CONTRATO DE TRABALHO DOMESTICO

Pelo presente instrumento particular, a Sra. (empregador) DONA DE CASA DA SILVA, residente e domiciliada à Rua Madre Tereza, 50 apto. 31B - Belenzinho, portadora do CPF nº. xxxxxxxx, doravante denominado a seguir empregador, e a Sra. EMPREGADA DA SILVA, portadora do CPF nº. YYYYY, Cédula de Identidade RG nº. zzzzzz, Carteira Profissional nº. xxxxx – Série zzzz e PIS nº. yyyyyyy, residente e domiciliada a Rua do Livramento nº. 694, dorante designada empregada, celebram o presente Contrato Individual de Trabalho, com arrimo na Lei nº 5.859, de 11 de dezembro de 1972, e regido pelas cláusulas abaixo transcritas e demais disposições legais vigentes: 1ª - A empregada trabalhará para o empregador na função de doméstica diarista, desempenhando as funções que vierem a ser objeto de ordens verbais, cartas ou avisos, segundo as necessidades do empregador desde que compatíveis com as suas atribuições, não podendo delegar para terceiros as suas atribuições para auxiliá-la, salvo quando haja concordância por escrito do empregador; 2ª - O local da prestação dos serviços será na residência do empregador, situado na Rua Madre Tereza, 50 apto. 31B – Belenzinho. 3ª - A empregada prestará serviços na condição de DIARISTA, comparecendo ao local de trabalho sempre que previamente requisitado, em dias variados durante a semana, com exceção do domingo. 4ª – Uma vez que o contrato é de diarista e não haverá trabalho aos domingos, fica-se desde já acertado que não serão procedidos os descontos previstos no Artigo 6º da Lei nº 605/49, e se considerará cumprido o disposto na Portaria MTB nº 417/66, referente ao Descanso Semanal Remunerado. 5ª - A empregada perceberá a remuneração de R$ 50,00 (cinquenta reais) por dia de trabalho, de conformidade com o entendimento do Tribunal Regional do Trabalho: “Configura-se a relação empregatícia o trabalho doméstico prestado, ainda que duas vezes por semana, de forma contínua, sendo a contraprestação salarial proporcional aos dias trabalhados”
(TRT-3.ª R. RO 4.920/92, Ac. 4.ª T., j. 2/2/93, Rel. Juiz Pedro Lopes Martins, in LTR 58-04/437)" (1998:54-55).

6ª - Poderá o empregador fazer os devidos descontos previstos em Lei em sua remuneração, a saber: valor referente a Contribuição Previdenciária (INSS) e 6% referente ao vale-transporte; 7ª – O pagamento deverá ser feito sempre diariamente, ao fim de cada jornada laboral, salvo condição mais favorável para ambas as partes, mediante acordo ou combinação verbal ou por escrito.

208/2001. inclusive ligações interurbanas. será apurado a totalidade do valor pago naquele mês para a empregada.YYY.I – Para fins de recolhimento do INSS. a qualquer tempo.YYY-XX ______________________________. Tendo assim justo e contratado. reserva-se o empregador o direito de descontar da empregada as importâncias correspondentes aos danos causados por ela.XXX.XXX-YY _________________________.O empregador não inclui a empregada no Sistema do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). 9ª . a inclusão da empregada no Sistema do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). DONA DE CASA DA SILVA _____________________________. II.A mesma forma de apuração será usada para o desconto do vale transporte ou de qualquer outro tipo de desconto. assinam as partes o presente instrumento em duas vias. ______ de ________ de _________ _________________________. 8ª . conforme Lei nº 10. mas fica-lhe desde já facultado. ___________. . EMPREGADA DA SILVA empregador CPF XXX. Testemunhas empregada CPF YYY. na presença das testemunhas abaixo.Além dos descontos previstos na cláusula 6ª.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful