P. 1
EPI e EPC

EPI e EPC

|Views: 1.722|Likes:
Publicado porArthur Bernardo

More info:

Published by: Arthur Bernardo on Sep 22, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
See more
See less

11/24/2014

Biossegurança

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO
INDIVIDUAL E COLETIVA (EPIs e EPCs)
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO
INDIVIDUAL (EPIs)
 Segundo a NR-6 da Portaria nº 3.214 (08/06/1978) do Ministério do Trabalho e Emprego,
considera-se Equipamento de Proteção Individual (EPI):
TODODI SPOSI TI VODE USOI NDI VI DUAL DESTI NADOA PROTEGER A
SAÚDE E A I NTEGRI DADE FÍ SI CA DO TRABALHADOR.
CLT (Consolidação das Leis de Trabalho) - Lei nº 6.514 (22/12/1997)
Capítulo V Da Segurança e da Medicina do Trabalho
Seção IV Do Equipamento de Proteção Individual:
Art. 167- O equipamento de proteção só poderá ser posto à venda ou
utilizado com a indicação do Certificado de Aprovação
do Ministério do Trabalho.
REGULAMENTAÇÃO
Normas Regulamentadoras de Segurança e Saúde no Trabalho:
 Fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco
(aprovado pelo MT), em perfeito estado de conservação e funcionamento;
 Orientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e
conservação;
 Exigir seu uso;
 Substituir imediatamente, quando o EPI for danificado ou extraviado;
 Comunicar ao MT qualquer irregularidade observada em EPI.
Obrigações do Empregador:
REGULAMENTAÇÃO
 Utilizar o EPI apenas para a finalidade a que se destina;
 Responsabilizar-se pela guarda e conservação;
 Comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne
impróprio para uso;
 Cumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado.
REGULAMENTAÇÃO
Obrigações do Empregado:
CUIDADO GERAIS COM OS EPIs
 Guardar os EPIs em local próprio, longe da luz solar, calor, umidade e
de contaminação;
 Mantê-los em bom estado de limpeza;
 No caso de contaminação química ou microbiológica descontaminar, sempre
que possível ou substituí-lo;
 É ideal que os EPIs venham acompanhados das instruções do fabricante
quanto ao emprego correto, procedimento de limpeza, etc.
Cuidados Gerais:
TIPOS DE EPIs
1. Calçados
2. Proteção respiratória
3. Luvas
4. Óculos de proteção
5. Protetor auditivo
6. Protetor facial
7. Roupas de proteção
1.Calçados
Proteção dos pés contra:
umidade,
respingos de substâncias químicas ou material biológico,
derramamento de líquidos quentes e solventes,
impacto de objetos diversos,
cacos provenientes da quebra de vidrarias e demais materiais perfurocortantes
Devem ser confortáveis, laváveis, compatíveis com a temperatura ambiente e
evitar a transpiração excessiva.
Quando o chão é escorregadio, torna-se obrigatório o uso de calçados com solado antiderrapante,
para dificultar quedas. O uso de tamancos, sandálias e chinelos é proibido.
TIPOS DE EPIs
Pró-pés
O sistema respiratório representa a principal via de penetração de
contaminantes no organismo.
TIPOS DE EPIs
2.Proteção Respiratória
2.1. Purificadores de ar (máscaras com filtros)
Filtram o ar do ambiente local com a ajuda de filtros específicos acoplados (filtros
químicos, mecânicos ou os dois combinados), removendo aerossóis, gases e vapores.
2.Proteção Respiratória
TIPOS DE EPIs
Respiradores com filtros mecânicos – Proteção contra partículas suspensas no ar. Retém partículas
na forma de poeira, neblina, fumo..
Respiradores com filtro químico – Protegem contra gases e vapores orgânicos. Age pela adsorção
das moléculas nos poros do carvão ativado ou por reação química com substâncias apropriadas
presentes no carvão do filtro.
Respiradores com filtros combinados (mecânico e químico) – Usado em casos de exposição a
gases irritantes (ex. amônia) os quais produzem inflamações nos tecidos ao entrarem em contato.
Para garantir adequada proteção respiratória, foram desenvolvidos:
2.1. Purificadores de ar (máscaras com filtros)
• Pode ser motorizado, onde o respirador é equipado com bateria, motor e
ventoinha para forçar o ar ambiente até as vias respiratórias.
2.Proteção Respiratória
TIPOS DE EPIs
• Dependendo da condição de exposição, temos:
 Máscaras semi-faciais – concentração do vapor tóxico não
ultrapassa a 10x o limite de exposição. Deve-se colocar o óculos de
proteção também.
 Máscaras com proteção total da face – uso em ambientes nos quais
a concentração pode atingir até 50x o
limite de exposição.
Máscara com proteção
total da face
2.2. Respirador de adução de ar
