Você está na página 1de 5
Masterclass Olga Roriz Coimbra, 19 de Outubro de 2011 16h00 - 19h00 Descrição: No âmbito

Masterclass Olga Roriz

Coimbra, 19 de Outubro de 2011 16h00 - 19h00

Descrição:

No âmbito da residência artística da Companhia Olga Roriz no Teatro da Cerca de São Bernardo (18 a 26 de Outubro de 2011), Olga Roriz dirige a primeira masterclass da sua carreira. Oportunidade única para visitar, pela mão da própria artista, o percurso e o processo criativo de uma das mais importantes coreógrafas portuguesas.

Por estranho que pareça, eu nunca dei nenhuma master class. Aula dada por um mestre. Quanto ao mestre ainda me posso reconhecer ou pelo menos ser reconhecida. Quanto a dar uma aula é coisa à qual nunca aspirei. Falo de aula no seu conceito mais comum. Dar eu dou todos os dias, dou e recebo como uma troca de presentes. É apenas esse dar despretensioso que me proponho oferecer. Sem tema, sem método, uma viagem caótica sobre o que faço e como faço.

Olga Roriz

Formadora:

Olga Roriz

Destinatários:

Jovens actores/actrizes e bailarinos/as; alunos/as do ensino artístico; público em geral

Calendário:

19 de Outubro de 2011 (quarta-feira), 16h00-19h00

Preço:

25,00 Euros (IVA incluído)

Local:

Teatro da Cerca de São Bernardo

Inscrições:

Preencha e envie a ficha de inscrição, ATÉ 10/10/2011, para geral@aescoladanoite.pt.

FICHA DE INSCRIÇÃO

Nome:

Idade:

Morada:

Telefone:

e-mail:

Formação escolar:

Experiência extra-escolar:

Já viu algum espectáculo de Olga Roriz Qual/is?

Residência Artística Olga Roriz Coimbra, Teatro da Cerca de São Bernardo 18 a 26 de

Residência Artística

Olga Roriz

Coimbra, Teatro da Cerca de São Bernardo 18 a 26 de Outubro de 2011

Olga Roriz é a artista convidada para a quinta residência artística do TCSB. Ao longo de uma semana e meia, o público de Coimbra vai poder assistir a três das suas mais recentes criações, incluindo o espectáculo “PETS”, recém-estreado no Teatro Camões.

Como é habitual nestas residências, a programação oferece, para além dos espectáculos, várias formas de aprofundar o conhecimento sobre o percurso criativo de uma das mais conceituadas bailarinas e coreógrafas nacionais.

A programação paralela inclui uma masterclass, uma exposição de fotografias, três filmes realizados

por Olga Roriz e vários momentos de encontro e conversa com a artista e os restantes elementos da sua companhia.

PROGRAMA

Electra

18/10, terça-feira, 21h30

sua companhia. PROGRAMA Electra 18/10, terça-feira, 21h30 Electra surge de um longo percurso de solos de

Electra surge de um longo percurso de solos de Olga Roriz iniciado em 1988. Em cada um revela-se

o cunho pessoal da autora/intérprete. Cada um desses solos é fruto não do acaso ou circunstância mas sim de um encontro e confronto consigo própria. Os seus solos nascem de uma urgência, de uma evidente necessidade, da invasão de uma ideia que se instala e a impele a um desafio sem retorno.

“É uma mulher que não pensa nem sente. Ela tortura-se, obriga-se, anula-se Não há resignação, não há desistência, apenas por vezes uma espécie de falso e tranquilo abandono. Ela mostra sem pudor a sua força e a sua fraqueza, a sua nobreza e a sua humilhação. Ela é uma mulher assustadoramente presente na sua ausência. Os seus olhares para o exterior de si são os únicos indicativos da sua espera onde o tempo não existe. Ela nunca se expõe, apenas se dispõe.”

[Olga Roriz]

coreografia e interpretação Olga Roriz dramaturgia, selecção musical, figurino Olga Roriz e Paulo Reis cenário Paulo Reis desenho de luz Clemente Cuba desenho, captação de som e pós-produção áudio Sérgio Milhano M/12 > 60' > 6 a 10 € > bilhete geral para os três espectáculos da residência: 15 a 24 €

Nortada 21 e 22/10, sexta e sábado, 21h30 “Um espectáculo sobre as memórias de uma

Nortada

21 e 22/10, sexta e sábado, 21h30

Nortada 21 e 22/10, sexta e sábado, 21h30 “Um espectáculo sobre as memórias de uma terra

“Um espectáculo sobre as memórias de uma terra onde nunca vivi mas de que guardo os mais fortes momentos de infância e adolescência. Tudo nessa terra me é familiar apesar de tanta ser a distância

e maior ainda a ausência. Foi exactamente nesse lugar de confronto entre a incontornável distância

e a profunda proximidade afectiva que nasceu, se desenvolveu e construiu esta peça. Nortada situa-se num lugar invadido de nostalgia, de saudade, de intimidade. Cada memória feita imagem é carregada de um simbolismo quase inocente como o olhar dessa criança que fui.” [Olga Roriz]

direcção e selecção musical Olga Roriz cenário Pedro Santiago Cal figurinos Olga Roriz desenho de luz Cristina Piedade músicas Amália, Bau, Corelli, Croke, Charles Trenet, Dead Combo, Grupo Folclórico de Santa Marta de Portuzelo, Pink Martini, Klezmer Music textos criação colectiva intérpretes Catarina Câmara, Rafaela Salvador, Sylvia Rijmer, Bruno Alexandre, Pedro Santiago Cal M/12 > 100' > 6 a 10 € > bilhete geral para os três espectáculos da residência: 15 a 24 € (espectáculo no âmbito da rede CULTURBE – Braga, Coimbra e Évora)

