P. 1
1-Edema Congestao Hiperemia Hemorragia e Hemostasia-1

1-Edema Congestao Hiperemia Hemorragia e Hemostasia-1

|Views: 1.074|Likes:

More info:

Published by: Caio Henrique Di Giaimo on Oct 02, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/20/2013

pdf

text

original

Perturbações Hemodinâmicas

I- Edema, hiperemia, congestão, hemorragia e introdução à hemostasia.
PATOLOGIASUSTENTAÇÃO APLICADA 2º ano Medicina 2010
Módulo de Perturbações Circulatórias

George Seurat, 1886

DEFINIÇÃO: aumento do líquido no espaço intersticial ou nas cavidades;

Categorias fisiopatológicas:
Aumento da pressão hidrostática Redução da pressão osmótica do plasma Obstrução linfática Retenção de sódio Inflamação: já discutido

Alguns termos: hidrotórax, hidroperitônio, ascite, anasarca.

EDEMA: Variáveis que afetam o trânsito de líquido através das paredes capilares.
A pressão hidrostática é maior na extremidade arterial com saída de líquido para o meio externo A pressão coloidosmótica predomina na porção venosa do capilar com entrada de líquido para a luz capilar

1-Causas de edema por elevação da pressão hidrostática.

Obstrução ou compressão venosa
◦ Trombose venosa ◦ Obstrução externa ◦ Inatividade

Redução do retorno venoso

Dilatação arteriolar

◦ Insuficiência cardíaca congestiva ◦ Pericardite constritiva ◦ Cirrose hepática ◦ Calor ◦ Desregulação neuro-humoral
O edema, independentemente da causa primária, é um processo complexo e envolve interações entre diversos sistemas e órgãos.

Hipoproteinemias;
◦ ◦ ◦ ◦ Síndrome nefrótica Desnutrição Cirrose hepática Gastroenteropatias

3-Causas de edema por obstrução linfática:
inflamatórias, neoplasias, pós cirúrgicas ou pós irradiação.

4-Causas de edema por retenção de sódio: ingestão
excessiva de sal em pacientes com insuficiência renal, aumento da reabsorção tubular de sódio (hipoperfusão renal e aumento da secreção de renina-angiotensinaaldosterona).

LINFEDEMA:
◦ Causas: inflamatória ou neoplásica ◦ PADRÕES ESPECÍFICOS:
 Elefantíase  Peau d´orange

Pesquisa: o que significa edema em “peau d´orange”? Quando ocorre?

Dê uma olhada no esquema geral de causas de edema...bem resumido!

Condição final de várias patologias primárias:
◦ Disfunção sistólica  Cardiopatia isquêmica  Hipertensão

Insuficiência anterógrada e insuficiência retrógrada

Tanto em patologias com contração inadequada ou aquelas com carga hemodinâmica aumentada o organismo tentará adaptar-se através de:

Ativação SN simpático com liberação de norepinefrina; Ativação do sistema renina-angiotensinaaldosterona; Liberação do peptídeo natriurético atrial.

Mecanismo de FrankStarling; Alterações da estrutura do miocárdio com hipertrofia concêntrica ou excêntrica.

Represamento progressivo de sangue dentro da circulação pulmonar e redução do fluxo e da pressão sanguínea periférica A morfologia cardíaca depende da doença subjacente: hipertensão arterial, infarto, estenose mitral
◦ No geral o coração está aumentado de volume com dilatação e hipertrofia de VE e AE. ◦ Fibrilação atrial e trombose de câmaras esquerdas.  (No caso de trombose de câmaras esquerdas, quais as
consequências?)

Os efeitos extra-cardíacos da IC esquerda são mais significativos no pulmões: o aumento de pressão nas veias pulmonares leva a EDEMA e CONGESTÃO PULMONAR.