Recebem o ar através de uma fonte externa ao ambiente de trabalho.
Usados quando há deficiência de oxigênio, concentrações elevadas de
poeira, gases e vapores.
Situações prováveis de uso: emergência como derramamento de líquidos
voláteis que geram vapores perigosos, vazamento de gases, manipulação de
material radioativo e de agentes patogênicos de alto risco.
2.Proteção Respiratória
TIPOS DE EPIs
Protegem o usuário durante o escape em situações de emergência contra
inalação de ar contaminado ou de ar com deficiência de oxigênio.
Ex. Respirador de bocal (purificadores de ar):
bocal de borracha com filtros químicos e mecânicos
e uma pinça para prender as narinas, para situações
de pequenos vazamentos ou acidentes com frascos
em laboratórios.
Ex. Respirador de capuz (adução de ar): um capuz que cobre
completamente cabeça e pescoço, ligado a um cilindro de ar
comprimido. Usado para qualquer contaminante, para fuga.
2.Proteção Respiratória
TIPOS DE EPIs
2.3. Respirador de Fuga
2.Proteção Respiratória
O empregador deve:
Ter procedimentos escritos com critérios de seleção dos
respiradores e orientação adequada quanto ao uso;
Instruir e treinar o usuário sobre o uso e limitações do EPR;
Fazer monitoramento ambiental periódico;
Comprar somente respiradores aprovados e indicados para as
condições de uso.
TIPOS DE EPIs
Instrução normativa nº 01 (11/04/1994), da
Secretaria de Saúde e Segurança do Trabalhador, estabelece o
regulamento técnico sobre o uso de equipamento de
proteção respiratória.
3.Luvas
Uso obrigatório em: manipulação de microorganismos patogênicos, coleta de
amostra biológica (ex. sangue, secreção), esterilização, manuseio de animais,
lavagem de material, preparação de reagentes, manipulação, transporte e estocagem
de produtos químicos ou em qualquer atividade com risco conhecido ou suspeito.
Devem:
Ter formato anatômico,
Ter resistência (material resistente)
Permeabilidade e boa flexibilidade/ maleabilidade
Podem ter:
Cano curto ou longo
Com ou sem palma antiderrapante.
TIPOS DE EPIs
Fornecer conforto e destreza ao usuário
TIPOS DE EPIs
3.Luvas
As luvas devem ser compatíveis com as substâncias que serão manuseadas. Exemplos:
Material
(tipo)
Uso
Látex Ácidos e bases diluídas, ruim para solventes orgânicos.
Boa flexibilidade
Kevlar Temperaturas elevadas
Nitrila Grande variedade de solventes orgânicos, ácidos e bases.
PVA Solventes orgânicos.
PVC Ácidos e bases, ruim para a maioria dos solvente orgânicos.
Látex
Kevlar
Nitrila
PVC PVA
Como colocar:
Com as mãos limpas e secas.
Verificar se não há rasgos ou furos.
Nas luvas de proteção química, verificar o interior para ver se não há manchas ou
outra alteração (pode indicar que houve permeabilidade a algum produto).
Sempre colocá-las sobre o punho do avental, nunca deixar as mangas soltas
sobre a luva. As luvas devem ser do tamanho correto e estar bem ajustadas à mão.
Como retirar:
Puxar a luva pelos punhos de modo que seja retirada pelo avesso e sem que a parte externa
toque a pele.
Pegar com a mão descoberta a outra luva pelo lado do punho e retirar também pelo avesso,
envolvendo a primeira luva.
Descartar e lavar as mãos
Obs. Para luvas reutilizáveis - ao retirar pelo punho do lado avesso,
colocar em recipiente próprio para desinfecção
3.Luvas
TIPOS DE EPIs
4.Óculos de Proteção
Conforme o tipo de lente empregada, confere proteção contra respingos de material
infectante, substancias químicas, particulas ou outros que possam causar irritação
nos olhos ou lesões, bem como para trabalhos com radiação UV ou IV.
TIPOS DE EPIs
Devem ser:
Confortáveis,
Leves,
Resistentes,
Maleáveis,
Garantir o uso de óculos de grau.
Proteger completamente os olhos, com proteção lateral, sem comprometer o
campo visual, e assentar confortavelmente no nariz.
No caso de impacto não deve haver desprendimento das lentes.
No caso de quebras, não pode ocorrer a formação de arestas cortantes e sim
pequenos pedaços que não venham afetar os olhos.
 Partículas podem ficar retidas sob as lentes de contato
 Podem descolorir ou tornar-se turvas em contato com alguns vapores químicos
 Lentes gelatinosas podem secar em ambientes com pouca umidade
 Alguns vapores e gases podem ser absorvidos nas lentes e causar irritação
 Algumas lentes de contato impedem a oxigenação dos olhos
TIPOS DE EPIs
Uso de lentes
de contato
no laboratório
5.Protetor Auditivo
Equipamento destinado a prevenir a perda auditiva causada por ruídos.
Devem ser utilizados em situações em que os níveis de ruídos sejam considerados
prejudiciais ou nocivos.
Há dois tipos de protetores:
Circum-auriculares (tipo concha)
Inserção (usado em laboratórios)
Só pode ser usado em ouvidos que não apresente enfermidades
Deve permitir higienização
Confortável, de fácil remoção, flexível e permitir o ajuste perfeito
TIPOS DE EPIs
6.Protetor Facial
Equipamentos de proteção de face e olhos contra lesões causadas por respingos
de material infectante e de substancias químicas, partículas,
vapores de produtos químicos.
Devem ser leves, de boa resistência, com visor em acrílico incolor,
transparente e isento de ondulações.
TIPOS DE EPIs
7.Roupas de Proteção
 Devem ser usadas em todas as atividades que se manipulem agentes danosos e
que possam vir a provocar doenças ocupacionais.
 Objetivo: evitar o contato de contaminantes, eliminado ou minimizando as
possibilidades de doença, lesão ou intoxicação.
TIPOS DE EPIs
7.1. Jaleco
De uso obrigatório onde há manipulação de microorganismos
patogênicos, manejo de animais, lavagem de material, esterilização, manipulação
de produtos químicos, estocagem, transporte e preparo de reagentes.
Confeccionado em tecido resistente à penetração de líquidos; com comprimento
abaixo dos joelhos, mangas longas com punho sanfonado para melhor acomodação das luvas,
que devem cobrir o punho para não expor a pele.
Somente usá-lo nas áreas de exposição ao risco. Ao deixar o ambiente de trabalho, deve-se
retirá-lo, recolocando-o quando retornar ao trabalho (Não usar fora dos laboratórios).
Devem ser lavados periodicamente.
As toucas tem a função de proteger os cabelos dos contaminantes existentes nos
locais, ou de evitar que os cabelos contaminem a área.
Devem ser observados alguns cuidados:
O cabelo deve estar preso.
Atouca deve cobrir todo o cabelo.
As orelhas devem estar cobertas pela touca.
Os brincos não devem ser usados no laboratório.
Para retirar a touca, puxe-a pela parte superior central e
descarte-a no recipiente apropriado.
Devem ser trocadas, sempre que necessário, durante o procedimento.
7.Roupas de Proteção
TIPOS DE EPIs
7.2. Touca
Os níveis de Biossegurança são divididos em 4 categorias:
Nível de segurança 1 (NB-1):
Aventais, luvas e óculos.
Nível de segurança 2 (NB-2):
Aventais, toucas, luvas, proteção facial (máscara ou respirador,
protetor facial, óculos de proteção, botas, sapatilhas ou pró-pés.
Nível de segurança 3 (NB-3):
Aventais, toucas,macacão, luvas, proteção facial, botas,
sapatilhas ou pró-pés.
Nível de segurança 4 (NB-4):
Aroupa comum deve ser trocada por roupa protetora
completa e descartável e esta retirada no vestiário
interno para autoclavação.
EPIs E NÍVEIS DE BIOSSEGURANÇA
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO
COLETIVA (EPCs)
Equipamentos de proteção coletiva (EPCs) visam proteger o meio ambiente, a
saúde e a integridade dos ocupantes de determinada área, diminuindo ou
eliminando os riscos. Podem ser de uso rotineiro ou para situações de emergência.
Exemplos:
1. Cabine de segurança
1.1. Cabine de segurança biológica (fluxo laminar)
1.2. Cabine de segurança química
2. Chuveiro de emergência
3. Lavadores de olhos
4. Kit para contenção de derramamento
5. Kit de primeiro socorros
6. Equipamentos de proteção contra incêndios
Equipamentos de Proteção Coletiva
TIPOS DE EPCs
 Equipamento indispensável em qualquer laboratório;
 Pode ser usada para os diversos tipos de análise que incluam o manuseio de
substâncias químicas e/ou particuladas;
 Deve ser dotada de sistema de exaustão, que deve ser verificado periodicamente;
 O ruído não pode exceder a 70 decibéis e deve possuir iluminação adequada.
1. Cabine de Segurança
TIPOS DE EPCs
1.1. Cabine de segurança biológica (fluxo laminar)
1.2. Cabine de segurança química
Principal EPC utilizado para proteção contra aerossóis infecciosos originados de
diversos procedimentos microbiológicos, para limitar a exposição do analista e do
ambiente, e ainda proteger o experimento de contaminações originadas do ar.
 São também destinadas a trabalhos com produtos biológicos em condições
absolutamente estéreis e trabalhos com ausência de partículas em suspensão no ar.
 Retém partículas contaminantes de dimensões microscópicas.
TIPOS DE EPCs
1.1. Cabines de Segurança Biológica (Fluxo Laminar)
1.Cabine de Segurança
CONTAMINAÇÃO ATRAVÉS DAS PESSOAS
DE 1.500 a 5.000 UFC / MINUTO

FALA

TOSSE

ESPIRRO

DESCAMAÇÃO
 De um modo geral, como funcionam?
• O ar é aspirado do ambiente através de pré-filtros;
• Em seguida, o ar passa por sistema de filtro de alta eficiência, o filtro HEPA (High Efficiency
Particulate Air);
• Forma-se uma massa de ar ultrafiltrada que move-se em sentido unidirecional, a baixas
velocidades;
• Este fluxo de ar limpo remove partículas da área de trabalho, que permanece continuamente
limpa, além de criar um ambiente estéril.
• Dentro da área de trabalho é gerada uma pressão, evitando que contaminações externas tenham
acesso.
• Atrás dos filtros há um sistema de luzes ultravioleta de alta intensidade, garantindo a inativação
de partículas viáveis que porventura possam ter passado pelo sistema de filtros.
TIPOS DE EPCs
1.1. Cabines de Segurança Biológica (Fluxo Laminar)
1.Cabine de Segurança
 O que são filtros HEPA?
• São filtros de partículas de ar de alta eficiência (High Efficiency Particulate Air);
• São substituíveis, removem 99,9% de partículas com tamanho de 0,3 micrômetros ( m),
aerossóis, pó tóxico e bactérias.
TIPOS DE EPCs
1.1. Cabines de Segurança Biológica (Fluxo Laminar)
1.Cabine de Segurança
 O que o filtros HEPA retêm?





POEIRAS
FUMOS
VAPOR
BACTÉRIAS
FUNGOS
< 100 m
< 1 m
0,001 A 10 m
0,4 a 5 m
10 a 100 m
1 METRO
1 MILÍMETRO
10 CENTÍMETROS
100 MICROMETROS
1 CENTÍMETRO
10 MICROMETROS
1 µm = 1 × 10
-6
m (um milionésimo de metro; equivale à milésima parte do milímetro)
1.1.1 Fluxo Laminar Horizontal
O ar ambiental não entra em contato com as amostras e o operador recebe o fluxo de ar já
filtrado, que vem de dentro da cabine, impulsionado na direção horizontal.
Usos:
Trabalho com produtos estéreis não patogênicos;
Uso principalmente no preparo de meios de cultura, de soluções estéreis, acondicionamento em
meio estéril, testes de esterilidade;
A área de trabalho é diretamente em frente ao filtro HEPA;
 Não é recomendada para trabalhos com risco químico ou biológico.
TIPOS DE EPCs
1.1. Cabines de Segurança Biológica (Fluxo Laminar)
1.Cabine de Segurança
O fluxo laminar pode ser horizontal ou vertical, conforme mostrado a seguir.
TIPOS DE EPCs
1.1.2 Fluxo Laminar Vertical
1.1. Cabines de Segurança Biológica (Fluxo Laminar)
1.Cabine de Segurança
Usado em trabalhos com material patogênico em que há necessidade de
absoluta segurança para o operador.
Propriedades:
 Neste sistema, o ar já filtrado (HEPA), livre de partículas ou microorganismos, atinge a
amostra na direção vertical, sendo aspirado para dentro da cabine e depois passando por
uma nova filtração antes de sair para o ambiente.
Acortina frontal de ar cria uma barreira que isola o interior da área externa.
 Exemplos de uso desta cabine: análises clínicas, microbiológicas, manipulação de meios de
cultura, preparo de soluções parenterais, fracionamento de sangue, etc.
 Existem 03 classes: I, II e III.
1.1.2 Fluxo Laminar Vertical
1.1. Cabines de Segurança Biológica (Fluxo Laminar)
1.Cabine de Segurança
TIPOS DE EPCs
 Cabines classes I e II – oferecem significativo nível de proteção tanto do pessoal do
laboratório como do ambiente, quando usadas em conjunto com as boas práticas.
 Cabine classe III – à prova de gás, oferecendo uma maior nível de proteção pessoal e
ambiental. Uso de luvas. A cabine é mantida sob pressão negativa e tanto o ar que entra
como o que sai são filtrados.
Fechar as portas do laboratório. Evitar circulação de pessoas durante o uso da cabine;
 Ligar a cabine e a luz UV 10 a 15 minutos antes de seu uso - são lâmpadas germicidas; comprimento
de onda de 240 nm. Tempo médio de uso é de 3.000 horas. É importante registrar o tempo de uso das
lâmpadas.
Descontaminar a superfície interior com gaze estéril embebida em álcool etílico a 70%;
Limpar todos os objetos antes de introduzí-los na cabine;
Minimizar os movimentos no interior da cabine;
Realizar os procedimentos no centro da área de trabalho;
Limpar a cabine ao fim do trabalho com gaze embebida em álcool etílico a 70%;
Deixar a cabine ligada por 10 a 15 minutos antes de desligá-la.
TIPOS DE EPCs
1.1. Cabines de Segurança Biológica
1.Cabine de Segurança
Cuidados no uso da Cabine de Segurança Biológica:
Equipamento de proteção que visa proteger o operador e o meio ambiente
quando da manipulação de substâncias químicas que liberam vapores
tóxicos, irritantes e perigosos.
 Deve possuir material resistente, sistema de exaustão, iluminação, bancada com
entrada para água e esgoto.
O exaustor deve expulsar para o exterior os vapores gerados na manipulação.
Aconselha-se filtros acoplados na saída do exaustor para diminuir a concentração
de tóxicos na atmosfera.
TIPOS DE EPCs
1.2. Cabines de Segurança Química
1.Cabine de Segurança
Boas práticas na capela:
Verificar se a exaustão está funcionando;
Estar consciente de que não é local para armazenamento de produtos;
Usar EPIs;
Manter o visor frontal no ponto de segurança ou o mais baixo possível;
Ao terminar, não desligar de imediato a exaustão, para que os vapores ainda existentes
sejam eliminados (esperar cerca de 15 minutos);
Após o fim do trabalho deixar a capela limpa;
Caso haja interrupção da exaustão por falta de luz, por exemplo, parar o trabalho, manter
fechado o visor de proteção e só voltar a trabalhar com respiradores específicos.
TIPOS DE EPCs
1.2. Cabines de Segurança Química
1.Cabine de Segurança
Destinado a lavagem de roupa e pele do técnico quando esta for atingida
acidentalmente por grande quantidade de produtos químicos, material
biológico ou fogo.
O local de instalação deve ser de fácil acesso. Tanto o chuveiro quanto a área
adjacente deverão estar desimpedidos e prontos para utilização a qualquer momento;
Deverá ter cerca de 30 cm de diâmetro. O formato fornece uma ducha de água
com grande ângulo de abertura, de forma a atingir totalmente a pessoa que se
acidentou com espirros de líquidos corrosivos e/ou inflamáveis
O jato de água deve ser forte para possibilitar a retirada imediata da substância
Aalavanca que aciona o jato de água deve estar à altura
de qualquer pessoa.
Poderá ser acionado por alavancas de mão, cotovelos ou joelhos.
Deve ser testado periodicamente, com o devido registro.
TIPOS DE EPCs
2.Chuveiro de Emergência
Destinado a lavagem dos olhos no caso de serem atingidos
por produtos ou material biológico.
 Deve ser verificado periodicamente;
 Não pode ter pressão de saída de água muito forte, pois pode prejudicar o globo
ocular.
TIPOS DE EPCs
3.Lavadores de Olhos
 Dispositivo de fácil acionamento e suficientemente grande porque o acidentado estará
com a visão impedida, total ou parcialmente;
 O jato de água precisa ser filtrado para evitar que partículas sólidas saiam com a água;
TIPOS DE EPCs
4.Kit para Contenção de Derramamento
O Kit para limpeza em caso de derramamento biológico ou químico é composto
basicamente por: traje de proteção, luvas, máscara, máscara contra gases, óculos ou
protetor facial, bota de borracha, touca, pás para recolhimento do material, pinça
para estilhaços de vidro, panos de esfregão e papel toalha para o chão, baldes,
absorventes como areia seca, desinfetantes, sacos plásticos, dentre outros.
Balde com areia ou absorvente granulado -
Contenção de derramamentos químicos, em pisos e
bancadas. Impedem que o extravasamento para outras áreas.
Picete com álcool 70% (preparado no dia) –
Inativação de microorganismos.
Luvas de procedimentos;
Gaze esterilizada;
Algodão
Esparadrapo;
Sabonete neutro;
Bandeja;
Tesoura reta
Pinça;
Termômetro clínico;
Bolsa de água;
Atadura de crepom;
Atadura de gaze;
Tala de papelão de 10 cm de largura;
Garrote de borracha
Medicamentos
• Administração por via oral:
Ex. Analgésicos
•Uso tópico:
Ex. Anti-séptico, soro fisiológico
TIPOS DE EPCs
Composto de material usualmente indicado em casos de acidentes, como:
4.Kit de Primeiros Socorros
As causas de um incêndio são as mais diversas: descargas elétricas,
sobrecarga nas instalações elétricas, falhas humanas, etc.
TIPOS DE EPCs
5.Equipamentos de proteção contra incêndios
Todo laboratório deve ter por escrito um plano de emergência para fogo, combate
a incêndios e instruções para evacuação do prédio.
“O incêndio acontece onde a prevenção é falha” (CI PA, 1992)
Cuidados para evitar incêndios
- Instalações elétricas:
Se a corrente elétrica está acima do que a fiação suporta, ocorre
superaquecimento dos fios, podendo dar início a um incêndio.
Não conectar mais de um aparelho por tomada. Esta é uma das causas de
sobrecarga na instalação elétrica;
Não fazer ligações provisórias;
Fios descascados quando encostam um no outro, provocam curto-circuito e
faíscas.
TIPOS DE EPCs
5.Equipamentos de proteção contra incêndios
Para verificar vazamento, nunca utilize fósforos ou chama.
•Vazamento de Gás sem Chama:
Ao sentir cheiro de gás, não ligue ou desligue a luz nem aparelhos
elétricos.
Afaste as pessoas do local e procure ventilá-lo.
Feche o registro de gás para restringir a propagação.
•Vazamento de Gás com Chama:
Feche o registro e gás.
Retire todo o material combustível que esteja próximo do fogo.
TIPOS DE EPCs
5.Equipamentos de proteção contra incêndios
Cuidados para evitar incêndios
- Instalações à gás:
Primeiras providências:
Acione imediatamente o alarme e aja de acordo com o plano de evacuação;
Chame o Corpo de Bombeiros (193);
Se tiver que atravessar uma região em chamas, procure envolver o corpo com algum
tecido molhado não-sintético;
Proteja os olhos e a respiração (são as partes mais sensíveis, que a fumaça provocada
pelo fogo pode atingir primeiro). Use máscara de proteção ou, no mínimo, uma toalha
molhada no rosto.
TIPOS DE EPCs
5.Equipamentos de proteção contra incêndios
Métodos de extinção do fogo:
Abafamento
Eliminar o comburente (oxigênio) da queima, fazendo com que ela enfraqueça
até apagar-se.
 Retirada do Material
Retirar o material que está queimando, a fim de evitar que o fogo se propague ou
o material que está próximo ao fogo, efetuando um isolamento.
 Resfriamento
Tirar o calor do material. Para isso, usa-se um agente extintor que reduza a
temperatura do material em chamas.
TIPOS DE EPCs
5.Equipamentos de proteção contra incêndios
Instalações fixas de combate a incêndios
a) Detector de fumaça;
b) Detector de temperatura;
c) Detector de chama;
d) Chuveiro automático (sprinklers): redes de pequenos chuveiros no teto dos ambientes;
e) Cortina d’água: rede de pequenos chuveiro afixados no teto, alinhados para, quando
acionados, formar uma cortina d’água;
f) Resfriamento: rede de pequenos chuveiros instalados ao redor e no topo de tanques de
gás, petróleo, gasolina e álcool. Geralmente são usados em áreas industriais;
TIPOS DE EPCs
Mantenha sempre desobstruídos corredores, escadas e saídas de emergência.
5.Equipamentos de proteção contra incêndios
Exemplos:
TIPOS DE EPCs
5.Equipamentos de proteção contra incêndios
EPCs – Exemplos:
Manta corta-fogo: usada quando o incêndio se estende às roupas do operador. A extinção do
fogo se dá por abafamento. As mantas devem ser de tecidos não combustíveis e estar em local de
fácil acesso.
Mangueira de incêndio: o modelo padrão, comprimento e localização são fornecidos pelas
normas do Corpo de Bombeiros.
Portas corta-fogo: Devem resistir ao calor por 60 minutos (no mínimo),
abrir sempre no sentido de saída das pessoas. Seu fechamento deve ser
completo. Para isolamento e proteção das rotas de fuga, retardando a
propagação do fogo e da fumaça. Nunca devem ser trancadas com
cadeados ou fechaduras e não devem ser usados calços para mantê-las abertas.
Porta corta-fogo
Extintores de incêndio:
O acesso aos extintores não pode estar obstruído;
Arecarga do extintor deve ser feita imediatamente após o uso.
O Corpo de Bombeiros exige uma inspeção anual de todos os extintores.
TIPOS DE EPCs
5.Equipamentos de proteção contra incêndios
Ex. – Extintor de CO
2
:
Age por abafamento, expelindo CO
2
e reduzindo a concentração de oxigênio
do ar. O CO
2
é mais pesado que o ar, por isso desce sobre as chamas. É
inodoro, incolor e não conduz eletricidade. Recobre o material em chamas
com uma camada gasosa, isolando o oxigênio.
EPCs – Exemplos:
EXTINTORES (cont.):
Quase todos os materiais são combustíveis. No entanto, devido a diferença na sua composição, queimam
de formas diferentes e exigem maneiras diversas de extinção do fogo. Exemplos:
por onde passa corrente elétrica
Que se inflamam espontaneamente

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO
INDIVIDUAL (EPIs)

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->