Você está na página 1de 2
Caríssimo Macongino (a) reaL rePÚbLiCa De maCoNGe “ULtima ratio reGNUm” SobaDo De Portimão A coisa

Caríssimo Macongino (a)

reaL rePÚbLiCa De maCoNGe “ULtima ratio reGNUm”

SobaDo De Portimão

A coisa resume-se assim:

Sua Majestade, o II Vice-Rei de Maconge, D. Olavo I, Grão-Duque de Mocolocolo, por graça da malta, estava lá nos seus aposentos, refastelado na sua rede de lembranças, quando lhe deu uma das régias vontades de Cear. Levantou-se – demoradamente -, ajeitou o manto e ordenou ao seripipi de serviço que reunisse no seu jango os Altos Conselheiros de Estado à volta de uma piroada com peixe seco – sim, não se deve pensar e muito menos ordenar, com os nobres estômagos vazios. E, dito e feito, determinou e mandou régia autorização para a realização da 6ª Ceia Nacional de Portimão, a 29 de Outubro de 2011.

Depois disto, Companheiras e Companheiros, o que nos resta?! Desobedecer?! Nem pensar! Um macongino, conquistado o Mundo e o Universo, é nas Ceias de Maconge que ordena a Alma do Reino, congemina a eternidade e reforça a adolescência, essa essência de luz revigorante no nosso caminho.

Todos à Magna Manifestação de Maconge – a Ceia, num propósito de Igualdade e Fraternidade, com a quixotesca Lábia, Linha e Lata.

Para isso, puitas e quissanges, ngomas e burumbumbas, marimbas e chingufos, latas velhas e sinos de igrejas, chifres de olongo, seripipis e tchiriquatas modernos, vulgo ih-meile e televoz, estão já no convocamento da M.M.M.

Já se ensaiam rapsódias de estudante e o macau, a bulunga e a kissangua já se provam para celestiar o tchihimi e o lombi, a maçaroca e o cará.

Está a chegar a hora, Macongino.

O que faço não interessa sem o teu abraço

e esta promessa quando aconteceu Maconge nasceu.

Não faltes e dá a Boa-Nova a todos os que encontrares.

Programa do Convívio

A partir das 12,30h, encontro no local do almoço e respectivo cujo. Às 17,30h já devíamos estar todos no local da Ceia. Às 18h jonjaremos umas entradas para animar a conversa. Às 20h, nem que a vaca tussa, início da Ceia Tradicional de Maconge. Às 23h mais ou menos, fados e guitarradas. Às 24h rebita regularmente renhida e revigorante

(Jonjar: comer aos bocadinhos, debicar, fazer as coisas lentamente para tirar o máximo de prazer.)

Almoço Churrasco da Arimba no “Restaurante Lugar do Rio”, a 12€ por pessoa.

Ceia

No Restaurante “Lugar do Rio”, no Parque de Feiras e Exposições de Portimão. Logo à entrada de Portimão, na rotunda por cima do túnel (por isso não podes entrar no dito), segue as tabuletas, as setas, as indicações. Olha, pergunta!

Além dos acepipes da tarde, teremos ao jantar, um couvert simples, sopa de legumes da Humpata, Caldeirada de Cabrito Ultramarino de Serra Abaixo, doces da Huíla e fruta da Mapunda, café e um digestivo Sbell e, lá mais para a meia-noite, um caldo verde em troca de 26 pitanguinhas por pessoa.

Marcações para a Ceia, até dia 27: para 96 7755564 ou 282 414 406 ou 282 482 970 tchinderevalguerr@gmail.com

Alojamento

No Hotel Luar, na Praia da Rocha, a 30€ o quarto duplo e a 27,5€ o quarto single, com pequeno-almoço incluído. Na rotunda do repuxo de água, vira à esquerda que o Hotel é 200 metros mais à frente, à direita.

Cada um marca a sua cubata: digam que são maconginos. Telef: 282 418 738.

Portimão, 1 de Outubro do 72º Ano da Era de Maconge Deste Soba por Vossa Graça Com Forte Abraço

Valério Guerra