Você está na página 1de 3

X.X X.

RADIAO COMPORTAMENTO DOS MATERIAIS OPACOS DIANTE DA

RADIAO SOLAR

A energia que incide sobre o corpo opaco parte refletida ou absorvida como podemos observar na figura x.

Figura xxx Incidncia da radiao solar em superfcie opaca.

Para a obteno do balano trmico da figura xxx temos: (x) Onde: RS a radiao total incidente na superfcie (W/m2); absortividade solar (Em funo da cor); a refletividade solar. A Tabela 1 apresenta valores de absortividade de materiais geralmente utilizados na construo civil e mostra tambm a absortividade de algumas cores.

Compreendendo a dupla transformao de energia da radiao tem-se como necessidade a verificao das propriedades da superfcie receptora representadas pela emissividade (MARINOSKI, 2007) do corpo Tabela 2.

A energia radiante que absorvida se transforma em energia trmica ou calor, j a energia que se refletida no sofre mudanas. Assim, a radiao solar ser includa no clculo do fluxo de calor atravs de uma temperatura equivalente que tambm e conhecida como temperatura sol-ar (MARINOSKI, 2007). Ento, a equao (X ANTERIOR), pode-se ser reescrita na forma da equao (x). ) )

(X)

A temperatura sol-ar refere-se ao efeito combinado da radiao solar incidente e intervm dos coeficientes de absoro ( ) e a emissividade ( ) dos tipos de materiais. Ento a temperatura equivalente ou sol-ar observado na equao (X). Tsol-ar = Text + . RS. Rse

. Rse

(X)

Onde RS Rse a radiao total incidente na superfcie (W/m2); a resistncia superficial externa; representa as trocas de calor por conveco e

radiao entre a superfcie e o meio.


L

a diferena entre a radiao de onda longa emitida e recebida pela superfcie.

Em casos verticais, a diferena entre a radiao de onda longa emitida e recebida pela superfcie (
L)

nula, pois as perdas se compensam por conta da onda longa que

recebida no solo e das superfcies do meio (MARINOSKI, 2007). Ento para paredes a equao (X anterior) pode ser reescrita como na equao (X).

ext

se

int)

(x)