1

Introdução
Prezado aluno.

A SOCIOLOGIA APLICADA À ADMINISTRAÇÃO: O OLHAR SOCIOLÓGICO SOBRE AS ESTRUTURAS E PROCESSOS ORGANIZACIONAIS
Adriana Marques Aidar

Neste capítulo, dedicar-nos-emos ao estudo da Sociologia das Organizações, que nada mais é que a vertente da Sociologia que investiga aqueles fenômenos que decorrem da estrutura das organizações na condição de sistemas especiais. Veremos, à frente, o que isso significa exatamente .

Este estudo será bastante útil em sua vida profissional, pois auxiliará a compreensão da dinâmica das relações sociais, das mudanças que ocorrem em nossa sociedade e no mundo e, principalmente, possibilita o entendimento de como estes fatos se relacionam e influenciam o ambiente das organizações.

Organização "conjunto das relações entre os membros de um grupo - e entre grupos - conformado com uma estrutura. O grupo organizado compreende valores, padrões, modelos e normas que embasam o comportamento de seus membros". (CASTRO, 2007, p. 49).

Buscaremos, para alcançar nossos objetivos de aprendizado, estabelecer correlações entre diversos conceitos e compreender algumas teorias da área sociológica que são aplicáveis ao ambiente organizacional. Também abordaremos as Ciências Sociais clássicas, analisando algumas contribuições de três de seus maiores expoentes: Émile Durkheim, KarI Marx e Max Weber. Por último, trabalharemos com a questão cultural e suas influências sobre as organizações e ainda o controle nos ambientes social e organizacional.

Objetivos
Ao concluir o estudo deste capítulo, esperamos que você esteja apto a: • • inferir a importância do estudo da Sociologia aplicada à Administração; identificar alguns dos pesquisadores mais importantes para a Sociologia e suas principais teorias; • compreender as idéias de controle social e organizacional; • analisar aspectos culturais de nosso país e correlacioná-los com a cultura organizacional como um todo; • relacionar as teorias criadas pelos mais importantes estudiosos da Sociologia com o estudo das organizações contemporâneas.

Esquema
1. Sociologia aplicada à Administração 2. As ciências sociais clássicas 2.1 Émile Durkheim 2.2 KarI Marx 2.3 Max Weber 3. Aspectos culturais brasileiros e cultura organizacional 4. Controle social e organizacional

1. Sociologia apiicada à Administração
Sabemos que o século XVIII foi particularmente importante para a história não só da Europa, mas de toda a humanidade. A Revolução Industrial se iniciou neste século e os efeitos da Revolução Francesa (que tem seu auge no final do século XVII) também foram sentidos neste período, marcando de forma irreversível a economia e a política das sociedades ocidentais. Ocorreram diversas e profundas alterações na conjuntura econômica e política, principalmente nos países europeus. Com o surgimento das máquinas, logo se provou serem elas meios mais rentáveis e mais produtivos que os trabalhadores, causando a demissão de milhares deles.
Revolução Industrial Processo iniciado na Inglaterra, em meados do século XVII, que se caracteriza pela passagem da manufatura à produção industrial, mecanizada, impulsionada pelas grandes inovações tecnológicas, principalmente.

para um mercado em expansão. SISTEMA DE CORPORAÇÕES (maior parte da Idade Média) Produção a cargo de mestres artesãos independentes. . _ . O trabalhador perde totalmente sua independência: não possui mais a matéria prima nem é dono dos instrumentos de trabalho. perde importância devido ao uso da máquina.. Em virtude disso.. para o seu próprio consumo e não para a venda: o trabalho não se efetuava com o objetivo de atender o mercado. Não havia no campo trabalho suficiente para a quantidade de pessoas que lá habitava. e sim o produto de sua atividade: era dono tanto da matéria-prima que usava quanto das ferramentas de trabalho. Conferiu o poder poiítico à burguesia. mas em relação à matéria-prima e á venda da produção dependiam. por essa razão. um resumo das sucessivas fases da organização industrial desde a Idade . Entretanto. passando a exigir qualificaçao e especializaçao dos funcionários. em seu lar-oficina. oficiais ou diaristas) para atender a um mercado pequeno e estável. pois se não havia sequer onde acomodar as pessoas. p. Veja no quadro 1.No início. A habilidade do trabalhador. quando foram estudadas e analisadas por .. Permaneciam como proprietários de seus instrumentos de trabalho. logo as máquinas tornaram-se cada vez mais complexas. quejadetmliapoder econômico. causando um grande êxodo rural. " . volta-se para as grandes fábricas. não mais se exigem qualificações específicas (contrastando com as habilidades artesãs) e. Revolução Francesa ocorrido no finai do século xvii. . de um intermediário. em estabelecimentos pertencentes ao empregador. há grande aumento populacional nas cidades que não possuíam infraestrutura que comportasse todas aquelas pessoas. O trabalhador não vendia seu trabalho. A diferença fundamental é a perda da independência dos mestres. certamente as condições de saneamento básico eram precárias também. Unindo-se este fator estrutural com os muitos desempregados. 125) Outra conseqüência direta do aumento cada vez mais expressivo da industrialização é o fato de que a sociedade. Quadro 1: Fases da organização industrial SISTEMA FAMILIAR (princípio da Idade Média) Produção realizada pelos membros da família. para mercado cada vez mais amplo e oscilante. existia nas fábricas o trabalho de adolescentes e crianças. mas o capital torna-se cada vez mais importante. Fonte: Huberman (1986. temos um quadro de miséria... _ . a produção era realizada pelo mestre-artesão e seus ajudantes. As grandes modificações ocorridas durante os séculos XVII e XVIII mantiveram seus efeitos ao longo do século XIX. às vezes. a seguir. com as máquinas rudimentares e de fácil manejo. sob rigorosa supervisão. objetivando mudanças profundas na estrutura da sociedade francesa. até então essencialmente agrícola. até certo ponto.. com poucos auxiliares (aprendizes. Media aos nossos dias. de aumento da criminalidade e da propagação de doenças. . SISTEMA FABRIL (do século XIX até nossos dias) Produção realizada fora do lar. SISTEMA DOMÉSTICO (entre os séculos XVI e XVIII) À semelhança dos sistemas de corporações.

A crise econômica e sociai iniciada em outubro de 1929 arruinou os Estados Unidos. a questão climática e a globalização e seus efeitos. neste momento. econômica. sondagens estatísticas etc. os industriais fecharam as fábricas.294 no ano seguinte. que possuíam interesse em decifrar os fenômenos sociais pelos quais haviam passado ou que ainda estavam acontecendo. e 2. Fenômeno social É produto da interação que se concretiza numa configuração . refletindo as pesquisas de vários intelectuais daqueie tempo. • as inovações tecnológicas e suas influências na configuração do emprego. p.alicerçado em valores e padrões. Temos. um pequeno relato para que você possa verificar quais foram estes acontecimentos. que tem por objeto quer a descrição sistemática de comportamentos sociais particulares (socioiogia do trabalíio. O século em que vivemos também está repieto de grandes mudanças. 9). modelos e normas vão sendo substituídos em razão dos interesses e necessidades. estão: • o fato de as necessidades do mercado ditarem os rumos políticos das nações (em razão de uma política cada vez mais neoiiberal. 28).ambiente físico. complexo cultural. Obrigados a abrir falência. mas também as contínuas transformações e respectivos fatores (CASTRO. conectada com os papeis sociais dos participantes. O presidente Roosevelt foi eleito presidente dos Estados Unidos em 4 de março de 1933. De março a junho de 1933.grandes pensadores. socioiogia reiigiosa etc. em que se consolidavam as sociedades capitalistas.13 milhões de homens e mulheres quatro anos mais tarde. ou seja. quando órgãos federais vão empregar milhares de pessoas. alterações nas reiações sociais são normais e dinâmicas por natureza. Entre os acontecimentos que influenciam diretamente as organizações e sua conjuntura. bem como á insatisfação com o tipo de estrutura vigente" Ou seja. O método não . um quarto da população ativa. p. Socioiogia é a "ciência dos fenômenos sociais. e segundo o que nos diz o professor Celso Antônio Pinheiro de Castro (2007.352 em 1930. 659 bancos fecharam suas portas em 1929. então. o Estado reduz bastante a sua função de regulador da economia). o inicio da intervenção estatal na economia. política. que visa a integrar todo fato sociai no grupo em que se manifesta. Esses acontecimentos não formam uma lista exaustiva.). apenas mostram alguns de seus fatores.) e a constituição de modelos descritivos de origem matemática". inúmeros projetos invadem o Congresso. com o intuito de movera economia. momento liistórico . e que tem como método a observação (análise objetiva. "no decorrer do tempo. padrões.5 milhão de americanos em 1929. cultural. O surgimento da Sociologia como ciência é reflexo direto dessa série de acontecimentos e de uma conjuntura especialmente favorável. 2007. 1. objetivando uma finalidade psicossocial. Façamos. tendo em vista não só a estabilidade estrutural. quero estudo dos 'fenômenos sociais totais'. O desemprego atingiu índices astronômicos: 1. os vaiores. Sociologia Segundo o dicionário Auréiio. que resultam de uma série de acontecimentos do século XX.

1) . considera-se que a palavra transnacional expressa melhor a idéia de que essas empresas não pertencem a várias nações (multinacionais). de forma suficiente para garantir o pleno emprego. seguros bancários. O conjunto de idéias da intervenção estatal foi aumentado com o sistema de seguridade social. O objetivo do keynesianismo era manter o crescimento da demanda em paridade com o aumento da capacidade produtiva da economia.se limita aos cem dias do programa. Por esta razão. houve um longo período de crescimento contínuo do capitalismo em virtude da expansão das empresas denominadas na época multinacionais. o keynesianismo sofreu severas críticas por parte de uma nova doutrina econômica: o monetarismo. os economistas têm adotado argumentos monetaristas em detrimento daqueles propostos pela doutrina keynesiana. que nasceu em 1935. mas a partir da década de 1960 os índices de inflação foram acelerados de forma alarmante. Keynes acreditava que a economia seguiria o caminho do pleno emprego. As manobras tiveram sucesso e a economia dos Estados Unidos se recuperou. encontraremos uma definição bem simples para uma teoria que surgiu em 1936. considerando. mas sem excesso. pois isto provocaria um aumento da inflação. p. as negociações dos sindicatos com os empresários por aumentos salariais. o pleno emprego e o nível de vida crescente alcançados nos 25 anos posteriores à II Guerra Mundial foram seguidos pela inflação. Keynesianismo é um conjunto de idéias que propunha a intervenção estatal na vida econômica com o objetivo de conduzir a um regime de pleno emprego. Após a II Guerra Mundial. De acordo com EconomiaNet (2010. É como se os Estados Unidos procurassem compensar seu atraso em relação às pesadas administrações européias. mas sim que atuam além das fronteiras de seus países de origem. comitês e serviços para assegurar a aplicação da lei. As teorias de John Maynard Keynes influenciaram na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado. Os keynesianos admitiram que seria difícil conciliar o pleno emprego e o controle da inflação. sendo o desemprego uma situação temporária que desapareceria graças às forças do mercado. Ou . principalmente depois da segunda guerra mundial. Em quase todos os países industrializados. denominada de Keynesianismo. Na década de 1970. esse crescimento foi abalado pela crise do petróleo. no entanto. impostos e extração do carvão. Hoje. sobretudo. A partir do final da década de 1970. com as leis sobre o aluguel. foram tomadas medidas que evitassem o crescimento dos salários e preços. Cada medida envolveu a criação de secretarias. Na década de 1970.

Se a Sociologia estuda e procura compreender fenômenos e relações sociais existentes em dado ambiente. Além disso. a crise foi seguida pela onda inflacionária que surpreendeu os chamados "estados de bem-estar social". A crise do Estado de bem-estar é um tema de difícil consenso entre os estudiosos. nos Estados Unidos. a economia e seus elementos é que têm ditado os rumos do mundo. Nos países industrializados ocidentais. de 1980. o Estado inglês e o americano passaram a preservar a ordem política e econômica. dispondo de poder de pressão suficiente para direcionar as políticas públicas dos países. básicas) e a iivre concorrência são tipod^pensame^^^^^ Essas teorias ganharam força depois que os conservadores foram vitoriosos nas eleições de 1979 no Reino Unido e. com o intuito de tornar mais leve a administração. uma redução da ação do Estado na economia. As empresas deixam afinal de possuir um papel meramente econômico e passam a ser vistas como elementos de garantia da estabilidade social. deixando as empresas privadas livres para investirem como quisessem. Defendiam. balanças comerciais negativas e inflação. pois agora liavia déficits públicos. pode-se imaginar que a Sociologia aplicada às Organizações é a vertente que possui as ferramentas necessárias para compreendê-los dentro do ambiente empresarial. pensamento econômico Neoiiberaiismo É uma escola de CU d6f6nd6 3 I6 intervenção mínima do Estado na economia merrado tem^ otenci^ '"pa'^ se autorreguíar As privatizações (para o Estado mais leve e com condiçoes de cuidar das atividades Os economistas partiam da idéia de que o governo já não podia mais manter os pesados investimentos que liaviam realizado após a II Guerra Mundial.seja. . o neoliberalismo gradativamente entrou em cena. por parte dessa ciência. dessa forma. diminuindo os encargos das empresas com o fim de uma retomada do crescimento. A partir daí. em investigar o referido ambiente. os Estados passaram a desreguiamentar e a privatizar inúmeras atividades econômicas antes controladas por eles. os primeiros sinais da crise estão relacionados à crise fiscal provocada pela dificuldade cada vez maior de liarmonizar os gastos públicos com o crescimento da economia capitalista. E é natural imaginar que há extremo interesse. pois como já foi dito.

