P. 1
Memória Cache

Memória Cache

|Views: 67|Likes:
Publicado porLennon Lemos

More info:

Published by: Lennon Lemos on Sep 01, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/01/2011

pdf

text

original

Memória Cache

Conceitos Gerais

Autor : Manoel S. Neto - Prof. Esp. Redes de Computadores

2 Gbps no modo dois canais. Ex: Memória DDR2 800 –Tx de transferência de 6400 Mb/s ou 1. mas mesmo assim ainda estão muito longe da velocidade dele. processador e memórias. Lembre-se que o processamento envolve: disco rígido. tipo discos rígidos ou memória RAM.É uma memória de altíssimo desempenho localizada dentro do processador. Ex: HD SATA 300: Tx transferência de 300 mbps x Processador PIV de 2 Ghz – 64 Bits –Tx de transferência de 16 gbps As memórias RAM´s até se aproximam do processador. que aumenta a velocidade de acesso aos dados e instruções armazenadas no segundo nível de memória(memória RAM). Tem a finalidade de reduzir a busca de dados em módulos de memória distantes. Movimentar impulsos elétricos é muito mais fácil do que movimentar dispositivos mecânicos. .

Possuem diversos transistores. Por essa razão as memórias estáticas oferecem uma menor densidade – isto é. Na mesma área onde em uma memória estática existe apenas um flip-flop. . consomem mais energia e esquentam mais. na memória dinâmica existem centenas de capacitores. bem maiores do que um único capacitor. Atualmente estão localizadas dentro do processador. São mais caras.Na cache. mas já estiveram fora em pentes de memória similares as memórias DRAM´s. os dados são armazenados em um circuito de flip-flop que não precisam de refresh. os chips têm capacidades menores.

estava localizada no circuito de apoio. Era opcional. aquelas que não usavam a tecnologia. onde foi armazenada a primeira quantidade de memória cache dentro do processador . Variavam de 64 a 128 Kb. O segmento que ficava fora do processador era chamado de L2 (nível 2 ou externo). que variavam de acordo com cada placa-mãe. .Memória Cache – Um breve histórico. tinham um processamento mais lento. Utilizavam um recurso chamado Write-Through(escrita direta). O conceito L1 (nível 1 ou interno )foi desenvolvido com o 486 SX. Não era embutida no processador. Logicamente. na ponte norte. Foi utilizada a primeira vez no PC 386 SX. cada fabricante decidia por seu uso ou não. de 128 a 256 Kb.(8Kb). Todos os dados eram imediatamente armazenados na RAM.

que tinha um terceiro nível de memória cache na placa-mãe. Este método é adotado até hoje. sendo desnecessário ir buscar informações corretas na lenta RAM. passaram a utilizar a tecnologia Write Back(contra-escrita). o processador escreve na RAM apenas os erros da cache. .Memória Cache – Um breve histórico(cont. Nela. a Intel criou dois circuitos internos de cache no processador: um para instruções e um para dados. cada um com 8Kb na época. Com a entrada da geração Pentium. O concorrente direto da Intel – AMD – utilizava a mesma disposição de cache.). A partir dos últimos modelos de 486. adotada até os dias de hoje. você encontra a nomenclatura Cache L1 64 Kb + 64 Kb. Ex: Em alguns manuais de processadores. Diferenciou apenas no K6-III.

um processador possui duas velocidades: a interna e a externa. Um exemplo era o Pentium 200 Mhz. visto que o mesmo precisava fazer uso das linhas de barramentos para se deslocar. que trabalhava internamente a 200. mas externamente a 66 Mhz. sendo esta segunda consideravelmente menor para que ele não “enlouqueça” os componentes externos.Que problema poderia ser gerado por esta disposição de arquitetura criada pela AMD na família K6III e pela própria Intel quando utilizava a cache L3 também externa? A velocidade de processamento do componente externo era sempre menor do que o interno. Geralmente. .

Memória Cache – Um breve histórico(cont. Com a chegada da arquitetura P3 da Intel. que hospedavam a memória no mesmo circuito onde estava soldado o processador. que não tinham cache de memória. . e no Celeron-266 e Celeron-300. trabalhando na velocidade do processador. trabalhando com a metade do clock interno. finalmente a cache ficou totalmente interna. As exceções desta geração ficaram por conta do PII.).

mais rápido será o processamento. . carregando-o para a memória estática antes que este seja requisitado. ganha em desempenho. Assim. Em seguida ela tenta adivinhar qual dado o processador poderá precisar.A cache de memória verifica os dados acessados recentemente da memória RAM e os copia para a memória estática. Deste modo. ela trabalha em uma latência bem menor na SRAM o que trabalharia em mais tempo na DRAM. em velocidade de processamento. Quanto mais acessos forem feitos a cache e menos a RAM.

O nível L2 já apresenta alguma taxa de latência. localizada entre as unidades de decodificação e execução. L1 de dados e L2(negociador direto com a memória RAM). Trabalham com KUOPS – instruções próprias de soma. Microarquitetura NetBurst – P4.Memória Cache – Características Específicas(cont. o que faz com que ele não seja tão rápido quanto o seu nível anterior. O termo L1 e L2 correspondem diretamente a distância dos níveis de memória(level) em relação ao processador. codificação para serem processadas com um ciclo de latência. visto que os dados já estarão contidos em suas áreas de armazenamento. PD e Xeon: omite a existência do L1 de instruções. os processadores modernos possuem três níveis de memória cache: L1 de instruções. Podem transformar instruções complexas em pequenas instruções simples.) Em geral. são favoravelmente executadas pela cache L1. classificando-o como cache de rastreamento de execução . Programações de repetição em loop. . atribuição.

usam dois chips de dois núcleos. a L2 é dividida no processamento dos dois núcleos. o que a Intel classifica como sendo melhor.L2 em processadores multinúcleo. Nos processadores de quatro núcleos da Intel. . Na família AMD e Pentium D. o que significa que este compartilhamento ocorre apenas entre os núcleos 1-2 e 3-4. como o Core 2 Extreme QX e Core 2 Quad. trabalhando independente. realmente como dois processadores. cada núcleo possui sua própria L2. Nas arquiteturas Core e Pentium M.

Porém. a taxa de transferência seria algo incrível. A taxa média de acerto é de 80%.Observações Se o processamento fosse realmente seriado. o que ocasiona muitos acessos a memória RAM.O Funcionamento da Cache . . sempre são feitos muitos pulos. sabemos que na execução do programa.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->