P. 1
COMPETÊNCIAS E HABILIDADES ASB E TSB - TEORIA

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES ASB E TSB - TEORIA

|Views: 2.645|Likes:
Publicado porTwigg Mitsue

More info:

Published by: Twigg Mitsue on Sep 19, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/16/2012

pdf

text

original

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES EXERCÍCIO PROFISSIONAL Profissionais de saúde, ASB e TSB, são fundamentais para o desenvolvimento de ações que buscam

coletivamente, através da educação em saúde, inibir fatores que cooperam para aumentar a demanda de doenças bucais. ACD ou ASB Compete ao ASB Lei 11889/08 | Lei Nº 11.889, de 24 de dezembro de 2008 Atual I. II. III. IV. Organizar e executar atividades de higiene bucal; Processar filme radiográfico; Preparar o paciente para o atendimento; Auxiliar e instrumentar os profissionais nas intervenções clínicas, inclusive em ambientes hospitalares; Manipular materiais de uso odontológico; Selecionar moldeiras; Preparar modelos em gesso; Registrar dados e participar da análise das informações relacionadas ao controle administrativo em saúde bucal; Executar limpeza, assepsia, desinfecção e esterilização do instrumental, equipamentos odontológicos e do ambiente de trabalho; Realizar o acolhimento do paciente nos serviços de saúde bucal; Aplicar medidas de biossegurança no armazenamento, transporte, manuseio e descarte de produtos e resíduos odontológicos; Desenvolver ações de promoção da saúde e prevenção de riscos ambientais e sanitários; Realizar em equipe levantamento de necessidades em saúde bucal; Adotar medidas de biossegurança visando ao controle de infecção.

V. VI. VII. VIII.

IX.

X. XI.

XII.

XIII. XIV.

VI. Orientar pacientes sobre higiene oral. VII. Manter em ordem arquivo e fichário. II. discriminados no art. XIII. procedimentos não IV fazer propaganda de seus serviços. Preparar o paciente para o atendimento. Selecionar moldeiras. Realizar lagavem. Confeccionar modelos de gesso. Promover o isolamento do campo operatório. Controlar o movimento financeiro. III realizar. sem a indispensável supervisão do cirurgião-dentista ou do Técnico em Saúde Bucal. direta ou indiretamente. II prestar assistência. IX. Marcar consultas. secagem e esterelização do instrumental e do consultório. XV. na cavidade bucal do paciente. VIII. Proceder à conservação e manutenção dos equipamentos odontológicos. Auxiliar no atendimento ao paciente. Manipular materiais de uso odontológico. Aplicar métodos preventivos de cárie. jornais ou folhetos especializados da área odontológica. Preencher e anotar fichas clínicas. mesmo em revistas. 9o desta Lei. É VEDADO AO ASB I exercer a atividade de forma autônoma. X. a paciente. XII. IV. THD ou TSB COMPETE AO TSB . III. Revelar e montar radiografias intra-orais. XI. XIV. V. Instrumentar o CD e o THD junto à cadeira operatória. XVI.Anteriormente: I.

Executar a aplicação de substâncias para a prevenção da cárie dental. III. . V. II. XV. XIII. exceto na categoria de examinador. Fazer a tomada e revelação de radiografias intra-orais. Confeccionar modelos. Ensinar técnicas de higiene bucal e realizar a prevenção das doenças bucais por meio da aplicação tópica do flúor. VI. antes e após atos operatórios. VIII. XVII. Fazer as demonstrações de técnicas de escovação. XVI. Realizar teste de vitalidade pulpar. XII. Proceder à limpeza e à anti-sepsia do campo operatório. X. Educar e orientar os pacientes ou grupos de pacientes sobre prevenção e tratamento das doenças bucais. Participar das ações educativas atuando na promoção da saúde e na prevenção das doenças bucais. o trabalho dos ACDs. Atual I. Polir restaurações. Realizar a remoção de indutos. IX. Colaborar nos programas educativos de saúde bucal. Supervisionar. II. Colaborar nos levantamentos e estudos epidemiológicos como coordenador. conforme orientação do cirurgião-dentista. Responder pela adminstração da clínica. XIV. Participar do treinamento e capacitação de Auxiliar em Saúde Bucal e de agentes multiplicadores das ações de promoção à saúde. placas e tártaros supragengivais. Inserir e condensar materiais restauradores. sob delegação. III. monitor e anotador. Preparar moldeiras IV. Participar na realização de levantamentos e estudos epidemiológicos. vedando-se escultura.Anterior I. VII. IV. Participar do treinamento dos ACDs. Remover suturas. XI.

antes e após atos cirúrgicos. supervisão do cirurgiãodentista. Art. Anuidades do CRO ASB = 1/4 (um quarto) R$ 33. de acordo com a indicação técnica definida pelo cirurgião-dentista. 11. remover suturas. na cavidade bucal do paciente. sob qualquer forma.V. o trabalho dos auxiliares de saúde bucal. conforme a legislação em vigor. sob delegação do cirurgião-dentista. VII. exceto em revistas. procedimentos não IV fazer propaganda de seus serviços. extrapolem suas funções específicas responderá perante os Conselhos Regionais de Odontologia. IX. VIII. inclusive em ambientes hospitalares. Supervisionar. Realizar isolamento do campo operatório. Exercer todas as competências no âmbito hospitalar. VI. Aplicar medidas de biossegurança no armazenamento. III realizar. manuseio e descarte de produtos e resíduos odontológicos. É VEDADO AO TSB I exercer a atividade de forma autônoma. Inserir e distribuir no preparo cavitário materiais odontológicos na restauração dentária direta. tendo Técnico em Saúde Bucal ou Auxiliar em Saúde Bucal sob sua supervisão e responsabilidade. jornais e folhetos especializados da área odontológica. sem a indispensável II prestar assistência direta ou indireta ao paciente. discriminados no art. X.49 . XI. O TSB e o ASB estão obrigados a se registrar no CFO e a se inscrever no CRO em cuja jurisdição exerçam suas atividades. XII. permitir que esses. vedado o uso de materiais e instrumentos não indicados pelo cirurgião-dentista. 5o desta Lei. Proceder à limpeza e à anti-sepsia do campo operatório. XIII. O cirurgião-dentista que. bem como instrumentar o cirurgião-dentista em ambientes clínicos e hospitalares. Fazer a remoção do biofilme. Realizar fotografias e tomadas de uso odontológicos exclusivamente em consultórios ou clínicas odontológicas.

X assumir responsabilidade pelos atos praticados. quando as julgar indignas para o exercício da profissão ou prejudiciais ao paciente. em aviso reservado. Suspenssão do exercício profissional 30 (trinta)dias. VII apontar falhas nos regulamentos e nas normas das instituições em que trabalhe. como os técnicos em prótese dentária. ainda que de forma omissa. 40. IX abster-se da prática de atos que impliquem mercantilização da Odontologia ou sua má conceituação. § 2º. jornais ou folhetos especializados. de qualquer modo. § 1º. III. IV.98 CÓDIGO DE ÉTICA Art. advertência confidencial. de 14 de abril de 1964: I. 5 Constituem deveres fundamentais dos profissionais inscritos: I exercer a profissão mantendo comportamento digno. Art. censura confidencial.TSB =1/10 (um décimo) R$ 66. Art. VIIIpropugnar pela harmonia na classe. V. do seu responsável técnico e do número de inscrição no Conselho Regional de Odontologia. II.324. independentemente de exercer a profissão no setor público ou privado. VI elaborar as fichas clínicas dos pacientes. XI resguardar a privacidade do paciente durante todo o atendimento. É vedado aos profissionais auxiliares. atendente de consultório dentário. e acompanhadas do nome do profissional ou do laboratório. bem como aos laboratórios de prótese dentária fazer anúncios. propagandas ou publicidade dirigida ao público em geral. devendo dirigir-se nesses casos. II manter atualizados os conhecimentos profissonais e culturais necessários ao pleno desempenho do exercício profissional. A comunicação e a divulgação em Odontologia obedecerão ao disposto neste Código. IV guardar segredo profissional. técnico em higiene dental. Censura pública. III zelar pela saúde e pela dignidade do paciente. desde que dirigidas aos cirurgiões-dentistas.0 4. como ele concorrer para a infração. às seguintes penas previstas no artigo 18 da Lei n. em publicação oficial. em aviso reservado. Aos profissionais citados no § 1º serão permitidas propagandas em revistas. 31. cargos e cidadania. Cassação do exercício profissional ad referendum do Conselho Federal . conservando-as em arquivo próprio. Os preceitos deste Código são de observância obrigatória e sua violação sujeitará o infrator e quem. auxiliar de prótese dentária. V promover a saúde coletiva no desempenho de suas funções. aos órgãos competentes.

Além das penas interdisciplinares previstas. Nível fundamental como requisito de escolaridade para ACD. Em caso de reincidência. com registro a partir da declaração do cd será provisório por 1 ano e poderá ser prorrogada por mais 1. Art. Art. 2. Parágrafo único.Art. <http://www.br/uploads/manuais/higiene.com. 1. Carga horária minima de 600 para 800hs. Atendente de consultório dentário passa a ser designado auxiliar.org.cromt. a pena de multa será aplicada em dobro. A inscrição provisória será definitva com a presentação de certificado de qualificação.br> Acesso em 08/02/2010.org. .047/2003 Art. Art. 45.pdf> Acesso em 08/02/2010. ACD (01/01/04). 3. 4. também poderá ser aplicada pena pecuniária a ser fixada pelo Conselho Regional.cropr.(01/01/06) A inscrição do ACD somente será obtida com certificado de qualificação BIBLIOGRAFIA <http://cfo. <www.br> Acesso em 08/02/2010. Art. arbitrada entre 1 (uma) e 25 (vinte e cinco) vezes o valor da anuidade. 5. Art. Decisão CFO . 6.

f°½f¯f f¾ ¾ °–n    n°f¯ f¾  9 ½ff¯ ¾ ¯– ¾¾   –¾f f ¾ ½fn½f ff°h¾  f¾°€¯fsµ ¾ fn°f f¾fn°  f ¯°¾f ¯¾f  nf   nf¯½ f f¾¾ ½¾f  ¾°€ nsj  ¾ fsj °¾¯ °f  ½f¯ °¾  °–n¾  f¯  °  f f   fffn¯ ° ½fn ° °¾¾ s¾ ¾f  nf  ½nf¯  f¾  ¾¾ –f°sf°f¯f °f¯ ° f°¾½ ¯f°¾   ¾nf  ½ ¾  ¾ ¾ °–n¾   ¾ ° fsµ ¾ ½¯sj f¾f  ½  °sj ¾n¾f¯  °f¾  ¾f°h¾   ff ¯ ½  f°f¯ ° ° n ¾¾ f ¾ ¯¾f  nf   f¯  f¾  ¾¾ –f°sf¾f° fn°  °€ nsj  .¯½  f   $$ -      ¯   f      I  I I  I  I  O  O O  O  O  OI   –f°f   nff f ¾ – °  nf  9n ¾¾f€¯ f –h€n  9 ½ff½fn ° ½fff ° ¯ °  f °¾¯ °f¾½€¾¾°f¾°f¾°  °sµ ¾n°nf¾ °n¾  ¯ f¯  ° ¾¾½ff ¾  .

fnfn°¾f¾  9 °n  f°f€nf¾n°nf¾  .° ¯ °       I  I I  I  I  O  O O  O  O  OI  OI  OI   °f½fn ° ¾¾  – ° f  .f°  ¯ ¯f €nh  .

°f¯¯ °€°f°n     f ¯°ff –f€f¾°f f¾  9 ½ff½fn ° ½fff ° ¯ °  f°f ° ¯ °f½fn °  °¾¯ °f.

f°½f¯f f¾ ¾ °–n    n°f¯ f¾  . @©°gnf f½ ff  9¯ ¾f¯ ° nf¯½½ f  .

°€ nn°f¯ ¾ – ¾¾  ½nf¯x ¾½  °¾ nh  9n gn°¾ fsj ¯f° °sj ¾ ½f¯ °¾ °–n¾   fff–f ¯ ¾ nf– ¯  ¾  fsj °¾¯ °f  n°¾  I     n ff f  €¯ff´°¯f    ½ ¾ff¾¾¾y°nf   f°  f¯ ° f ½fn ° ¾ ¯f° ¾½ °¾h  ¾½ ¾j  n–j °¾f @xn°n ¯f  nf     ff °fnf f  nf ½fn °  ¾n¯°f ¾°f  ¾f    ½n ¯ °¾°j I  €f ½½f–f° f ¾ ¾¾ s¾ ¯ ¾¯ ¯ ¾f¾ ©°f¾€ ¾ ¾½ nff ¾ fh f  °–nf  @  @  .

.9@@  .

°       I  I I  I  I  O  O O  O  O  OI  OI  OI  OI  f      I  9fn½f  °f¯ ° nf½fnfsj f ¯f  nf  f– ° ¾ ¯½nf  ¾ f¾fsµ ¾ ½¯sjg¾f  9fn½f f¾fsµ ¾ nff¾ff° °f½¯sj f¾f  °f½  °sj f¾  °sf¾ nf¾  9fn½f°f ffsj  f°f¯ °¾  ¾ ¾ ½ ¯–n¾  n °f nf –f  f¯°f   °¾°fxn°nf¾ – °  nf  fff½  °sj f¾  °sf¾ nf¾½¯  ff½nfsj½nf € n°€¯  °fsj n–j °¾f  9fn½f  °f¯ ° ¾.

¾  .

f f°¾½–f¯f¾ nf¾ ¾f  nf  .

f f°¾ f°f¯ °¾  ¾ ¾ ½ ¯–n¾n¯n °f  ¯° f°f    nf  °f¾½fn ° ¾–½¾ ½fn ° ¾¾  ½  °sj ff¯ ° f¾  °sf¾ nf¾  f f¾ ¯°¾fsµ ¾ xn°nf¾  ¾nfsj   ¾½° ½ ff ¯°¾fsj fn°nf  ½ ¾°f ¾   –fsj f f ¾.

¾  f f¯f f   fsj f –f€f¾°f f¾   ff ¾  f f ½½f   fff ¯sj ° ¾ ½fnf¾ hf¾¾½f– °–f¾   nfff½nfsj ¾ ¾i°nf¾½fff½  °sj fnh  °f  °¾  n° °¾f¯f f¾ ¾ff  ¾  9 ¾ffsµ ¾  f°  ¾  ¾nf  9n g¯½ f gf° ¾ ½¾f nf¯½½ f f° ¾ f½¾f¾ ½ f¾   ¯ ¾f¾  .

°€ nn°f¯ ¾  9 ½ff¯ f¾ .

I I  I  I  f f ¯sj  €¯  fn n¯f° nfsjxn°nf €° f½  n–j °¾f  ½ ¾°f ¾   –fsj n–j °¾f f f ¾ff ¾ ¾f  nf   ff€–f€f¾ ¯f f¾ ¾ °–n¾ n¾f¯ °  ¯n°¾¾ n°nf¾ °–nf¾  °¾   ¾ °½ ½fnfh¯f f¾ °–n¾°f ¾ffsj °hf  f  f ¾ ¯f f¾ °¾¯ °¾°j° nf ¾½  n–j °¾f  9n g¯½ f gf° ¾ ½¾f nf¯½½ f f° ¾ f½¾f¾n–n¾  °n¾  ¯f¯  ° ¾¾½ff ¾   ¯ ¾f¾  ½nf¯  f¾  ¾¾ –f°sf°f¯f °f¯ ° ¯f°¾   ¾nf   ½ ¾  ¾ ¾ °–n¾   ff¾f¯ ° nf¯½½ f   n  f¾f¾n¯½ y°nf¾°i¯ ¾½ff  ¯n¯°¾¯ °f n–j °¾f ¯f¯  ° ¾n°n¾ ¾½ff ¾  O  O O  O  O  I@     n ff f  €¯ff´°¯f  ¾ ¯f° ¾½ °¾h    ½ ¾ff¾¾¾y°nf  f°  ff½fn °  ¾½ ¾j n–j  °¾f     ff °fnf f  nf ½fn °  ¾n¯°f ¾°f  ¾f    ½n ¯ °¾°j I  €f ½½f–f° f ¾ ¾¾ s¾  n  ¯  ¾f¾ ©°f¾ € ¾ ¾½ nff ¾ fh f  °–nf    n–j °¾f  ° @xn°n ¯f  nff ¯f  nf ¾ ¾f¾½ ¾j  ¾½°¾f  f ½ ¯  ¾¾ ¾ ¾  f €¯f  f½ ¯¾f¾€°sµ ¾ ¾½ n€nf¾ ¾½° h½ f° ¾.

°¾ ¾  –°f¾  °–f n°€¯ f –¾fsj ¯–  @    ¾j –f ¾f¾  –¾f°.

 f¾ °¾n  °.

 ¯n©f©¾ sj  sf¯¾f¾f f ¾  ° f ¾ .

     $%¯f%  .

 @  $%¯ xn¯%  .

@.

  .

°¾ ¯   ¾€° f¯ °f¾ ¾½€¾¾°f¾°¾n¾     n f½€¾¾j¯f° ° n¯½f¯ ° –°   ¯f° fff ¾¾n° n¯ °¾½€¾¾°f¾ nf¾° n ¾¾h¾f½ ° ¾ ¯½ °   nn½€¾¾°f    f½ f¾f  ½ f –° f  ½fn °  I –f f¾ – ½€¾¾°f  I ½¯ f¾f n f° ¾ ¯½ ° ¾f¾€°sµ ¾ nf–¾  n f f°f  ° ½ ° ° ¯ °    n f½€¾¾j°¾ ½ n ½f   I f ff¾€nf¾n°nf¾ ¾½fn ° ¾ n°¾ f°  f¾ ¯f ½½  I f½°f€ff¾°¾ –f¯ °¾ °f¾°¯f¾ f¾°¾sµ ¾ ¯   f f f° f¾©–f° –°f¾½ff  nn f½€¾¾j   ½ © nf¾f½fn °   °  – ¾ ° ¾¾ ¾nf¾¾ f¾–j¾ n¯½  ° ¾  I½½–°f½ ff¯°f°fnf¾¾  O f ¾  ¾  f½hnf f¾ ¯½ ¯¯ nf°fsj f °–f¾f¯h  n°n fsj  O f¾¾¯ ¾½°¾f  f ½ ¾f¾½fnf ¾  O  ¾–f ff½fn f  ½fn °  f°  f ° ¯ °    n¯°nfsj f –fsj ¯ °–f n jf ¾½¾° ¾ .

 –     f f¾½€¾¾°f¾ff ¾ n¯¾xn°n¾ ¯½ ¾  °hf f ° °  n°¾ °h xn°n ¯– °  °f ff ½ ¾  °hf  ¯n¯f¾ f f¾ ½ ¾  °hf€f f°°n¾ ½½f–f° f¾½ n f  – ff ½ n ¯– f   ¾½€¾¾°f¾nf ¾° ¾ j½ ¯ f¾½½f–f° f¾ ¯ ¾f¾ ©°f¾ € ¾ ¾½ nff ¾  ¾   – f¾f¾n–µ ¾ °¾f¾  fn¯½f°f f¾  °¯  ½€¾¾°f f f  ¾  ¾½°¾h xn°n  °¯  °¾nsj °.

°¾  –°f  °–f    ¾½ n ¾ ¾ .

 –¾j  ¾ i°nf –ff ¾ffsj¾© fh °€f  ¯  f ¯  n¯  n°n ½fff°€fsj f° f  €¯f ¯¾¾f g¾¾ –° ¾½ °f¾½ ¾f¾°f– f °     f      f  y°nfn°€ °nf  ¯f¾ ¾ f      n °¾fn°€ °nf  ¯f¾ ¾ f      .

°¾f½ nf  ¯½ nfsj€nf   I  ¾½ °¾¾j   nn½€¾¾°f%°f% f¾   I  .

f¾¾fsj   nn½€¾¾°ff     €  ° ¯  .

°¾  f .

  x¯ f¾½ °f¾°  ¾n½°f ¾½ ¾f¾ f¯ x¯½ h¾ f½nf f½ °f ½ n°hff¾ €f f½ .

°¾  –°f f f f ° %¯f% %°  n°n%   ¾f ff° f  9fh–f€°n ¯nf¾  °n y°nf f½ °f ¯f¾ hf½nf f ¯     n¾j.

 $    ° °  n°¾ °h½f¾¾ff¾  ¾–°f ff    .

f–fhf¯°¯f ½ff¾    - €° f¯ °fn¯ ¾  ¾nf f ½ff.

    .

%$$% n¯ –¾f½f f nffsj n ¾ h½¾½f°  ½ h¾ ½–f f½¯f¾    °¾nsj½¾f¾ h €°fn¯f½ ¾ °fsj n €nf  f€nfsj    %$$%°¾nsj .

¾¯ ° ¾ h  fn¯n €nf  f€nfsj   ½ $$n€ –  n ¾¾ ¯$$  ½ $$ n¯ n¯  n ¾¾ ¯$$   n½ – $½f ¾$¯f°f¾$– ° ½ € n ¾¾ ¯$$   .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->