propostas. para atingir a organização e suas relações com o ambiente. intenções preestabelecidas. que teve seu início em setembro de 2008. então. porque todos os dias existem outras formações. Veremos a seguir que os trabalhos desenvolvidos por alguns dos maiores estudiosos da Sociologia exercem influência e impacto no domínio de estudo da Sociologia aplicada à Administração. proceder. sobre 08 principais países industrializados. Verifique como o papel das organizações neste processo foi crucial. p. considerando o sistema social em suas manifestações morfológicas e significações funcionais" Os temas que a compõem: podem ser analisados tomando a organização como elemento polarizador e. p. dada sua natureza científica. administração-execução. 36). o trabalho consiste em estudar metódica e sistematicamente a realidade. segundo Castro (2007. Escreva suas conclusões e compartilhe-as com seus coiegas no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA). ao estudo dos elementos e funções que a integram. agravando problemas sociais. para um bom administrador é preciso estudar sempre a empresa onde trabalha. Isso não pode ser um estudo único na história da empresa. 36). Segundo Oliveira (2006. (CASTRO. Com a quebra de tantas empresas.Saiba mais Pare por um momento e reflita sobre o impacto da última crise econômica. a Sociologia aplicada à Administração seria. 2007.213). a questão cultural dentro e fora das organizações e a questão do controle social e organizacional. técnica-qualificação. Sem emprego. Veremos também mais detidamente duas aplicações práticas. . Aiemaniia. Podemos trabalhar também a partir das relações capital-trabalho. Quando se fala de intervenção sociológica. sob o ponto de vista sociológico e psicológico. p. Inglaterra e Japão. inserindo-as no contexto que lhe é próprio. essas pessoas deixaram de consumir e de movimentar a economia de seus países. miiliões de pessoas perderam seus empregos. com novos funcionários. o ramo que "estuda as organizações e os papeis que as integram. conhecendoosgruposformaiseinformaisdentro da organização. procurando descobrir as tendências de manutenção estrutural e de mudanças. Não cabe à Sociologia justificar idéias. produçãoconsumo. especificamente Estados Unidos. Por definição. novos conflitos e novos comportamentos.

irá apontar tendências. esgotar o assunto. org/wikipedia/ connnnons/2/24/ Emile_Durkheim. aproximando-as da realidade dos estudos de Sociologia Aplicada sem. As ciências sociais clássicas Nesta seção.jpg>. no máximo. Por fato social ele define Figura 1: Émile Durkheim. 2. 2.1 Emile Durkheim Émile Durkiieim (1858-1917) é considerado como um dos pioneiros do estudo da Sociologia como ciência independente e dedicou-se a estudar os fenômenos mais marcantes do século XIX. seus processos e conseqüências para a organização dos grupos sociais da época. ou seja. Fonte: Disponível em: <http://upload. Acesso em: jan.Vale ressaltar que o emprego da Sociologia não dará soluções prontas aos problemas organizacionais. estudaremos o pensamento sociológico e aigumas das grandes contribuições de Émile Duri<heim. Trata-se de um estudo científico e metódico que busca a comprovação de liipóteses e que. wikimedia. entretanto. A decisão acerca do caminlio a ser tomado será sempre do administrador. a influência que possuem sobre nós. Parada obrigatória Leia com atenção essa definição de fato social e reflita sobre como isso acontece. desenvolveu um método científico que garantia a ele as condições necessárias para a investigação dos fenômenos sociais. KarI Marx e Max Weber. 2010. Divida suas conclusões com seus colegas no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA)! . Duri<heim analisava com seu método os fatos sociais e sua força coercitiva. Para tanto. Nosso objetivo é fornecer a você um apanhado dessas contribuições.

Agora fica mais fácil compreender o interesse de Durkheim no estudo destas instituições. produzem. Entretanto. têm poder coercitivo.impõem-se ao indivíduo. que. por nosso enquadramento no conjunto de normas e valores que regem a sociedade em que vivemos. afinal. Se não queremos estudar. os mesmos efeitos que uma pena propriamente dita (DURKHEIM. • coercividade . mesmo imperceptivelmente. o afastamento em que os outros me conservam. por exemplo. da escola e também das organizações nas quais trabalhamos. 1990. ao me vestir. portarmo-nos.os fatos sociais precedem a existência do indivíduo e a ele sobrevivem. O que nos é mostrado com clareza neste trecho é que um fato social não é coercitível apenas porque está previsto em uma lei que possua uma pena aplicável ao seu descumprimento. mas estamos sujeitos a causar estranheza ou mesmo ser banidos do convívio da sociedade. enfim. Algumas instituições determinam modos de conduta em sociedade. desobedecer as regras. por exemplo. a Igreja. não queremos tomar banho. Recebemos. vestirmo-nos. orientações da família.) se. a família. . anteriores e exteriores a todos os indivíduos e ditam como devemos nos comportar para permanecermos adequados a tais códigos de conduta.o s fatos sociais são características gerais de determinada sociedade ou grupo e a eles dão uma feição particular.. ou seja. que em sua maioria são tidos como obrigatórios. Da definição de Durl<heim. Os fatos sociais são gerais (aplicam-se à grande parte da sociedade). mesmo contra a sua vontade. precisaremos lutar contra elas. Os fatos sociais estão intrinsecamente ligados aos costumes morais e usos da sociedade. determinam como devemos agir. somos submetidos às suas normas. podemos concluir que o fato social tem características específicas de: • exteríorídade . embora de maneira atenuada. Observe um exemplo de Durkheim da influência dos fatos sociais sobre o quotidiano das pessoas: (.Vivendo em sociedade. 2). como a escola. mesmo que não o sejam. podemos. falarmos de modo diferente de todos na nossa comunidade.. • generalidade . não levo em consideração os usos seguidos em meu país e na minha classe. elas norteiam vários aspectos de nossas vidas e são diretamente responsáveis por nossa socialização. o riso que provoco. e podemos vencê-las ou não. Perceba que os fatos sociais apresentam características que são exteriores ao indivíduo. p. são impostos.