PETS

25 e 26/10, terça e quarta, 21h30

“PETS é um espectáculo sobre nós, seres afectuosos, facilmente domesticáveis, afeiçoados, dóceis e selvagens, perigosos e cruéis. Falso! É um espectáculo onde nos propomos observar o inatingível. O privado e o público. O quotidiano, a rotina e os hábitos. O silêncio e a solidão. Os lugares apertados. O espaço sem espaço. A acumulação dos detritos. A reciclagem dos afectos, dos objectos dos sentidos.

A azáfama e a inércia. As pequenas palavras. A procura dos nomes. As presas e as surpresas. O jogo

de poderes. A sedução. O desejo. O domador e o domesticado. As funções e disfunções. A dependência. Reacções e confusões. A vivência possível. A ironia de uma partilha forçada. A falsa privacidade. O engano. O acaso. Brincar como se fosse ao acaso. Homens e mulheres afeiçoados por si próprios. Auto domesticados. Selvagens. Um espaço interior com paredes, portas e janelas imaginárias. A luz é apenas uma memória. O som da cidade dissipou-se no tempo. A clausura torna-se real.”

[Olga Roriz]

direcção e figurinos Olga Roriz selecção musical João Raposo e Olga Roriz música Arvo Part,

direcção e figurinos Olga Roriz selecção musical João Raposo e Olga Roriz música Arvo Part, Bebe, Bonobo, Carlos Gardel, Caverna, Eleni Karaindrou, Gotan Project, Joan Jeanrenaud, Jonny Greenwoog, Pink Martini, The Chemical Brothers, Wax Poetic intérpretes Catarina Câmara, Maria Cerveira, Marta Lobato Faria, Bruno Alexandre, Pedro Santiago Cal desenho de luz Cristina Piedade pós-produção audio João Raposo técnico de som Hugo Glória técnico de luz Daniel Verdades M/12 > 80' > 6 a 10€ > bilhete geral para os três espectáculos da residência: 15 a 24 €

OUTRAS ACTIVIDADES

exposição de fotografias

foyê do TCSB > 18 a 26/10 > segunda a sexta, 10h00-13h00 e 14h30-18h30; sábado e domingo, 14h30-18h30; dias de espectáculo, até às 24h00

masterclass

de Olga Roriz TCSB > 19/10 > quarta-feira, 16h00-19h00

filmes

A Sesta + Interiores TCSBar > 19/10 > quarta-feira, 21h30 > 15' + 15'

Felicitações Madame TCSBar > 23/10 > domingo, 21h30 > 60'

conversas com o público

no final das primeiras sessões dos espectáculos Nortada e PETS TCSBar > sexta e terça > 23h00

Olga Roriz Olga Roriz (1955) começou a estudar dança com apenas 4 anos. Aos 15

Olga Roriz

Olga Roriz Olga Roriz (1955) começou a estudar dança com apenas 4 anos. Aos 15 ingressa

Olga Roriz (1955) começou a estudar dança com apenas 4 anos. Aos 15 ingressa na Escola de Dança

do Conservatório Nacional de Lisboa. Em 1975 inicia a sua colaboração como bailarina no Ballet

Gulbenkian, criando em 1978 a sua primeira coreografia - "Que loucos que somos! Tu não és?" -

para o Atelier Coreográfico desta companhia. Mantém-se no Ballet Gulbenkian até 1993, sendo

sucessivamente bailarina solista (1985), primeira bailarina (1988) e coreógrafa principal (1990).

Em 1995, cria a Companhia Olga Roriz, que dirige até hoje. A estreia ocorre no Grande Auditório do

Centro Cultural de Belém, com os espectáculos "Introdução ao Princípio das Coisas II" e "Finis Terra

II".

Dos vários prémios que recebeu, destaca-se: melhor coreografia para vários espectáculos no Ballet

Gulbenkian - "Três canções de Nina Hagen" (1984), "Terra do Norte" (1985), "Espaço Vazio" (1986),

"Treze gestos de um corpo" (1987), "Presley ao Piano" (1988) -; melhor coreografia do ano com

""The seven silences of Salome", no English National Ballet-Londres (1993); Prémio Almada atribuído

pelo Instituto das Artes pela peça "Pedro e Inês" e insígnia da Ordem do Infante D. Henrique /

Grande Oficial pelo Presidente da República, pela sua carreira e enriquecimento da cultura

portuguesa (2004).

"F.I.M. - Fragmentos/Inscrições/Memórias" (2000), "Os Olhos de Gulay Cabbar" (2000), "Não

Destruam os Mal-me-queres" (2002), "Pedro e Inês" (2003), "Paraíso" (2007), "Inferno" (2008) e

"Nortada" (2009) e “Electra” e "A Sagração da Primavera" (2010) são apenas alguns dos

espectáculos que marcam a sua criação mais recente e que estão na memória de todos quantos a

eles puderam assistir.

Contactos:

A Escola da Noite – Grupo de Teatro de Coimbra Teatro da Cerca de São Bernardo 3000-097 COIMBRA t. 239 718 238 f. 239 703 761 telem 966 302 488 geral@aescoladanoite.pt www.aescoladanoite.pt