Você está na página 1de 12

COMPOSIÇÃO URBANA

(1850-1900)
baseado na obra de Inés de Madariaga Sánchez,
Introducción al Urbanismo, Conceptos y métodos de
la planificación urbana
CONTEXTUALIZAÇÃO:
Com a Revolução Industrial, nos séculos XVIII e XIX e a
criação de fábricas em cidades, a população de muitas cidades
européias e americanas começaram a aumentar rapidamente,
recebendo milhares de pessoas vindas dos campos (troca do
trabalho rural pelo trabalho na indústria). Isto fez com que
cidades da época ficassem superlotadas, sujas e barulhentas.
Muitas pessoas viviam em bairros que possuíam péssimas
condições sanitárias em cortiços, próximos às fábricas.

Como reação a cidade industrial aparece um discurso


esteticista, cujos principais representantes são:

-Corrente francesa
-City-Beautiful
-obra escrita de Camillo Sitte
Corrente Francesa
(século XIX - França)
Composição urbana, aparece na França
do século XIX como a representação
tridimensional de uma cidade ou de uma
parte de uma cidade concebida ou
desenhada de modo suficientemente
preciso como para permitir sua
construção.
City-Beautiful
(1900/1945 - EUA)
O planejamento de ostentação,
arquitetura como teatro, projeto para
causar impacto. Era a total concentração
no monumental e no superficial, na
arquitetura como símbolo de poder (Hall,
p. 236). Entre os projetos vinculados à
City Beautiful destacam o de Daniel
Burnham para Chicago (EUA) de 1908, e
o de Burley Griffin para Canberra
(Austrália) de 1912.
CHICAGO
Data: 1908
Autor do projeto: Daniel Burnham (1845/1912)
Diretrizes:
- Devolução da harmonia visual e estética à
cidade;
- Abertura de logradouros, remoção de cortiços
e ampliação dos parques;
- Fusão entre objetivos sociais e meios Vista aérea da cidade
estéticos. Fonte: www.wikipedia.org

Vista do centro financeiro e do litoral da cidade


Fonte: www.wikipedia.org
CANBERRA
Data: 1912
Autor do projeto: Burley Griffin (1876/1937)
Diretrizes:
- Influência do movimento cidade-jardim, o que
deu à cidade o título de "cidade arbusto";
- Metáfora teatral;
- Baseado na monumentalidade - "em Canberra,
tudo é excessivamente grandioso, nobre,
elegante, mas repousante" (Hall, p.229).

Fonte: www.wikipedia.org
O plano de Griffin – premiado em 1912
Fonte: Hall, Peter. Cidades do amanhã
Obra escrita de Camillo Sitte
(1889 - Construção das cidades segundo
seus princípios artísticos)

Foi um dos primeiros autores em reivindicar a


necessidade duma aproximação artística a
construção da cidade no contexto da Revolução
Industrial. Em seu livro chama a atenção para a
dimensão estética da cidade, ao considerá-la
como uma obra de arte e não um grande
artefato para atender necessidades
exclusivamente funcionais.
Precedente à obra de Camillo Sitte, o
grupo socialista esteticista britânico
representado por Morris e Ruskin havia
respondido contra os efeitos sociais e
estéticos da Revolução Industrial e levado
a recriação de uma cultura popular para
criação dos espaços urbanos inspirados
no passado pré-industrial, em particular o
medieval.
Nacionalidade: Austrália
Camillo Sitte
(1843/1903) Formação: Arquiteto e historiador da arte
Idéias:
- Defesa da preservação de centros históricos e cascos
urbanos antigos arrasados por obras viárias e de
saneamento.
- Concepção de cidade como obra de arte (enfatizando os
aspectos plásticos e estéticos das formas urbanas e
chamando a atenção para a construção de uma paisagem
pinturesca).
- Princípios compositivos e arquitetônicos medievais.
- Critica a rigidez e a falta de imaginação dos traçados
repetitivos dos planos de expansão alemães
(determinados por questões de infra-estrutura).
Obras:
- Construção das cidades segundo seus princípios
artísticos (1889)
- A arte de construir as cidades
Nacionalidade: Inglaterra
William Morris
Formação: Escritor e projetista
(1834/1896) Idéias:
- Seu discurso contribuiu efetivamente para a aparição da
visão esteticista.
- Não aceitação dos progressos realizados pela
industrialização e pelo urbanismo contemporâneo da
regularização, da inspiração técnica e de engenharia.
- Defensor do ideal socialista.
Obras:
- The Defence of Guinevere, and other Poems (1858); The
Life and Death of Jason (1867); The Earthly Paradise
(1868-70); The Story of Sigurd the Volsung and the Fall of
the Nibelungs (1876); The Roots of the Mountains (1889);
Notícias de Lugar Nenhum (1890); The Story of the
Glittering Plain (1890); The Well at the World's End (1892);
The Wood Beyond the World (1892)
Fundação: Movimento Arts and Crafts- Movimento artístico
Fonte: www.wikipedia.org
Irmandade Pré-Rafaelita (1848); Sociedade para Proteção
de Prédios Antigos
John Ruskin Nacionalidade: Inglaterra
Formação: Arquiteto e escritor
(1819/1900)
Idéias:
-Pensamento vinculado ao Romantismo - que enfatiza a
sensibilidade subjetiva e emotiva em contraponto com a
razão.
- Esteticamente, apresenta-se como reação ao
Classicismo e com admiração ao medievalismo.
- Na sua definição de restauração dos patrimônios
históricos, considerava a real destruição daquilo que não
se pode salvar, a restauração é a destruição do edifício, é
como tentar ressuscitar os mortos.
Obras:
- The Poetry of Architecture (1838); Modern Painters (1843); Modern Painters
II (1846); The Seven Lamps of Architecture (1849); Pre-Raphaelitism (1851);
The Stones of Venice I (1851); The Stones of Venice II and III (1853);
Architecture and Painting (1854); Modern Painters III (1856); The Harbours of
England (1856); The Elements of Perspective (1859); Modern Painters IV
Fonte: www.wikipedia.org (1860); Cestus of Aglaia (1864); The Crown of Wild Olive (1867); Time and
Tide (1867); The Flamboyant Architecture of the Somme (1869); Verona and
its Rivers (1870); The Eagle's Nest (1872); Love's Meinie (1873); Ariadne
Florentina (1873); Val d'Arno (1874); The Ethics of the Dust (1875); Mornings
in Florence (1877); Fiction, Fair and Foul (1880); Deucalion (1883); St Mark's
Rest (1884); Storm-Clouds of the Nineteenth Century (1884); Bible of Amiens
(1885); Proserpina (1886);- Praeterita (1889)
Bibliografia
• SÁNCHEZ, Inés de Madariaga, Introducción al Urbanismo,
Conceptos y métodos de la planificación urbana, Madri, Alianza
Editorial, 1999.
• LAMAS, José Manuel Ressano Garcia. Morfologia urbana e
desenho da cidade. São Paulo: Fundação Calouste Gulbenkian,
Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, 1993.
• HALL, Peter. Cidades do amanhã. São Paulo: Editora Perspectiva,
2002.
• Sitte, Camillo. Construção das cidades segundo seus princípios
artísticos. São Paulo: Editora Ática. 1992.
• www.wikipedia.org

Créditos
• Mayra Portillo M. e Josielle C.S. Rocha