P. 1
LEI Nº 9 528 PLANSERV

LEI Nº 9 528 PLANSERV

|Views: 225|Likes:
Publicado porRose Mary

More info:

Published by: Rose Mary on Sep 05, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/01/2015

pdf

text

original

LEI Nº 9.528 DE 22 DE JUNHO DE 2005 Reorganiza o Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais e dá outras providências.

O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei: TÍTULO I DO SISTEMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS SERVIDORES PÚBLICOS ESTADUAIS CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - O Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais, organizado por esta Lei, compreende o conjunto de serviços de saúde no âmbito da promoção, prevenção, assistência curativa e reabilitação, prestados diretamente pelo Estado ou através de instituições credenciadas, na forma que dispuser o Regulamento a ser aprovado por Decreto do Governador do Estado. § 1º - O Regulamento do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais especificará o modelo de assistência, a abrangência e a extensão da cobertura dos procedimentos médico-hospitalares postos à disposição dos beneficiários. § 2º - O ingresso no Sistema de que trata esta Lei será facultativo, mediante Termo de Adesão e se dará nos moldes definidos no Regulamento. Art. 2º - São princípios básicos do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais: I - custeio da assistência à saúde, mediante contribuições da administração direta e indireta do Estado, dos servidores públicos ativos e inativos, e dos pensionistas, além de outras receitas, inclusive as provenientes de rendimentos de seus ativos patrimoniais e financeiros; II - participação do beneficiário no custeio da assistência à saúde em valores proporcionais ao seu respectivo nível de remuneração, quantidade de dependentes e agregados, e índices de utilização efetiva dos serviços; III - vedação à criação de qualquer prestação de serviço ou benefício não previsto no Regulamento;

enquanto no exercício de seus cargos e mandatos. estejam legalmente afastados do exercício do cargo.os pensionistas do Estado. V .os empregados ativos de empresas públicas e sociedades de economia mista do Estado.Os beneficiários do Sistema de Assistência à Saúde de que trata esta Lei classificam-se como titulares. VI .615 de novembro de 2009). SEÇÃO I DOS TITULARES Art. da Lei nº 6.os servidores que.IV . de 26 de setembro de 1994.os agentes políticos. autarquias e fundações dos Poderes do Estado. dependentes e agregados. na condição de titulares: I .adoção de mecanismos de controle de utilização e de incentivo à prevenção de desperdícios. 4º . os servidores militares ativos. V . CAPÍTULO II DOS BENEFICIÁRIOS Art. IV . mantendo o vínculo funcional.gestão participativa e descentralizada com representantes do Estado e beneficiários titulares.As condições para ingresso. na forma do disposto no Título VI. para atendimento de necessidades temporárias de excepcional interesse público. 3º . II . (Acrescido pela Lei nº. 11. optantes pelo Sistema de Assistência à Saúde de que trata esta Lei serão definidos em Regulamento. nos termos das Seções I e II deste Capítulo. enquanto perdurar o contrato. VI .participação direta dos beneficiários nas ações de controle na prestação dos serviços. desta Lei. § 2º.677. conforme o disposto no art. cancelamento e os prazos de carências a que se sujeitarão os beneficiários titulares.os contratados sob regime especial de direito administrativo.os servidores públicos civis ativos ou inativos de todos os órgãos da administração direta. como fatores moderadores do uso dos serviços de assistência à saúde. dependentes ou agregados. III . 1º. da reserva remunerada ou reformados. Parágrafo único .Poderão ser beneficiários do Sistema de Assistência à Saúde. .

