UNIÃO DAS FACULDADES DE ALTA FLORESTA – UNIFLOR Fernando Henrique Zilio da Silva

Resenha do Livro: O que é Ética

Alta Floresta-MT 2009

pelo acadêmico Fernando Henrique Zilio da Silva. como requisito parcial da disciplina de Ética.UNIÃO DAS FACULDADES DE ALTA FLORESTA – UNIFLOR Fernando Henrique Zilio da Silva Resenha do Livro: O que é Ética Trabalho apresentado ao professor Carlos Alberto Cardoso.UNIFLOR Alta Floresta-MT 2009 . à União das Faculdades de Alta Floresta .

Immanuel Kant (Age de forma que a máxima da tua ação se torne lei universal). Para Valls. lei) e os específicos (como os da ética profissional. política. pois este filósofo acreditava que o ser humano deveria ser um fim. O capítulo dois fala da ética grega antiga. praticando tudo o que se aprendia. filosófica e teológica sobre os atos humanos. bioética). Quando o autor fala de um comportamento eticamente correto. nascido em Porto Alegre-RS. com preço médio de R$ 18. os problemas da ética podem ser separados em dois campos: Os problemas gerais e fundamentais (liberdade. Segundo Platão o ideal ético era buscar o conhecimento e fazer o bem. Kierkegaard. o que reforça a idéia do respeito ao ser humano. como amizade.00. graduou-se em filosofia pela Faculdade Medianeira de São Paulo e se pós-graduou na Alemanha. a ética lembra responsabilidade. matrimonial.Resenha do Livro: O que é Ética Fernando Henrique Zilio da Silva O livro O que é Ética. Max Weber (a ética não é clara. Os epicuristas viviam para os prazeres. Álvaro Valls trata do conceito de ética como uma reflexão científica. sexual. em sua 17ª reimpressão. Platão buscava a felicidade pela contemplação das idéias (dialética) e pela assimilação de Deus. No capítulo um. valor. O autor. Os estóicos viviam de acordo com a natureza para estar em harmonia com o cosmo (que significa ordem). A Grécia antiga não tinha uma idéia definida de vida após a morte. a ação humana era regida pela natureza. mas de uma maneira mais sublime que o conceito de amor por outras religiões. A religião é a ética normativa. Marcel e Buber procuraram relacionar a ética com a religião. A ética de Aristóteles era finalista e eudemonista. Aristóteles acreditava numa vida virtuosa. no capítulo cinco. Os judeus agiam de acordo com a vontade de Deus. Logo. e tem como ilustradores teóricos Platão e Aristóteles. focado na redenção. que pregavam o amor ao próximo. publicado pela editora Brasiliense. de Álvaro Valls. trata de um comportamento que segue os costumes correntes. fala da ética de maneira simples e acessível a todos. 87 páginas. Prudência. que trata sobre os problemas da ética. O cristão vive em função de Deus. Quando se fala em determinismo. consciência. Já Hegel. ou mais profundamente a própria vida. Nas religiões antigas. No renascimento e no ilumnismo. Kiekergaard pregava a vivência da ética. o homem precisava de certos bens. quando conforme os costumes considerados corretos. Isto apenas didaticamente. principalmente no . assim como os cristãos. O primeiro trata da ética como a busca pela felicidade. O autor cita Kant. embora não se possa falar de responsabilidade sem a possibilidade de liberdade do homem. onde trabalha no departamento de Filosofia desde 1973. Hegel pregava uma vida livre dentro de um Estado livre e de direito. saúde. amor ao próximo. Sócrates (o filósofo é uma espécie de “parteiro das idéias” – maiêutica). Para embasar este estudo. a vinda do Reino de Deus. Marx fala de redenção. Em um primeiro momento. enquanto esses costumes têm força para coagir moralmente/socialmente. pois na vida real esses problemas vem todos juntos. Platão citou quatro virtudes principais: Justiça. o ideal ético é viver de acordo com o conceito de liberdade de cada um. O capítulo três fala de ética e religião. e tem o ideal ético no espírito. Hoje é professor da UFRGS. Publicou vários artigos filosóficos. não um meio. Feuerbach acreditava que a religião só estaria ao alcance dos instruídos. Valls utiliza referências de Dostoievski (se Deus não existe tudo é permitido). falar de ética é falar de liberdade. por isto vivia pelos prazeres. simples e acessível a todos). alguma riqueza. Fortaleza e Temperança. Para alcançar a felicidade. O capítulo quatro fala dos ideais éticos. com sete capítulos. Segundo ele.

Eles não imaginavam que um homem conhecedor do bem pudesse agir mal. Na família. Para Adorno. Nesta esfera. dizia: “meu dilema não significa. como empresários. Valls ainda diz que se o lema máximo da ética é o bem comum. do pensamento e não do corpo. na visão dos gregos. Valls cita Hegel falando da eticidade. realizando ao longo de sua vida as contradições que o constituem inicialmente. assim como Kierkegaard. que se escolha entre o bem e o mal. Já a maneira como se define o que é o bem é um outro problema. cuja alcunha era “o Ético”. Hegel ainda diz sem temor que “o Estado é a realidade efetiva da idéia ética”. No Estado. a liberdade do ser humano só dependia dele mesmo. só pode ser ético quem opta definitivamente pelo bem e não aquele que vive optando. a liberdade se realiza eticamente dentro das instituições históricas e sociais: Família. Valls usa teorias de vários filósofos para falar da ética. é um mau sinal a ética se tornar particular. Marx considerava que o Estado de Hegel não era a instância do universal. O Estado de Hegel. que diz que a ética hoje está reduzida a algo de privado. Os estóicos. totalmente contrários ao determinismo. Valls cita o livro Mínima Moralia. sociedade civil e Estado. uma pessoa ética é aquela que age sempre a partir da alternativa bem ou mal. Valls diz que agir eticamente é agir de acordo com o bem. Hegel. nem tampouco liberdade.. em primeiro lugar. Uma pessoa má. posto que é um ser sintético. Adorno considera a liberdade de Hegel fora da realidade do ser humano. levantada há alguns milênios. que são os que darão a primeira noção do bem e do mal. partindo do pressuposto platônico e aristotélico de que se o homem conhece o bem vai agir bem. No capítulo sete. Estudando esses autores. mas um dominador. Sendo assim. políticos. certo e errado. é uma síntese da estrutura política dos gregos e a moral dos cristãos. segundo Valls. Kierkegaard. que trata sobre a ética hoje. todas as virtudes são políticas. que disseram que o Estado de Hegel era indiferente quanto à individualidade do ser humano. ou seja. Então o indivíduo passa a interagir com a sociedade civil.. embora isto gerasse outra problemática: Como saber o que é ético e o que é econômico em um dado comportamento concreto? Moritz Schlick. mas principalmente o universitário. defendiam a liberdade incondicional. pois nos tempos da grande filosofia. um século antes. de Adorno. defensor dos direitos e deveres do ser humano. Este procura agir de acordo com sua razão natural. entre eles estão: Marx. a preocupação atual da ética é com a autonomia moral do indivíduo. e ele deveria fazê-la. Segundo Valls. não ficar preso em imaginação. a ética não existiria. um indivíduo aprimora seu conhecimento e percepção éticos e poderá viver mais eticamente. onde vai aprender o respeito aos limites e aos direitos do próximo e ver que deve lutar contra as desigualdades sociais. Habermas. . Heidegger.fatalismo. Álvaro Valls diz que a ética se preocupa com as contradições do homem. ele designa a escolha pela qual se exclui ou se escolhe o bem e o mal”. não existe ética. embora a opção entre bem e mal. sociais. membro do Círculo de Viena. Kierkegaard. Neste capítulo. observava o mesmo na religião.”. líderes corporativos e comunitários. Este livro é recomendado a todos que se interessam pelo assunto ético.Kierkegaard diz ainda que para o grego antigo. Marx. que tem as idéias revolucionárias que modificam a realidade e constroem um futuro melhor. religiosos. a ética é trabalhada nas crianças pelos pais. Kant também o critica. responsabilidade. Marx relacionava tudo o que era ético com a economia. Francis Bacon. O capítulo seis fala de comportamento moral e sobre o bem e o mal. Moritz Schlick. Neste caso. o indivíduo vê em toda sua complexidade os contextos de seus direitos e deveres e a função fundamental do Estado. ou seria transformar o sistema do capital. o agir bem ou mal era uma questão de conhecimento. Jaspers. era simplesmente um ignorante. diz que as ações boas “são aquelas que se exigem de nós. MerleauPonty e Sartre. Marx diz que o capital restringe a liberdade do homem. Adorno e Horkheimer. e que o homem deveria se fazer tal. parece continuar válida. relacionando as relações econômicas que sempre interferem no agir ético.