P. 1
Cancer Colo Do Utero

Cancer Colo Do Utero

|Views: 484|Likes:
Publicado porRosana Rodrigues

More info:

Published by: Rosana Rodrigues on Aug 31, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/19/2014

pdf

text

original

CÂNCER DE COLO DO ÚTERO

Rosana Rodrigues de Santana

INTRODUÇÃO
Neste trabalho iremos abordar sobre o que é o Câncer de Colo do Útero, seus fatores de risco, sintomas, diagnóstico e tratamento e prevenção . Sendo complementado pelo artigo: ³Câncer do Colo Uterino: Correlação com o Início da Atividade Sexual e Multiparidade´, para um melhor entendimento sobre os fatores de risco, como idade das pacientes,e a idade da primeira relação sexual e Multiplicidade de parceiros sexuais e o vírus HPV- Papilomavírus humano .

CONCEITO
O câncer de colo uterino, ou carcinoma cervical, é uma patologia oncológica feminina, que se caracteriza por uma neoplasia maligna que atinge esse órgão do aparelho reprodutor da mulher. Esse processo maligno cervical tem como causa o agente etiológico patogênico, o vírus HPV- Papilomavírus humano, como fatores de risco podemos relacionar a promiscuidade sexual, as DSTs, as infecções por HPV, infecção por HIV (AIDS), grande numero de parceiros sexuais, entre outros. O carcinoma cervical possui uma maior ocorrência em mulheres dentro da faixa etária de 40 a 55 anos, é a segunda forma de câncer mais frequente nas mulheres. O câncer de colo uterino poderá ser constituído por: 1 ± Epitelioma ( tipo de tumor maligno, ou benigno, que deriva de tecido epitelial ), em suas diversas formas, constituindo cerca de 80 % a 90% do total de caso.

2- Adenocarcinomas ( tipos de neoplasia maligna com origem epitelial, sendo histologicamente do tipo glandular) 3- Sarcomas (tipo de neoplasia de muito maligna do tecido conjuntivo, que se origina de uma multiplicação de células mesordémicas), sendo de ocorrência rara. A evolução do carcinoma uterino se dá da seguinte forma: 1 ± Neoplasia intra-epitelial do colo ( o surgimento de células atípicas e pleomórficas, situadas na base do epitélio escamoso), é a doença em estagio inicial: 2- CARCINOMA , a invasão de células ( tipos de neoplasia maligna com origem epitelial, sendo histologicamente do tipo glandular) . 3 ± Sarcomas ( tipo de neoplasia muito maligna do tecido conjuntivo, que se origina de uma multiplicação de células mesodérmicas), sendo de ocorrência rara.

A evolução do carcinoma uterino se dá da seguinte forma: 1 ± Neoplasia intra-epitelial do colo ( o surgimento de células atípicas e pleomórficas, situadas na base do epitélio escamoso), é a doença em estágio inicial: 2 ± Carcinoma de graus I II e III ( a invasão de células nas outras camadas). 3 ± Carcinoma invasivo ( as células cancerosas avançam pela membrana basal invadindo assim o estroma. Invadem órgãos próximos ± peritônio e linfonodos ± e produzem metástases em órgáos ± fígado, pulmões, etc. 4 - O Vírus Papiloma Humano (HPV) é um vírus extremamente comum do qual existem mais de 80 sub-tipos são transmitidos sexualmente (por contato sexual com parceiro portador desse vírus e . Desses, alguns estão associados ao câncer de colo do útero. Não existe tratamento para esse tipo de vírus as mulheres portadoras desse vírus devem fazer exames mais freqüentes para detectar alterações sugestivas de lesões malignas ou pré-malignas quanto mais cedo possível, for detectado aumenta a chance de cura.

Sinais e sintomas
O câncer de colo uterino manifesta-se clinicamente com o surgimento de sangramentos vaginais não-regulares , cópula difícil e acompanhada de dor (dispareunia), sangramentos vaginais após a cópula, sensação de dor abdominal, dor pélvica, corrimento vaginal com mau cheiro, sangramento pelo reto a presença de sangue na urina (hematúria), aumento do volume do colo uterino, entre outras possíveis manifestações. Sangramento vaginais irregulares dispareunia sangramento vaginais após a cópula, dor abdominal dor pélvica corrimento vaginal com mau cheiro sangramento pelo reto a presença de sangue na urina aumento do volume do colo uterino etc.

Diagnóstico
O diagnóstico do câncer de colo uterino poderá ser sugerido pelos sinais e sintomas apresentados pela paciente, fazendo-se necessária uma ampla investigação imediata. Nós exames laboratoriais serão realizados : o hemograma completo, a creatinina, os testes de função hepática, e o esfregaço de papanicolau ( que é um exame profilático de rotina , usado na triagem). o HBV é detectado através da técnica da hibridização de DNA. Em havendo displasia, serão realizadas a colposcopia, a coleta de amostras de tecido do endométrio e exame de biopsia. As metástases são investigadas com exames de citoscopia, retossigmoidoscopia, TC.-Tomografia computadorizada ( abdominal e ou pélvica), ultra-sonografia, etc. O diagnóstico diferencial do câncer de colo uterino é composto por pólipo cervical, quadro clínico de cervicite severa, o carcinoma do endométrio e o carcinoma metastático (e coriocarcinoma).

visão aumentada do colo do útero LESÕES DO HPV

Verrugas mãos, pés e faces.

Condiloma acuminado

região genital

SUBTIPOS DE HPV
Baixo risco - Infecções benignas (LIE ± Lesões Intra-epiteliais de baixo grau); - Vulva, colo uterino, vagina, pênis, escroto, uretra e ânus boca olhos. Alto rico - LIE de alto grau e carcinomas do colo; - Colo, vulva, ânus e pênis.

LESÕES CLÍNICA PELO HPV

TRATAMENTO E PREVENÇÃO
O tratamento se dará com a paciente sob internação hospitalar, inclusive para se chegar ao diagnóstico definitivo, com a realização de exames específicos . O tratamento de câncer de colo uterino se dará por excisão cirúrgica por conização, com o emprego de bisturi ou então de raios laser, ou ainda através de histerectomia ( a ablação cirúrgica, total ou parcial, do útero) o tratamento do carcinoma invasivo, quando localizado, consiste na exérese cirúrgica do tumor e de gânglios regionais, além de radioterapia. O tratamento de metástase ( a propagação da neoplasia maligna à distância). se processa com a realização de radioterapia com césio sobre o tumor: e nas adenopatias, com a radiação externa. O procedimento cirurgico consiste em histerectomia e a ablação de anexos e de gânglios linfáticos retroperitoniais, e de radioterapia, além de quimioterapia no tratamento sistêmico. A prevenção consiste em se evitar a promiscuidade sexual, a pluraridade de parceiros, o risco de exposição às DSTs, fazer uso de preventivos e realizar periodicamente os exames preventivos.

CÂNCER DE COLO DO ÚTERO
Definição: Células da superfície do colo do útero se tornam anormais. No início, estas anormalidades ainda não se caracterizam como um câncer e são denominadas displasias.

Fatores de risco 
-Infecção pelo Vírus Papiloma Humano (HPV)  - precoce da atividade sexual.  - Multiplicidade de parceiros sexuais.  - Inicio precoce da vida sexual ativa  - Multiparidade  - Tabagismo.  - Imunossupressão.  - Higiene íntima inadequada.  - Baixas condições sócio-econômicas.  - Baixa ingestão de vitamina A e C ,E  -Uso prolongado de contraceptivos orais.  -parceiro sexual de risco  - multiparidade (vários partos)  -primeira gestação precoce  - radiação prévia  - vírus herpes simples e o HIV

EXAME PAPANICOLAU 
- 

-

Situações Especiais Grávidas até o 7º mês; Virgens não deve ser realizada na rotina; Mulheres histerectomizadas: Histerectomia total; Histerectomia parcial. Mulheres com DSTs. Recomendações Prévias Não usar duchas ou medicamentos vaginais durante 48 horas antes; Evitar relações sexuais durante 48 horas antes; Anticoncepcionais locais, espermicidas durante 48 horas antes; Aguardar o 5º dia após o término da menstruação.

EXAME PAPANICOLAU 
Importância

- Verificar alterações nas células cervicais ( displasias cervicais); - Detectar infecções viróticas no colo do útero (verrugas genitais e herpes)

PROCEDIMENTO DO EXAME
Materiais

- Mesa ginecológica;
-

Foco de luz com cabo flexível; Lâmina de vidro com extremidade fosca; Espátula de ayre; Escova endocervical; Luvas de procedimento; Solução fixadora; Frasco porta-lâmina; Fita adesiva para identificação do frasco; Lápis grafite ou preto nº 2; Formulário de requisição do exame citopatológico;

MÉTODO DA COLETA

MÉTODO DA COLETA

MÉTODO DA COLETA VISUALIZANDO

MÉTODO DA COLETA 
Coleta de material ectocervical 

Coleta do material endrocervical

Resultados do Exame Preventivo (Papanicolau) 
Negativo para câncer (células malignas): se é o primeiro resultado

negativo, a mulher deverá fazer novo exame preventivo em um ano. Se tiver um resultado negativo no ano anterior, o exame deverá ser repetido em 3 anos. 

Alteração tipo NIC I: repetir o exame em 6 meses;  Alterações tipo NIC II e NIC III: o médico deverá decidir a melhor

conduta. Novos exames, como a colposcopia, deverão ser realizadas; 

Infecção pelo HPV: o exame deverá ser repetido em 6 meses;

CONCLUSÃO

melhor método para o diagnóstico precoce; Ao detectado o câncer e tratado inicialmente ou em fases precursoras, pode chegar a um índice de 99% de cura. - e pode ter suas estatísticas de mortalidade reduzidas se houver um rastreamento eficiente. - que os fatores de risco para o câncer de colo uterino são identificados, os métodos de rastreamento para prevenção são conhecidos e programas governamentais de rastreamento são ofertados às mulheres gratuitamente.

- Por tanto,podemos concluir O exame ginecológico regular é o

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
Abc da saúde. Câncer de colo do útero. Acessado em: 16 de

junho. de 2011. <http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?688>. 

Guia Online de Medicina e Saúde Acessado em :16 de

junho,de 2011. < http://www.tuasaude.com/conizacao-doutero/> cirúrgico.9 ed. V.II;cap.:21 ed.: guanabara koogan; Rio de Janeiro;2002. 

BRUNNER e SUDDARTH, Tratado de enfermagem médico 

Scielo. Câncer do Colo Uterino: Correlação com o Início da

atividade Sexual e Paridade. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. v.21 n.9 Rio de Janeiro out. 1999.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->