P. 1
INTRODUÇÃO À FARMACOLOGIA

INTRODUÇÃO À FARMACOLOGIA

|Views: 6.094|Likes:
Publicado porrosi oliveira

More info:

Published by: rosi oliveira on Oct 10, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/01/2013

pdf

text

original

1

I - INTRODUÇÃO À FARMACOLOGIA

1.1 - Definições
o FARMACOLOGIA: é a ciência que estuda os medicamentos. o MEDICAMENTOS: são substância que introduzidas no organismo. Produzem um efeito terapêutico, ou seja, previnem, aliviam ou curam um estado patológico. o DROGA: é toda substância originada do reino animal, vegetal ou mineral e que poderá ser transformada em medicamento.

1.1.1 - Divisão da Farmacologia
o FARMACOGNÓSIA: ramo da farmacologia que estuda as características das drogas em seu estado natural, ou seja, a matéria-prima vegetal. o FARMACODINÂMICA: ramo da farmacologia que estuda as ações e efeitos dos medicamentos desde a administração até a sua eliminação. o FARMACOTÉCNICA: é a arte de preparar, combinar a aviar os medicamentos. o FARMACOTERAPÊUTICA: é a parte da terapêutica que tem como objetivo, curar as doenças ou fazer tratamento através dos medicamentos usados sem doses maiores, bem como os artifícios para neutralizar ou eliminar a droga em caso de intoxicação. o FARMACOQUÍMICA: estuda a composição e estrutura química do medicamento.

1.1.2 - Origem dos Medicamentos.
Os medicamentos são oriundos dos três reinos, ou preparados através de reações químicas (síntese). 1. Reino Animal – Substâncias medicamentosas extraídas de glândulas e órgão de animais. Ex: Hormônios, Adrenalina, Insulinas, Óleo de peixe Ômega – 3. 2. Reino Vegetal – Substâncias medicamentos extraídos de diversas partes de plantas Ex: Alcalóides de Beladona = Atropina, Digitalina. 3. Reino Mineral – Substâncias medicamentos extraídos de fontes de minério. Ex: Iodo, Cálcio, Ferro, Magnésio. 4. Medicamentos Sintéticos – São medicamentos sintetizados em laboratórios. Ex: Ácido Acetilsalicílico, Sulfas, Antibióticos.

1.1.3 - Formas Farmacêuticas
É a maneira pela qual o medicamento é apresentado. Podemos classificá-las em: o Formas líquidas – poções, misturas, limonadas, emulsões, loções, embrocações, gargarejos, colírios. o Formas semi-sólidas – pomadas (são macias e pegajosas), pastas (contêm substâncias insolúveis) pastas, cremes e linimentos. o Formas sólidas – comprimidos, pílulas, drágeas, cápsulas, supositórios, tabletes, pastilhas, óvulos.

2 o Comprimidos – são substâncias sólidas obtidas pela compreensão do medicamento seco. Salvo raríssimas exceções, devem ser deglutidos inteiros, sem mastigá-los. o Cápsulas – são medicamentos contidos em invólucro amiláceo ou gelatinoso. São desintegrados no estômago. o Drágeas – são pílulas cobertas por uma camada de verniz ou goma arábica com o objetivo de amenizar o sabor, conservar o medicamento e principalmente dar ao comprimido desintegração entérica, ou seja, desintegrados no intestino. o Pastilhas – Podem apresentar vários formatos e apresentam uma pasta de açúcar encobrindo a substância medicamentosa. Ex: Cepacol. o Pós – são substâncias medicamentosas sólidas, normalmente insolúveis de uso interno ou externo. Ex: carbonato de cálcio, bicarbonato de sódio. o Poções – forma farmacêutica aquosa ou hidro-alcoólica açucarada contendo substâncias medicamentosas. É administrado em colheres ou cálices. Ex: poção de Todd, poção antidiarréica. o Colutórios – também chamados de enxaguatórios ou gargarejos, são soluções geralmente antissépticas destinadas a lavar ou enxaguar a cavidade bucal. Ex: Cepacol líquido, Flogoral, Iodine tópico. o Xaropes – são soluções concentradas de açúcar em líquidos aquasos, adicionadas de substâncias medicamentosas. Ex: antitussígenos, expectorantes. o Elixir – é uma solução aromática edulcorada, geralmente hidro-alcoólica, contendo substâncias medicamentosas solúveis. Ex: Clistin, Elixir. o Colírio – medicamento para ser aplicado nos olhos e pálpebras. Uso tópico. Ex: Visadron, Maxitrol. o Tinturas – substância medicamentosa que têm como veículo o álcool. Ex: Merthiolate tintura, Tintura de Canela, Tintura de Iodo. o Injetáveis – são formas farmacêuticas estéreis destinadas a ser introduzidas no organismo através da pele por meio de agulhas ou pistolas. o Soluções Parenterais – são consideradas sob essa denominação as Soluções Injetáveis de Grande Volume, impropriamente chamados de soros. Podem ser isotônicos ou hipertônicos e administradores por via EV. o Soluções Isotônicas – são soluções nas quais a concentração do elemento é igual a do organismo. Ex: solução glicosada a 5% cloretada a 0,9%. o Soluções Hipertônicas – as concentrações são superiores às do organismo.

1.1.4 - Nomenclatura das Drogas
Os medicamentos possuem um nome químico, um nome oficial, um nome genérico e um comercial.

3 O nome químico vem da estrutura molecular da substância; o nome oficial é o que consta nos livros oficiais, farmacopéias; o nome genérico é aquele que se dá à classe química ou farmacológica a que pertence à droga. O nome comercial é o nome que o laboratório dá ao produto, não podendo ser usado por outro laboratório. Exemplo: Nome químico: 6 – metoxi – 3 – sulfanilamido piridazine; Nome oficial: sulfametoxipiridazina; Nome genérico: sulfonamida; Nome comercial: Lederkim.

1.2 - Ação das drogas sobre o organismo
Após a introdução dos medicamentos no organismo, esses vão sofrer transformações metabólicas, a fim de serem aproveitadas e produzem efeito terapêutico.

1.2.1 - Classificação dos medicamentos quanto à ação
a) Medicamentos de ação geral Para que haja ação é necessário que o medicamento caia na corrente circulatória a atinja órgãos, tecidos e células. São exemplos de medicamentos de ação geral: ● Estimulantes – são medicamentos que aumentam a atividade celular, como digitálicos, estimulantes do coração e cafeína, estimulante do cérebro. ● Depressivos – são medicamentos que diminuem a atividade celular. Ex: Morfina que deprime o centro respiratório no SNC. b) Medicamentos de ação local São medicamentos de uso externo. Agem sobre a área onde são aplicados: ● Pele – cremes, pomadas e lavagens de ferimentos. ● Mucosas – atuam localmente sobre as mucosas onde são aplicados, como pomadas, supositórios, óvulos vaginais, clister, gargarejos, colutórios, spray anestésico. Os medicamentos de ação local são classificados em Antissépticos, que impedem o desenvolvimento dos germes. Adstringentes, os que provocam vasoconstrição, diminuindo a luz dos vasos. Eles contraem os tecidos. Emolientes, os que agem bloqueando as terminações nervosas e sensoriais obtende a diminuição ou perda da sensibilidade local, como é o caso dos anestésicos locais aplicados sobre a pele e mucosas para exames, tratamento e pequenas cirurgias. c) Medicamentos de ação local-geral São medicamentos que simultaneamente produzem efeito ou ação local e geral. Ex: Epinefrina aplicada na mucosa nasal para estancar hemorragia (epistaxe) é absorvida e, caindo na corrente circulatória produz aumento da tensão arterial.

4

1.3 - Dosagem dos medicamentos
● Posologia – é o estudo das doses de administração dos medicamentos. ● Dose – é uma determinada quantidade de uma droga administrada no organismo, a fim de produzir o efeito terapêutico.

1.3.1 - As drogas dos medicamentos podem ser classificadas em
● Dose mínima - é a menor quantidade de um medicamento capaz de produzir o efeito terapêutico. ● Dose máxima – é a maior quantidade de um medicamento capaz de reproduzir o efeito terapêutico. Se esta dose for ultrapassada, acarretará efeitos tóxicos ao organismo doente. ● Dose tóxica – é a quantidade de um medicamento que ultrapassa a dose máxima, causando perturbações, intoxicação ao organismo, até a morte. ● Dose letal – é a quantidade de um medicamento que causa a morte do indivíduo.

1.3.2 - Fatores que modificam a dosagem
● Idade – o adulto requer uma dosagem maior de medicamentos do que a criança e do idoso. ● Peso - geralmente, quanto maior o peso, maior será a dosagem do medicamento. ● Sexo – as mulheres são mais sensíveis à ação do medicamento do que os homens. Estes necessitam, em alguns casos dosagem maior do que as mulheres. ● Vias de administração – são também fatores que devem ser considerados no estabelecimento da dose. A dose de medicamento administrado por via endovenosa deve ser menor que por via intramuscular e, essa menor que a dose por via oral.

1.4 - Vias de administração de medicamentos
No conjunto de medidas destinadas ao restabelecimento da saúde está o uso de medicamentos, que são ministrados por diversas vias, de acordo com especificação médica.

1.4.1 - Vias indiretas
● Via Cutânea – Poucas substâncias são prontamente absorvidas pela pele. Nos casos em que isto ocorre, a absorção dessas substâncias é proporcional à sua solubilidade em lipídio, uma vez que se comporta como barreira lipídica. O grau de absorção pode ser aumentado pela suspensão de substâncias em veículo oleoso e por fricção da preparação resultante sobre a pele. ● Via Mucosa – (cavidades abertas). A via oral costuma ser a mais segura, econômica e conveniente. Este método é contra-indicado, por exemplo, nos casos em que o medicamento irrita a mucosa ou interfere na digestão, ou o paciente não consegue deglutir. A absorção pela mucosa oral é rápida. Utilizaram-se também as vias sublingual, gástrica, duodenal, retal, respiratória, geniturinária e oftálmico-visual.

5 ● Via Serosa – (cavidade fechada) – Constam deste grupo as vias peritonial, intratecal pleural, peridural e sinovial.

1.4.2 - Vias diretas
● Via Intradérmica – Uma solução injetável é introduzida na derma, método comumente utilizado para verificação de sensibilidade alérgica, de reações de hipersensibilidade, bem como para vacinas e autovacinas. As soluções ministradas desta forma devem ser cristalinas e isotônicas. Como a derma é bastante fina, o volume Maximo aplicado é de 0,5 ml, Sendo que me geral aplicam-se frações inferiores ou iguais a 0,1 ml. ● Via Subcutânea – É utilizada para a aplicação de certas vacinas, como a anti-rábica e a antisarampo, e de certos hormônios, como a adrenalina e a insulina. No máximo 1,5 cm³ de solução deve ser introduzido por esta via. O medicamento deve ser de fácil absorção e não irritante do tecido, para não formar abscessos. ● Via Intramuscular – O tecido muscular aceita a injeção de substâncias irritantes em doses superiores a 1,5 ml e inferiores a 5 ml, além de medicamentos de difícil absorção. ● Via Intravenosa – Introduzem–se medicamentos diretamente na veia nos casos em que a ação direta de alguma droga seja necessária, o medicamento irrite o tecido, seja de grande volume ou doloroso por outra via. Entre as vias diretas, são também utilizadas para administração de medicamentos as vias intra-arterial, cardíaca e linfática. Além das já citadas existem as vias extras, utilizadas com menor freqüência. Constam deste grupo a membrana timpânica, as feridas cutâneas e as cáries dentárias.

1.5 - Absorção dos medicamentos
Após a introdução dos medicamentos no organismo, esses precisam ser absorvidos, a fim de produzirem o efeito terapêutico. Após a absorção, os medicamentos caem na circulação geral, sendo conduzidos aos órgãos, tecidos e células onde são metabolizados. A absorção dos medicamentos é mais rápida quando eles são administrados em soluções do que os administrados em forma sólida.

1.5.1 - Eliminação dos medicamentos
O organismo tende a eliminar as drogas que nele são introduzidas, após sua transformação, sob a forma de metabolitos. A principal via de eliminação das drogas é o rim. Elas são também eliminadas através das fezes, aparelhos respiratórios, pele, glândulas salivares e mamarias, nas nutrizes. Dependendo do tipo de medicamento, a eliminação se faz de forma lenta, como no caso da Digitalina e, rapidamente, como os anestésicos gerais.

1.6 - Cuidados de enfermagem na administração de medicamentos
● A administração de medicamentos é uma das mais sérias responsabilidades que pesa sobre a equipe de enfermagem. ● Exige-se, além da habilidade manual, segurança, discernimento e conhecimento. ● Os medicamentos devem administrados com exatidão, de modo a produzir os melhores resultados, com a menor margem de erros, conhecendo-se: ● a ação das drogas no organismo; ● a dosagem e os fatores que a modificam;

● Administrar somente os medicamentos preparados pela própria pessoa ou por serviço especializado do hospital. ● Observar cuidadosamente a via de administração prescrita. ● Ler cuidadosamente cada cartão de medicamentos (3 vezes).6 ● as vias de administração.6. ● Ao administrar medicamentos por via endovenosa. ● Observar técnica asséptica. ● Observar que os rótulos dos medicamentos sejam legíveis e válidos. ● absorção e eliminação dos medicamentos. pois poderão ocorrer alterações químicas. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 2 – Que é medicamento? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 3 – Relacione as formas farmacêuticas em que se apresentam os medicamentos e cite um exemplo de cada uma. inativando-os. ● Evitar tocar o medicamento com as mãos (comprimidos. escolher agulhas adequadas. eles agem três formas. ● Não misturar medicamentos injetáveis diferentes. checá-lo no prontuário. outros). bem como as observações sobre intolerância à droga e intoxicações medicamentosas. pois são irritantes aos tecidos. ● Fazer cálculos corretos da dosagem dos medicamentos injetáveis. a menos que receba orientação para isso. ● Após administrar o medicamento. ● cuidados de enfermagem gerais e específicos na administração de medicamentos. 1. ● Os medicamentos administrados devem ser anotados no prontuário do paciente. o medicamento certo. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 5 – Quanto à ação dos medicamentos. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 6 – Na determinação da dosagem dos medicamentos os fatores que devem ser considerados são_____________________________________________________________________________ . a dose correta.1 . ● Não conversar durante o preparo de medicamentos. hora certa e paciente certo. ● Observar técnica correta na administração de medicamentos. EXERCÍCIOS 1 .Cuidados gerais na administração de medicamentos ● Todo medicamentos deve ser prescrito pelo medico. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 4 – Descreva a ação dos medicamentos no organismo.Conceitue “Drogas”. não deixar que haja extravasamento dos líquidos. Ao administrar injetáveis. Cite–as explicando cada uma delas. “5C” (os 5 certos).

II – DROGAS QUE ATUAM NO SISTEMA NERVOSO CENTRAL O SNC trata de coordenação e do controle de todas as funções do corpo. ( ) Substância sólida obtida pela compressão do medicamento seco. Os estimulantes respiratórios e os estimulantes superadores da depressão são os que . _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 11 – Para que a equipe de enfermagem seja autorizada a administrar medicamentos deve possuir os seguintes critérios: _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 12 – Relacione a 2ª coluna à 1ª nas citações abaixo. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 8 – Como se processa a absorção dos medicamentos? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 9 – Relacione as vias de eliminação dos medicamentos e quando ocorre a eliminação dos mesmos. Ele recebe estímulos e os transmite ao centro superior do cérebro.1 . EV. Tais funções podem ser modificas por meio de substâncias introduzidas no organismo.Classificação das substâncias que atuam no SNC a) Estimulantes – As drogas que estimulam o SNC ajudam-nos a pensar e raciocinar mais rapidamente. onde se realiza o processo mental. Forma de apresentação do medicamento ( a ) Tintura ( b ) Cápsula ( c ) Poção ( d ) Drágea ( e ) Emulsão ( f ) Xarope ( g ) Comprimido Significado ( ) Substância medicamentosa que tem como veículo o álcool. ( ) Medicamento contido em invólucros amiláceo ou gelatinoso. o córtex cerebral. ( ) Pílula coberta com um camada de verniz ou goma arábica. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 10 – Relacione os cuidados gerais de enfermagem na administração de medicamentos. ( ) Substância gordurosa dispersa em água. ( ) Medicamento em forma líquida coberto por uma camada de açúcar. ( ) Forma farmacêutica aquosa ou hidro-alcoólica açucarada.7 7 – Escreva como ser classificam as doses dos medicamentos e qual o significado de cada uma. 2. ( ) Formas farmacêuticas estéreis destinadas a serem introduzidas no organismo Via IM. possibilitando o tratamento dos distúrbios do sistema nervoso.

simultaneamente. quando prescrito por via oral. São exemplos de estimulantes.Apreensão . . Entorpecentes 8. ● Administrar o medicamento. Em resumo.: anticonvulsivantes relaxantes musculares. Cafeína. Tylex.1 . Novalgina. AAS. antitérmicos. melhorando o trabalho intelectual. Grupo de Atropina 7. de preferência após a alimentação. Antipiréticos e Anti-reumáticos 2. observar a sudorese que pode ser intensa. provocando a queda da temperatura a níveis normais. ● Observar sinais de intolerância ao medicamento: náuseas. que são sinais de superdosagem.: anestésicos. os analépticos: Oxigênio. podendo levar à desidratação. c) Depressores e Estimulantes Seletivos do SNC – Essas substâncias podem manifestar efeitos depressores ou excitantes em alguns casos. Cuidados de Enfermagem ● Observar dose a ser administrada afim de evitar enganos e superdosagem. especialmente em crianças. Ex. hipno-sedativos.8 têm maior valor medicinal. Anticonvulsivantes 5.Irritabilidade . Sedospan. Anestésicos 3. os medicamentos que atuam sobre o SNC são classificados em: 1. Metilmebulina – contêm Dipirona. Nalorfina. pois visam restabelecer a consciência e fazer com que o paciente volte a ser mentalmente alerta.Taquipnéia . evitando-se a irritação gástrica. 2. antipiréticos e anti-reumáticos Definição – São medicamentos dotados da capacidade de suprimir a dor. Ex. Relaxantes musculares de ação central 6. Cuidados de Enfermagem ● Observar sinais e sintomas como: . Exemplos: Aspirina. Algafan. Hipnóticos e Sedativos 4.Sudorese .Cefaléia. Nalorfina. Ronal – contêm Ácido Acetil Salicílico. Suprimem a sensação de sono e fadiga e estimulam os centros de percepção.Analgésicos.2 – Medicamentos que atuam sobre o SNC. Estimulantes do SNC 2. Tylenol.Taquicardia . Tonopan. vômitos. analgésicos. dor epigástrica. b) Depressores – Esses agentes têm a capacidade de deprimir todo o tecido excitável do SNC. narcóticos. anorexia. Dôrico – contêm Acetominofen. Analgésicos. ● Em pacientes com hipertermia. Agem ainda como anti-inflamatórios. barbitúricos. Agem seletivamente sobre o sistema termo-regulador de pacientes com hipertermia.2.

Pode ser acrescentada a Atropina ou Escopolamina. Os anestésicos dividem-se em: ● Gerais ● Locais 2. Cuidados de enfermagem . Definição – São medicamentos que tornam o paciente insensível à dor. por serem medicamentos de ação central.2 . com supressão da aplicação do anestésico. após o surgimento de outros mais modernos e eficazes. ● Fazer controle de temperatura. Ciclopropano e Óxido Nitroso. ● Diminuir os problemas de intoxicação anestésica.2. Recuperação – Fase pós-cirúrgica em que. devendo ser administrado por via oral. 2. A Dipirona pode causar discrasia sanguínea.2. São anestésicos gerais: ● Éter Anestésico (Óxido de Etila).Medicação pré-anestésica Definição – È uma combinação de drogas sedativas e narcóticas. Podem ser administrados por via respiratória e parenteral (E.2. Fluotane – anestésicos gerais eficazes e potentes. depressoras do SNC. o paciente vai recobrando a consciência.M). principalmente nos pacientes em tratamento prolongado com salicilatos.. como é o caso do Ketalar). Alguns anestésicos gerais foram abolidos de uso. administrados por inalação. Ex: Dolosal. Ketalar – anestésicos derivados dos Barbitúricos. sua concentração vai diminuindo até chegar a zero.V. Até o inicio da anestesia. ● Thionembutal.Anestésicos gerais São medicamentos que deprimem o SNC a tal ponto que perde toda a sensibilidade à dor e permanece inconsciente. insetos de reações colaterais mais agressivas.2. Nembutal. ● Observar fenômenos hemorrágicos.2 . de acordo com o tipo de cirurgia e. com uma hora de antecedência à cirurgia. tem como objetivos: ● Tranqüilizar o paciente afim de diminuir a quantidade de anestésico durante a cirurgia. tornandose alerta.1 . afim de controlar o efeito do medicamento em caso de hipertermia. ● Halotane.2. Com freqüência o anestesista prescreve um sedativo suave como o Valim.Fases da anestesia geral Introdução – Inicia-se no momento da administração do anestésico. e I. Dolantina ou Mepiridina. e I. são administrados por via parenteral (E.M.9 ● Fazer controle de respiração. visando inibir as secreções traqueobrônquicas e a salivação. A medicação pré-anestésica é indicada no pré-operatório. administrados por inalação (via respiratória).V. ● Observar sonolência e hiperventilação. Manutenção – Período em que o indivíduo permanece anestesiado para o ato cirúrgico. 2.

2.Anestésicos locais Definição – São medicamentos que aplicados em locais predeterminados. ● Bupivacaína 0.2. Rolypnol. pois bloqueiam as terminações nervosas. provocam perda da sensibilidade regional. depressão. porém.4 . pois atuam no córtex cerebral. rubor. Produzem ação sedativa e hipnótica. ● Xilocaína com ou sem Adrenalina a 1 ou 2%. tubetes. Indicada pra bloqueio de determinado regiões: mão braço.3. Novocaína – faz bloqueio da condutividade do nervo. São também usados como anticonvulsivante. ● Andolba (spray). Anestesia troncular – feita diretamente nos troncos nervosos ou ao ser redor. respiração lenta e nível de consciência. 2. Thionembutal. ● Observar coloração da pele (palidez.São anestésicos locais ● Procaína.5% sem ou com adrenalina.5%. não aliviam a dor. 2%.75% sem adrenalina. podendo ser combinados com um analgésico. . ● Marcaína 0. de preferência sob chave. Empregam-se pomada. 2.2. geléia.2. Luminal (fenobarbital) e Thionembutal. Ex. 2. Anestesia por Infiltração – É feita no tecido subcutâneo para pequenas cirurgias. ● Lidocaína sem ou com adrenalina (tubetes para anestesia odontológica).3 . Os produtos comerciais mais usados são: Gardenal.Hipnóticos e analgésicos Hipnóticos – São medicamentos que induzem ao sono.10 ● Observar efeitos do medicamento: sonolência.Os hipnóticos podem ser a) Barbitúricos b) Não barbitúricos Barbitúricos – São depressores do SNC. Dormonid. ● Devem ser guardados em lugar seguro. Anestesia raquidiana – É feita diretamente no espaço subaracnóide (canal raquidiano).1 . 2. Cuidados de enfermagem ● Esse medicamento deve ser rigorosamente controlado. Dalmadorm. porque induzem à dependência ou vício. ● Controlar Pa e R. ● Xilocaína spray.2. Com esses anestésicos podem ser feitos vários tipos de anestesia: Anestesia superficial – É aplicada localmente sobre a pele ou mucosas.2. ● Neotutocaína pesada a 0. viscosa.3 . cianose). ● Xilocaína Pesada 5%. geléia ou spray de xilocaína por exemplo. sem perda da consciência. Fentanil.

bradicardia. anti-secretores e midriáticos.2. Não se conhece na integra seus efeitos tóxicos. com capacidade de fazer relaxamento muscular. Flaxedil. 2. ● Oferecer alimentos. ● Controlar diurese. secura na boca. a fim de evitar constipação. que são efeitos colaterais do medicamento. vômitos.5 . Valpaquine. tremores. Cuidados de enfermagem ● Controlar P. devido ao relaxamento muscular poderá ocorrer apnéia e hipotensão grave. podendo ocorrer na superdosagem.4 . Os mais usados são: Quelicin. Cuidados de enfermagem ● Orientar o paciente sobre os efeitos da Atropina.2.Anticonvulsivantes Os medicamentos anticonvulsivantes atuam deprimindo o SNC. Ex. vertigens. São empregados no combate às convulsões e epilepsia. Luminal. Atualmente são substituídos pelos barbitúricos. Alloferine. hipotensão e apnéia. ● Estar atentos a sinais como: tonteiras. pois sua toxidade se reflete no sistema geniturinário. bexiga. Tintura de Beladora. cujos efeitos são passageiros. Não Barbitúricos – são menos usados.6 . globo ocular e nariz.2. provocando calma. ● Administrar dieta rica em resíduos. 2. A atividade da atropina provoca diminuição das secreções. Buscopan. 2. Tegretol.11 ● Observar dose e horário. sonolência. pois esses medicamentos são irritantes gástricos. Depakene e Diazepan. ● Observar rubor facial e taquicardia. fazendo com que as crises sejam atenuadas ou abolidas. pois que. Os nomes comerciais mais comuns são: Gardenal. Cuidados de enfermagem ● Observar a dose de medicamento a fim de evitar superdosagem.Grupo da atropina Os medicamentos desse grupo uma leve ação depressora sobre o SNC. euforia. . Escopolamina. pois são sinais de efeitos tóxicos que devem ser comunicados ao médico.A e R.Relaxantes musculares ou miorrelaxantes Definição – São substâncias que atuam sobre o SNC. náuseas. pupila). Brometos o SNC. erupções cutâneas. Esses medicamentos são empregados como antiespasmódicos. sintomas freqüentes. sedação e sono. como. relaxamento das fibras musculares lisas (esôfago. Beserol. ● Observar fadiga. Hidantal. Os principais medicamentos desse grupo são: Sulfato de Atropina.

conforme rotina de Serviço de Enfermagem da Instituição. Codeína. Bupremorfina (Tengesic). a fim de prevenir constipação intestinal por relaxamento muscular. para aliviar a dor e sensações desagradáveis de medo. Belacodid – sedativos da tosse). fadiga e mal-estar. Tryptanol e Ludiomil. Thionembutal. A morfina é usada contra dor forte e persistente. dispnéia em doentes na fase terminal. estimulam os centros de percepção. Motival. suspender a medicação e comunicar ao médico. Cuidados de enfermagem ● Observar sinais e sintomas como: irritabilidade. ● Ansiolíticos – Antidistônicos – Tranqüilizantes: Amplictil. que são sinais de intoxicação. Fentanil. taquipnéia. melhorando o trabalho intelectual. ● Manter controle e guardar o medicamento em lugar seguro. ● Neurolépticos: Amplictil. Diazepan. Os entorpecentes são derivados do Ópio e da Cocaína. Como exemplo de medicamento estimulante. vômitos.Entorpecentes narcóticos ou hipno-analgésicos Definição – São medicamentos que trazem alívio da dor e induzem ao sono. agitação. modificando-o. bradipnéia e torpor. ● Controlar PA e R. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ . Dolosal. Droperidol. já que esses medicamentos provocam dependência física e psíquica. Trofanil. combatendo a depressão.Estimulantes do SNC Definição – São medicamentos que suprimem a sensação de fadiga e sono. taquicardia. destacamos a Cafeína e seus derivados. apreensão. Indicações principais: aliviar a dor. sudorese.3 . Os medicamentos mais usados são: Morfina. Cuidados de enfermagem ● Observar dosagem correta.2. Cloridrato de Tramadol. Inoval. 2. pois são sinais de superdosagem. acalmar a tosse e a dispnéia. ● Observar náuseas. pois que os entorpecentes provocam retenção liquida. Hypnomidate. ● Hipnóticos: Dalmadorm. 2. Papaverina e ainda os entorpecentes sintéticos. EXERCÍCIOS 1. Nesses casos. podendo ocorrer hipotensão e problemas respiratórios (apnéia). ● Oferecer dieta rica em resíduos. miose. ● Controle de diurese. Dolantina. (Sedacodid.Psicotrópicos Classificam-se em: ● Antidepressivos: Anafranil.12 2. como a Mepiridina. Haldol. A superdosagem pode levar o paciente à apnéia e.2.7 . inibir o peristaltismo intestinal e provocar hipnose ou sono. até o óbito. Lorax. Dormonid. cefaléia. Roypnol. Relacione os medicamentos que atuam sobre o Sistema Nervoso Central.8 . dependendo da dosagem. Gardenal.

Grupo de medicamentos ( a ) Estimulantes ( b ) Analgésicos ( c ) Antitérmicos ( d ) Depressores do SNC ( e ) Anticonvulsivantes ( f ) Hipnóticos ( g ) Anestésicos Ação respectiva ( ) deprimem o S. . ajudando-o a pensar e raciocinar mais rapidamente. Relaxantes musculares ou miorrelaxantes. tornando o indivíduo mentalmente alerta. Quais os efeitos previstos? c. Medicamentos que atuam sobre o S. ( ) suprimem a dor. seletivamente sobre o sistema termoregulador. seus efeitos e. 10. Cite os cuidados de enfermagem na administração de medicamentos entorpecentes. ( ) induzem ao sono. 9. ( ) atuam sobre o S. Que são anestésicos gerais e quais as vias de administração? Cite exemplos correspondentes.. Observe: a. são designados: A. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 5. antitérmicos e antirreumáticos.13 2.. hipnóticos e sedativos C. ( ) tornam o paciente insensível à dor.. ( ) deprimem o S.N.N. Analgésicos. promovem a inconsciência e a insensibilidade dolorosa e tátil. São exemplos de anestésicos locais: ( ) Dôrico ( ) Novocaína ( ( ) Nembutal ( ) Xilocaína 1% ( ) Gardenal ) Valium ( ( ) Éter ) Tegretol ( ( ) Atropina ) Diazepan.C. entorpecentes B. Que é medicação pré-anestésica? Exemplo b. Descreva sobre a ATROPINA. ( ) inibe os movimentos. 4.C. Que são entorpecentes e quais seus efeitos medicamentosos? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 6. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 8. D.C. ( ) propiciam uma determinada diminuição das secreções e relaxamento das fibras musculares. Relacione a 2ª coluna à 1ª nas questões abaixo.C. Anestésicos locais são medicamentos que promovem o efeito de________________________ sem abolir a ___________________________. Cuidados de enfermagem na sua administração. cuidados de enfermagem na sua administração. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 7. abolindo ou atenuando as crises convulsivas. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 3.N.N.

estimulante da secreção gástrica e salivar. aumentam o apetite. Os medicamentos somente deverão ser usados sob recomendação medica. que pode estar retardado. Siludrox. malvacetrin.1 . pilocarpina. e) Deprimentes da motibilidade gástrica – diminuem a hipermotilidade e o espasmo. Ex.: Atropina. ou seja. Ex. f) Carminativos ou antiflatulentos – são medicamentos que impedem a formação de gases.: Hidróxido de alumínio (Aldrox. (utilizada na terapêutica substitutiva da insuficiência digestiva). É usado em caso de envenenamento. estes são os mais usados.14 III – MEDICAMENTOS GASTROINTESTINAL QUE ATUAM NO TRATO A digestão é o processo pelo qual o corpo transforma o alimento sólido em energia e em elementos componentes de células orgânicas. b) Bloqueadores H2 . 3. Ex. ● Antisialogogo.Medicamentos que atuam no estômago a) Antiácidos – são substâncias medicamentosas que reagem com o ácido clorídrico existente no estômago. cepacol. 3. Carbonato de Cálcio (leite de magnésia. Ipecacaunha.: Plastil Enzimático. Ex: hortelã.diminui a formação de saliva. sem prescrição médica. Ex. ● Medicamentos antiácidos de ação local – isto é. Ex. diminuindo assim a acidez gástrica.: drogas colinérgicas. ● Antissépticos bucais – para combater a halitose e as cáries dentárias. Ex. Trissilicato de magnésio (Gelusil). estimulando o centro do vômito no cérebro ou agindo localmente no estômago. . g) Emético ou vomitivo – medicamentos que induzem o vômito.: salmora. c) Substutivos – substâncias utilizadas para suprir a falta ou diminuição de algumas secreções do trato gastrointestinal.: Cloridrato de Apomorfina.2 . amargos ou estomáquicos: tintura de quina. Luftal. através da automedicação. e a enfermagem deverá estar continuamente orientado à clientela a evitar a fazer a automedicação. Morfina. atropina. auxiliam no alívio da flatulência e de cólicas gástricas e intestinais produzidas pelos gases.Medicamentos que atuam na boca ● Sialogogo – promove a formação de saliva. Ácido Glutâmico.: Ácido Clorídrico. ● Medicamentos antiácidos de ação sistemática – isto é. capazes de alterar o equilíbrio eletrolítico. Ex. Silidroon. Ex. interferem no equilíbrio ácido-base do sangue.: Bicarbonato de Sódio. Pepsina. Ex. Entre os diversos tipos de medicamentos. neutralizando-o. Pepsamar). Ex. maalox). d) Estimulantes da Motilidade Gástrica – aceleram o esvaziamento do conteúdo gástrico.

Metamucil. ● Os laxantes purgativos mais usados são: Laxogar. Ex. bem como seu amolecimento. Leite Fervido ● Antissépticos – impedem a proliferação microbiana. Ex. Alcachofra. ● Adsorvente – fixa as substâncias tóxicas e os gases intestinais. ● Colagogo – acelera a expulsão da bile estimulando a contração da vesícula. facilitando a eliminação das fezes. Ex. Barbosa.3. Ex. ● Sedativo e Antiespasmódico – diminui o peristaltismo intestinal e alivia a dor. acompanhado de cólicas com evacuações freqüentes e líquidas.: Tanino. ● Adstringente – forma uma capa de proteína sobre a mucosa infamada protegendo-a a das fezes.: Glicose. Classificam-se em: ● Demulcente – protege a mucosa de revestimento. Ex.: Sulfato de magnésio. Ex. Ex. Fleet Enema.3 . Sulfadiazina. ● Agentes atuantes da mucosa intestinal: Atuam na mucosa intestinal estimulando o peristalte irritando ou ainda por eliminação. Ex. . Humectol D. ● Emolientes fecais – são substâncias não absorvíveis no canal alimentar e que agem pelo aumento de bolo fecal. Papaverina.produz aumento do peristaltismo provocando evacuações freqüentes e líquidas. Agarol. Farelo de Trigo.Medicamentos que atuam no intestino a) Catártico ou laxantes – medicamento que atuam aumentando peristaltismo intestinal. Neomicina.: Boldo. Ex. Tamarine.4 . Plastil. Caolim. Leite de Magnésia. Floratil. consequentemente o número de evacuações.15 h) Antiemético – medicamento que combate e previne o vômito e a náusea. Ruibarbo. 3. Loperamida. Difenoxilato. Carvão Medicinal.: Elixir Paregórico. Dulcolax. Gutalax. Ex: Clorpromazina. 3. Questran. ● Purgativo . os quais se classificam em: ● Laxativo – causa leve aumento do peristaltismo. ● Drástico – produz um aumento severo nos movimentos peristálticos. Dramine.: Óleo de Rícino.1 . Pectina. ● Antidiarréicos – Imosec. Vaselina. Peptona. 3. Óleo de Jalapa. Colina. eliminando-os junto com as fezes. Ex. Cáscara Sagrada. Tintura de beladona. Poção antidiarréica. Aguardente Alemã. diminuindo o peristaltismo. Ex. Ex: Caolim. Ex. b) Antidiarréicos – são medicamentos que retardam o trânsito intestinal.: Vaselina líquida (óleo mineral) e o dioctylsulfossuccinato de sódio (umectol D). Carbonato de Cálcio. Tamarine. Óleo Mineral.medicamentos que atuam no fígado e vias biliares ● Protetores da função hepática – protege o fígado contra substâncias tóxicas. facilitando a evacuação.Mecanismo de ação dos laxantes ● Laxantes formadores de massa – agem aumentando a massa ou bolo fecal. ● Colerético – provoca aumento da secreção biliar. Metamucil. Dulcolax. evitando o contato das fezes com a mucosa inflamada.

provocando cólicas e ( b ) Purgativo evacuações freqüentes e líquidas. ( c ) Drástico ( ) provoca leve aumento de peristaltismo. ( ) aumenta os movimentos peristálticos. IV – DROGAS QUE ATUAM SOBRE O APARELHO RESPIRATÓRIO Os medicamentos que atuam sobre o aparelho respiratório podem agir como: . C. 5 – Cite os medicamentos que atuam sobre o intestino. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 6 – Relacione a 2ª coluna à 1ª. B. Corrigir a prisão de ventre. ( ) provoca aumento de peristaltismo e. Inibir vômitos e náuseas. Combater acidez gástrica. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 4 – É ação do antiácido A. Induzir o vômito. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 2 – Antiácidos são medicamentos que atuam sobre______________________ . líquidas.16 EXERCÍCIOS MEDICAMENTOS QUE ATUAM NO APARELHO DIGESTIVO 1 – Cite os medicamentos que atuam na boca. neutralizando ou reduzindo a _____________________________________. D. evacuações freqüentes. ( d ) Catártico ou laxante ( ) retarda o trânsito intestinal. 3 – Como agem os antiácidos de ação local e os de ação geral? Cite exemplos. Medicamentos Efeitos correspondentes ( a ) Laxativo ( ) aumenta a peristaltismo intestinal.

: Ismelina. Atuam sobre o reflexo tussígeno no centro bulbar.A. b) Antitussígenos ou sedativos da tosse São medicamentos que produzem calma e alívio da tosse. Eucaliptine. ● Controlar P.. diminuindo a freqüência cardíaca e promovendo sedação psíquica não hipnótica. b) Derivados da Guanidina – Sua ação é lenta e podem causar hipotensão ortotástica. Tergentol. . A tosse representa um mecanismo de defesa. ● Estar atenta ao aumento da diurese em conseqüência da vasodilatação. A administração rápida pode provocar assistolia. Os medicamentos mais utilizados no tratamento da hipertensão arterial são seguintes: a) Derivados da Reserpina – Serpasol. Quando a expectoração é abundante. V – MEDICAMENTOS QUE ATUAM SOBRE O APARELHO CIRCULATÓRIO 5. Cloreto de Amônio e Iodeto de Potássio. os sedativos da tosse são contra-indicados. podendo ocorrer hipotensão arterial. c) Expectorantes – São medicamentos que aumentam a secreção brônquica. Ex. Mucomyst. ● Administrá-lo lentamente. e P. Reserpina. melhorando substancialmente a função pulmonar pela dilatação das vias aéreas centrais e periféricas.17 a) Broncodilatadores – Produzem o relaxamento da musculatura dos bronquíolos. prevenindo a retenção de secreções pulmonares.: Transpulmin. podendo ocorrer taquicardia. Belacodid.Anti-hipertensivos São substâncias capazes de baixar a pressão arterial. fluidificando-a e facilitando sua eliminação. Cuidados de enfermagem ● Oferecer dieta Hiperhídrica para promover maior fluidificação das secreções. ● Fazer mudança de decúbito dos pacientes imobilizados. Silencium. Exemplos de sedativos da tosse: Codeína.A. Ela deve ser estimulada para evitar-se o acúmulo se secreções nos brônquios. Eles atuam como estimulantes da respiração e como umectantes e detergentes. ● Controlar pulso.1 . Setux. quando por via endovenosa. Outros agem como expectorantes antissépticos traquobrônquicos. Aminofilina. ● Controlar a P. pois o medicamento provoca vasodilatação. Muricalm. Sedacodid. Fluimucyl. Ex. Higroton. Esses medicamentos atuam baixando lentamente a pressão. reduzindo sua viscosidade. por isso só deve ser combatida quando se torna excessiva. afim de detectar hipotensão e taquicardia. Ex. Adelfan. Ex. Cuidados de enfermagem ● Observar cuidados gerais na administração de medicamentos.

: Aldomet.A com maior ou menor freqüência.2. f) Tranqüilizantes ou relaxantes da musculatura lisa – São também empregados para diminuir a vasoconstrição e. ● Observar sinais e sintomas como: cefaléia. Se a diastólica ou mínima estiver a 90. ● Manter repouso em quarto calmo e semi-escuro. A dieta indicada é a hiperproteica. Ex. Resumo: São anti-hipertensivos os medicamentos relacionados: ● Adalat. Deve haver orientações médica para esclarecer dúvidas. Belemina Complex. formigamento em extremidades. Diazepan. que são efeitos colaterais destes medicamentos. Stugeron.A. . podendo ocorrer hipotensão. provocar vasodilatação e hipotensão. Atensina. na hipertensão arterial. midríase. pois estes medicamentos fazem hipotensão. ● Não administrar em pacientes hipotensos. Corgard. Hydromet. Os mais indicados são: Valium. b) Seletivos – sua atividade restringe-se determinados tipos de vasos como os coronarianos e cerebrais. Medicamentos vasodilatadores – Isordil. Sorbitrate. segundo a indicação médica e gravidade do paciente. Aldomet. Loniten. 5. Ex: Pressuren. possibilitando a diminuição da pressão arterial.. Diempax. Capoten. Cloridrato de Papaverina. Ex: Adelfan. pois o estresse e a luminosidade excessiva provocam aumento da Pressão Arterial. Iridux. Cuidados de Enfermagem ● Controle da P. antes de administrar o medicamento. tomar precauções ou não administrá-lo. Doniten.Vasodilatadores (hipotensores) São drogas usadas para dilatar os vasos sanguíneos.Classificação dos vasodilatadores a) Gerais – capazes de atuar em qualquer lugar do sistema circulatório. São usados na arteriosclerose. Atenol.1 . ● Controle da diurese que deverá aumentar. consequentemente. Cuidados de Enfermagem ● Controlar P.A. 5.2 . a resistência à circulação e baixando a pressão arterial. Nitroprussiato de sódio. Nitroglicerina. ● Verificar a P. Vasculat. visando fortificação dos vasos sanguíneos. d) Diazóxido – É também usado na hipertensão arterial. náuseas.18 c) Metildopa – São medicamentos largamente empregados no tratamento da hipertensão arterial. ● Oferecer dieta hipossódica. Minipress. e) Hidralazina – É um relaxante direto da musculatura lisa vascular. Aldomet. afim de diminuir a retenção liquida e o volume circulante. diminuindo assim.

: Cardiazol. Metrazol. Dessa forma. Clinium.19 5. Persantin. ● Controlar pulso apical e radical com freqüência. Inderal. 5.4 . ● Na administração intravenosa. objetivando reduzir a duração das crises. tontura. frequentemente devido à hipertensão. aumentando a força de contração.5 – Digitálicos São todas as drogas oriundas da folha da dedaleira digital. b) Periféricos – atuam diretamente sobre a parede de vasos. Ex. Cuidados de Enfermagem ● Controlar a P. Ação dos digitálicos . que são os efeitos colaterais destes medicamentos. 5. parestesias. que são os efeitos colaterais do medicamento. seu tratamento deve estar voltado na administração de vasodilatadores seletivos. . fazê-lo lentamente e controlar a P. devido ao sabor amargo. que são usados na intoxicação de anestésicos e hipnóticos. facilitando a função renal. ● Verificar P.3. ● Controlar diurese.: Efedrina. Agem a nível renal. ● Observar presença de cefaléia.agem sobre o miocárdio.. fadiga.Vasoconstritores São medicamentos destinados a estimular vasoconstrição periférica e elevação da pressão arterial. pela redução do calibre dos vasos coronários. Verapamil. provocando 5. Cuidados de Enfermagem ● Na administração intravenosa. Sabendo-se que as crises anginosas são causadas. Coramina. diminuir a freqüência e a gravidade das mesmas e melhorar a tolerância ao exercício. o aparelho circulatório. durante a administração. Isuprel..1 . que o medicamento provoca. aumentam o rendimento sistólico e conseqüente diminuição da pressão venosa. Atuam aumentando a força contrátil do miocárdio e estimulam a atividade cardíaca (controlam a freqüência cardíaca e diminuem a velocidade de condução do sangue).Medicamentos antianginosos São medicamentos utilizados no tratamento da angina de peito. fazendo aumento da diurese. Dilacorom. náuseas. nervosismo.3 . ● Na administração do medicamento por via oral.Classificação dos vasoconstritores a) Centrais – atuam sobre os centros vasomotores corticais. Efortil.A. fazê-lo lentamente. o edema tende a ser eliminado. ● Observar presença de taquicardia e dor pré-cordial. Sustrate. Os medicamentos mais usados são: Trinitrina.A.A. podendo haver hipotensão devido à vasodilatação. diminuem a freqüência. orientar o paciente para deglutir rapidamente.. vômitos. e ainda Cafeína. Ex.

caso não haja eliminação adequada. Srª. ● Controlar o pulso da paciente. ● Não administrar o digitálico à noite. ● Controlar a diurese. a dosagem a ser administrada. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 2 – Cite os principais cuidados de enfermagem na administração de medicamentos antihipertensivos. eles provocam insônia e agitação. devido à irritação gástrica. N. EXERCÍCIOS 1 – Conceitue drogas anti-hipertensivas. Pulso abaixo de 60 bpm. sialorréia abundante. . Lanitop.Outra classificação (*). pois essas drogas têm efeito cumulativo. Digitalina.20 Indicação – é indicado no tratamento da insuficiência cardíaca congestiva. evitando as intoxicações. antes de administrar a droga. ● Adalat ● Atlansil /Ancoron ● Cedilanide Digoxina ● Dilacoron (Verapamil) ● Isordil ● Kabiquinase ● Procamide ● Quinidina ● Revivan ● Ritmonorm ● Sustrate (*) Formulário Farmacêutico do H. ● Observar e comunicar sinais e sintomas como: anorexia. perturbações visuais e auditivas (zumbidos). podendo levar o paciente à intoxicação. antiarritmicos e vasodilatadores coronarianos . com rigor. que são sinais de intoxicação digitálica. das Graças. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 3 – Medicamentos que: ● agem sobre o miocárdio aumentando a força de contração. Medicamentos usados – Digitoxina.25mg. vômitos. Cedilanide. ● Na administração oral oferecer com leite. Cuidados de Enfermagem ● Observar. fenômenos alucinatórios (confusão mental).6 .Cardiotônicos. Digoxina 0. Lanicor. 5. não administrar. astenia.

urina. C. b) Cumarínicos – supõem-se que atuam no fígado. B. ● diminuem a pressão venosa. lanitop. Crematoma. Pergalen.Tipos de anticoagulantes a) Heparínicos – evitam a formação de trombos. hematomas. digitálicos D. Sulfato de Protamina. Os medicamentos citados são: A. São indicadas nos casos em há necessidade de prolongar o tempo de coagulação para evitar trombose e fenômenos tromboembólicos. Cuidados de Enfermagem ● Administrar somente com prescrição médica do dia. úlceras de perna. c) Anticoagulantes Tópicos – são utilizados no tratamento local de tromboflebites superficiais. através de mecanismos diversos. anticoagulantes 4 – Quanto ao horário. 6 – Cite três cuidados de enfermagem mais importantes (específicos) na administração de diuréticos. vasoconstritores. Hirudoid. Ex. a fim de identificar início de processo hemorrágico. Ex. ● Observar a dosagem e via a ser administrada. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ VI.1 .: Heparina. hipotensores C. lanicor são medicamentos denominados: A. B. ● Vigiar aspecto e cor das fezes. atuam inibindo a coagulação do sangue. ferida cirúrgica. digitálicos. vasodilatadores. digoxina. 6. inibindo a produção de protrombina.ANTICOAGULANTES São substâncias que. Liquemine. 5 – Digitalina. digitoxina. hipertensores D. cedilanide. os digitálicos devem ser administradores de preferência _____________________ _______porque provocam __________________________________. hemostáticos. Ex.21 ● diminuem a freqüência cardíaca.: Trombofob.: Tromexam. . prolonga o tempo de coagulação.

Substâncias usadas – Fibrinogênio humano. Hipertensão. A vitamina K apresenta-se. Estrógenos agem sobre hemorragias provenientes de pequenas arteríolas. Atuam também. B. Metergin. Sua ação consiste em aumentar a concentração plasmática de vários fatores da coagulação. Infecções. hipotensão devido ao perigo de hemorragias internas. D. podem determinar graves conseqüências. não se dá a síntese da Protrombina.22 ● Evitar o uso de bolsa de água quente. Premarin. em solução aquosa e oleosa.0 mg de heparínico. assim. Synkavit. interferindo na síntese da protrombina e evitando o processo hemorrágico. Cuidados de Enfermagem ● A enfermagem deve ter em mãos estes medicamentos enquanto o paciente estiver fazendo uso de anticoagulantes. para evitar sangramento. Trombose. ● Não administrar em pacientes hemofílicos. 2 – São exemplos de coagulantes ou hemostáticos: ( ) Vitamina K ( ) Heparina ( ) Tromexan . favorecendo aumento da viscosidade do sangue e maiores probabilidades de fenômenos tromboembólicos. Na ausência desta droga. Vitamina K. ● Só devem ser administrados com ordem escrita pelo médico. pois sabe-se que a dose usual é de 1. ● Deve-se também. A vitamina K é a droga mais usada deste grupo de medicamentos. C. vênulas e capilares. sudorese. VII – COAGULANTES OU HEMOSTÁTICOS São medicamentos que usados por via parenteral determinam a hemostasia. A lacuna acima é preenchida corretamente com A. Gelfoam. esta de absorção mais lenta.0 a 1. taquicardia.5 mg para neutralizar 1. Ex. Kanakion. Trombina. inibindo a ação farmacológica dos cumarínicos. no comércio. Não sendo manuseadas de modo criterioso. observando com atenção a dosagem. EXERCÍCIOS 1 – Heparínicos evitam_________________________________________ e prolongam o tempo de coagulação do sangue. Hipopotassemia. ● Observar sinais como palidez. Erogotrate.: Estriol. observar cuidadosamente a dose prescrita a fim de se administrar corretamente o medicamento. contribuindo.

8.Diferença entre dois grupos de ocitócitos ● Syntocinon é indicado para a indução de parto. impedindo a hemorragia pós-parto. 2º grupo – Methergin. pois ele atua contraindo em fundo de útero. É indicado para induzir o parto e coibir as hemorragias pós-parto. Orastina.3 . e impulsiona o leite para fora da mama. Possuem duas propriedades: provoca a contração do miométrio. 3 – Cite os cuidados de Enfermagem necessários na administração de heparínicos. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ VIII – OCITÓCITOS São medicamentos capazes de provocar contração da musculatura uterina. utilizados principalmente para induzir o parto. 8.Medicamentos mais usados e suas respectivas indicações 1º grupo – Syntocinon. ● Methergin é indicado no pós-parto.Cuidados de Enfermagem na administração de Methergin e Similares ● Não administrar em gestantes. pois ele atua contraindo todo o útero. coibir as hemorragias pós-parto. fundo e colo.23 ( ( ) Fibrinogênio Humano ) Premarin.2 . e acelerar a involução do órgão. Atuam como vaso constritor. especialmente no final da gravidez e durante o parto. após dequitação. 8. pois fazem vasoconstrição local. Ergotrate.1 . . _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 4 – Quais as vias de administração de heparina? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 5 – Que são medicamentos coagulantes e quando são indicados? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 6 – Pesquise sobre o fenômeno da coagulação do sangue (em livros de biologia).

● Em tratamento prolongado. ● Controle de P. astenia. b) Menos potentes ● inibidores da anidrase carbônica.24 ● Administrar após dequitação. podendo em doses altas. pulso débil. dor abdominal que são efeitos colaterais deste medicamento. sialorréia. provocando o aumento do volume de urina e sódio expelido. reduzindo a quantidade de líquidos retidos no organismo.: Cloreto de amônio. F.: Teofilina. ● diuréticos tiazídicos. que são sinais de hipopotassemia. para evitar perturbar o repouso noturno do paciente. O peso é um excelente indicador do estado do paciente.. O.: Diamox ● derivados da xantina. Furosemide. ● osmóticos. ● Quando for administrado por V. Ex. Ex. ● Obserar náuseas. pois provoca hipertonia uterina.: Aldactone. ● acidificantes. ● Observar sinais como: câimbras. desorientação. Manitol. ● Controle da dinâmica. ● Administrar o diurético sempre pela manhã e não à noite. Clorana. que deverá ser comunicada ao médico. Ex. fazer hipertonia uterina. ● Controlar líquidos ingeridos e eliminados (diurese) em vinte e quatro horas.: Higroton.Cuidados de Enfermagem na administração de Syntocinon e Similares ● Controle rigoroso do gotejamento.. hipotensão.4 . fazê-lo junto com alimentos. devido à hipertonia.M. apatia. gengivite. C. vômitos. ● Observar sangramento via vaginal. para detectar sofrimento fetal. e pode-se verificar se o medicamento está produzindo efeito. pois são dolorosos e se administrados por via intravenosa. . ● hormônio antagônico da aldosterona. Lasix. fazê-lo lentamente.. IX – DROGAS QUE ATUAM SOBRE O APARELHO URINÁRIO 9. 8. ● Controle de B. ● Quando administrado por via I. Hidralazina. Ex. Aminofilina. Cuidados de Enfermagem ● Pesar o paciente diariamente. observar sinais de hiponatremia como: dor muscular. Os diuréticos podem ser divididos de acordo com a sua potência em: a) Mais potentes ● diuréticos mercuriais. respiração superficial. Edecrin. evitando mal-estar gástrico.1 – Diuréticos São medicamentos que atuam sobre os rins. Ex. A. Enduron. Ex. fazê-lo profundamente.: Uréia. devido à vasoconstrição. pois provoca hipertensão.

● Observar náuseas. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 2 – Como se classificam os diuréticos? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 3 – Cite o nome de plantas. Enterosan (Dentre esses há algumas associações). _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 4 – Descreva os cuidados de enfermagem na administração de diuréticos. wintomylon. icterícia. Domagh descobriu. que passaram a ser empregadas no tratamento da pneumonia e disenteria bacilar. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ X – SULFAS.2 . Constam na classificação de medicamentos quimioterápicos. Vagi-Sulfa. SULFAMIDAS OU SULFONAMIDAS Representam uma das maiores descobertas na terapêutica contra as infecções. Cuidados de Enfermagem ● Orientar o paciente avisando-o que o medicamento torna a urina avermelhada. Muitas vezes são associadas a antibióticos ou outros bactericidas. visto possuírem as sulfas. ação bacteriostática. vômitos. Lederkin. Fanassulf. Kelfizina. Os principais antissépticos urinários são: Mandelamine.Antissépticos urinários São medicamentos usados no tratamento de infecções secundárias do trato urinário. Expectrin. . Madribon. urinárias. Wintomylon. folhas. Nomes comerciais: ● Sulfadiazina. São prescritas nas infecções intestinais. que são os efeitos colaterais do medicamento. Definição – São medicamentos que agem contra microorganismos patogênicos e inibem o crescimento bacteriano. Sulfasalasina. Pyridium. cianose. do aparelho respiratório e gerais. raízes diuréticas encontradas na natureza. em 1932 a ação curativa das sulfas. EXERCÍCIOS 1 – Conceitue diuréticos e cite exemplos. Bactrin. Sulfametropin. Furadantina. Infectrin.25 9. a fim de melhorar sua eficácia.

1 . XI – ANTIBIÓTICOS São substâncias químicas produzidas por várias espécies de microorganismos (bactérias e fungos).1 . ● Penicilina G Procaína (Despacelina e outras que se apresentam em frascos de 400. Cuidados de enfermagem ● Antes de administrar o medicamento. A descoberta da Penicilina revolucionou a medicina da época. os antibióticos foram produzidos por microorganismos vivos. o governo americano subsidiou laboratórios para que sua produção aumentasse. Carbenicilina. ● Observar dosagem correta e administrá-lo dentro do horário prescrito. As principais são: Pen-V-oral.200. impedindo o desenvolvimento de germes ou destruindo-os com sua ação bactericida. Ampicil. ● Após a diluição da Penicilina (em frascos de solução glicosada 100 ml. b) Penicilinas semi-sintéticas São sintetizadas a partir das naturais.Penicilina 11. congestão da conjuntiva. bronquite e endocardite bacteriana. ● Observar sinais e sintomas de intolerância. quando a Penicilina foi descoberta por Alexander Fleming. não administrar e comunicar ao médico. a partir de 1939. e passaram a ser produzidos sinteticamente. ● Controlar diurese. que tem a propriedade de interferir no desenvolvimento de microorganismos patogênicos. geralmente). vômitos. controlar gotejamento para que a administração transcorra dentro do tempo prescrito – uma hora. Se já tiver apresentado sintomas de hipersensibilidade. Amplacilina.00 Unidades). Binotal. dependendo da prescrição ou rotina estabelecida pelo serviço competente. verificar se o paciente é alérgico.Tipos de penicilina a) Penicilinas naturais ● Penicilina G Cristalina (apresentação em frascos de 5 e 10 milhões de Unidades Internacionais). Inicialmente.000 e 1. ou seis horas. Staficilin. ● Respeitar horário e dosagem correta. Policilin.000 UI). tonturas.000 UI. erupções cutâneas. Amoxil. superdosagem e toxidade: náuseas. 600. ● Penicilina Benzotina (Benzetacil – frascos com 300. gonorréia e sífilis.26 Cuidados de enfermagem ● Oferecer líquidos em abundância para evitar que as sulfas formem cristalizações nos túbulos renais. Pouco tempo após. 11.1. pois as sulfas são eliminadas através dos rins. oferecendo maiores vantagens (resistem ao meio ácido e são de maior espectro antimicrobiano). que encontrou solução adequada no tratamento da pneumonia. . doenças venéreas. Os antibióticos são classificados em bacteriostáticos e bactericidas.

náuseas. a 25ºC por 12 horas. ● Observar o paciente por algum tempo após a aplicação da Penicilina. as penicilinas são excretadas através dos rins. oligúria e febre. As mais conhecidas e comuns são: Keflin. pois tem como efeito colateral a lesão renal. totalmente. horário prescrito. eficaz no tratamento de infecções estafilocócicas. rodízio dos locais de aplicações IM e EV. Ceporexin. diarréia e surdez. ● Estar atento à possível ocorrência de choque anafilático. ● Oferecer líquidos em abundância. vômitos e urticária. ativo contra o bacilo da tuberculose. corisa. pelos rins. vômitos. isolados de um fungo. gonocócicas e difetéricas. diminuindo os riscos de problemas em relação ao rim.3 – Aminoglicosídeos a) Estreptomicina É um antibiótico bactericida. pneumocócicas. ● Controlar diurese a fim de detectar comprometimento renal causado pelo antibiótico. Cefaloridina. como: rinites. podendo surgir choque anafilático. . Cuidados de enfermagem ● Observar sinais e sintomas de hipersensibilidade e intolerância: erupções cutâneas. Indicações – São prescritas nas infecções estreptocócicas. erupção cutânea. podendo ocorrer flebite. ou por 6 horas à temperatura ambiente.2 – Cefalosporinas São antibióticos bactericidas de amplo espectro. estomatite.27 ● Após a diluição das Penicilinas. após este tempo o antibiótico perderá seu efeito. infecções do aparelho respiratório e urinário. Cefalotina. sendo eliminada. É de grande toxidade e seu emprego é muito reduzido. conservar o frasco sob refrigeração. esta ocorre com o uso prolongado do antibiótico. b) Canamicina Nome comercial: Kantrex É um antibiótico bactericida. Cuidados de enfermagem ● Oferecer dieta hiperhídrica. Keflex. propiciando aumento da filtração renal. ● Observar sinais e sintomas de intolerância e intoxicação: náuseas. ● Administrar líquidos em abundância. urticárias. Ceporan. intervalos entre as aplicações. devendo ser socorrido imediatamente. náuseas. favorecendo a diurese. ● Observar sinais e sintomas alérgicos e de intolerância. vômitos. que exigem suspensão imediata do medicamento. Kefazol. bactérias gram-positivas e gram-negativas. 11. Cuidados de enfermagem ● Observar cuidados específicos na antibióticoterapia: normas de diluição. 11.

pois ele é eliminado quase totalmente pelo rim. ● Observar data de validade – o medicamento com data vencida pode originar outra patologia. devido á proliferação da Cândida Albicans em cavidade oral e genital. parestesias. ● Observar prurido. Aureomicina.V. sabor amargo na boca. foi o primeiro antibiótico de largo espectro. eficaz no tratamento das infecções urinárias. Nome comercial: Quemicetina. diarréia. Age alterando o código genético a um nível mais elevado do que a estreptomicina. Cuidados de enfermagem ● Manter cuidados específicos do antibióticoterapia. febre. bacteremias e meningites por bacilo gram-negativo. ● Controlar diurese. Cuidados de enfermagem ● Quando Administrada por via E. ● Observar sinais de surdez no paciente.28 ● Controle de diurese para controle do funcionamento renal. ● Manter cuidados com antibióticoterapia.. diarréia. Neste caso empregar Neostigmina como terapêutica. náuseas. deve ser diluída em 100 mls de soro e injetá-la lentamente. Doxiciclina. é totalmente eliminada pelo rim. Minociclina. 11. ricketsias e alguns vírus. nas pneumonias. ● Pode provocar bloqueio neuro muscular. pois este antibiótico é ação supressiva. estomatite. d) Neomicina É bactericida.. V. erupção cutânea. o lupus eritematoso. 11. que são os efeitos colaterais deste antibiótico. turvação da vista. gram-negativas.4 – Cloranfenicol É um antibiótico bacteriostático. ● Oferecer líquidos em abundância. ● Observar erupções cutâneas. pode ocorrer lesão auditiva. devido à sua maior toxidade. . pois. Nomes comerciais: Terramicina. Cuidados de enfermagem ● Na administração E. Nomes comerciais: Gentamicina. Minomax. são sinais tóxicos do antibiótico. deve-se fazer rodízio do local da injeção. Nomes Químicos: Metaciclina. Usada também nas lavagens intestinais e irrigações. c) Gentamicina É um antibiótico bactericida de amplo espectro. ● Observar distúrbios digestivos. Atua contra bactérias gram-positivas. Tetrex. espiroquetas. como por exemplo. vômitos. Tantun-ciclina. Garamicina. pois pode aparecer flebite. É administrada por via parenteral. ● Controle de diurese e dieta hiperhídrica.5 – Tetraciclinas É um antibiótico bacteriostático de amplo espectro. ● Fazer higiene oral rigorosa.

vômitos. efeitos colaterais nocivos. Daktarin. nunca misturá-lo com outros medicamentos e deve ser oferecido por último. eficaz na blastomicose. ● Na aplicação vaginal deve-se fazer higiene externa antes da aplicação. em vista dos riscos que eles representam: resistência ao germe. É usado nas vaginites por monília. febre. pois. o antibiótico é classificado de LARGO ESPECTRO. Cuidados de enfermagem ● Normalmente. ● Quando for V. Observações gerais relativas aos antibióticos ● Cada antibiótico é específico para determinado grupo de bactérias. fibrilação ventricular e parada cardíaca. evitando-se o comprometimento do órgão. ● Observar efeitos colaterais: náuseas. pode produzir convulsões. Cuidados de enfermagem ● Na administração oral. ● Os antibióticos só podem ser administrados sob receita médica. Lermicol. TEMPO DE AÇÃO PÓS-DILIUÇÃO DE ANTIBIÓTICOS Medicamentos Tempo Ambiente Tempo Geladeira . leishmaniose. é aplicado no soro. variando o local de aplicação devido à flebite ● Controle rigoroso da dosagem e gotejamento. não administrar com leite ou fármacos que contenham cálcio magnésio e alumínio. ● Alguns antibióticos são prescritos mediantes a realização de antibiograma. que devem ser comunicados ao médico. ● Após o término da medicação. fazer lavagem da veia com soro fisiológico. pois a administração muito rápida (menos que seis horas). ● Quando. ● Proteger frasco e equipo com papel escuro para evitar alteração devido à luz. em veia de calibre grosso. desde que indicados devidamente e administrados de forma correta por profissionais habilitados. Nistatina. ● Medicamento após ter sido diluído. ● Deve ser dado junto com as refeições. Outros: Ancotil. na monilíase cutânea e oral.7 – Anfotericina B (Fungison) Antibiótico fungicida de amplo espectro. porém ele age sobre um número maior de bactérias gram-positivas e gram-negativas.O. Nizoral. contraindicações e outras desvantagens. Tais medicamentos são uma grande arma no combate às infecções. Canesten. hipotensão. 11. monilíase. é irritante gástrico. dispnéia.6 – Antimicóticos a) Nistatina (micostatin) Antibiótico dotado de ação fungicida e fungistática.. se não for aplicado imediatamente ● Oferecer líquidos em abundância.29 ● Reações de hipersensibilidade que são os efeitos colaterais. 11. especialmente contra a Cândida Albicans (monília). propiciando a eliminação renal. Nomes comerciais: Micostatin. conservá-lo em geladeira. ineficácia no tratamento.

se 25º C PENICILINA G. se 25º C TETRACICLINA 4 horas 10 h. Cite os cuidados de enfermagem no tratamento com sulfas. O que são SULFAS? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 2. se 25º C SINTOMICETINA 4 horas 12 h. se 25º C DOLACIN 12 horas 24 h. se 25º C KEFLIN 24 horas 14 dias se 25º C CARBENICILINA 6 horas 12 h. se 25º C FOSFOCINA 6 horas 24 h. se 25º C GARAMICINA 6 horas 24 h. se 25º C BINOTAL 6 horas 12 h. se 25º C KANTREX 3 horas 8 h. se 25º C FRADEMICINA 6 horas 24 h. (preservado com Parabeno em estado seco conservado abaixo de 30ºC). se 25º C AMPICILINA 4 horas 8 h. se 25º C ALFAXIN Portanto sempre colocar horário da diluição e horário de vencimento desta nos medicamentos. se 15º C NOVAMIM 48 h. se 25º C PENICILINA CRISTALINA 8 horas 24 h. se 25º C QUEMICETINA 4 horas 16 h.0g 8 horas 24 h. se 25º C KEFAZOL 3 horas 8 h.30 3 horas 8 h. se 25º C STAFICILIN 6 horas 24 h. se 25º C KEFLEX 6 horas 12 h. se 25º C CLAFORAN 4 horas 12 h. se 25º C AMPLACILINA 24 horas 48 h. se 25º C MEFOXIN (AMICACINA) 24 horas (1 semana se abaixo de 5º C – 30 semanas se congelado). SÓDICA 5 horas 9 h. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ . se 25º C CEFAMEXIN 4 horas 12 h. EXERCÍCIOS SULFAS E ANTIBIÓTICOS 1. 18 horas se 25º C FORTAZ 1. se 25º C ROCEFIN 4 horas 16 h. se 5º C GENTAMICINA 6 horas 24 h.

_______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 14. Calcule o gotejamento por minuto. Administrar 5 milhões de Penicilina G Cristalina EV em 100 ml de Soro Glicosado 5%. O antibiótico que age especificamente sobre o bacilo da tuberculose é a: A – Penicilina C – Estreptomicina B – Tetraciclina D – Kanamicina 11. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 6. 8.000 U por via EV cada 6 horas? Quantos ml da solução pronta devo aplicar? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ sobre . Em quantos ml de água destilada devo diluir 10 milhões de Penicilina para aplicar 200. B – bolor. Sintomicetina) agem especificamente _______________________________________________ causadores de infecções. são derivados de um determinado tipo de: A – vegetal. C – animal D – mineral 9. descobertos em 1939. Anfotericina B. São exemplos de sulfas: ( ) Fanassulf ( ) Aspirina ( ) Dramin ( ) Infectrin ( ( ) Nictasol ) Expectrin ( ) Bactrin 4.31 3. Nistatina são antibióticos de eleição no combate às infecções provocadas por: A – vírus B – espiroquetas C – fungos D – todos os microorganismos. A ingestão de____________________________________ melhora a diurese dos pacientes em tratamento com sulfas. Cloranfenicol (Quemicetina. Penicilina foram os primeiros antibióticos. 10. Cite os sintomas de intolerância às sulfas. Cite 6 cuidados específicos de enfermagem na administração de antibióticos. Antibióticos combatem infecções provocadas por________________________________ patogênicos. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 12. 7. 13. Os antibióticos agem sobre um determinado grupo de bactérias são denominados _____________________________________e quando atuam sobre um número de bactérias antibióticos de _______________________________________. 5. Fungison.

purulenta. lepra. c) Outros agem destruindo o verme. difteria. b) Ancilostomídeos – o tratamento da infestação por ancilostomídeos tem dois objetivos: ● Restabelecer os valores sanguíneos. 12.Tratamento das Helmintíases a) Ascaris lumbricóides – transmitida pela ingestão dos ovos encontrados em água e alimentos contaminados. Terapêutica – Mebendazol . XII – ANTI – HELMÍNTICOS São medicamentos destinados a combater as infecções por helmintos. d) Outros agem sobre a reprodução dos parasitas. Muitas vezes. monilíase. furunculose. leishmaniose. que são vermes parasitas. pneumonias. porém. endocardite. Anfotericina B. D – oftalmia.Mecanismo de ação dos anti-helmínticos A ação é individual (não é sobre um grupo de parasitas). Uma dieta adequada e uma medicação com ferro são eficientes.32 15.3 . Fungison. b) Agem também paralisando o verme ou dando narcose. Tetramisole. 12. B – virose. Mebendazol. ● Eliminar os parasitas do intestino. Nistatina são antibióticos de eleição no combate de infecções conhecidas por: A – meningites. paralisia e morte. Terapêutica – Piperazina. muitas vezes é necessária a transfusão de sangue. provocando exaustão. de maneira diferente: a) Alguns desses medicamentos atuam sobre a musculatura do parasita. A mesma droga pode atuar sobre mais de um parasita.1 . a fim de se obter condições seguras para administrar o medicamento.2 .Principais helmintos parasitas do corpo humano ● Ancylostoma Duodenales e Braziliense ● Necator Americanus ● Ascaris lumbricóides ● Trichuris trichiura ● Enterobius vermiculares ● Strongiloides stercoralis ● Wulchereria brancofti ● Taenia solium e saginata ● Schistosoma mansoni 12. tuberculose C – blastomicose. é necessário melhorar o estado geral dos pacientes.

g) Teníase – (Taenia saginata e Taenia solium) – a transmissão é por ingestão de tecidos de animais que contenham cisticercos. Resumo ● Aralen (Cloridrato de Cloroquina) ● Ascaridil (Levamisol) ● Cambem (Cambendazol) ● Daraprin (Pirimetamina) ● Fansidar (Sulfadoxina + Pirimetamina) ● Flagyl (Metronidazol) ● Piperazina (Hexahidrato de piperazina) ● Sirbem (Mebendazol) ● Tetmosol (Monossulfiran) ● Tiabendazol (Tiabendazol) EXERCÍCIOS 1. ● Lavar as mãos antes e depois de fazer as suas eliminações. Terapêutica – Tiabendazol. Violeta de Genciana. ● Fazer uso de sapatos. ● Manter os alimentos em lugares limpos. Pamoato de Pirvínio. Terapêutica – Mebendazol. ● Manter roupas de cama e utensílios pessoais limpos. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ . d) Strongyloides stercoralis – As suas larvas penetram através da pele e mucosas. para evitar a reinfestação. nunca andar descalço. especialmente a carne de porco. ● Tratar não só o pacientes. f) Filárias – (Wulchereria brancofti) Terapêutica – Arsenicais e Antimoniais. porém. Terapêutica – Mebendazol. ● Lavar frutas e verduras antes de comer. ● Cozinhar muito bem as carnes. todos os membros da família. Niclosamida. sem a presença de insetos. Cuidados de enfermagem ● Orientar quanto a princípios de higiene e saneamento básico comum. ● Construir sanitários adequados. Cambendazol. e) Enterobius vermiculares Terapêutica – Piperazina. mantendo-os limpos. Salicilamida. ● Fazer fervura da água que se utiliza em casa. Pamoato de Oxipirantel. ● Manter unhas das mãos limpas e aparadas.33 c) Trichiuris trichiura – transmitido pela ingestão dos ovos por contaminação das mãos ou ingestão de alimentos contaminados. Explique a forma de atuação dos medicamentos anti-helmínticos sobre os vermes intestinais.

34 2. b) Hipovitaminose – é a absorção insuficiente de vitaminas. prevenir e eliminar as verminoses intestinais? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ XIII – VITAMINAS Vitaminas podem ser definidas como sendo compostos químicos que regulam as funções orgânicas necessárias ao bom funcionamento do organismo. vários tipos de vermes C. Como combater. devido a uma dieta alimentar inadequada. é mister conhecer alguns termos relacionados com o seu estudo. c) Avitaminose – moléstia provocada pela falta total de absorção vitamínica. infecções bacterianas 4. uma dieta balanceada é a melhor forma de mantermos uma boa saúde. a) Hipervitaminose – moléstia que pode-se desenvolver devido à ingestão de grandes doses de vitaminas. abaixo relacionadas: ● Vitaminas do Complexo B Vitamina B1 – Tiamina Vitamina B2 – Riboflavina Vitamina B6 – Piridoxina Vitamina B12 – Cianocobalamina ● Ácido Nicotínico ● Ácido Ascórbico ● Ácido Fólico ● Ácido Pantotênico ● Colina . taenia saginata e solium D. Todas as vitaminas conhecidas se encontram naturalmente nos alimentos. 13. um verme específico B. Anti-helmíntico polivalente é o medicamento que atua sobre A. O quadro clínico dependerá das substâncias que estejam em falta.Divisão das Vitaminas a) Vitaminas hidrossolúveis – são as vitaminas solúveis em água. Portanto.1 . Antes de descrevermos cada uma das vitaminas. São exemplos de medicamentos anti-helmínticos: ( ) Enterocin ( ) Elixir paregórico ( ) Mebendazol ( ) Ácido Fólico ( ) Piperazina ( ) Vitamina B12 ( ) Tetramisole 3.

diarréias prolongadas.Vitamina D É importante na absorção e metabolização do Cálcio e do fósforo.2. causa problemas nesses órgãos. 13. a) Fontes naturais – leite. K 13. a) Fontes naturais – laticínios. também apresentam necessidade aumentada de vitaminas. É eliminada pela bílis. 13. pois são efeitos da falta desta vitamina. observar náuseas. irritabilidade. Ela também é formada pela pele quando o indivíduo é exposto ao sol. abaulamento. 2 – Distúrbios de absorção – ocorre nos casos de doenças do aparelho digestivo. com febre. batata doce.35 ● Inositol b) Vitaminas lipossolúveis – são vitaminas solúveis em óleos e insolúveis em água.Indicações das vitaminas sob forma medicamentosa. óleo de fígado de peixes. b) Fontes comerciais – Aderogil. As pessoas acamadas. queijo. estando relacionada com o sistema reprodutor. E.2 . músculos. Nestes casos há necessidade de aumentar a ingestão de vitaminas para que o organismo absorva a quantidade suficiente. prisão de ventre. manteiga.2 . as quais são: ● Vitaminas A. Adeforte. nas pessoas desenvolvem trabalhos extenuantes. emagrecimento. 1 – Quando houver ingestão inadequada – neste caso orientar o paciente sobre as fontes naturais de obtenção de vitaminas. Óleo de Fígado de Bacalhau. vômitos.3 . Vitamina A 50.1 . letargia. vegetais verdes. gema de ovo. Sua ausência gera raquitismo. . b) Fontes comerciais – Arovit.2. útero.Vitamina E Atua sobre a pele. irritabilidade. óleo de fígado de peixe. são sintomas de intoxicação. leite e fezes. 3 – Necessidade aumentada dos tecidos – Na fase de crescimento na gravidez e lactação. rejeição a alimentos sólidos e ingestão aumentada de líquidos.000 UI. cenoura. armazenada no fígado e eliminada pelos rins e pelo leite. D. tomate. Cuidados de enfermagem ● Em lactentes. fígado. má formação de ossos e dentes.2. 13.Vitamina A Exerce função fisiológica sobre os olhos. Ela é absorvida no trato intestinal. pele e mucosas e a falta desta. Calciferol Cuidados de enfermagem ● Observar anorexia.

Crescimento retardado.2.5 . leite. b) Fontes comerciais – Kanakion.2. c) Fontes naturais – cereais integrais. Interferência na reprodução e lactação. antiberibérica.é uma vitamina do Complexo B encontrada na natureza. – Vitamina B2 ou Riboflavina: Complexo B. ameixa preta. trigo.4 . Benexol. mariscos. arroz. alimentos naturais em geral. b) Fontes comerciais – Ephynal. cutícula de cereais. lesões cutâneas e da mucosa ocular.2. frutas. a) Fontes naturais – couve-flor. principalmente no suco de laranjas e nas folhas da maioria das verduras. tomate. B2.(complexo B = B2. Sinkavit 13. reprodução e lactação. no óleo de germem de trigo. – Vitamina B12: Vitamina B12 13. b) Carência – problemas digestivos e dermatites.Ácido fólico É uma vitamina essencial para todas as funções fisiológicas onde esteja ocorrendo um crescimento celular importante. cereais. Benexol. É importante na síntese de anticorpos. verduras de folhas. trigo integral. Previne a queda dos cabelos. d) Fontes comerciais – Vitamina B1 ou Tiamina: Benerva. gorduras vegetais. Insuficiência cardíaca. em diversos tipos de alimentos. Falta de apetite e distúrbios digestivos. fígado de porco.Vitamina B . peixes.Ácido nicotínico – niacina – fator PP ou nicotinamida a) Função – síntese de coenzimas que participam da respiração celular. fígado bovino. ovos.36 a) Fontes naturais – Verduras de folhas.8 .2. Uma situação em que o Ácido Fólico é indispensável é no início da gravidez. a) Fontes naturais – cutícula de cereais. Promove o funcionamento normal do tubo digestivo. Complexo B. levedura. a vitamina K é sintetizada pela flora intestinal. Encurtamento da vida. Regula os batimentos cardíacos. 13. hortaliças. 13. c) Fontes naturais – carne. a) Fontes naturais .Vitamina K É essencial para a biossíntese de fatores necessários à coagulação do sangue.2. quando ocorre a formação do cérebro fetal. B6.Ácido pantotênico Está presente em todos os tecidos. B12) – hidrossolúvel. a) Função – Conserva nervos saudáveis. carne. 13. levedo de cerveja. Dozemar. b) Carência – Alterações do Sistema Nervoso (paralisia). fermentos.7 . . Perda de pêlos (cabelos). – Vitamina B6 ou Piridoxina: Adermina. Lesões cutâneas e da mucosa ocular.6 . legumes. Necessária ao crescimento.

Destaque as indicações do emprego de vitaminas sob a forma medicamentosa. Descreva-a. São vitaminas do Complexo B: _______________________________________________________________________________ 7. apenas uma refere-se à vitamina A. C. A importância do Ácido Fólico é destacada em períodos especiais na vida do ser humano. 6. A. protege as mucosas e a pele. _______________________________________________________________________________ 8. Das funções abaixo relacionadas. D. Cite as funções da Vitamina D no organismo. 5. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ . Béri-béri é uma doença provocada pela deficiência de_______________________ no organismo. Esquematize as vitaminas em seus respectivos agrupamentos. 2. previne a má formação dos ossos e dentes. A deficiência de __________________________________ causa o escorbuto. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 10. atua sobre o sistema reprodutor. Óleo de Fígado de Bacalhau são exemplos de medicamentos que contêm: ( ) Vitamina K ( ) Vitamina E ( ) Vitamina A ( ) Vitamina D 9. Dê o significado de: Vitamina – ______________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ Avitaminose – ___________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ Hipovitaminose – _________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ Hipervitaminose – ________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 4. B. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 3. é importante na coagulação do sangue. Arovit.37 EXERCÍCIOS 1.

Deronil. Polaronil. Flebocortid) – usado no tratamento de artrite. aumentando o volume líquido plasmático e extracelular. ● Dexametazona (Decadron.Tipos de corticóides São classificados em: ● Mineralocorticóides ● Glicocorticóides a) Mineralocorticóides – agem sobre o metabolismo mineral (eletrólitos e a água). favorecem a formação de glucogênio hepático. ● Predinisona – (Meticorten) – alivia dores agudas nas juntas. Aumentam a eliminação do ácido úrico. e é produzido pela supra-renal. . água e cloro. hipertensão arterial. 14. e é anti-inflamatório. ● Influenciam o equilíbrio eletrolítico e hídrico. agem como anti-inflamatórios e antialérgicos. aumentam a resistência à insulina. proteínas. aumentado o peso corporal.38 XIV – CORTICÓIDES O corticóide é uma substância de vital importância para o organismo. ● Triancinolona (Kenalog. Kenacort.1 . do sistema nervoso e de outros órgãos. da musculatura esquelética. hipopotassemia. edema. ● Dotam o organismo da capacidade de resistir a todos os estímulos nocivos e modificações ambientais.Principais glicocorticóides usados em terapia ● Cortisona – alivia a dor da artrite e febre reumática. a capacidade funcional do sistema cardiovascular. 14. Dectancil). ● Hidrocortisona – (Solucortef. 14.2 . ● Fluorprednisolona (Delmeson) – possui ação antiflogística. Aldosterona. Omcilon. Ledercort). Eles intensificam a reabsorção de sódio.3 . Os mineralocorticóides mais usados são: Desoxicorticosterone ou DOCA.4 .Uso terapêutico dos hormônios esteróides (corticóides) ● Terapia de reposição ● Estados inflamatórios ● Leucemia aguda ● Choque ● Hiperplasia adrenal congênita. por isso são indicados no tratamento da gota. b) Glicocorticóides – Atuam sobre o metabolismo orgânico.Função natural dos corticóides ● Influenciam o metabolismo dos carboidratos. dos rins. Reações colaterais – hipernatremia. gorduras e purinas. 14. choque e é antiinflamatório.

Onco-provera. Farlutal AD. Ginecoside. Livoid-3. Cortrosina. comunicando-o que esses desaparecem após a suspensão do medicamento. Puran T4 – Ovestrion.São hormônios em forma medicamentosa mais comum Insulina. ● Observar o paciente quanto a distúrbios de comportamento. Primosiston. distúrbios mentais. Prop. pirose e náuseas.1 . causa o choque insulínico. detectando o aumento do peso. ● Controlar a pressão arterial.1. testosterona. Ablacton. ou seja. ● Oferecer dieta hipossódica prevenindo a hipertensão. ● Orientar o paciente sobre o aparecimento de acne. ● Administrar sempre pela manhã. acne. convulsão. cujo funcionamento ele excita ou inibe.2 . Cuidados de enfermagem ● Quando administrar por via oral. Benzo-ginoestril. Primogyna. pode ocorrer hipertensão. ● Em pacientes diabéticos observar sinais de hiperglicemia. Deca-durabolin.Insulina Insulina é o hormônio secretado pelas Ilhotas de Langerhans. Premarin. pois podem fazer fraturas espontâneas. 15. . hirsutismo. pois à noite seu efeito diminui. 15. devido à osteoporose. hipertensão arterial. dispepsia. no pâncreas. ● Pesar o paciente diariamente. A insulina tem a função básica de controlar o metabolismo da glicose. devido à redução da força muscular. reações hipoglicêmicas devido á taxa de açúcar no sangue. pois essa droga estimula o ácido clorídrico. XV – HORMÔNIOS – INSULINA 15. causada pelo medicamento.1 . ● Observar sinais de hiponatremia como: tremores dos músculos. ● Observar sinais tromboembólicos. provocando úlceras. em excesso. devido à reabsorção de água. pois nos tratamentos prolongados pode haver complicações do SNC. infecções. ● Estimular os pacientes a fazer exercícios musculares. Depo-provera. “cara de lua cheia”. aumento de peso. Primolut-nor. Livoid-1. Também controla o metabolismo lipídico e protéico. osteoporose. deve-se dar com leite. oscilação de humor e estado de alucinação. diabetes. distúrbios emocionais. pode ocorrer modificação no metabolismo dos glicídios. hirsutismo. pois esses medicamentos fazem aumento das plaquetas. parada do crescimento. úlcera digestiva. ● Promover cuidados contínuos com pacientes idosos.Hormônios Substância produzida em um órgão (glândula endócrina) e transportada pela circulação sanguínea a um outro órgão ou tecido. Androcur. A deficiência de insulina produz o diabetes e.39 Reações colaterais – os principais efeitos colaterais são: “cara de lua cheia”.

Tipos de insulina Além das insulinas de pico. ditas monocomponentes. As insulinas podem ser obtidas do pâncreas de vários animais: bovinos.24 20 .24 20 .Efeitos da insulina na glicemia A insulina estimula o transporte de glicose para o interior das células.4 .24 20 .12 8 .12 20 .4 2 .12 2 . Atuação – após uma injeção ou secreção de insulina. A falta de insulina leva a glicose ficar retida no sangue. • Temos no mercado insulinas Humanas e Suínas. 15. Por serem os comercializados no Brasil ficamos apenas com este tipo. suínos.Unidade internacional de insulina Define-se uma UI. para doses maiores ou de 10 a 50 unidades para pessoas que fazem uso de pequenas doses (meia dose). aminoácidos e gorduras. e a utilização da glicose nos músculos (gliconeogênese). como sendo a quantidade exigida para baixar a glicemia em jejum de um coelho de 2 kg.1 .7 20 .1 TEMPO DE AÇÃO INÍCIO (H) PICO (H) DURAÇÃO (H) 8 .2 .2.100 (NPH) Actraphane HM 1 . Promove o armazenamento do glicogênio no fígado.12 8 . 15.12 20 .24 20 .3 ½ .3 1 . Para isto as novas seringas de insulina apresentam uma única escala de 10 a 100 unidades.Padronização de unidades Para facilitar a administração pelo pessoal de enfermagem e principalmente para os pacientes. 15. baleia. caprinos.1 1 . obtidas por outros processos de purificação.1 ½ .24 • SUINAS – MONOCOMPONENTES NOVO NOME • Monolin N-100 NOME ANTIGO Monolin N (NPH) 1 .12 8 .24 .3 .2. esta facilita a captação.24 6 .12 8 .2.12 2 .3 ½ .40 15.24 20 .3 TEMPO DE AÇÃO INÍCIO (H) PICO (H) DURAÇÃO (H) 8 . diminui a concentração de glicose no líquido extracelular. • HUMANAS NOVO NOME • Biohulin N-100 • Biohulin L-100 • Biohulin R-100 • Biohulin 70N-30R-100 • Novolin R-100 • Novolin L • Novolin N • Novolin 70/20 (Pré-mistura) NOME ANTIGO Insulina N (NPH) Insulina L (Lenta) Insulina R (Regular) Insulina 70% NPH e 30% (Regular) Actrapid HM (ação rápida) Monotar D HM . em vez de entrar na célula.2.3 1 .3 1 . a utilização e o armazenamento da glicose. O material de referência tem uma atividade de 22 unidades/mg. 40 e 80 unidades foram unificadas em 100 unidades.100 (lenta) Protaphane HM . as antigas apresentações de insulina com 20. existem outras insulinas altamente purificadas. de 120 para 45 mg/dl.

Este procedimento permite que o paciente não faça uso do produto gelado que são mais desconfortáveis. primeira dose.12 2 . EV. ● Glúteo ou abdômen.4 6 . Devem.3 ½ . ao abrigo da luz e à temperatura. Exemplo: Glicosúria Insulina Simples Via de Administração * 5 u S/C ** 10 u S/C *** 15 u S/C . Em casos especiais é aplicada com soro EV.1 TEMPO DE AÇÃO INÍCIO (H) PICO (H) DURAÇÃO (H) 8 . ● Quadrante superior externo da escápula.7 • MISTAS (BOVINAS E SUINAS) PURIFICADAS NOVO NOME • Iolin N-100 • Iolin R-100 NOME ANTIGO Iolin N (NPH) Iolin R (Regular) 1 .24 20 .24 6 . só é aplicada a insulina simples. não superior à 30ºC.4 20 . Cuidados de Enfermagem na administração de insulina ● Observar o tipo de insulina. para cada paciente).41 • Monolin R-100 • Monolin R (Ação Rápida) • Monolin L (Lenta) • Monolin N (NPH) • Monolin 70/30 (Pré-Mistura) Monolin R (Regular) Actrapid MC Monotar MC Protaphane MC Actraphane MC ½ . evitando-se porém.Administração Conforme o caso pode ser feita por via S.7 Todas as insulinas têm validade por 2 anos a partir da data de fabricação.7 • SUINAS – PURIFICADAS NOVO NOME • Neosulin N-100 • Neosulin L-100 • Neosulin R-100 NOME ANTIGO Insulina NPH Insulina S (Lenta) Insulina S (Simples) 1 . geralmente na insulina simples. no entanto.4 20 .5 . devendo ser guardadas em geladeira. congelamento. podendo para pequenos períodos ser mantidos à temperatura ambiente.24 6 . até o término do frasco..6 .3 ½ . IM. ser guardados dentro do cartucho.Locais de aplicação ● Face interior ou externa da coxa. devido à precipitação que pode ocorrer com as demais.1 2 . 15. Os frascos de reserva devem ser guardados em geladeira. Por via endovenosa. Quanto à dosagem.12 2 . ● Face inferior do braço. dose e via de administração prescrita.C. última dose.2. (Tempo que vai da abertura do frasco. depende do resultado da glicosúria.1 TEMPO DE AÇÃO INÍCIO (H) PICO (H) DURAÇÃO (H) 8 .3 1 . 15.12 8 .2.

3 . Obs. Debei e Insulina. ● Alimentar o paciente logo após administração da insulina para prevenir hipoglicemia. fraqueza. leite. observar constantemente o paciente à noite. evitando friccionar o local para evitar a perda do medicamento. podendo ser utilizada isoladamente ou associada a outra formas de tratamento. administrar água açucarada. pois as seringas comuns são graduadas em cm³ ou ml e a de insulina é graduada em unidades. ● Quando se administra insulina ao final da tarde ou à noite.: A aplicação de insulina deve ser feita com a utilização de seringa especial para insulina. sudorese.Antidiabéticos ou Hipoglicemiantes (Orais e Injetáveis) São medicamentos cuja função é estimular a produção de insulina pelo pâncreas. 16.Neoplasias Define-se como neoplasia o crescimento anormal de tecido. agitar suavemente o frasco antes de aspirar o medicamento e após lavar bem a seringa e agulhas para evitar obstrução.2 . tremores. Daonil. dependendo da quantidade de insulina a ser aplicada. que indicam hipoglicemia. ● Observar corretamente os locais de aplicação subcutânea.42 ● Seguir atentamente a técnica de preparo e administração. uma para meia dose (10 a 50 unidades) maiores 10 a 100 unidades. Se isso ocorrer e o paciente ainda se encontre consciente e em condições de deglutir. ● Existem dois tipos de escala de seringa. 15. . pele fria. São absorvidos rapidamente e expelidos pelos rins dentro de doze e vinte e quatro horas. A reprodução rápida e desordenada de células origina os tumores. ● Aplicar insulina NPH.Objetivos do tratamento com citostáticos ● Inibir o crescimento de células neoplásicas ● Destruir o maior número possível de células neoplásicas ● Prevenir a formação de metástases ● Diminuir o tumor ● Prolongar a vida do paciente. XVI – CITOSTÁTICOS QUIMIOTERÁPICOS – ANTINEOPLÁSTICOS – São medicamentos utilizados para inibir ou evitar o desenvolvimento de neoplasias. ● Fazer o rodízio dos locais de aplicação para evitar distrofia muscular ou formação de abcessos devidos à dificuldades de absorção. pois existe o risco de entrar em coma. caso contrário a administração de glicose deverá ser realizada por via EV. 16.1 . ● permanecer alerta à sinais como: palidez. Os mais conhecidos são: Diabinese. suco de frutas ou qualquer doce. ou por sonda nasogástrica. que podem ser benignos ou malignos (câncer). A quimioterapia anti-neoplásica ou citostática é empregada no tratamento de tumores malignos. ● Após a aplicação subcutânea fazer compreensão leve sobre o local.

Agentes alquilantes polifuncionais Impedem o crescimento e a divisão celular. Oncocloramin. Alcalóides como a Vinblastina (velban) e Vincristina (Oncovin). amenorréia. Mitotane .3. Estrogênio.4 .3. 16.43 16. 16.Antibióticos Adriblastina. Lanvis. tornando-o desfavorável ao crescimento dos tumores que se desenvolvem sob estimulo hormonal.3 – Compostos hormonais São medicamentos que atuam alterando o meio endócrino. Bisact-D. Derivados do ACTH. Hidroxiuréia – Hydrea.Antimetabólicos São substâncias sintéticas semelhantes aquelas que nutrem à célula durante o seu crescimento e desenvolvimento. próstata. apesar de que as células neoplásicas devido à sua reprodução acelerada. Hipertensão arterial. ovários. Ex. Alkeran. DTIC.Lysodren. aumento ou perda da libido. Fluoro-Uracil. hirsutismo.3. Procarbazina – Natulanar. Mitocin. Puri-Nethol. 16.Drogas Diversas Pertencem a este grupo diversos tipos de drogas: Enzimas – Asparaginase (Elspar). Blenoxane. Testosterona. Oncotiotepa. embora penetrem na célula. estomatites. como por exemplo. Efeitos colaterais ● Dependem do tipo de hormônio empregado. Myleran. Daunoblastina.1 . são mais sensíveis à toxicidade que as células adultas normais. Platistine. Metotrexate. Tamoxifeno. .: Leukekan. Citostal. Nolvadex. Efurix. Efeitos colaterais ● Depressão da medula óssea. no entanto possuem composição química diferente de modo que.3 . Efeitos colaterais ● Náuseas.5 . Paraplatin. alopecia. Ex. devido à retenção de líquidos. Enduxan.Platiran.3. etc.Classificação dos principais grupos de citostáticos 1 – Agente Alquilantes Polifuncionais 2 – Antimetabólicos 3 – Compostos Hormonais 4 – Antibióticos 5 – Drogas Diversas. não podem ser utilizadas por ela produzindo um efeito tóxico. Estas drogas destroem tanto as células tumorais quanto as normais. Ex. Cosmegem. 16. 16. Ciplastina .2 . Aracytin. vômitos. mas os efeitos mais comumente observados são: edema. os tumores de mama.3. impotência sexual. Becenum. Leucopenia.

pois os quimioterápicos provocam anorexia.Cuidados de enfermagem aos pacientes em tratamentos com quimioterápicos antineoplásicos ● Evitar banhos muito quentes. podendo contaminar-se facilmente. ● Observar sinais como náuseas. pois o paciente sob essa medicação fica com a pele sensível. reconhecendo que pode haver náuseas. conforme indicação medica. intra-cavitária. vômitos. ● Lavar as mãos antes de manusear o paciente. 9 – Não administrar em veias pericraneanas e sempre que possível evitar também as veias de membros inferiores. (uso de capela de fluxo laminar adequada). 8 – Nunca administrar o quimioterápico juntamente com sangue e derivados. ● Estar alerta para sinais de hemorragia (taquicardia. vômitos e micções. que são os efeitos colaterais dos quimioterápicos. divido à baixa resistência. ● Observar o paciente para detectar infecções. O quimioterápico fora da veia provoca necrose de tecido.6 . ● Manter unhas aparadas para que o paciente não se machuque. diarréia e estomatites. 6 – Em caso de extravasamento. FC. rigorosamente. 2 – Verificar modo de preparo e conservação dos medicamentos na rotina para cada droga. 3 – Evitar contaminações dos olhos e pele. 7 – Abrir o soro rapidamente após a injeção. a fim de eliminar as substâncias nocivas. deixando correr 50 a 100 mls. devido à facilidade de hemorragia. devido à baixa resistência. ● Controlar os dados vitais P. sempre trocar a agulha antes de administrar no paciente. fazer compressas geladas. ● Manter níveis nutricionais adequados. evitando hemorragia. ocasionado diminuição da resistência. vômitos.A. a fim de manter os rins funcionantes. a que esse tenha períodos de repouso. epistaxe. intra-tecal. ● A higiene oral deve ser feita suavemente. deixá-lo em quarto sozinho para evitar contato com outras doenças. 4 – Após aspirar a solução.Vias de administração dos quimioterápicos Via oral.5 . ● Fazer controle diário de peso. anorexia. ● Orientar o paciente quanto à alopécia. evitar alimentos ácidos e muito quentes. estomatite e mucosite oral caudado pelo quimioterápico. . Conforme o tipo de quimioterápico e a prescrição médica. incentivando a alimentar-se. 16.Medidas gerais para o tratamento com quimioterápicos antineoplásicos 1 – Instalar soro fisiológico ou glicosado. ● Manter rigorosa higiene oral para que a boca não se torne um local de produção de bactérias. que provocam infecções e cáries. 5 – Injetar os quimioterápicos na dose correta. para retardar o metabolismo tecidual local. hipertensão. números de vezes das evacuações. melena e hematúria. endovenosa. quando manusear a droga.. FR. palidez e inquietação). T.44 16. intra-arterial. que é reversível. ● Providenciar distração ao paciente.4 . ● Oferecer ao pacientes alimentos que goste. ● Fazer cuidados preventivos de escaras. 16. para evitar lesões da pele e. e infiltrar no local medicamentos anti-inflamatórios. para certificar-se que a veia está bem puncionada. intramuscular. ● Observar aspectos. pois os quimioterápicos podem produzir depressão da medula óssea. para lavagem das veias. usar sabonete neutro e esponja macia. ● Encorajar uma boa ingestão hídrica.

é fotossensível. vômitos. Fazer lentamente. vômitos. Daunoblastina Endovenosa Cardiotoxicidade. pois é fotosensível. náuseas. Náuseas. Quando endovenoso. Faz necrose quando extravasa no tecido. diarréia. estomatite. vômitos. ● Observar técnica correta. Não diluir em soro fisiológico. Aumentar ingestão hídrica. Observações Evitar deixá-lo em ambiente úmido. Cosmegen Endovenosa Náuseas. diarréia. Diluir em soro fisiológico. ● Estar atenta às reações do paciente. fazer lentamente diluir 15 ml de soro fisiológico. alopécia. Observar hipertermia. vômitos. alopécia. Febre imediata.45 10 – Pressionar os locais de venopunção por mais ou menos dez minutos. neurotoxidade. Methotrexate Oral ou Injetável Endovenosa. febre. Náuseas. hepatotoxicidade. alopécia. Diluir em soro fisiológico 5 a 10 mls. alopécia. depressão da medula óssea. XVII – COLÍRIOS E POMADAS OFTÁLMICAS Anestalon – Argirol – Atropina – Fenilefrina – Flumex-N – Garamicina – Idu – Indocid – Isotopofenicol – Isotopo-tears – Mydriacil – Pilocarpina – Lanolina+vaselina (pomada lubrificante oftálmica) solução salina (Cloreto de sódio 5%) Statrol – Timoptol – Maxitrol. estomatite. vômitos. calafrio. estomatite. Deve ser preparado no quarto e usado imediatamente. erupção cutânea. estomatite. vômitos. pois há incompatibilidade. vômitos. hiperpigmentação. depressão da medula óssea. Intramuscular Oncovin Blenoxane Aracytin Endovenosa Náuseas. Deixar o medicamento longe da luz. XVIII – CORANTES E CONTRASTES RADIOLÓGICOS Azul de Evans – Azul de Metileno – Azul Patente – Azul Toluidina Celebrina – Duplobar – Hexabrix – Hypaque – Hytrast – Indigo carnin – Lipiodol Ultra-fluído – Omnipaque 300- . tromboflebite. Lentamente Endovenosa. alopécia. Proteger da luz. QUIMIOTERÁPICOS ANTINEOPLÁSICOS Nome do Produto Citostal Vias de Administração Via Oral Efeitos Colaterais Náuseas. pois é eliminado pelos rins. Cuidados de Enfermagem ● Orientar o paciente sobre os efeitos de medicamentos por via ocular.

000 mg? 3 – Quantos miligramas há em 20 gramas? 4 – Quantas gramas tem em 500 mg? . tem como unidades básicas o metro. utilizado em todos os hospitais.02 g Para transformar grama em miligramas.002 g 5 mg = 5 # 1000 = 0.25 gramas? 2 – Quantas gramas tem em 10. Ex. obtendo sua colaboração a fim de obter êxito na realização de exame solicitado.005 g 20 mg = 20 # 1000 = 0. O sistema métrico decimal.: 2 mg = 2 # 1000 = 0.46 Omnipaque 240 – Omnipaque 180 – Telebrix 30c/ Meglubina – Telepaque – Vasurix-vermelho de Fenol – Celobar – Bário. ● As sub-unidades são assim abreviadas: ● m = metro ● dm = decímetro ● cm = centímetro ● mm = milímetro ● mcg = micrograma ● g = grama ● dg = decigrama ● cg = centigrama ● mg = miligrama ● cm³ = centímetro cúbico ● l = litro ● dl = decilitro ● cl = centilitro Sendo o miligrama e o grama as unidades mais usadas nos hospitais no deteremos neles: Ex. ● Acompanhar o paciente na ingestão de contrates orais. ● O litro é a unidade básica de volume (medida para líquidos) ● O grama é a unidade básica de peso (medida seca). devemos multiplicar por 1000. o litro e o grama. XIX – NOÇÕES DE METROLOGIA Metrologia é o estudo dos pesos e medidas.: 1 g = 1 x 1000 = 1000 mg 5 g = 5 x 1000 = 5000 mg PROBLEMAS 1 – Quantos miligramas há em 4. ● O metro é uma unidade básica de comprimento. Cuidados de Enfermagem ● Preparo correto do paciente para os respectivos exames.

................................................................................. b) 1 litro = 100 cc ........................ por mililitro.... Conseguindo isto através da aplicação da regra de três simples........................................ 1959) Caseiro Líquido 1 gota... 2 – Indique quais as medidas que podem ser consideradas iguais: a) 1 cc = 1 ml ............................................................ c) 1 ½ copo graduado = ................................................................ c) 1 ml = 1 g ....................... você saberá converter medidas de um sistema em outro....... d) 1 kg = 1 litro .............................................................................................................................................................................................................................................................................................................. (Farmacopéia Brasileira............................................. que se segue como exemplo: Sabendo-se que um frasco de quemicetina contem 1 g..........................................................................................10 ml (10cm³) 1 colher de sopa....................... a enfermagem deverá estar preparada para determinar a quantidade correta a ser administrada ao paciente.....................................................................................................................................47 19....................15 gramas PROBLEMAS 1 – Converta as seguintes medidas caseiras em mililitros a) 30 gotas = ...........................1 ml (1cm³) 1 colher de chá.........30 ml (30cm³) 1 copo.................................................... quanto será administrado ao paciente? 1º passo – 1 g – 1 x 1000 = 1000 mg 2º passo – regra de três 1000 mg 5 ml 300 mg x 1000 x = 300 x 5 x = 1500 = 1................................................................. 5 ml .......................................... f) 30 ml = 30 cc ........................................1 ..................................................................................................................050 ml 20 gotas........................ Nem sempre o que foi prescrito pelo médico coincide com que tem no frasco podendo ter maior quantidade........................................ e também a concentração do medicamento ou solução............................................. e) 1 litro = 1000 cc ............................................................250 ml (250cm³) Caseiro Seco 1 colher de chá................0............................................................................ Desta forma... b) 3 colheres de chá = ...................................................................................... 19....................................................5 ml (5cm³) 1 colher de sobremesa (doce)...................5 gramas 1 colher de sopa........150 ml (30cm³) 1 copo graduado...................................................................................15 ml (15cm³) 1 cálice........2 Calculo de dosagem Os medicamentos vêm rotulados e especificando a quantidade por centímetros cúbicos....... e que na prescrição médica pede 300 mg.............Pesos e medidas equivalentes Conhecendo bem a tabela abaixo..... oi por unidade............................................................................................................................................. 2ª Ed........

teremos 18 mg = 0. Diluindo este antibiótico em 10 ml de água destilada.000 U. Quanto você vai retirar para aplicar 18 mg? Regra de três – 60 mg 1 ml 18 mg x 60 x = 1 x 18 Então. a resistência ou concentração da solução será.48 1000 Então.Soluções Soluções é uma mistura homogênea composta de duas partes distintas: a) Soluto . respectivamente. 15 mg. 3ml x = 18 = 0.líquido no qual o soluto será dissolvido.000 U? ______________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 2 – Um frasco de Decadron de 4mg/ml de 2. as soluções podem ser classificadas em: ● isotônica ● hipertônica ● hipotônica Assim. e na prescrição médica foi pedido 50 mg. e a inferior a 5%. A concentração acima desse nível é considerada hipertônica. teremos 300 mg = 1.5 ml.3 .é a substância a ser dissolvidas.000 U. De acordo com a resistência ou osmolaridade. e que foi prescrito 300.000. é hipotônica. Quanto você vai retirar para aplicar 20 mg. Quanto você terá que administrar?________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 4 – Sabendo-se que uma ampola de Garamicina de 60 mg. e abaixo hipotônica. maior ou menor que a do sangue que foi tomado como padrão. 3 ml 60 EXERCÍCIOS 1 – Sabendo-se quem um frasco de penicilina contém 5. quantos ml você vai administrar para aplicar 300. A solução de glicose a 10% é hipertônica. Resistência de uma solução significativa a quantidade de soluto em uma porção definida de solvente. . 30 mg e 10 mg? _______________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 19. Ex: sabendo-se que uma ampola de Garamicina de 60 mg possui 1 ml de líquido. possui 1 ml de liquido. A solução de cloreto de sódio é isotônico. 5 ml. igual.10 g. b) Solvente . quantas mg contém esse frasco? _____________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 3 – Um certo comprimido vem da farmácia com indicação de 0.

1 . há uma parte de soluto. 2º passo .3.3. em cada 10 ou 1000 partes de solventes. 10%. em um soro glicosado a 5% de 500 ml. c) Soro cloretado a 20% b) Solução de glicose e cloreto de sódio ou soro glicofisiológico. Para esta transformação. 10 e 20 partes de soluto. 3º passo – temos ampolas de glicose de 20 ml a 50% Então: 100 ml – 50 g 20 ml – x 100 x = 20 x 50 x = 20 x 50 = 10g 100 . usamos a regra de três simples. 3º passo – faz a diferença entre ambos e completa-se o frasco de 5% com amplo as de glicose hipertônica.3. respectivamente.3 . Então.Transformações de soluções Nem sempre teremos disponível a concentração da solução desejada para satisfazer as necessidades imediatas do paciente. 80 U por cm³. ● Em quantidade definida – exemplos: 40 U por cm³. 19. temos 50 g de glicose.Soluções mais usadas a) Solução glicosada a 5. 1º passo – 100 ml – 5g 500 ml – x Então 100 x = 500 x 5 x = 500 x 5 = 25 g 100 ● Em 500 ml de soro glicosado a 5% temos 25g de glicose. 20% . 20 e 50% b) Solução de cloreto de sódio ou soro fisiológico a 0.49 A resistência ou concentração das soluções pode ser expressa assim: ● Em porcentagem – exemplos: 5%. 2º passo – saber quanto de glicose há no frasco a 10%.significa que em cada 100 partes de solvente há. 1:1000. e a prescrição é de 500 ml a 10%. 19. ● Em proporção – exemplos: 1:10.2 .100 ml – 10 g 500 ml – x Então 100 x = 500 x 10 x = 500 x 10 = 50 g 100 ● Em 500 m de soro glicosado a 10%. 1º passo – saber quanto de glicose existe no frasco a 5%. 5.09%.Transformar soro glicosado isotônico em hipertônico ♦ Temos 500 ml de soro glicosado a 5%. e tomamos como padrão o frasco de 500 ml de soro. 10. teremos 25 g de glicose. significa que. 19.9% ou 0.

Então: 5 10% 0.4 . para ser administrado em seis horas.: Lembre–se de que no equipo microgotas. a solução de permanganato de potássio. Total de solução (gotas) = nº de gotas por minuto Total de tempo (minutos) Exemplo: temos 1000 ml de soro glicosado. colocaremos 50 ml de glicose a 50% (2 ½ ampolas) no frasco de 500 ml a 5%.25 g x = 20 x 25 = 50 ml 10 Então. portanto.: quando a solução é pura. 3 microgotas equivalentes a uma gota. em quantos ml teremos 25 g? (a diferença entre o soro a 5% e 10%). 19. Obs. álcool iodado. usamos a seguinte formula: Concentração desejada X quantidade desejada Concentração disponível Obs. usamos a seguinte fórmula. 20 ml – 10 g x .Cálculo de gotejamento Para definirmos qual o gotejamento e em quanto tempo terá que ocorrer “x” ml de solução. como por exemplo.50 ● Logo. com 550 ml de soro glicosado a 10% ou seja. com 50 g de glicose. Para esse tipo de soluções. devemos multiplicar as gotas totais por 3 (três). Se uma ampola de 20 ml a 50% contém 10 g.000 gotas 1 x = 60 • 6 x = 60 x 6 = 360 minutos 1 ● Usando a fórmula teremos: 20. Outros tipo de soluções são usadas no hospitais.5 x x 1000 ml 1000 = 500 ml . 1º passo: 1 ml = 20 gotas 1000 ml = x 2º passo: 1 hora – 60 minutos 1 x 1000 • 20 x 1000 • 20 = 20. Ficando então. dizemos que temos uma solução a 100%. uma ampola de 20 ml de glicose a 50% contém 10 g de glicose.5 gotas 360 gotas ● Devemos deixar correr 56 gotas para que este soro também termine em 6 horas. duocid a 10%.000 gotas = 55. etc.

Qual era a prescrição médica? ________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ . Quantos ml deverá ser administrado? _________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 02 – Sabendo-se que um frasco de medicamento contém 2g dissolvido em 10 ml.51 Formula simplificada: nº. Qual a parte do comprimido que deverá ser administrado? ___________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 07 – Para um paciente foi administrado ¼ de um comprimido de 20mg. gts = volume nº h x 3 Exemplo: nº de gts = 500 = 16 gts. quantos ml deverá ser administrado?_________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 03 – Um frasco possui a indicação de 10 mg/ml. quantos mg estará dissolvido? ______________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 04 – Um certo medicamento possui 3 g dissolvido em 20 ml. a receita indica 8 mg. Quantos ml do medicamento será administrado ao paciente que necessita de 800 mg? ______________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 05 – Um medicamento possui a indicação de 4 g/ml. se a prescrição médica é de 600 mg. a prescrição médica é de 3 ml. Quantos cc deverá ser administrado ao paciente que necessita de 500 mg? ___________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 06 – Um determinado comprimido possui a indicação de 24 mg. possui a indicação 8mg/ml e a prescrição é de 40 mg. saneantes e desinfetantes são calculados em teor de princípios ativo. EXERCÍCIOS 01 – Se um determinado medicamento. A maioria dos antissépticos. 1x3 Ao colocarmos 500 ml de duocid a 10% em um litro e completarmos para 1000 ml de solução água teremos uma solução a 5%. Exemplo: PVP – I com 1% de Iodo ativo Álcool Iodado com 1% de Iodo ativo Saneante Hospitalar com 10% de cloro ativo.

Anorexia – Perda ou diminuição do apetite. Qual a dosagem do comprimido? __________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 09 – Um comprimido possui a dosagem de 32 mg. B Beri-beri – Avitaminose provocada pela deficiência da vitamina Bl. inferior a 60 (em adultos). Apatia – Insensibilidade. Alucinação – Convicção íntima de uma sensação atualmente percebida.52 08 – Um paciente recebeu 1/3 do comprimido. este medicamento foi diluída em água destilada completando 10cc. família de cogumelos. Arterosclerose – variedade de esclerose arterial caracterizada pelo acúmulo de lípides amorfos na túnica interna dos vasos (arteromas). Compreende notadamente a levedura de cerveja e a monília. caracterizada por distúrbio motores. porque sua prescrição médica era de 15 mg.000 U. Acne – Doenças da pele com erupções (espinha). sensitivos. A seguir temos um quadro no qual está indicado os pacientes. Alopécia – Queda parcial ou total dos cabelos. Um paciente necessita de 8 mg. Pode ocorrer bradicardia fisiologia e patológica. Atrofia – Defeito de nutrição dos órgão e tecidos. porém existe quantidade cc erradas: quais são e corrige-as. circulatórios e secretores. Blastomicose . . Bradicardia – Lentidão dos batimentos cardíacos. caracterizada por uma diminuição notável de seu volume e peso. Astenia – Depressão do estado geral. Qual a parte do comprimido que você irá administrar?_________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 10 – Um frasco de penicilina contém 5. Alquilador – Sinal devido à claudicação discreta que marca frequentemente começo da coxalgia. Qual a dosagem prescrita pelo médico? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ XX – VOCABULÁRIO A Antiflogístico – Substância que combate a inflação.000. acarretando insuficiências funcionais múltiplas. indiferença. _____________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 11 – O paciente recebeu 2/3 de um comprimido de 30 mg. Artrite – Afecções inflamatórias agudas ou crônicas que atingem as articulações.Infecção por blastomicetos. a quantidade de penicilina que eles precisavam e a quantidade de cc que iria ser administrado. Bradipnéia – Respiração lenta. ao passo que nenhum objeto exterior próprio a excitar essa sensação está ao alcance dos sentidos.

Esses paroxismos se traduzem clinicamente por crises epilépticas. Citostáticos – Que bloqueiam a multiplicação das células (substâncias quimioterápicas. Dispnéia – Dificuldade e/ou dor ao respirar. de grande número neurônios cerebral. antibióticos que suspendem a divisão bacteriana. etc. simultânea e anormalmente intensa.53 Bactericida – A menor concentração de uma substância capaz de propiciar a destruição definitiva da vitalidade de um micróbio. o cérebro. . hipotermia. H Hiperglicemia – Aumento da quantidade de glicose contida no sangue. colapso cardiovascular. Bacteriostático – Ação de certas substâncias. O edema generalizado toma o nome de anasarca. intoxicação crônica. Edema – Infiltração serosa de diversos tecidos e em particular do tecido conjuntivo do revestimento cutâneo ou mucoso. antissépticas. contração convulsiva dos músculos lisos). Estupor – Entorpecimento geral. Equimose – Macha negra. resultante da infiltração do tecido celular subcutâneo por certa quantidade de sangue. derrubar) Afecção crônica caracterizada pela repetição de paroxismos devido a “descargas epiléticas”. Choque – Sideração brusca do sistema nervoso característica por estupor. É observada de modo passageiro após as refeições. (Para certos autores. Na pele o edema se revela por uma tumefação indolor e sem rubor que conservação por algum tempo a impressão de um dedo. transitória de um músculo ou de um grupo muscular. Coma – Estado mórbido caracterizado por um adormecimento profundo com perda total ou parcial da inteligência. às vezes até convulsões com perda de consciência. Distingue-se o coma vigil e o coma profundo. sempre repentinas. Espasmo – Contração involuntária de um grupo muscular. Diminuição irreversível das faculdades intelectuais. Pode também infiltrar o pulmão. doenças da nutrição. da sensibilidade e da motilidade e conservação das funções respiratórias e circulatórias. isto é. irradiação). levando até a morte ou cura rápida. Diurese – Eliminação urinaria em seu conjunto referente tanto à quantidade quanto à composição da urina. É uma regressão no desenvolvimento. marrom ou amarelada. D Demência – Deterioração mental. as crises podem ser generalizadas ou parciais. de um músculo ou até de um feixe isolado. à ativação súbita. da hemoglobina reduzida. C Carminativo – Propriedade de fazer expulsar os gases intestinais. A cianose pode ser localizada e generalizada. Há grande variedade de “epilepsia”. Essa substância é o antibiótico. Cianose – Síndrome caracterizada por uma coloração azulada dos tegumentos (pele e mucosas) devida ao aumento do sangue capilar. cuja taxa ultrapassa 5 mg/100ml. ocasionam envelhecimento da bactéria e sua morte se a dose é suficiente. Câncer – Nome dado a todos os tumores malignos que se estendem rapidamente e tem tendência a generalizar-se. E Epilepsia – (Agarrar. Câimbras – Contração involuntária e dolorosa. Dispepsia – Digestão difícil por causas diversas: doenças do aparelho digestivo e seus anexos. sob a influência de certas substâncias (adrenelina).

no interior das veias. esquece o que disse e retorna prontamente ao seu primeiro estado. distúrbios sensoriais leves. Pode ocorrer nos órgãos internos. impotência funcional. fraturas. A sintomatologia é acentuada: dores. Ocorre frequentemente cefaléias. A coagulação sanguínea é grandemente retardada por falta de um fator da coagulação. isto é. Distinguem-se dois tipos: a flebotrombose e a tromboflebite. câimbras das extremidades e. aumento da excitabilidade nervosa. Leucopenia – Diminuição dos glóbulos brancos contidos no sangue. Hirsutismo – Virilismo. Hematoma – Coleção sanguínea encistada. Hemofilia – Afecção hereditária recessiva ligada ao sexo. aumento da pressão na rede arterial. etc. O Osteoporose – Desmineralização esquelética generalizada por rarefação da trama protéica do osso. sono artificial provocado principalmente por narcóticos. pode levar a complicações graves: acidentes nervosos e problemas cardíacos. Hipertonia – Aumento da tonicidade muscular. T Trombo – Massa sanguínea coagulada em um vaso ou no coração e determina uma trombose. Tromboflebite – Inflamação de uma veia na qual se forma um coágulo. Hipertensão arterial ou vascular. inflamada e em contração espasmódica. de coágulos sanguíneos que correm o risco de se desprender e de criai embolias pulmonares. ossos e cartilagens. deformações ósseas e às vezes. a pressão mínima elevando-se acima de 10 (100). determinando a trombose venosa caracterizada por uma ampla e sólida aderência do coágulo à parede da veia que está totalmente obstruída. Adquire características físicas e psíquicas masculinas. Tromboembólica (doenças) – Processo mórbido caracterizado pela formação. Deprime também a sistema nervoso neurovegetativo. como a hemorragia gástrica. edemas. Necrose – Gangrena. Pode ocorrer em casos de tumores malignos da glândula supra-renal. intestinal ou cerebral. a hipertensão maligna e a hipertensão intracraniana. Caracteriza-se por uma forte tendência a hemorragia internas ou externas graves. N Narcose – Adormecimento. síndrome androgênica observada na mulher após a puberdade. Hipertensão – Aumento da tensão. Existem várias formas de hipertensão. Neuroléptico – Que acalma a agitação e a hiperatividade neuro-muscular. I Icterícia – Sintomas que consiste na coloração amarelada mais ou menos intensa da pele ou das mucosas. mortificação dos tecidos. Traduz-se clinicamente por dores. . pele e músculos. como hipertensão grave. L Letargia – Esquecimento.54 Hemorragia – Efusão de uma quantidade maior ou menor de sangue fora de um vaso sanguíneo. transmitida pelas mulheres e atingindo unicamente o sexo masculino. Existe a icterícia fisiológica (a do recém-nascido) e a icterícia patológica. em conseqüência da impregnação dos tecidos pelos pigmentos biliares. Sono profundo e continuo no qual o doente fala quando é despertado mas não sabe o que diz. isto é. Oligúria – Diminuição da quantidade de urina. A pressão máxima ultrapassa 170 mm de Hg e pode atingir 25 a 30.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->