mas provavelmente iremos à falência". Pode-se inferir. aspirações de um novo ideal". a lei não nos punirá. a seus colaboradores novas condutas e valores a serem seguidos. se não usarmos as modernas técnicas para vencer nossos concorrentes. combinado a sua ação e que desta combinação se tenha depreendido um produto novo que vem a constituir um fato social. Em Lakatos. . até mesmo os valores relativos à vida . por exemplo. p. pelo menos. Se até alguns anos atrás esse era um conceito distante. a clonagem humana. Por isso é que até mesmo 'os atos qualificados de crime não são os mesmos em toda parte". No mundo dos negócios. 72). em sociedades tradicionais. tomando o lugar das idéias aceitas. hoje já faz parte dos objetivos a serem alcançados pelas empresas. apresentam-se comportamentos inovadores. (BARBOSA. que devem ser éticas e alinhadas com os valores da empresa. Assim. Marconi (1995. 2007. p. códigos de conduta e as relações sociais internas às organizações.novas tecnologias e processos de gestão. que a compreensão dos fatos sociais pode em muito auxiliar a analisar os comportamentos. QUINTANEIRO. a pena de morte ou a eutanásia . e as instituições são passíveis de mudança desde que vários indivíduos tenham. valores. pode vencer os obstáculos e impor-se.isso não significa que a única alternativa para o indivíduo seja prostrar-se impotente diante das regras sociais ou viver permanentemente consciente da pressão dos fatos sociais. A ação transformadora é tanto mais difícil quanto maior o peso ou a centralidade que a regra. consequentemente. Observe a idéia de responsabilidade social coorporativa. os inovadores enfrentam maiores e às vezes insuperáveis resistências.podem ser postos em questão. em novos códigos de conduta para os empregados. 65). refletindo-se. uma proposta pedagógica que esteja em conflito com a concepção de educação de seu tempo por conter "tendências do futuro. inclusive. que passaram a ser exigidos e avaliados em suas posturas. adaptando-se (inovando . por exemplo. a crença ou a prática social que se quer modificar possuam para a coesão social. impondo. vamos encontrar um exemplo que se enquadra bem em nosso estudo: "as sanções podem ser também indiretas. Apesar da existência de dificuldades impostas por um poder contrário de origem social. portanto. Enquanto nas sociedades modernas. desenvolvendo novos valores) conforme a necessidade de se adaptarem às mudanças que acontecem no ambiente onde estão inseridas. OLIVEIIRA. Durkheim via as organizações como participantes de um processo de evolução continuado.o aborto.

Figura 2: KarI Marx Fonte: Disponível em: <http://upload. a sociedade divide-se em infra-estrutura e supraestrutura. A infra-estrutura é a estrutura ecxsnômica. religião.org/wikipedia/ commons/5/50/Marx_ color2. Independentemente da sociedade a ser considerada. contribuiu para o desenvolvimento da Sociologia por meio de suas investigações acerca das grandes modificações que estavam ocorrendo em toda a sociedade capitalista da época. o segundo. A supra-estrutura divide-se em dois níveis: o primeiro. 1995. detentores da força de trabalho. de antagonismos como estes. Sendo a infra-estrutura determinante. é formado pelas normas e leis que correspondem à sistematização das relações já existentes.).2. um filósofo social e economista alemão. p. ferramentas. defende seus interesses. wikimedia. arte. Acesso em: jan. formada das relações de produção e de forças produtivas. pois ele apresentou uma nova forma de analisar os acontecimentos. Quantos antagonismos você consegue lembrar? Discuta-os com seu professor e seus colegas no AVA. . toda mudança social se origina de modificações nas forças produtivas e relações de produção (LAKATOS. 45). A contribuição dada por Marx para as ciências sociais é de extrema importância. para compreender as alterações pelas quais a sociedade historicamente já havia passado.1883). existem nela lutas entre grupos com pontos de vista diferentes no intuito de se imporem uns sobre os outros. matérias primas e ainda o espaço físico) e a classe dos proletários.jpg>. através de sua ideologia. ao longo da história.2 KarIMarx KarI Marx (1818 . partindo do estudo dos conflitos entre a classe burguesa. 2010. etc. é formado por um conjunto de idéias de determinada classe social que. a estrutura ideológica (filosofia. a estrutura jurídico-política. Parada obrigatória Faça uma pausa e procure lembrar. Para Marx. detentora do capital e dos meios de produção (maquinário. justificativa do real.

Veja que. a idéia é que aqueles sociedade" (LAKATOS. isso acontece de forma imperceptível. Tempos mais tarde. não configuram um processo fácil. segundo ele. consenso de opinião do Além disso. o status . deixa os proletários sem escolha. . os meios de produção continuariam nas mãos dos burgueses. Portanto. Marx enfatiza que estas rupturas. As relações de dominação costumam perdurar no tempo e juigarnerito coietKra^^ isso ocorre em razão de uma série de fatores conjunturais. 91). após a burguesia tomar o poder. também os proletários possuiriam condições de destruir o capitalismo como estava posto. . Em suas análises. Para Marx.. tê-los como seus. status "lugar ou posição que a pessoa ocupa na estrutura social. nunca conseguirá melhorar de vida. para ele. que passam a MARCONI. 1995.Perceba que nem sempre o grupo que figura em dado conflito como polo mais fraco ou como o grupo revolucionário estará sempre nesta condição. Considerando que. assim como aconteceu com a burguesia em relação ao feudalismo. Os proletários trabalhavam em troca de um salário que. que estava à venda. uma nova classe ocupará a posição de dominada e dará origem a mais uma relação de conflito. desde que adquirissem consciência de classe. agora os proletários se viam livres para oferecer seu trabalho a qualquer patrão e podiam vender sua força de trabalho como achassem conveniente. x j . fica fácil imaginar que não houve grande resistência por parte deles em aceitar seu novo destino: usar sua força de trabalho em troca de sustento para si e para sua família. a classe dominante estrutura a vida da grupo. na época. na maioria esmagadora das vezes. . para que isso aconteça. se antes os servos ou camponeses estavam presos às terras de um senhor feudal e a ele deviam sua lealdade. pois a não ser que ele trabalhe. ao contrário. Outro ponto que Marx defendia era o fato de que. ao tempo das lutas contra os senhores feudais foi caracterizada como o grupo que almejava o poder para desenvolver uma nova sociedade na qual os homens teriam condições de enriquecer em razão de seu trabalho e esforço — na época feudal a divisão de classes era estanque. seria servo para o resto de sua vida. Veja que. não havia mobilidade social e se caso o homem nascesse na condição de servo. ao dignificar o trabalho como único meio de alçar degraus na escala social.x S a posição e m função sociedade de modo que seus discursos e pontos de vista ^os valores correntes da não sejam questionados. esse era o grande desejo dos proletários. estas alterações no status de um grupo ou classe social ®rn detrimento de outro. era sempre menor em relação ao quanto era trabalhado e á quantidade de riquezas geradas por eles. mas logo se percebeu que ainda que muito trabalhassem. . isso não significava uma evolução e sim a transformação dos proletários em mais um tipo de mercadoria. p. Segundo o pensador. que . a burguesia. É o caso da própria burguesia. ou seja. . não é preciso o uso de violência como meio de imposição. que. valores sejam incorporados pelas pessoas.

