P. 1
FÁRMACOS AGONISTAS COLINÉRGICOS

FÁRMACOS AGONISTAS COLINÉRGICOS

|Views: 1.398|Likes:

More info:

Published by: Bernardo Mendes de Borba on Sep 16, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/14/2013

pdf

text

original

FÁRMACOS AGONISTAS COLINÉRGICOS (PARASSIMPATICOMIMÉTICOS, COLINOMIMÉTICOS

)
Principais ações/efeitos farmacológicos:

SOBRE O MÙSCULO LISO DIGESTIVO E URINÁRIO o ↑ tônus, motilidade e contratibilidade: ↑ peristaltismo

SOBRE A SECREÇÂO GLANDULAR o ↑secreções: saliva, suor, digestiva..

SOBRE SISTEMA CARDIOVASCULAR o ↓frequência cardíaca o Bloqueio da transmissão átrio-ventricular o Arritmias

VASODILATAÇÃO o hipotensão

SOBRE O GLOBO OCULAR o Miose o ↓ pressão intraocular

SOBRE O SISTEMA RESPIRATÓRIO o Broncoconstrição

Introdução de de CH3 no Cβ Aumenta estabilidade Aumenta seletividade muscarínica 4.Substituição do radical acetil por carbaril Aumento da estabilidade .Substituições nos grupamentos CH3 ligados ao N Reduz ações colinérgicas 3.Ações direta: ésteres sintéticos da colina e alcalóides colinomiméticos naturais Ação indireta: anticolinesterásicos COLINÉRGICOS DE AÇÃO DIRETA 1) Ésteres da colina Estrutura geral RELAÇÃO ESTRUTURA/ AÇÃO FARMACOLÓGICA 1-Compostos de amino quaternário 2.

ACETILCOLINA o Não é um fármaco o Hidrólise por enzimas METACOLINA o Maior duração e seletividade de ação CARBACOL (Miostat®) o Não seletivo muscarínico o Estabilidade BETANECOL (Liberan®) o Boa estabilidade o Seletivo muscarínico o Disponível em comprimidos e em soluções injetáveis o Utilizado como estimulante da musculatura lisa do trato gastrintestinal o Xerostomia Obs: Os ésteres da colina não são utilizados no glaucoma. por apresentarem um grupamento amino quaternário possuem dificuldade de transporte pela membrana .

recebe mais nutrientes → cresce cabelos o Glaucoma Drenagem do humor aquoso é obstruída quando a pupila se dilata → pressão intra-ocular ↑ o Estimula salivação e suor: XEROSTOMIA . Molécula menos susceptível á hidrólise pela acetilcolinesterase b. Absorção deficiente 2. Menor ação agonista colinérgica ARECOLINA o Amêndoa vermelha PILOCARPINA o Pilocarpus jaborandi o N terciário: transpõe membranas.Ausência de grupamentos ésteres a.Compostos de amino quaternário a. vasodilatação perto do folículo piloso.2) Alcalóides naturais Substâncias extraídas de plantas RELAÇÃO ESTRUTURA/AÇÃO FARMACOLÓGICA 1.

MUSCARINA o Extraída de um cogumelo (amanita muscaria) ALCALÓIDES GANGLIONARES o NICOTINA NATURAIS ESTIMULADORES  Extraída das folhas do tabaco  Tendência de produzir dependência  Inicialmente causa estimulação do SNP e posterior depressão  1º Cigarro Estímulo ganglionar. muco espesso  Ajudar a abstinência do uso do tabaco . Aumento contratibilidade cardíaca Aumento motilidade gastrintestinal Aumento secreções (pigarro)  Com o tempo os receptores desenvolvem uma refratariedade (depressão): dificuldade de ir aos pés.

vômitos. diarréia o Hipersecreção salivar o Lacrimejamento o Bradicardias o Vertigens/tonturas Usos clínicos o Glaucoma agudo o Atonia gástrica Contra-indicações o Asma brônquica o Arritmias o Glaucoma de ângulo fechado .COLINOMIMÉTICOS DE AÇÃO DIRETA Efeitos colaterais o Naúseas. cólicas.

Presença de grupamento CARBARIL a. intoxicações comuns NEOSTIGMINA o Ação na enzima e agonista no receptor o Usada na miastenia gravis . Extensamente utilizados em jardinagem 2.Presença de grupamento amino quaternário a. Maior estabilidade 3.COLINÉRGICOS DE AÇÃO INDIRETA 1) Anticolinesterásicos reversíveis RELAÇÃO ESTRUTURA/ AÇÃO FARMACOLÓGICA 1. Duração de ação mais longa c. ↑ estabilidade d. ↑ duração c. ↑ potência b. Molécula mais potente b.Presença de dois grupamentos quaternários a. Ligação não covalente FISOSTIGMINA o Alcalóide natural.

EDROFÔNIO o Ação curta o Diagnóstico de miastenia gravis PIRIDOSTIGMINA o Utilizada em miastenia gravis 2) Organofosforados Ação irreversível. Confere especificidade à AchE c. penetram facilmente na membrana: INSETICIDAS E ARMAS QUÌMICAS ESTRUTURA GERAL RELAÇÃO ESTRUTURA/ AÇÃO FARMACOLÓGICA 1. bastante tóxicos.Composto pentavalente de fósforo 2.Grupamento lábil a. propicia interação adicional com o local aniônico da enzima b.Presença de grupamento amino quaternário a. Reduz absorção . No grupamento lábil. Liberado para fosforilação da enzima 3.

↓ pressão intraocular o Penetração ruim SARIN e SOMAN o Armas químicas. penetram facilmente na membrana PARATION e MALATION o Usados como inseticidas o Com freqüência causam intoxicações em seres humanos .ECOTIOFATO o Único utilizado clinicamente o Glaucoma.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->