P. 1
AULA 3 (CRÂNIO E SELA TURCA).

AULA 3 (CRÂNIO E SELA TURCA).

|Views: 2.835|Likes:
Publicado porANDERPX

More info:

Published by: ANDERPX on Oct 11, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/02/2013

pdf

text

original

TOPOGRAFIA CRANIANA

1

TOPOGRAFIA CRANIANA

2

TOPOGRAFIA CRANIANA 3 .

LINHAS DE POSICIONAMENTO Normalmente são os espaços compreendidos entre dois pontos anatômicos. 4 .

Também conhecida como: Linha Horizontal Alemã (LHA). Há também uma diferença aproximada de 7º a 8º no ângulo entre as linhas orbitomeatal e glabeolomeatal.LIOM (LINHA INFRAORBITOMEATAL) Formada pela conexão da metade da margem infra-orbitária ao MAE. Linha de Frankfurt e Linha Basal de Reid. Linha Antropológica.LGM (LINHA GLABEOLOMEATAL) Vai da glabela ao meato acústico externo (MAE). 5 . Linha InfraÓrbito Meática.LOM (LINHA ORBITOMEATAL) Localizada entre o canto externo da órbita e o meato acústico externo (MAE). Também conhecida como: Linha Órbito-Meática e Linha Horizontal Americana.LINHAS DE POSICIONAMENTO 1. 3. 2. OBSERVAÇÕES Há uma diferença média de 7º a 8º entre os ângulos das linhas orbitomeatal e infra-orbitomeatal.

LMM (LINHA MENTOMEATAL) Vai do mento ao meato auditivo externo (MAE).LIP (LINHA INTERPUPILAR) Conecta as pupilas ou os cantos externos dos olhos. 7. 6 . 8.LGA (LINHA GLABEOLOALVEOLAR) Conecta a glabela a um ponto na região anterior do processo alveolar da maxila. 6.LINHAS DE POSICIONAMENTO 4. Também conhecida como linha interorbitária.LIAM (LINHA ACANTIOMEATAL) Faz a conexão do acântion com o meato auditivo externo (MAE). Também conhecida como linha tragus mentoniana. 5.LLM (LINHA LABIOMEATAL) Conecta a junção dos lábios ao MAE.

4. Rotação. 5. Flexão excessiva. 2. Angulação incorreta do RC. 3. Extensão excessiva.CINCO ERROS POTENCIAIS DE POSICIONAMENTO RELACIONADOS ÀS POSIÇÕES DO CRÂNIO 1. Inclinação. 7 .

LAM. PMC.Submentovértice.Linha central do bucky vertical.Plano mediocoronal.Paralelo.Linha infraorbitomeatal.Decúbito dorsal.Linha interpupilar.Linha central da mesa.Linha glabeoloalveolar.Distância foco-filme.Decúbito ventral. LGA. ATM.Plano mediosagital. MAE. LCBV.LISTA DE ABREVIATURAS ⊥.Perpendicular.Conduto auditivo externo. RC.Linha orbitomeatal.Meato acústico externo. PMS. DV. //. CAE. DFoFi. LCM.Linha acantiomeatal. LOM. SMV. 8 . LIP.Articulação temporomandibular. LIOM. DD.Raio central.

Numerador. DFoFi. 6. 5. 3. 2. Inclinação do Raio Central. Chassi. 9 . Ponto Anatômico de Incidência do Raio Central. 8.INCIDÊNCIAS RADIOLÓGICAS (CRÂNIO) Para descrever uma incidência você deve seguir os seguintes passos: 1. KV e mAs. Sentido do Chassi. 10. 7. Planos e Linhas utilizados. Respiração. 4. Posição do Paciente. 9.

2. ESPECIAIS 5. Restante: longitudinal. Perfil (Direito e Esquerdo). SENTIDO Perfil: transversal. AP Axial (Método de Towne). 3. PA 0º. Submentovértice (SMV) ou Hirtz. 4. . AP axial. PA 15º (Método de Caldwell).INCIDÊNCIAS RADIOLÓGICAS (CRÂNIO) BÁSICAS 1. 6. Método de Haas (PA axial). 10 FILME 24 X 30 cm. RESPIRAÇÃO Apnéia. ALTERNATIVA 7.

2. Planos e Linhas utilizados. 5. 7. Numerador. KV e mAs. 3. Inclinação do Raio Central. 11 . Sentido do Chassi. 10. 9.INCIDÊNCIAS RADIOLÓGICAS (CRÂNIO) Para descrever uma incidência você deve seguir os seguintes passos: 1. 4. 6. Chassi. 8. Posição do Paciente. DFoFi. Ponto Anatômico de Incidência do Raio Central. Respiração.

RC ⊥ saindo na glabela e // à LOM.50 m). PA A 0º Apoiar a fronte e o nariz. Alinhar o PMS ⊥ à LCM ou à LCBV.CRÂNIO (BÁSICA) 1. Cristas petrosas preenchem as órbitas. Alinhar a LOM ⊥ ao filme. 12 . OBS: na incidência AP há distorção das órbitas e faz-se necessário uma DFoFi maior (1.

Pirâmides petrosas projetadas no terço inferior das órbitas. PA AXIAL (MÉTODO DE CALDWELL)) Apoiar a fronte e o nariz. o forame redondo e a região da borda orbitária inferior. Alinhar o PMS ⊥ à LCM ou LCBV. Alinhar a LOM ⊥ ao filme.CRÂNIO (BÁSICA) 2. Angular o RC 15º caudal para sair no násio. 13 . Raio central a 25º ou a 30º caudal: utilizada quando se deseja visualizar fissuras orbitárias superiores.

Alinhar o PMS // ao filme. Ajuste o queixo para trazer a LIOM ⊥ à borda anterior do filme (LIOM // ao filme). Colocar a cabeça em uma posição lateral verdadeira. PERFIL (DIREITO E ESQUERDO) Uma rotina de craniana global inclui os perfis tanto direito quanto esquerdo. RC ⊥ ao filme e centralizado 5 cm acima do MAE. 14 . Alinhar a LIP ⊥ ao filme.CRÂNIO (BÁSICA) 3.

15 . Worms-Bretton e Reverchon.CRÂNIO (BÁSICA) 4. Alinhar o PMS ao RC e à LCM ou LCBV. Angular o RC a 30º caudal em relação à LOM ou 37º caudal em relação à LIOM. centralizado 6 cm acima da glabela. Indicada para avaliação da base do crânio. AP AXIAL (MÉTODO DE TOWNE) Também denominado Bretton. Abaixar o queixo e deixar a LOM ou a LIOM ⊥ ao filme.

até que a LIOM esteja // ao filme. SMV (HIRTZ) Elevar o queixo do paciente. Incidência usada para base do crânio. Alinhar o PMS ⊥ à LCM ou porta-filme. 16 . hiperestendendo o pescoço se possível. RC ⊥ à LIOM centralizado 2 cm anterior ao nível dos MAEs (a meio caminho entre os ângulos da mandíbula).CRÂNIO (ESPECIAL) 5. Apoiar a cabeça do paciente pelo vértice.

Alinhar o PMS ⊥ à linha média da mesa ou LCBV. Incidência alternativa para pacientes que não podem flexionar o pescoço suficientemente para a incidência AP axial (Towne). Há ampliação da área do occipital. mas resulta em doses menores para as estruturas faciais e glândula tireóide. Alinhar a LOM ⊥ ao filme. PA AXIAL (MÉTODO DE HASS) Apoiar a fronte e o nariz. centralizando o RC ao PMS através do nível dos MAEs. Angular o RC 25º cefálico à LOM. Não é recomendada quando o osso occipital é a área de interesse devido à ampliação excessiva. 17 .CRÂNIO (ESPECIAL) 6.

pacientes politraumatizados). uma incidência AP axial pode ser obtida usando uma angulação cefálica de 15°. posicionando a LOM ⊥ ao filme. AP AXIAL Para pacientes incapazes de serem posicionados para uma incidência PA (por exemplo. 18 .CRÂNIO (ALTERNATIVA) 7.

Perfil (direito ou esquerdo). Towne: 24 X 30 cm. FILME Perfil: 18 x 24 cm. RESPIRAÇÃO Apnéia. SENTIDO Perfil: transversal. AP Axial (Método de Towne). 19 . Towne: longitudinal.INCIDÊNCIAS RADIOLÓGICAS (SELA TURCA) BÁSICAS 8. 9.

SELA TURCA (BÁSICA) 8. Alinhar o RC ⊥ ao filme e centralizado num ponto 2 cm anterior e 2 cm superior ao MAE. Alinhar PMS // à mesa ou LCBV. 20 . Situar a LIOM ⊥ à borda anterior do filme (// ao filme). PERFIL (DIREITO OU ESQUERDO) Utilizada para avaliar a estrutura óssea e para a realização de medidas para o cálculo do volume selar. Situar a cabeça do paciente em uma posição lateral verdadeira. Ideal uso de cones ou cilindros de extensão. Alinhar a LIP ⊥ à LCM ou LCBV.

Angular o raio central (RC) 30º caudal para LOM ⊥ se os processos clinóides anteriores forem o interesse principal. Centralizar o PMS 4 cm acima do arco superciliar. AP AXIAL (MÉTODO DE TOWNE) Utilizada para avaliação da estrutura óssea de do dorso da sela e também para realização para o cálculo do volume selar.SELA TURCA (BÁSICA) 9. Angular o raio central (RC) a 37º caudal à LIOM ⊥ se o dorso da sela e os processos clinóides posteriores forem o interesse principal. 1 1 21 medida . Posicionar o paciente normalmente como já visto anteriormente na incidência para crânio. Ideal uso de cones ou cilindros de extensão ou ainda colimação fechada.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->