foi jurista. Se são as atitudes que explicam a conduta social.jpq. Figura 3: Max Weber. faz-se necessário pesquisar a natureza e a operação desses fatores.oro/wikipedia/ connmons/1/16/ Max Weber 1894. que seriam as condutas humanas. em que há sempre um antagonismo entre grupos dominantes e grupos dominados. A Sociologia. Segundo Castro (2007. A idéia é reunir condições para analisar. mesmo sendo extremamente diferentes entre si e possuindo objetivos de vida díspares. Ao estabelecer que as relações que compõem as sociedades são relações desiguais. ocorrendo influências recíprocas". economista e se dedicou ao estudo da Sociologia. atribuem significado. é uma ciência que tem por objeto compreender claramente a conduta humana e fornecer explicação causai de sua origem e resultados. investigar quais os fatores que o alimentam e desenvolver formas de alcançar um equilíbrio harmônico entre as forças envolvidas. como seus fornecedores ou o governo. 67). também procurou interpretar e compreender os fenômenos da época em que viveu (final do século XIX). na interpretação de Weber. as relações de conflito dentro das empresas. às quais os sujeitos. Weber "considera que a ação humana é social à medida que. levando-se em consideração. wikimedia. 2. Acesso em: jan. O que afinal mantinha o equilíbrio da sociedade? O que ou quem era responsável por legitimar a ordem que estava posta e a forma como estava colocada? Retomaremos este pensamento um pouco mais à frente. Weber. serem estas atitudes afetadas ou modificadas por motivos e ações de outros indivíduos. p. mas veremos que a vertente escolhida por ele é diferente daquela escolhida pelos outros dois. A partir do momento que os proletários conseguissem estabelecer o valor de seu trabalho não mais estariam sujeitos à dominação. aquelas que se estabelecem no interior das organizações ou externamente. Interessava a ele entender como era possível que os indivíduos estabelecessem relações entre si. como as referentes às organizações e seus parceiros. principalmente. O autortambém se preocupou em verificaros tipos de ações sociaisque compunham uma sociedade. como por exemplo.3 Max Weber Max Weber(1864 -1920) nasceu na Alemanha. em função do significado subjetivo dado pelo(s) indivíduo(s). Padrões . mantendo a estrutura da sociedade. como Durl<heim e Marx. por exemplo. Marx abre a possibilidade de investigarmos outros tipos de relações de acordo com esse ponto de vista. cada um leva em conta o comportamento dos outros. 2010.defendessem seus interesses e estivessem cientes de seus direitos. Fonte: Disponível em http://upload. como agentes destas ações.

1995.relacionado com a moral. caracterizando uma ação impulsiva. Assim.219). precisamos falar brevemente acerca de poder e de dominação. podemos analisar a sociedade como um todo" (CASTRO. por exemplo ação política. 2007. exemplificando o ciúme entre os membros de um casal. Pode-se acatar o poder por diferentes razões. Ao estabelecer estes quatro tipos de ações sociais. Considerando o que mostramos até agora acerca da tipologia das ações sociais. por exemplo. • afetiva .possui uma finalidade prévia. o poder refletiria "toda oportunidade de impor sua própria vontade. A dominação foi definida por Weber como a possibilidade de encontrar obediência a uma ordem determinada. até mesmo contra resistências. . 69-70). as motivadas pelo hábito e as afetivas. que auxiliariam a compreensão da realidade social: • racional com relação a valores . no interior de uma relação social. MARCONI. até mesmo as religiosas.ditada pelo humor ou estado de consciência do indivíduo. a legitimidade implica a aceitação do exercício do poder. MARCONI. • racional com relação aos objetivos . (LAKATOS. Para tratar de legitimidade. p. 68). 1971. pois este corresponde aos valores citados por todos os subordinados (LAKATOS. mas de forma combinada. • tradicional-guiada por valores culturais que são absorvidos pelos indivíduos e considerados como naturais e inerentes ao comportamento. uma conduta ligada à manifestação religiosa. Poder seria a capacidade que o indivíduo ou grupos de indivíduos têm de provocar a aceitação e o cumprimento de uma ordem. pois ambos os conceitos figuram no cerne da questão. ele quis determinar tipos ideais que pudessem auxiliar a análise dos fenômenos sociais. pouco importando em que repouse tal oportunidade" (WEBER. p. Weber dividiu as ações humanas em quatro tipos ideais.e categorias de validade sociológica revelar-se-iam através da atividade do indivíduo em suas relações com outras pessoas. 214). p. visto que estas ações não são encontradas em sociedade nesta divisão tipológica pura. Weber acreditava que "com base em qualquer tipo social. 1995. relacionada. p. quem dita o comportamento é o grupo social no qual o indivíduo está inserido. vale retornar á questão da legitimidade sob o seguinte aspecto: como legitimar as ações de dominação estabelecidas por homens sobre outros homens? Weber busca aproximar o estudo da dominação e das ações sociais investigando relações econômicas e políticas que os indivíduos estabelecem entre si cotidianamente.

aferrado á comunidade de interesses de todos os funcionários integrados neste mecanismo que querem a continuidade de seu funcionamento e que persista a dominação exercida na forma de relações associativas. um referente aos dominantes e outro aos dominados que sofrem a imposição do poder. um modo de administrar extremamente eficiente.relacionada à obediência de estatuto. com as devidas adaptações.. disciplina. Segundo Weber. particularmente ao nosso estudo.) está encadeado á sua atividade com toda sua existência material e ideal (. ou ainda de organizações de natureza privada... Interessa.aquela estabelecida em virtude da crença na santidade das ordenações e dos poderes senhoriais anteriores ao indivíduo. p. cuja eficiência era inquestionável no alcance dos fins pretendidos pela administração. Tal configuração representaria. regulamentação ou normas.).o conceito de dominação weberiano implica. . • dominação tradicional . Weber ainda estabeiece aiguns tipos de dominação para a meliior compreensão do tema. É a forma mais racional de exercício de dominação. 1999. das ordens prescritas e na competência dos que foram cliamados a exercer aquele poder.. na existência de dois polos. no que o estudo da proposta weberiana é atual.. quais sejam: • dominação legal . cria-se uma forma praticamente inquebrantável das relações de dominação. intensidade e extensibilidade dos serviços. necessariamente. O funcionário individual não pode desprender-se do aparato do qual faz parte (. porque nela se alcança tecnicamente o máximo de rendimento em virtude de precisão. as ordens estatais das sociedades ocidentais modernas eram desdobramentos da "dominação legal" e a legitimidade dessas ordens depende da fé na legalidade do exercício do poder. especialmente selecionado para a função) deveria seguir uma rígida divisão e distribuição de funções de acordo com os regulamentos e a hierarquia estabelecida. segundo ele. a empresas capitalistas. rigor e confiabilidade. Weber. • dominação carismática . Para Weber.)Toda nossa vida cotidiana está encaixada nesse quadro (WEBER. E por tudo isto está.em razão de devoção efetiva à pessoa a quem se obedece e ao seu poder intelectual. a burocracia devia configurar um sistema no qual o grupo dos funcionários públicos (grupo constituído de pessoal especializado.. e aplicabilidade formalmente universal a todas espécies de tarefas(. um desdobramento da dominação legal. ainda que contra a vontade. continuidade. Citando-o: onde quer que a burocratização da administração tenha sido levada consequentemente a cabo. podendo ser aplicado. sobretudo. chamado de dominação burocrática. 145). viaoprocessodeburocratizaçãocomoindispensávelparaodesenvolvimento de uma nação. por exemplo.

como foi exposto no inicio deste topico. tanto ao aparelho do Estado quanto aos políticos e seus partidos. disciplina. Termo surgido no século XVIII servia para dar nome à estrutura da administração do Estado. sendo difícil a tarefa de improvisar uma instituição substitutiva. burocracia no andamento dos serviços públicos.222). os Morosidade e exigências assuntos aqui tratados não se esgotam no que foi no desempenho ^ ^ ^ dos serviços apresentado. . . p. não podem nem prescindir de um aparato de dominação burocrático. que se refere como ruim a tudo que é burocrático. caracterizada pela centralização. "Forma de organização. por sua vez. p. já no século XX. 123). indistintamente e os indivíduos deveriam pautar suas ações por esta estrutura. uma vez existente. que é o conceito de nivelamento social. especialização técnica com divisão do trabalho e firme preparo para exercer determinadas funções habituais e dominadas com destreza. 1999. é recente e nada tem a ver com o sentido original. . /PeiotBtIvo: Veja que. divisão do trabalho. Burocracia ®®^Au?éiio díungSa Portuguesa.295).Os dominados. Se este aparato suspende o trabalho ou é forçado a fazê-lo. estabilidade" (CASTRO. carreira. pois o acesso a seus aparatos deveria ser igualitário e as normas deveriam também valer para todos. hierarquia. o termo ganhou ares de crítica.. podendo ascender socialmente sem depender da preferência pessoal de superiores ou de possuírem ascendência aristocrática. composta pelos funcionários públicos responsáveis por salvaguardar os interesses públicos. regras. a partir dos dominados. no intuito de mantêla já que a eles interessaria a existência de um mecanismo racional de regulação comum. /A classe dos fiinclonárlos públicos. A conotação pejorativa. os homens seriam levados a um estado de igualdade de condições. a conseqüência é um caos. 2007. Este autor parte de todos esses elementos para conceber uma idéia que é essencial na compreensão deste modelo administrativo proposto por ele. Ao adotar o sistema burocrático. nem substituí-lo. porque este se baseia numa síntese bem-pianejada de instrução específica.. para vencê-lo (WEBER. Cada um destes pensadores representa púbiicos"(i986. Importante! É importante saber que o termo "burocracia" não possuiu sempre uma conotação ruim. Aburocracia haveria de nivelar os indivíduos. autoridade. p. Mais tarde.

3. sempre constantes e que exigem respostas rápidas tanto de empregadores quanto de empregados. /Terreno cultivado: a extensão das culturas. as últimas décadas foram marcadas por inúmeras alterações de cunho econômico. J1 j consenso sobre o significado exato do termo. cie vegetais cultivados: Art^de^u^a^ certas produções naturais: a cultura (S?cbnário°Auréiií°da Língua Portuguesa 1986.uma vertente diferente do estudo da sociologia. Como se sabe. político. /Desenvolvimento de certas espécies microblanas: caldo de cultura. 508) Segundo José Luiz dos Santos (2007). desde o final do século XIX. por exemplo. junto com ela. Outro fator que determinou grandes guinadas foi o das inovações tecnológicas. apesar disso. diretamente afetadas por estas mudanças. não se pode considerar nada do que é cultural como imutável. Há muito mais critérios para direcionar a gestão dos negócios do que meramente a obtenção de lucro. preciso ser ético e sustentável. hábitos e crenças que são adquiridos ao longo do tempo e que recebem o sentido que os homens dão a siss.• r . /Categoria Cultura Se o significado principal do termo cultura é relacionado a cuitivo. possuem grande diversidade de traballios. antropólogos têm elaborado inúmeros conceitos de cultura e. e todos eles foram extremamente importantes em seu tempo e continuam sendo. social e cultural e as organizações foram. . Observem que mesmo o conceito de cultura é amplíssimo. podemos dizer que a cultura de um povo é um conjunto de valores. como toda a sociedade. até os dias de hoje não se chegou a um . maneira de cultivar a terra ou plantas. Veja aqui um exemplo interessante: a invenção da máquina a vapor desencadeou a Revolução Industrial e. que pode ser analisado sob vários enfoques. Hoje é. teorias. cuitivo: a c u tura das f l o r e s . pois a cultura é parte integrante de uma realidade na qual a mudança é um aspecto inerente e fundamental.j J. Aspectos culturais brasileiros e cultura organizacional Eva Lakatos nos mostra que. p. Espero que você possa ter avaliado o quanto estes estudos estavam à frente de seu tempo e o quão podem ser considerados atuais e aplicáveis ao nosso cotidiano. e como se sabe que é preciso esperar para colher. uma série de acontecimentos que possuem efeitos até os dias de hoje! .

as inovações científicas e tecnológicas. complexos. Tais variações são o que chamamos de subculturas. porque uma subcultura não estará necessariamente ligada a um determinado espaço geográfico. uma subcultura identificar-se com determinada área cultural" (LAKATOS. Trata-se de: um meio peculiar de vida de um grupo menor dentro de uma sociedade maior. o que é mais raro. Acultura. é constituída de manifestações individuais e de grupo. padrões ou toda uma cultura. Até em Minas Gerais. as depressões econômicas. embora os padrões da subcultura apresentem algumas divergências em relação à cultura central . O aumento ou diminuição das populações. guerras). por exemplo. de sua dimensão geográfica. MARCONI. assim como as organizações. O Brasil possui uma variedade imensa de características culturais regionais que estão integradas em uma base única que é chamada de cultura brasileira. Mudança é qualquer alteração na cultura. São fatores como estes que podem proporcionar os elementos para o desenvolvimento de práticas culturais totalmente diversas umas das outras. MARCONI. pois "uma área cultural pode corresponder a uma subcultura. Pode ocorrer com maior ou menor facilidade. um dos maiores estados do Brasil. epidemias. mas dificilmente ocorre o inverso. como esta. não porque sejam superiores ou inferiores umas às outras. Sabemos. p. as descobertas fortuitas. dependendo do grau de resistência ou aceitação. pois para acompanhar as grandes exigências do mercado. o trabalhador precisa de aperfeiçoamento e aprendizado contínuos. como no caso da região Sudeste (veja São Paulo e Rio de Janeiro.. 140). podem exercer especial influência. sejam traços. 137). por exemplo). levando a alterações significativas na cultura de uma sociedade (LAKATOS. é possível verificar que as práticas culturais variam bastante do sul para o norte do estado. Dizemos em parte. e.o perfil do trabalhador também não é o mesmo. Essa variedade é decorrente. que a cultura nordestina é totalmente diferente da cultura sulista. ou do Triângulo Mineiro para a Zona da Mata. mas porque constituem variações da cultura total. as migrações. isto é. por exemplo. p. das variações climáticas. etc. os contatos com povos de culturas diferentes. 1995. Entretanto. 1995. a mudança violenta de governo. as catástrofes (perdas de safras. também está sujeita a sofrer com mudanças conjunturais e precisa ser levada em conta no planejamento estratégico das empresas. experimentamos várias manifestações culturais díspares e extremamente particulares. e mesmo dentro de uma região comum a vários estados. em parte. de ecossistema e de desenvolvimento social que configuram cada região de nosso país.

mantendo a organização flexível e mais facilmente adaptável a alterações no ambiente em que estão inseridas. há conformidade quando um sujeito age conforme uma orientação ou norma que podem ser explícitas ou . de costumes. conceituarmos o processo de socialização. hábitos que Ifies são peculiares. também as organizações possuem culturas que Ifies são inerentes. em virtude de questões de apelo mundial. Chama-se cultura organizacional aquela que se desenvolve no interior das organizações e orienta o comportamento dos indivíduos que dela fazem parte. 4. mantêm-se coesos entre si. normas e valores do grupo social que se integram na estrutura da personalidade do indivíduo" (1995. segundo Lakatos. ou seja. gera ainda um sentimento de pertencimento a algo maior que eles singularmente considerados. Marconi. Atualmente a maioria das empresas já conta com códigos de conduta próprios e sistemas de valores adotados pela organização que refletem de certa maneira as práticas culturais da mesma. 137). p. Da mesma forma que a cultura de uma sociedade é configurada por um conjunto de valores. podendo se assemelharem alguns aspectos. "conformidade seria a ação orientada para uma norma (ou normas) especial. compreendida dentro dos limites de comportamento por ela permitido ou delineado" (1995. MARCONI. regiões ou cidades diferentes. p. Controle social e organizacional Para compreendermos o que é controle social é preciso. principalmente no tocante ao direcionamento da empresa. Ainda segundo Lakatos. (LAKATOS. A cultura organizacional também é dinâmica e está sujeita a alterações mediante mudanças na sociedade em que estão inseridas. de atividades. a cultura de uma empresa é ainda uma forma de estratégia que se altera segundo as necessidades do mercado e da concorrência. que é. p. primeiramente. Marconi. 221). Mas por que este conceito é especialmente importante? Porque ele nos auxiliará a entender o que significam as noções de conformidade e de desvio. que serão imprescindíveis para analisar controle social e organizacional. estabelecendo uma identidade à qual eles se identificam. É mecanismo de controle ajustável por meio do qual é possível aumentar enormemente o desempenho da empresa. Assim como existem culturas diferentes em países. "a aprendizagem e a interiorização dos elementos sócio-culturais. Ou seja. também a cultura de uma organização será diferente daquela verificada em uma organização diversa. 221).ou à outra subcultura. 1995.

233). 47). 1995. Diversas são as correntes do pensamento sociológico que buscaram e buscam compreender como funciona o controle social e quem são aqueles que detêm poder de conseguir que outros façam o que eles desejam. segundo Castro (2007. operacionalizando-se em usos. a organização se configura como um dos maiores centros irradiadores de formas de conduta e de pensamento. costumes. E para que o controle social seja exercido. MARCONI. emanando da personalidade do sujeito. o estabelecimento de elementos culturais aos membros de uma organização configura uma forma de controlar a performance de seus membros e de direcionar seus resultados para a obtenção dos objetivos almejados pela gestão. Assim. estabeiecem-se os dispositivos para preservá-lo". em sociedade. não adquirido ou mesmo desrespeitado pelo grupo ou pelo indivíduo. p. infringe determinada norma. O que nos interessa é verificar como aplicar a noção de controle ao ambiente organizacional. Veja que. pois em virtude de configurar um ambiente institucionalizado e formal. Também poderá ser interno. IVIARCONI. vontade. orienta sua ação de acordo com eles. "valor. podendo sofrer sanções que visem "punir a infração. leis. da classe dominante ou do consenso grupai". Controle social envolverá. por conseqüência. 224): constitui o controle social o mecanismo de retificação. e convencido de sua validade. O grupo espera que seus componentes ajam de acordo com um sistema de normas e quando um indivíduo possui um comportamento disfuncionai frustra o sentimento daquele grupo. Atua o controle social para a preservação do que foi considerado essencial para o equilíbrio do sistema social. p. pois "através da socialização. mas não caberá a análise destes pensamentos neste capítulo. É exatamente este processo que configura o controle social. é preciso que haja um responsável ou um grupo de responsáveis pelo exercício deste poder. De acordo com Oliveira (2006. somos guiados por expectativas de comportamento. norma. por parte da sociedade. como os mecanismos de controle se concretizam no interior das organizações. Não se pode deixar de dizer que o controle social não possui natureza apenas externa. há desvio quando o indivíduo. assegurando que os objetivos propostos sejam atingidos. motivadamente. . ele interioriza normas e valores de seu grupo. daquilo que foi esquecido. Configurase pelo conjunto de dispositivos de cuniio social que possuem como objetivo o estabelecimento da estrutura e a ordem da sociedade que se expressam na "vontade dos líderes. o controle interno é o autocontrole exercido pela vontade consciente do indivíduo" (LAKATOS. 1995. 222).não e. p. Definido o valor. ação. impedir futuros desvios e/ou aiterar as condições que originam o comportamento desviado" (LAKATOS. Por exemplo. p. instituições e sistema social.

Para Oliveira (2006. hoje. é preciso que estas propostas também estejam alinliadas com as expectativas dos indivíduos que dela lazem parte. Sabemos que é preciso que o funcionário se ajuste às políticas da empresa em que está trabalhando. valores e preconceitos já estabelecidos. 225). se eles são originários de regiões e culturas diferentes e estão em fases diversas da carreira. é preciso que o gestor desenvolva estratégias que levem em conta essas especificidades.Ao estabelecer um conjunto de valores e normas que devem ser interiorizados pelos funcionários. Se cada indivíduo que compõe uma organização possui uma história de vida diferente de cada um dos demais funcionários. o gestor pode gerar resultados muito eficazes. a empresa detém o poder de definir quais são os limites aceitáveis de comportamento. pelo que se obtém do estudo delas. . também as empresas não existem de forma isolada e precisam das comunidades. "a socialização condiciona os objetivos pessoais. 2006. pois assim como as sociedades dependem economicamente das organizações. p. 226). ao mesmo tempo estar em equilíbrio em relação à comunidade em que está inserida e em relação aos indivíduos e grupos que a compõem. p. o desafio. assim como estabelece punições para aqueles que forem considerados desviantes. tanto de forma intencional quanto não intencional. entretanto. Possíveis conflitos gerados em razão das diferenças entre suas culturas precisam ser mantidos em níveis mínimos. Há o desafio por parte das organizações de conseguir. Ainda de acordo com Oliveira: se um dos grandes desafios lançados às organizações foi o da cxsnciliação dos objetivos do negócio com os objetivos sociais. É neste momento que a Sociologia se torna uma ferramenta fundamental e extremamente útil aos que comandam as organizações. Há uma influência recíproca entre empresa e sociedade. Ao compreender as relações humanas e pautar-se. é o da simultânea conciliação desse par de objetivos com os dos indivíduos que as integram. inclusive e principalmente financeiros. se a imposição desses sistemas de normas e de valores não levar em conta as características dos grupos e indivíduos corre-se o risco de ser um movimento pouco eficiente e de não fornecer os resultados esperados pela organização. seja criando sua própria empresa". seja entrando como empregado. que levam o indivíduo a buscar as organizações com o fim de nelas conseguir a satisfação. (OLIVEIRA. também. que chegam à empresa com personalidades já formadas. Em contrapartida.