Poderão ser beneficiários do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais.615 de novembro de 2009). o(a) tutelado(a) e o(a) enteado(a). desde que seja inválido e dependente economicamente. com custeio integral pelo beneficiário titular.615 de novembro de 2009) I . o(a) tutelado(a) e o de enteado(a). 1 o(a) ex-pensionista. conforme seja definido no Regulamento.o(a) filho(a) solteiro(a).Poderão ser beneficiários do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais. VI e VII do artigo 4º desta Lei. III .” (Acrescido pela Lei nº. desde que não preencha os requisitos para ser beneficiário titular.Poderão ser beneficiários do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais. IV. 5º . na condição de dependentes dos titulares indicados nos incisos I. na condição de agregados dos titulares indicados nos incisos I. do art. IV.Poderão ser beneficiários do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais. 11. menor de 18 (dezoito) anos. 6º . 5º . 11.VII . na condição de dependentes dos titulares indicados nos incisos I.o(a) filho(a) solteiro(a) e não emancipado(a). V. 4º desta Lei: Art.A perda da condição de titular implicará o cancelamento automático da adesão do titular ao Sistema de Assistência à Saúde e na conseqüente desvinculação dos seus dependentes e agregados. II . Parágrafo único . 11.615 de novembro de 2009) 1 o(a) filho(a) tutelado(a) e o(a) enteado(a). 4º desta Lei: (Alterado pela Lei nº.os empregados inativos de empresas públicas e sociedades de economia mista do Estado. na condição de agregados. VI e VII do art. desde que não preencham os requisitos para serem beneficiários titulares: (Alterado pela Lei nº. IV e V. maior de 18 (dezoito) anos e menor de 35 (trinta e cinco) anos. desde que não preencham os requisitos para ser beneficiário titular: Art. SEÇÃO II DOS DEPENDENTES E AGREGADOS Art. de qualquer idade. 6º .o(a) cônjuge ou o(a) companheiro(a). Art. maior de 18 (dezoito) anos e menor de 35 (trinta e cinco) anos. V. . com custeio integral pelo pensionista titular que assim o consinta expressamente. enquanto permaneça nesta condição.

sugerindo inclusive as penalidades a serem aplicadas.acompanhar e avaliar a gestão operacional. (Acrescido pela Lei nº. econômica e financeira dos recursos do Fundo de Custeio do Plano de Saúde dos Servidores Públicos Estaduais e os resultados alcançados com a sua aplicação.A gestão do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais será realizada pela Secretaria da Administração do Estado.subsidiar a elaboração e acompanhar a execução da Política de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais.Fica criado. competindo-lhe: I . 7º . 8º . V . na estrutura da Secretaria da Administração. tanto por parte de seus beneficiários.A perda da qualidade de dependente ou agregado implicará o cancelamento automático da adesão ao Sistema de Assistência à Saúde. III .elaborar e alterar seu Regimento a ser aprovado pelo Governador do Estado. com a finalidade de propor diretrizes estratégicas e políticas de assistência à saúde dos servidores públicos estaduais. quanto por parte de seus prestadores. TÍTULO II DA GESTÃO E DO CUSTEIO DO SISTEMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS SERVIDORES PÚBLICOS ESTADUAIS CAPÍTULO I DA GESTÃO Art.III .apreciar as políticas de custeio. com custeio integral pelo beneficiário titular. Art. nos termos do Regulamento. o Conselho de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais.o(a) neto(a) menor de 35 (trinta e cinco) anos. 9º . 11.615 de novembro de 2009). IV . Art. . na forma definida em Regulamento. II .acompanhar a apuração das denúncias sobre a utilização inadequada da assistência à saúde. VI . investimento e administração do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais.acompanhar e apreciar os relatórios gerenciais de gestão de assistência à saúde dos servidores públicos estaduais.

§ 3º .615 de novembro de 2009) . 10 . em valores proporcionais ao respectivo nível de remuneração. desta Lei. reservado ao Presidente o voto simples e de qualidade.VII .02 (dois) representantes do Estado.analisar e emitir parecer sobre a proposta orçamentária do Fundo e apreciar a prestação de contas anual.Os membros do Conselho e seus respectivos suplentes serão nomeados pelo Governador do Estado. (Alterado pela Lei nº. VIII . § 4º . IX .Participarão do Conselho. 11. conforme a seguinte composição: I . de acordo com as faixas estabelecidas na tabela constante do Anexo I desta Lei. bem como estabelecimentos de saúde pública e privada.exercer outras atividades correlatas.O Regulamento fixará normas de composição e funcionamento do Conselho de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais. § 2º . que o presidirá. a) relativa aos titulares indicados nos incisos I a VI do artigo 4º desta Lei. III . de forma paritária. II . indicados por entidade que represente os servidores públicos do Estado. CAPÍTULO II DO CUSTEIO Art. § 1º . de acordo com as faixas estabelecidas na tabela constante do Anexo I. em valores proporcionais ao respectivo nível de remuneração. representantes do Estado e dos beneficiários. para posterior envio ao Tribunal de Contas do Estado.As decisões do Conselho serão tomadas por maioria simples dos membros presentes.03 (três) representantes dos Servidores Públicos do Estado da Bahia.O Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais será custeado pelas seguintes fontes de receitas: I .contribuição dos beneficiários: 1 relativa ao titular.o Secretário da Administração.manter intercâmbio com órgãos públicos de saúde e com demais órgãos prestadores de saúde aos servidores públicos.

inciso V. em valores definidos na tabela constante do Anexo II desta Lei.A contribuição dos beneficiários indicados no art. V . 9.b) relativa aos dependentes. por dependente inscrito. do art. b) doações e legados que lhe sejam feitos. ou. 11. desta Lei. se não houver pagamento de remuneração. em valores proporcionais à faixa etária.A opção de que trata o caput deste artigo. pela assistência especial. a qualquer tempo. Parágrafo único . incidente sobre o total da remuneração mensal percebida do Estado.outros recursos que lhe venham a ser destinados. a média mensal dos últimos 12 (doze) meses anteriores ao afastamento. por agregado inscrito. . inciso II. após cumprimento da carência definida em Regulamento. IV .outros recursos consignados no orçamento do Estado. estabelecidas na Tabela de Contribuição constante do Anexo I deste Lei. por cada dependente inscrito. respeitando o limite máximo de até 5% (cinco por cento) incidente sobre a base de cálculo definida no art. d) pela assistência especial. III . será acrescida do percentual de 5% (cinco por cento). mediante o pagamento da complementação no valor mensal de R$ 35. desta Lei. até o limite de 04 (quatro) dependentes.00 (quatro reais). desta Lei. 11. passando a ter direito a internações hospitalares em apartamento privativo. até o limite de 04 (quatro). b) relativa aos dependentes.outras receitas provenientes de: a) convênios ou contratos celebrados.615 de novembro de 2009). Art. 11 . e) relativa aos titulares indicados no inciso VII do artigo 4º desta Lei. implicará a inclusão do beneficiário titular e de todos os seus dependentes e agregados.” (Acrescido pela Lei nº.contribuição do Estado em valor estabelecido na Lei Orçamentária Anual.00 (trinta e cinco reais) por beneficiário inscrito. II .839 de dezembro de 2005) c) relativa aos agregados. Parágrafo único .O beneficiário integrante da assistência básica do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais poderá optar. mediante requerimento. 12. de acordo com o definido no Parágrafo único. de acordo com a tabela constante do Anexo III desta Lei. (Alterado pela Lei nº. no valor de R$ 4. 4º. de acordo com as faixas de remuneração do respectivo beneficiário titular.

gratificação natalina e aquelas de caráter indenizatório. a existência de . de acordo com a faixa etária. d) agentes políticos. § 1º . a) servidores ativos civis ou militares e empregados ativos de empresas públicas e sociedades de economia mista do Estado.para o Estado.615 de novembro de 2009). e pensionistas. da reserva remunerada ou reformados. adicional de férias. espontaneamente. à Coordenação de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais. excluídas as parcelas a título de ajuda de custo. diárias. 11. diárias.615 de novembro de 2009) § 2º . excluídas as parcelas a título de ajuda de custo. Parágrafo único . os proventos da aposentadoria. 11. gratificação natalina e aquelas de caráter indenizatório. (Acrescido pela Lei nº. 12 – Considera-se base de cálculo para fins de contribuição: I . adicional de férias. o total da remuneração mensal recebida. contribuintes ou não do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais. o valor da pensão. mediante a aplicação da tabela prevista no Anexo III desta Lei.No caso de acumulação constitucional de cargos ou empregos. auxílios e abonos pecuniários. b) servidores inativos. auxílios e abonos pecuniários. da reserva remunerada ou da reforma. (Alterado pela Lei nº. II . a contribuição dos beneficiários indicados no inciso I deste artigo incidirá sobre o somatório dos estipêndios correspondentes.para os beneficiários titulares: a) servidores ativos civis e militares. auxílios e abonos pecuniários. a remuneração integral mensal de todos os servidores ativos e inativos. diárias.Art. da Secretaria da Administração. a contribuição dos beneficiários indicados no inciso I deste artigo incidirá sobre o somatório dos estipêndios correspondentes. o valor dos subsídios mensais recebidos. o valor bruto da remuneração integral do mês. c) pensionistas.No caso de acumulação constitucional de cargos. f) empregados inativos de empresas públicas e sociedades de economia mista do Estado. e) contratados sob regime especial de direito administrativo. adicional de férias. gratificação natalina e aquelas de caráter indenizatório. o valor bruto da remuneração integral do mês. excluídas as parcelas a título de ajuda de custo.Os beneficiários titulares de que trata o parágrafo anterior deverão informar.

839 de dezembro de 2005) CAPÍTULO III DO FUNDO DE CUSTEIO DO PLANO DE SAÚDE DOS SERVIDORES PÚBLICOS ESTADUAIS . vinculado e gerido pela Secretaria da Administração. Art. 9. as contribuições repassadas sujeitar-se-ão à atualização. ao FUNSERV.” (Acrescido pela Lei nº. proventos ou pensões e recolhidas diretamente ao FUNSERV. subsídios. à manutenção e a assistência à saúde dos beneficiários. Parágrafo único . e pelo art. 16 .Correrão por conta do FUNSERV os gastos do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais relacionados com os seguintes tipos de despesas: I .Constituem recursos do FUNSERV aqueles previstos no art. de caráter geral e . com a cobrança retroativa dos valores dela decorrentes. mensalmente. de 30 de dezembro de 1998. 13 . 11.As contribuições do Estado e dos beneficiários deverão ser recolhidas.Decorrido o prazo referido neste artigo e não se procedendo ao recolhimento. sob pena de responsabilidade civil. curativa e de reabilitação necessárias à proteção. Art. 10 desta Lei. 140 da Lei Estadual nº 2. inclusive no que concerne ao disposto no art. hospitalar e laboratorial. 15 . 71 da Lei Federal nº 4.322.O pagamento da contribuição dos empregados inativos de empresas públicas e sociedades de economia mista dar-se-á mediante boleto bancário.435.As contribuições dos beneficiários serão descontadas pelos setores encarregados pela elaboração dos documentos referentes ao pagamento dos vencimentos.320. na forma definida pelo art. prestadas através de assistência médico-ambulatorial. Parágrafo único . de 17 de março de 1964. Parágrafo único . 14 . de 11 de abril de 1966. a partir da vigência desta Lei. segundo os índices utilizados para efeito de correção dos tributos estaduais. instituído pela Lei nº 7.O Fundo de Custeio do Plano de Saúde dos Servidores Públicos Estaduais .FUNSERV.FUNSERV Art.615 de novembro de 2009).médico-hospitalares. sob pena de a correspondente atualização cadastral ser procedida de ofício.acumulação de cargos.” (Acrescido pela Lei nº. tem como finalidade prover os recursos necessários à manutenção do Sistema de que trata esta Lei. no prazo de 90 (noventa) dias. penal e administrativa do responsável direto pela omissão na realização dos descontos. 14 e seu parágrafo único desta Lei. até o 5º (quinto) dia do mês subseqüente. que estejam diretamente relacionadas às ações de natureza preventiva. Art.

será transferido para o exercício seguinte.o Fundo terá contabilidade própria. os saldos patrimoniais e outros elementos. suporte e desenvolvimento de sistemas de informações. 17 . com vistas à prevenção de doenças na população de beneficiários cobertos pelo Sistema de Assistência à Saúde. cirurgias e exames complementares de diagnóstico e de tratamento.A administração orçamentária. patrimonial e de material. bem como ações de controle. suporte e desenvolvimento de sistemas de informações. os dados da base de cálculo dos contribuintes ao gestor do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais. de manutenção.o saldo positivo do Fundo. locação. a crédito do próprio Fundo.as relacionadas às ações de natureza operacional e logística.” (Alterado pela Lei nº. III .as relacionadas às ações de natureza operacional e logística. incluindo consultas. construção e aquisição de imóveis. Art. ampliação. II . de forma a possibilitar o acompanhamento permanente do seu desempenho. III . II . apurado em balanço ao final de cada exercício financeiro. cujo Plano Geral de Contas discriminará as receitas realizadas e as despesas incorridas.as relativas aos programas e ações desenvolvidos. inclusive compra de móveis. necessárias à disponibilização do acesso aos serviços e atendimento aos beneficiários. 18 . financeira. e a prestação de contas do FUNSERV obedecerão aos princípios gerais estabelecidos na legislação específica e ao seguinte: I .especializado. mensalmente.Todos os órgãos e entidades dos Poderes do Estado deverão encaminhar. III . de capacitação e aperfeiçoamento técnico. conforme disposto no regulamento. Art.615 de novembro de 2009). recuperação. necessárias à disponibilização dos serviços e atendimento aos beneficiários.o exercício financeiro coincidirá com o ano civil. de controle. veículos e equipamentos. de capacitação e aperfeiçoamento técnico. reforma. TÍTULO III DAS DISPOSIÇÕES FINAIS . auditoria e acompanhamento da utilização. anualmente. a 5% (cinco por cento) do orçamento destinado ao Fundo. auditoria e acompanhamento da utilização. de manutenção. limitadas tais despesas a 5% (cinco por cento) do orçamento destinado ao Fundo. 11. limitadas tais despesas.

19 . na forma que dispuser o Regulamento. Art. PALÁCIO DO GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA. mediante proposta do Conselho de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais. 23 . deverá promover. a partir da data de sua publicação. Art. 28 . o disposto nesta Lei aos empregados das Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista.249. de 14 de dezembro de 1983.Fica mantida a condição de beneficiários para os dependentes dos titulares de que trata o art. Parágrafo único . inciso III. a atualização da sua condição no prazo de 90 (noventa) dias a contar da vigência desta Lei. Art. da Secretaria da Administração.373.195. 22 .O dependente e o agregado que preencham os requisitos para ser beneficiário titular. Projeto de Lei revendo a participação do beneficiário no custeio do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais. Art. de 07 de janeiro de 1998. 25 . desta Lei. com cobrança retroativa à data de vigência desta Lei.Fica mantida a condição de beneficiários para os agregados maiores de 35 (trinta e cinco) anos que estiverem inscritos como tal até a data de entrada em vigor desta Lei. Art.Ficam dispensados da adesão de que trata o art. 26 .Art. 21 . § 2º.Revogam-se as disposições em contrário. desta Lei. de 29 de janeiro de 1975. sob pena de ter esta atualização cadastral feita de ofício. 9. os atuais beneficiários inscritos no sistema de assistência à saúde definido na Lei nº 7. Art. baseada em avaliação atuarial.839 de dezembro de 2005).Os valores relativos à contribuição dos beneficiários de que trata o caput deste artigo são os constantes do Anexo II desta Lei. junto à Coordenação de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais. inscritos até a data de entrada em vigor desta Lei. no prazo de 90 (noventa) dias.O Poder Executivo encaminhará no prazo de 120 (cento e vinte) dias da vigência desta Lei. no que for cabível.Fica mantida a condição de beneficiários dos atuais facultativos inscritos nos termos da Lei nº 3. 20 . Art. PAULO SOUTO Governador Ruy Tourinho Marcelo Barros . Art.O Poder Executivo regulamentará esta Lei. em 22 de junho de 2005. (Acrescido pela Lei nº. no que couber. 1º. 4º. com as alterações da Lei nº 4. Art.Aplica-se.Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação. 24 . 27 .

Secretário de Governo Secretário da Administração Pedro Barbosa de Deus Secretário da Agricultura. Assistência Social e Esporte Paulo Renato Dantas Gaudenzi Secretário da Cultura e Turismo Jorge Khoury Hedaye Secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Albérico Mascarenhas Secretário da Fazenda Anaci Bispo Paim Secretária da Educação Sérgio Ferreira Secretário da Justiça e Direitos Humanos José Luiz Pérez Garrido Secretário da Indústria. Irrigação e Reforma Agrária Eraldo Tinoco Melo Secretário de Infra-Estrutura Armando Avena Filho Secretário do Planejamento José Antônio Rodrigues Alves Secretário da Saúde Eduardo Oliveira Santos Secretário do Trabalho. Comércio e Mineração Edson Sá Rocha Secretário da Segurança Pública Clodoveo Piazza Secretário de Combate à Pobreza e às Desigualdades Sociais Roberto Moussallem de Andrade Secretário de Desenvolvimento Urbano .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->