Pare e pense: Qual o significado de congestão passiva crônica pulmonar e edema agudo de pulmão?
Qual deve ser o aspecto dos pulmões nessas duas situações? Porque das diferenças? E a clínica?
Peças e lâminas de pulmão

◦ Mais comumente secundária à IC esquerda

PRIMÁRIA:
◦ Doenças intrínsecas pulmonares com hipertensão pulmonar crônica (COR PULMONALE) ◦ Patologias valvares direitas (tricúspide ou pulmonar) ◦ Cardiopatias congênitas

Os efeitos extra-cardíacos são mais intensos na circulação portal e sistêmica Padrões de congestão passiva crônica hepática e pulmonar (lâminas e peças)

Exercício: qual deve ser o quadro pulmonar na insuficiência cardíaca direita? Há sintomatologia hepática? Quais são as alterações sistêmicas? E a clínica?

EDEMA SISTÊMICO:interações entre ICC primária, IR primária e redução na pressão osmótica do plasma.

Refaça os circuitos do mapa conceitual agora partindo das patologias que cursam com redução da pressão coloidomóstica do plasma ou falha primária da função renal.

Definição: extravasamento de líquido para o espaço intersticial (recorde transudato e exsudato)

  

Aumento da pressão hidrostática causada pela redução do retorno venoso; Redução da pressão oncótica por redução na concentração plasmática de albumina (perda ou redução da síntese); Obstrução linfática; Retenção renal primária de sódio; Aumento da permeabilidade vascular (inflamação)

HIPEREMIA: processo ativo
◦ Sistêmico e local

CONGESTÃO: processo passivo
◦ Sistêmico e local

Exercício: QUAIS SÃO AS DIFERENÇAS CLÍNICAS ENTRE CONGESTÃO E HIPEREMIA?

Conceitos:
Eritema Cianose

Congestão passiva crônica

Definição: extravasamento de sangue dos vasos para o espaço extravascular Termos a serem guardados:
Hematomas Petéquias Púrpuras Equimoses Hemotórax, hemoperitônio, hemopericárdio e hemartroses ◦ Vasculites ◦ Trombocitopenias. ◦ ◦ ◦ ◦ ◦

A perda rápida de até 20% do volume vascular não causa maiores danos em indivíduos saudáveis. Porém perdas maiores podem induzir a um colapso circulatório (o chamado choque hipovolêmico). Também é muito importante lembrar que o local de uma hemorragia pode, às vezes, ser mais significativo do que o próprio volume sanguíneo perdido...

Definição: conjunto de processos que têm por finalidade a manutenção do sangue em estado fluído e livre de coágulos nos vasos normais e também induz a rápida formação de um tampão hemostático nos locais de lesão vascular. ENVOLVE 3 COMPONENTES:
◦ Parede vascular; ◦ Plaquetas; ◦ Cascata de coagulação.

Próxima sustentação: leiam sobre MECANISMOS DE HEMOSTASIA (cap. de distúrbios hemodinâmicos -Patologia Geral).

Integridade da parede dos vasos; Manutenção da pressão intravascular; Manutenção da osmolaridade; Manutenção do sangue no estado líquido; Formação de coágulos após lesões vasculares; Interrupção da cascata de coagulação após o tamponamento das lesões vasculares; Manutenção dos fenômenos pró-coagulantes e fibrinolíticos nos locais específicos de lesão vascular; etc...

A HEMOSTASIA ALTERADA é responsável pelas três principais causas de morbidade e mortalidade do mundo ocidental: Infarto do

miocárdio, embolia pulmonar acidentes vasculares cerebrais.

e

Por falar nisso... Há diferença entre hemostasia e homeostasia?

Entender os mecanismos de hemostasia é essencial para abordarmos o grande tema dos distúrbios hemodinâmicos: TROMBOSES E EMBOLIAS.

E para não perder o costume, citando o pai da Patologia Moderna, Virchow, veja sua famosa tríade!!!



  

30-congestão passiva crônica pulmonar de grau leve (pulmão) 51-congestão passiva crônica com edema e células do vício cardíaco (pulmão) 25-edema agudo de pulmão 192-edema cerebral 07-trombose do plexo hemorroidário 31-embolia pulmonar Peças: hemorragia cerebral (71 e 68), congestão passiva crônica do fígado (41,281,641)

Curtam as férias!!! Tomara que haja sol e calor!!!
Maria Lourdes Peris Barbo Nelson Brancaccio

 

Seurat, mestre do Pontilhismo

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->