P. 1
Catalogo Técnico Embrastec 2010

Catalogo Técnico Embrastec 2010

|Views: 1.953|Likes:
Publicado porAntiRaio Embrastec
Embrastec, no mercado a 18 anos, produzindo proteção AntiRaio, contra surtos de tensão e descargas atmosféricas, com qualidade de 1° mundo.
Embrastec, no mercado a 18 anos, produzindo proteção AntiRaio, contra surtos de tensão e descargas atmosféricas, com qualidade de 1° mundo.

More info:

Categories:Types, Brochures
Published by: AntiRaio Embrastec on Aug 26, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/12/2013

pdf

text

original

DPS - Dispositivo de Proteção contra Surtos

A grife da proteção!
A proteção que faz a diferença!

MANUAL TÉCNICO DE ESPECIFICAÇÃO 2010

Líder em Qualidade.

100%

SISTEMA COMPLETO DE PROTEÇÃO !!

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Apresentação

A Embrastec, uma empresa de 100% capital nacional, fundada em 1993, em Ribeirão Preto, interior do estado de São Paulo, dedicou-se ao desenvolvimento e fabricação de Dispositivos de Proteção Contra Surtos (DPS). Ao longo desse anos participou do desenvolvimento e divulgação desses equipamentos, até que no ano 2004, finalmente o DPS passou a ser um ítem obrigatório nas instalações elétricas, de acordo com a norma ABNT 5410. Sempre investindo em pesquisas, hoje conta com a Linha mais completa de DPS, proporcionando proteção para redes elétricas, de dados, de sinais, de voz, composta por uma grade de produtos com mais de 100 modelos. Buscando o máximo de qualidade, submeteu seus equipamentos a testes em vários laboratórios de ensaios, tais como o Laboratório de Integração e Testes - LIT do Instituto Nacional de Pes quisas Espaciais - INPE em São José dos Campos (SP), Laboratório de Alta Tensão da UNICAMP em Campinas (SP) e o Laboratório de Compatibilidade Eletromagnética do Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento - LACTEC em Curitiba (PR). Por se tratar de um assunto relativamente novo na norma brasileira, a Embrastec desenvolveu este manual, visando esclarecer e facilitar a especificação dos Dispositivos de Proteção contra Surtos(DPS), contendo inicialmente um breve relato sobre como ocorre o fenômeno e como surgem os raios e os transientes na instalação elétrica. Em seguida informamos a classificação e as características mínimas desses Dispositivos de acordo com as Normas ABNT 5419, ABNT 5410, NBR IEC 61643-1. Posteriormente apresentamos nossa Linha Completa, com as suas respectivas aplicações e características técnicas e mecânicas. Com a nossa equipe técnica estamos a disposição dos nossos clientes para buscar soluções, seja com o desenvolvimento de projetos ou de novos produtos. Já desenvolvemos produtos para atender a necessidades de vários clientes tais como: Siemens, Autoban, Trixtec, TSE, Telefônica, Infraero, METRO-SP, entre outros. Pois satisfazer nossos clientes é a nossa maior vocação! Contamos com uma vasta rede de distribuidores e revendas em todo o território nacional. Consulte-nos ! ! Equipe Embrastec.

100%

Certificados de Qualidade

CTEC
Líder em Qualidade.

A grife da proteção!

A 1ª em DPS do Brasil. Desenvolvido para o país campeão em descargas atmosféricas!
Indústria Brasileira.

embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

INPE
UNICAMP

pag.02

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Dívidimos em capítulos conforme índice abaixo:

O Fenômeno O que são raios? Como se formam? O que é transiente? Surtos? Como surgem na instalação? Como se dividem os transientes? O que é aterramento? O que é DPS ? Como se classificam os DPS ? O que são Zonas de Proteção contra Raios? Quadro resumo da classificação dos DPS. O DPS e os tipos de aterramento segundo a Norma 5410/2004. DPS AntiRaio Classe I e Classe II DPS AntiRaio Classe I - Linha Plug In DPS AntiRaio Classe I/II - Linha Plug In com Sinalização Remota DPS AntiRaio Classe II - Linha Pug in DPS AntiRaio Classe I/II - Linha Ecobox (monopolar) DPS AntiRaio Classe I/II - Linha Ecobox (polipolar) Instalação de DPS - modo comum e transverso Linha AntiRaio de Baixa Tensão DPS AntiRaio Classe III Linha Plug and Play Eletro 2000 Telefax Modem Antena 2000 Satélite 2000 Intercomp “PoE” Intercomp RS Home Plus Linha Profissional Modular Eletricsystem Telesystem Linksystem Modemsystem Camerasystem DC system RS system Alarmsystem Linha Profissional Antenas Antenasystem Satsystem RF- Rádio Freqüência (N/UHF/BNC/TNC) Linha Profissional RACK NewRack Linksystem NewRack Camerasystem Linha Eletro Master e Eletro Master DG DPS AntiRaio Classe I - Central de Proteção com Sinalização Remota
100%

página 04 página 04 página 05 página 06 página 07 página 08 página 09 página 10 página 11 página 12 página 13 página 14 página 15 página 16 página 17 página 18

página 19 página 19 página 20 página 21 página 21 página 22 página 23 página 23 página 24 página 24 página 25 página 25 página 26 página 26 página 27 página 27 página 28 página 28 página 29 página 30 página 31 página 32 página 33
Certificados de Qualidade

CTEC
Líder em Qualidade.

A grife da proteção!

A 1ª em DPS do Brasil. Desenvolvido para o país campeão em descargas atmosféricas!
Indústria Brasileira.

embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

INPE
UNICAMP

pag.03

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

O que são Raios? Raios são descargas atmosféricas que ocorrem entre nuvens ou entre nuvens e a terra. Essas descargas atmosféricas são ricas em corrente e tensão e têm uma grande capacidade destrutiva, podendo atingir as edificações e instalações elétricas, sendo estas últimas o objeto de nosso estudo. E como ocorrem? As nuvens são eletricamente carregadas, tanto com cargas negativas quanto positivas, as quais se mantém equilibradas. Com o acúmulo de partículas de água, há um desequilíbrio elétrico e há um aumento das cargas negativas que se deslocam gradativamente para a parte inferior da nuvem (2) e as positivas (1) conseqüentemente para a parte superior. Ao mesmo tempo as cargas positivas da terra se deslocam para a superfície, sendo atraídas pelas cargas ne gativas da nuvem. As cargas negativas da nuvem geram um traçador descendente(5) e as cargas positivas(6) da terra geram um traçador ascendente, quando eles se encontram quebram a isolação do ar, e as cargas negativas são drena das para a terra, esse encontro é chamado de RAIO (7).

1

2

7

+ ++

++

E como se proteger? De acordo com a norma ABNT 5419 item 3.5 o Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas é composto de um sistema externo (SPDA) e um sistema interno (DPS). O SPDA é popularmente chamado de Pára-Raios, sendo responsável pela proteção das edificações. O DPS (Dispositivo de Proteção contra Surtos) é responsável pela proteção da instalação elétrica e dos equipamentos eletro-eletrônicos. É claro que ambos se complementam e juntos proporcionam proteção aos usuários. O que são transientes, surtos ou sobretensões? Transientes, surtos ou sobretensões são variações bruscas de energia que podem danificar tanto as instalações elétricas, como os equipamentos elétricos ou eletrônicos. A sua origem pode ser tanto por ocor rência de descargas atmosféricas (RAIOS), como por manobras das concessionárias. Podem atingir tanto as redes elétricas, telefônicas, de dados ou de sinais. Como surgem os transientes em uma instalação? As três principais causas do surgimento de transientes nas instalações elétricas, são: Transiente de origem indiretas ou induzidas ; Transiente de origem diretas ou conduzidas; Transiente de origem por diferença de potencial.

100%

Certificados de Qualidade

CTEC
Líder em Qualidade.

A grife da proteção!

A 1ª em DPS do Brasil. Desenvolvido para o país campeão em descargas atmosféricas!
Indústria Brasileira.

embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

INPE
UNICAMP

pag.04

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Transientes indiretos ou induzidos. Podem ter sua origem tanto em manobras na rede elétrica como em descargas atmosféricas. Os transientes oriundos de manobras na rede elétrica podem ocorrer devido ao chaveamento de circuitos elétricos pela própria concessionária e são muito comuns no reestabelecimento da energia após uma interrupção, ou ainda podem ser gerados por equipamentos interligados nessa rede, por exemplo o acionamento de motores, inversores, etc. Os transientes com origem em descargas atmosféricas com certeza são os que possuem maior capacidade de destruição. Entenda o fenômeno: Quando descargas atmosféricas atingem as linhas de transmissão ou distribuição de redes elétricas, tefefônicas, ou de dados das concessionárias (1), ou estruturas, ou ainda árvores (2), as ondas eletromagnéticas oriundas durante esse fenômeno induzem nos condutores metálicos (3) que estiverem nas proximidades. Descargas atmosféricas que atingem o solo (4) também podem induzir no sistema de aterramento (5) das instalações elétricas. Esses transientes contaminam a instalação elétrica e consequentemente danificam os equipamentos eletro-eletrônicos (6) ali instalados.

(1)

(2)
(3) (6) (4)

(5)

Transientes diretos ou conduzidos Quando as descargas atmosféricas atingem diretamente a instalação elétrica, ou o sistema de para-raios, ou a estrutura, todos os elementos que compõem essa edificação, inclusive o aterramento ficam energizados de forma diferente, ou seja, ficam em potenciais diferentes, ocorrendo fuga de corrente por todos os pontos envolvidos no fenômeno. Este tipo de transientes por serem injetados diretamente nos elementos da instalação elétrica são muito ricos em corrente, portanto são capazes de produzirem um dano muito grande à instalação e aos equipamentos(*).

(*)

100%

Certificados de Qualidade

CTEC
Líder em Qualidade.

A grife da proteção!

A 1ª em DPS do Brasil. Desenvolvido para o país campeão em descargas atmosféricas!
Indústria Brasileira.

embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

INPE
UNICAMP

pag.05

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Diferença de potencial Com certeza essa é maior causa de danos onde se cumpre apenas parte da norma, ou seja, faz-se o aterramento da instalação elétrica, telefônica ou dados, mas por vários motivos não se interliga os eletrodos dos diversos aterramentos. Quando a descarga atmosférica atinge o solo, ou é direcionada para o solo através dos eletrodos de aterramento, o solo fica energizado, mesmo que por frações de segundo, e essa energia gera induções que percorrem de forma circular atingindo os outros eletrodos de aterramento, e consequentemente contaminando outras partes da instalação elétrica.

E o que é aterramento? É o elemento ou conjunto de elementos, condutores de eletricidade, enterrados no solo, com capacidade de dispersar correntes elétricas indesejáveis que circulem em uma instalação elétrica. Este elemento pode ser também embutido na estrutura. Da Norma ABNT 5419 Item 5.1.3.1.1 Do ponto de vista da proteção contra o raio, um subsistema de aterramento único integrado à estrutura é preferível e adequado para todas as finalidades (ou seja, proteção contra raio, sistemas de potência de baixa tensão e sistemas de sinal). Item 5.1.3.1.2 Para assegurar a dispersão da corrente de descarga atmosférica na terra sem causar sobretensões perigosas, o arranjo e as dimensões do subsistema de aterramento são mais importantes que o próprio valor da resistência de aterramento. Entretanto, recomenda-se, para o caso de eletrodos não naturais, uma resistência de aproximadamente 10 W , como forma de reduzir os gradientes de potencial no solo e a probabilidade de centelhamento perigoso. No caso de solo rochoso ou de alta resistividade, poderá não ser possível atingir valores próximos dos sugeridos. Nestes casos a solução adotada deverá ser tecnicamente justificada no projeto. Item 5.1.3.1.3 Sistemas de aterramento distintos devem ser interligados através de uma ligação eqüipotencial de baixa impedância. Após anos de estudos, os especialistas concluíram que o mais importante num sistema de aterramento, é o arranjo, a eqüipotencialização, devendo-se interligar todos os eletrodos de aterramento, o SPDA (para-raios), as instalações metálicas, as massas e os sistemas elétricos de potência e de sinal. Essa interligação, deixa toda a planta no mesmo potencial, com isto impedindo a fuga de corrente, que ocorre devido a diferença de potencial.
Certificados de Qualidade

100%

CTEC
Líder em Qualidade.

A grife da proteção!

A 1ª em DPS do Brasil. Desenvolvido para o país campeão em descargas atmosféricas!
Indústria Brasileira.

embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

INPE
UNICAMP

pag.06

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

O que é DPS? DPS, é a sigla utilizada para o Dispositivo de Proteção contra Surtos. O DPS é o dispositivo preconizado pela norma ABNT 5410 e 5419, para proteger as instalações elétricas e os equipamentos eletro-eletrônicos contra surtos, sobretensões ou transientes diretos ou indiretos, independentemente da origem, se por descargas atmosféricas ou por manobras da concessionária. Como ele se classifica e a sua correta indicação e instalação veremos logo a frente. E o aterramento em conformidade com a norma, é suficiente para proteger a instalação elétrica e os equipamentos contra transientes? Com certeza não, pois o sistema de aterramento é apenas um dos componentes, é através dele que o (DPS) Dispositivo de Proteção contra Surtos, desvia os transientes ou surtos para a terra. Portanto o aterramento não protege contra transientes ou surtos. O sistema perfeito é composto de: - eletrodos de aterramento; - ligação eqüipotencial; - e DPS, que é o principal elemento. Sendo assim qualquer instalação sem um desses componentes estará com a sua segurança comprometida. Vale lembrar que o aterramento tem outras finalidades, tais como drenar a tensões eletrostáticas que se formam nos equipamentos eletrônicos e principalmente proteger os seus usuários de choques elétricos. O DPS instalado sem aterramento irá proteger os equipamentos eletrônicos? Primeiramente, vamos esclarecer alguns pontos importantes: A LEI FEDERAL Nº 11.337, de 26 de JULHO DE 2006, sancionada pelo Presidente Lula, com vigência a partir de dezembro de 2007, estipulou: o ¨Art. 1 As edificações cuja construção se inicie a partir da vigência desta Lei deverão obrigatoriamente possuir sistema de aterramento e instalações elétricas compatíveis com a utilização do condutor-terra de proteção, bem como tomadas com o terceiro contato correspondente.¨ No entanto, não podemos esquecer que o parque instalado, na sua grande maioria, não possui o sistema de aterramento. Porém, no Brasil é muito comum o sistema TN-C, onde o neutro é aterrado. Nesses casos o condutor de neutro aterrado (PEN) pode ser utilizado pelo DPS como aterramento. Nos demais casos, para que o DPS ofereça total proteção ele necessita do sistema de aterramento para desviar os surtos e transientes que atingem uma instalação elétrica. E o para-raios (SPDA) do prédio, protege os equipamentos? Não. Os para-raios são indicados para proteger as estruturas das edificações e os indivíduos que se encontram em seu interior, sem oferecer nenhuma proteção aos equipamentos eletro-eletrônicos. De acordo com a Norma ABNT 5419:2001 - Item 3.5, o Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas é composto de um sistema externo (para-raios) e um sistema interno (DPS). A instalação de DPS é obrigatória? Sim, é obrigatório. A norma ABNT 5410/2004, em seu item 5.4.2.1 estabelece que todas as edificações dentro do território brasileiro, que forem alimentadas total ou parcialmente por linha aérea, e se situarem onde há a ocorrência de trovoadas em mais de 25 dias por ano, devem ser providas de DPS;(Zona de influências externas AQ2). Quando partes da instalação estão situadas no exterior das edificações, expostas a descargas diretas, ( Zona de influências externas AQ3) o DPS também é obrigatório. Não confundir com os equipamentos abaixo, veja as suas indicações: Estabilizador de tensão: São indicados para compensar as variações de tensão da rede elétrica, com uma tolerância de aproximadamente 15% . Não protege contra raios ou curto-circuitos. No-break: São indicados para suprir a alimentação de um determinado equipamento a ele plugado, por um certo período, quando houver a interrupção do fornecimento da rede elétrica. Também não protege contra raios. Fusível: Protegem as instalações contra curto-circuitos. Também não protege contra raios. Disjuntor: Protegem contra sobrecargas e curto-circuitos. Assim como os fusíveis também não protegem contra surtos de origem em descargas atmosféricas ou de manobra. Esse tipo de equipamento não percebe a ação dos surtos. Dispositivo (DR): Protegem contra fuga de corrente para o aterramento, protegendo as pessoas contra choques elétricos tanto por contato acidental como falha do sistema. Filtro de linha: Usados muitas vezes como extensão de tomadas, e quando bem construídos, filtram ruídos em uma certa freqüência da rede elétrica.
Certificados de Qualidade

100%

CTEC
Líder em Qualidade.

A grife da proteção!

A 1ª em DPS do Brasil. Desenvolvido para o país campeão em descargas atmosféricas!
Indústria Brasileira.

embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

INPE
UNICAMP

pag.07

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Como se classificam os DPS?
A Norma ABNT 5410/2004 utilizou como embasamento a Norma IEC 61643 para classificar os DPS, para cada nível de proteção, sendo três tipos: Classe I, Classe II e Classe III. Os Dispositivos devem ser instalados de maneira coordenada, produzindo um efeito cascata, ou seja primeiramente são instalados os DPS com maior capacidade de exposição ao surtos, depois os com capacidade média e finalmente os DPS mais sensíveis. Veja abaixo: Classe I: DPS destinado à proteção contra sobretensões provocadas por descargas atmosféricas diretas sobre a edificação ou em suas proximidades, com alta capacidade de exposição aos surtos, com capacidade mínima de 12,5 kA de corrente de impulso (Iimp) conforme a Norma ABNT 5410, item 6.3.5.2.4 -¨d¨ ; Classe II: DPS destinado à proteção contra sobretensões de origem atmosféricas transmitidas pela linha externa de alimentação, ou seja descargas indiretas, assim também contra sobretensões de manobra, com capacidade mínima de exposição aos surtos, de 5 kA de corrente nominal (In) conforme a Norma ABNT 5410, item 6.3.5.2.4 -¨d¨ ; Classe III: DPS destinado à proteção dos equipamentos eletro-eletrônicos, sendo uma proteção fina, de ajuste, proporcionando uma menor tensão residual, com isso uma proteção efetiva para os equipamentos. Indicado para proteção de redes elétricas, de dados e sinais.

Da Norma ABNT NBR 5410:2004
Item 6.3.5.2.4-¨d¨ corrente nominal de descarga (In) e corrente de impulso (Iimp) Na seleção da corrente nominal de descarga e/ou da corrente de impulso do DPS, distinguem-se três situações: - quando o DPS for destinado à proteção contra sobretensões de origem atmosférica transmitidas pela linha externa de alimentação e contra sobretensões de manobra, sua corrente nominal de descarga (In) não deve ser inferior a 5 kA (8/20m cada modo de proteção. s) para Todavia, In não deve ser inferior a 20 kA (8/20mredes trifásicas, ou a 10 kA (8/20mredes monofásicas,quando o DPS for usado entre s) em s) em o neutro e PE, no esquema de conexão 3 indicado na figura 13 (pag.131 da Norma ABNT NBR 5410:2004); - quando o DPS for destinado à proteção contra sobretensões provocadas por descargas atmosféricas diretas sobre a edificação ou em suas proximidades, sua corrente de impulso Iimp deve ser determinado com base na IEC 61312-1; se o valor da corrente não puder ser determinado, Iimp não deve ser inferior a 12,5 kA para cada modo de proteção. No caso de DPS usado entre neutro e PE, no esquema de conexão 3 ver figura 13 (pag.131 da Norma ABNT NBR 5410:2004), Iimp também não deve ser inferior a 50 kA para uma rede trifásica ou 25 kA para uma rede monofásica; - quando o DPS for destinado, simultaneamente, à proteção contra todas as sobretensões relacionadas nas duas situações anteriores, os valores de In e Iimp do DPS devem ser determinados, individualmente, como especificado acima. Nota: O ensaio para a determinação da corrente de impulso ( Iimp ) de um DPS é baseado num valor de crista de corrente, dado em kA, e num valor de carga, dado em coulombs (A.s). Não é fixada uma forma de onda particular para a realização desse ensaio e, portanto, essa forma de onda pode ser a 10/350m s, 10/700m s, a 10/1000mainda a 8/20m se descartando outras. Também não são fixadas restrições quanto s ou , s, não ao tipo de DPS que pode ser submetido a tal ensaio - curto-circuitante, não curto-circuitante, ou combinado. Item 5.4.2.2.1- Toda linha externa de sinal, seja de telefonia, de comunicação de dados, de vídeo ou qualquer outro sinal eletrônico, deve ser provida de proteção contra surtos nos pontos de entrada e/ou saída da edificação 6.3.5.3. Nota: A prescrição é aplicável a linhas metálicas e abrange não apenas as linhas que se conectam a uma rede pública, como, por exemplo, as de telefonia ou de TV por assinatura, mas também as linhas associadas a antenas externas e as linhas de interligação com edificações vizinhas.

Classe III

Classe I

Classe II

Baixa Tensão Fase

DPS CLASSE III
REDE ELÉTRICA
COMPUTADOR COM FAX-MODEM

F U F S U I S V I E V L E L

TELEFAX-I

IMPRESSORA

NO BREAK ou ESTABILIZADOR

LINHA TELEFÔNICA

Aterramento

DPS CLASSE I MODELO TRIFÁSICO
Entrada
Fase Fase Fase Neutro
DG

MODELO TRIFÁSICO
Entrada
Fase Fase Fase Neutro
DG

DPS CLASSE II

(*)

(*)

Aterramento

Aterramento

(*) Caso o disjuntor do quadro for maior que 100 A, utilizar fusíveis/disjuntor em série com o DPS

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.08

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

O objetivo das normas técnicas mencionadas até agora é proporcionar o máximo de proteção para as instalações elétricas e edificações. Como já vimos anteriormente, o sistema de proteção contra raios compreende um sistema interno, DPS e um externo SPDA. Através da utilização conjunta, é feita a proteção completa da edificação e da instalação elétrica e conseqüentemente dos equipamentos eletro-eletrônicos. Para a perfeita utilização dos dois sistemas, eles devem ser instalados de forma ordenada, através de Zonas de Proteção contra Raios. E o que são zonas de proteção contra raios? É importante ficar claro que para evitar os efeitos de descargas atmosféricas tem que se utilizar a proteção como CONCEITO. Para utilizar proteção como conceito, tem que se pensar no sistema todo, tanto externo quanto interno, ou seja, o SPDA e DPS respectivamente. Por isso é importante fazer a blindagem da edificação e da instalação. A norma IEC 62305 estabeleceu o índice de blindagem, utilizando zonas de proteção, LPZ (Lightning Protector Zone), ou ZPR (Zona de Proteção contra Raios), como está sendo chamado pelo COBEI, na nova estruturação da Norma ABNT 5419. Veja abaixo. Zonas Externas: ZPR 0 - Zona fora da estrutura e próxima ao volume de proteção imposto pelo SPDA, subdividida em 0A e 0B;. ZPR 0A -Zona em que os objetos estão expostos a descargas de raios diretas, fora do volume de proteção do SPDA. Neste caso o campo magnético não foi atenuado. ZPR 0B - Nesta zona os objetos também estão expostos a descargas de raios diretas, porém o campo magnético foi atenuado, pela presença do SPDA; portanto esta dentro do volume de proteção imposto pelo SPDA; portanto exposta a correntes parciais do valor total da descarga atmosférica; Zonas Internas: ZPR 1 - Zona em que os objetos não estão expostos a descargas de raios diretas. A corrente da descarga já foi atenuada pela zona 0B. Portanto neste caso o campo magnético foi atenuado, pois houve uma distribuição da corrente pelos elementos da edificação, SPDA e DPS Classe I, instalado entre a ZPR 0B e ZPR1. ZPR 2 / ZPR 3- Zonas em que os objetos não estão expostos a descargas de raios diretas, e a corrente da descarga já foi atenuada pelas demais zonas de proteção e divisões da corrente nos circuitos e por outros DPSs instalados no sistema. Neste caso o campo magnético esta atenuado. Lembramos que devemos ter DPSs instalados na transição entre as Zonas de Proteção.

ZPR 0A ZPR 0A

ZPR 0B ZPR 1 ZPR 1 ZPR 2 ZPR 3 ZPR 0B

ZPR 0B

100%

Certificados de Qualidade

CTEC
Líder em Qualidade.

A grife da proteção!

A 1ª em DPS do Brasil. Desenvolvido para o país campeão em descargas atmosféricas!
Indústria Brasileira.

embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

INPE
UNICAMP

pag.09

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Resumindo: A Norma ABNT 5410/2004 classificou os DPS, em três classes: Classe I, Classe II e Classe III. Os Dispositivos devem ser instalados de maneira coordenada, produzindo um efeito cascata, ou seja primeiramente são instalados os DPS com maior capacidade de exposição ao surtos, depois os com capacidade média e finalmente dos DPS mais sensíveis. Veja o quadro abaixo: Classe I: DPS com capacidade mínima de 12,5 kA de corrente de impulso (Iimp), indicado para ser instalado no quadro geral, destinado a proteção contra descargas diretas; Classe II: DPS com capacidade mínima de 5 kA de corrente nominal (In); indicado para ser instalado nos quadros de distribuição; destinado à proteção contra descargas indiretas, assim também contra sobretensões de manobra, Classe III: DPS com capacidade de proporcionar uma menor tensão residual, devendo ser instalado próximo aos equipamentos eletro-eletrônicos. Indicado para proteção de redes elétricas, de dados e sinais.

Características mínimas exigidas pela ABNT 5410 CLASSE Imax Iimp In (Corrente máxima) (Corrente impluso) (Corrente nominal)
(8/20m s)
(Vide abaixo)

Indicação

Onde Instalar

OBS.

(8/20m s)

I (IEC) B (VDE)
II (IEC) C (VDE) III (IEC) D (VDE)

60 kA

12,5 kA

25 kA

Descargas diretas

Na transição da ZPR 0B para a ZPR 1 (QGBT)

Em sistema TN-S, TT, utilizar DPS para Neutro Pode ser instalado em conjunto com DPS Classe I Lembrar de todos pontos de entrada, como dados, sinais, etc

13 kA --

--

5 kA --

Na transição da Descargas indiretas ZPR1 para a ZPR 2 ou manobras Por exemplo: QD Descargas indiretas ou manobras ZPR3 Próximo ao equipamento

--

Obs.: Conforme vimos, na nota do item 6.3.5.2.4-¨d¨ da Norma ABNT 5410:2004,(mencionado na página 08 desse compêndio), não há uma forma de onda específica para realização desse tipo de ensaio, podendo ser 8/20m s, 10/700m s, 10/350m s ou 10/1000m s).

Veja a figura abaixo:
Quadro Geral Classe I Quadro Distribuição Classe II Próximo ao Equipamento Classe III

Linha telefônica
Alarmsystem
X X X X X X X X X

L3 L2 L1 Neutro

Central de alarme

F U S I V E L

F U S I V E L

Eletro 2000
Aterramento Aterramento

COMPUTADOR

Exemplo: AntiRaio Alarmsystem, protegendo uma central de alarmes; AntiRaio Eletro2000, protegendo um computador.

100%

Certificados de Qualidade

CTEC
Líder em Qualidade.

A grife da proteção!

A 1ª em DPS do Brasil. Desenvolvido para o país campeão em descargas atmosféricas!
Indústria Brasileira.

embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

INPE
UNICAMP

pag.10

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Veja abaixo como instalar o DPS nos esquemas de aterramento,lembramos que abaixo demonstramos apenas a instalação no modo comum, para o modo transverso, deve-se instalar DPS entre as partes vivas.

Esquema de aterramento TN-C As funções de neutro e de proteção são combinadas em um único condutor ao longo da instalação. (ABNT NBR 5410:2004 - 4.2.2.2.1-c) QGBT QD
L1 L2 L3 PEN L3 L2 L1

(*)

(*)
Equipamento eletro-eletrônico

Aterramento da alimentação

Aterramento

Esquema de aterramento TN-S O condutor neutro e o condutor de proteção são separados após a
origem e seguem separados por toda a instalação. (ABNT NBR 5410:2004 - 4.2.2.2.1-a)
QGBT
L1 L2 N PE L3 L1 L2 L3 N PE

QD

(*)

(*)
Equipamento eletro-eletrônico

Aterramento da alimentação

Esquema de aterramento TN-C-S As funções de neutro e de proteção são combinados em um único condutor em parte da instalação e seguem separados em outra parte da instalação. (ABNT NBR 5410:2004 - 4.2.2.2.1-b)
L1 L2 L3 PEN L3 N

QGBT
L2

L1

QD

(*)

PE

(*)
Equipamento eletro-eletrônico

Aterramento da alimentação

Aterramento

Esquema de aterramento TT

Possui um ponto da alimentação diretamente aterrado, estando os equipamentos da instalação ligados a eletrodos de aterramento eletricamente distintos do eletrodo de aterramento da alimentação. (ABNT NBR 5410:2004 - 4.2.2.2.2)
QGBT
L1 L2 L3 N L3 L2 L1

QD

(*)

(*) (**)
Equipamento eletro-eletrônico

Aterramento da alimentação

Aterramento

LEGENDA: (*) Utilizar fusível/disjuntor em série com o DPS, quando o disjuntor geral do quadro for igual ou maior que 100 A. (**) Nesse caso o DPS entre o Neutro e o aterramento deverá ser de capacidade maior, haja vista que os DPS das fases estão direcionados para o Neutro, e esse DPS será responsável por descarregar toda a corrente para o aterramento.

100%

Certificados de Qualidade

CTEC
Líder em Qualidade.

A grife da proteção!

A 1ª em DPS do Brasil. Desenvolvido para o país campeão em descargas atmosféricas!
Indústria Brasileira.

embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

INPE
UNICAMP

pag.11

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe I / B

Linha DPS AntiRaio Plug In
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos foram desenvolvidos para proteger a instalação elétrica, sendo necessário um para cada fase e neutro. Deverá ser instalado após os disjuntores do quadro de distribuição, com fixaçao em trilho TS 35. Na página 17 demonstramos a proteção no modo comum, ou seja proteção das fases e do neutro para o aterramento e no modo transverso ou diferencial com proteção no modo comum, mas também com proteção das fases entre si. Em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características da Classe I, norma NBR IEC 61643-1/2007, assim também como da Classe “B”, norma DIN VDE 0675. A Linha DPS Plug In é composta de MÓDULO e BASE, disponível nas versões monopolar, bipolar, tripolar e tetrapolar.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS

Módulos:
PS Da ECOBOX /20) /350) kA (8 (8/20) 275 Vac kA(10 kA Linh Ucmax 905020<0,7 kV I I n imp I p
U

Dimensões:

Modelos: de 60kA a 120 kA

47 mm

47 mm

MODELOS
Código Corrente máxima de surto - onda 8/20 m sI n - corrente nominal
- onda 8/20 m s-

I imp - corrente impulso
- onda 10/350 m s-

Q (carga) Energia específica Un - Tensão nominal Uc - Tensão de disparo Grau de proteção Nível de proteção - Up Tensão impulso suportável Tempo de resposta Dispositivo de proteção (*)

(*) Em caso de queima do módulo protetor, ocorre a desconexão automática do circuito, isolando o protetor dos condutores, que sera indicada pela posição OFF (Vermelho) no visor.

Bases:
Modelo Código Dimensões Monopolar 310001 Bipolar 310002 Tripolar 310003 Tetrapolar 310004 Monopolar para Módulo 200 kA 310005

65 mm

65 mm

65 mm

65 mm

18 mm

m 90 m

36 mm

m 90 m

65 mm

Conexão

a Linh

S BOX DPECO

3-1 B 6164 I / IEClasse C

nha Li

S BOX DPECO

T1

43-1 B 616 I / IEC asse NBR Cl

T1 61643-1/ B I Cl NBR IEC asse

17 mm

4 5 mm

Caixa plástica, não propagante à chama, injetada em nylon anti-chama Grau : VO- Ul94, Temperatura: - 40ºC até 80ºC Câmera Blindada (evita arco voltaíco)
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643

Máximo Fusível de back-up: 100 A (quando o fusível ou disjuntor do quadro em que o DPS for instalado, for maior que 100A, utilizar fusível/disjuntor de 32A em série com o DPS) Veja exemplo na página 17.

90 2 50 7 kA 5 20 k V < kA A (8 a 0 c ,7 (1 (8 /20)

/2 k 0/ 0) V 35

0 )

I In U im I c
m ax

p

p 5

97 05 k V 20 0 A a kA < kA ( c 8/ 0 ,7 (1 (8 20 /20 ) k 0/3 V 50 )

U

T1

2

)

Modelos: de 200 kA

Sinalização de defeito: ON (VD) - perfeito estado OFF (VM) - substituir
4 5 mm

34 mm

CLASSE I / B

Neutro
310060 310090 310099 310N02 60 kA 30 kA 12,5 kA 6,5 As 90 kA 50 kA 20 kA 10 As 120 kA 60 kA 25 kA 12,5 As 200 kA 100 kA 40 kA 20 As 310160 60 kA 30 kA 12,5 kA 6,5 As

175 Vac
310190 310199 310102 90 kA 50 kA 20 kA 10 As 120 kA 60 kA 25 kA 12,5 As 200 kA 100 kA 40 kA 20 As 310260 60 kA 30 kA 12,5 kA 6,5 As

275 Vac
310290 310299 310202 90 kA 50 kA 20 kA 10 As 120 kA 60 kA 25 kA 12,5 As 200 kA 100 kA 40 kA 20 As 310360 60 kA 30 kA 12,5 kA 6,5 As

385 Vac
310390 310399 310302 90 kA 50 kA 20 kA 10 As 120 kA 60 kA 25 kA 12,5 As 200 kA 100 kA 40 kA 20 As 310460 60 kA 30 kA 12,5 kA 6,5 As

485 Vac
310490 310499 310402 90 kA 50 kA 20 kA 10 As 120 kA 60 kA 25 kA 12,5 As 200 kA 100 kA 40 kA 20 As

0,32MJ/W 0,5MJ/W 0,625MJ/W 1,0MJ/W 0,32MJ/W 0,5MJ/W 0,625MJ/W 1,0MJ/W 0,32MJ/W 0,5MJ/W 0,625MJ/W 1,0MJ/W 0,32MJ/W 0,5MJ/W 0,625MJ/W 1,0MJ/W 0,32MJ/W 0,5MJ/W 0,625MJ/W 1,0MJ/W 150 VCA IP20 < 0,7 kV >6 kV <25 ns sim 127 VCA 175 VCA IP20 < 0,7 kV >6 kV <25 ns sim 227 VCA 275 VCA IP20 < 0,9 kV >6 kV <25 ns sim 380 VCA 385 VCA IP20 < 1,5 kV >6 kV <25 ns sim 440 VCA 485 VCA IP20 < 1,6 kV >6 kV <25 ns sim

54 mm

m 90 m

72 mm

m 90 m

36 mm

m 90 m

16 mm a 25 mm

2

2

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.12

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe I / B e Classe II / C

Linha DPS AntiRaio Plug In SR (Sinalização Remota)
A Linha DPS PLUG IN está disponível com sinalização remota, assim também como nas versões Classe I e II da norma ABNT NBR IEC 61643-1/2007. Veja na página 17 como instalar tanto no modo comum como no modo transverso. Essa Linha está disponível somente na versão monopolar.
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS
Caixa plástica, não propagante à chama, injetada em nylon anti-chama Grau : VO- Ul94, Temperatura: - 40ºC até 80ºC Câmera Blindada (evita arco voltaíco) Sinalização de defeito: ON (Verde) - perfeito estado OFF (Vermelho) - substituir
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643-1

Sinalização Remota: na/nf Veja o abaixo:

Máximo Fusível de back-up: 100 A (quando o fusível ou disjuntor do quadro em que o DPS for instalado, for maior que 100A, utilizar fusível/disjuntor de 32A em série com o DPS) Veja exemplo na página 17.

Borne com conexão 2 até 1,5 mm

CLASSE II / C
MODELOS
Código

Neutro

175 Vca

275 Vca

385 Vca

485 Vca

710013sr 710020sr 710030sr 710045sr 710050sr 710113sr 710120sr 710130sr 710145sr 710150sr 710213sr 710220sr 710230sr 710245sr 710250sr 710313sr 710320sr 710330sr 710345sr 710350sr 710413sr 710420sr 710430sr 710445sr 710450sr
20 kA 10 kA 30 kA 15 kA 45 kA 20 kA 50 kA 25 kA 13 kA 5 kA 20 kA 10 kA 30 kA 15 kA 45 kA 20 kA 50 kA 25 kA 13 kA 5 kA 20 kA 10 kA 30 kA 15 kA 45 kA 20 kA 50 kA 25 kA 13 kA 5 kA 20 kA 10 kA 30 kA 15 kA 45 kA 20 kA 50 kA 25 kA 13 kA 5 kA 20 kA 10 kA 30 kA 15 kA 45 kA 20 kA 50 kA 25 kA

Corrente max. de surto 13 kA - onda 8/20 m sI n - corrente nominal 5 kA - onda 8/20 m sUn - Tensão nominal Uc - Tensão de disparo Grau de proteção Nível de proteção - Up Tensão impulso suportável Tempo de resposta
Dispositivo de proteção (*)

127 VCA 150 VCA IP20 < 0,7 kV >6 kV <25 ns sim 175 VCA IP20 < 0,7 kV >6 kV <25 ns sim

227 VCA 275 VCA IP20 < 0,9 kV >6 kV <25 ns sim

380 VCA 385 VCA IP20 < 1,5 kV >6 kV <25 ns sim

440 VCA 485 VCA IP20 < 1,6 kV >6 kV <25 ns sim

CLASSE I / B
MODELOS
Código Corrente máxima de surto - onda 8/20 m sI n - corrente nominal
- onda 8/20 m s-

Neutro

175 Vac

275 Vac

385 Vac

485 Vac

710060sr 710090sr 710099sr 710N02sr 710160sr 710190sr 710199sr 710102sr 710260sr 710290sr 710299sr 710202sr 710360sr 710390sr 710399sr 710302sr 710460sr 710490sr 710499sr 710402sr 60 kA 30 kA 12,5 kA 90 kA 50 kA 20 kA 150 VCA IP20 < 0,7 kV >6 kV <25 ns sim 120 kA 60 kA 25 kA 200 kA 100 kA 40 kA 60 kA 30 kA 12,5 kA 90 kA 50 kA 20 kA 120 kA 60 kA 25 kA 200 kA 100 kA 40 kA 60 kA 30 kA 12,5 kA 90 kA 50 kA 20 kA 120 kA 60 kA 25 kA 200 kA 100 kA 40 kA 60 kA 30 kA 12,5 kA 90 kA 50 kA 20 kA 120 kA 60 kA 25 kA 200 kA 100 kA 40 kA 60 kA 30 kA 12,5 kA 90 kA 50 kA 20 kA 120 kA 60 kA 25 kA 200 kA 100 kA 40 kA

I imp - corrente impulso
- onda 10/350 m s-

Un - Tensão nominal Uc - Tensão de disparo Grau de proteção Nível de proteção - Up Tensão impulso suportável Tempo de resposta Dispositivo de proteção (*)

127 VCA 175 VCA IP20 < 0,7 kV >6 kV <25 ns sim

227 VCA 275 VCA IP20 < 0,9 kV >6 kV <25 ns sim

380 VCA 385 VCA IP20 < 1,5 kV >6 kV <25 ns sim

440 VCA 485 VCA IP20 < 1,6 kV >6 kV <25 ns sim

(*) Em caso de queima do módulo protetor, ocorre a desconexão automática do circuito, isolando o protetor dos condutores, que sera indicada pela posição OFF (Vermelho) no visor.

Dimensões:

44 mm 65 mm

R

90 mm 103 mm

18 mm

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.13

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe II / C

Linha DPS AntiRaio Plug In
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos foram desenvolvidos para proteger a instalação elétrica, sendo necessário um para cada fase e neutro. Deverá ser instalado após os disjuntores do quadro de distribuição, com fixaçao em trilho TS 35. Na página 16 demonstramos a proteção no modo comum, ou seja proteção das fases e do neutro para o aterramento e no modo transverso ou diferencial com proteção no modo comum, mas também com proteção das fases entre si. Em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características da Classe II, norma NBR IEC 61643-1/2007, assim também como da Classe “C”, norma DIN VDE 0675. A Linha DPS Plug In é composta de MÓDULO e BASE, disponível nas versões monopolar, bipolar, tripolar e tetrapolar.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS

Módulos:
Caixa plástica, não propagante à chama, injetada em nylon anti-chama Grau : VO- Ul94, Temperatura: - 40ºC até 80ºC Câmera Blindada (evita arco voltaíco)
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643

Dimensões
47 mm

Máximo Fusível de back-up: 100 A (quando o fusível ou disjuntor do quadro em que o DPS for instalado, for maior que 100A, utilizar fusível/disjuntor de 32A em série com o DPS) Veja exemplo na página 17.

MODELOS
Código

310013 310020 310030 310045 310050 310113 310120 310130 310145 310150 310213 310220 310230 310245 310250 310313 310320310330 310345 310350 310413 310420 310430 310445 310450
20 kA 10kA 225J 30 kA 15kA 330J 45 kA 20kA 525J 50 kA 25kA 570J 13 kA 5 kA 180J 20 kA 10kA 270J 30 kA 15kA 400J 45 kA 20kA 630J 50 kA 25kA 690J 13 kA 5 kA 280J 20 kA 10kA 420J 30 kA 15kA 620J 45 kA 20kA 980J 50 kA 25kA 1088J 13 kA 5 kA 360J 20 kA 10kA 560J 30 kA 15kA 810J 45 kA 20kA 1320J 50 kA 25kA 1380J 13 kA 5 kA 470J 20 kA 10kA 680J 30 kA 15kA 990J 45 kA 20kA 1630J 50 kA 25kA 1820J

Corrente max. de surto 13 kA - onda 8/20 m sI n - corrente nominal 5 kA - onda 8/20 m sMáx.energia absorvida(2ms) 160J Un - Tensão nominal Uc - Tensão de disparo Grau de proteção Nível de proteção - Up Tensão impulso suportável Tempo de resposta
Dispositivo de proteção (*)

(*) Em caso de queima do módulo protetor, ocorre a desconexão automática do circuito, isolando o protetor dos condutores, que sera indicada pela posição OFF (Vermelho) no visor.

Bases:
Modelo Código Monopolar 310001 Bipolar 310002 Tripolar 310003 Tetrapolar 310004

Dimensões
65 mm 65 mm 65 mm 65 mm

Conexão

Linha Uc

S DPECOBO (8/20) 0) ac kA 275 V A (8/2
X

9050 k kA(10/350 I max I imp 20<0,7 kV 43-1/ T1 I n Up 616 IEC asse I B Cl
)

NBR

Linha Uc

DPS OBOX8/20) 50) EC kA ( 275 Vac (8/20)

9050 kA (10/3 kA I max I imp 20<0,7 kV 43-1/ T1 B I n Up R IEC 616 I Classe
Linha Uc

NB

DPS OBO (8/20) 50) EC kA 275 Vac (8/20)
X

kA (10/3 90 kA I max I im5020<0,7 kV 43-1/ T1 B I n Up p R IEC 616 I Classe

NB

Sinalização de defeito: ON (VD) - perfeito estado OFF (VM) - substituir
4 5 mm

17 mm

CLASSE II / C Neutro 175 Vca 275 Vca 385 Vca 485 Vca

127 VCA 150 VCA IP20 < 0,7 kV >6 kV <25 ns sim 175 VCA IP20 < 0,7 kV >6 kV <25 ns sim

227 VCA 275 VCA IP20 < 0,9 kV >6 kV <25 ns sim

380 VCA 385 VCA IP20 < 1,5 kV >6 kV <25 ns sim

440 VCA 485 VCA IP20 < 1,6 kV >6 kV <25 ns sim

18 mm

m 90 m

36 mm

m 90 m

54 mm

m 90 m

72 mm

m 90 m

4 mm a 25 mm

2

2

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.14

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe I / B e Classe II / C

Linha DPS Ecobox
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos da Linha DPS Ecobox foram desenvolvidos para proteger a instalação elétrica. Deverá ser instalado após os disjuntores do quadro de distribuição, com fixaçao em trilho TS 35. Veja o modo de instalação na página 16. Em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características das Classes I e II, norma NBRIEC 61643-1, assim também como da Classe ¨B¨ e “C”, norma DIN VDE 0675. A Linha DPS ECOBOX, disponível nas versões monopolar, bipolar, tripolar e tetrapolar.
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS
DPS OBOX EC c Linha 5 Va
Uc 27
90 kA (8/20) I max 50 kA (10/350) In 20 kA I imp <0,7 kV Up
(8/20)

61643-1 B NBR IECClasse I /

T1

(

)L

/N

TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643

(

)L

/N

Câmera Blindada (evita arco voltaíco) Sinalização de defeito: LED “ON” - perfeito estado LED “OFF” - substituir Máximo Fusível de back-up: 100 A (quando o fusível ou disjuntor do quadro em que o DPS for instalado, for maior que 100A, utilizar fusível/disjuntor de 32A em série com o DPS) Veja exemplo na página 17.

/ NL

)

(

Borne com conexão até 1,5 mm2

MODELOS
Un - Tensão nominal Uc - Tensão de disparo Grau de proteção Nível de proteção - Up Tensão impulso suportável Tempo de resposta

Neutro
150 VCA IP20 < 0,7 kV >6 kV <25 ns

175 Vca
127 VCA 175 VCA IP20 < 0,7 kV >6 kV <25 ns

275 Vca
227 VCA 275 VCA IP20 < 0,9 kV >6 kV <25 ns

385 Vca
380 VCA 385 VCA IP20 < 1,5 kV >6 kV <25 ns

485 Vca
440 VCA 485 VCA IP20 < 1,6 kV >6 kV <25 ns

Corrente max. de surto - onda 8/20 m s-

13 kA 20 kA 30 kA 45 kA 50 kA 5 kA 10 kA 15 kA 20 kA 25 kA II / C II / C II / C II / C II / C

I n - corrente nominal
- onda 8/20 m s-

Classe - IEC 61643-1

Corrente max. de surto - onda 8/20 m s-

60 kA 75 kA 90 kA 120 kA 30kA 35kA 50kA 60kA 12,5kA 15kA 20kA 25kA I/B I/B I/B I/B

I n - corrente nominal
- onda 8/20 m s-

Iimp - corrente impulso
- onda 10/350 m s-

Classe - IEC 61643-1

Classe I
Códigos
810060 810160 810260 810360 810460 810075 810175 810275 810375 810475 810090 810190 810290 810390 810490 810099 810199 810299 810399 810499

Classe II
Corrente Máx. Códigos
810013 810113 810213 810313 810413 810020 810120 810220 810320 810420 810030 810130 810230 810330 810430 810045 810145 810245 810345 810445 810050 810150 810250 810350 810450

Modelo
NEUTRO 175 V 275 V 385 V 485 V NEUTRO 175 V 275 V 385 V 485 V NEUTRO 175 V 275 V 380 V 440 V NEUTRO 175 V 275 V 380 V 440 V

Modelo
NEUTRO 175 V 275 V 385 V 485 V NEUTRO 175 V 275 V 385 V 485 V NEUTRO 175 V 275 V 380 V 440 V NEUTRO 175 V 275 V 380 V 440 V NEUTRO 175 V 275 V 380 V 440 V

Corrente Máx.

60 kA

13 kA

75 kA

20 kA

90 kA

30 kA

120 kA

45 kA

Obs.: Para Sinalização Remota incluir “SR” ao código.

50 kA

Dimensões
65 mm 52 mm

18 mm
Conexão
2

m 90 m
4 mm a 25 mm
2

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

A grife da proteção!

pag.15

Classe I 61643-1 T1 /B

NBR IEC

Linha DPS Uc 275 ECOBOX I m I ax 90 kA ( Vac I n 50 kA (8/20)8/20) Up imp 20 kA(10/350) <0,7 kV

Caixa plástica, não propagante à chama, injetada em abs anti-chama Grau : VO- Ul94, Temperatura: - 40ºC até 80ºC

Na versão com Sinalização Remota: na/nf Veja o abaixo:

/ NL

)

(

INPE
UNICAMP

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe I / B e Classe II / C

Linha DPS Ecobox
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos da Linha DPS Ecobox foram desenvolvidos para proteger a instalação elétrica. Deverá ser instalado após os disjuntores do quadro de distribuição, com fixaçao em trilho TS 35. Veja o modo de instalação na página 17. Em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características das Classes I e II, norma NBRIEC 61643-1, assim também como da Classe ¨B¨ e “C”, norma DIN VDE 0675. A Linha DPS ECOBOX, disponível nas versões monopolar, bipolar, tripolar e tetrapolar.
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS
S DPECOBOX a Linh utro (8/20)
Ne

DP ECOBOX ha Vac ) Lin 275 kA (8/20 ) Uc 90
p

S

a Linh

DPS OBOX EC
90 kA (8/20) ) I max 50 kA A(10/350 In 20 k I imp <0,7 kV Up

Neutro

) (8/20

90 kA ) I max 50 kA (10/350 In 20 kA kV I imp <0,7 U
0) (8/2
p

(8/20 50) I max 50 kA (10/3 In 20 kA I imp <0,7 kV U

h Lin

DPSCOBOX E
a

3-1 C6 164 B NBRI E Classe I /

T1

ha Lin

S DPECOBOX
utro
(8/20

Uc
)

NBR Classe

43-1 IEC 616 I / B

T1

Ne kA 0) 90 (8/2 ) I max 50 kA (10/350 In 20 kA kV I imp <0,7 - T1 Up 16431

90 kA (8/20) I max 50 kA 10/350) ( In 20 kA I imp <0,7 kV Up

275

Vac(8/20)

31 T1 C 6164 B NBR IE Classe I /
ha Lin

DPS BOX ECO
Linh a

DPS BOX a ECO Linh Neutro (8/20) kA

- T1 616431 B NBR IEC asse I / Cl

Linha

DPS OBOX EC
Vac
20)

S DPECOBOX

Uc

EC6 NBR I Classe I /

B

9 I max 50 kA (10/350) In 20 kA kV I imp <0,7 - T1 Up 616431
(8/2

o 0) NeutrkA (8/2 0) 0

275 kA (8/ ) 90 (8/20 I max 50 kA 50) (10/3 In 20 kA I imp <0,7 kV T1 Up 643-1

90 kA (8/20) I max 50 kA A(10/350) In 20 k I imp <0,7 kV Up

Neut

ro

(8/20)

20) 90 I max 50 kA (8/ (10/350) In 20 kA I imp <0,7 kV Up

31 T1 C6 164 NBR IE ClasseI / B

1 T1 61643- B NBR IECClasse I /

C6 1 B NBR IE se I /
Clas

B EC NBRI Classe I /

L/

N

L/

N

L/

N

Caixa plástica, não propagante à chama, injetada em abs anti-chama Grau : VO- Ul94, Temperatura: - 40ºC até 80ºC
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643

Máximo Fusível de back-up: 100 A (quando o fusível ou disjuntor do quadro em que o DPS for instalado, for maior que 100A, utilizar fusível/disjuntor de 32A em série com o DPS) Veja exemplo na página 17.

(

)

L/

(

N

)

L/

(

N

)

L/

N

Câmera Blindada (evita arco voltaíco) Sinalização de defeito: LED “ON” - perfeito estado LED “OFF” - substituir

MODELOS
Un - Tensão nominal Uc - Tensão de disparo Grau de proteção Nível de proteção - Up Tensão impulso suportável Tempo de resposta

Neutro
150 VCA IP20 < 0,7 kV >6 kV <25 ns

175 Vca
127 VCA 175 VCA IP20 < 0,7 kV >6 kV <25 ns

275 Vca
227 VCA 275 VCA IP20 < 0,9 kV >6 kV <25 ns

385 Vca
380 VCA 385 VCA IP20 < 1,5 kV >6 kV <25 ns

485 Vca
440 VCA 485 VCA IP20 < 1,6 kV >6 kV <25 ns

Corrente max. de surto - onda 8/20 m s-

13 kA 20 kA 30 kA 45 kA 50 kA 5 kA 10 kA 15 kA 20 kA 25 kA II / C II / C II / C II / C II / C

I n - corrente nominal
- onda 8/20 m s-

Classe - IEC 61643-1

Corrente max. de surto - onda 8/20 m s-

60 kA 75 kA 90 kA 30kA 35kA 50kA 12,5kA 15kA 20kA I/B I/B I/B

I n - corrente nominal
- onda 8/20 m s-

Iimp - corrente impulso
- onda 10/350 m s-

Classe - IEC 61643-1

Bipolar
Código
820113 820213 820313 820413 820120 820220 820320 820420 820130 820230 820330 820430 820145 820245 820345 820445 820150 820250 820350 820450 820160 820260 820360 820460 820175 820275 820375 820475 820190 820290 820390 820490

Bipolar + Neutro
Tensão
175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V

Tripolar
Tensão
175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V

Tetrapolar
Tensão
175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V

Modelo
13 KA - BIPOLAR

Código
821113 821213 821313 821413 821120 821220 821320 821420 821130 821230 821330 821430 821145 821245 821345 821445 821150 821250 821350 821450 821160 821260 821360 821460 821175 821275 821375 821475 821190 821290 821390 821490

Modelo
13 KA - BIPOLAR + NEUTRO

Código
830113 830213 830313 830413

Modelo
13 KA - TRIPOLAR

Código
831113 831213 831313 831413 831120 831220 831320 831420 831130 831230 831330 831430 831145 831245 831345 831445 831150 831250 831350 831450 831160 831260 831360 831460 831175 831275 831375 831475 831190 831290 831390 831490

Modelo
13 KA - TRIPOLAR + NEUTRO

Tensão
175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V 175 V 275 V 385 V 485 V

20 KA - BIPOLAR

20 KA - BIPOLAR + NEUTRO

30 KA - BIPOLAR

275 V 385 V 485 V 175 V

30 KA - BIPOLAR + NEUTRO

45 KA - BIPOLAR

275 V 385 V 485 V 175 V

45 KA - BIPOLAR + NEUTRO

50 KA - BIPOLAR

275 V 385 V 485 V 175 V

50 KA - BIPOLAR + NEUTRO

60 KA - BIPOLAR

275 V 385 V 485 V 175 V

60 KA - BIPOLAR + NEUTRO

75 KA - BIPOLAR

275 V 385 V 485 V 175 V

75 KA - BIPOLAR + NEUTRO

90 KA - BIPOLAR

275 V 385 V 485 V

90 KA - BIPOLAR + NEUTRO

830120 830220 830320 830420 830130 830230 830330 830430 830145 830245 830345 830445 830150 830250 830350 830450 830160 830260 830360 830460 830175 830275 830375 830475 830190 830290 830390 830490

20 KA - TRIPOLAR

20 KA - TRIPOLAR + NEUTRO

30 KA - TRIPOLAr

30 KA - TRIPOLAR + NEUTRO

45 KA - TRIPOLAR

45 KA - TRIPOLAR + NEUTRO

50 KA - TRIPOLAR

50 KA - TRIPOLAR + NEUTRO

60 KA - TRIPOLAR

60 KA - TRIPOLAR + NEUTRO

75 KA - TRIPOLAR

75 KA - TRIPOLAR + NEUTRO

90 KA - TRIPOLAR

90 KA - TRIPOLAR + NEUTRO

Dimensões

65 mm

52 mm

65 mm

65 mm

52 mm

36 mm

m 90 m

54 mm

m 90 m

52 mm

54 mm

m 90 m

65 mm 52 mm
72 mm

m 90 m

Conexão

4 mm a 25 mm

2

2

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.16

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe I / B e Classe II / C

Abaixo demonstramos a instalação no modo COMUM e no modo TRANSVERSO, para o sistema de aterramento TN-C. Para outros tipos de aterramento consulte a página 11. Lembramos que o modo comum consiste na instalação do DPS entre o aterramento e as fases e neutro. O modo transverso é um complemento do modo comum e jamais deve ser utilizado sozinho. Consiste na instalação de DPS entre as fases. MODO COMUM:
MODELO MONOFÁSICO
Entrada
Fase Neutro DG

MODELO BIFÁSICO
Entrada
Fase Fase Neutro
DG

MODELO TRIFÁSICO
Entrada
Fase Fase Fase Neutro
DG

(* )

(* )

(* )
Aterramento

Aterramento

Aterramento

MODO COMUM e TRANSVERSO:
MODELO MONOFÁSICO
Entrada
Fase Neutro DG

MODELO BIFÁSICO
Entrada
Fase Fase Neutro
DG

MODELO TRIFÁSICO
Entrada
Fase Fase Fase Neutro
DG

(* )

(* )

(* )

Aterramento

Aterramento
Aterramento

(* )

Quando o disjuntor ou fusível geral do quadro em que o DPS for instalado for maior ou igual a 100 ampères, utilizar um disjuntor ou fusível de 32 ampéres a montante desse DPS.

Informações técnicas básicas para identificação do DPS (Dispositivo de Proteção Contra Surtos)
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS
GABINETE Caixa plástica, não propagante à chama. Grau : VO- Ul94, Temperatura: - 40ºC até 80ºC Conexão: 2 2 *Plug In - 4,0 mm a 25 mm *EcoBox - 4,0 mm2 a 25 mm2
- Classe II / C Sinalização de defeito: ON (VD) - perfeito estado OFF (VM) - substituir

*Plug In -

*EcoBox - LED aceso - perfeito estado
LED apagado - substituir

- Classe I / B -

13kA
Corrente máxima de surto
- onda 8/20 m s-

20kA
20 kA 10 kA --

30kA
30 kA 15 kA --

45 kA
45 kA 20 kA --

50 kA
50 kA 25 kA --

60 kA
60 kA 30 kA 12,5 kA

90 kA
90 kA 50 kA 20 kA

120 kA
120 kA 60 kA 25 kA

200 kA
200 kA 100 kA
40 kA

13kA 5 kA --

I n - Corrente nominal I imp - Corrente impulso
- onda 10/350 m s-

(*) OBS: Para quadros com corrente acima de 100A, é necessário instalar fusíveis ou um disjuntor de 32 A após o disjuntor geral e em série com o DPS.

TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643
Uc - Tensão de disparo Nível de proteção - Up
150 VCA NEUTRO

175 VCA
< 0,7 kV

275 VCA
< 0,9 kV

385 VCA
< 1,5 kV

485 VCA
< 1,6 kV

Tempo de resposta Dispositivo de proteção (*)

<25 ns sim

< 0,7 kV

*Informações sujeitas a alterações sem aviso prévio

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.17

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe II / C

Linha AntiRaio de Baixa Tensão
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos -DPS de Baixa Tensão foram desenvolvidos para proteger as redes de distribuição de baixa tensão. Projetado em material polimérico, com proteção UV, portanto indicado para instalações externas.Composto de Varistores de Óxido de Zinco, sem centelhadores em série. Possui um dispositivo que o desconecta do circuito, quando finda a sua vida útil. Esta Linha está em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características da Classe II, conforme a norma IEC 61643-1, assim também como da Classe “C”, conforme norma DIN VDE 0675. Disponível em duas versões, para rede convencional ou rede isolada. .
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS
GABINETE

Caixa plástica, injetada em material polmérico não propagante à chama, Grau : VO- UL94,
AntiRaio BTI 275V/20kA 801220 Rede Isolada 275 VCA 280 VCA 10 kA 20 kA < 1,3 kV <25 ns sim AntiRaio BTC 485V/20kA 800420 Rede convencional 440 VCA 485 VCA 10 kA 20 kA < 1,8 kV <25 ns sim AntiRaio BTI 485V/20kA 801420 Rede Isolada 440 VCA 485 VCA 10 kA 20 kA < 1,8 kV <25 ns sim AntiRaio BTC 275V/40kA 800240 Rede convencional 275 VCA 280 VCA 20 kA 40 kA < 1,3 kV <25 ns sim AntiRaio BTI 275V/40kA 801240 Rede Isolada 275 VCA 280 VCA 20 kA 40 kA < 1,3 kV <25 ns sim AntiRaio BTC 485V/40kA 800440 Rede convencional 440 VCA 485 VCA 20 kA 40 kA < 1,8 kV <25 ns sim AntiRaio BTI 485V/40kA 801440 Rede Isolada 440 VCA 485 VCA 20 kA 40 kA < 1,8 kV <25 ns sim

MODELOS
Código Tipo Un - Tensão nominal Uc - Tensão de disparo I n - corrente nominal Corrente máxima de surto - onda 8/20 m sTensão residual-Valor de crista Tempo de resposta Dispositivo de proteção (*)

AntiRaio BTC 275V/20kA 800220 Rede convencional 275 VCA 280 VCA 10 kA 20 kA < 1,3 kV <25 ns sim

(*) Em caso de queima do módulo protetor, ocorre a desconexão automática do circuito, isolando o protetor dos condutores, sendo de fácil visualização (figura 01 abaixo).

MODELO MONOFÁSICO
Fase Fase

MODELO BIFÁSICO
Fase

MODELO TRIFÁSICO

Desconexão:

Fase

Fase

Neutro

Neutro

Fase

Neutro

A desconexão é através de uma lâmina que se desprende do protetor, sendo de fácil visualição. Figura 01

Produto certificado 27/05/2010

Dimensões:
77 mm

Rede Convencional:

Rede Isolada:

57 mm

UNICAMP

55 mm

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.18

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe III / D

Linha DPS Plug and Play
Os protetores da Linha Plug and Play, foram desenvolvidos para proteger equipamentos eletro-eletrônicos em geral. Apresenta uma fácil instalação sem a necessidade de conhecimentos técnicos, sendo de simples plugagem, ou seja, basta conectar o protetor entre o equipamento a ser protegido e a rede que o alimenta (elétrica, telefônica, de dados, de sinais, etc.). É indicado para o usuário comum, residências, profissionais liberais, pequenas empresas, escritórios, etc.. Esta linha é bivolt, portanto versátil na sua utilização, veja abaixo os modelos disponíveis.

Eletro 2000

Telefax

Finalidade: Proteção para a rede elétrica de equipamentos com consumo até 2000 watts (bivolt). Aplicação: Microcomputadores s/ modem, copiadoras, microondas, geladeiras, freezers, aparelhos de som, equipamentos médicohospitalares, etc.
MICROONDAS COPIADORA

Finalidade: Proteção para a rede elétrica (bivolt) e para uma linha telefônica. Aplicação: Microcomputadores com placa de modem, secretárias eletrônicas, telefones s/ fio, etc.
REDE ELÉTRICA
COMPUTADOR COM FAX-MODEM

ELETRO - 2000
F U S I V E L F U S I V E L

TELEFAX
F U F S U I S V I E V L E L

NO BREAK ou ESTABILIZADOR

IMPRESSORA

REDE ELÉTRICA

COMPUTADOR

LINHA TELEFÔNICA

NO BREAK ou ESTABILIZADOR

Código: 401002
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
POTÊNCIA TENSÃO DE ENTRADA FUSÍVEIS TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA FORMA DE PROTEÇÃO
CONEXÃO ( rede elétrica ) - conforme NBR 14136 -

Código: 402002
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
CONEXÃO ( rede elétrica )
- conforme NBR 14136 -

2000 W ( 127 V ) / 3300 W ( 220 V ) 110 a 240 - 50/60 Hz 15 A ( 1 por fase ) 250 Vac 498 Vac 20.000 A @ 8/20 m s 1520 Joules < 1 ns
F-N / F-T / N-T / (monofásico) e F1-F2 / F1-T / F2-T (bifásico)

Rabicho de 1.2 metro com plug 2P+T ( entrada ) 2 tomadas 2P+T ( saída )
Conector RJ 12 fêmea ( entrada/saída ) Acompanha Cabo de 1.2 m c/conector RJ12 macho

CONEXÃO ( linha telefônica )

MÓDULO
POTÊNCIA TENSÃO DE ENTRADA FUSÍVEIS TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING

ELETRICSYSTEM
2000 W ( 127 V ) / 3300 W ( 220 V ) 110 a 240 (bivolt) - 50/60 Hz 15 A ( 1 por fase ) 250 Vac 498 Vac 20.000 A @ 8/20 m s 1520 Joules < 1 ns
F-N / F-T / N-T / (monofásico) e F1-F2 / F1-T / F2-T (bifásico)

Rabicho de 1.2 metro com plug 2P+T ( entrada ) 3 tomadas 2P+T ( saída )

MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA FORMA DE PROTEÇÃO

Dimensões:
MÓDULO
F U S I V E L F U S I V E L

TELESYSTEM - I
48 Vdc 0.25 A ( 1 por par ) 95 Vdc 138 Vdc 20.000 A @ 8/20 m s 810 Joules < 1 ns 1 par

60 mm

TENSÃO DE SERVIÇO FUSÍVEIS TENSÃO DE DISPARO

95 mm 140 mm

TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA

Peso bruto: 640 g Peso líquido: 560 g

CONDUTORES PROTEGIDOS

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.19

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe III / D

Linha DPS Plug and Play
Os protetores da Linha Plug and Play, foram desenvolvidos para proteger equipamentos eletro-eletrônicos em geral. Apresenta uma fácil instalação sem a necessidade de conhecimentos técnicos, sendo de simples plugagem, ou seja, basta conectar o protetor entre o equipamento a ser protegido e a rede que o alimenta (elétrica, telefônica, de dados, de sinais, etc.). É indicado para o usuário comum, residências, profissionais liberais, pequenas empresas, escritórios, etc.. Esta linha é bivolt, portanto versátil na sua utilização, veja abaixo os modelos disponíveis.

Modem

Modelo com Borne

Modelo com Rj45
Finalidade: Proteção para a rede elétrica (bivolt) e para uma comunicação de dados via modem. Aplicação: Proteção de Modems, que utilizam 02 pares na comunicação.
Código: 402002
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS

ENTRADA

FUSÍVEL

FUSÍVEL

SAÍDA (EQUIPAMENTO)

A B C D

ENTRADA (SINAL DE FORA)

SAÍDA

CONEXÃO ( rede elétrica ) CONEXÃO ( dados )

Rabicho de 1.2 metro com plug 2P+T ( entrada ) 2 tomadas 2P+T ( saída )
Conector RJ 12 fêmea ( entrada/saída ) ou Borne (entrada/ saída )

A B C D

MÓDULO
POTÊNCIA TENSÃO DE ENTRADA FUSÍVEIS
ENTRADA FUSÍVEL FUSÍVEL

ELETRICSYSTEM
1200 W ( 127 V ) / 2200 W ( 220 V ) 110 a 240 (bivolt) - 50/60 Hz 10 A ( 1 por fase ) (acompanha 2 fusíveis reserva) 250 Vac 498 Vac 20.000 A @ 8/20 ? s 1520 Joules < 1 ns
F-N / F-T / N-T / (monofásico) e F1-F2 / F1-T / F2-T (bifásico)

TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING

SAÍDA (EQUIPAMENTO)

MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA
ENTRADA (SINAL DE FORA)

TEMPO DE RESPOSTA
SAÍDA

FORMA DE PROTEÇÃO

MÓDULO
TENSÃO DE SERVIÇO FUSÍVEIS TENSÃO DE DISPARO

MODEMSYSTEM
48 Vdc 0.25 A (Tipo PTC - internos) 95 Vdc 138 Vdc 20.000 A @ 8/20 ? s 810 Joules < 1 ns 1 par

Dimensões:
F U S I V E L F U S I V E L

TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA CONDUTORES PROTEGIDOS

60 mm

95 mm

Peso bruto: 640 g Peso líquido: 560 g

140 mm

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.20

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe III / D

Linha DPS Plug and Play
Os protetores da Linha Plug and Play, foram desenvolvidos para proteger equipamentos eletro-eletrônicos em geral. Apresenta uma fácil instalação sem a necessidade de conhecimentos técnicos, sendo de simples plugagem, ou seja, basta conectar o protetor entre o equipamento a ser protegido e a rede que o alimenta (elétrica, telefônica, de dados, de sinais, etc.). É indicado para o usuário comum, residências, profissionais liberais, pequenas empresas, escritórios, etc.. Esta linha é bivolt, portanto versátil na sua utilização, veja abaixo os modelos disponíveis.

Antena 2000

Satélite 2000

Finalidade: Proteção para a rede elétrica (bivolt) e para uma conexão de antena (vhf/vhs). Aplicação: Televisores com antenas externas, tv a cabo, home-teather, vídeo cassetes, etc.
REDE ELÉTRICA

Finalidade: Proteção para a rede elétrica (bivolt) e para o sinal de vídeo e para a polarização. Aplicação: Receptor via satélite, televisores, home-teather, vídeo cassetes, etc.

Antena 2000
F U S I V E L

APARELHO DE SOM
REDE ELÉTRICA
POLARIZAÇÃO

Satélite 2000 SATÉLITE 2000
F U S I V E L

TELEVISOR
POLARIZAÇÃO

TELEVISOR VIDEO CASSETE OU DVD

SINAL
RECEPTOR

Código:403002
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
CONEXÃO ( rede elétrica ) CONEXÃO ( sinal VHF/VHS/UHF ) Rabicho de 1.2 metro com plug 2P ( entrada ) 2 tomadas 2P ( saída )
Conector F 75 - Fêmea ( entrada/saída )- acompanha cabo com 1,2m

Código:404002
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
CONEXÃO ( rede elétrica ) CONEXÃO ( sinal ) CONEXÃO ( polarização ) Rabicho de 1.2 metro com plug 2P ( entrada ) 3 tomadas 2P ( saída )
Conector F 75 - Fêmea (entrada/saída)-acompanha cabo 1,2m

MÓDULO
POTÊNCIA TENSÃO DE ENTRADA FUSÍVEIS TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING

ELETRICSYSTEM
2000 W ( 127 V ) / 3300 W ( 220 V ) 110 a 240 (bivolt) - 50/60 Hz 15 A ( 1 por fase ) 250 Vac 498 Vac 20.000 A @ 8/20 m s 1520 Joules < 1 ns
F-N / F-T / N-T / (monofásico) e F1-F2 / F1-T / F2-T (bifásico)

Bornes ( entrada e saída )

MÓDULO
POTÊNCIA TENSÃO DE ENTRADA FUSÍVEIS TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING

ELETRICSYSTEM
2000 W ( 127 V ) / 3300 W ( 220 V ) 110 a 240 (bivolt) - 50/60 Hz 15 A ( 1 por fase ) 250 Vac 498 Vac 20.000 A @ 8/20 m s 1520 Joules < 1 ns
F-N / F-T / N-T / (monofásico) e F1-F2 / F1-T / F2-T (bifásico)

MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA FORMA DE PROTEÇÃO

MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA FORMA DE PROTEÇÃO

MÓDULOS
TENSÃO DE SERVIÇO TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA CONDUTORES PROTEGIDOS

ANTENASYSTEM
30 Vdc 30 Vdc 20.000 A @ 8/20 m s 1320 Joules < 1 ns 1 par ( coaxial )

MÓDULOS
TENSÃO DE SERVIÇO TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA CONDUTORES PROTEGIDOS

SATSYSTEM c/ polarização
18 Vdc ( sinal ) / 05 Vdc ( polarização ) 18 Vdc ( sinal ) / 14 Vdc ( polarização ) 43 Vdc ( sinal ) / 36 Vdc ( polarização ) 20.000 A @ 8/20 m s 1130 Joules ( sinal ) / 1140 Joules (polarização) < 1 ns 1 par ( coaxial ) / 3 ( polarização )

Dimensões:
95 mm

F U S I V E L F U S I V E L

60 mm

Peso bruto: 640 g Peso líquido: 560 g
140 mm

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.21

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe III / D

Linha DPS Plug and Play
Os protetores da Linha Plug and Play, foram desenvolvidos para proteger equipamentos eletro-eletrônicos em geral. Apresenta uma fácil instalação sem a necessidade de conhecimentos técnicos, sendo de simples plugagem, ou seja, basta conectar o protetor entre o equipamento a ser protegido e a rede que o alimenta (elétrica, telefônica, de dados, de sinais, etc.). É indicado para o usuário comum, residências, profissionais liberais, pequenas empresas, escritórios, etc.. Esta linha é bivolt, portanto versátil na sua utilização, veja abaixo os modelos disponíveis.

Intercomp - “PoE”
Exemplo 01: Antena com Modem acoplado.

Finalidade: Proteção para a rede elétrica (100 a 240 Vca) e para comunicação de dados e alimentação elétrica em corrente contínua via cabo UTP, “PoE” Power Over Ethernet . Aplicação: Modems, Rádio transmissores de dados/voz via RF (rádio frequência) e demais equipamentos alimentados via cabo UTP.

cabo UTP

Exemplo 02: Roteador - Access Point.

cabo UTP

Código: 421241
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
TECNOLOGIA DE PROTEÇÃO Módulo - Eletricsystem Módulo - Linksystem - PoE CONEXÃO ( rede elétrica ) CONEXÃO ( dados ) Rabicho de 1.2 metro com plug 2P+T ( entrada ) 2 tomadas 2P+T ( saída )
Conectores Jack RJ 45

MÓDULO
POTÊNCIA TENSÃO DE ENTRADA FUSÍVEIS TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING

ELETRICSYSTEM
2000 W ( 127 V ) / 3300 W ( 220 V ) 110 a 240 (bivolt) - 50/60 Hz 15 A ( 1 por fase ) 275 Vac 498 Vac 20.000 A @ 8/20 m s 1520 Joules < 1 ns
F-N / F-T / N-T / (monofásico) e F1-F2 / F1-T / F2-T (bifásico)

MÓDULOS
DADOS TENSÃO DE SERVIÇO TENSÃO DE DISPARO

LINKSYSTEM ( PoE )
15 Vdc 15 Vdc

TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING 19 Vdc

PoE

TENSÃO DE SERVIÇO TENSÃO DE DISPARO

24 Vdc 30 Vdc

MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA FORMA DE PROTEÇÃO

TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING 37 Vdc MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA CONDUTORES PROTEGIDOS 20.000 A @ 8/20 m s 1180 Joules < 1 ns pinos 1, 2, 3 e 6 (Dados); pinos 4 e 8 (Vcc - PoE)

Dimensões:
95 mm

F U S I V E L F U S I V E L

60 mm

Peso bruto: 640 g Peso líquido: 560 g
140 mm

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.22

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe III / D

Linha DPS Plug and Play
Os protetores da Linha Plug and Play, foram desenvolvidos para proteger equipamentos eletro-eletrônicos em geral. Apresenta uma fácil instalação sem a necessidade de conhecimentos técnicos, sendo de simples plugagem, ou seja, basta conectar o protetor entre o equipamento a ser protegido e a rede que o alimenta (elétrica, telefônica, de dados, de sinais, etc.). É indicado para o usuário comum, residências, profissionais liberais, pequenas empresas, escritórios, etc.. Esta linha é bivolt, portanto versátil na sua utilização, veja abaixo os modelos disponíveis.

Intercomp

RS Home-Plus

Finalidade: Proteção para a rede elétrica (bivolt) e para comunicação de dados via cabo (lan ou coaxial). Aplicação: Microcomputadores com placa de rede, hubs, etc.

Finalidade: Proteção para a rede elétrica (bivolt) e para comunicação de dados via RS 232/422/485; disponível em 110 e 220 Volts. Aplicação: Transmissores e receptores de dados e correlatos.

REDE ELÉTRICA
INTERCOMP
F U F S U I S V I E V L E L

COMPUTADOR COM PLACA DE REDE - Par Trançado -

RS HOME - Plus
FUSÍVEL 5 A FUSÍVEL 5 A

Aterramento Fase/Neutro Fase

GND Tx Rx

SAÍDA (EQUIPAMENTO)

ENTRADA (SINAL DE FORA)

HUB

Código: 405008
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
CONEXÃO ( rede elétrica ) CONEXÃO ( dados ) Rabicho de 1.2 metro com plug 2P+T ( entrada ) 2 tomadas 2P+T ( saída )
Conectores RJ 45 Fêmea ( entrada / saída )

fase fase ou neutro aterramento Dados
Equipamento a ser protegido

Acompanha Cabo de 1.2 metro c/ conector RJ 45

Código:411113 (110V) // 411223 (220V)
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
TECNOLOGIA DE PROTEÇÃO Módulo - Eletricsystem Módulo - RS-System CONEXÃO ( rede elétrica/dados ) Borne 1,5mm 2

MÓDULO
POTÊNCIA TENSÃO DE ENTRADA FUSÍVEIS TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING

ELETRICSYSTEM
2000 W ( 127 V ) / 3300 W ( 220 V ) 110 a 240 (bivolt) - 50/60 Hz 15 A ( 1 por fase ) 250 Vac 498 Vac 20.000 A @ 8/20 m s 1520 Joules < 1 ns
F-N / F-T / N-T / (monofásico) e F1-F2 / F1-T / F2-T (bifásico)

MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA FORMA DE PROTEÇÃO

MÓDULO
POTÊNCIA TENSÃO DE ENTRADA FUSÍVEIS TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING

ELETRICSYSTEM
2000 W ( 127 V ) / 3300 W ( 220 V ) 110 a 240 (bivolt) - 50/60 Hz 15 A ( 1 por fase ) 250 Vac 498 Vac 20.000 A @ 8/20 m s 1520 Joules < 1 ns
F-N / F-T / N-T / (monofásico) e F1-F2 / F1-T / F2-T (bifásico)

MÓDULOS
TENSÃO DE SERVIÇO TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA CONDUTORES PROTEGIDOS

LINKSYSTEM ( lan ou coaxial )
15 Vdc 15 Vdc 19 Vdc 20.000 A @ 8/20 m s 1180 Joules < 1 ns pinos 1, 2, 3 e 6

MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA FORMA DE PROTEÇÃO

MÓDULOS
TENSÃO DE SERVIÇO TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING

RS - SYSTEM
12 Vdc 15 Vdc 142 Vp 20.000 A @ 8/20 m s 1170 Joules < 1 ns
TX, RX, GND

Dimensões:
F U S I V E L F U S I V E L

60 mm

MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA CONDUTORES PROTEGIDOS

95 mm 140 mm

Peso bruto: 640 g Peso líquido: 560 g

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.23

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe III / D

Linha DPS FLEX
Os protetores da Linha FLEX, foram desenvolvidos para proteger a rede: elétrica, telefônica, de dados, de sinais, de equipamentos eletro-eletrônicos instalados em empresas, indústrias, hospitais, condomínios, etc. É um sistema composto de módulos de proteção que são fixados em trilhos DIN (TS 35). Esta Linha está em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características da classe III, conforme a norma IEC 61643-1, assim também como da Classe “D”, conforme norma DIN VDE 0675. Disponível em vários modelos, para possibilitar proteção de centrais telefônicas, antenas coletivas, switches, instrumentos de automação, centrais de alarme, CFTV (câmeras), etc...

Eletricsystem
Finalidade: Proteção para a rede elétrica de equipamentos com consumo até 1000 watts. Aplicação: Indicado para proteger a alimentação elétrica de equipamentos eletrônicos em geral.

Telesystem

Finalidade: Proteção para a linha telefônica. Aplicação: Indicado para proteger centrais telefônicas em geral. Não tem limites de linhas ou ramais. Cada protetor Telesystem protege uma linha ou ramal, devendo ser utilizada a quantidade de protetores necessária. Os protetores deverão ser aterrados. Obs.: Para proteção da rede elétrica, utilize o modelo Eletricsystem.

Códigos : F501002 (Módulo Flex Eletricsystem - Monofásico/Bifásico) F501003 (Módulo Flex Eletricsystem - Trifásico - 220/227Vac) F501303 (Módulo Flex Eletricsystem - Trifásico - 380 Vac) F500003 (Base Flex 2 contatos + terra) F500004 (Base Flex 3 contatos + terra)

DG

Modelo: Telesystem

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
CONEXÃO ( rede elétrica ) In (corrente nominal)
TENSÃO DE ENTRADA

Modelo: Telesystem

Borne 1,5 mm ( entrada e saída) 10 ampères
100 a 240 Vac(monofásico/bifásico) 227 Vac (trifásico); 380 Vac (trifásico) 275 Vac (Monof./Bif./Trif -220V) 440 Vac (Trifásico 380 Vac) 498 Vac ( p/ 227Vac ) 819 Vac ( p/ 380 Vac) 20.000 A @ 8/20 m s < 1 ns
Modo Comum e Transverso
Modelo: Eletricsystem

2

CENTRAL TELEFÔNICA
RAMAIS EXTERNOS

RAMAIS INTERNOS

TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁX. DE CLAMPING

Rede Eletrica 100 a 240 Vac

Aterramento

MÁXIMA CORRENTE DE SURTO TEMPO DE RESPOSTA FORMA DE PROTEÇÃO
FIXAÇÃO

Código : F502002 ( Modúlo Flex - Telesystem ) F500003 ( Base Flex 2 contatos + terra )

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
CONEXÃO
Borne 1,5 mm
48 Vdc 0.25 A ( PTC internos ) 95 Vdc 138 Vdc 20.000 A @ 8/20 m s 810 Joules < 1 ns 1 par
2

Trilho DIN Ts35

TENSÃO DE SERVIÇO FUSÍVEIS

71 mm

48 mm

Dimensões

TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA

20 mm

m 90 m

TEMPO DE RESPOSTA CONDUTORES PROTEGIDOS

FIXAÇÃO

Trilho DIN Ts35

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.24

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe III / D

Linha DPS FLEX
Os protetores da Linha FLEX, foram desenvolvidos para proteger a rede: elétrica, telefônica, de dados, de sinais, de equipamentos eletro-eletrônicos instalados em empresas, indústrias, hospitais, condomínios, etc. É um sistema composto de módulos de proteção que são fixados em trilhos DIN (TS 35). Esta Linha está em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características da classe III, conforme a norma IEC 61643-1, assim também como da Classe “D”, conforme norma DIN VDE 0675. Disponível em vários modelos, para possibilitar proteção de centrais telefônicas, antenas coletivas, switches, instrumentos de automação, centrais de alarme, CFTV (câmeras), etc...

Linksystem
Aplicação: Indicado para proteger instalações de pequeno, médio e grande porte de rede de computadores, interligados através de HUBs, roteadores, switches. Portanto indicado para os equipamentos que têm necessidade de proteger todas ou grande parte de suas portas. Cada módulo protege uma porta do HUB, devendo ser utilizada a quantidade de protetores necessária. Deverá utilizar o modelo Eletricsystem para proteger a rede elétrica.

Modemsystem

Aplicação: Indicado para proteger a comunicação de dados de modems. Deverá ser utilizado um protetor para cada cabo (com dois pares), não tendo limite de protetores, os quais também deverão ser plugados em um trilho DIN (Ts35). Caso necessite de proteção na rede elétrica utilize o modelo Eletricsystem.

Modelo: Modemsystem

HUB, ROTEADOR OU SWITCH

MODEM (TRASMISSOR/RECEPTOR) SINAL DE DADOS

Modelo: Linksystem

Modelo: Eletricsystem

Modelo: Eletricsystem

Rede Eletrica 100 a 240 Vac

Rede Eletrica 100 a 240 Vac

Modelo: Eletricsystem

aterramento

Aterramento

Código : F505002 (Módulo Flex Linksystem) F500045 (Base Flex “Rj45” )

Código : F508004 (Módulo Flex Modemsystem) F500005 (Base Flex 4 contatos + terra)

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
CONEXÃO ( dados ) CONEXÃO (aterramento )

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
CONEXÃO

Conector Rj45 Fêmea (entrada/saída)
Borne 1,5 mm
2

Borne 1,5 mm2

TENSÃO DE SERVIÇO TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁX. CLAMPING MÁX. CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA CONDUTORES PROTEGIDOS

48 Vdc 50 Vdc 142 Vp 20.000 A @ 8/20 m s 810 Joules < 1 ns 2 pares
Trilho DIN Ts35

TENSÃO DE SERVIÇO
TENSÃO MÁX. DE CLAMPING

15 Vdc 19 Vdc

MÁX. CORRENTE DE SURTO
CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA

20.000 A @ 8/20 m s
1180 Joules

< 1 ns
pinos 2,3,4,6
Trilho DIN Ts35

CONDUTORES PROTEGIDOS

FIXAÇÃO

FIXAÇÃO

71 mm

20 mm

m 90 m

48 mm

Dimensões

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.25

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe III / D

Linha DPS FLEX
Os protetores da Linha FLEX, foram desenvolvidos para proteger a rede: elétrica, telefônica, de dados, de sinais, de equipamentos eletro-eletrônicos instalados em empresas, indústrias, hospitais, condomínios, etc. É um sistema composto de módulos de proteção que são fixados em trilhos DIN (TS 35). Esta Linha está em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características da classe III, conforme a norma IEC 61643-1, assim também como da Classe “D”, conforme norma DIN VDE 0675. Disponível em vários modelos, para possibilitar proteção de centrais telefônicas, antenas coletivas, switches, instrumentos de automação, centrais de alarme, CFTV (câmeras), etc...

Camerasystem

Aplicação: Indicado para proteger camêras, multiplexadores, quads e monitores. Estes modelos estão disponíveis com conector BNC, conector “F “, para cabo coaxial e com bornes p/ cabo UTP(par trançado). Deverá ser utilizado um protetor para cada câmera, ou para cada porta do quad, ou multiplexador ou monitor, pois as duas extremidades deverão ser protegidas. Para a proteção da rede elétrica utilize o modelo Eletricsystem.
Modelos: Camerasystem
MULTIPLEXADOR/QUAD ou MONITOR

Dcsystem 12/24/38/48/60 Vcc

Aplicação: Indicado para proteger equipamentos que utilizam alimentação em 12Vcc, 24Vcc, 38Vcc, 48Vcc e 60 Vcc, respectivamente. Estes modelos estão disponíveis em duas versões, com um par e com dois pares. Deverá ser utilizado um protetor para cada cabo (com um par ou dois pares), não tendo limite de protetores. Para outras tensões, consulte nossa central de atendimento

CÂMERA

Modelo: Dcsystem

EQUIPAMENTO
Rede Elétrica Rede Elétrica
ALIMENTAÇÃO EXTERNA (em corrente contínua)

Modelos: Eletricsystem

aterramento

aterramento

aterramento

Códigos : F512001 (Módulo Flex Camerasystem) F500012 (Base Flex “BNC”) F500013 (Base Flex “F”) F500003 (Base Flex 2 contatos + terra “Borne”)

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
CONEXÃO ( sinal ) CONEXÃO (aterramento )

Códigos : F507121 (Módulo Flex Dcsystem 12 Vcc) F507181 (Módulo Flex Dcsystem 18 Vcc) F507241 (Módulo Flex Dcsystem 24 Vcc) F507381 (Módulo Flex Dcsystem 38 Vcc) F507481 (Módulo Flex Dcsystem 48 Vcc) F507601 (Módulo Flex Dcsystem 60 Vcc F500003 (Base Flex 2 contatos + terra)

Conector BNC ou “F” ou Borne
Borne Terra 1,5 mm
1 Vpp 15 Vdc 20.000 A @ 8/20 m s < 1 ns
1 par
2

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
CONEXÃO

TENSÃO DE SERVIÇO

Borne 1,5 mm 2
12 Vdc / 18Vdc / 24 Vdc / 38 Vdc / 48 Vdc / 60 Vdc 15 Vdc / 22Vdc / 38 Vdc / 47 Vdc / 56Vdc / 65Vdc 3 Estágios (centelhadores a gás/ varistores/diodos supressores) 20.000 A @ 8/20 m s < 1 ns

TENSÃO DE DISPARO
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO TEMPO DE RESPOSTA

TENSÃO DE SERVIÇO TENSÃO DE DISPARO Tecnologia de proteção MÁX. CORRENTE DE SURTO TEMPO DE RESPOSTA

CONDUTORES PROTEGIDOS
FIXAÇÃO

Trilho DIN Ts35

48 mm

71 mm

Dimensões

FIXAÇÃO

Trilho DIN Ts35

20 mm

m 90 m

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.26

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe III / D

Linha DPS FLEX
Os protetores da Linha FLEX, foram desenvolvidos para proteger a rede: elétrica, telefônica, de dados, de sinais, de equipamentos eletro-eletrônicos instalados em empresas, indústrias, hospitais, condomínios, etc. É um sistema composto de módulos de proteção que são fixados em trilhos DIN (TS 35). Esta Linha está em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características da classe III, conforme a norma IEC 61643-1, assim também como da Classe “D”, conforme norma DIN VDE 0675. Disponível em vários modelos, para possibilitar proteção de centrais telefônicas, antenas coletivas, switches, instrumentos de automação, centrais de alarme, CFTV (câmeras), etc...

RS system

Aplicação: Indicado para proteger equipamentos que utilizam comunicação de dados padrão RS 232, RS 422 ou 485. Estes modelos estão disponíveis em duas versões, com dois ou três condutores protegidos. pares. Deverá ser utilizado um protetor para cada cabo (com 2 ou 3 condutores), não tendo limite de protetores, os quais também deverão ser plugados em um trilho DIN (Ts35). Para proteção da rede elétrica utilize o modelo Eletricsystem.

Alarmsystem

Aplicação: Indicado para proteger a rede elétrica e a entrada da linha telefônica das centrais de alarmes. Está disponível em duas versões 110 Volts e 220 Volts. Sua instalação é bem simples basta conectá-lo entre a rede (elétrica e telefônica) e a Central de Alarme. Veja abaixo como sua instalação é bem simples:

Modelo: Modemsystem

MODEM (TRASMISSOR/RECEPTOR) SINAL DE DADOS

Central de alarme
aterramento

Linha telefônica Rede elétrica

Modelo: Eletricsystem

Rede Eletrica 100 a 240 Vac

Modelo: Eletricsystem

Códigos : F501002 (Módulo Flex Eletricsystem ) F502002 (Módulo Flex Telesystem ) F500006 (Base Bi-Flex 4 contatos + terra)
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
2

Aterramento

Códigos : F506002 (Módulo Flex Rs system - 2 condutores) F506003 (Módulo Flex Rs system - 3 condutores) F500003 (Base Flex 2 contatos + terra) F500004 (Base Flex 3 contatos + terra)

CONEXÃO

Borne 1,5 mm

Rede Elétrica
POTÊNCIA TENSÃO DE ENTRADA TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING
500 W

110 a 240 Vac - 50/60 Hz 250 Vac
498 Vac 20.000 A @ 8/20 m s

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
CONEXÃO

Borne 1,5 mm 2

MÁXIMA CORRENTE DE SURTO
TENSÃO DE SERVIÇO TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁX. CLAMPING MÁX. CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA CONDUTORES PROTEGIDOS FIXAÇÃO

12 Vdc 15 Vdc 112 Vp 20.000 A @ 8/20 m s 1170 Joules < 1 ns 2 ou 3 condutores Trilho Din Ts35

TEMPO DE RESPOSTA

< 1 ns

Linha Telefônica
TENSÃO DE SERVIÇO TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING MÁXIMA CORRENTE DE SURTO TEMPO DE RESPOSTA CONDUTORES PROTEGIDOS
48 Vdc
95 Vdc 138 Vdc

20.000 A @ 8/20 m s
< 1 ns 1 par

48 mm

71 mm

71 mm

20 mm

m 90 m

40 mm

m 90 m

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

48 mm
INPE
UNICAMP

Dimensões

A grife da proteção!

pag.27

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe III / D

Linha DPS Profissional Antenas
Os protetores da Linha Profissional Antenas, foram desenvolvidos para proteger a comunicação de dados, vídeo, voz e demais sinais de diversos equipamentos, via antenas, seja vhf, uhf ou rádio fequência. Disponível em vários modelos, conforme abaixo:

Antenasystem

Satsystem

Aplicação: Indicado para proteger antenas coletivas em condomínios e correlatos, com padrão 75 ohms, devendo ser instalado no quadro de distribuição. Deverá ser utilizado um protetor para cada cabo, não tendo limite de protetores, os quais também deverão ser plugados em um trilho aterrado. Para proteção da rede elétrica utilize o modelo Eletricsystem.

Aplicação: Indicado para proteger antenas parabólicas em condomínios e correlatos, com padrão 75 ohms, devendo ser instalado no quadro de distribuição. Deverá ser utilizado um protetor para cada cabo, não tendo limite de protetores, os quais também deverão ser plugados em um trilho DIN. Para proteção da rede elétrica utilize o modelo Eletricsystem.

MISTURADOR
ENTRADAS SAÍDA

MISTURADOR
ENTRADAS SAÍDA
Divisor 75 ohms

Modelo: Eletricsystem

Modelo: Eletricsystem

ANTENAS

Rede Elétrica (100 a 240 Vca)

Divisor 75 ohms

Rede Elétrica (100 a 240 Vca)

Aterramento

Aterramento

Código : N503002
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
CONEXÃO ( sinal ) CONEXÃO ( aterramento )
TENSÃO DE SERVIÇO TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA CONDUTORES PROTEGIDOS

Código : N504002
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
CONEXÃO ( sinal )
2

Conector F 75
Borne Terra 1,5 mm
30 Vdc 30 Vdc 20.000 A @ 8/20 m s 1320 Joules < 1 ns 1 par ( coaxial )

Conector F 75
Borne Terra 1,5 mm
18 Vdc (sinal) 18 Vdc 43 Vdc 20.000 A @ 8/20 m s 1320 Joules < 1 ns 1 par ( coaxial )
2

CONEXÃO ( aterramento )
TENSÃO DE SERVIÇO TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁXIMA DE CLAMPING MÁXIMA CORRENTE DE SURTO CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA CONDUTORES PROTEGIDOS

60 mm

Dimensões:

25 mm

60 mm

®

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.28

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe III / D

Linha DPS Profissional Antenas
Os protetores da Linha Profissional Antenas, foram desenvolvidos para proteger a comunicação de dados, vídeo, voz e demais sinais de diversos equipamentos, via antenas, seja vhf, uhf ou rádio fequência. Disponível em vários modelos, conforme abaixo:

CN-RF system
Finalidade: Proteção para comunicação via rádio frequência (RF), conexão “N’ UHF, Mini-UHF, TNC ou BNC. Aplicação: Indicado para proteger rádio amadores, celulares rurais e demais equipamentos com transmissão de dados/voz, através de sinais de RF.
CN-RF System
EQUIPAMENTO

aterramento Proteger a alimentação da rede elétrica utilizando os protetores: Eletro 2000 ou Eletricsystem
60 mm

Dimensões:

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS
MATERIAS Corpos: Latão Isolantes: Teflon Contato femea: Bronze fosforoso
TRATAMENTOS: Corpos: Niquelado Contatos Ouro

®

GABINETE

“BNC” / “TNC” / “Mini-UHF”

25 mm

60 mm

Freqüência de trabalho Código: CONEXÃO
67 mm

< 2,4 ghz
516001 516001M 517001 518001

515001

“N”

“UHF”

“Mini- UHF”

“BNC”

“TNC”

Freqüência de trabalho
60 mm 25 mm

< 5,8 ghz
516581 516581M 517581G 518581G

®

Código: CONEXÃO

515581

“N”

“UHF”

“Mini- UHF”

“BNC”

“TNC”

“N” / UHF

Corrente máxima de surto - onda 10/350 m sTensão de disparo 515099 Capacidade Energética Tensão Residual - 20 kA Tempo de resposta Capacitância Atenuação até 2,4 Ghz Atenuação até 1,2 Ghz

20 kA 300 VCC 1.280 J < 600 V < 100 ns < 2 pf < 1,0 dB < 0,8 dB -40º C até 80º C 5 Gohms

Acessórios:
CONECTOR DUPLO MACHO

Código: Conexão: Código: Conexão: Código: Conexão:

“N”
516099

“UHF”
518099

Temperatura de trabalho

“TNC”

Resistência de isolação

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.29

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe III / D

Linha DPS Profissional RACK
Os protetores da Linha Profissional RACK, foram desenvolvidos para proteger a rede de dados e de sinais de equipamentos com várias portas de comunicação, como switches, roteadores, hubs, dvr, quads, etc. É um sistema de proteção montado em um gabinete metálico para fixação em Rack 19¨. Esta Linha está em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características da classe III, conforme a norma IEC 61643-1, assim também como da Classe “D”, conforme norma DIN VDE 0675. Disponível em vários modelos, para possibilitar proteção de redes ethernet, circuito fechado de câmeras, etc...

NewRack - Linksystem Patch Panel CAT5e - Disponível em 12 / 16 / 20 / 24 portas
Indicado para proteger instalações de rede de Aplicação: computadores, interfaces de Ethernet (100BaseT), interligados através de HUBs, roteadores, switches, (par trançado - cabo LAN). Portanto indicado quando esses equipamentos têm necessidade de proteger todas ou grande parte de suas portas. Possui proteção para 12, 16, 20 e 24 portas. O protetor deverá ser aterrado. Para a proteção da rede elétrica utilize o modelo Eletricsystem ou Eletro2000.
HUB, ROTEADOR OU SWITCH

Substituí o Patch Panel Gabinete em alumínio CAT5e Grau: Vo Ul94 Corrente máxima de surto até 20.000 A aProteção - PLUG - IN Módulos de (módulos plugáveis de fácil substituição)
Tecnologia Plug-In: A nova geração dos DPS Linksystem Patch Panel CAT5e, traz uma importante inovação; os módulos de proteção internos ao equipamento possuem a tecnologia PLUG-IN, ou seja, os módulos são plugáveis e podem ser substituídos pelo próprio usuário, quando terminar a sua vida útil .

Modelo: Eletricsystem

aterramento
Linksystem Patch Panel

Rede Elétrica (100 a 240 Vac)

Código : N505012 (12 portas) // N505016 (16 portas) N505020 (20 portas) // N505024 (24 portas)

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
TECNOLOGIA DE PROTEÇÃO CONEXÃO (dados) CONEXÃO (aterramento) Módulo - Linksystem Plug-IN
Conector RJ 45 Fêmea

Cabo flexível de 1,5mm

2

TENSÃO DE SERVIÇO TENSÃO DE DISPARO

15 Vdc 15 Vdc 19 Vdc 20.000 A @ 8/20 m s < 1 ns pinos 1, 2, 3 e 6 (por porta)

DIMENSÕES:
44mm

TENSÃO MÁX. CLAMPING MÁX. CORRENTE DE SURTO TEMPO DE RESPOSTA

m

483

15

0

m

CONDUTORES PROTEGIDOS

mm

Obs.: Consulte Categoria 6.

Rack - Eletricsystem - Disponível em 04 / 08 tomadas
Aplicação: Indicado para proteger alimentação elétrica de equipamentos instalados em racks padrão 19’. Código: 501004 Rack Eletricsystem 4 tomadas 501008 Rack Eletricsystem 8 tomadas
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
TENSÃO DE ENTRADA FUSÍVEIS
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO TEMPO DE RESPOSTA
CONEXÃO ( Entrada)

110 a 240 - 50/60 Hz 15 A ( 1 por fase ) 20.000 A @ 8/20 m s < 1 ns
Rabicho de 1.2m com plug 2P+T - NBR 14136 -

pag.26

Certificados de Qualidade

A grife da proteção!

embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br
pag.30

CTEC

INPE
UNICAMP

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe III / D

Linha DPS Profissional RACK
Os protetores da Linha Profissional RACK, foram desenvolvidos para proteger a rede de dados e de sinais de equipamentos com várias portas de comunicação, como switches, roteadores, hubs, dvr, quads, etc. É um sistema de proteção montado em um gabinete metálico para fixação em Rack 19¨. Esta Linha está em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características da classe III, conforme a norma IEC 61643-1, assim também como da Classe “D”, conforme norma DIN VDE 0675. Disponível em vários modelos, para possibilitar proteção de redes ethernet, circuito fechado de câmeras, etc...

NewRack - Camerasystem - Disponível em 12 / 16 portas Gabinete em alumínio Modelo: Grau: Vo UL94 Camerasystem - Conexão “F” Corrente máxima de surto até 20.000 A aProteção - PLUG - IN Módulos de
(módulos plugáveis de fácil substituição)
Tecnologia Plug-In: A nova geração dos DPS Camerasystem , traz uma importante inovação; os módulos de proteção internos ao equipamento possuem a tecnologia PLUG-IN, ou seja, os módulos são plugáveis e podem ser substituídos pelo próprio usuário, quando terminar a sua vida útil .
Aplicação: Indicado para proteger camêras, multiplexadores, quads e monitores. Estes modelos estão disponíveis em 12 ou 16 portas, com conector “BNC” ou “F “. Deverão ser utilizados quantos protetores forem necessários, lembrando que as duas extremidades deverão ser protegidas. Os protetores deverão ser aterrados. Para a proteção da rede elétrica utilize o modelo Eletricsystem ou Eletro2000.

Modelo: Camerasystem - Conexão “BNC”

MULTIPLEXADOR/QUAD ou MONITOR

Modelo: Eletricsystem

Rede Elétrica (100 a 240 Vac)

NewRack Camerasystem

aterramento

Código : N512012 (12 portas) BNC // N513012 (12 portas) ¨F¨ N512016 (16 portas) BNC // N513016 (16 portas) ¨F¨

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS / MECÂNICAS
DIMENSÕES:
44mm

CONEXÃO (sinal) CONEXÃO (aterramento)

Conector BNC ou “F” Cabo flexível de 1,5mm2

TENSÃO DE SERVIÇO TENSÃO DE DISPARO TENSÃO MÁX. CLAMPING

1 Vpp 15 Vdc 112 Vp 20.000 A @ 8/20 m s 1170 Joules < 1 ns 1 par (por porta)

48

MÁX. CORRENTE DE SURTO

3m m
1

mm 50

CAPACIDADE ENERGÉTICA TEMPO DE RESPOSTA CONDUTORES PROTEGIDOS

pag.26

Certificados de Qualidade

A grife da proteção!

embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br
pag.31

CTEC

INPE
UNICAMP

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe III / D

Linha DPS Profissional Eletro Master
Os protetores da Linha Profissional Master, foram projetados para proteger a rede elétrica de instalações de pequeno, médio e grande porte, em empresas, indústrias, hospitais, condominios residenciais, etc. Pode ser instalado em quadros de distribuição, quadro geral de entrada ou para proteger equipamentos com consumo acima de 5kVA até 500 kVA. Potências superiores à 500 kVA, sob encomenda. Esta linha se subdivide em dois modelos: Eletro Master e Eletro Master DG. Consulte nossa central de atendimento sobre a sua configuração e seu código.
®

ELETRO MASTER

ELETRO MASTER DG

Os protetores da Linha Profissional Eletro Master estão disponíveis em várias versões: 5 kVA, 7.5 kVA, 10 kVA,15 kVA (monofásico, bifásico ou trifásico), 20 kVA, 30 kVA, 40 kVA e 50 kVA (somente trifásico). A sua instalação é em série, simplesmente conectando-o entre a rede elétrica e o quadro ou equipamento a ser protegido.

O protetor Eletro Master DG é indicado para proteção da alimentação elétrica de equipamentos com consumo de 50 kVA até 500 kVA. Sua instalação é feita em paralelo com o equipamento. Veja no esquema abaixo a sua instalação. Esta linha mesmo instalada em paralelo, é composta de três estágios de proteção, dispostos no modo comum e tranverso.
Proteção para instalações ao tempo contra radiações UV, Acessórios: Dois furos de 3/4”cada um, de entrada e saída de cabos na base inferior.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS
GABINETE
MODELOS
DISJUNTORES COM CURVA “C” Tipo de Proteção Corrente máxima de surto - onda 8/20 m sTensão de disparo Tensão Residual - 20 kA Tempo de resposta

Caixa plástica ABS, não propagante à chama Grau : VO- Ul94 Monofásico 127ou220 Volts Unipolar entre 10 In e 20 In F-N / F-T / N-T 90 kA
175 VCA para 127 volts 275 VCA para 250 volts 515 Vp para 127 Volts 688 Vp para 220 Volts

Bifásico 220 Volts Bipolar entre 10 In e 20 In F1-F2 / F1-T / F2-T 90 kA 275 VCA 688 Vp <25 ns

Trifásico 220 Volts Tripolar entre 10 In e 20 In F1-F2-F3 / F1-T / F2-T/F3-T 90 kA 275 VCA 688 Vp <25 ns

Trifásico 380 Volts Tripolar entre 10 In e 20 In F1-F2-F3 / F1-T / F2-T/F3-T 90 kA 385 VCA 1300 Vp <25 ns

Trifásico 480 Volts Tripolar entre 10 In e 20 In F1-F2-F3 / F1-T / F2-T/F3-T 90 kA 485 VCA 1600 Vp <25 ns

<25 ns

Modelos
Trifásico Bifásico Monofásico
Disjuntor Bornes Disjuntor Bornes Disjuntor Bornes

5 kVA
50 A para 127 V 25 A para 220 V 10 mm2 para 127 V 6 mm2 para 220 V 25 A 6 mm2 15 A 6 mm2

7.5 kVA
70 A para 127 V 30 A para 220 V 16 mm2 para 127 V 6 mm2 para 220 V 30 A 6 mm2 20 A 6 mm2

10 kVA
80 A para 127 V 50 A para 220 V 16 mm2 para 127 V 10 mm2 para 220 V 50 A 10 mm2 25 A 6 mm2

15 kVA
70 A 16 mm2 70 A 16 mm2 40 A 6 mm2

20 kVA

30 kVA

40 kVA

50 kVA

Master DG
32 A 16 mm2 32 A 16 mm2

50 A 10 mm2

80 A 16 mm2

100 A 25 mm2

125 A 35 mm2

32 A 16 mm2

Dimensões:

90 mm altura

ELETRO MASTER (Trifásico instalado em série)

ELETRO MASTER DG (Trifásico instalado em paralelo)

Módulo de Proteção Transverso

Módulo de Proteção Longitudinal

Módulo de Proteção Transverso

Módulo de Proteção Longitudinal

234mm
Entrada

Saída
Fase 1 Fase 2 Fase 3 Fase 3 Fase 2 Fase 1 Neutro Neutro Aterramento

Fase 1 Fase 2 Fase 3
174 mm largura

Aterramento

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.32

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Classe I / B

Central de Proteção e Monitoramento Remoto
A Central de Proteção e Monitoramento Remoto é composta de uma unidade de proteção com sinalização remota e de uma unidade de recepção, através da qual é possível monitorar o estado dos DPS instalados à distância. Os DPS instalados na unidade de proteção estão dispostos no modo Comum e Transverso, ou seja, instalados entre as fases/neutro e o aterramento (comum), assim também como instalados entre as fases (transverso). Veja esquema elétrico na página 17. Os DPS instalados na Central de Proteção, são da Linha DPS Plug in, os quais são compostos de base e módulo, portanto podem ser substituídos quando danificados sem a necessidade de sua desconexão do circuito. Veja abaixo as características técnicas:

Central de Proteção

Central de Monitoramento Remota Central de Proteção e Monitoramento Remota
Modo Comum e Transverso Sinalização Luminosa e Sirene Composto de Emissor/Receptor Gabinete em ABS com proteção UV
CLASSE I / B
MODELOS
Corrente máxima de surto - onda 8/20 m sI n - corrente nominal I imp - corrente impulso Un - Tensão nominal Uc - Tensão de disparo Grau de proteção Nível de proteção - Up Tensão impulso suportável Tempo de resposta Dispositivo de proteção (*)

Neutro
90 kA 45 kA 20 kA 150 VCA IP20 < 0,7 kV >6 kV <25 ns sim

175 Vac
90 kA 45 kA 20 kA 127 VCA 175 VCA IP20 < 0,7 kV >6 kV <25 ns sim

275 Vac
90 kA 45 kA 20 kA 227 VCA 275 VCA IP20 < 0,9 kV >6 kV <25 ns sim

385 Vac
90 kA 45 kA 20 kA 380 VCA 385 VCA IP20 < 1,5 kV >6 kV <25 ns sim

485 Vac
90 kA 45 kA 20 kA 440 VCA 485 VCA IP20 < 1,6 kV >6 kV <25 ns sim

(*) Em caso de queima do módulo protetor, ocorre a desconexão automática do circuito, isolando o protetor dos condutores, que sera indicada pela posição OFF (Vermelho) no visor, e a sinalização através da unidade de recepção remota. A interligação da unidade de proteção e a unidade de monitoramento deverá ser feitas através de um par sólido de fio ( 1,5mm2 ) , não devendo ultrapassar 1000 metros de distância entre elas.Para distâncias superiores consultar nossa central técnica.

761290SR 761390SR 761490SR 790000SR

Emissor/Central de Proteção 275 V Emissor/Central de Proteção 380 V Emissor/Central de Proteção 440 V Receptor para Sinalização Remota

90 kA

174 mm largura

174 mm largura

90 mm altura

150mm
comprimento

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.33

90 mm altura

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Referências técnicas
ABNT NBR 5410:2004 - Instalações Elétricas de Baixa Tensão; ABNT NBR 5419:2005 - Proteção de Estruturas contras Descargas Atmosféricas NBR IEC 61643-1:2007 - Dispositivos de Proteção contra Surtos em Baixa Tensão - Parte 1 IEC 62305-4:2003 - Protection against Lightning - Part 4: Electrical and electronic systems within structures Manual para Instalação de Dispositivos de Proteção contra Surtos - DPSs - Eng.º Jobson Modena Esse manual trata-se apenas de um resumo das normas técnicas, com a finalidade de facilitar a NOTA: compreensão das mesmas. Portanto vários conceitos foram descritos de maneira simplificada, objetivando esclarecer as dúvidas mais freqüentes. As características técnicas dos equipamentos industrializados pela Embrastec, contidas neste catálogo estão sujeitas a alterações, sem aviso prévio.

Laudos

CTEC

INPE
UNICAMP

Alguns clientes Abirush / AG tech / Ajel / Ang /Bortolot / Cao / Compeq / Copeli / DHF /Engemakro Eletro Rio Montagens / Engelco / Kirsten / K-Link / Mak / MontPaineis / Painel (PA) Phb / Pires / Promins / QM Seleta / RMC / Sermatec / Smar / Star / Tag Painéis Usibra / VDM Tecnologia / Veríssimo & Ferreira / Viar Painéis / Woltec Autoban / Nova Dutra / Via Norte / Via Oeste Banco do Brasil SA / Credicitrus / Santander / Bradesco / Citibank / Itau CET - São Paulo SP / Infraero / INPE / Socicam / ECT - Correios e Telégrafos Daerp / Saae / Sabesp / FURNAS / Rio-Paracatú Mineradora Usina Boa Vista / Usina Alta Mogiana / Usina Frutal / Cosan Usina Continental / Aeroalcool / Usina São Martinho HC Ribeirão Preto SP / Santa Casa de BH / Medial / Laboratório Wyeth (Pfizer) HyperMarcas / Globex S/A / Magazine Luiza S/A / CTIS / Riachuelo Invensys / Powerware / Siemens / Trixtec / Nepus / Semp Toshiba Construtora MRV / Copema / Rocha Vera Corporate Tower / Larseng / Temon Mello Gonçalves / W Torres / Alsar / Caenge / Nestlé / SEARA / Laticínios Jussara Oi / Telemar / GVT / CTBC Telecom / Telefonica NET / NEC do Brasil / Alcatel Lucent / Huawei do Brasil Petrobras / TAG - Terminal de Gás / Refinaria Pres. Bernardes (Cubatão) Prefeitura de São José dos Campos SP / Pref. Franca SP Franca Shopping / Shopping D. Pedro I (Campinas SP) / Grupo Multiplan Senac - RJ / Senai Tower Hotel / Shelton In Hotel TSE / TRT / OAB USP / UNESP / UFSCAR

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.34

Instalação de DPS
Líder em Qualidade.

Abaixo parte do Laudo dos ensaios efetuados pelo Lactec. Caso necessário, solicite o relatório completo que está a disposição em nosso departamento técnico.

Certificados de Qualidade
embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

CTEC

INPE
UNICAMP

A grife da proteção!

pag.35

A Linha mais Completa de DPS
Classe I 61643-1 T1 /B

N

/L

)

(

Linh

DPS BOX ECO
a

DPS BOX a ECO c Linh 275 Va (8/20)
ha Lin

S DPECOBOX

Uc

Linha

DPS BOX ECO
Uc 275 kA (8/ ) 90 (8/20 I max 50 kA (10/350) In 20 kA I imp <0,7 kV Up Vac
20)

90 (8/2 ) I max 50 kA (10/350 In 20 kA kV I imp <0,7 - T1 Up 616431

) tro Neu kA (8/20 0)

90 kA (8/2 I max 50 kA 50) (10/3 In 20 kA I imp <0,7 kV U
0)
p

DP ECOBOX a Vac(8/20) Linh
a Linh

S

S DPECOBOX
o Neutr

Uc

1 T1 61643- B NBRI EC se I /
Clas

90 kA 0) I max 50 kA A(10/35 In 20 k kV I imp <0,7 U
p

0) (8/2 0) (8/2

90 kA (8/20 I max 50 kA 50) (10/3 In 20 kA I imp <0,7 kV U
)
p

275

DPS BOX a ECO Linh Neutro (8/20) 0) 90 kA (8/2 I max 50 kA A(10/350) In 20 k I imp <0,7 kV U
p

90 kA I max 50 kA (8/20) 0) (10/35 In 20 kA I imp <0,7 kV Up

Neutro

(8/20)

1 1 C 66 43NBR IE Classe I / B

T1

T1 61643-1 B NBR IECClasse I /

3-1 T1 C6 164 B NBR IE Classe I /

NBR IEC sse I / Cla

B

T 43-1 EC 616 B NBR I Classe I /

1

C 616431 B NBR IE Classe I /

T1

L/

L/

N
DPSCOBOX E
a

N

DPS BOX ECO
Linh a
h Lin

(

)L

/N
( )

ha Lin

S DPECOBOX
o Neutr

Uc

0) (8/2 90 kA A (8/20) 0) I max 50 k A(10/35 In 20 k kV I imp <0,7

90 kA (8/20) I max 50 kA 0/350) (1 In 20 kA I imp <0,7 kV Up

275

Vac(8/20)

90 kA (8/20) I max 50 kA (10/350) In 20 kA I imp <0,7 kV Up

ro Neut

(8/20)

- T1 616431 NBR IECClasseI / B

61643-1 B NBR IEC sse I / Cla

T1

Up

L/

61643-1 B NBR IEC sse I / Cla

T1

(

)

L/

N

N
L/ N

(

)L

/N

(

)

L/

N

• DPS Classe I • DPS Classe II • DPS Classe III Em conformidade com a Norma ABNT 5410/2004 e NBR IEC 61643-1. • Disponível de 13.000 A a 200.000 A Aplicação: Proteção para redes elétricas, telefônicas, dados e sinais de equipamentos eletrônicos instalados em escritórios, indústrias, hospitais, residências e estabelecimentos comerciais, etc....
Certificados de Qualidade

Líder em Qualidade.

100%

A 1ª em DPS do Brasil. Desenvolvido para o país campeão em descargas atmosféricas!
Indústria Brasileira.

embrastec@embrastec.com.br http://www.embrastec.com.br

NBR IEC

Linha DPS Uc 275 ECOBOX I m Vac I ax 90 kA (8/ I n 50 kA (8/20) 20) Up imp 20 kA(10/350 <0,7 kV )

Líder em Qualidade.

N

/L

)

(

CTEC
A grife da proteção!
INPE
UNICAMP

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->