativa irregular promovida pela CAIXA ECONÔMICA. Na primeira demanda. Acredita-se na primeira hipótese.83 (duzentos e sessenta e três reais e oitenta e três centavos) a cargo da demandada. na pessoa de seu representante legal ou preposto.0235.0564. bem como acrescer juros estratosféricos. . pelo valor de R$ 108. como forma de viabilizar a sua normalidade creditícia.3900.19 (cento e oito reais e dezenove centavos). na pior das hipóteses – e que chega a ser mais grave – foi inserida após o cumprimento da liminar e com data pretérita. foi protocolizada neste respeitável juízo ação semelhante envolvendo as mesmas partes. EXCELÊNCIA. a fim de que fossem exclusos quaisquer cadastros de inadimplentes em desfavor deste. chegando-se à ilação de que a determinação liminar não foi cumprida em sua totalidade. onde se percebe o mesmo número de cartão de crédito aludido na primeira demanda. DOUTO JUDICANTE. consoante se dessume dos documentos anexos. o que levou a esse r. em face de inscrição irregular de seu nome no SPC e SERASA. acintosamente. 5390. ou. pois a segunda é uma afronta à decisão de Vossa Excelência. onde e quando o autor reclama danos morais e materiais. Advém. ficou provada a astúcia da acionada em.

EXCELÊNCIA. do NCCB. O ato praticado pela requerida revestiu-se em ato ilícito. Sem a “ficha limpa” não vai ser possível. o acionante está na iminência de perder seu crédito. . tolhido em sua credibilidade e respeitabilidade. 927.Tal situação vexatória ressurge em um momento de bastante alegria para o demandante. Ademais. o que lhe é substancialmente prejudicial. O promovente e sua estrago família feito é pela promovida de ser contra o impossível avaliado monetariamente. NO MÉRITO. conforme égide semântica estampada no art. pois o mesmo foi reeleito vereador nesta comuna e assume deste 01 de janeiro a condição de Presidente do Parlamento Mirim de Mombaça. E o pior ainda está por vir: assinatura iminente de contrato de mútuo com a CAIXA ECONÔMICA para a compra de um imóvel. junto às instituições financeiras e ao comércio em geral. a teor do que prescreve o art.aqui vetorizado em dano moral e material . Homem público que é (vereador e advogado). a inscrição negativa no SERASA e SPC impedirá que compre a prazo. do NCCB. Novamente o autor está bastantemente abalado e aborrecido com a situação em comento. totalmente.tem a obrigação legal de indenizar. que hoje se acha aflito com sua negativação nos sistemas de proteção ao consumidor. 186. pois causou dano incomensurável ao requerente. E aquele que comete ato ilícito .

dependendo das condições socioeconômicas do autor. vejamos: sobre dívida contenda. e. uma vez que lhe é cobrado uma dívida inexistente. em tese. correspondente ao pagamento de uma indenização ao postulante. o postulante pleiteia o NÃO-RECONHECIMENTO da dívida que lhe é cobrada. Neste particular. embora se saiba que a moral não tem preço. Com efeito. do porte empresarial da ré. Na situação posta em contenda. haja vista o profundo descontentamento moral que o consome diuturnamente. mas efetiva. A avaliação do dano moral. Justiça. também. mortalmente o enunciado de Súmula 359 do Superior Tribunal de . não é justo que o devedor pague além do que realmente deve. requer a convergência de duas forças: a punitiva. conforme a doutrina e jurisprudência atuais. através de declaração desse magistrado neste sentido. para que a causadora do dano sofra as conseqüências de seu ato e. que fere antecipadamente.Assim como não é justo tolher o direito do credor em reaver o seu crédito. aliado ao fato a de que em jamais fora o notificado. Destarte. sendo bastante para justificar a indenização. bem provado está o dano material causado pela demandada quando cobra uma dívida inexistente do demandante. e a compensatória. EXCELÊNCIA. não devendo ser simbólica. bem como modifica o seu modo de vida. a inserção do nome do postulante nos cadastros SPC e SERASA lhe acarreta prejuízos incalculáveis. a desestimule a que assim haja em casos futuros. face ao mal sofrido. Também é assente na doutrina e jurisprudência que o dano moral existe tão-somente pela ofensa sofrida e dela é presumido.

“NOS TERMOS DA JURISPRUDÊNCIA DA TURMA.99 – LIMINAR. para que se amenize a atual situação vexatória do postulante. Só mesmo o tempo o fará.11. A EXIGÊNCIA DE PROVA DE DANO MORAL (EXTRAPATRIMONIAL) SE SATISFAZ COM A DEMONSTRAÇÃO DA EXISTÊNCIA DA INSCRIÇÃO IRREGULAR NESTE CADASTRO (STJ – 4ª T Resp 0088489-2 – REL. – de é o algo DESCUMPRIMENTO que deve ser DA TEIXEIRA – J. injustamente. em face do relevante fundamento da demanda e do receio de ineficácia do provimento final. bem como aliviar deste a angústia de ter que. Provados que estão os fatos nos autos. mais do que já lhe causaram. necessário se faz que esse PROBO MAGISTRADO adote medida liminar urgentemente. redundante em nova negativação realizada pela acionada – desconhecida sob pena obstado ao imediatamente. SÁVIO DE FIGUEIREDO grifamos)”. E esta sensação de humilhação é algo que perdura no indefinidamente. Deste e até então modo. ao crédito. causar maiores transtornos requerente. 16. não sendo a compensação monetária ato que apague tal transtorno. a fim de evitar-lhe mais prejuízos. e. esperar pelo veredicto final para ter novamente acesso . EM SE TRATANDO DE INDENIZAÇÃO DECORRENTE DE INSCRIÇÃO IRREGULAR NO CADASTRO DE INADIMPLENTES.

nos ditames do art. e. transmudada na RETIRADA POSTULANTE INADIMPLENTES OU A RATIFICAÇÃO DA LIMINAR CONCEDIDA. b) Seja marcada sessão de conciliação para os próximos 15(quinze) dias. CADASTROS DE DETERMINANDO-SE A OBRIGAÇÃO DE FAZER. 84. parágrafos 3º e 4º. não resta dúvida de que a perda da tranqüilidade do requerente tem que ser compensada pelo dano e injustiça que sofreu. do CDC c/c art. a título de DANOS MATERIAIS. no DO mérito. seja designada audiência de instrução e julgamento. bem como do CDL local.099/95. a notificação da requerida.83 (duzentos e sessenta . na repercussão do ato ilícito praticado pela requerida. 461. para que retirem o nome do requerente dos cadastros de proteção ao consumidor (SERASA E SPC). 4º e 5º. eventualmente. o valor de R$ 263. requer: a) Como medida liminar. bem como condenando a requerida no pagamento ao requerente. principalmente. com a brevidade que o caso merece. 16. parágrafos 3º. NOME a DO presente julgada DOS PROCEDENTE. Entrementes.099/95). na pessoa de seu representante legal. ainda que não se possa imaginar em um quantum satisfatório.Em decisão de mérito. da Lei 9. conforme alberga o art. DOS PEDIDOS. 27 e seu parágrafo único. a atenuação desse sofrimento está alicerçada na posição social do requerente. d) seja. do CPC. a fim de que as partes. no sentimento de não-impunidade. c) Não obtida a conciliação. sob pena de multa diária de 10 (dez) salários mínimos. da Lei 9. Em razão do exposto. possam transigir (art.

que comparecerão à audiência de instrução e julgamento independentemente de intimações. 940. MOMBACA/CE. quinhentos e trinta e oito reais e oitenta e três centavos).83 (dezesseis mil. dando à causa o valor de 16.e três reais e oitenta e três centavos). depoimentos pessoais e inquirição das testemunhas a seguir: FRANCISCO DAMÁSIO DE ARAÚJO e EDMAR LOPES CAVALCANTE. consoante art. ADVOGADO – OAB/CE 5869. HÉLIO CÉSAR SÁ CAVALCANTE ADVOGADO – OAB/CE 6453. . pela reiteração da conduta. e. Protesta e requer provar o alegado por todos os meios de provas em direito admitidos. juntada de documentos novos. pede e espera deferimento.538. E. a título de DANOS MORAIS. 09 de fevereiro de 2009. NCCB. FRANCISCO ERIVAN EVANGELISTA. o montante de 35 (trinta e cinco) salários mínimos.

447 e 448. com escritório profissional nesta urbe. embargos. agravos. casado. ainda. transigir.PROCURAÇÃO OUTORGANTE: HÉLIO CÉSAR SÁ CAVALCANTE. ação declaratória. podendo ambos serem notificados e intimados no endereço apontado ao outorgante. advogado. juizados especiais cíveis e criminais. com a cláusula ad judicia et extra em qualquer juízo. usando dos recursos legais e acompanhandoos. do CPC. advogado. podendo. podendo propor contra quem de direito as ações competentes e defendê-lo(s) nas contrárias. agir em conjunto ou separadamente. OAB/CE 5869. brasileiro. renunciar direitos. OAB/CE 10. casado. seguindo-se uma e outras até decisão final. procedimento sumário. reconvenção. substabelecer a outrem com ou sem reserva de . ainda. procedimentos especiais de jurisdição voluntária ou contenciosa. ação rescisória. poderes especiais para confessar. habilitar crédito. a quem confere(m) poderes para o foro em geral. na rua Antônio Evangelista Sobrinho. brasileiro. requerer falência. brasileiro. conferindo-lhe(s). advogado. casado. OUTORGADOS: FRANCISCO BIONOR DO NASCIMENTO JÚNIOR. ação monitória. centro. desistir.363 e FRANCISCO ERIVAN EVANGELISTA. PODERES: outorgante(s) pelo presente instrumento e de procuração seu(s) o(s) nomeia(m) constitue(m) bastante procurador(es) o(s) outorgado(s). representando o(s) outorgante(s) para o fim do disposto nos arts. firmar compromissos ou acordos. instância ou tribunal. ação ordinária. propor execução. aceitar. receber e dar quitação. ações trabalhistas. exceções. 100.

. firme e valioso. OUTORGANTE. HÉLIO CÉSAR SÁ CAVALCANTE. dando tudo por bom.iguais poderes. MOMBAÇA/CE. sempre no interesse do(s) outorgante(s). 09 de fevereiro de 2009.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->