de autoria do professor Fernando Prestes Motta. no entanto. a compreender a questão da cultura e o processo de controle social. que se trata de um assunto dinâmico e suas formas de exercício dentro das organizações estão sempre mudando. E dedicamonos.fgv.br/rae/artigos/651 . bem como as aplicações destes conceitos ao ambiente organizacional. . O link para você acessá-lo é: <http://www16. por fim. publicado originalmente em 1979 e revisitado em 1993. Verificamos que as teorias dos pensadores clássicos continuam atuais e podem nos auxiliar a compreender melhor os grupos em que estamos inseridos. Anote as principais idéias do texto. Resumo Neste capítulo. imprima-o. além de apontar caminhos e possibilidades para a resolução de eventuais problemas. Assista ao filme e procure relacioná-lo com o que foi estudado neste capítulo! Escreva suas observações e discuta-as com seu professor e colegas no AVA. chamado Controle Social nas Organizações. Discuta suas conclusões e dúvidas no AVA.Saiba mais Como complemento a esta seção.pd^ Relacione o que você leu a fatos atuais. Se necessário. Comprovamos que a Sociologia pode contribuir significativamente para compreendermos uma série de processos dentro de uma empresa. Título original: Animal Farm. sugerimos a leitura de um artigo da Revista de Administração de Empresas. recorrendo ao auxílio de seus colegas e preceptores. Parada obrigatória Vamos fazer uma pausa para um cineminha? Dica de filme: A Revolução dos Bichos. 89 minutos. Lembre-se. Ano de Lançamento: 1999. a Sociologia Aplicada às Organizações. tivemos oportunidade de aprender sobre uma das vertentes do estudo sociológico.

Boa leitura! Atividades As atividades propostas neste capítulo visam precisar seus conhecimentos com relação ao estudo concretizado até o presente momento. navegar em outras ferramentas de estudo com visões de outros autores e principalmente despertar e acreditar no novo. Para a formação do saber. Caso tenha dúvidas na realização dessas atividades. por isso é importante que se dedique com afinco na realização dos mesmos. neste capítulo. todos os conhecimentos que abrangem o quesito "o olhar sociológico sobre as estruturas e processos organizacionais". Atividade 1 Em um texto. só assim construirá em bases sólidas o seu conhecimento. É importante destacar que você não deve limitar seus estudos apenas ao contexto que propomos. pois. Todo conhecimento adquirido ao longo de nossa vida se toma muitas vezes obsoleto frente às grandes adversidades corporativas que enfrentamos em um mercado globalizado e altamente competitivo. explique com suas palavras o que você entende por mudança social. mas as próprias sociedades que encontrarão a solução". é necessário contextualizar realidade versus prática. sugerimos a leitura do capítulo customizado apresentado a seguir para reforçar e aprofundar os conceitos abordados.Concluímos nossos estudos deste capítulo com o pensamento de Émile Durkheim: "As dificuldades práticas só podem ser definitivamente resolvidas através da prática e da experiência cotidianas. Não será o conselho de um sociólogo. releia os temas discutidos acima e refaça os exercícios. . Não esgotamos. com no mínimo 10 linhas. sem sombra de dúvidas é um universo vasto de informações que permeiam este tema. Justificando assim a importância pela busca contínua do conhecimento. Com o intuito de ajudar você na constante busca pelo conhecimento e aprendizado.

MARTINS. São Paulo: Brasiliense.iitml>. Marina de Andrade. l\/laria Aparecida Reis França dos (Org. de no mínimo 10 liniias. São Paulo: Editora Nacional. Sociologia geral. HUBERMAN. 1995. Celso Antônio Pereira de. CASTRO. São Paulo: Atlas. Administração/ Universidade de Uberaba. etapa I. Carlos Benedito. IVIaria Ligia de Oliveira. O manifesto do Partido Comunista. KarI. Belo Horizonte: UFMG. Acesso em: jan. MARX. Friedricii. 2. A Sociologia e o mundo moderno: a interpretação clássica das transformações sociais e seus desdobramentos no novo mundo do traballio. ECONOI\/IIANET. Ailton de Souza.net/ teoria_escoias/teoria_keynesiana. faça um texto dissertativo. 1994. ENGELS.Atividade 2 A partir de seus estudos neste capítulo e utilizando-se dos textos disponíveis em anexo. São Paulo: Atlas. sobre o que você encontrou. Elabore uma síntese. Tânia. 3. OLIVEIRA. 2007. Márcia Gardênia de. 1990. Um toque de clássicos: Durkheim. Eva Maria. ed. In: SANTOS. LAKATOS. l\/larx e Weber. ed. BARBOSA. 2010. Referências ARAGÃO. Série Administração. 1986. História da riqueza do homem. Sociologia aplicada à Administração. MARCONI. QUINTANEIRO. 2003. Èmile.economiabr. Rio de Janeiro: LTC. Leo. 2009. As regras do método sociológico. com no mínimo 10 linlias. voi. a respeito da importância do estudo da Sociologia aplicada à Administração. . O que é Sociologia. 7. Atividade 3 Pesquise sobre o que é cultura e sobre práticas culturais características da cidade ou região em que você mora. Uberaba: Universidade de Uberaba. Petrópoiis: Vozes. Disponível em: <http://www. 2000. 21 ed.). DURKHEII\/I. 38 ed.

2007. V.1 e V. . A corrosão do caráter: conseqüências pessoais do traballio no novo capitalismo. O que é cultura. Richard. Sociologia das organizações: uma análise do liomem e das empresas no ambiente competitivo. ed. . 16. 2001. ed.2. Max. . Rio de Janeiro: Zahar. São Paulo: Brasiliense. São Paulo: Companhia das Letras. ed. SENNETT. Rio de Janeiro/ São Paulo: Record. Brasília: Editora da Universidade de Brasília. 2006. Economia e Sociedade: fundamentos da Sociologia compreensiva. 1999. SANTOS. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira. Ensaios de Sociologia. 2004. WEBER.1971. A ética protestante e o espírito do capitalismo.OLIVEIRA. 2. José Luiz dos. 5. Sérgio Luiz de.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful