FUVEST EXAME DE TRANSFERÊNCIA - 2008

E X A T A S
A prova consta de 24 questões de Língua Portuguesa, 12 questões de Língua Inglesa, 22 questões de Matemática e 22 questões de Física, em forma de teste de múltipla escolha.

Instruções
Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Em cada teste há 5 alternativas, sendo correta apenas uma. Preencha completamente o alvéolo, utilizando necessariamente caneta esferográfica (azul ou preta) Certo Errado Errado Não deixe questões em branco. A devolução do caderno, no final da prova, é obrigatória. No final da prova, poderá ser levado somente o gabarito. Duração da prova: 4h.
A RELAÇÃO DE CANDIDATOS CONVOCADOS PARA A SEGUNDA ETAPA SERÁ PUBLICADA NOS POSTOS DE DIVULGAÇÃO E NO SITE DA FUVEST (www.fuvest.br) NO DIA 11 DE AGOSTO. OS CONVOCADOS PARA A SEGUNDA ETAPA DE PROVAS DEVEM ENTREGAR OS DOCUMENTOS SOLICITADOS PELA ESCOLA NOS DIAS 20 E 21 DE AGOSTO.

resume Zimmer. “incrivelmente comum e incrivelmente obscuro”. Não adianta dizer que nunca o viu mais gordo. e) do modo como o funcionário reagiu diante da demissão. diz Zimmer. 2006. 05 A expressão “prive da intimidade” (linha 8) é empregada no texto com o significado de a) b) c) d) e) impedir o diálogo. que os afastaria do perigo. 30 35 02 O humor nesse texto decorre. viver em proximidade. abster-se do convívio. São Paulo. preocupam-se menos com a possibilidade de serem punidos por quebrar as normas sociais de conduta e confiam menos nos outros”. ao mesmo tempo. “os homens se tornam menos propensos a submeter-se aos padrões morais da comunidade. de sucesso. nov. c) da interpretação diferente dada a “preencher o espaço vazio”. iludindo as barreiras imunológicas do cérebro. adaptado de Revista Piauí. o aproveitamento das samambaias. b) do aproveitamento de samambaias para decorar a empresa. ainda que prive da intimidade de pelo menos um terço da humanidade. os homens mais conformistas e ambos os sexos mais propensos a levar a vida sob o influxo de vagos sentimentos de culpa e desconforto social que nem imaginam de onde vêm.PORTUGUÊS TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 1 A 3 TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 4 A 9 O agente clandestino Quem faz a cabeça do brasileiro é o Toxoplasma gondii. Os médicos deram agora para desconfiar que. proibir a amizade. principalmente. sob a influência do Toxoplasma gondii. segundo o jornalista Carl Zimmer. coibir a cumplicidade. A pessoa manifesta uma atração insensata pelo perigo e. preencherá. uma paradoxal aversão a mudanças. preencheria. Os dois sexos divergem em muitas reações. d) do motivo alegado pelo patrão para a dispensa do funcionário. 5 10 15 20 Charge de Angeli – “Enxugando a folha de pagamento” 25 01 No texto. preenche. Seu comportamento pode pender para lados opostos. Com o parasita no corpo. preenchera. “nunca o viu mais gordo”. que o tratou como uma “criatura extraordinária” e “espantosamente bem-sucedida”. sabe-se lá por que. “incrivelmente obscuro”. a decoração do local de trabalho. Em compensação. Ele fura as muralhas orgânicas como “cavalos de Tróia”. “onipresente mas discreto”. O parasita tem fôlego de sobra para tornar as mulheres mais afetivas. Marcos Sá Corrêa. “as mulheres ficam mais afetuosas e cordiais”. os infectados têm reações estranhas. 04 O texto refere-se ironicamente ao parasita como se fosse alguém influente. a prestação de serviços na empresa. a) da decisão do chefe sobre a demissão do funcionário antigo. . Esse parasita oblíquo e dissimulado pode varar a membrana das células de autodefesa e penetrar seu núcleo como clandestino. o fato que corresponde ao título “Enxugando a folha de pagamentos” é a) b) c) d) e) a demissão do funcionário. tido como o último bastião do organismo contra micróbios patogênicos. o pedido para não ser dispensado. A expressão que tem esse sentido é a) b) c) d) e) “faz a cabeça do brasileiro”. E lançou no caminho da fama esse personagem onipresente mas discreto. “parasita oblíquo”. um pop star recémdescoberto. O Toxoplasma gondii é assim mesmo. 03 “Mas como o senhor irá preencher o espaço vazio que deixarei na empresa?” A forma verbal grifada corresponde à forma simples: a) b) c) d) e) preencheu. Mas ambos perdem uma dose do medo mais funcional.

pode varar a membrana das células de autodefesa.. deixa. em verso. comparadas. 11 A palavra apresenta-se personificada. A forma verbal do verbo deixar estará adequadamente expressa. desconfiança em relação aos outros... deixas. “Outras pronúncias do prazer. palavra Que se produz Muda Feita de luz mais que de vento. palavra”. 1995.. a crua palavra Que quer dizer Tudo Anterior ao entendimento.. fura as muralhas orgânicas. “atração insensata pelo perigo” e “aversão a mudanças”.. “. se for substituída por a) b) c) d) e) deixai. em mágoa Qualquer feição de se manter palavra Palavra minha Matéria. BMG/Ariola.. menor submissão aos padrões morais. menor preocupação com punições.. “. palavra”.”. transcritos em a) b) c) d) e) “Anterior ao entendimento. uma das reações comuns a ambos os sexos é a maior a) b) c) d) e) atração pelo perigo. preocupação com punições.. deixes.”.. embora habite o coração do pensamento. obediência às regras morais. “Palavra d´água pra qualquer moldura”. cordialidade. minha criatura. “personagem onipresente” e “discreto”. maior afetuosidade. alusivo ao dia das mães.”. uma das reações provocadas exclusivamente nas mulheres pelo Toxoplasma gondii é a a) b) c) d) e) maior dose de conformismo. que eu invento Outras pronúncias do prazer.06 As expressões do texto que indicam as reações paradoxais provocadas pelo Toxoplasma gondii são a) b) c) d) e) “mais afetivas” e “mais conformistas”.”. penetrar seu núcleo como clandestino. lêse: PARA NÃO ESQUECER O PRESENTE.. nos versos dessa letra de canção.”. palavra Talvez... “E me escreve desatento.. TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 11 A 14 UMA PALAVRA Palavra prima Uma palavra só. b) não pode fazer literatura. e) não deve ser usada na literatura.. 20 25 30 09 A alternativa que NÃO apresenta ações do parasita no organismo. menor confiança nos outros. “.. porque habita o coração do pensamento.. 10 Num anúncio publicitário. à noite Quase-palavra que um de nós murmura Que ela mistura letras. Uma palavra. palavra Que me conduz Mudo E me escreve desatento. 12 A interpretação adequada para a última estrofe da canção é: A “palavra boa” a) não é usada na literatura. DEIXE QUEM TEM UMA BOA MEMÓRIA TE AJUDAR. “criatura extraordinária” e “espantosamente bem-sucedida”. “incrivelmente comum e incrivelmente obscuro”... palavra Palavra boa Não de fazer literatura. . manifesta uma atração insensata pelo perigo. “Quase-palavra que um de nós murmura”. porém é incapaz de fazer literatura. palavra Chico Buarque. c) deve destinar-se a habitar o coração do pensamento e não a fazer literatura. palavra Palavra dócil Palavra d’água pra qualquer moldura Que se acomoda em balde. às do cavalo de Tróia é: a) b) c) d) e) “. palavra Mas de habitar Fundo O coração do pensamento. “. iludindo as barreiras imunológicas do cérebro. deixeis. 10 15 08 Segundo o texto.. palavra”. 5 07 De acordo com o texto. de acordo com o padrão culto da língua. muito menos habitar o coração do pensamento. no texto. d) pode habitar o coração do pensamento. palavra Palavra viva Palavra com temperatura.

está presente na história do Brasil em manifestações que vão da carta de Pero Vaz de Caminha ao Zé Carioca.. Editora Globo. * Nora: engenho para tirar água de poços. b) dar um exemplo que venha a confirmar o que acaba de ser declarado. Exibe um ar matreiro e carrega uma reputação galhofeira que não o recomendam para o papel de representar oficialmente a pátria. “palavra dócil”. Talvez não o tenham julgado digno de tais honrarias. não figurado. d) contestar uma verdade historicamente aceita como incontestável. teria dito. “feita de luz”. no texto. TEXTO PARA AS QUESTÕES 15 E 16 Do Exercício da Filosofia Como o burrico mourejando à nora*. em autores que vão do filósofo inglês John Locke ao romancista francês Gustave Flaubert. Tolice alguma nos ocorrerá Que não a tenha dito um sábio grego outrora. de uma forma ou de outra. tiver dito. nas medalhas.. c) ressaltar uma similaridade que pode ser mais do que mera coincidência. nos anos que se seguiram à Descoberta. as mesmas voltas dá. como a mente humana. sempre mourejando à nora. “uma palavra só” e “que quer dizer tudo”. no terceiro verso (Tolice alguma nos ocorreria). como a mente humana. apresentou-se a serviço das cores nacionais. “palavra minha”. 2005. é: a) b) c) d) e) “crua palavra”. 18 A frase entre parênteses – (ou não seria por acaso?) – tem por finalidade a) exprimir uma impressão pessoal sobre o tema abordado. Espelho mágico. as mesmas voltas sempre a mente humana dá. como o burrico mourejando à nora. a transcrição em prosa dos dois primeiros versos do poema é: a) A mente humana sempre dá as mesmas voltas. II O autor começa por definir o papagaio pela enumeração dos atributos que este não possui. ao longo dos séculos. o papagaio não figura nos escudos. São Paulo. terá dito. que por acaso (ou não seria por acaso?) são as mesmas de suas penas. São Paulo. Roberto Pompeu de Toledo. Pousou no ombro dos piratas e virou protagonista de piadas. Em relação ao texto. o Brasil tem o papagaio como tradução ornitológica da nacionalidade. na ordem direta. TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 17 A 19 Papagaio! A tradução ornitológica da nacionalidade 14 Uma expressão usada pelo compositor para atribuir à palavra um sentido próprio. A mente humana sempre as mesmas voltas dá. será alterada para: a) b) c) d) e) tinha dito. não tem a autoridade do galo nem voa alto como o condor. O papagaio brasileiro se fez presente. está correto apenas o que se afirma em a) I b) II c) III d) I e II e) II e III 15 A alternativa que contém. . Apesar disso. À diferença desses outros países.. a forma verbal “tenha dito”. é a) b) c) d) e) “palavra prima” e “crua palavra”. ou em outros sinais pelos quais o Estado anuncia sua presença. out. 16 Substituindo-se o termo “ocorrerá” por “ocorreria”. 2006. “palavra com temperatura”. “palavra viva” e “feita de luz”. 5 10 15 20 17 Considere as seguintes afirmações: I A “tradução ornitológica da nacionalidade” refere-se à ave que serve de emblema ou símbolo de uma nação. e) O burrico. d) Sempre a mente humana. e) rejeitar o significado corrente de nosso maior símbolo nacional. a França o galo e o Chile o condor. Ele não é forte como a águia. atribuídas pelo compositor à palavra. “Terra Papagalli” foi um nome que concorreu com o de “Brasil”.13 A alternativa que apresenta qualidades aparentemente opostas. do quarto verso. Se os Estados Unidos ostentam a águia como símbolo. Em todos esses casos. b) Como o burrico mourejando à nora. III O nome “Brasil” chegou a ser substituído por “Terra Papagalli” nos anos que se seguiram à Descoberta. Mário Quintana. adaptado de Revista Piauí. c) Mourejando à nora. tivesse dito. “matéria minha ” e “quase palavra”. dá as mesmas voltas. nos selos. o burrico sempre as mesmas voltas dá. e até com certa vantagem. “palavra dócil” e “palavra d´água”. como o burrico mourejando à nora..

a da classe semiculta e a dos analfabetos. – uma realidade homogênea e unitária. do que narra. são exemplos de variedades estilísticas as que ocorrem entre a) b) c) d) e) o português do Brasil e o da África.escrevia para mostrar que a essência da literatura está além dela. entre a língua corrente e a língua técnica. de tão complexa que é. especula. como a variedade da classe culta. pode esse mistério surgir. por meio da expressão a) b) c) d) e) “não tem a autoridade”. contraditoriamente. ainda que considerados num só momento de seu percurso histórico. – uma realidade homogênea e unitária. entre a língua “de uso” e a língua literária. a meu juízo. persistem as diferenças geográficas: o português do Norte do Brasil.”. a questão essencial com que se defrontou Clarice Lispector até os últimos textos que escreveu: tentar dizer o indizível sabendo que não poderia dizê-lo.. e) “. Evanildo Bechara. por exemplo.. “protagonista de piadas”. tem que ser vista em vários níveis. Ou melhor. ano I. os chamados dialetos sociais. finalidade. se completam. Essa imagem é referida no texto. quando.”.. 20/04/2007. TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 20 A 22 Ora.. de ciência das línguas. se a expressão grifada for substituída por a) b) c) d) e) portanto. inclusive a burocrática. analisa. a relação lógica que se estabelece entre as orações é de a) b) c) d) e) conseqüência.. em texto para o catálogo da exposição Clarice Lispector – A hora da estrela. Enquanto. de ciência das línguas.. 22 De acordo com o texto. d) argumento de que uma língua histórica pode ser imaginada. nos romances. esse de imaginar uma língua histórica – como o português. o inglês.. um fato determinado. Numa determinada região.abre-se para ela a irresistível possibilidade de explorar o inexplorável.. como o português do Brasil. 5 5 10 10 15 15 20 20 trecho “.. 2006.. d) “.. de tão complexa que é. e mais explicitamente. o português sulista. Uma língua histórica é um conjunto de idiomas mais ou menos semelhantes e mais ou menos distintos. Ferreira Gullar. Museu da Língua Portuguesa. ainda que considerados num só momento de seu percurso histórico. as que existem entre a língua escrita – em geral cuidada. o francês etc. o português arcaico e o português de nossos dias. ao ler seus romances⎯à exceção de “A Hora da Estrela” ⎯é de que ela parte de uma situação imaginada que lhe permitiria mergulhar fundo na indagação de questões insondáveis: abre-se para ela a irresistível possibilidade de explorar o inexplorável. 55 – 56.” (linhas 6 a 8)...” (linhas 1 a 5).. Por exemplo.tentar dizer o indizível sabendo que não poderia dizê-lo”. embora. Paulo. o inglês e o francês. isto é. como o português. narra mais que esta. A experiência literária de Clarice Lispector.. é um lamentável engano de conhecimento de lingüística. escrevia para mostrar que a essência da literatura está além dela. uma vez que só se pode dizer o que se pode dizer.. nos contos.. proporcionalidade. o francês etc. entre a língua da prosa e da poesia. fora dela..uma vez que só se pode dizer o que se pode dizer”. A impressão que se tem. isto é. c) “. se não nos conta uma história. Existem ainda as variedades estilísticas. “no ombro dos piratas”. condição. isto é.a meu juízo. o de Portugal.” (linhas 5 a 8). o inglês..é um lamentável engano de conhecimento de lingüística. esse de imaginar uma língua histórica – como o português. 21 “Uma língua histórica é um conjunto de idiomas mais ou menos semelhantes e mais ou menos distintos. contraposição. c) equívoco na aproximação de uma língua histórica à realidade. 24 No trecho “A experiência literária de Clarice Lispector. b) modo incorreto de conceber uma língua histórica. o da África. a língua “de uso” e a língua técnica. tensa – e a língua falada.. tem que ser vista em vários níveis que se opõem. a Clarice contista. . 20 No 23 Marca pessoal do autor do texto encontra-se em a) “. que a agride e a que reage de pronto.. no português do Recife. Revista Língua Portuguesa. porque aquela. na maioria das vezes. narra-nos um episódio. indaga ou questiona. de roçar o indevassável mistério da existência. “reputação galhofeira”. Esse trecho NÃO terá seu sentido alterado. proporcionalmente.”. como um dos “atributos” do papagaio. Há nessa língua histórica diferenças regionais.. nº 8. mas como registro do susto inesperado. por exemplo. TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 23 A 24 DEPOIMENTO Esta é. b) “. a questão essencial. No conto. a língua da classe culta e a língua dos analfabetos. Mesmo no Brasil ou em Portugal ou na África. e) conjunto de línguas históricas. a variante do Sul e a variante do Norte. os acontecimentos são poucos e a autora mais pensa. o português dos nossos dias.. difere da Clarice romancista. mas.19 Zé Carioca é o típico malandro carioca que dribla as situações difíceis com o jeitinho brasileiro. Folha de S. o pronome grifado refere-se ao a) conhecimento de lingüística e das línguas históricas. a língua popular. p. espontânea. “ar matreiro”.. os chamados dialetos. se. notam-se diferenças nos estratos sociais desse falar regional.

