P. 1
DETERMINAÇÃO DA CAPACIDADE CALORÍFICA DE UM CALORÍMETRO

DETERMINAÇÃO DA CAPACIDADE CALORÍFICA DE UM CALORÍMETRO

|Views: 2.266|Likes:
Publicado porkatiagoncalves

More info:

Published by: katiagoncalves on Sep 03, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/06/2013

pdf

text

original

DETERMINAÇÃO DA CAPACIDADE CALORIFICA DE UM CALORIMETRO 1.

Objetivos Demonstrar, a partir de dados experimentais, a capacidade calorífica de um calorímetro simples (frasco de Dewar). 2. Introdução Calorímetro: é um sistema fechado que não permite trocas de calor com o ambiente semelhante à garrafa térmica. No calorímetro, utilizado para estes experimentos, o vaso interno é uma lata de alumínio de refrigerante, para eliminar a propagação do calor por radiação e um recipiente de isopor para eliminar a propagação do calor por condução. Capacidade Térmica: fornecendo a mesma quantidade de calor para uma massa m de água e para outra massa três vezes maior de água, 3 m, observa-se experimentalmente que para que tenham a mesma variação de temperatura é necessário fornecer uma quantidade de calor três vezes maior para a de massa 3 m que para a de massa m. Temos, portanto, que a quantidade de calor é diretamente proporcional à variação de temperatura. A constante de proporcionalidade é denominada capacidade térmica. Notação: C ⇒Capacidade térmica Q=C ∆T C=Q/ ∆T A capacidade térmica mede a quantidade de calor necessária para que haja uma variação unitária de temperatura e está relacionada diretamente com a massa do corpo. Unidade de Capacidade Térmica: U (C) = 1 cal / oC Unidade de Capacidade Térmica - Sistema Internacional de Unidades: U (C) = 1 J / C.
o

Equivalente em água de uma substância: é a quantidade de água que apresenta o mesmo comportamento térmico de uma massa qualquer de outra substância. Numericamente é igual à capacidade térmica da substância. Equilíbrio Térmico: a quantidade de energia térmica transferida da substância de maior temperatura para a de menor temperatura, é associada à quantidade de calor que a substância de menor energia irá receber. Após um certo tempo, a temperatura atinge um valor constante, ou seja, atingiram um equilíbrio térmico, estão com a mesma energia térmica. Na situação de equilíbrio térmico, em um sistema isolado (adiabático), temos que pelo princípio da conservação da energia, a quantidade de calor perdida ou cedida por uma substância de maior energia é igual

Procedimentos experimental Adicionou – se ao calorímetro 200 ml de água destilada a temperatura ambiente. Agitou – se e determinou – se a temperatura de equilíbrio do sistema (frasco de Dewar + agitador + água). Pelo princípio da conservação de energia: Qganho = Qperdido C (Tf .à quantidade de calor ganha pela substância de menor energia. a água que está a uma temperatura maior irá ceder calor à água e ao calorímetro que estão a uma temperatura menor. por exemplo. C. De uma forma geral. . Determinou – se a temperatura da água destilada resfriada e transferiu – se 100 ml para o calorímetro.T1i) = m água 2c água (T2i . será utilizado o método das misturas. quando elas são misturadas no calorímetro. à temperatura ambiente. aquecendo uma quantidade de água a uma temperatura maior que a da água contida no calorímetro que está.T1i) + m água1c água (Tf . Neste método. Materiais utilizados        Frasco de Dewar (frasco de nº 2) Proveta graduada de 500 ml Termômetro Haste para agitação Rolha de isopor Água destilada resfriada Água destilada a temperatura ambiente 4. Homogeneizou – se e foi determinada a temperatura de equilíbrio do sistema. temos. que: Qganho = Qperdido onde a quantidade de calor é dada pela equação fundamental da calorimetria: Q=mc ∆T Determinação da capacidade térmica do calorímetro: para determinar a capacidade térmica do calorímetro.Tf) 3.

m2: massa da água resfriada. A temperatura determinada quando foi atingido o equilíbrio térmico.0 cal K-1g-1 ou 4. As temperaturas foram convertidas de °C para K.15 200 285.15 100 Tabela 1: medidas relativas às amostras de água. a partir da fórmula T/K=0°C+273.5ºC ou 294. Tf: temperatura final do sistema. . como mostra a tabela 1: Grandezas medidas Temperatura (K) Massa (g) Água temperatura ambiente Água resfriada 298.5.15 Conhecendo as temperaturas pode – se então determinar a capacidade calorífica do calorímetro de numeração 2 do laboratório. através da relação: C(Tf – T1) +m1c (Tf – T1) = m2c (T2 –Tf) Onde: C: capacidade calorífica do calorímetro J K-1. c: calor específico da água (1.65 K. Resultados e discussões Foram utilizadas duas amostras de água com massas e temperaturas diferentes. T2: temperatura da água resfriada. foi de 21. T1: temperatura inicial do sistema (calorímetro + 200 ml de água destilada a temperatura ambiente + agitador). 184 J K-1g-1) m1: massa da água temperatura ambiente.

Questões a) O que é capacidade calorífica? A capacidade calorífica é a quantidade de calor necessária para elevar a temperatura de um dado corpo em 1ºC. 8J C (-3. 6. 65K–298. ou ainda garrafa de Dewar) é um objeto projetado para fornecer uma isolação térmica quase perfeita.5K) C (-3. 65–298.65K) C (-3. 8J = -3974. Um frasco de Dewar (também conhecido como vaso de Dewar. por um longo tempo. 15K) +200g. muito mais do que em um .35K) = -3974. b) Descreva um Frasco de Dewar. 4JK-1(-9. este frasco não permitirá que o calor escape facilmente.35K) -2928. 15K) = (100g) 4.15K – 294. ou molar.35K) C = 312. 184JK-1g-1(294. quando enchido com um líquido quente ou frio. 8J + 2928.C (294.35K) = 418. 8JK-1(-3. a capacidade calorífica específica em joule por kelvin por quilograma e a capacidade específica molar em joule por kelvin por mol. A capacidade calorífica específica é a proporção de calor fornecida à unidade de massa da substância para o seu consequente aumento de temperatura. A capacidade calorífica molar é definida como sendo a proporção de calor fornecida à unidade de quantidade de substância para o seu consequente aumento de temperatura.4. cujo símbolo é c. A capacidade calorífica pode ser específica. 24 JK-1 O valor da capacidade calorífica que foi encontrado corresponde à quantidade de calor que foi necessária para fornecer para elevar a temperatura do sistema em 1K ou 1ºC. 184JK1 1 g (285. Na prática a capacidade calorífica é medida em joule por kelvin. Por exemplo.35K) + 836. e o líquido permanecerá quente ou frio respectivamente.35K) = -1046J C = -1046J / (-3. 8J C (-3. ela consiste no quociente entre a quantidade de calor fornecida a um corpo e a correspondente variação de temperatura. Seu símbolo é C. cujo símbolo é Cm.

recipiente comum. Se num experimento de calorimetria você percebe que a variação de temperatura foi de 5. O frasco de Dewar foi nomeado em homenagem ao seu inventor.34 + 273. ou em que ponto ela se estabiliza. geralmente metálico ou similar.34ºC e precisa convertê-la para Kelvin (para análise dimensional com dados do calor específico da água). Isto se torna eficaz já que a pouca transferência de calor ocorre quase que inteiramente através do gargalo e do fundo do frasco. basta somar este valor a 273. James Dewar usou originalmente a prata para esta finalidade. c) Por que na prática de determinação do calor de neutralização foi realizado um procedimento anterior com a adição de água quente? Para que fosse possível identificar se ocorreu variação de temperatura. e estas duas seladas no mesmo gargalo. A superfície interna do frasco externo e a superfície externa do frasco interno têm um revestimento reflexivo. ou seja. para impedir que o calor seja transmitido através de radiação. utilizase a fórmula: T/K = 0 / ºC + 273. porém. o físico escocês James Dewar (1842-1923). a temperatura em Kelvin é numericamente igual a temperatura em graus Celsius mais 273. sendo este geralmente revestido de cortiça.15 K = 5. d) Quando se quer converter uma temperatura medida em ºC para K. K=ºC + 273. em nosso experimento utilizamos a água fria. pois o vácuo impede a condução e a convecção do calor. No espaço estreito entre elas existe algo próximo do vácuo.15 Isto é. e utiliza o princípio da dupla camada. pelo risco que teria o manuseio da água quente. se a temperatura da água quente se conservou ou diminuiu.4 . já que o ar é praticamente todo retirado.15 K = 278. que é um material isolante. seria igual a uma garrafa menor dentro de outra maior. O frasco de Dewar geralmente é feito de vidro ou metal.15.15? Explique como você faria.

2:9.2-0390     :. 6:.     %.3/0.5.24897.8/:.43.42424897.8 %02507.8/10703908  .9:7./. /090723. %.820//..80902507.9.20//.8.:8808 47.422.9.  #08:9.902507.2./.    902507..9:7.-0.8/0E:.24897.9:7.8/0E:.7.9:7..870. ./480/8.797/./..88.079/.8147.4  14 /0   4:  8902507. 7.9:7. 1O72:.8/0S5.   .88.3/414 .70817.   :.93/4 4 06:J-74 9F72.-0.88.

..2-0390 ./.5./0.E:. % %1   3/0 .47J20974  % 902507./.  4:     22./0 . /089.E:.F8/..9O74 .9:7. 902507.70817.470850..8 902507. S   430. .9:7.. .././47  %902507.9.8 54/0  80 0394 /090723.70..E:..  .2-0390 22.9:7.   .03/4 . %1902507..9:7.. .47J1.97.4/4./4.88.4/..902507.. 3.47J1.13../.E:.-47./.. .5.9:7.J1.70817.9:7.88.47J20974    2 /0 E:.47J20974/03:207./488902. /4 88902./4../.4   %1 %  2..7 ./. %1 % 2../..

                                                                     .

./0 .20390  547:2 434 90254  2:94 2. 5../.5.. .30. 6:. 5745474 /0 .8:-893.07E 6:0390 4:174 70850. !4700254 6:..0390 03970 .5.4/0902507..088E7. 54/0 807 0850.47J1.43806:0390 ...43806:0390.84 /0 0. F 20//..47 30. .47 14730.7.5.47708543/0390 .39/.7..20390  0 4 J6:/4 5072.00..39/...4754 0 .47J1.7..2-F2 .4 9F72./0. F ../4./0 .7...7  &2 17././0 ..39/../.354724  .4 /0 0. 00..80507109.7  .. 57E9.. 5.480:. :2 ...7.:27.430.024:     ":08908 ..8.5. 902507.47 08./.088E7.:4 8J2-44 F 2   .88.  :3/.7. 84.075.47J1.:20394/0902507.7 9... 0850..9.50 1.9:7...7./0/02.08.  6:0F.5745474/0 ./.        .3/403.2.14730./4 . . /0 0./.  .438890 34 6:4.:20394/0 902507. 6:..5. .J1..47 14730.J1.476:01430.8.47J1./00850..  .47J1.07 :2./0 /06:..7. 02 4:0 547 0.7 .47 /..77.. 02 4:0 547 0./0 . .70.:3/.24..424803/4...3 547 6:47. 6:0 14 03....5.. 0850./.:4 8J2-44 F .9:7../0 /0 ./4 5.J1.902507./4 .24. 6:.5. 14730.. 0 .3  .5.3/.7F/013/...  .8.  4: 24./0/0...4397.47J1.424 ..5.47708543/0  6:../. .7  4: .8 /4 6:0 02 :2 ./. 4 80: ...   .7024:05470../.47J1. /0 :2 /./0..5.9:7./..7  F :2 4-094 57409./0 /0 . F ./0 /0 8:-893.1...39/./0 .4/00. ./4 88902.4754 02    $0: 8J2-44 F   0../4 .J1.9:7./0 ./.42:2J6:/46:03904:174 0890 17.4 34 507297E 6:0 4 .5. .47 14730./.9:7. .47J1..

4:4:/23:: 4:026:0543940.4 14 70.4 57O24/4. 84.902507.08920394 7010. 80 .43. 8:5071J. 13. 089.248 .3:804/.4  .0 39073.3829/4 .6:0390  / ":.77.7 14 3420.02 5.43807.H8..42.7F57..4.7.F8 /4 ..9:7.9.7  5.E. !47 6:0 3./.8/:.4770 6:. 20//. 01./4 5484. /4 17.4  803/4 0890 07. 57E9.2. %.1O72:.4  07.6:039080. :9.4 6:0 907..4 4085.6:0390 !..707.4 80: 3.83420824.47   8:5071J.2080.E:.97. 0:9.  504 78.07907:2.8.390747.80 6:0 3907./.4/00.02 .3/4806:07 . /0 /090723.42:2   17.38107H3...47 80.880.7. 5..20390F1094/0.20390 .7.4 390734 9H2 :2 70.6:0148805488J.-.03947 41J8.7    17.8.. E:.47 /0 30:97. E 6:0 .0..43/:40.907.4 /0 0.42.4573..4 090734 0 . 97..4 4: 82.902507.47  0089.0/20394.7.4 /4 . 80.40897094039700.9:7.43.089/4 /0 .4770:. /0 . 250/7 6:0 4 . .7 :84: 473.F8 /0 7.9./:5.9:7.70. /4 17.7.4/0902507.47 4. 17.7. 97..8. 57../4/0E:.390  .E.:4 E6:04.7804./4:2574.208 0..479.  547F2  02 34884 050720394 :9.. 807.0 09073.4 0 /4 1:3/4 /4 17.80 089.20390 70./.:4250/0..1./..408.  6:0 F :2 2..80890.0/0391.:.20390 209E..J54 /. 54:.97.E:./4 02 4203. 4:80.8.8./744:209.2039094/47097.20390 ../0  894 80 9473.7.50390 .:2./.2.20347/03974/04:97.4/4.

 .

.079H .9:7.4 /.3 F 3:207.424..3 5.47 0850.4.4 /0 902507.3E80 /203843.  -. 842. .7. 0. 02 0.7 0890.H1.4.9:7.43.47./48 /4 .7.:8 08:8 2. 902507.20390 :. 56:0.472097.42 /.89. ..9:7. 02 7..     894 F .. 902507.H 507.8    $0 3:2 050720394 /0 .. . E:.7. .               .8. 5. .7.J1. 14 /0    0 570.0-0 6:0 .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->