Você está na página 1de 1

DISCENTES: Jeffer Castelo Branco e Rafaela Rodrigues da Silva __________________________________________________ Universidade Federal de So Paulo UNIFESP Servio Social, noturno

o 2 ano, 3 termo Campus Baixada Santista Professora Dra. Luciana Maria Cavalcante Melo - lmcmelo@yahoo.com.br Mdulo: Fundamentos Filosficos Santos, SP, Brasil 15 de junho de 2011

A RAZO DA FILOSOFIA CONTEMPORNEA

1. Quais as crticas da Escola de Frankfurt a Hegel? Recusam a ideia de Hegel quando coloca que: a histria obra da razo como espirito, ou que as transformaes histricas da razo so realizadas por ela prpria sem influncia das condies sociais econmicas e politicas. Segundo a Escola de Frankfurt, Hegel se engana ao supor que a razo seja uma fora histrica autnoma. E em segundo lugar que a razo a fora histrica criadora da sociedade da politica e da cultura. Hegel acerta ao afirmar que as mudanas histricas ocorrem de conflitos e contradies, mas engana-se ao supor que esses se do entre diferentes formas da razo. Pois elas (mudanas) se do como conflito e contradies sociais e polticas modificando a prpria razo. 2. Quais so as duas modalidades da razo apresentada pela teoria crtica? a) A razo instrumental ou tcnico cientfico, que est a servio da explorao, da dominao, da opresso e da violncia; b) A razo crtica ou filosfica, que reflete sobre as contradies dos conflitos sociais e polticos que se apresenta como uma fora liberadora. 3. Qual a posio dos filsofos estruturalistas, quanto historicidade da razo? Para os filsofos estruturalistas sem dvida alguma a razo histrica, isso ela muda temporalmente, mas esta histria no cumulativa evolutiva progressiva e contnua, ao contrrio descontnua ela se realiza por saltos e cada estrutura nova da razo possui um sentido prprio valido apenas para ela. ___________________________________________________________ jcbranco@unifesp.br; raffaellaroderigues@hotmail.com