” he said. findings suggest that immature. Paradoxically. a expressão “clogged-pipes model” (l. a) o estudo universitário proporciona avanços certos na carreira. d) situação de homens que deixam suas famílias e o país. inexistente. d) as mulheres recebem mais apoio dos homens que na geração passada. TEXTO PARA AS QUESTÕES 29 A 32 10 15 20 25 25 No título. “The dividend may be social rather than in terms of career. d) a principal motivação para estudos é conseguir trabalho fora de casa e competir com os homens. May 26. calcified. na Argélia atual.com/. and their occurrence depends more on the kind of plaque than on the quantity. suggested Hugh Roberts. But for women. b) a falta de oportunidades na carreira é vista como dívida da sociedade. he added. e) os ganhos sociais conseguidos com estudos podem ser mais significativos que os incrementos na carreira. Until recently. a historian and the North Africa project director of the International Crisis Group. an accretion of plaque impedes the flow of blood through an arterial channel. University studies are no longer viewed as a credible route toward a career or economic well-being. pelas mulheres.nytimes. Just as mineral deposits restrict the flow of water through a pipe. formação de coágulos em vasos sanguíneos. Those who study the region suggest that an explanation may lie in the educational system and the labor market. 5) ilustra metaforicamente a idéia de que os ataques cardíacos são causados por a) b) c) d) e) acúmulo de placas nas artérias. http://www. softer plaques rich in cholesterol are more unstable and likely to rupture than the hard. May 25 — In this tradition-bound nation.com/news/. NATIONALGEOGRAPHICNEWS NATIONALGEOGRAPHICNEWS http://news. cardiologists approached heart disease as a plumbing problem. de salários superiores aos dos homens. a) mais mulheres do que homens são estudantes de universidades. 2007 5 28 Com a declaração “The dividend may be social rather than in terms of career”. heart attacks generally occur in arteries that have minimal or moderate blockage. por mulheres. that is more than twice their share a generation ago. de altos cargos no poder. atualmente na Argélia. e) obtenção. a relação “+ estudos universitários = + oportunidade de carreira e + ganhos econômicos” é vista como a) b) c) d) e) crescente. which can die from lack of oxygen and nutrients. university researchers say. A Quiet Revolution in Algeria: Gains by Women ALGIERS. cracking the wall and triggering the formation of a blood clot. Contrary to the clogged pipes model. dense plaques that extensively narrow the artery channel. The clot blocks the flow of blood to the heart muscle. Women make up 70 percent of Algeria’s lawyers and 60 percent of its judges. b) conquista. February 2007 5 10 15 20 26 O texto afirma que. Although men still hold all of the formal levers of power and women still make up only 20 percent of the work force.nationalgeographic. rompimento das paredes arteriais. and so men may well opt out and try to find work or to simply leave the country. women contribute more to household income than men. Increasingly. Most heart attacks are caused by plaque embedded within the artery wall that ruptures. o historiador Hugh Roberts procura explicar que. garantida. university studies get them out of the house and allow them to position themselves better in society. and they seem to be taking over the machinery of state as well. It's just not that simple. depósitos de minerais nas artérias. c) a contribuição das mulheres ao orçamento familiar ainda é pequena. e) o Estado ainda restringe o ingresso de mulheres na esfera pública. 29 Segundo o texto. a quiet revolution is under way: women are emerging as an economic and political force unheard of in the rest of the Arab world. b) as mulheres são mais numerosas que os homens no mercado de trabalho. Women dominate medicine. c) emergência das mulheres como força política e econômica.INGLÊS TEXTO PARA AS QUESTÕES 25 A 28 27 Segundo o texto. insuperável. a expressão “a quiet revolution” refere-se à a) disputa entre homens e mulheres por postos de trabalho. desprendimento de placas das paredes arteriais. c) a ascensão social pode significar mais perdas que ganhos. Doctors now dismiss this "clogged-pipes model" as an idea whose time has passed. . Sixty percent of university students are women. Scientists have been struggling to figure out what type is most responsible. duvidosa. para as mulheres argelinas.

2007 36 O relato do texto permite deduzir que a publicidade no futuro será mais a) b) c) d) e) difundida. e) estende o tempo de exposição do produto para chamar a atenção de mais transeuntes. placa de gordura. mais densas. coletar informações sobre compradores potenciais. the software can determine if a face is turned toward the screen or away from it. TEXTO PARA AS QUESTÕES 33 A 36 35 No sistema de anúncios descrito no texto. colesterol. mudam o produto anunciado em poucos segundos. Adaptado de NEWSWEEK MAY 28. b) armazena informações sobre produtos de interesse do espectador. mais moles e recentes. níveis instáveis de colesterol. The system consists of an LCD screen playing a promotional video. the sign switches to a video advertising a different product in the hope of grabbing back the viewer’s attention. responsável. 34 De a) b) c) d) e) acordo com o texto. 31 Os resultados de pesquisas sobre as causas de ataques cardíacos sugerem que o risco maior está nas placas de gordura a) b) c) d) e) em grande quantidade. c) permite ao espectador se informar melhor sobre o produto anunciado. detectam comportamentos dos transeuntes. entupimento arterial. coágulos decorrentes de fissuras nas paredes arteriais. one of the fastest-growing areas of advertising. artéria. os médicos agora sabem que a maioria dos ataques de coração é causada por a) b) c) d) e) níveis baixos de oxigênio verificados no sangue.30 De acordo com o texto. in department stores. and a camera to monitor people who come within five meters of the screen. Scientists at National Information and Communications Technology Australia have developed a billboard technology that watches body language and can tell when you’re bored and when you’re paying attention. But if the viewer begins to turn away. 33 O tema do texto é a inovação tecnológica em anúncios de rua que a) b) c) d) e) conversam com os espectadores. This is the future of “agile retail” technology. “what type” (l. 5 10 15 20 25 30 IMAGINE WATCHING an advertisement that is watching you. entupimento total de artérias próximas ao coração. do 32 No texto. já calcificadas. especializada. modificam a linguagem corporal das pessoas. the system extends the video’s playing time. Sound creepy? Some billboards can already communicate by text or photo message with passersby. In less than half a second. o software embutido no equipamento a) atrai o transeunte para que se aproxime da tela. The idea is to entice people who are well placed to make impulse purchasing decisions – pedestrians in shopping malls. d) verifica se a pessoa está olhando para a tela ou não. fotografam os transeuntes mais próximos. and researchers are now endowing these signs with artificial intelligence that can take cues from viewers’ behavior. ampliar o público-alvo das propagandas. . informativa. placas de gordura calcificadas. If the viewer shows interest and does not walk away instantly. o objetivo desenvolvimento da nova tecnologia para anúncios é criar novas formas de inteligência artificial. interativa. em quantidades variáveis. 16) refere-se ao tipo de a) b) c) d) e) ataque cardíaco. influenciar pessoas a comprar por impulso. projetar imagens dos transeuntes na tela. at airports or on sidewalks.

____________________________________________ 1 . 0 < c < 1 b) g ( x ) = cx + f ( x ) . se − 1 < x ≤ 1 ⎪ x 2 − 4 x + 7 . h ⎜ ⎟ vale ⎝2⎠ 40 O valor de a) −∞ b) −2 2 c) − 3 2 d) 3 e) +∞ x → −2 + lim x+4 x2 + x − 2 é 37 Sejam f ( x ) = 1 − x e g( x ) = 41 Na figura abaixo. para algum c ∈ R . para algum c ∈ R . Considere a 1− x ⎛ 1⎞ função composta h = f o g o g . para algum c ∈ R . O logaritmo neperiano de x é ln x. 3] [− 3 . c > 0 [1. − 1] U [1 . Então. 2 Então. c > 1 ⎜c⎟ ⎝ ⎠ d) g ( x ) = cf ( x ) . a) 1 − b) c) d) e) 1 2 2 −1 1 2 2 1 2 −1 Qual das seguintes alternativas melhor representa a função g? 38 O conjunto solução da inequação a) b) c) d) e) x2 − 3 ≤2 é x a) g ( x ) = f ( x ) + c . 0[ U [1 . 9 a) b) c) d) e) 1 33 1 38 3 1 35 2 1 32 1 3 32 −x é igual a 43 Pode-se afirmar que a função ⎧ − 2 x − 1 . 3] [− 3 . estão esboçados os gráficos de duas funções polinomiais f e g de grau 3. descontínua em x = −1 e não derivável em x = 1 . 3] ⎛x⎞ c) g ( x ) = f ⎜ ⎟ . se x ≤ −1 ⎪ f ( x ) = ⎨ x 2 + 3 . . − 1] [− 3 .MATEMÁTICA Observações: O símbolo R representa o conjunto dos números reais. para algum c ∈ R . A derivada da função f (x ) é denotada por f ' (x ) . 0 [ U ] 0 . para algum c ∈ R . derivável em x = −1 e f ' ( −1) = −2 . se x > 1 ⎩ é a) b) c) d) e) contínua em R. c > 1 e) g ( x ) = f ( x − c ) . descontínua em x = −1 e derivável em x = 1 . 3] [− 3 . c > 0 42 O valor de x → +∞ lim x sen 3 + x x →0 lim x sen 1 + x x →1 lim sen ( x − 1) x2 − 1 39 Sabe-se que x é um número real tal que log ( x − 1) + log (2 x + 3) = 9 9 é a) 0 1 b) 2 c) 2 d) 3 7 e) 2 1 . A base do logaritmo neperiano é o número e. derivável em x = 1 e f ' (1) = 2 .

f (1)) intercepta o eixo Oy no ponto A. então g' ⎜ ⎟ vale ⎝3⎠ a) 1 20 1 b) 10 3 10 2 3 3 c) d) e) 2 3 47 A derivada da função f ( x ) = sen x . x 3e x x + 3x 4 contendo o ponto x=2 tal 2 x f ( x ) f ' ( x ) = 1 . Então.lim 44 O valor de x → +∞ a) b) c) d) e) x+2 x − x é −∞ −1 0 1 +∞ 8 no x2 + 3 ponto (1 . Sabe-se que x = 1 é ponto crítico de f e x = 2 é ponto de inflexão de f. com x a. que f ( 2) = 5 e 46 Se f ( x ) = a) b) c) d) e) e 16 e 8 3e 16 3e 13 4e 13 . a ordenada de A vale 48 A reta tangente ao gráfico da função f ( x ) = a) b) c) d) e) 2 ln x ln( x 4 + 3 x ) 2 3 4 5 6 45 O valor de lim + x →0 é 49 A reta r é tangente ao gráfico da função f ( x ) = x 3 e intercepta o eixo Oy no ponto de ordenada y = −16 . então f ' (1) vale ⎛π ⎞ Se g ( x ) = f (sec x ) . no ponto ⎛π ⎞ 2 x =⎜ ⎟ . a + b é igual a 51 Considere a função f ( x ) = ax 2 + 5 x + a) − 1 2 3 c) 2 5 d) 2 7 e) 2 b) 3 2 π 2π . O coeficiente angular de r é igual a a) b) c) d) e) 4 6 8 10 12 a) 0 b) 1 4 c) 1 d) 2 e) 4 50 Seja f uma função derivável num intervalo aberto I. Então. é ⎝4⎠ a) 1 b) c) d) e) π 2 1 2 2 b . para todo x ∈ I. b ∈ R.

O poste B deverá ocupar uma posição tal que o comprimento do fio C = AB + BP + BQ seja o menor possível. 0) respectivamente. b ) de maneira que o fio elétrico que sai de A será ligado ao poste B e daí sairão ramificações. nas posições P = ( −1 . a) b) c) d) e) 0 1 3 6 +∞ A2 = 8 . 2) do eixo Oy. c ] e A2 é a área da região limitada pelo gráfico de f e pelo eixo Ox no intervalo [c . com f (3) = 1 e f ' (3) = − 1 . B1 é a área da região limitada pelo gráfico de g e pelo eixo Ox no intervalo [a . B1 = 4 e B2 = 3 . Sabe-se que A1 é a área da região limitada pelo [c . o valor de a) b) c) d) e) −7 −5 3 7 17 ∫ (f ( x ) + g( x )) dx a b é . b ] → R são contínuas e os respectivos gráficos estão representados nas figuras acima. h' (1) vale a) b) c) d) e) 7 6 5 4 3 3 56 O valor de 9π a) 2 7π b) 2 5π c) 2 ∫ 9 − x 2 dx é −3 d) π 53 O valor de 3 2 7 b) 6 5 c) 6 1 d) 2 1 e) 6 ∫ 0 4 e) 0 (1 + sen 2 x )2 cos 2 x dx é 57 a) 54 O valor de lim ∫ 0 x 3 cos t 2dt x→0 ∫e 0 x é −t 2 dt gráfico de f e pelo eixo Ox no intervalo [a . Então. c ] e B2 é a área da região limitada pelo gráfico de g e pelo eixo Ox no intervalo As funções f: [a . derivável. No ponto A = (0 . Dado que A1 = 2 . Um poste será construído no ponto B = (0 . está representada a fonte de energia elétrica que abastecerá ambas as localidades P e Q. b ] . Da mesma forma. o comprimento C será a) 1 + 3 b) 2 + 3 c) 3 + 3 d) 4 + 3 e) 5 + 3 π 55 Sabe-se que f: R → R é uma função bijetora. uma para a casa em P e outra para a fábrica em Q.52 A casa e a fábrica do Sr. Paulo estão representadas no eixo Ox do diagrama ao lado. b ] → R e g: [a . Seja g a função 2 inversa de f. b] . Considere h( x ) = x 3g ( x ) . 0) e Q = (1 . Nessas condições.

A e B. No instante de tempo t=1. adote para g o valor de 10 m/s 2 . são. i . medidas em m/s2.5 60 Sabendo-se que os automóveis A e B se cruzam no instante de tempo t=8. é a) 1.0 b) 0. a) 3. no instante de tempo t=0. pode-se afirmar que o raio R da trajetória da partícula. medida em m/s. cos 60 º = 2 2 2 Considere a função g ( x ) = ∫ f (t ) dt . a distância entre eles. estão representadas as velocidades dos automóveis A e B como função do tempo.6 d) 0. sen 45º = . é a) 48 b) 64 c) 112 d) 160 e) 176 61 Uma partícula se move sobre um plano.0 s. a magnitude do vetor 2 aceleração da partícula é a=15 m/s . no instante de tempo t=4. 0 cos 30 º = Enunciado para as questões 59 e 60 A figura que melhor representa o gráfico da função g é Dois automóveis. é descrita pela equação v(t)=6t -3. No gráfico abaixo.5 e -2. 59 As acelerações dos automóveis A e B.2 . Nessas condições. respectivamente. deslocam-se em um longo trecho retilíneo de uma auto-estrada. A magnitude da velocidade da partícula como função do 2 tempo. y e z são. j e k . em sentido contrário. sen 60º = .5 e -1.0 e) 2. numa trajetória circular de raio R.5 e -3.8 c) 0.4 e) 0.5 e -2. Quando necessário. Dados: sen 30º = x 1 2 3 .58 A figura abaixo representa o gráfico da função f.5 e 2. em sentido anti-horário. Os versores associados às coordenadas cartesianas r r r x.0 s. medida em metros.0 b) 2. medido em metros.0 c) 2. 2 2 2 3 2 1 . cos 45º = .0 s. respectivamente. FÍSICA OBSERVAÇÃO para todas as questões de Física: a aceleração da gravidade na superfície da Terra é representada por g.0 d) 3.

medida em metros.0 b) 28.0 km tem uma correnteza com velocidade de magnitude vr=1.5 km/h. a partir da origem. A magnitude da velocidade inicial é v0 e o ângulo de lançamento é θ. medido em minutos.5 km/h. 65 Dois blocos de massas m1 e m2 ( m1>m2 ) repousam sobre uma mesa horizontal lisa. de mesma magnitude. é a) 35. sendo μc o coeficiente de atrito cinético entre o corpo e a superfície. pode-se afirmar que a) a1=a2 . em termos de v. remando de forma a atingi-lo diretamente. estando seu centro de massa a uma altura h=0. R1<R2 e) a1=a2 . a magnitude da velocidade do bloco. é a) 4. é a) 5.8 b) 5. R1<R2 d) a1=a2 . é a) 3v 2 8gd v 2 b) 2gd 5v 2 Sendo o ângulo de inclinação da cunha θ =30º.0 Sendo a1 e a2 as magnitudes das acelerações do sistema em (1) e (2) e R1 e R2 as magnitudes das forças de contato entre os blocos em (1) e (2). aplica-se uma força de magnitude F sobre o bloco de massa m1.8 c) 16. respectivamente.0 j m/s. paralela à mesa (situação 1) e num segundo ensaio .0 c) 3. R1>R2 64 Uma cunha triangular é fixada sobre a tampa giratória de uma mesa de tal modo que a extremidade inferior da cunha coincide com a linha que passa pelo centro da mesa (figura A).6 c) 6.0 e) 1.10 m em relação ao nível da tampa giratória (figura B).0 b) 4. remando com velocidade constante de magnitude vh=2.2 e) 9. 66 Um rio de largura L=1. medida em m/s. o bloco permanece em equilíbrio sobre a cunha.4 e) 12.Enunciado para as questões 62 e 63 Uma bola é lançada para o alto a partir da origem de um sistema cartesiano Oxy. Observa-se que. R1>R2 c) a1<a2 . um pequeno bloco pode deslizar livremente. Nessas condições. a magnitude da velocidade é reduzida à metade do valor inicial. medida em metros. 62 A altura máxima alcançada pela bola.0 c) 8gd 2v 2 d) 3gd v 2 e) gd . o r r r vetor velocidade da bola é v = 12 i − 8. sobre o bloco de massa m2 (situação 2). d e da aceleração da gravidade g. mas em sentido contrário.0 d) 14. é a) 15 b) 24 c) 30 d) 42 e) 60 67 Um corpo de massa m desliza sobre um plano horizontal.0 d) 2. no interior do mesmo. Quando a bola atinge a altura h=4. Se o homem quiser chegar a um ponto diametralmente oposto na outra margem do rio.0 m. Num primeiro ensaio. o coeficiente de atrito cinético μc. No instante inicial. A superfície da cunha possui um canalete e. Considere a resistência do ar desprezível. como na figura. quando a tampa gira com velocidade angular constante.6 63 A distância horizontal no primeiro choque da bola com o solo. R1=R2 b) a1>a2 . aplica-se a força F. após percorrer uma distância d.4 d) 7. Um homem pretende atravessar o rio de barco. o tempo necessário para a travessia. a magnitude da velocidade é v e.

0 i m/s.68 Um elevador de massa M=2. o módulo da força máxima Fmax. como função de x.0 i m/s.5 i + 2. entre a bola e a raquete. as partículas estão nas r r posições indicadas na figura. na qual x representa a posição da partícula. exercida pela raquete sobre a bola. é a) b) c) d) e) 64 72 80 88 96 Enunciado para as questões 72 e 73 Enunciado para as questões 69 e 70 Uma partícula de massa m=0. enquanto a partícula 2 está em repouso. A velocidade inicial da bola de r r tênis é vI = 5. medido em milisegundos. respectivamente. Três partículas 1. medido em metros. pode-se afirmar que a compressão máxima da mola.5 c) 1. De acordo com o gráfico abaixo. aplica sobre o referido elevador uma força de atrito de 3 magnitude constante Fa=4. há uma mola 5 amortecedora.0 e) 2. 72 O vetor posição do centro de massa do sistema de partículas. Nessas condições. e a partícula 1 tem velocidade v1' = −1.0 kg. medida em metros. em que a partícula passa pela segunda vez na origem.0x103 kg possui um equipamento de segurança que. é a) b) c) d) e) 0. com seu piso a uma altura L=2. é a) 2. A partícula é abandonada na posição x= −1. no instante de tempo t=0. as partículas são novamente r r observadas. é mostrada na figura. medida em m/s.0 c) 4.8 d) 2. cuja constante elástica é k=3.2 b) 3. no instante de tempo t1.0x10 N. é a) 1. todas em m/s. quando o elevador está parado. é 1r 4r a) i + j 3 3 1r 2r b) i − j 3 3 r 4r 2 c) i − j 3 3 1r 2r d) − i + j 3 3 4r 1r e) − i + j 3 3 70 O instante de tempo.0 kg.4 .8 1. durante o processo de colisão. associada a F(x).5 0.0 1.5 No instante de tempo t2 > t1. o cabo que sustenta o elevador se rompe.2x10 N/m.2 b) 1.0 m. em caso de emergência. medida em Newtons. com velocidades v 1 = 3. No fundo do poço do elevador. A energia potencial U.0x10-2 kg é rebatida por uma raquete.0 kg e m3=2. que esquematiza a dependência da magnitude da força de interação com o tempo.0 i .3 0.40 kg realiza um movimento unidimensional sob a ação de uma única força conservativa F(x). que se opõe ao movimento.0 m acima da mola amortecedora. Num determinado instante de tempo t1.0 j e v 3 = −(3. r r r r r v 2 = 2. imediatamente após a colisão. m2=1. As massas das partículas são m1=3. medida em Joules.2 71 Uma bola de tênis de massa m=4.0 i m/s. ao passar pela origem. 2 e 3 movem-se devido somente à ação de forças internas . medido em segundos. Num dado instante de tempo.0 e) 5. 69 A magnitude da velocidade da partícula. imediatamente antes da colisão.4.0 j ) . e a r r velocidade final é vF = .0 d) 5.

em sua extremidade. medido em kg m /s.5 i + 2. que é lançado paralelamente à mesa e perpendicularmente à barra (figura B).5 i + 1. Uma força F = 6. é r a) 60 k r r b) 30 i + 30 j r c) 60 j r d) 48 k r r e) 20 i + 40 k Uma barra delgada. a Sendo I = mr 2 magnitude da aceleração linear a. com velocidades de magnitudes v2 e v3.2 c) 7. 1 2 o momento de inércia da polia. como esquematizado na figura A. o qual. necessário para que o sistema permaneça em equilíbrio. Pode-se afirmar afirmações: a) I e II b) II e III c) I e IV d) III e IV e) I. de massa desprezível. . III e IV que são verdadeiras apenas as massa m=2. conforme figura. o corpo de massa M desce desenrolando o fio preso à polia. é a) 10 b) 8. sendo mantida suspensa na horizontal por um fio BC.5 j r v e) 2. Sabendo-se que a tensão máxima que o fio pode suportar é 3P. Inicialmente a barra está em repouso. atinge a mesma com velocidade de magnitude v. pode-se afirmar que a variação do vetor momento angular do 2 bloco.20 m e Sabe-se que as bolas deslizam sem atrito sobre uma superfície plana.0 j N é então aplicada no centro de massa do bloco. é tal que o valor de sen(α) é a) 3 2 2 2 1 2 1 3 1 6 74 Uma bola de bilhar 1 é arremessada com velocidade de magnitude v1=10 m/s contra outras duas bolas.5 d) 6. sendo posteriormente atingida por um projétil de massa m. no instante de tempo t2. e se fixa em sua extremidade.0 j r r b) − 2. conforme figura.0 j 76 Uma barra AB. está presa a uma parede por meio de uma articulação A. medida em m/s2. em relação à direção inicial. a bola 1 encontra-se em repouso e as bolas 2 e 3 são arremessadas em ângulos θ e φ.73 O vetor velocidade da partícula 3. II) A soma v2+v3 é igual a v1.0 i + 2.0 s.0 m/s e sen(φ)=0. pode girar livremente em torno de um pino articulado que passa pelo centro da barra (eixo OO´). III) A soma dos ângulos θ e φ é 60º. No instante de tempo t=0. Quando o sistema é liberado. IV) A energia cinética do sistema é conservada nessa colisão. Um fio inextensível. 2 e 3. o menor valor do ângulo α. o centro de massa do bloco r r encontra-se na posição r (0) = 4. respectivamente.0 e) 4. inicialmente em repouso. em relação ao ponto (0.5 i − 1.0 j m/s. inextensível e de massa desprezível. é enrolado à polia e. fazendo com que a barra passe a girar com velocidade angular constante. é r r a) 1. As massas das três bolas são iguais.5 Enunciado para as questões 78 e 79 75 Um bloco de massa m=3. que v2=8. no intervalo Δt . é preso um corpo de massa M=3. por sua vez.5 i − 2. de comprimento L e massa M.0 kg pode girar livremente em torno de seu eixo.0 kg desliza sem atrito sobre uma superfície horizontal (plano xy). Nessas condições. b) c) d) e) 77 Uma polia de raio r=0.5 i − 2.80. está fixo em uma superfície horizontal. com velocidade r r r r r v(0) = 1.0) do plano xy.0 kg. preso à parede em C.0 j r v d) 0. O projétil. durante um intervalo de tempo Δt=2. Considere as seguintes afirmações: I) O momento linear do sistema é conservado nessa colisão. de peso P e comprimento L.5 j r r c) − 3.0 i m. Logo após o choque. medido em m/s.

78 Quais grandezas físicas se conservam nesse processo? a) Energia cinética e momento linear. 80 Uma barra homogênea de comprimento L e massa M está presa em uma de suas extremidades a uma parede vertical. e supondo que a massa m do projétil seja muito menor que a massa M da barra. sem atrito. ao redor do ponto O. c) Energia cinética e momento angular. é dada aproximadamente por m v a) ML b) 2 c) 3 d) 4 e) 6 m v ML m v ML m v ML m v ML 79 Sendo I = 1 2 ML o momento de inércia da barra. No instante em que a barra bate na parede (θ = 90 ο). conforme mostra a figura. e) Momento linear somente. A barra gira. O momento de inércia da barra. 12 em relação ao eixo OO´. d) Momento angular somente. a magnitude da velocidade do centro de massa da barra é 1 3gL a) 2 b) c) d) e) 1 2 1 4 1 6 gL gL gL gL . em relação ao ponto O. L e v. em termos de m. M. a velocidade angular da barra. b) Momento linear e momento angular. é I = ML 3 2 ea aceleração da gravidade local é g. sendo abandonada na posição horizontal com velocidade inicial nula.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful