Você está na página 1de 2
Oficina – Agora é pra valer: a prática do estudo bíblico evangelístico Agora é pra

Oficina Agora é pra valer: a prática do estudo bíblico evangelístico

Agora é pra valer

Por que o estudo bíblico:

Para que estudar a Bíblia enquanto cristão?

Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado

para toda boa obra.” 2 Timóteo 3. 16-17

Para que estudar a Bíblia com não-cristãos?

(Salmo 119.105)

E é necessário que antes o evangelho seja pregado a todas as nações.(Marcos 13.10)

Não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê(Romanos 1.16)

Vocês estudam cuidadosamente as Escrituras, porque pensam que nelas vocês têm a vida eterna. E são as Escrituras que testemunham a meu respeito” (João 5.39)

Tenha sempre em mente que os objetivos da ABU são:

A evangelização dos secundaristas,

universitários e profissionais, por intermédio da comunicação da mensagem do evangelho e da demonstração prática da vivência cristã, objetivando sua submissão ao senhorio de Jesus Cristo.

O desenvolvimento rumo à maturidade

do ser humano integral em Cristo Jesus, nos aspectos pessoal e comunitário, de forma a

Antes do estudo bíblico:

assumirem sua responsabilidade no âmbito da família, da igreja e da sociedade.

A realização de missão e serviço,

mediante a descoberta de seu lugar de chamado por Deus, na Igreja e no mundo.

Assistência ao estudante e à

comunidade, visando ao desenvolvimento do homem e da mulher, como manifestação do amor de Deus, em Cristo.

- Convite: não convide alguém se realmente não quiser apresentar o evangelho para ele. O convite tem de ser autêntico, verdadeiro. Procure estabelecer um vínculo com a pessoa, ela se sentirá mais aberta para compartilhar e perguntar o que não entendeu. Pra começar, convide seus amigos.

- Preparação: ore antes, durante e depois de preparar o estudo, deixe que o Espírito Santo fale, procurando esvaziar seus pensamentos de si. Se sentir necessidade, não deixe de procurar a ajuda ou conselho. Nunca deixem só uma pessoa responsável pelos estudos.

- Objetivos: “apresentar Jesus Cristo de maneira pessoal a quem o busque”.

- “Que mais?

Durante o estudo bíblico:

- Considere o visitante:

1. Como que um não cristão deve se sentir na reunião de vários “crentes”?

2. Como fazê-lo sentir-se mais confortável?

3. O que ele pode estar buscando?

4. Qual é o histórico dele?

- Dicas:

Os participantes têm pouco conhecimento do evangelho e do vocabulário religioso que nós, os cristãos, costumamos usar: fale normalmente e explique termos, histórias.

Textos bíblicos recomendados: narrações dos evangelhos que apresentem os encontros de Jesus (pessoais), dêem para reconhecer problemas humanos, apresentem Jesus como uma pessoa interessante, causem identificação, evitem controvérsias.

A presença física da Bíblia pode afastar muitas pessoas por simples simbologia (medos, histórico), procure colocar os trechos bíblicos e perguntas em uma folha de papel.

Treinamento 28/mar

ABU São Paulo

www.abusampa.blogspot.com

Oficina – Agora é pra valer: a prática do estudo bíblico evangelístico  Líder: se

Oficina Agora é pra valer: a prática do estudo bíblico evangelístico

Líder: se espera dele conhecimento, abertura para o Espírito Santo, entusiasmo e respeito pela palavra, comunicação simples e clara, firmeza em dirigir, criatividade.

Deixe todos falarem, compartilharem suas idéias, mesmo que você não concorde. Se desviar muito ou virar uma discussão, procure ter sensibilidade e voltar ao assunto central sem rejeitar a opinião do outro.

Não prepare uma pregação, um sermão. Além de intimar muitos, essa ação induz à pergunta “de onde você tirou isso?”, que, inclusive, muitas vezes pode ser contundente. Deixe que a palavra de Deus fale, evitando assim expor suas idéias mas abrindo espaço para o Evangelho. Pense no que Paulo disse: Pois Cristo não me enviou para batizar, mas para pregar o evangelho, não porém com palavras de sabedoria humana, para que a cruz de Cristo não seja esvaziada.(1 Coríntios 1.17)

- Técnicas de estudo bíblico:

EBI

“O estudo bíblico indutivo (EBI) leva o interessado a descobrir por si mesmo o significado das Escrituras e a relacionar o que descobriu com a sua vida de cada dia. Num EBI procuramos encontrar o que o autor quis dizer, e não impor nossos sentimentos ou opiniões sobre o texto. Para melhor deixar a Bíblia falar por si mesma, o líder de um grupo não faz um pequeno sermão sobre o texto, nem defende as conclusões do seu estudo prévio, mas faz perguntas que permitem aos membros do grupo descobrirem o significado do texto.” (MEER, Antonia Leonora Van De. O Estudo Bíblico Indutivo, ABU Ed., pp.9)

Observação Interpretação Aplicação -> perguntas para cada etapa

Criatividade

Se em todos os estudos tudo o que tivermos for um trecho bíblico e perguntas sobre este trecho a rotina do estudo pode ficar enfadonha. Além disso, lembre-se do não cristão: ele pode sentir as reuniões muito afastadas de seu contexto. Procure aproximar os estudos bíblicos à nossa realidade, à realidade do seu curso, etc., com sua criatividade!

Você pode usar charges, quadrinhos, notícias, músicas, poesias, elementos ligados à cultura em geral, fatos contemporâneos, um texto acadêmico que você viu que “tinha a ver”, a fala de alguém, etc. Fazer isto nos ajuda a ver como a aplicabilidade da Bíblia é real e tangível.

Se puder levar além, até uma sessão de cinema seguida de um bate-papo é possível! Mas, tendo pouco tempo, procure pensar em coisas que vemos no dia-a-dia, olhando bem há muita coisa.

Depois do estudo bíblico:

O evangelismo não acaba quando falamos de Deus, estudamos a bíblia e o não-cristão aparece. É uma caminhada e, tanto para os que não compartilham da nossa fé quanto para os também cristãos, caminhar junto faz de tudo mais fácil.

Procure perguntar o que o visitante achou da reunião e convide-o para uma próxima (sem ser “chato”). Incentive conversas informais, seja esclarecendo uma dúvida ou simplesmente algum outro assunto comum. Seja amigo dele (de verdade). Acompanhe-o em sua caminhada, oriente-o se ele quiser conhecer mais a Cristo. O estudo bíblico não acaba nas reuniões.

E se não der certo?

Tenha calma! Nossa função é semear

Portanto, visto que temos este ministério pela misericórdia que nos foi dada, não

desanimamos. Antes, (

contrário, mediante a clara exposição da verdade, recomendamo-nos à consciência de todos,

diante de Deus.” (2 Coríntios 4.1-2)

)

não usamos de engano, nem torcemos a palavra de Deus. Ao

E

,

o que mais?

Treinamento 28/mar

ABU São Paulo

www.abusampa.blogspot.com