CONTRATO DE TRABALHO DOMESTICO

Pelo presente instrumento particular, a Sra. (empregador) DONA DE CASA DA SILVA, residente e domiciliada à Rua Madre Tereza, 50 apto. 31B - Belenzinho, portadora do CPF nº. xxxxxxxx, doravante denominado a seguir empregador, e a Sra. EMPREGADA DA SILVA, portadora do CPF nº. YYYYY, Cédula de Identidade RG nº. zzzzzz, Carteira Profissional nº. xxxxx – Série zzzz e PIS nº. yyyyyyy, residente e domiciliada a Rua do Livramento nº. 694, dorante designada empregada, celebram o presente Contrato Individual de Trabalho, com arrimo na Lei nº 5.859, de 11 de dezembro de 1972, e regido pelas cláusulas abaixo transcritas e demais disposições legais vigentes: 1ª - A empregada trabalhará para o empregador na função de doméstica diarista, desempenhando as funções que vierem a ser objeto de ordens verbais, cartas ou avisos, segundo as necessidades do empregador desde que compatíveis com as suas atribuições, não podendo delegar para terceiros as suas atribuições para auxiliá-la, salvo quando haja concordância por escrito do empregador; 2ª - O local da prestação dos serviços será na residência do empregador, situado na Rua Madre Tereza, 50 apto. 31B – Belenzinho. 3ª - A empregada prestará serviços na condição de DIARISTA, comparecendo ao local de trabalho sempre que previamente requisitado, em dias variados durante a semana, com exceção do domingo. 4ª – Uma vez que o contrato é de diarista e não haverá trabalho aos domingos, fica-se desde já acertado que não serão procedidos os descontos previstos no Artigo 6º da Lei nº 605/49, e se considerará cumprido o disposto na Portaria MTB nº 417/66, referente ao Descanso Semanal Remunerado. 5ª - A empregada perceberá a remuneração de R$ 50,00 (cinquenta reais) por dia de trabalho, de conformidade com o entendimento do Tribunal Regional do Trabalho: “Configura-se a relação empregatícia o trabalho doméstico prestado, ainda que duas vezes por semana, de forma contínua, sendo a contraprestação salarial proporcional aos dias trabalhados”
(TRT-3.ª R. RO 4.920/92, Ac. 4.ª T., j. 2/2/93, Rel. Juiz Pedro Lopes Martins, in LTR 58-04/437)" (1998:54-55).

6ª - Poderá o empregador fazer os devidos descontos previstos em Lei em sua remuneração, a saber: valor referente a Contribuição Previdenciária (INSS) e 6% referente ao vale-transporte; 7ª – O pagamento deverá ser feito sempre diariamente, ao fim de cada jornada laboral, salvo condição mais favorável para ambas as partes, mediante acordo ou combinação verbal ou por escrito.

inclusive ligações interurbanas.YYY-XX ______________________________. 9ª . será apurado a totalidade do valor pago naquele mês para a empregada. ______ de ________ de _________ _________________________. a inclusão da empregada no Sistema do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).XXX.YYY. . a qualquer tempo. na presença das testemunhas abaixo. mas fica-lhe desde já facultado. Tendo assim justo e contratado. II. EMPREGADA DA SILVA empregador CPF XXX. Testemunhas empregada CPF YYY.XXX-YY _________________________. DONA DE CASA DA SILVA _____________________________. assinam as partes o presente instrumento em duas vias.A mesma forma de apuração será usada para o desconto do vale transporte ou de qualquer outro tipo de desconto.Além dos descontos previstos na cláusula 6ª.I – Para fins de recolhimento do INSS. ___________. conforme Lei nº 10.208/2001.O empregador não inclui a empregada no Sistema do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). reserva-se o empregador o direito de descontar da empregada as importâncias correspondentes aos danos causados por ela. 8ª .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful